006 Redação Publicitária

370 visualizações

Publicada em

Novo conteúdo da disciplina de Redação Publicitária do curso de Publicidade e Propaganda da Estácio de Campo Grande. As entrevistas foram extraídas do site Puta Sacada, que se trata de um blog de criação focado em Redação Publicitária.

Publicada em: Design
  • Seja o primeiro a comentar

006 Redação Publicitária

  1. 1. ;a : ig-a _n_ m_ : M291: ai-; «JE 2 f. ; . ; _4 . . . à . , , . . . . . Simplicidade criativa e a pauta da nossa oonversa oom Gustavo Bastos. Socio e diretor de criaçao da 11 221, Gustavo oonta sua trajetória em grandes agências, fala sobre a complexidade deter uma simples ideia e revela que a simplicidade está voitando à oena. Que assim seja. Estamos na torcida.
  2. 2. Ft ED. '-*: Ç.! ›.O P U B LICI I AR IA Vamos para o assunto do dia. O que toma uma ideia simples e criativa? O poder de uma boa ideia é grande. Quando a ideia é simples, de impacto e parece que a sua vizinha poderia ter tido, o poder se multiplica. E se for bem executada de forma simples e viável, aí é uma combinação rara e ainda mais poderosa. Sempre digo que uma ideia tem que nascer simples para caber bem feita em qualquer orçamento. Não adianta tentar fazer Avatar de cartela ou tentar executar Pearl Harbour com a esquadrilha da fumaça.
  3. 3. REDAÇÃO PUBLICITÁRIA "Que ideia simples e genial" e "a ideia era boa, mas ñcou simples demais" são expressões opostas, mas próximas. O cuidado na execução faz a diferença? O simples não pode ser simplório. O cuidado na execução sempre faz diferença E quanto mais simples a ideia, mais a produção, o cuidado, fazem diferença. A vantagem é que você não depende tanto da verba , _ para cuidar bem de uma execução simples. t*
  4. 4. REDAÇÃO PUBLICITÁRIA "Que ideia simples e genial" e "a ideia era boa, mas ñcou simples demais" são expressões opostas, mas próximas. O cuidado na execução faz a diferença? Mas precisa de muito cuidado e dedicação. Um anúncio altype parece simples, mas é bem difícil de fazer, de chegar ao melhor layout. Afinal, você não tem o recurso de estourar uma bela foto para ajudar no produto final.
  5. 5. REDAÇÃO PUBLICITÁRIA Por que é tão complexo ter uma ideia simples? Esta e uma pergunta tão complexa quanto ter uma ideia simples. Elas parecem fáceis, mas são o oposto. A ideia simples é aquela que deu muito trabalho a quem fez e nenhum trabalho a quem recebe. Elas parecem fáceis justamente por sua simplicidade, dão a impressão de que qualquer um poderia ter feito. : ú : :A at, -. rdílrfi _i l, l_l__l_ll. l l_! g.~ -- , s,_-. _'-. ._ à ~
