SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
TEIP: Experiências, potencialidades e desafios
Tema 5 – Construção e gestão de dispositivos
de avaliação e monitorização
“Não há ventos favoráveis para os que não sabem para
onde vão.”
(Séneca)
“Autoavaliação é o processo pelo qual uma escola é
capaz de olhar criticamente para si mesma com a
finalidade de melhorar posteriormente os seus
recursos e o seu desempenho.”
(In Alaiz, Góis e Gonçalves, 2003)
Enquadramento
A evolução do conceito de autonomia das escolas
torna clara a necessidade de implementar práticas
organizadas de autoavaliação, as quais encontram
enquadramento legal com a publicação da Lei nº
31/2002.
Enquadramento
Existem diferentes conceções e práticas de autoavaliação, no entanto, pretendeu-
se adotar no Agrupamento um modelo de autoavaliação pensado numa
perspetiva de melhoria eficaz, enquadrado no paradigma construtivista, feita:
Enquadramento
on-
going
• de forma contínua;
ex-
ante
• realizada antes da implementação de uma
intervenção;
ex-
post
• realizada após a execução das ações
previstas, avaliando os seus resultados, efeitos
e impactos.
Mais do que ser tomada como medida inquisidora ou
averiguadora, devemos assumir a autoavaliação como
uma abordagem formativa, essencial para a melhoria
ou a para a confirmação das boas práticas que vamos
registando.
Enquadramento
Ciclo Global
Processo de Autoavaliação
1ª Fase - Perfil de Autoavaliação
• Definir o modelo de autoavaliação a adotar;
• Desencadear o processo de autoavaliação;
• Criar um clima de participação alargada na discussão e construção
coletiva da qualidade organizacional;
• Ajudar a desenvolver uma cultura de autoavaliação.
2ª Fase - Plano de Autoavaliação
• Implementar hábitos de diálogo e de reflexão interna.
• Adequar a autoavaliação às características do Agrupamento.
• Fazer ouvir as perspetivas, preocupações e reivindicações dos diferentes
setores da comunidade educativa;
• Definir indicadores de desempenho;
• Elaborar e validar instrumentos.
Processo de Autoavaliação
3ª Fase - Plano de Ação – Priorização/Implementação do Plano
de Melhoria do Agrupamento
• Proporcionar informação útil aos diversos atores da comunidade
educativa, para poderem refletir sobre o seu trabalho
e, assim, aperfeiçoarem a sua ação na escola;
• Implementar e monitorizar processos de melhoria eficaz no agrupamento
4ª Fase – Meta-avaliação – garantia da qualidade da avaliação
• Rever as opções tomadas e as suas consequências;
• Averiguar a validade da avaliação (conclusões em função das escalas de
intervalo definidas);
• Avaliar a utilidade dos dados recolhidos;
• Averiguar a fiabilidade dos resultados obtidos (diferenciando os métodos
de triangulação na recolha de informação)
Operacionalização
do Processo
de Autoavaliação
Processo de Autoavaliação
7-Construção de
instrumentos de recolha
de dados
8- Recolha/tratamento e
triangulação de dados
9-Elaboração do
relatório de AA e
divulgação
10-Elaborar, Divulgar e
Implementar o Plano de
Melhoria
5- Selecionar campos
de análise e prioridades
6-Definição de
indicadores de
desempenho
1-Definição
de objetivos
2-
Constituição
da equipa de
AA
3-Definição
do modelo
de AA
4-Divulgação/Preparação
da comunidade educativa
11-Preparar a
autoavaliação seguinte
Referencial
Processo de Autoavaliação
Para dar início ao ciclo de autoavaliação verificou-se a necessidade de
efetuar um levantamento das :
• práticas avaliativas do agrupamento bem como das
prioridades educativas, objetivos e metas do Projeto Educativo.
Esta análise permite delinear e identificar as dimensões
sobre as quais deve incidir a autoavaliação, possibilitando
uma visão pormenorizada do agrupamento e
consequentemente a elaboração de questões, para as
quais no final de todo o processo deve haver resposta.
• Dimensões a avaliar:
Processo de Autoavaliação
Sucesso
Escolar
Organizaçã
o/Gestão
Ensino/apre
ndizagem
Problemas
e aspetos
positivos
No que respeita à cultura de escola, dimensão considerada igualmente importante
pelo levantamento efetuado pela equipa, considerou-se que esta seria incluída
transversalmente em todas as outras dimensões.
Metodologia de trabalho
Processo de Autoavaliação
Ciclo PDCA
P – Planear
D – Executar
C – Rever
A - Ajustar
Ajustar
• 8-Conclusão
• 7-Padronização
Planear
• 1-Identificação
do problema
• 2-Observação
• 3-Análise
• 4-Plano de ação
Rever
• 6-Verificação
Executar
• 5-Ação
Fragilidades/dificuldades do processo de
autoavaliação
Processo de Autoavaliação
• Processo de meta-avaliação
• Envolvimento da comunidade educativa na
elaboração de planos de melhoria
• Reestruturação do processo de avaliação
das estruturas organizativas
• Fluxos escolares
• Disponibilidade dos elementos da equipa
de autoavaliação
Anexos
Dimensão II
Organização/Gestão
Dimensão III
Ensino/aprendizagem
Dimensão V
Problemas e aspeto
positivos
Dimensão I
Sucesso Escolar
DIMENSÕES
(as dimensões que estruturam a autoavaliação bem como as áreas a avaliar e os
