Reuniao De Pro Reitores

745 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
745
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reuniao De Pro Reitores

  1. 1. SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FAPERJ Fomento à C,T&I no Estado do RJ
  2. 2. MISSÃO • Valorizar e implementar o sistema científico e tecnológico estadual. • Promover a interligação C,T&I-sociedade. • Avaliar o impacto dos investimentos realizados em C&T – acompanhamento dos projetos aprovados.
  3. 3. AÇÕES • Auxílios e bolsas – demanda espontânea • Editais – demanda orientada (induzida) • isoladamente; ou •por meio de parcerias – Capes, CNPq, Finep, MCT, MEC, MS, ...
  4. 4. AUXÍLIOS • Pesquisa (APQ 1) • Organização de eventos científicos (APQ 2) • Editoração (APQ 3) • Acervos (APQ 4) • Participação em reunião científica (APQ 5) • Pesquisador visitante (APV) • Instalação (INST) • Projetos de inovação tecnológica (ADT 1)
  5. 5. BOLSAS • Pré-iniciação científica e tecnológica (Jovens Talentos) • Iniciação científica e Iniciação tecnológica • Mestrado e doutorado – cursos emergentes – bolsas nota 10 – cotas para universidades estaduais • Pós-doutorado (recém-doutor e sênior) • Pesquisador visitante • Pesquisador visitante emérito • Inovação tecnológica • Treinamento e capacitação técnica
  6. 6. Princípios na concessão de auxílios e bolsas • Sempre atuando com a colaboração de pesquisadores/empreendedores (avaliação por pares) – coordenações de áreas – pareceres ad-hoc, por meio do sistema inFAPERJ – projetos de todos os editais avaliados por Comitês Externos. • Avaliação fundamentada no MÉRITO do projeto e na produção científica/tecnológica do solicitante. • Critério adicional: interesse econômico e social para o Estado do Rio de Janeiro.
  7. 7. EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA Empenho x pagamento - Fonte 00 (recursos do Estado) - 2000 a 2008 270 Milhões 239,53 240 222,00 210 200,25 189,75 180 150 Média de empenho entre 2000 e 2006: R$ 111,31 milhões 120 90 60 Média de pagamento entre 2000 e 2006: R$ 91,96 milhões 30 - 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Empenho Pagamento
  8. 8. EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA Empenho x pagamento - Fonte 13 (convênios) - 2000 a 2008 35 Milhões 29,91 30 29,51 25,48 25 23,57 20 15 Média de empenho entre 2000 e 2006: R$ 9,31 10 milhões Média de pagamento entre 2000 e 2006: R$ 8,60 5 milhões 0 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Empenho Pagamento
  9. 9. EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA Auxílios, bolsas e descentralizações FAPERJ - 2000 a 2008 - Fontes 00 e 13 (Estado e convênios) 160 Milhões 140 144,19 120 105,50 100 80 73,10 62,55 61,97 60,95 60 57,16 61,45 49,33 57,27 46,33 44,06 45,38 40 36,33 33,74 34,04 27,13 26,68 27,59 33,49 24,86 29,32 20 19,36 23,07 19,55 0 3,82 0 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Auxílios Bolsas Descentralizações
