SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Baixar para ler offline
A D M I N I S T R A Ç Ã OA D M I N I S T R A Ç Ã O
ADMINISTRAÇÃOADMINISTRAÇÃO
CIENTÍFICACIENTÍFICA
Frederick W. Taylor
Estudou os Movimentos dosEstudou os Movimentos dos
Trabalhadores,Trabalhadores,
Economizando Tempo eEconomizando Tempo e
Aumentando a Produção.Aumentando a Produção.
Cronometrou oCronometrou o
Tempo ParaTempo Para
RealizarRealizar
Tarefas.Tarefas.Selecionou oSelecionou o
Trabalhador Certo ParaTrabalhador Certo Para
a Tarefa Certa.a Tarefa Certa.
PadronizouPadronizou
Ferramentas eFerramentas e
Equipamentos.Equipamentos.
TEORIA “CLÁSSICA”TEORIA “CLÁSSICA”
DE ADMINISTRAÇÃODE ADMINISTRAÇÃO
Henri Fayol
Principais Funções doPrincipais Funções do
Administrador:Administrador:
PLANEJAR
ORGANIZARORGANIZAR
COMANDARCOMANDAR
COORDENARCOORDENAR
CONTROLARCONTROLAR
CONTRIBUIÇÕES DE ELTON MAYO
AO ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO:
Fundou a “Escola das RelaçõesFundou a “Escola das Relações
Humanas”.Humanas”.
Acreditava Que o TrabalhadorAcreditava Que o Trabalhador
Motivado Alcançava Suas Metas.Motivado Alcançava Suas Metas.
Conforme a MotivaçãoConforme a Motivação
Empregada a RecompensaEmpregada a Recompensa
Monetária Era Supérflua.Monetária Era Supérflua.
Acreditava Que os AspectosAcreditava Que os Aspectos
Sociais, Psicológicos eSociais, Psicológicos e
Emocionais do TrabalhadorEmocionais do Trabalhador
Eram Mais Importantes QueEram Mais Importantes Que
os Aspectos Técnicos.os Aspectos Técnicos.
CONTRIBUIÇÕES DE HENRY FORD ÀCONTRIBUIÇÕES DE HENRY FORD À
ADMINISTRAÇÃO:ADMINISTRAÇÃO:
Primeiro Fabricante Mundial dePrimeiro Fabricante Mundial de
Automóveis.Automóveis.
Implantou oImplantou o
Horário de 8Horário de 8
Horas / Dia,Horas / Dia,
Impondo oImpondo o
Modelo doModelo do
“Funcionário“Funcionário
Padrão Ford”Padrão Ford”
Adotou o Sistema Logístico do “Just in Time”.Adotou o Sistema Logístico do “Just in Time”.
Linha deLinha de
Montagem MóvelMontagem Móvel
Os Operários PararamOs Operários Pararam
de se Locomover Pelade se Locomover Pela
Fábrica e, em FunçãoFábrica e, em Função
Disso, o Produto aDisso, o Produto a
Ser Montado Passou aSer Montado Passou a
se Deslocar Até ose Deslocar Até o
Operário, o QualOperário, o Qual
Fazendo “MovimentosFazendo “Movimentos
Rápidos eRápidos e
Repetitivos” PassouRepetitivos” Passou
a Produzir Maisa Produzir Mais
Produção em MassaProdução em Massa
A Linha de MontagemA Linha de Montagem
Móvel Elevou BastanteMóvel Elevou Bastante
a Produção da FORD, aa Produção da FORD, a
Qual Passou a ProduzirQual Passou a Produzir
em Série o Modelo T-29em Série o Modelo T-29
Essa EspecializaçãoEssa Especialização
Demonstrou Que QuantoDemonstrou Que Quanto
Mais uma IndústriaMais uma Indústria
Produz, Mais ElaProduz, Mais Ela
Aprende a Fabricar comAprende a Fabricar com
Qualidade, Cada VezQualidade, Cada Vez
Mais Rápido e MaisMais Rápido e Mais
BaratoBarato
CONTRIBUIÇÕES DE ALFRED SLOAN ÀCONTRIBUIÇÕES DE ALFRED SLOAN À
ADMINISTRAÇÃO:ADMINISTRAÇÃO:
SegundoSegundo
Fabricante MundialFabricante Mundial
de Automóveis.de Automóveis.
Lançou Outros Tipos deLançou Outros Tipos de
Veículos e Cores.Veículos e Cores.
Descentralizou as DecisõesDescentralizou as Decisões
Administrativas,Administrativas,
Delegando Autoridade aosDelegando Autoridade aos
Diretores das Filiais.Diretores das Filiais.
Introduziu as Figuras do DiretorIntroduziu as Figuras do Diretor
Financeiro e de Marketing.Financeiro e de Marketing.
TEORIA COMPORTAMENTAL (Behaviorismo)TEORIA COMPORTAMENTAL (Behaviorismo)
Revelou-se na Década de 50 e Suas PropostasRevelou-se na Década de 50 e Suas Propostas
Serviramde Base Para Novas AbordagensServiramde Base Para Novas Abordagens
Comportamentais.Comportamentais.
Foi Influenciada Por EstudosFoi Influenciada Por Estudos
Comportamentais de OutrosComportamentais de Outros
Campos da Ciência, Como aCampos da Ciência, Como a
Sociologia, a Antropologia, etc.Sociologia, a Antropologia, etc.
Pregava Que o Bom LíderPregava Que o Bom Líder
Precisava Entender aPrecisava Entender a
Organização, osOrganização, os
Funcionários e Suas Inter-Funcionários e Suas Inter-
