SlideShare uma empresa Scribd logo
OS DILEMAS DA DOCÊNCIA DE PROFESSORES INICIANTES DE EDUCAÇÃO
FÍSICA ESCOLAR
Ilha, Franciele Roos da Silva Ilha; Krug, Hugo Norberto
francieleilha@gmail.com; hnkrug@bol.com.br
Universidade Federal de Pelotas (Brasil/RS); Universidade Federal de Santa Maria
(Brasil/RS)
Palavras-chave: Dilemas da Docência; Professores iniciantes; Educação Física Escolar;
Percurso Profissional Docente; Entrada na Carreira.
Introdução
Existe um consenso em que a prática pedagógica integra diversos tipos de
conhecimentos e/ou saberes que são elaborados ao longo do exercício da docência
(LOURENCETTI; MIZUKAMI, 2002). Assim, os professores incorporam ou mesmo se
apropriam de experiências variadas, conhecimentos, teorias, crenças, etc. As autoras
ainda destacam que integram também a prática pedagógica, as dificuldades, os
problemas, as contradições, os conflitos. Em algumas situações vivenciadas, os
professores parecem sentir-se impotentes, limitados para agir.
Outro autor também chama a atenção para o fato de que:
Os problemas da prática profissional docente não são meramente instrumentais; todos eles
comportam situações problemáticas que obrigam a tomada de decisões num terreno de grande
complexidade, incerteza singularidade e conflitos de valores. As situações que os professores são
obrigados a enfrentar (e a resolver) apresentam características únicas, exigindo, portanto,
respostas únicas: o profissional competente possui capacidade auto-desenvolvimento reflexivo
(NÓVOA, 1992, p,27).
Lampert (apud LOURENCETTI; MIZUKAMI, 2002) vê o professor como um dilemma
manager, ou seja, alguém que tem a função de intermediar interesses contraditórios num
trabalho que é construtivamente ambíguo. Ao explicar o sentido do termo manager, a
autora chama para o fato de que a capacidade de invenção ou improvisação é uma parte
necessária do repertório do gestor de dilemas. Segundo ela, o gestor é alguém que é
capaz de encontrar um caminho para fazer alguma coisa e a ação e as invenções estão
unidas no processo de gestão. Outro aspecto apontado pela autora é que, no ensino, os
dilemas são freqüentes, porém não facilmente resolvidos. Se o professor reconhece que
tem um dilema, mas não sabe o que fazer, o fato de reconhecer ou admitir faz diferença
para solucionar as situações. O gestor de dilemas aceita o conflito como endêmico e ao
mesmo tempo útil para o seu trabalho antes de vê-lo como um fardo que precisa ser
eliminado, pois as prováveis soluções encontradas pelo professor levam a outros
problemas e, por este motivo, o professor sempre discute com ele mesmo sobre o que
fazer. Assim, a autora aponta a necessidade de se adotar uma imagem do ensino que
leve em consideração a possibilidade de que o próprio professor é um recurso na gestão
dos problemas da prática educacional.
Apesar de não fazer referência à palavra dilema, denominou de conhecimento estratégico
o tipo de saber que os professores utilizam quando enfrentam situações problemáticas.
Nestas situações o professor faz uso de um tipo de conhecimento específico e diferente
daquele utilizado em outros momentos (SHULLMAN apud LOURENCETTI; MIZUKAMI,
2002).
Assim, tendo por base estas reflexões, chegamos à construção da seguinte questão
problemática norteadora desta investigação: quais são os dilemas que os professores
iniciantes de Educação Física Escolar enfrentam em suas aulas? Então, a partir desta
questão problemática o objetivo geral desta investigação foi analisar os dilemas que os
professores iniciantes de Educação Física Escolar enfrentam em suas aulas.
A importância da realização desta investigação justificou-se pela possibilidade de
fornecer subsídios para modificações no contexto da formação de professores de
Educação Física, particularmente na compreensão do enfrentamento dos dilemas
docentes, auxiliando conseqüentemente na qualidade da Educação Física Escolar.
Destacando o caminho da investigação
A metodologia empregada nesta investigação caracterizou-se pela abordagem qualitativa
do tipo estudo de caso. Segundo Goode e Hatt (1968, p.17): “o caso se destaca por se
constituir numa unidade dentro de um sistema mais amplo”. O interesse incide naquilo
que ele tem de único, de particular, mesmo que posteriormente fiquem evidentes estas
semelhanças com outros casos ou situações.
O instrumento utilizado foi uma entrevista semi-estruturada que segundo Triviños (1987,
p.146) “[...] parte de certos questionamentos básicos, apoiados em teorias e hipóteses,
que interessam à pesquisa, e que, em seguida, oferecem amplo campo de interrogativas,
fruto de novas hipóteses que vão surgindo, à medida que se recebem as respostas do
informante”.
A interpretação das informações foi realizada através da análise de conteúdo, que de
acordo com Godoy (1997, p.23) tem como meta “entender o sentido da comunicação,
como se fosse um receptor normal e, principalmente, desviar o olhar, buscando outra
significação, outra mensagem, passível de se enxergar por meio ou ao lado da primeira”.
Os participantes deste estudo foram dez (10) professores de Educação Física Escolar
atuantes nas redes municipal, estadual e particular de ensino da cidade de Santa Maria
(RS) e que estavam no inicio da carreira, isto é, com até três (3) anos de docência.
Analisando as informações: os dilemas da docência
O início dos dilemas de quase todos os professores iniciantes de Educação Física
Escolar: o choque com a realidade
Para Hüberman (1995) os professores que tem até três anos de docência estão na fase
de “entrada na carreira”, a qual possui dois estágios: a) Sobrevivência – que é
representada pelo choque com o real; e, b) Descoberta - que é o entusiasmo inicial, a
exaltação pela responsabilidade e o sentimento de ser professor. Assim, considerando
Krug (2006), em seu estudo denominado “Os primeiros anos da profissão professor de
Educação Física Escolar: a insegurança, a sobrevivência e o entusiasmo profissional” os
dilemas que os professores iniciantes enfrentam em suas aulas tem caracterizado este
inicio como um momento de “choque com a realidade”.
De acordo com Onofre e Filho (1995) o choque com a realidade é uma expressão
utilizada para se referir à situação pela qual passam os professores no seu primeiro
contato com a docência, quando os dilemas vividos assumem uma dimensão
assustadora, isto é, ocorre um distanciamento entre o ideal e a realidade cotidiana. E,
pelas falas de alguns professores este fato realmente ocorreu, pois destacaram a
confrontação inicial com a complexidade da situação da atuação profissional, a distância
entre os ideais e a realidade cotidiana e a dificuldade de trabalhar com os alunos.
Os dilemas da docência dos professores iniciantes de Educação Física Escolar
Aliado ao choque com a realidade foram salientados pelos professores iniciantes de
Educação Física Escolar os seguintes dilemas em suas práticas pedagógicas:
1) As condições de trabalho difíceis.
Estas condições de trabalho difíceis foram representadas pela falta de materiais e de
espaços físicos para o desenvolvimento das aulas de Educação Física. Realmente,
Farias, Shigunov e Nascimento (2001) destacam que vários estudos indicam que existe
uma falta de locais e materiais nas escolas para o desenvolvimento das aulas de
Educação Física. Já Krug (2004) enfatiza que a falta de materiais e espaços físicos
disponíveis para a realização das atividades são fatores que interferem negativamente na
prática pedagógica dos professores de Educação Física.
2) A falta de um planejamento curricular para a Educação Física.
Os professores manifestaram que a falta de um conteúdo mínimo a ser trabalhado nas
aulas, provoca diferenças enormes entre o que é desenvolvido em cada série e em cada
escola, inclusive acarretando a repetição de conteúdos durante o desenrolar das séries.
Canfield (1996) diz que o planejamento é a pedra fundamental, a razão de ser de todo o
trabalho pedagógico consciente, é o que orienta o professor em sua caminhada
pedagógica em busca da aprendizagem de seus alunos. Saliente ainda que, a falta de
um planejamento produz uma ação acéfala, isto é, sem objetivos.
3) O número elevado de alunos nas turmas.
Os professores destacaram que o número elevado de alunos nas turmas prejudica o bom
andamento das aulas de Educação Física. De fato, segundo Krug (1996), a quantidade
excessiva de alunos nas turmas é um fator que interfere na qualidade das aulas de
Educação Física.
4) A falta de interesse dos alunos pelas atividades propostas.
Um dos grandes dilemas salientado pelos professores foi a falta de interesse dos alunos
pelas atividades que eram propostas pelos mesmos durante as aulas de Educação
Física. Sobre esta situação, citamos Canfield et al. (1995), que dizem que o professor de
Educação Física tem que despertar o interesse dos alunos para que estes sintam prazer
e vejam horizontes na prática das atividades físicas.
5) A falta de apoio da comunidade, pais e alunos.
Os professores destacaram o seu isolamento na escola pela falta de apoio da
comunidade, pais e colegas como mais um dilema a ser enfrentado. Realmente, Libâneo
(apud GHIRALDELLI JÚNIOR, 1988) confirma que, na organização escolar, a Educação
Física tem ocupado um lugar secundário, freqüentemente, isolado das demais disciplinas.
Afonso et al. (1996) colocam que os professores das outras áreas tem uma vista
distorcida do que vem a ser uma aula de Educação Física, pois reclamam que as
crianças chegam suadas após a aula e perturbam o andamento na escola. Quanto aos
pais, estes têm uma visão muito limitada do que é, realmente, a Educação Física e quais
seriam suas verdadeiras funções. No geral, eles vêem a Educação Física como uma
atividade que aluno vai ser exigido somente fisicamente, vai suar bastante, gastar
energias, ficando com isso menos ativos nas outras aulas e em casa, enfim pode-se
perceber que os pais não conseguem ver a Educação Física como um espaço de
aprendizagem.
6) A indisciplina nas aulas.