  10. 10. EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA Auxílios pagos a universidades sediadas no Estado - 2000 a 2008 - Fonte 00 45 Milhões 41,54 40,09 40 35 30 25 23,35 20 18,13 15 12,88 11,50 10 10,41 10,35 8,24 7,33 7,68 7,45 7,63 5,61 4,93 4,79 5 3,66 3,14 3,42 3,94 3,01 1,55 3,20 2,08 2,15 1,10 1,02 0 0,27 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 UFRJ Uerj Uenf Uff Puc UFRRJ Unirio
  11. 11. EXECUÇÃO ORÇAMENTÁRIA Instituições que mais receberam auxílios - 2000 a 2008 - Fonte 00 45 Milhões 41,54 40 40,09 35 30 25 23,35 20 18,13 15 12,88 10,35 11,50 11,11 10,41 10 8,24 7,33 7,68 7,97 7,45 7,63 5,61 5 4,93 3,66 6,45 3,94 4,42 3,14 3,01 2,082,18 1,55 3,42 1,87 2,58 3,09 0,27 0 0,13 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 UFRJ Uerj Uenf Fiocruz Uff Puc Uezo
  12. 12. Números de auxílios e bolsas – 2000 a 2008 5,5 Milhares 5.004 5 4,5 4.226 4.136 3.976 4 3.670 3.544 3,5 3.247 2.921 3 2.747 2,5 2.190 2.244 1.946 2 1.768 1.582 1.565 1.302 1.456 1,5 1.333 1.276 1.257 985 1 846 746 754 674 48 0,5 197 150 11 1 27 65 74 64 6 1 0 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Auxílios 00 Auxílios 13 Bolsas 00 Bolsas 13
  13. 13. Valores de auxílios e bolsas – 2000 a 2008 Milhões 140,79 140 120 100,83 100 80 57,11 60 45,90 43,38 40 29,69 27,30 21,59 22,0321,78 21,93 19,18 19,4618,26 18,74 18,08 17,57 15,29 17,17 20 14,40 12,15 12,26 9,56 9,96 8,42 8,85 7,28 3,68 3,80 4,35 4,67 3,40 0,18 0,43 0,09 0 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Auxílios 00 Auxílios 13 Bolsas 00 Bolsas 13
  14. 14. Auxílios e bolsas por IES Biênio 2007-2008 120 Milhões 106,1 100 80 58,6 60 40 37,7 23,2 18,7 20 14,4 13,5 8,4 4,0 3,9 3,9 2,8 2,8 2,5 2,2 2,1 2,0 1,6 1,6 1,2 1,1 0,9 0,6 0,5 0,5 -
  15. 15. Auxílios, bolsas e descentralizações por IES Biênio 2007-2008 120 Milhões 106,10 100 87,57 80 28,98 60 40 37,69 30,87 58,60 23,16 12,19 20 14,39 13,50 18,69 8,42 3,98 3,88 3,87 2,81 2,75 2,48 2,21 2,12 2,05 1,59 1,55 1,15 1,13 0,90 0,46 0,61 0,49 -
  16. 16. Programa Jovens Talentos Biênio 2007-2008 360 350 350 340 330 320 310 300 294 290 280 270 260 2007 2008
  17. 17. IC – número de bolsistas pagos e montante 2000 a 2008 4 Milhões 3,30 3 2,68 3 2,25 2,23 2,06 2 1,94 1,73 2 1,31 1 0,90 1 657 748 1.129 1.311 1.161 1.102 1.089 1.325 1.502 0 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008
  18. 18. IC – demanda de bolsas por IES Biênio 2007-2008 900 800 771 700 600 2.570 solicitações 500 483 400 381 300 235 219 200 120 100 65 55 54 60 47 30 24 20 15 13 10 9 8 8 8 0
  19. 19. IC – demanda de bolsas por grande área do conhecimento Biênio 2007-2008 119 (5%) 125 (5%) 156 (6%) 618 (23%) 210 (8%) 369 (14%) 611 (23%) 427 (16%) Ciências biológicas Ciências hum anas Ciências da saúde Ciências exatas e da terra Ciências sociais aplicadas Ciências agrárias Lingüística, Letras e Artes Engenharias
  20. 20. IC – número de bolsistas contemplados por IES Biênio 2007-2008 700 658 600 500 2.087 bolsistas contemplados 416 400 310 300 200 149 134 90 100 55 41 35 24 23 19 15 14 14 11 10 8 7 7 6 6 6 4 4 3 3 3 3 3 3 3 0 UFRRJ PESAGRO UFRJ FCRB ISTCCERJ UGF UES FGV USS APRJ Puc-Rio ABC IOC Uff ICCA Inca Unirio Ucam Fiocruz Uezo Uenf Usu Embrapa M-Campos Unigranrio Faetec Outras Uerj Universo Ime Cecierj Cefeteq