relações.relações.
A CONTRIBUIÇÃO DE DOUGLASA CONTRIBUIÇÃO DE DOUGLAS
MCGREGOR:MCGREGOR:
Teoria “X”:Teoria “X”: Teoria “Y”:Teoria “Y”:
O Funcionário TemO Funcionário Tem
Aversão ao TrabalhoAversão ao Trabalho
O Funcionário NãoO Funcionário Não
Consegue AssumirConsegue Assumir
ResponsabilidadesResponsabilidades
..
O Funcionário PrecisaO Funcionário Precisa
Ser Controlado e AtéSer Controlado e Até
Punido Para ProduzirPunido Para Produzir
O Funcionário Vê o Esforço noO Funcionário Vê o Esforço no
Trabalho Tão NaturalmenteTrabalho Tão Naturalmente
Quanto Descansar.Quanto Descansar.
O FuncionárioO Funcionário
Aprende a Aceitar eAprende a Aceitar e
Até Procura asAté Procura as
Responsabilidades.Responsabilidades.
O FuncionárioO Funcionário
Procura se CorrigirProcura se Corrigir
Para Alcançar SeusPara Alcançar Seus
ObjetivosObjetivos
Outros Estudiosos Que Contribuíram ParaOutros Estudiosos Que Contribuíram Para
o Estudo da Administração:o Estudo da Administração:
Chris ArgyrisChris Argyris : Concluiu Que as Necessidades: Concluiu Que as Necessidades
dos Indivíduos Eram Incompatíveis Com asdos Indivíduos Eram Incompatíveis Com as
Exigências da Organização.Exigências da Organização.
Frederick HerzbergFrederick Herzberg: Detectou Que os: Detectou Que os
Empregados Associavam Insatisfação Com oEmpregados Associavam Insatisfação Com o
Trabalho ao Ambiente de Trabalho: e aTrabalho ao Ambiente de Trabalho: e a
Satisfação Com o Trabalho, ao Conteúdo doSatisfação Com o Trabalho, ao Conteúdo do
Mesmo.Mesmo.
McClellandMcClelland:: Dividiu os Fatores Motivacionais Que LevamDividiu os Fatores Motivacionais Que Levam
o Indivíduo a Se Comportar de Maneira Diferente emo Indivíduo a Se Comportar de Maneira Diferente em
“Necessidade de Realização”, “Necessidade de Afiliação”“Necessidade de Realização”, “Necessidade de Afiliação”
e “Necessidade de Poder”.e “Necessidade de Poder”.
A Contribuição de William Ouchi: Teoria “Z”A Contribuição de William Ouchi: Teoria “Z”
Utilizando Essa Teoria os Japoneses UniramUtilizando Essa Teoria os Japoneses Uniram
Gerentes e Trabalhadores em Grupos de TrabalhoGerentes e Trabalhadores em Grupos de Trabalho
Coesos, Tomando Decisões em Conjunto eCoesos, Tomando Decisões em Conjunto e
Utilizando-se de “Utilizando-se de “ Círculos de QualidadeCírculos de Qualidade ”.”.
Os Empregados EramOs Empregados Eram
Envolvidos no KAIZENEnvolvidos no KAIZEN
((Aprimoramento ContínuoAprimoramento Contínuo).).
Quando os TrabalhadoresQuando os Trabalhadores
se Sentiam “Sócios” dase Sentiam “Sócios” da
Organização, seOrganização, se
Tornavam Cada Vez MaisTornavam Cada Vez Mais
Produtivos e DedicadosProdutivos e Dedicados
ao Trabalho.ao Trabalho.
Pessoas FísicasPessoas Físicas
São Cidadãos BrasileirosSão Cidadãos Brasileiros
Acima de 18 Anos, os QuaisAcima de 18 Anos, os Quais
Possuam Cadastro dePossuam Cadastro de
Pessoas Físicas (CPF)Pessoas Físicas (CPF)
Pessoas JurídicasPessoas Jurídicas
São Todas as Empresas, asSão Todas as Empresas, as
Quais Possuam o CadastroQuais Possuam o Cadastro
Nacional de PessoasNacional de Pessoas
Jurídicas (CNPJ)Jurídicas (CNPJ)
EMPRESA:EMPRESA:
Conjunto de PessoasConjunto de Pessoas
Que Combinam osQue Combinam os
Fatores da ProduçãoFatores da Produção
Através doAtravés do
Desenvolvimento deDesenvolvimento de
Um Ramo deUm Ramo de
Atividade ParaAtividade Para
Produzir e VenderProduzir e Vender
Produtos ouProdutos ou
Serviços.Serviços.
EXPLORAÇÃO DOSEXPLORAÇÃO DOS
RECURSOS NATURAIS.RECURSOS NATURAIS.
Empresas Extrativistas.Empresas Extrativistas.
SETOR PRIMÁRIOSETOR PRIMÁRIO
EMPRESAS AGROPECUÁRIASEMPRESAS AGROPECUÁRIAS
AGRICULTURAAGRICULTURA
SETORSETOR
SECUNDÁRIOSECUNDÁRIO
SÃO TODAS AS INDÚSTRIAS, ASSÃO TODAS AS INDÚSTRIAS, AS
QUAIS TRANSFORMAM AS MATÉRIAS-QUAIS TRANSFORMAM AS MATÉRIAS-
PRIMAS EM “PRODUTOS ACABADOS”PRIMAS EM “PRODUTOS ACABADOS”
E OS REVENDE ÀS EMPRESAS DOE OS REVENDE ÀS EMPRESAS DO
SETOR TERCIÁRIOSETOR TERCIÁRIO
SETORSETOR
TERCIÁRIOTERCIÁRIO
ServiçosServiços
ComércioComércio
FORMASFORMAS
JURÍDICASJURÍDICAS
DASDAS
EMPRESAS:EMPRESAS:
FIRMA INDIVIDUALFIRMA INDIVIDUAL.
FIRMAFIRMA
LIMITADA.LIMITADA. SOCIEDADE ANÔNIMA.SOCIEDADE ANÔNIMA.
