Questões ambientais

659 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
659
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Questões ambientais

  1. 1. CENTRO DE FORMAÇÃO TECNOLÓGICA - ESATERALUNO(A):_____________________________________________________ DATA:____/___/____DISCIPLINA: __________________FACILITADOR(a):___________________ TURMA:________ CAPÍTULO – Uma abordagem sobre os maiores agentes poluidores dos recursos Questões ambientais naturais, bem como os prejuízos á saúde humana. Neste capítulo vamos conhecer os principais agressores dos recursos naturais e entender que a ameaça vem das atividades humanas e da falta de iniciativa política em resolver a questão dos problemas ambientais que persistem desde os primórdios da civilização humana. Vamos conhecer os impactos na saúde e casos verídicos que se destacam pela degradação ambiental bem como á saúde humana. Os problemas ambientais são problemas eminentemente sociais, gerados e atravessados por um conjunto de processos sociais (Leff, 2000) e, como tais, só vieram à tona porque, como ambientes criados, não se encontram alheio à vida social humana, mas são completamente penetrados e reordenados por ela, confundindo atualmente o que é “natural” com o que é “social” (Giddens, 1990; Beck, 1997). Como observa Questões ambientais: uma Samaja (2000), o termo “problema” só tem campo de aplicação nos sistemas vivos e nos processos abordagem sobre os agentes humanos, pois são os que enfrentam problemas de poluição. em sua existência e realizam escolhas que lhes permitem mudar de uma situação para outra. Poressa razão, a noção de “problemas de saúde” compõe uma ordem descritiva que serve para qualificarestados possíveis nos indivíduos vivos em toda a extensão da biosfera. Apesar disso, no que dizrespeito aos problemas ambientais, que sãosimultaneamente problemas de saúde, pois afetam os Quando tudo começouseres humanos e as sociedades em múltiplas esimultâneas escalas e dimensões. Retomando Andler • A revolução industrial promoveu(1987), é importante sublinhar que a escolha de um mudanças nas concentrações de CO2 naproblema é, irredutivelmente, uma escolha. Então, se atmosfera.consideramos que não existe um único ambiente, o • Crescimento das cidades.ambiente construído e descrito pelas ciências naturais • Crescimento demográfico.e engenharias, mas sim uma variedade de ambientes • Problemas com saneamento básico,constituídos histórica, geográfica, social e emissão de gases tóxicos e resíduos queculturalmente, surge então à necessidade de se contaminam a água, o solo e o ar.considerar que um problema ambiental corresponde auma multiplicidade de problemas ambientais 1
  2. 2. simultâneos, que envolvem diferentes e conflituosas noções de sociedade. Problemas quenecessariamente envolvem processos sociais, políticos, econômicos e culturais, bem como umamultiplicidade de atores sociais com diferentes noções e interesses acerca dos mesmos e das formas deresolução que poderão ser encaminhadas. A preocupação com os efeitos na saúde provocados pelascondições ambientais é evidente desde a Antigüidade. Essa preocupação parece se acentuarparticularmente entre meados do século 18 e meados do século 19, quando os problemas ambientaissobre a saúde estiveram associados aos efeitos do rápido e intenso processo de industrialização eurbanização que passaram a incidir nas condições de vida e trabalho. Entre meados e o final do século19 são bastante intensos os impactos da Revolução Industrial sobre as condições de vida e saúde daspopulações. Principalmente nos países europeus, onde houve maior desenvolvimento nas relaçõesindustriais de produção (Inglaterra, França e Alemanha). A revolução industrial embora não foi aprimeira, mas caracteriza o marco significativo de poluição ambiental oriundo da atividade econômicae aqui em especial a queima de carvão. Fonte: http://www.scielo.br/pdf/%0D/csc/v8n1/a11v08n1.pdf Poluição por esgoto sanitárioO lançamento de efluentes in natura nos recursos hídricos resulta além de vários problemas sócio-ambientais, em impactos significativos sobre a vida aquática e o meio ambiente como um todo. Por exemplo, a matéria orgânica presente nos Agressores da água – dejetos ao entrar em um sistema aquático, leva esgotamento sanitário,IBGE 2008 a uma grande proliferação de bactérias (indicadores de desenvolvimento sustentável IBGE 2010) . aeróbicas provocando o consumo de oxigênio dissolvido que pode reduzir a valores muitos • 58,9% dos moradores da zona urbana tem rede coletora de esgoto para apenas 5,8% baixos, ou mesmo extinguir, gerando impactos na zona rural, sendo que, 46,3% tem fossa a vida aquática aeróbica. Têm-se como outros rudimentar (denota fossa negra). exemplos de impactos a eutrofização • Conclusão: 41,1% dos moradores da zona (infestação de cianobactérias), a disseminação urbana ainda não tem rede coletora de de doenças de veiculação hídrica, esgoto, na zona rural chega a 94,2%. agravamento do problema de escassez de água • Conforme censo 2006, são de boa qualidade, desequilíbrio