  21. 21. IC – bolsas concedidas por grande área do conhecimento Biênio 2007-2008 115 (6%) 125 (6%) 528 (24%) 127 (6%) 166 (8%) 304 (15%) 395 (19%) 327 (16%) Ciências hum anas Ciências biológicas Ciências da saúde Ciências exatas e da terra Ciências sociais aplicadas Ciências agrárias Lingüística, Letras e Artes Engenharias
  22. 22. MSC + DSC – número de bolsas concedidas Biênio 2007-2008 320 298 280 280 265 259 252 252 241 236 240 200 160 120 80 40 0 Mestrado Doutorado Mestrado nota 10 Doutorado nota 10 2007 2008
  23. 23. MSC – número de bolsas concedidas / IES Biênio 2007-2008 200 180 168172 160 140 120 100 80 61 60 45 44 40 18 20 14 14 11 9 9 7 5 4 6 3 6 3 4 4 3 4 2 5 3 3 2 3 2 2 1 1 1 1 1 0 0 2007 2008
  24. 24. MSC – número de bolsas concedidas / grande área do conhecimento – biênio 2007-2008 80 70 68 66 63 60 60 56 54 54 50 47 40 34 31 30 25 23 19 20 15 13 13 10 0 Ciências Ciências Ciências Engenharias Ciências Ciências da Ciências Linguistica, hum anas biológicas exatas e da sociais saúde agrárias Letras e Artes terra aplicadas 2007 2008
  25. 25. MSC nota 10 – número de bolsas concedidas / IES – biênio 2007-2008 160 140 135 125 120 100 80 60 44 40 40 27 27 26 20 20 10 8 8 9 6 7 4 4 3 4 4 3 3 2 2 2 2 2 0 1 0 1 2 0 1 0 0 2007 2008
  26. 26. MSC nota 10 – número de bolsas concedidas / grande área do conhecimento – biênio 2007-2008 70 61 60 57 54 51 50 43 41 39 40 35 32 32 30 20 20 18 17 12 10 10 10 0 Ciências Engenharias Ciências Ciências Ciências Linguistica, Ciências da Ciências hum anas exatas e da biológicas sociais Letras e Artes saúde agrárias terra aplicadas 2007 2008
  27. 27. DSC – número de bolsas concedidas / IES Biênio 2007-2008 160 140 135 125 120 100 80 60 52 44 40 42 39 39 40 20 15 14 15 12 6 7 8 5 5 6 3 3 3 3 2 2 1 1 1 1 1 1 0 1 0 Uerj UFRJ Uff Uenf Puc-Rio UFRRJ LNCC Fiocruz Inca JBRJ UniRio Impa CBPF Embrapa Unesa FGV 2007 2008
  28. 28. DSC – número de bolsas concedidas / grande área do conhecimento – biênio 2007-2008 100 90 88 88 80 70 67 66 60 54 52 50 40 40 34 30 27 28 26 22 20 17 17 10 3 3 0 Ciências biológicas Ciências humanas Ciências exatas e Ciências agrárias Engenharias Ciências da saúde Ciências sociais Linguistica, Letras da terra aplicadas e Artes 2007 2008
  29. 29. DSC nota 10 – número de bolsas concedidas / IES Biênio 2007-2008 140 120 117 113 100 80 60 42 38 40 23 22 19 20 16 11 10 9 9 9 6 5 6 4 4 3 3 1 2 1 2 1 2 2 2 3 1 0 1 1 0 0 UFRJ Puc-Rio Uff Uerj UFRRJ Fiocruz Iuperj Impa Unirio LNCC Ime CBPF Inca ON FGV Uenf Embrapa 2007 2008
  30. 30. DSC nota 10 – número de bolsas concedidas / grande área do conhecimento – biênio 2007-2008 70 59 59 60 50 45 46 44 44 39 40 37 30 23 21 20 17 17 14 10 8 8 5 0 Ciências hum anas Engenharias Ciências biológicas Ciências exatas e da Ciências sociais Linguistica, Letras e Ciências da saúde Ciências agrárias terra aplicadas Artes 2007 2008