respetivos indicadores de desempenho, têm como referência o projeto educativo/plano
estratégico do agrupamento e/ou referenciais internos e externos
- Resultados
escolares
- Comportamento e
disciplina
- Identificação de pontos fortes
e pontos fracos relativamente:
* Processo de
ensino/aprendizagem
* Articulação e sequencialidade
- Diferenciação e apoios
Dimensão IV
Cultura de escola
- Funcionamento das
estruturas escolares
- Liderança
- Identificação de
pontos fortes e pontos
fracos
- Identificação de
pontos fortes e pontos
fracos
- Identificação de
aspetos positivos e
problemas
Triangulação de Informantes:
- Dados recolhidos através de questionários aplicados a uma amostra aleatória
(professores/educadores, pais/encarregados de educação, alunos e pessoal não docente
Triangulação de instrumentos:
- Inquéritos
- Análise documental
- Entrevistas semiestruturadas
Áreas de avaliação
Aspetos centrais que contribuem para a avaliação de cada
uma das dimensões de referência
Áreas de observação
Aspetos que permitem clarificar como se vai proceder à
avaliação/observação de cada uma das áreas de avaliação
Metas e indicadores de
avaliação
Padrões de referência de melhoria, os quais, sempre que
possível, refletem o PE
Evidências/instrumentos/meca
nismos de recolha de dados
Documentos/instrumentos existentes ou a construir,
através dos quais se recolhe a informação/dados
Triangulação de dados
Interseção de informação entre informantes e instrumentos
de recolha de dados, sempre que a área a avaliar o
justifique, bem como eventuais discrepâncias de
resultados.
Responsável
(recolha e tratamento de
dados)
Colaboradores e responsáveis pela recolha e síntese dos
dados/informações
Calendarização Indicação dos momentos em que se procede à avaliação
A avaliação de cada dimensão organiza-se (biénio 09/11) e estrutura-se com base nos
seguintes procedimentos:
Tipo de
documento
Dados a recolher
Responsável pela
elaboração
Instrumento
padronizado
Momento de
elaboração
Relatório –
apoios
educativos
Qualitativos / quantitativos
– perceções sobre o
funcionamento dos
apoios/taxa de frequência
e de sucesso educativo
Professor de apoio Sim
Final de cada
período
Relatórios -
coadjuvações
Qualitativos / quantitativos
– perceções sobre o
funcionamento das
coadjuvações/taxa de
sucesso educativo
Professor
coadjuvante
Sim
Final de cada
período
Relatórios –
oficinas MEL
Qualitativos / quantitativos
– perceções sobre o
funcionamento das
oficinas/taxa de sucesso
educativo
Professores das
oficinas
Sim
Final de cada
período
Relatórios –
oficinas MIL
Qualitativos / quantitativos
– perceções sobre o
funcionamento das
oficinas/taxa de sucesso
educativo
Professores das
oficinas
Sim
Final de cada
período
Instrumentos de recolha de dados – Análise documental
Tipo de
documento
Dados a recolher
Responsável pela
elaboração
Instrumento
padronizado
Momento de
elaboração
Relatório -Tutorias Qualitativos Aluno tutorado Sim
Final de cada
período
Relatório -Tutorias Qualitativos Professor tutor Sim
Final de cada
período
Relatório -Tutorias
Quantitativos
(processos
disciplinares/taxas
de transição
Coordenação
TEIPII
SIM
3º Período
Relatório – Exame
nacional_ 4º ano
Quantitativos/Qua
litativos
Não 3º Período
Relatório – Exame
nacional_ 6º ano
Quantitativos/Qua
litativos
Não 3º Período
Relatório – Testes
intermédios
Quantitativos/Qua
litativos
Não 2º Período
Relatório – exame
nacional_ 9º ano
Quantitativos/Qua
litativos
Não 3º Período
Inquérito sob a
forma de
questionário
Qualitativos
Equipa de
autoavaliação
1º e 2º períodos
Inquéritos de
satisfação
Qualitativos GAAF Não
Final de cada
triénio
Tipo de documento
Dados a
recolher
Responsável pela
elaboração
Instrumento
padronizado
Momento de
elaboração
Relatório
Participações de
ocorrência
Quantitativos
(por turma e ano
– dentro e fora
da sala de aula)
DT/coordenação
TEIPII
SIM
Final de cada
período
Relatório Sala de
estudo
Quantitativos
(por turma, aluno
e disciplina)
Coordenação TEIPII SIM
Final de cada
período
Relatório
Qualidade das
aprendizagens
Quantitativos –
Taxa de alunos
sem níveis
inferiores a três
Coordenação TEIPII SIM Semestral
Relatório – Alunos
em situação de
retenção/transição
Quantitativos Coordenação TEIPII SIM Semestral
Relatório
Processos
disciplinar
Quantitativos Coordenação TEIPII SIM 3º Período
Tipo de documento
Dados a
recolher
Responsável pela
elaboração
Instrumento
padronizado
Momento de
elaboração
Relatório
Envolvência dos
EE
Quantitativos
DT/professores
titulares/Equipa de
autoavaliação
SIM 3º Período
Relatório
Procedimentos
disciplinares
Quantitativos
(medidas
disciplinares e
corretivas)
Coordenação
TEIPII/ Direção
SIM
Final de cada
período
Relatório - Grau de
consecução das
atividades do PAA
Qualitativos/
quantitativos
Professores
responsáveis pelas
atividades
SIM Trimestral
Relatório - Grau de
consecução das
atividades do PAA
Qualitativos/
quantitativos
Equipa de projetos NÃO Trimestral
Grelha de
Avaliação Global
Quantitativos DT SIM
Final do 3º
Período