Os professores declararam que a indisciplina dos alunos é um dilema que prejudica o
bom andamento das aulas de Educação Física. Sobre os alunos Mattos e Mattos (2001)
dizem que estes não são mais dóceis, cooperativos como antes. Já Aquino (1996)
destaca que, há muito tempo os distúrbios disciplinares deixaram de ser um evento
esporádico e particular no cotidiano das escolas brasileiras, para se tornarem, talvez, um
dos maiores obstáculos pedagógicos dos dias atuais. Também, está claro que, a maioria
dos educadores não sabe como interpretar e administrar o ato indisciplinado. Para Jesus
(1999) a indisciplina dos alunos integra todos os comportamentos e atitudes
perturbadoras, inviabilizando o trabalho que o professor deseja desenvolver.
7) As turmas com alunos de ambos os sexos.
Os professores manifestaram que ministrar aulas de Educação Física para turmas de
alunos de ambos os sexos era mais um dilema a ser enfrentado. Sobre este assunto nos
reportamos a Romero (1993) que salienta que a escola atua como reprodutora da
ideologia sexista e discriminatória dos papéis sexuais, e o professor de Educação Física
têm atuação diretamente no reforço de padrões sexuais, permitindo acentuar, ao invés de
minimizar, as desigualdades entre os sexos. Sugere uma reflexão sobre o emprego das
atividades como meio de desenvolvimento integral de meninos e meninas. Já Canfield e
Jaeger (1994) em pesquisa intitulada “As aulas de Educação Física: o professor e suas
ações” concluem que não há diferença marcante na atuação dos professores ao
ministrarem aulas para turmas de seu sexo, contrária, ou mista, entretanto, acreditam ser
este dado, algo que merece uma reflexão maior, quanto ao fato das turmas serem
separadas por sexo e, também, de muitas vezes, as professoras lecionarem para turmas
femininas e os professores para turmas masculinas. Oliveira (1997) em pesquisa
realizada constatou que os estudantes preferem a sua participação em aulas mistas de
Educação Física ao invés de separadas por sexo, contrariando, portanto, as
argumentações de muitos professores que, contrários à co-educação, justificam ser os
alunos os maiores opositores à formação mista das turmas de Educação Física.
8) As turmas heterogêneas quanto à idade dos alunos.
Outro dilema salientado pelos professores foi às turmas heterogêneas quanto à idade
doas alunos e que isto prejudica o andamento normal das aulas de Educação Física.
Segundo Xavier (1986) existem diferenças individuais entre as diferentes idades das
pessoas, por exemplo, em tamanho, estrutura, e funcionamento interno. De acordo com
Wechsler (apud XAVIER, 1986) em termos absolutos, as diferenças individuais das
pessoas tem uma influência enorme sobre a performance humana. O que nos parece é
que os professores de Educação Física tem enormes dificuldades de trabalhar com estas
diferenças individuais dos seus alunos, e que este fato é originado de uma deficiente
formação inicial.
9) As intempéries do tempo.
Os professores destacaram que as intempéries do tempo, isto é, a chuva, o frio, e o calor
são dilemas que enfrentam em suas aulas de Educação Física. Sobre as intempéries do
tempo, Azevedo (1995) coloca que: constantemente, constata-se a existência nas aulas
de Educação Física, problemas de origem ambiental, ou seja: ruídos/barulhos
perturbadores, odores/cheiro desagradáveis, frio/calor intensos, etc.
Concluindo a investigação
Os professores iniciantes de Educação Física Escolar estudados identificaram
numericamente dez dilemas: 1) o choque com a realidade; 2) as condições de trabalho
difíceis; 3) a falta de um planejamento curricular para a Educação Física; 4) o número
elevado de alunos nas turmas, 5) a falta de interesse dos alunos pelas atividades
propostas; 6) a falta de apoio da comunidade, pais e alunos; 7) a indisciplina nas aulas;
8) as turmas com alunos de ambos os sexos; 9) as turmas heterogêneas quanto à idade
dos alunos; 10) as intempéries do tempo.
Portanto, estes são alguns dos dilemas de professores iniciantes de Educação Física
Escolar que, segundo os entrevistados, colaboram com um contexto inicial da carreira, de
tensões e insegurança.
Para corroborar com a existência de alguns destes dilemas enumerados pelos
professores deste estudo citamos Lourencetti e Mizukami (2002) que em pesquisa
intitulada “Dilemas de professores em práticas cotidianas” realizada em uma escola
estadual de uma cidade do interior paulista com duas professoras (uma de Ciências e
outra de Português) de 5ª série do ensino fundamental que tinham seis (6) anos de
tempo de experiência docente, constataram os seguintes dilemas no exercício da
docência: 1) Comportamentos inadequados dos alunos com relação as regras escolares;
2) A própria 5ª série que marca a ruptura com o 1° e o 2°ciclos do ensino fundamental; 3)
O programa; 4) O não domínio do conteúdo específico da matéria; e, 5) A indisciplina dos
alunos em sala de aula.
Entretanto, com a comparação dos dilemas docentes entre os dois estudos podemos
constatar a existência permanente de dilemas na atuação pedagógica. Mas ainda
podemos destacar que os professores de Educação Física possuem alguns dilemas
característicos somente de sua atividade profissional, tais como: a falta de materiais e de
espaços físicos para o desenvolvimento das aulas; a falta de um planejamento curricular
para a Educação Física; e, as intempéries do tempo. Também podemos inferir que estes
três dilemas não são característicos somente dos professores iniciantes de Educação
Física Escolar. Estes dilemas seguem aparecendo permanentemente na prática
pedagógica dos professores de Educação Física durante toda a sua carreira.
Referências
AFONSO, M.R. et al. Educação Física escolar na busca de um diagnóstico. In: PEREIRA,
F.M.; RIGO. L.C. (Orgs.). Educação Física, esporte e escola. Pelotas: Editora da
UFPEL, 1996. p.9-37.
AQUINO, J.R.G. Apresentação. In: AQUINO, J.R.G. (Org.). Indisciplina na escola:
alternativas técnicas e práticas. São Paulo: Summus, 1996. p.7-8.
AZEVEDO, E.S. Perfil ambiental do espaço físico destinado à prática de Educação Física
nas escolas da rede municipal de ensino da cidade de Pelotas – RS. In: PEREIRA, F.M.
(Org.). Educação Física: Textos do XV Simpósio Nacional de Ginástica. Pelotas: Editora
UFPEL, 1995. p.69 -74.
CANFIELD, M. de S. Planejamento das aulas de Educação Física: é necessário? In:
CANFIELD, M. de S. (Org.). Isto é Educação Física! Santa Maria: JtC Editor, 1996.
p.21-32.
CANFIELD, M. de S. et al. Os alunos gostam das aulas de Educação Física? In:
PEREIRA, F.M. (Org.). Educação Física: Textos do XV Simpósio Nacional de Ginástica.
Pelotas: ESEF/UFPEL, 1995. p.75-86.
CANFIELD, M. de S.; JAEGER, A.A. Aulas de Educação Física: o professor e suas
ações. Revista Kinesis, Santa Maria, n.13, p.57-80, jan./ jun., 1994.
FARIAS, G.O.; SHIGUNOV, V; NASCIMENTO, J.V. Formação e desenvolvimento
profissional dos professores de Educação Física. In: SHIGUNOV, V.; SHIGUNOV NETO,
A. (Orgs.). A formação profissional e a prática pedagógica: ênfase nos professores de
Educação Física. Londrina: O Autor, 2001. p.19-53.
GHIRALDELLI JÚNIOR, P. Educação Física progressista – a pedagogia crítica-social
dos conteúdos e a Educação Física brasileira. São Paulo: Loyola, 1988.
GODOY, A.S. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de
Empresas, São Paulo, v.35, p.20-29, mai./jun., 1995.
GOODE, L.; HATT, K. Métodos em pesquisa social. São Paulo: Cia. Editora Nacional,
1968.
HÜBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.).
Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1995. p.31-62.
JESUS, S.N. de . Como prevenir e resolver o stress dos professores e a indisciplina
dos alunos? Lisboa: ASA, 1999.
KRUG, H.N. A reflexão na prática pedagógica do professor de Educação Física,
1996. Dissertação (Mestrado em Ciência do Movimento Humano) – Universidade Federal
de Santa Maria, Santa Maria, 1996.
KRUG, H.N. Rede de auto-formação participada como forma de desenvolvimento do
profissional de Educação Física, 2004. Tese (Doutorado em Ciência do Movimento
Humano) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2004.
KRUG, H.N. Os primeiros anos da profissão professor de Educação Física escolar: a
insegurança, a sobrevivência e o entusiasmo profissional. Revista Biomotriz, Cruz Alta:
UNICRUZ, n.4, p.70-79, nov., 2006.
LOURENCETTI, G. do C.; MIZUKAMI, M. da G.N. Dilemas de professores em práticas
cotidianas. In: MIZUKAMI, M. da G.N.; REALI, A.M. de M.R. (Orgs.). Aprendizagem
profissional da docência: saberes, contextos e práticas. São Carlos: EdUFSCAR, 2002.
p.49-59.
LÜDKE, M.; ANDRÉ, M.D.A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São
Paulo: EPU, 1986.
MATTOS, A.M. de A.; MATTOS, C.M. de A. O trabalho docente: reflexões sobre a
profissão professor. Revista Presença Pedagógica, Belo Horizonte, v.7, n.41, p.69-73,
set./out., 2001.
NÓVOA, A. A formação de professores e formação docente. In: NÓVOA, A. (Coord.). Os
professores e sua formação. Lisboa: Publicação Dom Quixote, 1992. p.15-34.
OLIVEIRA, G.K. de. Possíveis contribuições das aulas de Educação Física para as
relações de gênero. Revista Artus – Edição Especial – Congresso Mundial de Educação
Física – Programa e Resumo, Rio de Janeiro, v.13, n.1, 1997. p.173.
ONOFRE, M.S.; FIALHO, M. Diagnóstico dos problemas da prática pedagógica em
Educação Física: o caso dos professores estagiário. In: CONGRESSO DE EDUCAÇÃO
FÍSICA E CIÊNCIA DO DESPORTO DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA, IV, 1995
Coimbra. Anais. Coimbra: Universidade de Coimbra, 1995, p.EF-45.
ROMERO, E. Estudo sobre estereótipos sexuais em professores de educação Física do
Rio Grande do Sul. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE GINÁSTICA, 14, 1993, Pelotas. Anais.
Pelotas: ESEF/UFPEL, 1993. p.24.
XAVIER, T.P. Método de ensino em Educação Física. São Paulo: Manole, 1986.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...
O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...
O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...
Alan Ciriaco
 
