CARACTERIZAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DO LIXO MARINHO NAS       PRAIAS DO GUARAÚ E ARPOADOR - SÃO PAULO - BRASIL    Space-time Ch...
CARACTERIZAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DO LIXO MARINHO NAS PRAIAS DO             GUARAÚ E ARPOADOR - SÃO PAULO – BRASILRESUMOOs re...
São inúmeros os impactos causados pelo lixo existente nos ambientes costeiros, sendo os principais, prejuízo aoturismo, at...
Na praia do Guaraú, com cerca de 1900m de comprimento, foram demarcados quatro transectos, numerados de 1 a 4,localizados ...
Na praia do Guaraú foram encontrados 3390 itens, pesando 37,2 Kg, retirando um total de 4673 itens durante as seiscoletas,...
Percebe-se que os transectos menos influenciados pelo turismo (Arpoador 1, 2 e Guarau 4, 3) possuem um padrão decresciment...
Na praia do Guaraú , os padrões permanecem os mesmos da coleta anterior, prevalecendo os resíduos relacionados aatividades...
Alkalay, R., Pasternak, G. & Zask, A.(2007). Clean-coast index- A new approach for beach cleanliness assessment. Ocean and...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Artigo lixo marinho

988 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
988
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Artigo lixo marinho

  1. 1. CARACTERIZAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DO LIXO MARINHO NAS PRAIAS DO GUARAÚ E ARPOADOR - SÃO PAULO - BRASIL Space-time Characterization of Marine Debris at Guaraú and Arpoador beaches – São Paulo – BrasilRafael Augusto Gregorini1Ednílson Viana2Endereço de Contato: Av. Arlindo Béttio, 1000 – Ermelino Matarazzo –São Paulo – São Paulo –03828-000– BrasilTel.:+55(11)3091-1044 – Fax: +55(11) 3091-1044. e-mail: ednilson.viana@gmail.comABSTRACTSolid waste in the environment are a big problem for society, and its inappropriate disposal makes reaching thedispersal marine environment impacting the coastal ecosystem, fishermen and the economy in coastal cities. Thisstudy characterizes the space-time solid waste present on the beaches of Guaraú and Arpoador in the southern coastat state of Sao Paulo and aims to compare the amount of waste from the beaches check the time of recovery of wasteon the beach and identify main sources. For this, six transects were delimited, two on the Arpoador beach that hasrestricted access, to be in a conservation unit named Ecological Station Juréia - Itatins, and 4 in the Guaraú beach,adjacent to conservation area but with a small urban structure. In these transects were collected all the waste and laterthey were counted and classified according to the source and composition of waste. There were six collections,interspersed between weekends and holidays .As result was a total of 4673 collected items, weighing a total of 60.95kilograms also noticed that the amount of waste preserved the beach is quite similar to those of transects in lessurbanized areas of the Guaraú´s beach .Concludes also that the transects located in more urbanized areas the amountof waste was much higher. In the classification of waste realized, plastic is the most common with 74% of theitems. The residues related to the waterfront and recreational activities were the most in almost all collections andtransects, especially in disturbed areas, showing tourism as a major source of waste on beaches in this region.Keywords: coastal management, marine debris, Juréia-Itatins, solid waste1 Escola de Artes Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo – Bacharel em Gestão Ambiental –Rafael@gregorini.com.br2 Escola de Artes Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo – Professor Doutor – Curso de GestãoAmbiental 1