SOCIEDADECIVIL.SOCIEDADECIVIL.
RAZÃO SOCIALRAZÃO SOCIAL
((De Uma EmpresaDe Uma Empresa))
É o Seu Nome Jurídico,É o Seu Nome Jurídico,
o Qual Deve Constar deo Qual Deve Constar de
Todos os DocumentosTodos os Documentos
Oficiais da EmpresaOficiais da Empresa
NOMENOME
FANTASIAFANTASIA
É o Nome Pelo Qual aÉ o Nome Pelo Qual a
Empresa é Conhecida PelosEmpresa é Conhecida Pelos
Consumidores, o Qual PodeConsumidores, o Qual Pode
SerIgual à Razão Social ouSerIgual à Razão Social ou
Completamente DiferenteCompletamente Diferente
LEGALIZAÇÃO DE UMA
EMPRESA:
CONTRATO SOCIALCONTRATO SOCIAL
CADASTRO NACIONAL de PESSOASCADASTRO NACIONAL de PESSOAS
JURÍDICAS.JURÍDICAS.
Certificado do Corpo deCertificado do Corpo de
BombeirosBombeiros..
Inscrição Estadual.Inscrição Estadual.
Alvará deAlvará de
Licença p/Licença p/
Localização.Localização.
SETORES DE UMASETORES DE UMA
EMPRESA:EMPRESA:
COMPRASCOMPRAS
FINANCEIROFINANCEIRO
VENDASVENDAS
ESTOQUEESTOQUE
PESSOAL
HABILIDADES DOHABILIDADES DO
ADMINISTRADORADMINISTRADOR
O Administrador DeveráO Administrador Deverá
Possuir DeterminadasPossuir Determinadas
Habilidades, as QuaisHabilidades, as Quais
Possibilitarão Liderar SeusPossibilitarão Liderar Seus
Colaboradores na Busca PorColaboradores na Busca Por
ResultadosResultadosAlém Disso oAlém Disso o
Administrador DeveráAdministrador Deverá
Conhecer a Si Mesmo,Conhecer a Si Mesmo,
Pois ao Exercer SuasPois ao Exercer Suas
Atividades Ele EstaráAtividades Ele Estará
Lidando Com PessoasLidando Com Pessoas
e Não Apenas Come Não Apenas Com
MáquinasMáquinas
Dessa Forma, oDessa Forma, o
Administrador DeveráAdministrador Deverá
Fazer Não só o QueFazer Não só o Que
Gosta, Mas o Que éGosta, Mas o Que é
Preciso Ser Feito Para oPreciso Ser Feito Para o
Sucesso dos Negócios eSucesso dos Negócios e
da Sua Própria Equipeda Sua Própria Equipe
HABILIDADESHABILIDADES
TÉCNICASTÉCNICAS
O Administrador Deverá UtilizarO Administrador Deverá Utilizar
Conhecimentos, Métodos,Conhecimentos, Métodos,
Técnicas e Equipamentos QueTécnicas e Equipamentos Que
Sejam Necessários Para aSejam Necessários Para a
Realização de Suas TarefasRealização de Suas Tarefas
Esses Conhecimentos Poderão SerEsses Conhecimentos Poderão Ser
Facilmente Conseguidos Através do Seu GrauFacilmente Conseguidos Através do Seu Grau
de Instrução e / ou da Sua Experiênciade Instrução e / ou da Sua Experiência
ProfissionalProfissional
As Habilidades TécnicasAs Habilidades Técnicas
se Constituem Numse Constituem Num
Atributo ImportanteAtributo Importante
Para o AdministradorPara o Administrador
Poder Alcançar osPoder Alcançar os
Objetivos Impostos PelaObjetivos Impostos Pela
HABILIDADESHABILIDADES
HUMANASHUMANAS
O AdministradorO Administrador
Deverá PossuirDeverá Possuir
Capacidade deCapacidade de
DiscernimentoDiscernimento
Suficiente ParaSuficiente Para
Trabalhar comTrabalhar com
Pessoas,Pessoas,
Compreendendo BemCompreendendo Bem
Suas Atitudes, SuasSuas Atitudes, Suas
Motivações eMotivações e
Exercendo UmaExercendo Uma
Liderança DemocráticaLiderança Democrática
Administradores QueAdministradores Que
Investem Seu TempoInvestem Seu Tempo
Com a Equipe, QueCom a Equipe, Que
Ouvem e CompreendemOuvem e Compreendem
a Complexidade da Vidaa Complexidade da Vida
de Seus Funcionáriosde Seus Funcionários
Conseguirão AlcançarConseguirão Alcançar
os Resultadosos Resultados
Propostos Pela EmpresaPropostos Pela Empresa
HABILIDADESHABILIDADES
CONCEITUAISCONCEITUAIS
Sendo Assim, oSendo Assim, o
Administrador DeveráAdministrador Deverá
Compreender aCompreender a
Complexidade da Empresa eComplexidade da Empresa e
o Comportamento doso Comportamento dos
Funcionários Dentro DelasFuncionários Dentro Delas
Já se Sabe Que asJá se Sabe Que as
Necessidades dosNecessidades dos
Funcionários SãoFuncionários São
Incompatíveis Com asIncompatíveis Com as
Exigências das OrganizaçõesExigências das Organizações
Isso Fará Com Que Ele Atue Como umIsso Fará Com Que Ele Atue Como um
“Mediador” Entre as Partes, Compreendendo“Mediador” Entre as Partes, Compreendendo
o Funcionamento da Empresa e Atendendoo Funcionamento da Empresa e Atendendo
às Expectativas dos Funcionáriosàs Expectativas dos Funcionários