  6. 6. REDAÇÃO PUBLICITÁRIA E essas ideias simples e incríveis muitas vezes ficam escondidas embaixo ou dentro de muitas outras ideias complicadas. Primeiro você passa pelas complicadas e vai escavando até encontrar a simplicidade. É preciso lapidar, cortar, enxugar para que sobre só a ideia pura, criativa. Aí então você vai saber se ela é boa. Senão, tem que começar o processo todo de novo, por isso é tão difícil. _ ; e : :ri i4, . trt¡ iiiiiiiiia» -- . ' me». I-. 444m' 'asas =
  7. 7. I É &Ê; :líã M âtirâ q' A l°ñ›"n. 'Í n › m 7 luisa' _JiJhl ÇQJJ l' I " : a u. l* 3 O que realmente importa na hora de avaliar a pasta de um candidato a estágio? Essa mole. as ideias. mut ' . W up nn- n -rJ w: 'Gustavo Bastos _Sócio e diretor de criação da 11:21 FX . . : p -fa, -. 's-I/ 7-1* as. .. résàüllíli_ r~ r u . ..h _ -f-#Ã . zu tz. ___ . __ _ . .Ju v 4 _w . se. u ' - . x l x , _ _ _ - _ - _ 1
  8. 8. 1231; i : ii l ; iLili : iii “ ÍÍQÍÍPTS-“li-lltãllngllluétPlhll-iíü: rclélWtlszothíllulla if-lgiighi-? líàhftüâl-l-*Ifelnlunlplíqlélluiíloi: :luimuic-olplinifêi-r 'hit- ° * ” o " ç ç ig¡ , aguir-urlci-ik-: Jaê ii- «air-sk ? Ikari reílaiagsxaiqgiviutiai llÍllll= ll rua . __ 'lqgàxqllñlâ-»VT «ami ivlivrci? 'lâifãrfãllãlu ? km1 guan- : :atá i llllêljfzlni* 'l . á . zui_ irazirizñvici e : i ; atum-xa Fern. ;piaui , jígnii 'lcnui 'l= -_-. _i›:1ir. _ufi: ,»: ~:i~' um 11:11: ? tirei ni gfãlylâll g. : : t: glzlíslrwíílãleierail -JILÊÊL AÍIlmIl nlÊÍà--t-'Ei ; éralrauêilllsialiarciuusiiisiia iàitfclàlm 115m' uma. 'ItiZClV/ .wiílcls "Vl37Á= k“*'^lIl“ÇW)i ' : t 'll ÉNÃÍÔÍVÍSÍÊÉHlÉÍBÍ-'fál-“JllhêlêMâfâlflâll . P 'í David Romanetto _A _ __ Redator da Talent
  9. 9. REDAÇÃO PUBLICITÁRIA Existe uma fórmula Ricardo Chester para quando a ideia não quer aparecer? A mesma que vale para todos. Rale. Rale até sair. A procrastinação não cabe numa reunião de apresentacao. Alguma coisa tem que sair. E geralmente sai. É ! Éh “É
  10. 10. REDAÇÃO PUBLICITÁRIA Em 201 O, você publicou um texto no CCSP chamado 0 título sumiu. Ainda acredita que os titulos andam esquecidos? “ Acho. E, pior, acho que boa parte da nova geração não escreve bem. E ai, não estou falando só de título. Falo de diálogos de filmes, do ato de roteirizar, de texto cabine, spots de rádio, de conceituar. A ferramenta básica de um redator é a escrita. Eu, simplesmente, não acredito em redatores que têm dificuldades com texto.
  11. 11. REDAÇÃO PUBLICITÁRIA Em 2010, você publicou um texto no CCSP chamado 0 título sumiu. Ainda acredita que os titulos andam esquecidos? " Na minha defesa ao titulo não está uma atitude contra as novas tecnologias, nem nada. Só não acho que ele tem que ser extinto sumariamente. Grandes títulos continuam sendo grande propaganda. "
  12. 12. a. : l vn z Iv. ; ix (2373 nc. v. - r 5a, # z n -st * 1 v, / " , i . - l t g . i _ p . › a _L _f_ s. ” v' . . _ EJ' s* . a ~ Deixe um recado. em 140 caracteres, para todos Os leitores. Ni» «m t i Í', .ri l 5:' l v »iig Íl, ",'tl iwi isiirii : aflita : :iiiri iüilirt W934' v-iii ll q: iriiirwi; (ii il'17_: “. ria' l na i*ii't'iiviwsiliii fa* r iii* i r, ii' _narra iriHi' aiii] iifPi -iiei lxiài adapta! pala : ni 1 rieiiiizja lj : :tl l l crigai : :ligar si: 3;. ..