  2. 2. CARACTERIZAÇÃO ESPAÇO-TEMPORAL DO LIXO MARINHO NAS PRAIAS DO GUARAÚ E ARPOADOR - SÃO PAULO – BRASILRESUMOOs resíduos sólidos presentes no ambiente são um grande problema para a sociedade, e seu descarte inadequado fazcom se dispersem chegando ao ambiente marinho causando impacto tanto para o ecossistema costeiro quanto parapescadores e a economia das cidades litorâneas. O presente estudo caracteriza espaço-temporalmente os resíduossólidos presentes nas praias do Guaraú e Arpoador no litoral sul do estado de São Paulo e tem como objetivo acomparação da quantidade de resíduos das praias, verificar o tempo de recomposição dos resíduos na praia eidentificar as principais fontes emissoras. Para isso foram delimitados 6 transectos, dois na praia do Arpoador quepossui acesso restrito por estar dentro da Estação Ecológica Juréia – Itatins, e 4 na praia do Guaraú , vizinha àunidade de conservação porém com uma pequena estrutura urbana. Nesses transectos foram coletados todos osresíduos encontrados e em seguida eles foram contabilizados e classificados quanto à fonte de emissão e composiçãodos resíduos. Ocorreram 6 coletas, intercaladas entre fins de semana e feriados. Como resultado houve um total de4673 itens coletados, pesando um total de 60,95kg. Além disso, percebeu-se que a quantidade de resíduos da praiapreservada é bastante similar às dos transectos localizados em áreas menos urbanizadas da praia do Guaraú.Observou-se também que nos transectos localizados em áreas mais urbanizadas a quantidade de resíduos foi bastantesuperior. Na classificação dos resíduos percebe-se que o plástico é o mais encontrado com 74% dos itens. Osresíduos relacionados às atividades beira mar e recreativas foram os mais encontrados em praticamente todas ascoletas e transectos, principalmente nas áreas mais antropizadas, evidenciando o turismo como maior fonte deresíduos nas praias dessa região.Palavras-chave: gestão costeira, lixo marinho, Juréia- Itatins, resíduos sólidos.IntroduçãoO lixo marinho é definido como qualquer resíduo sólido que tenha sido introduzido no ambiente marinho porqualquer fonte (Coe & Rogers, 1997) e é resultado do lançamento proposital, manipulação ou eliminaçãodescuidada, tendo origem na maioria das vezes em locais distantes da costa. Entre os fatores que influenciam suaprodução estão o número de habitantes no território, seu nível educacional e poder aquisitivo, a área de produção,além da frequência e eficiência do sistema de coleta. (Araújo & Costa, 2003). Em uma escala global, há fortesevidências de que as principais fontes de lixo marinho são terrestres, representando cerca de 80% do lixo presentenos oceanos. A geração diária de resíduos sólidos pelas cidades costeiras, associada às técnicas inadequadas deeliminação e sistemas deficientes, e até mesmo inexistentes de coleta, ajudam a explicar este fato (Nollkaemper,1994).A deposição de resíduos no mar por embarcações ou plataformas foi reconhecida como de grande importânciaambiental na década de 1970 com a adoção da International Convention for Prevention of Pollution from Ships(MARPOL, 1973/78), que tem o intuito de minimizar o impacto causado pelo descarte de resíduos e óleo, por naviose barcos mercantes.A “ghost fishing” ou pesca fantasma é um dos principais impactos gerados pela atividade pesqueira, que ocorrequando partes de redes de pesca são abandonadas ou perdidas ficando à deriva e capturando peixes e outros animaismarinhos, provocando muitas mortes (Matsuoka et al., 2005) 2
  3. 3. São inúmeros os impactos causados pelo lixo existente nos ambientes costeiros, sendo os principais, prejuízo aoturismo, atividades de lazer e recreação; perda estética; riscos para a saúde; toxicidade ecológica e química; danosaos pescadores e riscos à navegação; aprisionamento de animais e perigos de ingestão; e dispersão (inclusivetransoceânica) de organismos exóticos de um local para outro (Gregory, 1999b).As maiores prejudicadas com a contaminação por lixo marinho são as comunidades costeiras, pois ocorre perda dovalor estético e turístico das praias, quando a presença de resíduos na água ou na areia afeta a saúde