PROFESSORES INICIANTES E O "CHOQUE DE REALIDADE" - O QUE NOS REVELAM ALGUMAS ...
PROFESSORES INICIANTES E O "CHOQUE DE REALIDADE" - O QUE NOS REVELAM ALGUMAS ...PROFESSORES INICIANTES E O "CHOQUE DE REALIDADE" - O QUE NOS REVELAM ALGUMAS ...
PROFESSORES INICIANTES E O "CHOQUE DE REALIDADE" - O QUE NOS REVELAM ALGUMAS ...
ProfessorPrincipiante
 
Professores que tivemos
Professores que tivemosProfessores que tivemos
Professores que tivemos
chris_h235
 
PROFESSORES INICIANTES: DESAFIOS DA PROFISSÃO DOCENTE
PROFESSORES INICIANTES: DESAFIOS DA PROFISSÃO DOCENTEPROFESSORES INICIANTES: DESAFIOS DA PROFISSÃO DOCENTE
PROFESSORES INICIANTES: DESAFIOS DA PROFISSÃO DOCENTE
ProfessorPrincipiante
 
Teorias ensinoi aprendizagem_linguistica_aplicada_terceira_aulatitulada
Teorias ensinoi aprendizagem_linguistica_aplicada_terceira_aulatituladaTeorias ensinoi aprendizagem_linguistica_aplicada_terceira_aulatitulada
Teorias ensinoi aprendizagem_linguistica_aplicada_terceira_aulatitulada
Marcelo Pontes
 
OPINIÕES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE
OPINIÕES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM INÍCIO DA CARREIRA DOCENTEOPINIÕES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE
OPINIÕES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE
ProfessorPrincipiante
 
~SENTIMENTOS E DESAFIOS DE PROFESSORES PRINCIPIANTES: CONSTRUINDO O HABITUS P...
~SENTIMENTOS E DESAFIOS DE PROFESSORES PRINCIPIANTES: CONSTRUINDO O HABITUS P...~SENTIMENTOS E DESAFIOS DE PROFESSORES PRINCIPIANTES: CONSTRUINDO O HABITUS P...
~SENTIMENTOS E DESAFIOS DE PROFESSORES PRINCIPIANTES: CONSTRUINDO O HABITUS P...
ProfessorPrincipiante
 
A SOCIALIZAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: UM DIFÍCIL COMEÇO
A SOCIALIZAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: UM DIFÍCIL COMEÇOA SOCIALIZAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: UM DIFÍCIL COMEÇO
A SOCIALIZAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: UM DIFÍCIL COMEÇO
ProfessorPrincipiante
 
PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA E A ENTRADA NA PROFISSÃO DOCENTE: UMA INICIAÇÃ...
PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA E A ENTRADA NA PROFISSÃO DOCENTE: UMA INICIAÇÃ...PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA E A ENTRADA NA PROFISSÃO DOCENTE: UMA INICIAÇÃ...
PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA E A ENTRADA NA PROFISSÃO DOCENTE: UMA INICIAÇÃ...
ProfessorPrincipiante
 
