Antecedentes históricos e ambiente geográfico“Saulo, o futuro Apóstolo dos Gentios, nasceu nacidade de Tarso, na Cilícia, ...
“A Cilícia era um distrito da Ásia Menor, entre aPanfília e a Síria. (...) Importante estrada cortava opaís de este a oest...
“Nos tempos romanos, a Cilícia exportava grandequantidade de lã caprina, chamada cilicium, daqual se faziam tendas. Esse f...
“Tarso é cidade bem antiga. Segundo o ObeliscoNegro, na mais recuada referência conhecida,Tarso foi tomada pelos assírios ...
Segundo H. Miranda, “Ernani Cabral, no livroApreciando a Paulo, lembra que Tarso contava comuma das três universidades que...
“A população era, pois, heterogênia.Will Durant acrescenta que a Cilícia era altamentecivilizada ao longo da costa, mas ai...
“Os judeus da diáspora estabeleceram ali (Tarso)importante colônia, como também em Antioquia,Mileto, Éfeso, Esmirna. Grupa...
“(...) Sob o domínio dos romanos, (Tarso) a partirdo ano 104 a.C., tornou-se uma das mais ricas emaiores cidades do Orient...
“Paulo nasceu em pleno apogeu do imenso ImpérioRomano, e o que era bom para Roma era bom para oresto do mundo. (...)Estrut...
“César dizia que com dinheiro obtinha soldadose com soldados conseguia mais dinheiro”.Exércitoe com soldados conseguia mai...
“Caivs Jvlivs Caesar Octavianvs nasceu no ano 63 a.C emorreu no ano 14 da nossa era (...) em 27 a.C. deram-lhe os súditos,...
“Quando Jesus nasceu, na longínqua província daPalestina, Augusto estava no exercício de seudécimo terceiro mandato de côn...
“Qualquer que fosse o imperador romano, asprovíncias somente conheciam seus delegados,geralmente procuradores, que oprimia...
“O Oriente Médio foi particularmente infelizdurante o longo período de dominação romana. Asubida de Octaviano até que repr...
“O campo de batalha desses homens eram asprovíncias, e lá mesmo é que tinham de obterdinheiro e soldados. (...) como lembr...
“(...) os povos oprimidos suportavam o arbítrio dehomens de uma formação política, social e,especialmente, religiosa difer...
“Espalhados pelo imenso Império, que abrangiaquase todo o mundo conhecido de então, viviamcerca de quatro milhões de judeu...
“A palavra significa dispersão e teve sua origem naSeptuaginta, a primeira tradução da Bíblia para o grego,feita em Alexan...
A diáspora“A Diáspora é, pois, um fenômeno histórico damais alta importância, tanto pelo que preservouda remota tradição j...
O trabalho da espiritualidade“Reportando-nos ainda às conquistas romanas,antes da chegada do Senhor para as primeirasflora...
O trabalho da espiritualidade“A realidade, contudo, é que, se os mensageiros do Cristoconseguiram a realização de muitos p...
O trabalho da espiritualidade“A família romana, cujo esplendor espiritual conseguiuatravessar todas as eras, iluminando os...
O trabalho da espiritualidade“Nossa intenção é mostrar que o determinismo do mundoespiritual era o do amor, da solidarieda...
O trabalho da espiritualidade“É nesse reinado que a Judéia leva a efeitoa tragédia do Gólgota, realizando sinistramenteas ...
O trabalho da espiritualidade“Os seguidores humildes do Nazareno iniciam, nas regiõesda Palestina, as suas predições e ens...
O trabalho da espiritualidade“(...) quando Tito destruiu a cidade, arrasando-lhe oTemplo famoso e dispersando para sempre ...
Bibliografia:• As marcas do Cristo, Hermínio C. Miranda, vol. I – cap. 1• A Caminho da Luz, pelo E. Emmanuel, psicografia ...