dosfrequentadores ou quando gastam recursos públicos na limpeza de praias. (Guia didático sobre o lixo no mar, 1997).No que diz respeito à comunidade biológica do mar, os problemas são ainda maiores, principalmente o enredamento,e a ingestão de plásticos. O enredamento causa asfixia, estrangulamento e ferimentos, normalmente dificultando alocomoção do animal, impedindo a alimentação e a defesa de predadores. Já a ingestão do plástico pode causarobstrução do trato gastrintestinal, redução da assimilação do alimento, e intoxicação (Gregory, 1999b; Laist, 1997;Laist et al. 1999; Balazs, 1985).Estudo de tartarugas da costa da Flórida revelou a ocorrência de lixo antropogênico em 25 de 51 das carcaças detartarugas, incluindo principalmente plástico, linhas de pesca, borracha e arpões, estando localizado principalmentena boca, esôfago, estômago e intestino (Bjorndal et al. 1994).Os estudos sobre lixo marinho no Brasil são poucos, principalmente os que caracterizam quali-quantitativamente acomposição, tamanho e local de ocorrência e fonte dos resíduos. A maioria dos estudos foram realizados no litoralNordeste e Sul do país. Wetzel et al. (2004) realizaram uma caracterização espaço-temporal dos resíduos em praiasdo rio grande do sul, e indica o turismo na praia do Cassino como principal responsável pelo aporte de lixo na praia,evidencia esta corroborada por Santos et al. (2003) que estima a geração diária de 3,09 itens por metro linear, noverão na mesma praia.Na região Nordeste Araújo & Costa (2003a; 2003b) desenvolveram uma pesquisa sobre a geração de resíduossólidos pelos usuários das praias do litoral sul de Pernambuco, sendo que 8,3 kg de lixo foram recolhidos em 1960m², sendo que 85% do total correspondem a resíduos plásticos.Através da caracterização do lixo marinho é possível a obtenção de diversos dados como quantidade de resíduos naspraias, a composição dos resíduos e as principais fontes de emissão. Esses dados em conjunto com informaçõeslocais podem servir como guia para as políticas ambientais e de gestão de resíduos sólidos no local.O litoral sul de São Paulo, mais especificamente a região das praias do Guaraú e Arpoador, é muito carente emrelação a estudos sobre lixo marinho e por ser um local relativamente preservado, é bastante procurado por turistasque fornecem grande parte da renda do município mais também são os maiores geradores de resíduos nas praias.Além disso, a proximidade com a Estação Ecológica Juréia-Itatins torna ainda mais importante as pesquisas nessaárea, visto que o lixo marinho é facilmente dispersado no ambiente podendo ser carregado por grandes distanciasafetando a flora e a fauna objetos de preservação pela unidade de conservação.ObjetivosCaracterização espaço-temporal do lixo marinho nas praias do Guaraú e Arpoador no litoral sul do estado de SãoPaulo, através da comparação da quantidade de resíduos entre as praias de estudo identificando as principaiscategorias e fontes de lixo marinhoMetodologia 3
  4. 4. Na praia do Guaraú, com cerca de 1900m de comprimento, foram demarcados quatro transectos, numerados de 1 a 4,localizados em áreas da praia com características especiais como a maior presença de turistas, ocupação imobiliáriana divisa da praia, área de restinga e proximidade com o rio Guaraú.O transecto denominado G1 (24º2207,16"S; 47º0042,52" O) foi localizado na extremidade noroeste da praia onde seencontra o comércio e o acesso principal, há havendo ali maior quantidade de turistas. O transecto G2(24º2214,48"S; 47º0048,38" O) foi demarcado mais ao centro da praia, em áreas onde há a presença de residênciasde veraneio no limite praial.O transecto G3 (24º2128,61"S; 47º0059,31” O) está localizado em uma área onde há vegetação de restinga,mostrando-se um local mais livre de pressões antrópicas; e o transecto G4 (24º2240,30"S; 47º0108,63"O) estádemarcado no outro extremo da praia, onde deságua o Rio Guaraú, e com a