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a (1) livro i administração

Motiva Dh ApresentaçãO Portfolio
Motiva Dh ApresentaçãO PortfolioMotiva Dh ApresentaçãO Portfolio
Motiva Dh ApresentaçãO Portfoliormuraro
 
O Administrador como Empreendedor - Modelos de Gestão para Novos Negócios
O Administrador como Empreendedor - Modelos de Gestão para Novos NegóciosO Administrador como Empreendedor - Modelos de Gestão para Novos Negócios
O Administrador como Empreendedor - Modelos de Gestão para Novos NegóciosVitor Torres
 
Empreededorismo gestão de carreira e empreendedorismo para biólogos - 16 a ...
Empreededorismo   gestão de carreira e empreendedorismo para biólogos - 16 a ...Empreededorismo   gestão de carreira e empreendedorismo para biólogos - 16 a ...
Empreededorismo gestão de carreira e empreendedorismo para biólogos - 16 a ...filipebrito
 
Principios de administração
Principios de administraçãoPrincipios de administração
Principios de administraçãoTaize Lima
 
Gestão da pequena e micro empresa
Gestão da pequena e micro empresaGestão da pequena e micro empresa
Gestão da pequena e micro empresaAnselmo Lino Bispo
 
INT A ADM E MKT - ADM03-N 01.09.2022.pptx
INT A ADM E MKT - ADM03-N 01.09.2022.pptxINT A ADM E MKT - ADM03-N 01.09.2022.pptx
INT A ADM E MKT - ADM03-N 01.09.2022.pptxNatanael Ferreira
 
JSA_Gestão Produção
JSA_Gestão ProduçãoJSA_Gestão Produção
JSA_Gestão ProduçãoSalvador Abreu
 
Palestra - RH: Tradição, Transformação e Tendência
Palestra - RH: Tradição, Transformação e TendênciaPalestra - RH: Tradição, Transformação e Tendência
Palestra - RH: Tradição, Transformação e TendênciaIsabella Menezes
 
Palestra - RH: Tradição, Transformação e Tendência
Palestra - RH: Tradição, Transformação e TendênciaPalestra - RH: Tradição, Transformação e Tendência
Palestra - RH: Tradição, Transformação e TendênciaIsabella Menezes
 
Gestão de recursos humanos.
Gestão de recursos humanos.Gestão de recursos humanos.
Gestão de recursos humanos.Edjeane
 
Empresas, Meio, Políticas, Recursos
Empresas, Meio, Políticas, RecursosEmpresas, Meio, Políticas, Recursos
Empresas, Meio, Políticas, RecursosBruno Pinto
 

Semelhante a (1) livro i administração (20)

Motiva Dh ApresentaçãO Portfolio
Motiva Dh ApresentaçãO PortfolioMotiva Dh ApresentaçãO Portfolio
Motiva Dh ApresentaçãO Portfolio
 
O Administrador como Empreendedor - Modelos de Gestão para Novos Negócios
O Administrador como Empreendedor - Modelos de Gestão para Novos NegóciosO Administrador como Empreendedor - Modelos de Gestão para Novos Negócios
O Administrador como Empreendedor - Modelos de Gestão para Novos Negócios
 
Empreededorismo gestão de carreira e empreendedorismo para biólogos - 16 a ...
Empreededorismo   gestão de carreira e empreendedorismo para biólogos - 16 a ...Empreededorismo   gestão de carreira e empreendedorismo para biólogos - 16 a ...
Empreededorismo gestão de carreira e empreendedorismo para biólogos - 16 a ...
 