A 01 O mundo em que nasceu Saulo
A 01 O mundo em que nasceu Saulo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A 01 O mundo em que nasceu Saulo

459 visualizações

Publicada em

Aula inicial: visão geral do mundo em que Saulo de Tarso nasceu.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
459
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A 01 O mundo em que nasceu Saulo

  1. 1. Antecedentes históricos e ambiente geográfico“Saulo, o futuro Apóstolo dos Gentios, nasceu nacidade de Tarso, na Cilícia, segundo a históriaoficial, por volta do ano 10 da nossa era. Emmanuelinforma, em Paulo e Estêvão, que, no ano 35, já eminforma, em Paulo e Estêvão, que, no ano 35, já emJerusalém, Paulo beirava os 30 anos.Nascera no ano 5 (H. Miranda) ou 7 (Daniel-Rops)
  2. 2. “A Cilícia era um distrito da Ásia Menor, entre aPanfília e a Síria. (...) Importante estrada cortava opaís de este a oeste, passando pela cidade deTarso. (...)Antecedentes históricos e ambiente geográficoTarso. (...)
  3. 3. “Nos tempos romanos, a Cilícia exportava grandequantidade de lã caprina, chamada cilicium, daqual se faziam tendas. Esse foi, aliás, o ofício deSaulo, de vez que era praxe entre os de sua raça,Antecedentes históricos e ambiente geográficoSaulo, de vez que era praxe entre os de sua raça,inclusive os mais riscos e ilustrados, aprendersempre um ofício manual.”
  4. 4. “Tarso é cidade bem antiga. Segundo o ObeliscoNegro, na mais recuada referência conhecida,Tarso foi tomada pelos assírios cerca de 850 anosantes de Cristo. (...) Sua importância na históriaantiga foi considerável , não apenas pela excelenteAntecedentes históricos e ambiente geográficoantiga foi considerável , não apenas pela excelentelocalização geográfica como pela suas realizações.Possuía um bom porto e território fértil. Seuspontos de sustentação econômica foram as suasduas importantes obras de engenharia: o porto ea passagem para o Norte, aberta no monte Tauro.”
  5. 5. Segundo H. Miranda, “Ernani Cabral, no livroApreciando a Paulo, lembra que Tarso contava comuma das três universidades que então existiam nomundo; as outras eram a de Atenas e a deAntecedentes históricos e ambiente geográficomundo; as outras eram a de Atenas e a deAlexandria. (...)”“A influência grega sobre Tarso foi considerável (...)
  6. 6. “A população era, pois, heterogênia.Will Durant acrescenta que a Cilícia era altamentecivilizada ao longo da costa, mas ainda bárbaraAntecedentes históricos e ambiente geográficocivilizada ao longo da costa, mas ainda bárbaranos altiplanos do monte Tauro.Tarso, a capital, era famosa por seus filósofos epor suas escolas.
  7. 7. “Os judeus da diáspora estabeleceram ali (Tarso)importante colônia, como também em Antioquia,Mileto, Éfeso, Esmirna. Grupamentos menores,Antecedentes históricos e ambiente geográficoMileto, Éfeso, Esmirna. Grupamentos menores,mas ainda numerosos, habitavam Delos, Corinto,Atenas, Filipos, Petra, Tessalônica. Muitas dessascomunidades entrariam mais tarde no roteiroluminoso de Paulo.”
  8. 8. “(...) Sob o domínio dos romanos, (Tarso) a partirdo ano 104 a.C., tornou-se uma das mais ricas emaiores cidades do Oriente.”Antecedentes históricos e ambiente geográficomaiores cidades do Oriente.”(As marcas do Cristo, Herminio C. Miranda, vol. I – cap. 1)
  9. 9. “Paulo nasceu em pleno apogeu do imenso ImpérioRomano, e o que era bom para Roma era bom para oresto do mundo. (...)Estrutura política“O assassinato de Júlio Cesar, em março de 44 a.C(...)uma das tragédias máximas da História, não apenasporque interrompeu suas tarefas de grande estadista(...) como pelas lutas que, por quinze anos, sacudiram omundo, na disputa de poder supremo.”
  10. 10. “César dizia que com dinheiro obtinha soldadose com soldados conseguia mais dinheiro”.Exércitoe com soldados conseguia mais dinheiro”.(H. M.)
