Ave isquêmico

5.255 visualizações

Publicada em

Apresentado por Alan Melino e Bernardo Mello

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.255
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
89
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ave isquêmico

  1. 1. AVE Isquêmico Alunos : Alan Melino (M8) Bernardo Mello (M8)
  2. 2. Fisiopatologia : Uma oclusão aguda de um vaso que reduz o fluxo sanguíneo para a região cerebral que supre.
  3. 3. Etiologia e Frequência
  4. 4. Depende da localização e tamanho da oclusão <ul><li>Carotida comum: Assintomática; </li></ul><ul><li>Carotida interna: Cegueira ipsilateral, hemiparesia e hemianestesia contralaterais, hemianopsia, afasia ou negação, heminegligência; </li></ul><ul><li>Cerebral anterior: </li></ul><ul><ul><li>Hemiparesia </li></ul></ul><ul><ul><li>Déficit sensitivo </li></ul></ul><ul><ul><li>Alteração da capacidade de resposta ( Abulia ) </li></ul></ul><ul><ul><li>Apraxia </li></ul></ul>Quadro Clínico
  5. 5. <ul><li>Cerebral média: </li></ul><ul><li>Tronco principal Hemiplegia </li></ul><ul><li>Hemianestesia </li></ul><ul><li>Henianopsia </li></ul><ul><li>Afasia ou negação </li></ul><ul><li>Heminegligência </li></ul><ul><li>Divisão superior Hemiparesia </li></ul><ul><li>Déficit sensitivo </li></ul><ul><li>Afasia de Broca ou negação </li></ul><ul><li>Heminegligência </li></ul><ul><li>Divisão inferior Afasia de Wernicke </li></ul><ul><li>Sem hemiparesia </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Cerebral posterior: </li></ul><ul><ul><ul><li>Cortical unilateral Hemianopsia isolada </li></ul></ul></ul><ul><li>Alexia </li></ul><ul><li>Anomia das cores </li></ul><ul><ul><ul><li>Cortical Bilateral Cegueira cortical </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Talâmico Anestesias dolorosas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>N. Subtalamico Hemibalismo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Lb temp. Inferior bilat. Amnésia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Mesencéfalo Paralisia oculomotora </li></ul></ul></ul><ul><li>Outras anormalidades </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Cefaléia; </li></ul><ul><li>Vômitos; </li></ul><ul><li>Sinais motores e sensitivos em um período de minutos ou horas; </li></ul><ul><li>Nível de consciência alterado. </li></ul>Emergência
  8. 8. <ul><li>Anamnese </li></ul><ul><li>Exame físico </li></ul><ul><li>Exames de imagem </li></ul>Diagnóstico
  9. 11. Terapia Trombolítica no AVC Agudo <ul><li>Uso do Fator Ativador do Plasminogênio Tecidual Recombinante (rTPA) (I.V.) na lesão até 3 horas do início dos sintomas. </li></ul><ul><ul><ul><li>tPA (I.V.) 0.9 – 90mg/kg com ataque de 10% e o restante infundido em 60 min; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Excluir AVC hemorrágico ou edema >1/3 ACM*; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Manter P.A. <180/110mmHg; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Acompanhamento por Tomografia. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>* Pior prognóstico e maior risco de hemorragia pós-tto. </li></ul></ul>
  10. 12. Terapia Trombolítica no AVC Agudo <ul><li>Uso do Fator Ativador do Plasminogênio Tecidual Recombinante (rtPA) (I.V.) na lesão entre 3 e 6 horas do início dos sintomas. </li></ul><ul><ul><ul><li>Não houve benefício para indicação dessa terapia. </li></ul></ul></ul>
  11. 13. Terapia Trombolítica no AVC Agudo <ul><li>Uso da Estreptoquinase (I.V.) na lesão entre 0 e 6 horas do início dos sintomas. </li></ul><ul><ul><ul><li>Não é recomendado seu uso => hemorragia. </li></ul></ul></ul>
  12. 14. Terapia Trombolítica no AVC Agudo <ul><li>Trombólise Intra-Arterial com tPA (geralmente 6h após). </li></ul><ul><ul><ul><li>Catéter infunde a droga diretamente no trombo; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Vantagem diagnóstica e terapêutica (dose menor); </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Desvantagem pela complexidade de recursos e pelo fator humano; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Indicado quando há: (1) oclusão da ACM, (2) trombose aguda da artéria basilar; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Contra-indicado quando há sinais de infarto (apagamento dos sulcos cerebrais, hipodensidade ou edema). </li></ul></ul></ul>
  13. 15. Sem Indicação de Terapia Trombolítica <ul><li>Tratamento com anticoagulantes </li></ul><ul><ul><ul><li>Heparina; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Heparina de Baixo Peso Molecular; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Heparinóides (derivados da heparina); </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Redução da progressão da lesão e do tromboembolismo recorrente; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Prevenção da TVP e do TEP; </li></ul></ul></ul><ul><li>Recomenda-se : não usar altas doses, pois com a dose menor consegue-se alcançar o efeito anticoagulante sem risco de hemorragias. </li></ul>
  14. 16. Sem Indicação de Terapia Trombolítica <ul><li>Tratamento com antiplaquetários </li></ul><ul><ul><ul><li>Ácido Acetilsalicílico (AAS); </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Uso nas primeiras 48hs; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dose de 160 – 325 mg/dl; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Associado com heparina subcutânea => prevenção TVP. </li></ul></ul></ul>
  15. 17. Prevenção de TVP e TEP <ul><li>Tratamento com anticoagulantes (baixa dose - SC) </li></ul><ul><ul><ul><li>Heparina; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Heparina de Baixo Peso Molecular; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Heparinóides (derivados da heparina); </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Risco reduzido de TVP e TEP em 60%; </li></ul></ul></ul>
  16. 18. Prevenção de TVP e TEP <ul><ul><ul><li>Heparina de baixo peso (!) X Heparina não-fracionada; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Restrita para 24hs após trombolíticos; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Se contra-indicada: meias elásticas ou compressão pneumática intermitente; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pacientes com Hematoma Intracraniano => em pacientes estáveis e começar após 2 dias do sangramento. </li></ul></ul></ul>
  17. 19. <ul><li>Em paciente com AIT não cárdioembólico ou AVC </li></ul><ul><li>Aspirina na dose de 50 – 325 mg / clopidogrel 75 mg / aspirina 25 mg + dipiridamol 200 mg (!) ; </li></ul><ul><li>Risco de sangramento? => aspirina baixa dose 50 - 100 mg; </li></ul><ul><li>Pacientes com história de desordens pró-trombóticas (ex: trombofilia) => anticoagulantes orais. </li></ul>Prevenção do AVC
  18. 20. <ul><li>Em paciente com AVC cardioembólico </li></ul><ul><li>Fibrilação atrial => anticoagulantes orais prolongados (objetivo = INR 2.0 – 3.0); </li></ul><ul><li>Forame Oval Patente ou Insuficiência/Espessamento Valvar => antiplaquetários. </li></ul>Prevenção do AVC
  19. 21. FIM

×