  31. 31. PDR + PDS – número de bolsas concedidas Biênio 2007-2008 250 230 200 150 100 64 42 50 13 0 2007 2008 PDR PDS
  32. 32. PDR – número de bolsas concedidas / IES Biênio 2007-2008 120 108 100 80 60 39 40 22 21 20 15 13 11 8 6 6 6 6 3 4 3 2 2 2 1 2 2 1 2 1 1 0 0 1 0 1 0 1 1 1 0 1 0 1 0 2007 2008
  33. 33. PDR – número de bolsas concedidas / grande área do conhecimento – biênio 2007-2008 80 71 70 60 53 50 40 30 28 21 21 20 17 16 12 12 9 8 8 10 5 6 4 3 0 Ciências biológicas Ciências exatas e Ciências humanas Linguistica, Letras Engenharias Ciências da saúde Ciências agrárias Ciências sociais da terra e Artes aplicadas 2007 2008
  34. 34. PDS – número de bolsas concedidas / IES Biênio 2007-2008 20 19 18 16 14 12 10 8 6 6 5 4 4 4 3 3 2 2 2 2 1 1 1 1 1 0 0 0 0 UFRJ Uerj Uff Fiocruz LNCC ON CBPF FCRB JBRB 2007 2008
  35. 35. PDS – número de bolsas concedidas / grande área do conhecimento – biênio 2007-2008 16 14 14 12 11 10 8 6 5 5 5 4 3 3 3 2 2 2 1 1 0 0 0 Ciências exatas e da Ciências biológicas Ciências da saúde Ciências humanas Engenharias Linguistica, Letras e Ciências sociais terra Artes aplicadas 2007 2008
  36. 36. PV – número de bolsas concedidas Biênio 2007-2008 18 16 16 14 12 11 10 9 8 6 4 4 4 2 0 0 PV PV-E PV Em érito 2007 2008
  37. 37. PV – número de bolsas concedidas / IES Biênio 2007-2008 4 3 3 3 3 2 2 2 2 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 0 0 0 0 0 CBPF UFRJ Iuperj Uff Uerj Iepes Fiocruz Im e IPHAN Puc-Rio 2007 2008
  38. 38. PV – número de bolsas concedidas / grande área do conhecimento – biênio 2007-2008 7 6 6 5 4 4 4 3 3 2 2 1 1 1 1 1 1 1 0 0 0 0 Ciências exatas Ciências Ciências Ciências sociais Linguistica, Engenharias Ciências agrárias e da terra hum anas biológicas aplicadas Letras e Artes 2007 2008
  39. 39. Cientistas do Nosso Estado Biênio 2007-2008 160 140 137 120 100 80 58 60 44 40 24 19 20 16 16 13 12 10 9 8 7 7 2 3 2 2 34 33 22 12 21 11 10 01 10 01 01 01 0 CNE 2007 CNE 2008
  40. 40. Cientistas do Nosso Estado Biênio 2007-2008 100 92 90 80 70 65 60 50 41 40 38 38 30 26 25 19 20 17 15 11 11 10 8 8 3 3 0 Ciências Ciências Ciências Engenharias Ciências da Ciências Ciências Linguistica, biológicas exatas e da hum anas saúde agrárias sociais Letras e Artes terra aplicadas CNE 2007 CNE 2008
  41. 41. Jovens Cientistas do Nosso Estado Biênio 2007-2008 45 42 40 40 35 30 27 25 20 19 18 15 15 10 10 88 7 6 5 44 3 3 3 3 2 2 2 2 2 1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 2007 2008
  42. 42. Jovens Cientistas do Nosso Estado Biênio 2007-2008 40 35 34 30 28 26 25 22 20 20 17 17 16 15 15 10 10 8 8 7 5 5 4 3 0 Ciências Ciências Ciências da Engenharias Ciências Ciências Ciências Linguística, biológicas exatas e da saúde hum anas agrárias sociais Letras e Artes terra aplicadas 2007 2008
  43. 43. EDITAIS 2007-2009 Editais 2007 2008 2009 Bolsa nota 10 X X X Universidades estaduais 7,2 milhões 10,4 milhões 8,4 milhões Instituições sediadas RJ 10,9 milhões 14,6 milhões 12 milhões Hospitais universitários --- 5,9 milhões --- Biotérios 1,55 milhão 1,55 milhão 1,5 milhão Manutenção equipamentos --- 3 milhões --- Melhoria ensino público 1,2 milhão 1,7 milhão Lançamento em novembro – 1,5 milhão Grupos emergentes --- 20 milhões --- Pensa Rio 30 milhões --- Lançamento em novembro – 30 milhões