  11. 11. “Caivs Jvlivs Caesar Octavianvs nasceu no ano 63 a.C emorreu no ano 14 da nossa era (...) em 27 a.C. deram-lhe os súditos, agradecidos, o cognome de Avgvstvs,(...)Estrutura política(...)Depois de tantos anos tumultuados, de lutassangrentas e confusão política, todo o ImpérioRomano ansiava por uma reorganização e por umbom disciplinador. Augusto era indubitavelmente ohomem indicado para a tarefa (...)”
  12. 12. “Quando Jesus nasceu, na longínqua província daPalestina, Augusto estava no exercício de seudécimo terceiro mandato de cônsul, e os poderesde imperium lhe vinham sendo sucessivamenteEstrutura políticade imperium lhe vinham sendo sucessivamenteprorrogados desde 27 a.C.”(As marcas do Cristo, Herminio C. Miranda, vol. I – cap. 1)
  13. 13. “Qualquer que fosse o imperador romano, asprovíncias somente conheciam seus delegados,geralmente procuradores, que oprimiam eAs Provínciasgeralmente procuradores, que oprimiam eextorquiam em nome do César divinizado,ou para a sua própria bolsa, sempre ávida einsatisfeita.”
  14. 14. “O Oriente Médio foi particularmente infelizdurante o longo período de dominação romana. Asubida de Octaviano até que representou algumaAs Provínciassubida de Octaviano até que representou algumatrégua na sucessão de aventureiros políticos emilitares de todos os matizes, que exploravam asprovíncias no interesse de suas terríveisambições.
  15. 15. “O campo de batalha desses homens eram asprovíncias, e lá mesmo é que tinham de obterdinheiro e soldados. (...) como lembra WillAs Provínciasdinheiro e soldados. (...) como lembra WillDurant: o Oriente Médio alimentou centenas deexércitos e subornou um milhar de generais”.
  16. 16. “(...) os povos oprimidos suportavam o arbítrio dehomens de uma formação política, social e,especialmente, religiosa diferente da sua. Osromanos não respeitavam os deuses locais nem ascrenças ou costumes.(...) Em comunidades predominantemente judias,As Províncias(...) Em comunidades predominantemente judias,o choque era gritante e contínuo entre um povoque sempre se considerou o predileto do Deusúnico e os conquistadores pagãos que lhetumultuavam a existência e o humilhavam detodas das maneiras.(As marcas do Cristo, Herminio C. Miranda, vol. I – cap. 1)
  17. 17. “Espalhados pelo imenso Império, que abrangiaquase todo o mundo conhecido de então, viviamcerca de quatro milhões de judeus. Outro milhãoA diáspora (dispersão)cerca de quatro milhões de judeus. Outro milhãodistribuía-se em territórios não controlados pelosromanos. Havia, assim, menos judeus na Palestinado que no resto do mundo. Eram chamadosjudeus da Diáspora, os que viviam longe dapátria.” (mundo: 300 milhões estm.)
  18. 18. “A palavra significa dispersão e teve sua origem naSeptuaginta, a primeira tradução da Bíblia para o grego,feita em Alexandria por solicitação de Ptolomeu II(288-247 a.C.)”A diáspora“(...) quando a nação judaica foi esmagada no ano 70 danossa era, com a tomada de Jerusalém por Tito, a Palestinadeixou de desempenhar seu papel central no Judaísmo.Antes disso e, portanto, no tempo de Jesus e de Paulo,Jerusalém era o ponto de convergência e ao mesmo tempode irradiação entre os judeus da Palestina e os seus irmãosespalhados por toda parte. (...)”