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Um possível modelo de avaliação
Um possível modelo de avaliaçãoUm possível modelo de avaliação
Um possível modelo de avaliaçãomaria correia
 
Treinamento diretores 2018
Treinamento diretores 2018Treinamento diretores 2018
Treinamento diretores 2018Juliana Paiva
 
A Biblioteca Escolar na avaliação da Escola - que contributos?
A Biblioteca Escolar na avaliação da Escola - que contributos?A Biblioteca Escolar na avaliação da Escola - que contributos?
A Biblioteca Escolar na avaliação da Escola - que contributos?RBE Algarve
 
Avaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superiorAvaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superiormariamoura1788lulu
 
Análise Crítica do Modelo de Auto-Avaliação
Análise Crítica do Modelo de Auto-AvaliaçãoAnálise Crítica do Modelo de Auto-Avaliação
Análise Crítica do Modelo de Auto-Avaliaçãomariaemilianovais
 
Apresentação do modelo de AA da BE no CP
Apresentação do modelo de AA da BE no CPApresentação do modelo de AA da BE no CP
Apresentação do modelo de AA da BE no CPESCascais
 
Indicadores de Qualidade no Ensino Superior
Indicadores de Qualidade no Ensino SuperiorIndicadores de Qualidade no Ensino Superior
Indicadores de Qualidade no Ensino SuperiorEstefycelo
 
Maabe tarefa 6ª sessão
Maabe  tarefa 6ª sessãoMaabe  tarefa 6ª sessão
Maabe tarefa 6ª sessãosandraazevedo
 
30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino
30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino
30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorginobetejorgino
 
Modelo%20 Auto AvaliaçãO%20das%20 Bibliotecas%20 Escolares[1]
Modelo%20 Auto AvaliaçãO%20das%20 Bibliotecas%20 Escolares[1]Modelo%20 Auto AvaliaçãO%20das%20 Bibliotecas%20 Escolares[1]
Modelo%20 Auto AvaliaçãO%20das%20 Bibliotecas%20 Escolares[1]franciscamonteiro
 
Sintese Da Sessao 5 Drelvt 2
Sintese Da Sessao 5  Drelvt 2Sintese Da Sessao 5  Drelvt 2
Sintese Da Sessao 5 Drelvt 2FilipaNeves
 
Panorama de Educação Física - Prêmio Victor Civita 2011
Panorama de Educação Física - Prêmio Victor Civita 2011Panorama de Educação Física - Prêmio Victor Civita 2011
Panorama de Educação Física - Prêmio Victor Civita 2011Fundação Victor Civita
 
Trabalho Da 4ª SessãO 1ª Parte Nuno Tavares
Trabalho Da 4ª SessãO   1ª Parte   Nuno TavaresTrabalho Da 4ª SessãO   1ª Parte   Nuno Tavares
Trabalho Da 4ª SessãO 1ª Parte Nuno Tavaresgueste04715
 

Mais procurados (17)

Um possível modelo de avaliação
Um possível modelo de avaliaçãoUm possível modelo de avaliação
Um possível modelo de avaliação
 
Tipos de avaliações
Tipos de avaliaçõesTipos de avaliações
Tipos de avaliações
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
Treinamento diretores 2018
Treinamento diretores 2018Treinamento diretores 2018
Treinamento diretores 2018
 
A Biblioteca Escolar na avaliação da Escola - que contributos?
A Biblioteca Escolar na avaliação da Escola - que contributos?A Biblioteca Escolar na avaliação da Escola - que contributos?
A Biblioteca Escolar na avaliação da Escola - que contributos?
 
Avaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superiorAvaliação no ensino superior
Avaliação no ensino superior
 
Análise Crítica do Modelo de Auto-Avaliação
Análise Crítica do Modelo de Auto-AvaliaçãoAnálise Crítica do Modelo de Auto-Avaliação
Análise Crítica do Modelo de Auto-Avaliação
 
Apresentação do modelo de AA da BE no CP
Apresentação do modelo de AA da BE no CPApresentação do modelo de AA da BE no CP
Apresentação do modelo de AA da BE no CP
 
Indicadores de Qualidade no Ensino Superior
Indicadores de Qualidade no Ensino SuperiorIndicadores de Qualidade no Ensino Superior
Indicadores de Qualidade no Ensino Superior
 
Maabe tarefa 6ª sessão
Maabe  tarefa 6ª sessãoMaabe  tarefa 6ª sessão
Maabe tarefa 6ª sessão
 
30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino
30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino
30 09 PORTIFOLIO Avaliação de Desempenho Docente aluna Elisabete Jorgino
 
Av Prof.Ccap
Av Prof.CcapAv Prof.Ccap
Av Prof.Ccap
 
Modelo%20 Auto AvaliaçãO%20das%20 Bibliotecas%20 Escolares[1]
Modelo%20 Auto AvaliaçãO%20das%20 Bibliotecas%20 Escolares[1]Modelo%20 Auto AvaliaçãO%20das%20 Bibliotecas%20 Escolares[1]
Modelo%20 Auto AvaliaçãO%20das%20 Bibliotecas%20 Escolares[1]
 
Sintese Da Sessao 5 Drelvt 2
Sintese Da Sessao 5  Drelvt 2Sintese Da Sessao 5  Drelvt 2
Sintese Da Sessao 5 Drelvt 2
 
Panorama de Educação Física - Prêmio Victor Civita 2011
Panorama de Educação Física - Prêmio Victor Civita 2011Panorama de Educação Física - Prêmio Victor Civita 2011
Panorama de Educação Física - Prêmio Victor Civita 2011
 
Sessão 6 abilio
Sessão 6   abilioSessão 6   abilio
Sessão 6 abilio
 
Trabalho Da 4ª SessãO 1ª Parte Nuno Tavares
Trabalho Da 4ª SessãO   1ª Parte   Nuno TavaresTrabalho Da 4ª SessãO   1ª Parte   Nuno Tavares
Trabalho Da 4ª SessãO 1ª Parte Nuno Tavares
 

Semelhante a Teip conclusoes tema5-v4

Projeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdf
Projeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdfProjeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdf
Projeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdfOlivia Moreira
 
Formacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdf
Formacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdfFormacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdf
Formacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdfFelizardoBonifcioJoo1
 
Monitoramento de Processos Educacionais e Avaliação Institucional
Monitoramento de Processos Educacionais e Avaliação InstitucionalMonitoramento de Processos Educacionais e Avaliação Institucional
Monitoramento de Processos Educacionais e Avaliação InstitucionalO Blog do Pedagogo
 
Manual de Operacionalização da Portaria SEEDUC 419-2013 - AVALIAÇÃO ESCOLA PÚ...
Manual de Operacionalização da Portaria SEEDUC 419-2013 - AVALIAÇÃO ESCOLA PÚ...Manual de Operacionalização da Portaria SEEDUC 419-2013 - AVALIAÇÃO ESCOLA PÚ...
Manual de Operacionalização da Portaria SEEDUC 419-2013 - AVALIAÇÃO ESCOLA PÚ...SEEDUC-RJ
 
08 avaliacao-e-registro
08 avaliacao-e-registro08 avaliacao-e-registro
08 avaliacao-e-registroJoao Balbi
 
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/AgrupamentoModelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamentomariaantoniadocarmo
 
Apres mod avalcp_agrupgandaramar
Apres mod avalcp_agrupgandaramarApres mod avalcp_agrupgandaramar
Apres mod avalcp_agrupgandaramarbiblosblogue
 
Apres mod avalcp_agrupgandaramar
Apres mod avalcp_agrupgandaramarApres mod avalcp_agrupgandaramar
Apres mod avalcp_agrupgandaramarbiblosblogue
 
Como escolher o melhor método de avaliação para cada tipo de Treinamento - Cl...
Como escolher o melhor método de avaliação para cada tipo de Treinamento - Cl...Como escolher o melhor método de avaliação para cada tipo de Treinamento - Cl...
Como escolher o melhor método de avaliação para cada tipo de Treinamento - Cl...Claudemir Oribe
 
ApresentaçãO Modelo Auto AvaliaçãO Raquel
ApresentaçãO Modelo Auto AvaliaçãO RaquelApresentaçãO Modelo Auto AvaliaçãO Raquel
ApresentaçãO Modelo Auto AvaliaçãO Raquelrapscasg
 
Folha avaliação formativa[15433]
Folha   avaliação formativa[15433]Folha   avaliação formativa[15433]
Folha avaliação formativa[15433]pereyras
 