M I
M IM I
M I
 
Gestão da produção
Gestão da produçãoGestão da produção
Gestão da produção
 
Slide 5 s
Slide 5 s Slide 5 s
Slide 5 s
 
Principios de administração
Principios de administraçãoPrincipios de administração
Principios de administração
 
Gestão da pequena e micro empresa
Gestão da pequena e micro empresaGestão da pequena e micro empresa
Gestão da pequena e micro empresa
 
Administração, Gestão e a Tomada de Decisões
Administração, Gestão e a Tomada de DecisõesAdministração, Gestão e a Tomada de Decisões
Administração, Gestão e a Tomada de Decisões
 
Escolas De Administracao Aula 2
Escolas De Administracao   Aula 2Escolas De Administracao   Aula 2
Escolas De Administracao Aula 2
 
INT A ADM E MKT - ADM03-N 01.09.2022.pptx
INT A ADM E MKT - ADM03-N 01.09.2022.pptxINT A ADM E MKT - ADM03-N 01.09.2022.pptx
INT A ADM E MKT - ADM03-N 01.09.2022.pptx
 
Aula 00 nivelamento
Aula 00 nivelamentoAula 00 nivelamento
Aula 00 nivelamento
 
CCPD - 1 EMPRESA.pptx
CCPD - 1 EMPRESA.pptxCCPD - 1 EMPRESA.pptx
CCPD - 1 EMPRESA.pptx
 
O Brasil em 2020 (De Volta à Escola)
O Brasil em 2020 (De Volta à Escola)O Brasil em 2020 (De Volta à Escola)
O Brasil em 2020 (De Volta à Escola)
 
JSA_Gestão Produção
JSA_Gestão ProduçãoJSA_Gestão Produção
JSA_Gestão Produção
 
(1) livro vi recursos humanos
(1) livro vi recursos humanos(1) livro vi recursos humanos
(1) livro vi recursos humanos
 
Palestra - RH: Tradição, Transformação e Tendência
Palestra - RH: Tradição, Transformação e TendênciaPalestra - RH: Tradição, Transformação e Tendência
Palestra - RH: Tradição, Transformação e Tendência
 
Palestra - RH: Tradição, Transformação e Tendência
Palestra - RH: Tradição, Transformação e TendênciaPalestra - RH: Tradição, Transformação e Tendência
Palestra - RH: Tradição, Transformação e Tendência
 
Gestão de recursos humanos.
Gestão de recursos humanos.Gestão de recursos humanos.
Gestão de recursos humanos.
 
Empresas, Meio, Políticas, Recursos
Empresas, Meio, Políticas, RecursosEmpresas, Meio, Políticas, Recursos
Empresas, Meio, Políticas, Recursos
 

Mais de PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas

Mais de PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas (20)

Comportamento em Ambientes de Trabalho
Comportamento em Ambientes de TrabalhoComportamento em Ambientes de Trabalho
Comportamento em Ambientes de Trabalho
 
Como Utilizar o Marketing nas Redes Sociais
Como Utilizar o Marketing nas Redes SociaisComo Utilizar o Marketing nas Redes Sociais
Como Utilizar o Marketing nas Redes Sociais
 
Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...
Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...
Ambiente Empreendedor nas Corporações e a Proposta de Um Modelo de Inovação P...
 
Postura e Imagem Profissional em Ambientes Corporativos
Postura e Imagem Profissional em Ambientes CorporativosPostura e Imagem Profissional em Ambientes Corporativos
Postura e Imagem Profissional em Ambientes Corporativos
 
Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...
Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...
Psicologia do Trabalho (Uma Introdução ao Estudo do Comportamento e da Person...
 
O Processo de Transporte de Cargas.pptx
O Processo de Transporte de Cargas.pptxO Processo de Transporte de Cargas.pptx
O Processo de Transporte de Cargas.pptx
 
Conceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptx
Conceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptxConceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptx
Conceitos, Evolução e Processos Logísticos.pptx
 
A Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas Organizacões
A Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas OrganizacõesA Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas Organizacões
A Criatividade Como Estratégia Competitiva Nas Organizacões
 
A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...
A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...
A Ciência Política e as Implicações Filosóficas, Sociológicas e Jurídicas no ...
 
Técnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptx
Técnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptxTécnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptx
Técnicas de Relacionamentos Interpessoais.pptx
 
A Identidade Visual na Criação de Uma Marca.pptx
A Identidade Visual na Criação de Uma Marca.pptxA Identidade Visual na Criação de Uma Marca.pptx
A Identidade Visual na Criação de Uma Marca.pptx
 
Gestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptx
Gestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptxGestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptx
Gestão Financeira Para Pequenas Empresas.pptx
 
A Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptx
A Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptxA Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptx
A Contabilidade Como Instrumento Gerencial.pptx
 
Programação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptx
Programação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptxProgramação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptx
Programação Neurolinguística – História, Competências e Pressupostos.pptx
 
DINÂMICA de GRUPO.pptx
DINÂMICA de GRUPO.pptxDINÂMICA de GRUPO.pptx
DINÂMICA de GRUPO.pptx
 
AUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptx
AUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptxAUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptx
AUXILIAR DE ESCRITÓRIO.pptx
 
DESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptx
DESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptxDESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptx
DESENVOLVIMENTO PESSOAL no TRABALHO.pptx
 
INTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptx
INTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptxINTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptx
INTELIGÊNCIA de NEGÓCIOS.pptx
 
A Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptx
A Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptxA Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptx
A Controladoria Voltada a Avaliação de Desempenho nas Empresas.pptx
 
Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)
Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)
Psicologia Organizacional (Histórico, Conceitos e Clima)
 