PROBLEMÁTICAS E DESAFIOS DO INÍCIO DA DOCÊNCIA: EM FOCO OS PROFESSORES UNIVER...
PROBLEMÁTICAS E DESAFIOS DO INÍCIO DA DOCÊNCIA: EM FOCO OS PROFESSORES UNIVER...PROBLEMÁTICAS E DESAFIOS DO INÍCIO DA DOCÊNCIA: EM FOCO OS PROFESSORES UNIVER...
PROBLEMÁTICAS E DESAFIOS DO INÍCIO DA DOCÊNCIA: EM FOCO OS PROFESSORES UNIVER...
ProfessorPrincipiante
 
Coleção saiba mais sobre educação física lauro pires e jeane rodella
Coleção saiba mais sobre educação física   lauro pires e jeane rodellaColeção saiba mais sobre educação física   lauro pires e jeane rodella
Coleção saiba mais sobre educação física lauro pires e jeane rodella
Thiago Apolinário
 
GRUPOS DE ESTUDOS COLABORATIVOS E O PROFESSOR EM INÍCIO DE CARREIRA
GRUPOS DE ESTUDOS COLABORATIVOS E O PROFESSOR EM INÍCIO DE CARREIRAGRUPOS DE ESTUDOS COLABORATIVOS E O PROFESSOR EM INÍCIO DE CARREIRA
GRUPOS DE ESTUDOS COLABORATIVOS E O PROFESSOR EM INÍCIO DE CARREIRA
ProfessorPrincipiante
 
“NINGUÉM ENSINA NINGUÉM” E “AINDA SOU MUITO O CENTRO DA AULA”: NOTAS SOBRE CO...
“NINGUÉM ENSINA NINGUÉM” E “AINDA SOU MUITO O CENTRO DA AULA”: NOTAS SOBRE CO...“NINGUÉM ENSINA NINGUÉM” E “AINDA SOU MUITO O CENTRO DA AULA”: NOTAS SOBRE CO...
“NINGUÉM ENSINA NINGUÉM” E “AINDA SOU MUITO O CENTRO DA AULA”: NOTAS SOBRE CO...
ProfessorPrincipiante
 
PROFESSORES PRINCIPIANTES: PERCEPÇÕES A PARTIR DA AUTOEFICÁCIA DOCENTE
PROFESSORES PRINCIPIANTES: PERCEPÇÕES A PARTIR DA AUTOEFICÁCIA DOCENTEPROFESSORES PRINCIPIANTES: PERCEPÇÕES A PARTIR DA AUTOEFICÁCIA DOCENTE
PROFESSORES PRINCIPIANTES: PERCEPÇÕES A PARTIR DA AUTOEFICÁCIA DOCENTE
ProfessorPrincipiante
 
OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...
OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...
OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...
ProfessorPrincipiante
 
A FORMAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: O CHOQUE COM A REALIDADE
A FORMAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: O CHOQUE COM A REALIDADEA FORMAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: O CHOQUE COM A REALIDADE
A FORMAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: O CHOQUE COM A REALIDADE
ProfessorPrincipiante
 
A prática do bom professor
A prática do bom professorA prática do bom professor
A prática do bom professor
milla250206
 
A MOBILIZAÇÃO DE SABERES DOCENTES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO INÍCIO...
A MOBILIZAÇÃO DE SABERES DOCENTES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO INÍCIO...A MOBILIZAÇÃO DE SABERES DOCENTES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO INÍCIO...
A MOBILIZAÇÃO DE SABERES DOCENTES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO INÍCIO...
ProfessorPrincipiante
 
ESPECIFICIDADES E VIVÊNCIAS DOS PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESPECIFICIDADES E VIVÊNCIAS DOS PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTILESPECIFICIDADES E VIVÊNCIAS DOS PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESPECIFICIDADES E VIVÊNCIAS DOS PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL
ProfessorPrincipiante
 
Na pista de práticas e professores inovadores na educação
Na pista de práticas e professores inovadores na educaçãoNa pista de práticas e professores inovadores na educação
Na pista de práticas e professores inovadores na educação
Andreza Sousa Almeida
 

Mais procurados (20)

O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...
O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...
O descompasso entre a formação do licenciado em educação física e a necessida...
 
PROFESSORES INICIANTES E O "CHOQUE DE REALIDADE" - O QUE NOS REVELAM ALGUMAS ...
PROFESSORES INICIANTES E O "CHOQUE DE REALIDADE" - O QUE NOS REVELAM ALGUMAS ...PROFESSORES INICIANTES E O "CHOQUE DE REALIDADE" - O QUE NOS REVELAM ALGUMAS ...
PROFESSORES INICIANTES E O "CHOQUE DE REALIDADE" - O QUE NOS REVELAM ALGUMAS ...
 
Professores que tivemos
Professores que tivemosProfessores que tivemos
Professores que tivemos
 
PROFESSORES INICIANTES: DESAFIOS DA PROFISSÃO DOCENTE
PROFESSORES INICIANTES: DESAFIOS DA PROFISSÃO DOCENTEPROFESSORES INICIANTES: DESAFIOS DA PROFISSÃO DOCENTE
PROFESSORES INICIANTES: DESAFIOS DA PROFISSÃO DOCENTE
 
Teorias ensinoi aprendizagem_linguistica_aplicada_terceira_aulatitulada
Teorias ensinoi aprendizagem_linguistica_aplicada_terceira_aulatituladaTeorias ensinoi aprendizagem_linguistica_aplicada_terceira_aulatitulada
Teorias ensinoi aprendizagem_linguistica_aplicada_terceira_aulatitulada
 
OPINIÕES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE
OPINIÕES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM INÍCIO DA CARREIRA DOCENTEOPINIÕES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE
OPINIÕES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE
 
~SENTIMENTOS E DESAFIOS DE PROFESSORES PRINCIPIANTES: CONSTRUINDO O HABITUS P...
~SENTIMENTOS E DESAFIOS DE PROFESSORES PRINCIPIANTES: CONSTRUINDO O HABITUS P...~SENTIMENTOS E DESAFIOS DE PROFESSORES PRINCIPIANTES: CONSTRUINDO O HABITUS P...
~SENTIMENTOS E DESAFIOS DE PROFESSORES PRINCIPIANTES: CONSTRUINDO O HABITUS P...
 
A SOCIALIZAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: UM DIFÍCIL COMEÇO
A SOCIALIZAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: UM DIFÍCIL COMEÇOA SOCIALIZAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: UM DIFÍCIL COMEÇO
A SOCIALIZAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: UM DIFÍCIL COMEÇO
 
PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA E A ENTRADA NA PROFISSÃO DOCENTE: UMA INICIAÇÃ...
PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA E A ENTRADA NA PROFISSÃO DOCENTE: UMA INICIAÇÃ...PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA E A ENTRADA NA PROFISSÃO DOCENTE: UMA INICIAÇÃ...
PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA E A ENTRADA NA PROFISSÃO DOCENTE: UMA INICIAÇÃ...
 
PROBLEMÁTICAS E DESAFIOS DO INÍCIO DA DOCÊNCIA: EM FOCO OS PROFESSORES UNIVER...
PROBLEMÁTICAS E DESAFIOS DO INÍCIO DA DOCÊNCIA: EM FOCO OS PROFESSORES UNIVER...PROBLEMÁTICAS E DESAFIOS DO INÍCIO DA DOCÊNCIA: EM FOCO OS PROFESSORES UNIVER...
PROBLEMÁTICAS E DESAFIOS DO INÍCIO DA DOCÊNCIA: EM FOCO OS PROFESSORES UNIVER...
 