  13. 13. REDAÇÃQ PUBLICITARIA Volkswagen, Havaianas e Gatorade são referências em boa propaganda. E você atende todas elas. Além de muito trabalho, como criar com freqüência diversas campanhas sem perder a qualidade? Em primeiro lugar vem o que você citou : muito trabalho. Dulcidio Caldeira, diretor de criação aqui da Almap, tem uma frase muito boa sobre isso. Ele diz que as boas idéias vem da herpes. _ Um job só fica bom quando você trabalhou a ponto de baixar a resistência, pegar uma gripe, »estourar uma herpes. Depois, vem outra coisa " *também muito importante. Clientes como _ ç ç k í l / Volkswagen, Havaianas e Gatorade querem r ' ' ; ç ” a colocar boas campanhas no ar.
  14. 14. REDAÇÃO PUBLICITARIA Volkswagen, Havaianas e Gatorade são referências em boa propaganda. E você atende todas elas. Além de muito trabalho, como criar com freqüência diversas campanhas sem perder a qualidade? Eles vibram com uma boa ideia, apóiam, lutam Isso faz uma grande diferença. É muito mais difícil quando só a agência tem coragem de apostar num trabalho criativo. ' junto com a gente para que a campanha aconteça.
  15. 15. REDAÇÃO PUBLIClTARIA Qualquer pessoa pode ser um redator criativo? É possível aprender criação? u . ,, __ _ Não é qualquer um que pode ser um redator criativo. ' ' i -' - , , É preciso ter duas coisas: saco e tesão. Saco e ' ' ' tesão andam juntos. Saco para refazer, refazer até aprender a ter uma ideia boa. E tesão para toda a vez que refazer ter prazer neste processo.
  16. 16. REDAÇÃO PUBLICITARIA Qualquer pessoa pode ser um redatortcriãtivo? É possível aprender criação? Ou seja, o talento conta, mas nem tanto assim, conta mesmo é a vontade de querer entrar nesta profissão. Já vi muita gente nem tão talentosa no começo, virar o jogo por conta da dedicação. A segunda parte da pergunta esta respondida certo?
  17. 17. í~ii~zl : :ie ; Bit i »l tati? :iiíiriai : is Vli' iriaênsiettuiííiainlteuiriui fcilnllarílr*uini-cicinlmllltcmçmc uaialtiei : multi iaini aiii: ;fazia tvitaiiiinie, .cmgisinimiajçireieialltistgñeiei, -, i-'Iie rir1¡ni-»7i= ¡i'i= z4=_i_1ãi tem : mais nvuviei Ptrijgiauialnirjlaaàtmtci-an, Ftàtiiíhtgñt* i illiíiltzliiâllic. : : i jiniii iai mai ; irãítiziai àítstusi-â iai' iciaiattsi fritas. :i: - g ; agir ~r ur. iiíinliiaiirisuaaaillicíiai 1151C ~tsili : iam: .finais. (rflkisxalinifírsi : icirçiuis taigio : ipiüaai-: tfniiravtieitai vicirrs viafrciuisirsii fair? ) giultlltciigàiijtai 7 giaigiuintiaszrsieiçicinirjltrjtais ; iai Lama »tramitam iLYnIll“VlClÇ(5›-«I›-CfC1II¡l%l®l%l, :ÍHIÍFIII Iiciçmiii "ÍtJ-Çjllâ* itisircítaiui ; iai 'niêlciiiai 'IÍCÍlC>›-?4%lll~. “3 “VIÍCDC-*âlílíâlllfílâ uni giricirir» f' fgjaigikrttei "iuisa-ztlsgyatícjçi,
