A Infancia, Escola E Brincadeiras

25.477 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Turismo, Tecnologia
4 comentários
17 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
25.477
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
169
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
735
Comentários
4
Gostaram
17
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Infancia, Escola E Brincadeiras

  1. 1. Infância, brincadeiras e Escola. Autoras: Prof. Adriana Beltranelli e Renata M. Santana
  2. 2. Por que as crianças brincam? <ul><li>“ Criança brinca para gastar energia.” </li></ul><ul><li>“ Criança brinca por puro prazer.” </li></ul><ul><li>“ Criança não trabalha,não precisa se preocupar com a sobrevivência e, portanto, brinca para ocupar o seu tempo.” </li></ul><ul><li>Todos nós já ouvimos ou até já demos respostas deste tipo à essa questão. </li></ul>
  3. 3. Foi sempre assim? <ul><li>Foi apenas no séc. XV e XVI que nas sociedades orientais as crianças foram afastadas das atividades adultas. </li></ul><ul><li>A idéia de infância como um período particular só se consolidou no séc. XVII, o que tornou possível, tempos depois, o aparecimento de uma psicologia da criança e de seu desenvolvimento. </li></ul>
  4. 4. Brincar e Educar... <ul><li>Recreação- desde antiguidade- </li></ul><ul><li>relaxamento necessário a atividades que exigem esforço físico ou mental </li></ul><ul><li>Uso do jogo para favorecer o ensino de conteúdos escolares e estimular o desenvolvimento de habilidades </li></ul><ul><li>Recurso para ajustar o ensino às necessidades infantis </li></ul>
  5. 5. <ul><li>A Brincadeira e a Educação </li></ul><ul><li>Valorizar o lúdico nos processos de aprendizagem significa, entre outras coisas: considerá-lo na perspectiva das crianças. </li></ul><ul><li>Para elas, apenas o que é lúdico faz sentido. Em atividades necessárias como dormir , comer, tomar banho, é comum as crianças introduzirem um elemento lúdico. </li></ul>
  6. 6. Brincar na escola... <ul><li>O lúdico precisa ser vivido na sala de aula, não como um meio para alcançar os objetivos, mas como algo espontâneo que permita as crianças sonhar, fantasiar, realizar desejos e viver como criança de verdade. </li></ul>
  7. 8. Afirma Zaballa que: &quot;a utopia na educação é fundamental&quot;. Vivemos numa sociedade onde as regras nos foram impostas sem a oportunidade de negociá-las. Diante disso buscamos a transformação da escola num espaço de sentido cheio de vida e prazer, isso será possível com o investimento em atividades voltadas para o brincar.”
  8. 9. <ul><li>BRINCADEIRA: </li></ul><ul><li>é a ação que a criança desempenha ao concretizar as regras do jogo e mergulhar na ação lúdica. Pode-se dizer que é o lúdico em ação, é &quot;o ato ou efeito de brincar, entreter-se, distrair-se com um brinquedo ou jogo&quot;. </li></ul><ul><li>BRINQUEDO: </li></ul><ul><li>Para Bomtempo (1987), brinquedo significa tanto o objeto que serve para a criança brincar como o ato de brincar </li></ul><ul><li>LÚDICO: </li></ul><ul><li>Relacionado aos aspectos da diversão, do prazer </li></ul>
  9. 10. Em Psicologia, aprendizagem é o processo de modificação da conduta por treinamento e experiência, variando da simples aquisição de hábitos às técnicas mais complexas, por desenvolvimento e designação do ato de progredir, crescer.
  10. 11. Tabela: diferentes formas de brincar na escola.
  11. 12. A brincadeira infantil é um importante mecanismo para o aumento da aprendizagem da criança.
  12. 13. Princípios sobre o brincar: <ul><li>1-O brincar deve ser aceito como um processo, não necessariamente com algum resultado. </li></ul><ul><li>2-O brincar é necessário para crianças e adultos. </li></ul><ul><li>3- O brincar não é oposto ao trabalho, ambos são partes de nossa vida. </li></ul><ul><li>4-O brincar sempre estruturado pelo ambiente, pelos materiais ou contexto que ocorre. </li></ul>
  13. 14. <ul><li>5-A exploração é preliminar de formas mais desafiadoras do brincar, que no ambiente da escolar, são provavelmente serão dirigidas pelo professor. </li></ul><ul><li>6-O brincar adequadamente dirigido assegura que a criança aprenda a partir de seu atual estado de conhecimento e habilidade. </li></ul><ul><li>7-O brincar na escola deve ser significativo e organizado de forma diferente do brincar em casa e em outro lugar. </li></ul><ul><li>8-O brincar é o principal meio de aprendizagem. </li></ul>
  14. 15. O brincar na escola: <ul><li>O brincar como um processo e um modo, proporciona uma ética da aprendizagem em que as necessidades básicas de aprendizagem das crianças podem ser satisfeitas na escola. </li></ul>
  15. 16. Necessidades que incluem as oportunidades: <ul><li>De praticar, de escolher, perseverar, imitar, imaginar, dominar, adquirir,confiar. </li></ul><ul><li>De adquirir novos conhecimentos e habilidades, pensamentos, entendimentos coerentes e lógicos. </li></ul><ul><li>De criar e observar,experimentar,movimentar-se,cooperar,sentir,pensar,memorizar e lembrar. </li></ul>
  16. 17. <ul><li>de comunicar, questionar,interagir com os outros e ser parte de experiência social mais ampla em que a flexibilidade, a tolerância e a autodisciplina são vitais. </li></ul><ul><li>De conhecer e valorizar a si mesmo e as próprias forças e entender as limitações pessoais. </li></ul><ul><li>E ser ativo dentro de um ambiente seguro que encoraje e consolide o desenvolvimento de norma e valores. </li></ul>
  17. 18. Os professores precisam estar preparados para proporcionar o desenvolvimento das capacidades infantis, a fim de que as crianças obtenham os sentimentos de bem estar físico e mental desejados.
  18. 19. Entre as concepções sobre o brincar, destaca-se as de Fröbel, o primeiro filósofo a justificar seu uso para educar crianças pré-escolares. Fröbel, foi considerado por Blow (1991) psicólogo da infância, ao introduzir o brincar para educar e desenvolver a criança. Sua Teoria pressupõe que o brinquedo permite o estabelecimento de relações entre os objetos do mundo cultural e a natureza, unificados pelo mundo espiritual.
  19. 20. Aprendizagem escolar por meio das brincadeiras 6-Aprender sem o medo do fracasso. 5-Envolvimento em situações lúdicas significativas e construtivas. 4-Interação com adultos e crianças por meio do qual possa aprender variadas habilidades. 3-Oportunidades de descobertas e criatividade pessoal apoiada pelos adultos levando á independência do pensamento e da ação. 2-Oportunidades de viver novas situações de aprendizagem e, reestruturar o conhecimento existente e de transferir habilidades e conhecimentos inerentes, para situações novas. 1-Participação ativa das crianças em todas as experiências de aprendizagem,destinadas a encorajar o uso dos sentidos e do movimento

×