  44. 44. EDITAIS 2007-2009 Editais 2007 2008 2009 PG universidades --- 2,4 milhões --- estaduais Doenças negligenciadas --- 8,5 milhões --- TCT (bolsa) ± 100 bolsas ± 100 bolsas ± 100 bolsas Cidadania – deficiência --- 1,5 milhão --- Produção/divulgação --- 2 milhões --- artes Prioridade Rio – 5 temas 12 milhões --- --- Prioridade Rio – --- 1,88 milhão --- Segurança Pública Pappe-subvenção --- 24 milhões --- Inovação/difusão --- 6 milhões --- tecnológica
  45. 45. EDITAIS 2007-2009 Editais 2007 2008 2009 Difusão/popularização 1,3 milhão 2 milhões 1,5 milhão C&T Inovação tecnológica --- 627 mil --- social DCTR --- 10 milhões --- Equipamentos grande --- 12 milhões --- porte Pesquisa agropecuária 1 milhão 680 mil --- Faetec 2 milhões 1,4 milhão Lançamento em novembro – 1,5 milhão Meio ambiente --- 4,14 milhões --- Tecnologia da informação --- 569 mil --- Engenharias --- 3,6 milhões ---
  46. 46. EDITAIS 2007-2009 Editais 2007 2008 2009 Cientista do Nosso 120 bolsas 300 bolsas 135 bolsas Estado Jovem Cientista do 120 bolsas 120 bolsas 123 bolsas Nosso Estado Produção de material --- --- 1,5 milhão didático Pós-doutorado recém- 100 bolsas 100 bolsas 160 bolsas doutor (balcão) (balcão) Capes/FAPERJ Equipamento solidário --- --- 5,5 milhões (Capes/FAPERJ)
  47. 47. EDITAIS 2007-2009 Editais 2007 2008 2009 Pronex (CNPq/FAPERJ) --- --- Lançamento em outubro – 40 milhões PP-SUS --- --- Lançamento em (MS/CNPq/FAPERJ) outubro – 15 milhões Infraestrutura de --- --- 15 milhões universidades estaduais
  48. 48. Parcerias 2007-2009 Captação: R$ 197 milhões • Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (MCT, MS/Decit), CNPq, Capes, Finep, Petrobras, BNDES) – R$ 74 milhões (1:1) • PAPPE-Subvenção (Finep) – R$ 30 milhões (1,5:1) • Pronex (MCT/CNPq) – R$ 40 milhões (1,5:1) • Pós-doutorado (Capes) – R$ 94 milhões (1:1) • PP-SUS (MCT/CNP, MS/Decit) – R$ 15 milhões (1,5:1)
  49. 49. Parcerias 2007-2009 • Rede malária (CNPq, MS/Decit) – R$ 3 milhões (1:1:1) • Rede dengue (CNPq, MS/Decit) – R$ 3 milhões (1:1) • CVTs (MCT/LNCC) – R$ 14 milhões • Inclusão digital (MCT/LNCC) – R$ 12 milhões • Fiocruz / Inmetro / INT / Mast – R$ 32 milhões
  50. 50. INCTs – Brasil
  51. 51. INCTs – Rio de Janeiro Coordenador Instituição INCT Alba Maria Zaluar Uerj Espaço urbano e gestão em segurança pública Carlos José Pereira de Lucena PUC-Rio Ciência da Web Carlos Medicis Morel Fiocruz Inovação em doenças negligenciadas Constantino Tsallis CBPF Sistemas complexos Eli Diniz UFRJ Políticas públicas, estratégias e desenvolvimento Eliezer Jesus de Lacerda Barreiro UFRJ Fármacos e medicamentos Fernando Carvalho da Silva UFRJ Reatores nucleares inovadores George Alexandre dos Reis UFRJ Pesquisa translacional em saúde e ambiente na região Amazônica Hector Nicolas Seuánez Abreu Inca Controle do câncer Jacob Palis Junior Impa Matemática Jerson