(1) livro i administração

  • 1. A D M I N I S T R A Ç Ã OA D M I N I S T R A Ç Ã O
  • 2. ADMINISTRAÇÃOADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICACIENTÍFICA Frederick W. Taylor Estudou os Movimentos dosEstudou os Movimentos dos Trabalhadores,Trabalhadores, Economizando Tempo eEconomizando Tempo e Aumentando a Produção.Aumentando a Produção. Cronometrou oCronometrou o Tempo ParaTempo Para RealizarRealizar Tarefas.Tarefas.Selecionou oSelecionou o Trabalhador Certo ParaTrabalhador Certo Para a Tarefa Certa.a Tarefa Certa. PadronizouPadronizou Ferramentas eFerramentas e Equipamentos.Equipamentos.
  • 3. TEORIA “CLÁSSICA”TEORIA “CLÁSSICA” DE ADMINISTRAÇÃODE ADMINISTRAÇÃO Henri Fayol Principais Funções doPrincipais Funções do Administrador:Administrador: PLANEJAR ORGANIZARORGANIZAR COMANDARCOMANDAR COORDENARCOORDENAR CONTROLARCONTROLAR
  • 4. CONTRIBUIÇÕES DE ELTON MAYO AO ESTUDO DA ADMINISTRAÇÃO: Fundou a “Escola das RelaçõesFundou a “Escola das Relações Humanas”.Humanas”. Acreditava Que o TrabalhadorAcreditava Que o Trabalhador Motivado Alcançava Suas Metas.Motivado Alcançava Suas Metas. Conforme a MotivaçãoConforme a Motivação Empregada a RecompensaEmpregada a Recompensa Monetária Era Supérflua.Monetária Era Supérflua. Acreditava Que os AspectosAcreditava Que os Aspectos Sociais, Psicológicos eSociais, Psicológicos e Emocionais do TrabalhadorEmocionais do Trabalhador Eram Mais Importantes QueEram Mais Importantes Que os Aspectos Técnicos.os Aspectos Técnicos.
  • 5. CONTRIBUIÇÕES DE HENRY FORD ÀCONTRIBUIÇÕES DE HENRY FORD À ADMINISTRAÇÃO:ADMINISTRAÇÃO: Primeiro Fabricante Mundial dePrimeiro Fabricante Mundial de Automóveis.Automóveis. Implantou oImplantou o Horário de 8Horário de 8 Horas / Dia,Horas / Dia, Impondo oImpondo o Modelo doModelo do “Funcionário“Funcionário Padrão Ford”Padrão Ford” Adotou o Sistema Logístico do “Just in Time”.Adotou o Sistema Logístico do “Just in Time”.
  • 6. Linha deLinha de Montagem MóvelMontagem Móvel Os Operários PararamOs Operários Pararam de se Locomover Pelade se Locomover Pela Fábrica e, em FunçãoFábrica e, em Função Disso, o Produto aDisso, o Produto a Ser Montado Passou aSer Montado Passou a se Deslocar Até ose Deslocar Até o Operário, o QualOperário, o Qual Fazendo “MovimentosFazendo “Movimentos Rápidos eRápidos e Repetitivos” PassouRepetitivos” Passou a Produzir Maisa Produzir Mais
  • 7. Produção em MassaProdução em Massa A Linha de MontagemA Linha de Montagem Móvel Elevou BastanteMóvel Elevou Bastante a Produção da FORD, aa Produção da FORD, a Qual Passou a ProduzirQual Passou a Produzir em Série o Modelo T-29em Série o Modelo T-29 Essa EspecializaçãoEssa Especialização Demonstrou Que QuantoDemonstrou Que Quanto Mais uma IndústriaMais uma Indústria Produz, Mais ElaProduz, Mais Ela Aprende a Fabricar comAprende a Fabricar com Qualidade, Cada VezQualidade, Cada Vez Mais Rápido e MaisMais Rápido e Mais BaratoBarato
  • 8. CONTRIBUIÇÕES DE ALFRED SLOAN ÀCONTRIBUIÇÕES DE ALFRED SLOAN À ADMINISTRAÇÃO:ADMINISTRAÇÃO: SegundoSegundo Fabricante MundialFabricante Mundial de Automóveis.de Automóveis. Lançou Outros Tipos deLançou Outros Tipos de Veículos e Cores.Veículos e Cores. Descentralizou as DecisõesDescentralizou as Decisões Administrativas,Administrativas, Delegando Autoridade aosDelegando Autoridade aos Diretores das Filiais.Diretores das Filiais. Introduziu as Figuras do DiretorIntroduziu as Figuras do Diretor Financeiro e de Marketing.Financeiro e de Marketing.
  • 9. TEORIA COMPORTAMENTAL (Behaviorismo)TEORIA COMPORTAMENTAL (Behaviorismo) Revelou-se na Década de 50 e Suas PropostasRevelou-se na Década de 50 e Suas Propostas Serviramde Base Para Novas AbordagensServiramde Base Para Novas Abordagens Comportamentais.Comportamentais. Foi Influenciada Por EstudosFoi Influenciada Por Estudos Comportamentais de OutrosComportamentais de Outros Campos da Ciência, Como aCampos da Ciência, Como a Sociologia, a Antropologia, etc.Sociologia, a Antropologia, etc. Pregava Que o Bom LíderPregava Que o Bom Líder Precisava Entender aPrecisava Entender a Organização, osOrganização, os Funcionários e Suas Inter-Funcionários e Suas Inter- relações.relações.