presença de uma marina de onde saempasseios de barco pelos rios e praias da estação ecológica.Na praia do Arpoador, com cerca de 900m de comprimento, foram demarcados 2 transectos, O transecto A1(24º2341,71" S; 47º0041,75"O) está localizado no canto esquerdo da praia, próximo à entrada da trilha que leva apraia de Parnapuã, e o transecto A2 (24º2325,30"S; 47º0044,49"O) se localiza na extrema direita da praia, próximoà trilha de entrada da praia.Os transectos foram demarcados com um barbante de 20 metros que delimita a largura e o comprimento. Ocomprimento se estende por toda a faixa de areia, desde o limite com a área antrópica ou de restinga até a linhad’água onde foram coletados todos os resíduos com tamanho superior a 1 cm, estimando – se a quantidade (itens/m)e o peso (g/m) dos itens encontrados.Foram feitas sete coletas de lixo marinho ao todo, sendo a primeira a fim de delimitar o tamanho do transecto,efetuada no dia 28/08/2010, a segunda coleta, já utilizando o tamanho de transecto definido no dia 07/09/2010, aterceira coleta foi realizada no dia 18/09/2010, a quarta coleta foi realizada no dia 12/10/2010, a quinta coleta no dia23/10/2010, a sexta coleta no dia 02/11/2010 e a sétima coleta foi realizada no dia 27/11/2010. As coletas foramrealizadas a partir das 10h da manhã, se estendendo por todo o dia, até aproximadamente as 16:30h.As datas foram escolhidas mantendo uma distancia uniforme de aproximadamente duas semanas, intercalando entreferiados e fins de semana e procurando saber se a maior presença de turistas afeta diretamente a quantidade deresíduos.Os resíduos foram classificados de acordo com a tabela utilizada pelo “The Ocean Conservancy” para o “DiaMundial da Limpeza de Praias” que organiza os resíduos com base nas atividades a qual estão relacionados.As atividades consideradas pela tabela são: Atividades à beira-mar e recreativas, Atividades aquáticas, Atividadespoluidoras, Atividades relacionadas ao hábito de fumar, Higiene pessoal e resíduos hospitalares e Lixo típico dolocal.Para determinar o tempo necessário para que a quantidade de itens de lixo marinho volte a ser igual à inicial,observou-se o número de itens por transecto na coleta do dia 07/09/2010, coleta esta considerada o ponto inicial parao processo de análise da recomposição.Nas demais coletas que se sucederam após a do dia 07/09/2010, observou-se o número de itens e o tempo necessáriopara que a quantidade de itens voltasse a ser igual à inicial, podendo assim analisar a velocidade com que os resíduosforam depositados na praia. As coletas foram realizadas com intervalos de aproximadamente duas semanas,intercalando feriados e fins de semana.ResultadosCaracterização da quantidade de resíduos e comparação entre praias.Durante as 6 coletas, recolheu-se na praia do Arpoador 1283 itens com um peso de 23,7 kg. 4
  5. 5. Na praia do Guaraú foram encontrados 3390 itens, pesando 37,2 Kg, retirando um total de 4673 itens durante as seiscoletas, com um peso total de 60,955 Kg.Na praia do Arpoador, considerada uma praia com pouca frequência de turistas, os dois transectos demarcados,apresentaram uma significativa quantidade de resíduos, muitas vezes igual ou superior a outros transectos da praiado Guaraú. Na coleta do dia 27/11/2010, por exemplo, o transecto A1 apresentou 241 itens, superior aos coletadosnos transectos G2, G3 e G4 da praia do Guaraú.Por se tratar de uma praia sem acesso turístico e dentro de uma unidade de conservação, os dados obtidos para apraia do Arpoador são alarmantes, mostrando uma quantidade de itens semelhante a praias antropizada, o quedificulta a preservação do ecossistema objetivada pela Estação-Ecológica Jureia-Itatins.Do ponto de vista da densidade, percebe-se pela Figura 1 uma grande concentração de itens na praia do Guaraú,principalmente no transecto 1 , com maior densidade em praticamente todas as coletas, devido à grande concentraçãode