Nono --avaliacao-e-registro
Nono --avaliacao-e-registroNono --avaliacao-e-registro
Nono --avaliacao-e-registrosamuelbi1
 
Didática do ensino superior videoaula 6
Didática do ensino superior videoaula 6Didática do ensino superior videoaula 6
Didática do ensino superior videoaula 6Karlla Costa
 
FORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.ppt
FORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.pptFORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.ppt
FORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.pptPedroAlmeida86143
 
Ciclo Deming
Ciclo DemingCiclo Deming
Ciclo Demingaraana
 
Um Modelo De Avaliacao Para As Bibliotecas Escolares Tarefa3
Um Modelo De Avaliacao Para As Bibliotecas Escolares Tarefa3Um Modelo De Avaliacao Para As Bibliotecas Escolares Tarefa3
Um Modelo De Avaliacao Para As Bibliotecas Escolares Tarefa3Maria Lucinda
 

Semelhante a Teip conclusoes tema5-v4 (20)

Projeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdf
Projeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdfProjeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdf
Projeto_MAIA_Abacao_julho2021.pdf
 
Formacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdf
Formacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdfFormacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdf
Formacao_sessao_357748bd7sssyuhuefuefuyferyu4.pdf
 
Submodulo 8.1
Submodulo 8.1Submodulo 8.1
Submodulo 8.1
 
Submodulo 8.2
Submodulo 8.2Submodulo 8.2
Submodulo 8.2
 
A avaliação
A avaliaçãoA avaliação
A avaliação
 
A avaliação
A avaliaçãoA avaliação
A avaliação
 
Monitoramento de Processos Educacionais e Avaliação Institucional
Monitoramento de Processos Educacionais e Avaliação InstitucionalMonitoramento de Processos Educacionais e Avaliação Institucional
Monitoramento de Processos Educacionais e Avaliação Institucional
 
Manual de Operacionalização da Portaria SEEDUC 419-2013 - AVALIAÇÃO ESCOLA PÚ...
Manual de Operacionalização da Portaria SEEDUC 419-2013 - AVALIAÇÃO ESCOLA PÚ...Manual de Operacionalização da Portaria SEEDUC 419-2013 - AVALIAÇÃO ESCOLA PÚ...
Manual de Operacionalização da Portaria SEEDUC 419-2013 - AVALIAÇÃO ESCOLA PÚ...
 
08 avaliacao-e-registro
08 avaliacao-e-registro08 avaliacao-e-registro
08 avaliacao-e-registro
 
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/AgrupamentoModelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
Modelo de Auto Avaliação da Biblioteca Escolar no Contexto Escola/Agrupamento
 
Apres mod avalcp_agrupgandaramar
Apres mod avalcp_agrupgandaramarApres mod avalcp_agrupgandaramar
Apres mod avalcp_agrupgandaramar
 
Apres mod avalcp_agrupgandaramar
Apres mod avalcp_agrupgandaramarApres mod avalcp_agrupgandaramar
Apres mod avalcp_agrupgandaramar
 
Como escolher o melhor método de avaliação para cada tipo de Treinamento - Cl...
Como escolher o melhor método de avaliação para cada tipo de Treinamento - Cl...Como escolher o melhor método de avaliação para cada tipo de Treinamento - Cl...
Como escolher o melhor método de avaliação para cada tipo de Treinamento - Cl...
 
ApresentaçãO Modelo Auto AvaliaçãO Raquel
ApresentaçãO Modelo Auto AvaliaçãO RaquelApresentaçãO Modelo Auto AvaliaçãO Raquel
ApresentaçãO Modelo Auto AvaliaçãO Raquel
 
Folha avaliação formativa[15433]
Folha   avaliação formativa[15433]Folha   avaliação formativa[15433]
Folha avaliação formativa[15433]
 
Nono --avaliacao-e-registro
Nono --avaliacao-e-registroNono --avaliacao-e-registro
Nono --avaliacao-e-registro
 
Didática do ensino superior videoaula 6
Didática do ensino superior videoaula 6Didática do ensino superior videoaula 6
Didática do ensino superior videoaula 6
 
FORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.ppt
FORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.pptFORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.ppt
FORMAÇÃO - Avaliacao_da_formacao.ppt
 
Ciclo Deming
Ciclo DemingCiclo Deming
Ciclo Deming
 
Um Modelo De Avaliacao Para As Bibliotecas Escolares Tarefa3
Um Modelo De Avaliacao Para As Bibliotecas Escolares Tarefa3Um Modelo De Avaliacao Para As Bibliotecas Escolares Tarefa3
Um Modelo De Avaliacao Para As Bibliotecas Escolares Tarefa3
 

Mais de ProgramaEscolasTEIP

Indisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolarIndisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolarProgramaEscolasTEIP
 
Indisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolarIndisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolarProgramaEscolasTEIP
 