  • 10. A CONTRIBUIÇÃO DE DOUGLASA CONTRIBUIÇÃO DE DOUGLAS MCGREGOR:MCGREGOR: Teoria “X”:Teoria “X”: Teoria “Y”:Teoria “Y”: O Funcionário TemO Funcionário Tem Aversão ao TrabalhoAversão ao Trabalho O Funcionário NãoO Funcionário Não Consegue AssumirConsegue Assumir ResponsabilidadesResponsabilidades .. O Funcionário PrecisaO Funcionário Precisa Ser Controlado e AtéSer Controlado e Até Punido Para ProduzirPunido Para Produzir O Funcionário Vê o Esforço noO Funcionário Vê o Esforço no Trabalho Tão NaturalmenteTrabalho Tão Naturalmente Quanto Descansar.Quanto Descansar. O FuncionárioO Funcionário Aprende a Aceitar eAprende a Aceitar e Até Procura asAté Procura as Responsabilidades.Responsabilidades. O FuncionárioO Funcionário Procura se CorrigirProcura se Corrigir Para Alcançar SeusPara Alcançar Seus ObjetivosObjetivos
  • 11. Outros Estudiosos Que Contribuíram ParaOutros Estudiosos Que Contribuíram Para o Estudo da Administração:o Estudo da Administração: Chris ArgyrisChris Argyris : Concluiu Que as Necessidades: Concluiu Que as Necessidades dos Indivíduos Eram Incompatíveis Com asdos Indivíduos Eram Incompatíveis Com as Exigências da Organização.Exigências da Organização. Frederick HerzbergFrederick Herzberg: Detectou Que os: Detectou Que os Empregados Associavam Insatisfação Com oEmpregados Associavam Insatisfação Com o Trabalho ao Ambiente de Trabalho: e aTrabalho ao Ambiente de Trabalho: e a Satisfação Com o Trabalho, ao Conteúdo doSatisfação Com o Trabalho, ao Conteúdo do Mesmo.Mesmo. McClellandMcClelland:: Dividiu os Fatores Motivacionais Que LevamDividiu os Fatores Motivacionais Que Levam o Indivíduo a Se Comportar de Maneira Diferente emo Indivíduo a Se Comportar de Maneira Diferente em “Necessidade de Realização”, “Necessidade de Afiliação”“Necessidade de Realização”, “Necessidade de Afiliação” e “Necessidade de Poder”.e “Necessidade de Poder”.
  • 12. A Contribuição de William Ouchi: Teoria “Z”A Contribuição de William Ouchi: Teoria “Z” Utilizando Essa Teoria os Japoneses UniramUtilizando Essa Teoria os Japoneses Uniram Gerentes e Trabalhadores em Grupos de TrabalhoGerentes e Trabalhadores em Grupos de Trabalho Coesos, Tomando Decisões em Conjunto eCoesos, Tomando Decisões em Conjunto e Utilizando-se de “Utilizando-se de “ Círculos de QualidadeCírculos de Qualidade ”.”. Os Empregados EramOs Empregados Eram Envolvidos no KAIZENEnvolvidos no KAIZEN ((Aprimoramento ContínuoAprimoramento Contínuo).). Quando os TrabalhadoresQuando os Trabalhadores se Sentiam “Sócios” dase Sentiam “Sócios” da Organização, seOrganização, se Tornavam Cada Vez MaisTornavam Cada Vez Mais Produtivos e DedicadosProdutivos e Dedicados ao Trabalho.ao Trabalho.
  • 13. Pessoas FísicasPessoas Físicas São Cidadãos BrasileirosSão Cidadãos Brasileiros Acima de 18 Anos, os QuaisAcima de 18 Anos, os Quais Possuam Cadastro dePossuam Cadastro de Pessoas Físicas (CPF)Pessoas Físicas (CPF) Pessoas JurídicasPessoas Jurídicas São Todas as Empresas, asSão Todas as Empresas, as Quais Possuam o CadastroQuais Possuam o Cadastro Nacional de PessoasNacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ)Jurídicas (CNPJ)
  • 14. EMPRESA:EMPRESA: Conjunto de PessoasConjunto de Pessoas Que Combinam osQue Combinam os Fatores da ProduçãoFatores da Produção Através doAtravés do Desenvolvimento deDesenvolvimento de Um Ramo deUm Ramo de Atividade ParaAtividade Para Produzir e VenderProduzir e Vender Produtos ouProdutos ou Serviços.Serviços.
  • 15. EXPLORAÇÃO DOSEXPLORAÇÃO DOS RECURSOS NATURAIS.RECURSOS NATURAIS. Empresas Extrativistas.Empresas Extrativistas. SETOR PRIMÁRIOSETOR PRIMÁRIO EMPRESAS AGROPECUÁRIASEMPRESAS AGROPECUÁRIAS AGRICULTURAAGRICULTURA
  • 16. SETORSETOR SECUNDÁRIOSECUNDÁRIO SÃO TODAS AS INDÚSTRIAS, ASSÃO TODAS AS INDÚSTRIAS, AS QUAIS TRANSFORMAM AS MATÉRIAS-QUAIS TRANSFORMAM AS MATÉRIAS- PRIMAS EM “PRODUTOS ACABADOS”PRIMAS EM “PRODUTOS ACABADOS” E OS REVENDE ÀS EMPRESAS DOE OS REVENDE ÀS EMPRESAS DO SETOR TERCIÁRIOSETOR TERCIÁRIO
