Infecção!!!

916 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
916
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
95
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Infecção!!!

  1. 1. Infecção por Rabdovírus<br />Ainá Melgaço, Rafaella Gama<br />
  2. 2. Epidemiologia<br />6.940 casos no USA, apena 8% desses ocorreram em animais domesticos<br />Capaz e infectar a maioria dos mamíferos, como morcego, guaxinins, gambás e raposas, cães e gatos.<br />Maior taxa de fatalidade de todas as doenças infecciosas<br />
  3. 3. Está presente na saliva do animal <br />É introduzido nos tecidos após uma mordida<br />É uma virose aguda do SNC<br />Agitação, hiperestesia, convulsão, espasmo da laringe e paralisia generalizada<br />
  4. 4. Patogenia<br />Período de incubação é de um a três meses.<br />Vírus presente no local na inoculação ou próximo, predominantemente em células musculares.<br />Vírus se liga nos receptores nicotínicos da Acetilcolina na junção neuromuscular e via axônio o vírus segue os nervos (sensitivos e motores) até o cérebro<br />
  5. 5. O achado patológico mais característico são os corpúsculos de Negri, nos neurônios piramidais no hipocampo e células de purkinje do cerebelo<br />Ausência de corpúsculo não exclui a hipótese de diagnóstico<br />
  6. 6. Manifestação clínica<br />Três fases gerais:<br /><ul><li>Pródromo  sintomas inespecificos, incluindo febre, mal estar, náusea, vômito, ansiedade e agitação. Parestesia, dor ou prurido na area da mordida ocorre em 50-80% dos casos.
  7. 7. Fase neurológica aguda  febre, convulsão, alucinação, hiperatividade, espasmos faringeos (hidrofobia) e confusão
  8. 8. Coma/óbito  Paralisia flácida ascendente</li></li></ul><li>Diagnóstico<br />Assim que se suspeita deve ser feito:<br />Análise do líquido cefalorraquidiano<br />Saliva fresca<br />Tecido cerebral (se possível)<br />PCR<br />Teste do anticorpo fluorescente direto <br />
  9. 9. Tratamento<br />Baseado no protocolo de Milwaukee, onde indica o coma induzido e uso de antivirais<br />Biopterina <br />Mesmo com tratamento, a maioria evolui para óbito, porém alguns obtêm melhora clínica, como é o caso de Marciano (veja no vídeo a seguir)<br />
  10. 10. Vacina<br />
  11. 11. Fim!<br />

×