  19. 19. A diáspora“A Diáspora é, pois, um fenômeno histórico damais alta importância, tanto pelo que preservouda remota tradição judaica como pelo papel,da remota tradição judaica como pelo papel,muitas vezes involuntário, na divulgação dasprimeiras informações sobre o Cristianismo, naépoca oportuna.”(As marcas do Cristo, Herminio C. Miranda, vol. I – cap. 1)
  20. 20. O trabalho da espiritualidade“Reportando-nos ainda às conquistas romanas,antes da chegada do Senhor para as primeirasflorações do Cristianismo, devemos lembrar oflorações do Cristianismo, devemos lembrar oesforço despendido pelas entidades espirituais,junto das autoridades organizadoras econservadoras da República, no sentido deorientar-se a atividade geral para um grandemovimento de fraternidade e de união de todos ospovos do planeta.”
  21. 21. O trabalho da espiritualidade“A realidade, contudo, é que, se os mensageiros do Cristoconseguiram a realização de muitos planos generosos, noseio da comunidade de então, não podiam interferir naliberdade isolada da grande maioria dos seus membros.”liberdade isolada da grande maioria dos seus membros.”“(...) os abusos da autoridade e do poder embriagavam acidade valorosa. Toda a sede do governo parecia invadidapor uma avalancha de forças perversas, das mais baixasesferas dos planos invisíveis.”
  22. 22. O trabalho da espiritualidade“A família romana, cujo esplendor espiritual conseguiuatravessar todas as eras, iluminando os agrupamentos daatualidade, parecia atormentada pelos mais tenazesinimigos ocultos, que, aos poucos lhe minaram as basesinimigos ocultos, que, aos poucos lhe minaram as basesmais sólidas, mergulhando-a na corrupção e noextermínio de si mesma.”“(...) Denso nevoeiro obscurecia todas as consciências, e asociedade alegre e honesta, rica de sentimentosenobrecedores, foi pasto de crimes humilhantes, detragédias lúgubres e miserandos assassínios.
  23. 23. O trabalho da espiritualidade“Nossa intenção é mostrar que o determinismo do mundoespiritual era o do amor, da solidariedade e do bem, masos próprios homens, na esfera relativa de suas liberdades,modificaram esse determinismo superior, no cursoincessante da civilização.”incessante da civilização.”“Depois da Augusto, aparece à barra da História apersonalidade disfarçada e cruel de Tibério, seu filhoadotivo, que vê terminar a era de paz, de trabalho econcórdia, com o regresso do Cordeiro às regiõessublimadas da Luz.”
  24. 24. O trabalho da espiritualidade“É nesse reinado que a Judéia leva a efeitoa tragédia do Gólgota, realizando sinistramenteas mais remotas profecias.”“(...) o Divino Mestre é submetido aos martírios da cruz, porimposição do judaísmo, que lhe não compreendeu o amor ea humildade.Roma colabora no doloroso acontecimento com aindiferença fria de Pôncio Pilatos, (...)”
  25. 25. O trabalho da espiritualidade“Os seguidores humildes do Nazareno iniciam, nas regiõesda Palestina, as suas predições e ensinamentos. Rarosapóstolos sabiam da missão sublimada daquela doutrinasacrossanta (...) De perto, seguem-lhe a atividade ossacrossanta (...) De perto, seguem-lhe a atividade osemissários solícitos do Senhor, preparando os caminhosda revolução ideológica do Evangelho. (...)”“(...) Chovem inspirações do Alto preludiando as dores deJerusalém e as amarguras da cidade imperial. (...)”
  26. 26. O trabalho da espiritualidade“(...) quando Tito destruiu a cidade, arrasando-lhe oTemplo famoso e dispersando para sempre osisraelitas, viu o orgulhoso vencedor mudar-se o cursodas dores para a sociedade do Império, atormentadadas dores para a sociedade do Império, atormentadapelas tempestades de fogo e cinza que arrasaramEstábias, Herculânum e Pompéia, destruindo milharesde vidas florescentes e desequilibrando a existênciaromana para sempre.”(A Caminho da Luz, pelo E. Emmanuel, psicografia de Francisco C. Xavier, cap.XIII)
  27. 27. Bibliografia:• As marcas do Cristo, Hermínio C. Miranda, vol. I – cap. 1• A Caminho da Luz, pelo E. Emmanuel, psicografia deFrancisco C. Xavier, cap. XIII

×