  • 19. RAZÃO SOCIALRAZÃO SOCIAL ((De Uma EmpresaDe Uma Empresa)) É o Seu Nome Jurídico,É o Seu Nome Jurídico, o Qual Deve Constar deo Qual Deve Constar de Todos os DocumentosTodos os Documentos Oficiais da EmpresaOficiais da Empresa NOMENOME FANTASIAFANTASIA É o Nome Pelo Qual aÉ o Nome Pelo Qual a Empresa é Conhecida PelosEmpresa é Conhecida Pelos Consumidores, o Qual PodeConsumidores, o Qual Pode SerIgual à Razão Social ouSerIgual à Razão Social ou Completamente DiferenteCompletamente Diferente
  • 20. LEGALIZAÇÃO DE UMA EMPRESA: CONTRATO SOCIALCONTRATO SOCIAL CADASTRO NACIONAL de PESSOASCADASTRO NACIONAL de PESSOAS JURÍDICAS.JURÍDICAS. Certificado do Corpo deCertificado do Corpo de BombeirosBombeiros.. Inscrição Estadual.Inscrição Estadual. Alvará deAlvará de Licença p/Licença p/ Localização.Localização.
  • 21. SETORES DE UMASETORES DE UMA EMPRESA:EMPRESA: COMPRASCOMPRAS FINANCEIROFINANCEIRO VENDASVENDAS ESTOQUEESTOQUE PESSOAL
  • 22. HABILIDADES DOHABILIDADES DO ADMINISTRADORADMINISTRADOR O Administrador DeveráO Administrador Deverá Possuir DeterminadasPossuir Determinadas Habilidades, as QuaisHabilidades, as Quais Possibilitarão Liderar SeusPossibilitarão Liderar Seus Colaboradores na Busca PorColaboradores na Busca Por ResultadosResultadosAlém Disso oAlém Disso o Administrador DeveráAdministrador Deverá Conhecer a Si Mesmo,Conhecer a Si Mesmo, Pois ao Exercer SuasPois ao Exercer Suas Atividades Ele EstaráAtividades Ele Estará Lidando Com PessoasLidando Com Pessoas e Não Apenas Come Não Apenas Com MáquinasMáquinas Dessa Forma, oDessa Forma, o Administrador DeveráAdministrador Deverá Fazer Não só o QueFazer Não só o Que Gosta, Mas o Que éGosta, Mas o Que é Preciso Ser Feito Para oPreciso Ser Feito Para o Sucesso dos Negócios eSucesso dos Negócios e da Sua Própria Equipeda Sua Própria Equipe
  • 23. HABILIDADESHABILIDADES TÉCNICASTÉCNICAS O Administrador Deverá UtilizarO Administrador Deverá Utilizar Conhecimentos, Métodos,Conhecimentos, Métodos, Técnicas e Equipamentos QueTécnicas e Equipamentos Que Sejam Necessários Para aSejam Necessários Para a Realização de Suas TarefasRealização de Suas Tarefas Esses Conhecimentos Poderão SerEsses Conhecimentos Poderão Ser Facilmente Conseguidos Através do Seu GrauFacilmente Conseguidos Através do Seu Grau de Instrução e / ou da Sua Experiênciade Instrução e / ou da Sua Experiência ProfissionalProfissional As Habilidades TécnicasAs Habilidades Técnicas se Constituem Numse Constituem Num Atributo ImportanteAtributo Importante Para o AdministradorPara o Administrador Poder Alcançar osPoder Alcançar os Objetivos Impostos PelaObjetivos Impostos Pela
  • 24. HABILIDADESHABILIDADES HUMANASHUMANAS O AdministradorO Administrador Deverá PossuirDeverá Possuir Capacidade deCapacidade de DiscernimentoDiscernimento Suficiente ParaSuficiente Para Trabalhar comTrabalhar com Pessoas,Pessoas, Compreendendo BemCompreendendo Bem Suas Atitudes, SuasSuas Atitudes, Suas Motivações eMotivações e Exercendo UmaExercendo Uma Liderança DemocráticaLiderança Democrática Administradores QueAdministradores Que Investem Seu TempoInvestem Seu Tempo Com a Equipe, QueCom a Equipe, Que Ouvem e CompreendemOuvem e Compreendem a Complexidade da Vidaa Complexidade da Vida de Seus Funcionáriosde Seus Funcionários Conseguirão AlcançarConseguirão Alcançar os Resultadosos Resultados Propostos Pela EmpresaPropostos Pela Empresa
  • 25. HABILIDADESHABILIDADES CONCEITUAISCONCEITUAIS Sendo Assim, oSendo Assim, o Administrador DeveráAdministrador Deverá Compreender aCompreender a Complexidade da Empresa eComplexidade da Empresa e o Comportamento doso Comportamento dos Funcionários Dentro DelasFuncionários Dentro Delas Já se Sabe Que asJá se Sabe Que as Necessidades dosNecessidades dos Funcionários SãoFuncionários São Incompatíveis Com asIncompatíveis Com as Exigências das OrganizaçõesExigências das Organizações Isso Fará Com Que Ele Atue Como umIsso Fará Com Que Ele Atue Como um “Mediador” Entre as Partes, Compreendendo“Mediador” Entre as Partes, Compreendendo o Funcionamento da Empresa e Atendendoo Funcionamento da Empresa e Atendendo às Expectativas dos Funcionáriosàs Expectativas dos Funcionários