Coleção saiba mais sobre educação física lauro pires e jeane rodella
Coleção saiba mais sobre educação física   lauro pires e jeane rodellaColeção saiba mais sobre educação física   lauro pires e jeane rodella
Coleção saiba mais sobre educação física lauro pires e jeane rodella
 
GRUPOS DE ESTUDOS COLABORATIVOS E O PROFESSOR EM INÍCIO DE CARREIRA
GRUPOS DE ESTUDOS COLABORATIVOS E O PROFESSOR EM INÍCIO DE CARREIRAGRUPOS DE ESTUDOS COLABORATIVOS E O PROFESSOR EM INÍCIO DE CARREIRA
GRUPOS DE ESTUDOS COLABORATIVOS E O PROFESSOR EM INÍCIO DE CARREIRA
 
“NINGUÉM ENSINA NINGUÉM” E “AINDA SOU MUITO O CENTRO DA AULA”: NOTAS SOBRE CO...
“NINGUÉM ENSINA NINGUÉM” E “AINDA SOU MUITO O CENTRO DA AULA”: NOTAS SOBRE CO...“NINGUÉM ENSINA NINGUÉM” E “AINDA SOU MUITO O CENTRO DA AULA”: NOTAS SOBRE CO...
“NINGUÉM ENSINA NINGUÉM” E “AINDA SOU MUITO O CENTRO DA AULA”: NOTAS SOBRE CO...
 
PROFESSORES PRINCIPIANTES: PERCEPÇÕES A PARTIR DA AUTOEFICÁCIA DOCENTE
PROFESSORES PRINCIPIANTES: PERCEPÇÕES A PARTIR DA AUTOEFICÁCIA DOCENTEPROFESSORES PRINCIPIANTES: PERCEPÇÕES A PARTIR DA AUTOEFICÁCIA DOCENTE
PROFESSORES PRINCIPIANTES: PERCEPÇÕES A PARTIR DA AUTOEFICÁCIA DOCENTE
 
OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...
OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...
OS (DES)CAMINHOS DOS PROFESSORES INICIANTES DE QUÍMICA NAS ESCOLAS PÚBLICAS D...
 
A FORMAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: O CHOQUE COM A REALIDADE
A FORMAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: O CHOQUE COM A REALIDADEA FORMAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: O CHOQUE COM A REALIDADE
A FORMAÇÃO DO PROFESSOR INICIANTE: O CHOQUE COM A REALIDADE
 
A prática do bom professor
A prática do bom professorA prática do bom professor
A prática do bom professor
 
A MOBILIZAÇÃO DE SABERES DOCENTES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO INÍCIO...
A MOBILIZAÇÃO DE SABERES DOCENTES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO INÍCIO...A MOBILIZAÇÃO DE SABERES DOCENTES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO INÍCIO...
A MOBILIZAÇÃO DE SABERES DOCENTES DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO INÍCIO...
 
ESPECIFICIDADES E VIVÊNCIAS DOS PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESPECIFICIDADES E VIVÊNCIAS DOS PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTILESPECIFICIDADES E VIVÊNCIAS DOS PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL
ESPECIFICIDADES E VIVÊNCIAS DOS PROFESSORES INICIANTES DA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Na pista de práticas e professores inovadores na educação
Na pista de práticas e professores inovadores na educaçãoNa pista de práticas e professores inovadores na educação
Na pista de práticas e professores inovadores na educação
 

Semelhante a OS DILEMAS DA DOCÊNCIA DE PROFESSORES INICIANTES DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

O INÍCIO DA DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO SOBRE O PROFESSOR FORMADOR...
O INÍCIO DA DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO SOBRE O PROFESSOR FORMADOR...O INÍCIO DA DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO SOBRE O PROFESSOR FORMADOR...
O INÍCIO DA DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO SOBRE O PROFESSOR FORMADOR...
ProfessorPrincipiante
 
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorialConceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Marisa Correia
 
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorialConceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Marisa Correia
 
OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...
OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...
OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...
ProfessorPrincipiante
 
VIVÊNCIAS DE UM PROFESSOR DE MATEMÁTICA EM INÍCIO DE CARREIRA: RELATO DE UMA ...
VIVÊNCIAS DE UM PROFESSOR DE MATEMÁTICA EM INÍCIO DE CARREIRA: RELATO DE UMA ...VIVÊNCIAS DE UM PROFESSOR DE MATEMÁTICA EM INÍCIO DE CARREIRA: RELATO DE UMA ...
VIVÊNCIAS DE UM PROFESSOR DE MATEMÁTICA EM INÍCIO DE CARREIRA: RELATO DE UMA ...
ProfessorPrincipiante
 
~PROFESSORES INCIANTES: TEORIAS, PRÁTICAS, DILEMAS E DESAFIOS
~PROFESSORES INCIANTES: TEORIAS, PRÁTICAS, DILEMAS E DESAFIOS~PROFESSORES INCIANTES: TEORIAS, PRÁTICAS, DILEMAS E DESAFIOS
~PROFESSORES INCIANTES: TEORIAS, PRÁTICAS, DILEMAS E DESAFIOS
ProfessorPrincipiante
 
METODOLOGIAS ATIVAS DO QUE ESTAMOS FALANDO.pdf
METODOLOGIAS ATIVAS  DO QUE ESTAMOS FALANDO.pdfMETODOLOGIAS ATIVAS  DO QUE ESTAMOS FALANDO.pdf
METODOLOGIAS ATIVAS DO QUE ESTAMOS FALANDO.pdf
JulianoRibasignez1
 
Conteúdos na educação física escolar jogo darido2007(2)
Conteúdos na educação física escolar jogo darido2007(2)Conteúdos na educação física escolar jogo darido2007(2)
Conteúdos na educação física escolar jogo darido2007(2)
Thiago Apolinário
 
TRABALHO LABORATORIAL E PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS FÍSI...
TRABALHO LABORATORIAL E PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS FÍSI...TRABALHO LABORATORIAL E PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS FÍSI...
TRABALHO LABORATORIAL E PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS FÍSI...
Marisa Correia
 
O PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO AO INÍCIO DA DOCÊNCIA: CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁT...
O PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO AO INÍCIO DA DOCÊNCIA: CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁT...O PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO AO INÍCIO DA DOCÊNCIA: CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁT...
O PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO AO INÍCIO DA DOCÊNCIA: CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁT...
ProfessorPrincipiante
 
Papel da Educação física na escola
Papel da Educação física na escolaPapel da Educação física na escola
Papel da Educação física na escola
Carolina Ferreira
 
GRUPO DE PESQUISA: uma perspectiva para os professores em início de carreira
GRUPO DE PESQUISA: uma perspectiva para os professores em início de carreiraGRUPO DE PESQUISA: uma perspectiva para os professores em início de carreira
GRUPO DE PESQUISA: uma perspectiva para os professores em início de carreira
ProfessorPrincipiante
 
EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS DE UMA PROFESSORA INICIANTE DE EDUCAÇÃO FÍSICA NOS AN...
EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS DE UMA PROFESSORA INICIANTE DE EDUCAÇÃO FÍSICA NOS AN...EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS DE UMA PROFESSORA INICIANTE DE EDUCAÇÃO FÍSICA NOS AN...
EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS DE UMA PROFESSORA INICIANTE DE EDUCAÇÃO FÍSICA NOS AN...
ProfessorPrincipiante
 
O INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE NA EDUCAÇÃO FÍSICA: UM OLHAR A PARTIR DOS DIÁRIO...
O INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE NA EDUCAÇÃO FÍSICA: UM OLHAR A PARTIR DOS DIÁRIO...O INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE NA EDUCAÇÃO FÍSICA: UM OLHAR A PARTIR DOS DIÁRIO...
O INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE NA EDUCAÇÃO FÍSICA: UM OLHAR A PARTIR DOS DIÁRIO...
ProfessorPrincipiante
 