turistas nessa área. Figura 1 - Itens/m2 em cada transecto por data de coleta.Na praia do Arpoador, da mesma forma que nos transectos 3 e 4 da praia do Guaraú a variação da densidade épequena entre as datas (fins de semana e feriados) evidenciando assim que ao contrário dos transectos 1 e 2 da praiado Guaraú, a maior presença de turistas não influencia diretamente na quantidade de resíduos nesses transectos.Em relação a outras praias, tanto do Brasil como do mundo, ainda faltam metodologias de classificaçãopadronizadas para permitir a comparação entre diferentes praias e regiões (CHESHIRE & ADLER, 2009)Tempo de recomposiçãoO estudo realizado mostrou que em praticamente todos os transectos o número de itens de lixo marinho serecompuseram em menos de 11 dias, sendo que os transectos Guarau 2 e 3, em 11 dias a quantidade de itens de lixomarinho praticamente dobrou (Figura 2). No transecto Guaraú 1, não houve reposição total dos itens em 11 dias,devido à quantidade muito elevada de itens coletados no feriado do dia 07/09/2010 como explicado acima.Figura 2 - Tempo de recomposição dos itens de lixo marinho nas praias do Guaraú e Arpoador em função do tempo. 5
  6. 6. Percebe-se que os transectos menos influenciados pelo turismo (Arpoador 1, 2 e Guarau 4, 3) possuem um padrão decrescimento linear, ou seja os resíduos se depositam praticamente numa velocidade constante, enquanto nas áreasmais influenciadas pelo turismo, esse crescimento ocorre de forma mais abrupta, evidenciando uma maior velocidadede deposição dos resíduos.Identificação das fontes geradorasNa coleta do dia 07/09/2010 na praia do Guaraú, conforme exposto na Tabela 1, verifica-se uma maior quantidade deitens relacionados a atividades beira mar e recreativas, ou seja, todos os resíduos ligados à atividades na praia, nessacategoria se encontram resíduos como copos, colheres facas, garrafas pet, tampinhas de garrafa, embalagens dealimentos, sacolas plásticas entre outros. Tabela 1 – Principais Atividades Poluidoras por data e por transecto nas praias do Arpoador e Guaraú Arpoador 1 Arpoador 2 Guaraú 407/09/2010 Lixos Locais 37,97% Aquáticas 39,29% Beira mar e Recreativas 50,63%18/09/2010 Lixos Locais 33,15% Beira mar e Recreativas 33,93% Beira mar e Recreativas 47,96%12/10/2010 Lixos Locais 53,92% Beira mar e Recreativas 42,86% Beira mar e Recreativas 36,47%23/10/2010 Beira mar e Recreativas 38,46% Beira mar e Recreativas 38,10% Beira mar e Recreativas 45,68%02/11/2010 Aquáticas 36,76% Beira mar e Recreativas 41,67% Beira mar e Recreativas 38,10%27/11/2010 Beira mar e Recreativas 41,91% Beira mar e Recreativas 51,24% Beira mar e Recreativas 47,13% Guaraú 3 Guaraú 2 Guaraú 107/09/2010 Beira mar e Recreativas 36,84% Beira mar e Recreativas 64,89% Beira mar e Recreativas 75,85%18/09/2010 Beira mar e Recreativas 40,10% Hábito de fumar 41,13% Hábito de fumar 34,91%12/10/2010 Aquáticas 35,71% Beira mar e Recreativas 61,24% Beira mar e Recreativas 49,82%23/10/2010 Beira mar e Recreativas 29,90% Beira mar e Recreativas 54,80% Beira mar e Recreativas 43,02%02/11/2010 Beira mar e Recreativas 47,22% Beira mar e Recreativas 51,64% Beira mar e Recreativas 66,40%27/11/2010 Aquáticas 36,00% Beira mar e Recreativas 56,96% Beira mar e Recreativas 57,43%Na praia do arpoador, percebe-se uma distribuição diferente em comparação com a praia do Guaraú. No transecto 1,apesar da predominância de resíduos relacionados à atividade beira mar e recreativas, essa deposição não ocorre porvia direta do turista, visto que a maioria dos itens encontrados são garrafas pet e tampinhas de garrafas e potes, itensque podem ser carregados pelo mar por longas distancias. Além disso, verifica-se uma presença relevante de itensrelacionas a atividades aquáticas, principalmente a pesca, sendo predominantes itens como isopor, linhas de nylon eredes de pesca.No transecto Guaraú 1 observa-se que mais que 98% dos resíduos são