Cadernos desafios 4_verfinal (6)
Cadernos desafios 4_verfinal (6)Cadernos desafios 4_verfinal (6)
Cadernos desafios 4_verfinal (6)ProgramaEscolasTEIP
 
Agrupamento de Escolas de Apelação
Agrupamento de Escolas de ApelaçãoAgrupamento de Escolas de Apelação
Agrupamento de Escolas de ApelaçãoProgramaEscolasTEIP
 
Texto evento à conversa sobre boas práticas em equipas multidisciplinares ...
Texto evento à conversa sobre    boas práticas em equipas multidisciplinares ...Texto evento à conversa sobre    boas práticas em equipas multidisciplinares ...
Texto evento à conversa sobre boas práticas em equipas multidisciplinares ...ProgramaEscolasTEIP
 
Brochura modelo frei2013 4 julho[1]
Brochura modelo frei2013 4 julho[1]Brochura modelo frei2013 4 julho[1]
Brochura modelo frei2013 4 julho[1]ProgramaEscolasTEIP
 
Gaaf intervenção 2009-2013 - Agrupamento Damião de Góis
Gaaf intervenção 2009-2013 - Agrupamento Damião de Góis Gaaf intervenção 2009-2013 - Agrupamento Damião de Góis
Gaaf intervenção 2009-2013 - Agrupamento Damião de Góis ProgramaEscolasTEIP
 

Mais de ProgramaEscolasTEIP (20)

Indisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolarIndisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolar
 
Indisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolarIndisciplina em contexto escolar
Indisciplina em contexto escolar
 
Cadernos desafios 4_verfinal (6)
Cadernos desafios 4_verfinal (6)Cadernos desafios 4_verfinal (6)
Cadernos desafios 4_verfinal (6)
 
Apelação
ApelaçãoApelação
Apelação
 
Agrupamento de Escolas de Apelação
Agrupamento de Escolas de ApelaçãoAgrupamento de Escolas de Apelação
Agrupamento de Escolas de Apelação
 
Teip conclusoes tema5-v4
Teip conclusoes tema5-v4Teip conclusoes tema5-v4
Teip conclusoes tema5-v4
 
Teip conclusoes tema4-v4
Teip conclusoes tema4-v4Teip conclusoes tema4-v4
Teip conclusoes tema4-v4
 
Teip conclusoes tema4-v4
Teip conclusoes tema4-v4Teip conclusoes tema4-v4
Teip conclusoes tema4-v4
 
Teip conclusoes tema3-v3
Teip conclusoes tema3-v3Teip conclusoes tema3-v3
Teip conclusoes tema3-v3
 
Teip conclusoes tema2-v6
Teip conclusoes tema2-v6Teip conclusoes tema2-v6
Teip conclusoes tema2-v6
 
Teip conclusoes tema1-v3
Teip conclusoes tema1-v3Teip conclusoes tema1-v3
Teip conclusoes tema1-v3
 
Registosde atividades
Registosde atividadesRegistosde atividades
Registosde atividades
 
Texto evento à conversa sobre boas práticas em equipas multidisciplinares ...
Texto evento à conversa sobre    boas práticas em equipas multidisciplinares ...Texto evento à conversa sobre    boas práticas em equipas multidisciplinares ...
Texto evento à conversa sobre boas práticas em equipas multidisciplinares ...
 
Brochura modelo frei2013 4 julho[1]
Brochura modelo frei2013 4 julho[1]Brochura modelo frei2013 4 julho[1]
Brochura modelo frei2013 4 julho[1]
 
Stp newsletter 2
Stp newsletter 2Stp newsletter 2
Stp newsletter 2
 
Atividades sec s_pedro_da_cova
Atividades sec s_pedro_da_covaAtividades sec s_pedro_da_cova
Atividades sec s_pedro_da_cova
 
Pef final2
Pef final2Pef final2
Pef final2
 
Boas praticas teip
Boas praticas teipBoas praticas teip
Boas praticas teip
 
Programa seminário
Programa seminário Programa seminário
Programa seminário
 
Gaaf intervenção 2009-2013 - Agrupamento Damião de Góis
Gaaf intervenção 2009-2013 - Agrupamento Damião de Góis Gaaf intervenção 2009-2013 - Agrupamento Damião de Góis
Gaaf intervenção 2009-2013 - Agrupamento Damião de Góis
 