Lima da Silva UFRJ Biologia estrutural e bioimagem João Victor Issler FGV-RJ Educação, desenvolvimento econômico e inclusão social Luiz Cesar de Queiroz Ribeiro UFRJ Observatório das metrópoles Patricia Lustoza de Souza PUC-Rio Nanodispositivos semicondutores Pedro Lagerblad de Oliveira UFRJ Entomologia molecular Raul Antonino Feijóo LNCC Medicina assistida por computação científica René Rodrigues Uerj Óleo e gás Roberto Kant de Lima UFF Estudos em administração institucional de conflitos Willy Alvarenga Lacerda UFRJ Reabilitação do sistema encosta-planície Yocie Yoneshigue Valentin UFRJ Antártico de pesquisas ambientais
  52. 52. Topologia da Rede-Rio/FAPERJ
  53. 53. FAPERJ – REDE RIO • Aumento da velocidade do canal internacional – de 155 Mb/s para 310 Mb/s – realizado em 2008 – de 310 MB/s para 1 Gb/s – licitação concluída em setembro/09 • Aumento da velocidade de canais domésticos – FAPERJ, Uerj, Uenf – realizado em 2008 • Redecomep-Rio (RNP/ MCT e Rede-Rio/FAPERJ) – rede comunitária metropolitana de educação e pesquisa – mais de 100 instituições estaduais com conexão à Internet em alta velocidade (até 10 Gb/s) – implantação em 2010 • Tecnologia DWDM (dense wavelength division multiplexing) – permite a expansão do tráfego para até 40 Gb/s – equipamentos já entregues – integrados à Redecomep-Rio
  54. 54. REDE-RIO/FAPERJ • Programa Estado Digital – Orla (COPPE/UFRJ) • Copacabana • Ipanema e Leblon – Morro Dona Marta (PUC-Rio) – Cidade de Deus (PUC-Rio) – Baixada digital (UFF) – Pavão / Pavãozinho (Uerj) – Av. Brasil (Uerj) – Rocinha (PUC-Rio)
  55. 55. Topologia PROJETADA para a Redecomep-Rio (RNP/MCT e Rede-Rio/FAPERJ)
  56. 56. DIVULGAÇÃO
  57. 57. DIVULGAÇÃO
  58. 58. Boletim eletrônico semanal
  59. 59. Revista Rio Pesquisa
  60. 60. Revista Rio Pesquisa
  61. 61. PROGRAMA DE EDITORAÇÃO Livros
  62. 62. PROGRAMA DE EDITORAÇÃO CDs, DVDs e vídeos
  63. 63. Lei Estadual de Inovação – RJ • aprovada e sancionada em dezembro/2008 – cria mecanismos de articulação entre instituições sediadas no Estado do Rio de Janeiro, possibilitando a interação entre os principais atores sociais que têm maior capacidade de produzir a inovação: ICTs, agência de fomento, pesquisador público, inventor independente e as empresas em geral. • em fase de regulamentação – minuta enviada à Sect
  64. 64. AVALIAÇÃO / PLANEJAMENTO • Acompanhamento do fomento praticado em todas as modalidades de auxílios e bolsas (sistema “balcão” e editais): – relatórios personalizados para cada modalidade; – realização de seminários com grupos de pesquisadores em áreas afins; – visitas técnicas a instituições e empresas. • Relatório de atividades – biênio 2007-2008
  65. 65. Metas principais – 2007 / 2010 • Apoiar e induzir (em todas as áreas do conhecimento): – pesquisa básica e aplicada – Ciência, Tecnologia e Inovação; – recuperação da infraestrutura para pesquisa nas IES; – formação de recursos humanos para a pesquisa; – fixação de bons pesquisadores em ICTs e em empresas sediadas no Estado; – difusão e popularização da C&T.