  18. 18. Í? ils' I, '; “ i'l_l: °lL. i› ii* : *i.2i. l:i _ ' biniicip; ñ:r-v; bjfaz~rii= .i›iairéliaiiiituihngisiiiátagi-eiiiiz-ia-r: &f; "tati-mg o " @útil-Júlia ici ¡ni-, iitik-i' ^ ' ' n . @Hammamet üillilãlíêlllâlkllâlllfiílã~fia": :itaieitcieiai ri leiam: v _j j _ ÊÍÊXSFÃIÊÍ 'ikàiiivaicfláklll lifiiíaí”í'ltgiiliíííl~êl t' i o x» . . _ , l , l ÍÊÍÍÍQÍÊEIRÉÉÉQQIÉ vlllâilsinfÍMàii * i , . . ai _liztiià _ ia. i;i-i= JLai-= i.i. ..a. . O f" 'Lt' i' . . *A lãhgjllàãêtâkilk faze) iciiiai: git= .ienai¡i: ie. it' ' JW' . t. . . s, !É . _ . vi -jxiy 'A 1 AÍ ur " ' « . t v Í- D Z'. u i i' ¡- u - ~ rf Ú' Í' , i Ft? , . ›' da 4 *a - › y , u . . l . Wir. .- , - . .i. .r t , |v'vl: <" "k ' ei_ a c , z r b j _iq-riu . - I J. ; , 3 PÍ (Em ' › f j "p V i › ¡ _tu g_ *i-A › 'A z~ . .tenra -
  19. 19. 'neliiãg PUBLICITARIA Como se destacar diante da grande il- r'. de novos profissionais formados? u j, 7' Z Mercados competitivos exigem conteúdo, muito ' I g' Ç, ~ '_ , 'ÍÂ conteúdo, ainda mais conteúdo do profissional. - q. V_ _ _ _. ' 'i É inacreditável que existam, por exemplo, alguns É* . A sujeitos preguiçosos & presunçosos que dizem ' j' i1! . , í. “A . ser ou querer ser diretores de arte, mas que nunca f, . _ l _ 7~ estudaram profundamente história da arte, tipologia, _big_ g¡ 1 g . j. ai¡ ) _AW fotografia, psicologia etc. Repito: profundamente! *na* lr Q. _n ' r g ¡s! ' . j i J u' . O ' "” * l . t &Ívrft - p = ' ' i . L _ _ › "-5 i! ) 11* , Ó. ° 5 r _ A_ x › ¡ . j b N, a' s _ f i . t , l f** “ 3%( ¡ , 7_ a 'a H ' . ' O ' '- a ' 57;¡ KC** «xx»
  20. 20. 'neliiãg PUBLICITARIA Como se destacar diante da grande de novos profissionais formados? u , , A mesma coisa vale pros redatores, pros midias, I , ' _, s '_ , ' _ pros atendimentos. .. cada um no seu quadrado. - q. V_ _ _ _. V, _ “I Da pra imaginar redator iletrado? Já vi. Midia ruim §~ _ A de cálculo e de estrategia? Já vi. Atendimento ' P ' i1! . , à. “A , semi-analfabeto? Já vi. Mas note que o verbo ver ; t ' h 7 ' a . . c _ '_ -j ç ficou no passado, porque aqueles que vi, não vejo x¡ t. .. i , t F 9_ . ii l A, mais. So sobreviveu quem e' craque na profissão " a . a 'à o A If ' _ ' g . ~ j ç r . . . . . . - 'l - o - r , i . 5' (ou sobrinho do cliente). Sucessoecriatividade sã¡ 3;¡ - __ ~ . i' 1 têm a mesmíssima fórmula: A : à 7" ” di; ' _ _~ ' ' ~ . A esforço + conhecimento. _ã , '- 35%* p L - › › ' -. x t Ó¡ b . x Í¡ n . l , f . 'h- c - Í N” ~. "eç o V) ll ' c J O ' a . Í ñ" , A32 ( . 3'* - ' a ° . sr i ^ . o
  21. 21. x Pn. ' "à V' 'Ú Zeca Martins % Redator Publncntário graduado em Propaganda e Marketing pela ESPM _J de São Pauio e autor dos Iuvros em Propaganda ¡sso aí, Deus é mocente e Redação publxcltána: a pránca ÍÍ/ À na pránca, adotados em facuwdades de Comumcação Social de todo o , ' 1, Brasnl. ›

×