relacionados as atividades a beira mar erecreativas e ao hábito de fumar, evidenciando o alto impacto do turismo nessa área da praia.Em 12/10/2010, o perfil de distribuição dos resíduos permanece praticamente o mesmo que na coleta anterior. Napraia do arpoador, no transecto 1, predominam os resíduos relacionados a atividades aquáticas e pequenosfragmentos de plástico, classificados como lixo local., No transecto número 2, da referida praia, a maioria dos itenscoletados pertence a atividades beira mar e recreativas, seguido pelos lixos locais composto principalmente porpequenos fragmentos de plástico.Na praia do Guaraú, conforme exposto na tabela 1, observa-se uma grande quantidade de itens relacionados aatividades aquáticas nos transectos 4 e 3. Já nos transectos 2 e 1 são predominantes os resíduos de atividades a beiramar e recreativas e relacionadas ao hábito de fumar.Os resíduos locais representam cerca de 20% dos resíduos coletados na praia dor arpoador, e são formadosprincipalmente por fragmentos de plástico, chinelos e calçados e itens domésticos.Na praia do Guaraú os resíduos relacionados às atividades beira mar e recreativas também foram predominantes,porém é interessante ressaltar o comportamento dos resíduos relacionados a atividades aquáticas e atividadesrelacionadas ao hábito de fumar. 6
  7. 7. Na praia do Guaraú , os padrões permanecem os mesmos da coleta anterior, prevalecendo os resíduos relacionados aatividades a beira mar e recreativas, seguidos pelas atividades aquáticas nos transectos 4 e 3 e por atividadesrelacionadas ao habito de fumar nos transectos 1 e 2.É interessante atentar também para uma maior quantidade de itens relacionados as atividades beira mar e recreativasem todos os transectos da praia do guaraú, isso se deve principalmente pela maior presença de banhistas em toda apraia, ocasionado pelo feriado prologado.No dia 27/11/2010, na praia do Arpoador, percebe-se uma mudança no perfil de distribuição das fontes de resíduos. ,Nesta coleta os resíduos relacionados as atividades beira mar e recreativas foram predominantes, com mais de 40%no transecto 1 e mais de 50% no transecto 2. Isso ocorreu devido a alta concentração de tampas de garrafas e potesrecolhidas em ambos os transectos, conforme a tabela 1.Nos transectos 1 e 2 continuam predominantes itens relacionados às atividades beira mar e recreativas e relacionadasao hábito de fumar, principalmente no transecto 1 onde praticamente todos os resíduos encontrados pertencem aessas categorias.ConclusõesAtravés da análise de dados efetuada, percebeu-se que a praia do Arpoador, por estar dentro de uma unidade deconservação recebe uma grande quantidade de resíduos, se equiparado à praia do Guaraú, nos locais menosantropizados, como o acesso turístico é restrito nessas praias a maioria do lixo é resultante da deriva praial, ou seja, étransportado pelas correntes e marés e depositado na areia.Percebeu-se ainda que durante nos feriados há uma grande variação na quantidade de resíduos encontrados emrelação aos finais de semana, para alguns transectos da praia do Guaraú. Dessa forma verifica-se a grandeimportância do turismo na geração de resíduos nas praias, indicando a necessidade de programas tanto de limpezaquanto de conscientização/educação dos banhistas pela prefeitura de Peruíbe, principalmente no que diz respeito àdeposição inadequada dos resíduos.Observou-se também que a recomposição dos itens ocorreu muito rapidamente, em menos de 11 dias toda aquantidade de resíduos removida durante a primeira coleta já havia sido depositada novamente nas praias. Issodemonstra uma situação de alerta aos gestores municipais da região e de preocupação com os impactos destesresíduos tanto sobre a fauna quanto a saúde das pessoas que estarão expostas a estes resíduos. De todos os resíduoscoletados, o plástico compõe a grande maioria dos itens, conforme evidenciado em diversos estudos