ecológico, estimativamente 67 milhões de pessoas entre outros. A água é um elemento da sem rede coletora de esgoto. natureza indispensável ao ser humano. A mesma constitui um importante meio detransmissão de doenças. As doenças veiculadas pela água têm origem, principalmente, a partir dedejetos. Muitos microorganismos patogênicos são parasitas do intestino humano e são eliminadosjuntamente com as fezes. Por falta de adequados sistemas de esgotamento, muitas vezes os dejetos deorigem humana alcançam mananciais superficiais ou subterrâneos. A água desses mananciais quandoutilizadas para consumo, pode resultar no acesso desses microorganismos ao organismo de umapessoa, causando-lhe doenças. Estima-se que 80 por cento de todas as moléstias e mais de um terçodos óbitos dos países em desenvolvimento sejam causados pelo consumo de água contaminada e, emmédia, até um décimo do tempo produtivo de cada pessoa se perde devido a doençasrelacionadas com a água Fonte: http://www.biblioteca.sebrae.com.br XXII Encontro Nacional de Engenharia de Produção Curitiba – PR, 23 a 25 de outubro de 2002 2
  3. 3. Resíduos sólidos urbanos O Brasil produz cerca de 240 mil t de lixo por dia – número inferior ao dos EUA (607 t/dia), masbem superior ao de países como a Alemanha (85 t/dia) e a Suécia (10,4 t/dia). Desse total, a maiorparte vai parar nos lixões a céu aberto; apenas uma pequena porcentagem é levada para locais apropriados. Uma cidade como São Paulo gasta, por dia, um milhão de reais com a Resíduos sólidos urbanos – IBGE questão do lixo. São poucas as prefeituras 2008 (IDS IBGE 2010) do país que possuem equipes e políticas públicas específicas para o lixo. Quando • 97,8% das pessoas na zona urbana tem coleta ele não é tratado, constitui-se num sério de lixo enquanto que 28,8% na zona rural e problema sanitário, pois expõe as pessoas ainda 59,6% queimam o lixo na propriedade. a várias doenças (diarréia, amebíase, • Dados do último PNSB 2008/IBGE revelou que parasitose) e contamina o solo, as águas e de todo lixo produzido diariamente nos os lençóis freáticos através da eliminação municípios 27,7% em aterros, 22,5 aterros do xorume (líquido resultante da controlados e 50,8% em lixões. decomposição de resíduos urbanos). Entre • Ainda revela que 45% dos municípios que as soluções para a questão está à criação sofreram com enchentes e alagamentos foi por de aterros sanitários em locais adequados, obstrução de bueiros e boca de lobo. a adoção de programas de coleta seletiva e reciclagem, a realização de campanhas deconscientização da sociedade e uma maior atuação dos poderes públicos. O lixo pode ser classificado de acordo com sua natureza física, composição química, origem,riscos potenciais ao meio ambiente, entre outros fatores. A maior parte do lixo domiciliar no Brasil écomposta de matéria orgânica; em seguida vem o papel. O tratamento adequado do lixo envolve tantovantagens ambientais (preservação, saúde e qualidade de vida) como econômicas. O consumo deenergia e de água no processo de reciclagem do papel, por exemplo, é 50% menor que o verificado naprodução do material novo. Gases de efeito estufa Dentre outros agentes os que mais agridem a nossa atmosfera e consequentemente contribuemsignificativamente para mudanças climáticas são os gases de efeito estufa, grande parte deles vem deatividades ligadas a energia e industria muito embora no Brasil as queimadas vem em primeiro lugar. Os gases de efeito estufa são liberados naturalmente pela fotossíntese, vulcões e decomposiçãode matéria orgânica, isto por que, esses gases formam a camada de efeito estufa naturalmente formadopara reter o calor do sol e assim manter a Terra aquecida, se assim não fosse, ficaríamos em -30 oC (30graus negativos). Nestas condições não haveria a diversidade de vida que conhecemos a umatemperatura média de 25 graus. Portanto, a camada de efeito estufa é um fenômeno natural e defundamental importância para a manutenção da vida na Terra. Contudo o avanço de tecnologias e desenvolvimento econômico aliado a falta de fiscalização epolíticas efetivas de preservação o efeito estufa se tornou aquilo que já foi batizado de AquecimentoGlobal. A emissão volumosa e permanente desses gases, em geral o gás carbônico CO2, temsobrecarregado a atmosfera e retido muito mais calor fazendo com que a temperatura do planetaaumente e desencadei uma série de problemas ambientais e climáticos que repercute diretamente áspessoas, seus bens materiais e saúde. 3
  4. 4. Pesquisas de impacto na saúde humana em São Paulo pela poluição veicular revelam que opulmão de um paulistano sofre as mesmas conseqüências de um pulmão fumante, é o chamado“fumante ambiental”.No Brasil as queimadas ocupam o primeiro lugar nas emissões de gás carbônico, seguido de energia eresíduos. Estimativa das emissões de A poluição veicular origem antrópica de gases de juntamente com efeito estufa clima mais frio aumenta significativamente as internações hospitalares por infecções respiratórias. Além do CO2 a fumaça contém outros gases tóxicos e metais pesados. 4

×