PROFESSORES INICIANTES: SEU INGRESSO NA PROFISSÃO E SUAS APRENDIZAGENS
PROFESSORES INICIANTES: SEU INGRESSO NA PROFISSÃO E SUAS APRENDIZAGENSPROFESSORES INICIANTES: SEU INGRESSO NA PROFISSÃO E SUAS APRENDIZAGENS
PROFESSORES INICIANTES: SEU INGRESSO NA PROFISSÃO E SUAS APRENDIZAGENS
ProfessorPrincipiante
 
A NARRATIVA DE PROFESSORES INICIANTES A SERVIÇO DA FORMAÇÃO DOCENTE: DIÁLOGOS...
A NARRATIVA DE PROFESSORES INICIANTES A SERVIÇO DA FORMAÇÃO DOCENTE: DIÁLOGOS...A NARRATIVA DE PROFESSORES INICIANTES A SERVIÇO DA FORMAÇÃO DOCENTE: DIÁLOGOS...
A NARRATIVA DE PROFESSORES INICIANTES A SERVIÇO DA FORMAÇÃO DOCENTE: DIÁLOGOS...
ProfessorPrincipiante
 
A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...
A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...
A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...
Marisa Correia
 
Desinvestimento pedagógico
Desinvestimento pedagógicoDesinvestimento pedagógico
Desinvestimento pedagógico
isisdeca
 
Livreto quimica
Livreto quimicaLivreto quimica

Semelhante a OS DILEMAS DA DOCÊNCIA DE PROFESSORES INICIANTES DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR (19)

O INÍCIO DA DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO SOBRE O PROFESSOR FORMADOR...
O INÍCIO DA DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO SOBRE O PROFESSOR FORMADOR...O INÍCIO DA DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO SOBRE O PROFESSOR FORMADOR...
O INÍCIO DA DOCÊNCIA NO ENSINO SUPERIOR: UM ESTUDO SOBRE O PROFESSOR FORMADOR...
 
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorialConceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
 
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorialConceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
Conceções e Práticas de professores do 1.º Ciclo acerca do trabalho laboratorial
 
OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...
OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...
OS SABERES DOCENTES NA EDUCAÇÃO FÍSICA: A COMPREENSÃO DOS ESTUDANTES E PROFES...
 
VIVÊNCIAS DE UM PROFESSOR DE MATEMÁTICA EM INÍCIO DE CARREIRA: RELATO DE UMA ...
VIVÊNCIAS DE UM PROFESSOR DE MATEMÁTICA EM INÍCIO DE CARREIRA: RELATO DE UMA ...VIVÊNCIAS DE UM PROFESSOR DE MATEMÁTICA EM INÍCIO DE CARREIRA: RELATO DE UMA ...
VIVÊNCIAS DE UM PROFESSOR DE MATEMÁTICA EM INÍCIO DE CARREIRA: RELATO DE UMA ...
 
~PROFESSORES INCIANTES: TEORIAS, PRÁTICAS, DILEMAS E DESAFIOS
~PROFESSORES INCIANTES: TEORIAS, PRÁTICAS, DILEMAS E DESAFIOS~PROFESSORES INCIANTES: TEORIAS, PRÁTICAS, DILEMAS E DESAFIOS
~PROFESSORES INCIANTES: TEORIAS, PRÁTICAS, DILEMAS E DESAFIOS
 
METODOLOGIAS ATIVAS DO QUE ESTAMOS FALANDO.pdf
METODOLOGIAS ATIVAS  DO QUE ESTAMOS FALANDO.pdfMETODOLOGIAS ATIVAS  DO QUE ESTAMOS FALANDO.pdf
METODOLOGIAS ATIVAS DO QUE ESTAMOS FALANDO.pdf
 
Conteúdos na educação física escolar jogo darido2007(2)
Conteúdos na educação física escolar jogo darido2007(2)Conteúdos na educação física escolar jogo darido2007(2)
Conteúdos na educação física escolar jogo darido2007(2)
 
TRABALHO LABORATORIAL E PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS FÍSI...
TRABALHO LABORATORIAL E PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS FÍSI...TRABALHO LABORATORIAL E PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS FÍSI...
TRABALHO LABORATORIAL E PRÁTICAS DE AVALIAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS FÍSI...
 
O PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO AO INÍCIO DA DOCÊNCIA: CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁT...
O PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO AO INÍCIO DA DOCÊNCIA: CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁT...O PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO AO INÍCIO DA DOCÊNCIA: CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁT...
O PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO AO INÍCIO DA DOCÊNCIA: CONTRIBUIÇÕES PARA A PRÁT...
 
Papel da Educação física na escola
Papel da Educação física na escolaPapel da Educação física na escola
Papel da Educação física na escola
 
GRUPO DE PESQUISA: uma perspectiva para os professores em início de carreira
GRUPO DE PESQUISA: uma perspectiva para os professores em início de carreiraGRUPO DE PESQUISA: uma perspectiva para os professores em início de carreira
GRUPO DE PESQUISA: uma perspectiva para os professores em início de carreira
 
EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS DE UMA PROFESSORA INICIANTE DE EDUCAÇÃO FÍSICA NOS AN...
EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS DE UMA PROFESSORA INICIANTE DE EDUCAÇÃO FÍSICA NOS AN...EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS DE UMA PROFESSORA INICIANTE DE EDUCAÇÃO FÍSICA NOS AN...
EXPERIÊNCIAS FORMATIVAS DE UMA PROFESSORA INICIANTE DE EDUCAÇÃO FÍSICA NOS AN...
 
O INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE NA EDUCAÇÃO FÍSICA: UM OLHAR A PARTIR DOS DIÁRIO...
O INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE NA EDUCAÇÃO FÍSICA: UM OLHAR A PARTIR DOS DIÁRIO...O INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE NA EDUCAÇÃO FÍSICA: UM OLHAR A PARTIR DOS DIÁRIO...
O INÍCIO DA CARREIRA DOCENTE NA EDUCAÇÃO FÍSICA: UM OLHAR A PARTIR DOS DIÁRIO...
 
PROFESSORES INICIANTES: SEU INGRESSO NA PROFISSÃO E SUAS APRENDIZAGENS
PROFESSORES INICIANTES: SEU INGRESSO NA PROFISSÃO E SUAS APRENDIZAGENSPROFESSORES INICIANTES: SEU INGRESSO NA PROFISSÃO E SUAS APRENDIZAGENS
PROFESSORES INICIANTES: SEU INGRESSO NA PROFISSÃO E SUAS APRENDIZAGENS
 
A NARRATIVA DE PROFESSORES INICIANTES A SERVIÇO DA FORMAÇÃO DOCENTE: DIÁLOGOS...
A NARRATIVA DE PROFESSORES INICIANTES A SERVIÇO DA FORMAÇÃO DOCENTE: DIÁLOGOS...A NARRATIVA DE PROFESSORES INICIANTES A SERVIÇO DA FORMAÇÃO DOCENTE: DIÁLOGOS...
A NARRATIVA DE PROFESSORES INICIANTES A SERVIÇO DA FORMAÇÃO DOCENTE: DIÁLOGOS...
 
A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...
A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...
A Influência das Conceções Centrais dos Professores no Ensino das Ciências no...
 
