1 dia de conhecimento cientifico interdiciplina

172 visualizações

Publicada em

Feira de Quimica

Publicada em: Arte e fotografia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
172
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1 dia de conhecimento cientifico interdiciplina

  1. 1. I DIA DE CONHECIMENTO CIENTÍFICO INTERDISCIPLINAR - MANEJO FLORESTAL Nome: Raquel Souza Lima Ano: 2ªB; Professora Orientadora da sala: Jhennifer Ribeiro; Professora orientadora desse projeto: Norma Coelho; Escola: Jovem Gonçalves Vilela
  2. 2. O QUE É MANEJO FLORESTAL? Manejo florestal é a utilização racional e ambientalmente adequada dos recursos da floresta. Manejo é uma atividade econômica oposta ao desmatamento, pois não há remoção total da floresta e mesmo após o uso o local manterá sua estrutura florestal. O manejo bem feito segue três princípios fundamentais: deve ser ecologicamente correto, economicamente viável e socialmente justo. O princípio da técnica de exploração de impacto reduzido - principal ferramenta do manejo florestal - é extrair produtos da floresta de maneira que os impactos gerados sejam mínimos, possibilitando a manutenção da estrutura florestal e sua recuperação, por meio do estoque de plantas remanescentes. Diversificar a
  3. 3. PLANO DE MANEJO FLORESTAL SUSTENTÁVEL PMFS PMFS Manejo Florestal Sustentável é a administração da floresta para obtenção de benefícios econômicos, sociais e ambientais, respeitando-se os mecanismos de sustentação do ecossistema objeto do manejo e considerando-se, cumulativa ou alternativamente, a utilização de múltiplas espécies madeireiras, de múltiplos produtos e subprodutos não madeireiros, bem como a utilização de outros bens e serviços florestais. O maior benefício do manejo licenciado é a oportunidade de produzir a madeira de forma legalizada, podendo transportar e vender essa madeira normalmente, sem medo das autoridades e de possíveis prejuízos com multas e perda de materiais e equipamentos; O manejo licenciado é mais uma oportunidade de geração de renda a partir de uma área de floresta (que, em alguns casos, é a área de reserva legal de uma propriedade). É uma oportunidade de trabalhar com a floresta sem destruir, tendo sempre madeira para os próximos anos de exploração.
  4. 4. PASSO A PASSO PARA ELABORAÇÃO DE UM PMFSO O dono da área de floresta interessado em produzir madeira procura o órgão de extensão do seu município ou um engenheiro florestal para a elaboração de um plano de manejo.Juntamente com o técnico ou engenheiro florestal, o dono da floresta forma uma equipe para a realização do inventário florestal.Com os dados do inventário florestal o engenheiro florestal elabora o plano de manejo e o plano operacional anual e protocola no órgão fiscalizador para o processo de licenciamento.Após a análise do órgão fiscalizador e emissão da licença, o dono da floresta faz contato com serrarias e movelarias para comercializar a madeira. É importante dizer que os compradores devem ser licenciados também.Com a madeira vendida, o dono da floresta contrata uma equipe para abrir as trilhas, derrubar as árvores e serrar na floresta. Nesse processo o serrador pode usar motosserras ou serrarias portáteis.Para transportar a madeira até o comprador (que pode ser de responsabilidade do dono da floresta ou do comprador) é preciso emitir a nota fiscal e oDocumento de Origem Florestal (DOF). Nessa etapa, geralmente,é preciso do apoio do engenheiro ou técnico florestal. Após explorada toda a área o engenheiro florestal realiza um verificação na área para a elaboração do relatório pós-exploratório e já realiza o inventário florestal na área que será
  5. 5. RISCOS DA EXPLORAÇÃO TRADICIONAL DA MADEIRA Na exploração tradicional, que ocorre há muitos anos na Amazônia, não existe o envolvimento de engenheiros ou técnicos florestais. O comprador interessado na madeira faz contato com o dono da área de floresta, que geralmente é morador local e conhece bem a sua mata. O comprador faz o pedido do tipo da madeira e quantidade que precisa, e negocia o preço com o dono da floresta. Se for preciso, o comprador faz um adiantamento do dinheiro para que o dono da floresta comece o trabalho, comprando materiais e contratando a equipe que irá ajudá-lo.Em alguns casos, o dono da floresta não é serrador, então contrata a equipe de exploração, mas não vai para a floresta. Explorada a madeira na floresta, o dono do manejo leva o material até a cidade e o
  6. 6. RISCOS Como não há controle e planejamento da exploração, a derrubada da madeira pode fazer grandes estragos na floresta, diminuindo a quantidade de madeira para os próximos anos e causando prejuízos a natureza. Além disso, a falta de equipamentos e preparo dos serradores pode causar graves acidentes durante a exploração.
  7. 7. REFERENCIAS REFERENCIAL BIBLIOGRÁFICO Guia prático do Manejo Florestal Sustentável em Pequena Escala. / Carlos Gabriel Koury; André Luiz Menezes Vianna. – Manaus: IDESAM, 2014. http://www.mma.gov.br/florestas/manejo-florestal- sustent%C3%A1vel Acessado em 02/11/2015 – 14:25hrs. http://www.arvoresbrasil.com.br/?pg=arvore_porque_plantar KOURY, Carlos Gabriel; VIANNA, André Luiz Menezes. Guia prático do Manejo Florestal Sustentável em Pequena Escala. Manaus: IDESAM, 2014.
  8. 8. COMEÇANDO O TRABALHO
  9. 9. DESENHANDO AS TELA
  10. 10. PINTANDO AS TELAS
  11. 11. CARTÃO PARA AS SEMENTES
  12. 12. RECORTANDO
  13. 13. FINALIZANDO O TRABALHO
  14. 14. PAUSA PARA A FOTO

×