Teip conclusoes tema5-v4

  • 1. TEIP: Experiências, potencialidades e desafios Tema 5 – Construção e gestão de dispositivos de avaliação e monitorização
  • 2. “Não há ventos favoráveis para os que não sabem para onde vão.” (Séneca) “Autoavaliação é o processo pelo qual uma escola é capaz de olhar criticamente para si mesma com a finalidade de melhorar posteriormente os seus recursos e o seu desempenho.” (In Alaiz, Góis e Gonçalves, 2003) Enquadramento
  • 3. A evolução do conceito de autonomia das escolas torna clara a necessidade de implementar práticas organizadas de autoavaliação, as quais encontram enquadramento legal com a publicação da Lei nº 31/2002. Enquadramento
  • 4. Existem diferentes conceções e práticas de autoavaliação, no entanto, pretendeu- se adotar no Agrupamento um modelo de autoavaliação pensado numa perspetiva de melhoria eficaz, enquadrado no paradigma construtivista, feita: Enquadramento on- going • de forma contínua; ex- ante • realizada antes da implementação de uma intervenção; ex- post • realizada após a execução das ações previstas, avaliando os seus resultados, efeitos e impactos.
  • 5. Mais do que ser tomada como medida inquisidora ou averiguadora, devemos assumir a autoavaliação como uma abordagem formativa, essencial para a melhoria ou a para a confirmação das boas práticas que vamos registando. Enquadramento
  • 6. Ciclo Global Processo de Autoavaliação 1ª Fase - Perfil de Autoavaliação • Definir o modelo de autoavaliação a adotar; • Desencadear o processo de autoavaliação; • Criar um clima de participação alargada na discussão e construção coletiva da qualidade organizacional; • Ajudar a desenvolver uma cultura de autoavaliação. 2ª Fase - Plano de Autoavaliação • Implementar hábitos de diálogo e de reflexão interna. • Adequar a autoavaliação às características do Agrupamento. • Fazer ouvir as perspetivas, preocupações e reivindicações dos diferentes setores da comunidade educativa; • Definir indicadores de desempenho; • Elaborar e validar instrumentos.
  • 7. Processo de Autoavaliação 3ª Fase - Plano de Ação – Priorização/Implementação do Plano de Melhoria do Agrupamento • Proporcionar informação útil aos diversos atores da comunidade educativa, para poderem refletir sobre o seu trabalho e, assim, aperfeiçoarem a sua ação na escola; • Implementar e monitorizar processos de melhoria eficaz no agrupamento 4ª Fase – Meta-avaliação – garantia da qualidade da avaliação • Rever as opções tomadas e as suas consequências; • Averiguar a validade da avaliação (conclusões em função das escalas de intervalo definidas); • Avaliar a utilidade dos dados recolhidos; • Averiguar a fiabilidade dos resultados obtidos (diferenciando os métodos de triangulação na recolha de informação)
  • 8. Operacionalização do Processo de Autoavaliação Processo de Autoavaliação 7-Construção de instrumentos de recolha de dados 8- Recolha/tratamento e triangulação de dados 9-Elaboração do relatório de AA e divulgação 10-Elaborar, Divulgar e Implementar o Plano de Melhoria 5- Selecionar campos de análise e prioridades 6-Definição de indicadores de desempenho 1-Definição de objetivos 2- Constituição da equipa de AA 3-Definição do modelo de AA 4-Divulgação/Preparação da comunidade educativa 11-Preparar a autoavaliação seguinte
  • 9. Referencial Processo de Autoavaliação Para dar início ao ciclo de autoavaliação verificou-se a necessidade de efetuar um levantamento das : • práticas avaliativas do agrupamento bem como das prioridades educativas, objetivos e metas do Projeto Educativo. Esta análise permite delinear e identificar as dimensões sobre as quais deve incidir a autoavaliação, possibilitando uma visão pormenorizada do agrupamento e consequentemente a elaboração de questões, para as quais no final de todo o processo deve haver resposta.
  • 10. • Dimensões a avaliar: Processo de Autoavaliação Sucesso Escolar Organizaçã o/Gestão Ensino/apre ndizagem Problemas e aspetos positivos No que respeita à cultura de escola, dimensão considerada igualmente importante pelo levantamento efetuado pela equipa, considerou-se que esta seria incluída transversalmente em todas as outras dimensões.
  • 11. Metodologia de trabalho Processo de Autoavaliação Ciclo PDCA P – Planear D – Executar C – Rever A - Ajustar Ajustar • 8-Conclusão • 7-Padronização Planear • 1-Identificação do problema • 2-Observação • 3-Análise • 4-Plano de ação Rever • 6-Verificação Executar • 5-Ação
  • 12. Fragilidades/dificuldades do processo de autoavaliação Processo de Autoavaliação • Processo de meta-avaliação • Envolvimento da comunidade educativa na elaboração de planos de melhoria • Reestruturação do processo de avaliação das estruturas organizativas • Fluxos escolares • Disponibilidade dos elementos da equipa de autoavaliação