Desinvestimento pedagógico
Desinvestimento pedagógicoDesinvestimento pedagógico
Desinvestimento pedagógico
 
Livreto quimica
Livreto quimicaLivreto quimica
Livreto quimica
 

Último

Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 

OS DILEMAS DA DOCÊNCIA DE PROFESSORES INICIANTES DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

  • 1. OS DILEMAS DA DOCÊNCIA DE PROFESSORES INICIANTES DE EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Ilha, Franciele Roos da Silva Ilha; Krug, Hugo Norberto francieleilha@gmail.com; hnkrug@bol.com.br Universidade Federal de Pelotas (Brasil/RS); Universidade Federal de Santa Maria (Brasil/RS) Palavras-chave: Dilemas da Docência; Professores iniciantes; Educação Física Escolar; Percurso Profissional Docente; Entrada na Carreira. Introdução Existe um consenso em que a prática pedagógica integra diversos tipos de conhecimentos e/ou saberes que são elaborados ao longo do exercício da docência (LOURENCETTI; MIZUKAMI, 2002). Assim, os professores incorporam ou mesmo se apropriam de experiências variadas, conhecimentos, teorias, crenças, etc. As autoras ainda destacam que integram também a prática pedagógica, as dificuldades, os problemas, as contradições, os conflitos. Em algumas situações vivenciadas, os professores parecem sentir-se impotentes, limitados para agir. Outro autor também chama a atenção para o fato de que: Os problemas da prática profissional docente não são meramente instrumentais; todos eles comportam situações problemáticas que obrigam a tomada de decisões num terreno de grande complexidade, incerteza singularidade e conflitos de valores. As situações que os professores são obrigados a enfrentar (e a resolver) apresentam características únicas, exigindo, portanto, respostas únicas: o profissional competente possui capacidade auto-desenvolvimento reflexivo (NÓVOA, 1992, p,27). Lampert (apud LOURENCETTI; MIZUKAMI, 2002) vê o professor como um dilemma manager, ou seja, alguém que tem a função de intermediar interesses contraditórios num trabalho que é construtivamente ambíguo. Ao explicar o sentido do termo manager, a autora chama para o fato de que a capacidade de invenção ou improvisação é uma parte necessária do repertório do gestor de dilemas. Segundo ela, o gestor é alguém que é capaz de encontrar um caminho para fazer alguma coisa e a ação e as invenções estão unidas no processo de gestão. Outro aspecto apontado pela autora é que, no ensino, os dilemas são freqüentes, porém não facilmente resolvidos. Se o professor reconhece que tem um dilema, mas não sabe o que fazer, o fato de reconhecer ou admitir faz diferença para solucionar as situações. O gestor de dilemas aceita o conflito como endêmico e ao mesmo tempo útil para o seu trabalho antes de vê-lo como um fardo que precisa ser eliminado, pois as prováveis soluções encontradas pelo professor levam a outros problemas e, por este motivo, o professor sempre discute com ele mesmo sobre o que fazer. Assim, a autora aponta a necessidade de se adotar uma imagem do ensino que leve em consideração a possibilidade de que o próprio professor é um recurso na gestão dos problemas da prática educacional. Apesar de não fazer referência à palavra dilema, denominou de conhecimento estratégico o tipo de saber que os professores utilizam quando enfrentam situações problemáticas.
  • 2. Nestas situações o professor faz uso de um tipo de conhecimento específico e diferente daquele utilizado em outros momentos (SHULLMAN apud LOURENCETTI; MIZUKAMI, 2002). Assim, tendo por base estas reflexões, chegamos à construção da seguinte questão problemática norteadora desta investigação: quais são os dilemas que os professores iniciantes de Educação Física Escolar enfrentam em suas aulas? Então, a partir desta questão problemática o objetivo geral desta investigação foi analisar os dilemas que os professores iniciantes de Educação Física Escolar enfrentam em suas aulas. A importância da realização desta investigação justificou-se pela possibilidade de fornecer subsídios para modificações no contexto da formação de professores de Educação Física, particularmente na compreensão do enfrentamento dos dilemas docentes, auxiliando conseqüentemente na qualidade da Educação Física Escolar. Destacando o caminho da investigação A metodologia empregada nesta investigação caracterizou-se pela abordagem qualitativa do tipo estudo de caso. Segundo Goode e Hatt (1968, p.17): “o caso se destaca por se constituir numa unidade dentro de um sistema mais amplo”. O interesse incide naquilo que ele tem de único, de particular, mesmo que posteriormente fiquem evidentes estas semelhanças com outros casos ou situações. O instrumento utilizado foi uma entrevista semi-estruturada que segundo Triviños (1987, p.146) “[...] parte de certos questionamentos básicos, apoiados em teorias e hipóteses, que interessam à pesquisa, e que, em seguida, oferecem amplo campo de interrogativas, fruto de novas hipóteses que vão surgindo, à medida que se recebem as respostas do informante”. A interpretação das informações foi realizada através da análise de conteúdo, que de acordo com Godoy (1997, p.23) tem como meta “entender o sentido da comunicação, como se fosse um receptor normal e, principalmente, desviar o olhar, buscando outra significação, outra mensagem, passível de se enxergar por meio ou ao lado da primeira”. Os participantes deste estudo foram dez (10) professores de Educação Física Escolar atuantes nas redes municipal, estadual e particular de ensino da cidade de Santa Maria (RS) e que estavam no inicio da carreira, isto é, com até três (3) anos de docência. Analisando as informações: os dilemas da docência O início dos dilemas de quase todos os professores iniciantes de Educação Física Escolar: o choque com a realidade Para Hüberman (1995) os professores que tem até três anos de docência estão na fase de “entrada na carreira”, a qual possui dois estágios: a) Sobrevivência – que é representada pelo choque com o real; e, b) Descoberta - que é o entusiasmo inicial, a exaltação pela responsabilidade e o sentimento de ser professor. Assim, considerando Krug (2006), em seu estudo denominado “Os primeiros anos da profissão professor de Educação Física Escolar: a insegurança, a sobrevivência e o entusiasmo profissional” os dilemas que os professores iniciantes enfrentam em suas aulas tem caracterizado este inicio como um momento de “choque com a realidade”. De acordo com Onofre e Filho (1995) o choque com a realidade é uma expressão utilizada para se referir à situação pela qual passam os professores no seu primeiro contato com a docência, quando os dilemas vividos assumem uma dimensão assustadora, isto é, ocorre um distanciamento entre o ideal e a realidade cotidiana. E, pelas falas de alguns professores este fato realmente ocorreu, pois destacaram a confrontação inicial com a complexidade da situação da atuação profissional, a distância entre os ideais e a realidade cotidiana e a dificuldade de trabalhar com os alunos.
  • 3. Os dilemas da docência dos professores iniciantes de Educação Física Escolar Aliado ao choque com a realidade foram salientados pelos professores iniciantes de Educação Física Escolar os seguintes dilemas em suas práticas pedagógicas: 1) As condições de trabalho difíceis. Estas condições de trabalho difíceis foram representadas pela falta de materiais e de espaços físicos para o desenvolvimento das aulas de Educação Física. Realmente, Farias, Shigunov e Nascimento (2001) destacam que vários estudos indicam que existe uma falta de locais e materiais nas escolas para o desenvolvimento das aulas de Educação Física. Já Krug (2004) enfatiza que a falta de materiais e espaços físicos disponíveis para a realização das atividades são fatores que interferem negativamente na prática pedagógica dos professores de Educação Física. 2) A falta de um planejamento curricular para a Educação Física. Os professores manifestaram que a falta de um conteúdo mínimo a ser trabalhado nas aulas, provoca diferenças enormes entre o que é desenvolvido em cada série e em cada escola, inclusive acarretando a repetição de conteúdos durante o desenrolar das séries. Canfield (1996) diz que o planejamento é a pedra fundamental, a razão de ser de todo o trabalho pedagógico consciente, é o que orienta o professor em sua caminhada pedagógica em busca da aprendizagem de seus alunos. Saliente ainda que, a falta de um planejamento produz uma ação acéfala, isto é, sem objetivos. 