  66. 66. AÇÕES Desde 2007 • credibilidade – todos os auxílios e bolsas aprovados foram pagos – crescente demanda em todas as modalidades de auxílios e bolsas • início da recuperação da infraestrutura para pesquisa
  67. 67. SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 438 projetos apoiados pela FAPERJ, em micro e pequenas empresas de 55 municípios
  68. 68. SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA ALVOS •Empresas Brasileiras sediadas no E. do Rio de Janeiro; •Empresários que exerçam atividades como produtores rural; •Sociedades cooperativas; •Inventores independentes; •Empreendedores individuais; e •Empreendedores individuais com vínculo com (ICT’s).
  69. 69. Presença da FAPERJ nos municípios – RJ Até 2006 – 12 municípios com projetos apoiados pela FAPERJ Varre-Sai Porciúncula 2009 – 55 municípios com projetos Natividade apoiados pela FAPERJ Bom Jesus do Itaperuna Itabapoana Laje do Muriaé 2009 – 12 municípios adicionais com São Francisco São José de projetos em análise pela FAPERJ Miracema Ubá Italva de Itabapoana Cardoso Cambuci Santo Antônio de Moreira Pádua Municípios sem projetos submetidos Aperibé São Fidélis à FAPERJ São João da Itaocara Barra Campos dos Goytacazes Cantagalo Carmo São Sebastião do Alto Santa Maria Com. Levy Macuco Madalena Gasparian Sapucaia Duas Barras Cordeiro Trajano de Conceição de Macabu Quissamã Rio das Três Rios Sumidouro Paraíba do S. José do Vale Morais Flores Sul do Rio Preto Bom Jardim Carapebus Valença Areal Macaé Nova Friburgo Teresópolis Paty do Alferes Quatis Vassouras Porto Barra do Petrópolis Itatiaia Real Volta Piraí Rio das Ostras Miguel Redonda Eng. Paulo de Pereira Cachoeiras de Casimiro de Abreu Resende Frontin Macacu Barra Mansa Pinheiral Mendes Guapimirim Silva Jardim Nova Iguaçú Duque de Magé Piraí Paracambi Cabo Frio Caxias Japeri Belford Queimados Roxo Itaboraí Rio Bonito Araruama São Pedro da Rio Claro Tanguá Aldeia Seropédica Mesquita S. J. de Meriti São Iguaba Armação de Nilópolis Gonçalo Grande Búzios Itaguaí Saquarema Angra dos Reis Mangaratiba Rio de Niterói Maricá Arraial do Cabo Janeiro Parati
  70. 70. METAS – 2009 / 2010 • Continuar investindo para a recuperação da infraestrutura para pesquisa nas instituições. • Incentivar a inovação tecnológica em micro e pequenas empresas sediadas em TODOS os municípios do Estado do Rio de Janeiro. • Incentivar a formação de recursos humanos para a pesquisa e a fixação de bons recém-doutores em IES e em empresas sediadas no Estado. • Lançar editais de interesse real para a comunidade de C&T e para o estado do Rio de Janeiro, induzindo a participação de todas as áreas do conhecimento. • Difundir e popularizar a C&T.
  71. 71. METAS – 2009 / 2010 • Estimular a parceria entre FAPs – Mudanças climáticas globais – RJ / SP – Redes de pesquisa sobre malária, dengue, influenza A H1N1 etc. – ........................................ • Firmar acordos internacionais: – em parceria com Capes e CNPq – FCT e Cepese – Portugal – INRIA – França – Universidade Roma 1 (La Sapienza) – Itália – Politécnico de Torino e Milão – Itália – ................ • Buscar parcerias com empresas de grande porte
  72. 72. METAS: aumentar a interação com outras agências e órgãos de fomento
  73. 73. SECRETARIA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA FAPERJ Homepage: www.faperj.br ruymarques@faperj.br Tel: 21 23332000

×