  • 14. Dimensão II Organização/Gestão Dimensão III Ensino/aprendizagem Dimensão V Problemas e aspeto positivos Dimensão I Sucesso Escolar DIMENSÕES (as dimensões que estruturam a autoavaliação bem como as áreas a avaliar e os respetivos indicadores de desempenho, têm como referência o projeto educativo/plano estratégico do agrupamento e/ou referenciais internos e externos - Resultados escolares - Comportamento e disciplina - Identificação de pontos fortes e pontos fracos relativamente: * Processo de ensino/aprendizagem * Articulação e sequencialidade - Diferenciação e apoios Dimensão IV Cultura de escola - Funcionamento das estruturas escolares - Liderança - Identificação de pontos fortes e pontos fracos - Identificação de pontos fortes e pontos fracos - Identificação de aspetos positivos e problemas Triangulação de Informantes: - Dados recolhidos através de questionários aplicados a uma amostra aleatória (professores/educadores, pais/encarregados de educação, alunos e pessoal não docente Triangulação de instrumentos: - Inquéritos - Análise documental - Entrevistas semiestruturadas
  • 15. Áreas de avaliação Aspetos centrais que contribuem para a avaliação de cada uma das dimensões de referência Áreas de observação Aspetos que permitem clarificar como se vai proceder à avaliação/observação de cada uma das áreas de avaliação Metas e indicadores de avaliação Padrões de referência de melhoria, os quais, sempre que possível, refletem o PE Evidências/instrumentos/meca nismos de recolha de dados Documentos/instrumentos existentes ou a construir, através dos quais se recolhe a informação/dados Triangulação de dados Interseção de informação entre informantes e instrumentos de recolha de dados, sempre que a área a avaliar o justifique, bem como eventuais discrepâncias de resultados. Responsável (recolha e tratamento de dados) Colaboradores e responsáveis pela recolha e síntese dos dados/informações Calendarização Indicação dos momentos em que se procede à avaliação A avaliação de cada dimensão organiza-se (biénio 09/11) e estrutura-se com base nos seguintes procedimentos:
  • 16. Tipo de documento Dados a recolher Responsável pela elaboração Instrumento padronizado Momento de elaboração Relatório – apoios educativos Qualitativos / quantitativos – perceções sobre o funcionamento dos apoios/taxa de frequência e de sucesso educativo Professor de apoio Sim Final de cada período Relatórios - coadjuvações Qualitativos / quantitativos – perceções sobre o funcionamento das coadjuvações/taxa de sucesso educativo Professor coadjuvante Sim Final de cada período Relatórios – oficinas MEL Qualitativos / quantitativos – perceções sobre o funcionamento das oficinas/taxa de sucesso educativo Professores das oficinas Sim Final de cada período Relatórios – oficinas MIL Qualitativos / quantitativos – perceções sobre o funcionamento das oficinas/taxa de sucesso educativo Professores das oficinas Sim Final de cada período Instrumentos de recolha de dados – Análise documental
  • 17. Tipo de documento Dados a recolher Responsável pela elaboração Instrumento padronizado Momento de elaboração Relatório -Tutorias Qualitativos Aluno tutorado Sim Final de cada período Relatório -Tutorias Qualitativos Professor tutor Sim Final de cada período Relatório -Tutorias Quantitativos (processos disciplinares/taxas de transição Coordenação TEIPII SIM 3º Período Relatório – Exame nacional_ 4º ano Quantitativos/Qua litativos Não 3º Período Relatório – Exame nacional_ 6º ano Quantitativos/Qua litativos Não 3º Período Relatório – Testes intermédios Quantitativos/Qua litativos Não 2º Período Relatório – exame nacional_ 9º ano Quantitativos/Qua litativos Não 3º Período Inquérito sob a forma de questionário Qualitativos Equipa de autoavaliação 1º e 2º períodos Inquéritos de satisfação Qualitativos GAAF Não Final de cada triénio
  • 18. Tipo de documento Dados a recolher Responsável pela elaboração Instrumento padronizado Momento de elaboração Relatório Participações de ocorrência Quantitativos (por turma e ano – dentro e fora da sala de aula) DT/coordenação TEIPII SIM Final de cada período Relatório Sala de estudo Quantitativos (por turma, aluno e disciplina) Coordenação TEIPII SIM Final de cada período Relatório Qualidade das aprendizagens Quantitativos – Taxa de alunos sem níveis inferiores a três Coordenação TEIPII SIM Semestral Relatório – Alunos em situação de retenção/transição Quantitativos Coordenação TEIPII SIM Semestral Relatório Processos disciplinar Quantitativos Coordenação TEIPII SIM 3º Período
  • 19. Tipo de documento Dados a recolher Responsável pela elaboração Instrumento padronizado Momento de elaboração Relatório Envolvência dos EE Quantitativos DT/professores titulares/Equipa de autoavaliação SIM 3º Período Relatório Procedimentos disciplinares Quantitativos (medidas disciplinares e corretivas) Coordenação TEIPII/ Direção SIM Final de cada período Relatório - Grau de consecução das atividades do PAA Qualitativos/ quantitativos Professores responsáveis pelas atividades SIM Trimestral Relatório - Grau de consecução das atividades do PAA Qualitativos/ quantitativos Equipa de projetos NÃO Trimestral Grelha de Avaliação Global Quantitativos DT SIM Final do 3º Período