citados. Alémdeste, foram encontrados resíduos perigosos, que embora em pequena quantidade, é motivo de atenção pelasautoridades locais.Em relação às fontes geradoras, percebe-se que medidas devem ser tomadas de forma emergencial, pois foramencontrados resíduos de todas as fontes, em especial resíduos relacionados a atividades beira mar e recreativas, querepresentam a grande maioria dos itens em praticamente todos os transectos e coletas.Dessa forma para minimizar os efeitos, devem ser efetuadas medidas de limpeza constante, tanto na praia do Guaraúcomo do Arpoador, além de educação e conscientização dos freqüentadores a fim de mantermos as praias emcondições de serem usufruídas pelas gerações futuras e iniciar programas que possam minimizar a deposição de lixomarinho nas praias estudadas, que provavelmente seja um reflexo do que acontece em outras praias do litoral Sul doEstado de São Paulo.Referencias 7
  8. 8. Alkalay, R., Pasternak, G. & Zask, A.(2007). Clean-coast index- A new approach for beach cleanliness assessment. Ocean andCoastal Management ,50,352-362.Araújo, M. C. B.; Costa, M. F.(2003) Lixo no ambiente marinho. Ciência Hoje, 32(191),64-67Beck, C.A.; Barros, N.B. (1991) The impact of debris on the Florida manatee. Marine Pollution Bulletin. , 22 (10): 508-510.Beck, C.A.; Barros, N.B.(1991) The impact of debris on the Florida manatee. MARINE POLLUTION BULLETIN. , 22: (10):508-510.Bjorndal, K.A.; Bolten, A.B.; Lagueux, C.J.(1994) Ingestion of marine debris by juvenile sea-turtles in coastal Florida habitats.Marine Pollution Bulletin 28 (3) 154-158.Cheshire, A., Adler, E., Barbiere, J., Cohen, Y., Evans, S., Jarayabhand, S., Jeftic, L., Jung, R., Kinsey, S., Kusui, T., Lavine, I.,Manyara, P., Ooesterbaan, L.,Pereira, M., Sheavly, S., Tkalin, A., Varadarajan, S., Wenneker, B. & Wesrphalen, G. (2009).Guidelines on Survey and Monitoring of Marine Litter, UNEP/IOC, UNEP Regional Seas Reports and Studies, 117.Coe, J.M. & Rogers, D.B.(1997) Marine Debris: sources, impacts and solutions. Nova York: Springer-Verlag, 431Gregory, M.R.(1999) Plastics and South Pacific Island shores: environmental implications. Ocean & Coastal Management ,42(6-7) 603-615Guia Didático Sobre O Lixo No Mar (1997). Agência de Proteção Ambiental Norte-Americana; Coordenadoria de EducaçãoAmbiental da Secretaria de Estado do Meio Ambiente de São Paulo; adaptação e preparação do texto Maria Julieta Penteado,Marcelo Sodré e Maria Luúcia Barciotte. Tradução da versão espanhola Célia Castelló e Luiz Augusto Domingues. São Paulo:SMA, 143Laist, D.W.(1997) Impacts of marine debris: entanglement of marine life in marine debris including a comprehensive list ofspecies with entanglement and ingestion records. In: COE, J.M. & ROGERS, D.B. (ed). Marine debris: sources, impacts andsolutions. Springer-Verlac, New York. 8, 99-139.Laist, D.W.; James, M.C. & O’hara, K.J.(1999) Marine debris pollution. In:Twiss Jr, J.R. & Reeves, R.R. (ed.). Conservation andmanagement of marine mammals. Smithsonian Institution 16: 342-366MARPOL ( 1973/1978. ) Convenção Internacional para Prevenção da Poluição do Mar Causada por Navio, Londres: EdiçãoConsolidada. Publicado pela IMO, 2002.Matsuoka, T.; Nakashima, T.; Nagasawa, N.(2005) A review of ghost fishing: scientific approaches to evaluation and solutions.Fisheries Science, 71, 691-702Nollkaemper, A. (1994) Land-based discharges of marine debris: from local to global regulation. Marine Pollution Bulletin,28(11), 649-652.Santos, I.R., Friedrich, A.C., Wallner-Kersanach, M., Fillmann, G., Shiller, R.V. & Costa, R. (2003) Geração de resíduos sólidospelos usuários da praia do Cassino, RS, Brasil. Gerenciamento Costeiro Integrado 3, 12-14.Wetzel, L., Fillmann, G. & Niencheski, L.F.H.(2004) Litter contamination processes and management perspectives on thesouthern Brazilian coast. International Journal of Environment and Pollution 21, 153-165. 8

×