3) O número elevado de alunos nas turmas. Os professores destacaram que o número elevado de alunos nas turmas prejudica o bom andamento das aulas de Educação Física. De fato, segundo Krug (1996), a quantidade excessiva de alunos nas turmas é um fator que interfere na qualidade das aulas de Educação Física. 4) A falta de interesse dos alunos pelas atividades propostas. Um dos grandes dilemas salientado pelos professores foi a falta de interesse dos alunos pelas atividades que eram propostas pelos mesmos durante as aulas de Educação Física. Sobre esta situação, citamos Canfield et al. (1995), que dizem que o professor de Educação Física tem que despertar o interesse dos alunos para que estes sintam prazer e vejam horizontes na prática das atividades físicas. 5) A falta de apoio da comunidade, pais e alunos. Os professores destacaram o seu isolamento na escola pela falta de apoio da comunidade, pais e colegas como mais um dilema a ser enfrentado. Realmente, Libâneo (apud GHIRALDELLI JÚNIOR, 1988) confirma que, na organização escolar, a Educação Física tem ocupado um lugar secundário, freqüentemente, isolado das demais disciplinas. Afonso et al. (1996) colocam que os professores das outras áreas tem uma vista distorcida do que vem a ser uma aula de Educação Física, pois reclamam que as crianças chegam suadas após a aula e perturbam o andamento na escola. Quanto aos pais, estes têm uma visão muito limitada do que é, realmente, a Educação Física e quais seriam suas verdadeiras funções. No geral, eles vêem a Educação Física como uma atividade que aluno vai ser exigido somente fisicamente, vai suar bastante, gastar energias, ficando com isso menos ativos nas outras aulas e em casa, enfim pode-se perceber que os pais não conseguem ver a Educação Física como um espaço de aprendizagem. 6) A indisciplina nas aulas. Os professores declararam que a indisciplina dos alunos é um dilema que prejudica o bom andamento das aulas de Educação Física. Sobre os alunos Mattos e Mattos (2001)
  • 4. dizem que estes não são mais dóceis, cooperativos como antes. Já Aquino (1996) destaca que, há muito tempo os distúrbios disciplinares deixaram de ser um evento esporádico e particular no cotidiano das escolas brasileiras, para se tornarem, talvez, um dos maiores obstáculos pedagógicos dos dias atuais. Também, está claro que, a maioria dos educadores não sabe como interpretar e administrar o ato indisciplinado. Para Jesus (1999) a indisciplina dos alunos integra todos os comportamentos e atitudes perturbadoras, inviabilizando o trabalho que o professor deseja desenvolver. 7) As turmas com alunos de ambos os sexos. Os professores manifestaram que ministrar aulas de Educação Física para turmas de alunos de ambos os sexos era mais um dilema a ser enfrentado. Sobre este assunto nos reportamos a Romero (1993) que salienta que a escola atua como reprodutora da ideologia sexista e discriminatória dos papéis sexuais, e o professor de Educação Física têm atuação diretamente no reforço de padrões sexuais, permitindo acentuar, ao invés de minimizar, as desigualdades entre os sexos. Sugere uma reflexão sobre o emprego das atividades como meio de desenvolvimento integral de meninos e meninas. Já Canfield e Jaeger (1994) em pesquisa intitulada “As aulas de Educação Física: o professor e suas ações” concluem que não há diferença marcante na atuação dos professores ao ministrarem aulas para turmas de seu sexo, contrária, ou mista, entretanto, acreditam ser este dado, algo que merece uma reflexão maior, quanto ao fato das turmas serem separadas por sexo e, também, de muitas vezes, as professoras lecionarem para turmas femininas e os professores para turmas masculinas. Oliveira (1997) em pesquisa realizada constatou que os estudantes preferem a sua participação em aulas mistas de Educação Física ao invés de separadas por sexo, contrariando, portanto, as argumentações de muitos professores que, contrários à co-educação, justificam ser os alunos os maiores opositores à formação mista das turmas de Educação Física. 8) As turmas heterogêneas quanto à idade dos alunos. Outro dilema salientado pelos professores foi às turmas heterogêneas quanto à idade doas alunos e que isto prejudica o andamento normal das aulas de Educação Física. Segundo Xavier (1986) existem diferenças individuais entre as diferentes idades das pessoas, por exemplo, em tamanho, estrutura, e funcionamento interno. De acordo com Wechsler (apud XAVIER, 1986) em termos absolutos, as diferenças individuais das pessoas tem uma influência enorme sobre a performance humana. O que nos parece é que os professores de Educação Física tem enormes dificuldades de trabalhar com estas diferenças individuais dos seus alunos, e que este fato é originado de uma deficiente formação inicial. 9) As intempéries do tempo. Os professores destacaram que as intempéries do tempo, isto é, a chuva, o frio, e o calor são dilemas que enfrentam em suas aulas de Educação Física. Sobre as intempéries do tempo, Azevedo (1995) coloca que: constantemente, constata-se a existência nas aulas de Educação Física, problemas de origem ambiental, ou seja: ruídos/barulhos perturbadores, odores/cheiro desagradáveis, frio/calor intensos, etc. Concluindo a investigação Os professores iniciantes de Educação Física Escolar estudados identificaram numericamente dez dilemas: 1) o choque com a realidade; 2) as condições de trabalho difíceis; 3) a falta de um planejamento curricular para a Educação Física; 4) o número elevado de alunos nas turmas, 5) a falta de interesse dos alunos pelas atividades propostas; 6) a falta de apoio da comunidade, pais e alunos; 7) a indisciplina nas aulas; 8) as turmas com alunos de ambos os sexos; 9) as turmas heterogêneas quanto à idade dos alunos; 10) as intempéries do tempo.
  • 5. Portanto, estes são alguns dos dilemas de professores iniciantes de Educação Física Escolar que, segundo os entrevistados, colaboram com um contexto inicial da carreira, de tensões e insegurança. Para corroborar com a existência de alguns destes dilemas enumerados pelos professores deste estudo citamos Lourencetti e Mizukami (2002) que em pesquisa intitulada “Dilemas de professores em práticas cotidianas” realizada em uma escola estadual de uma cidade do interior paulista com duas professoras (uma de Ciências e outra de Português) de 5ª série do ensino fundamental que tinham seis (6) anos de tempo de experiência docente, constataram os seguintes dilemas no exercício da docência: 1) Comportamentos inadequados dos alunos com relação as regras escolares; 2) A própria 5ª série que marca a ruptura com o 1° e o 2°ciclos do ensino fundamental; 3) O programa; 4) O não domínio do conteúdo específico da matéria; e, 5) A indisciplina dos alunos em sala de aula. Entretanto, com a comparação dos dilemas docentes entre os dois estudos podemos constatar a existência permanente de dilemas na atuação pedagógica. Mas ainda podemos destacar que os professores de Educação Física possuem alguns dilemas característicos somente de sua atividade profissional, tais como: a falta de materiais e de espaços físicos para o desenvolvimento das aulas; a falta de um planejamento curricular para a Educação Física; e, as intempéries do tempo. Também podemos inferir que estes três dilemas não são característicos somente dos professores iniciantes de Educação Física Escolar. Estes dilemas seguem aparecendo permanentemente na prática pedagógica dos professores de Educação Física durante toda a sua carreira. Referências AFONSO, M.R. et al. Educação Física escolar na busca de um diagnóstico. In: PEREIRA, F.M.; RIGO. L.C. (Orgs.). Educação Física, esporte e escola. Pelotas: Editora da UFPEL, 1996. p.9-37. AQUINO, J.R.G. Apresentação. In: AQUINO, J.R.G. (Org.). Indisciplina na escola: alternativas técnicas e práticas. São Paulo: Summus, 1996. p.7-8. AZEVEDO, E.S. Perfil ambiental do espaço físico destinado à prática de Educação Física nas escolas da rede municipal de ensino da cidade de Pelotas – RS. In: PEREIRA, F.M. (Org.). Educação Física: Textos do XV Simpósio Nacional de Ginástica. Pelotas: Editora UFPEL, 1995. p.69 -74. CANFIELD, M. de S. Planejamento das aulas de Educação Física: é necessário? In: CANFIELD, M. de S. (Org.). Isto é Educação Física! Santa Maria: JtC Editor, 1996. p.21-32. CANFIELD, M. de S. et al. Os alunos gostam das aulas de Educação Física? In: PEREIRA, F.M. (Org.). Educação Física: Textos do XV Simpósio Nacional de Ginástica. Pelotas: ESEF/UFPEL, 1995. p.75-86. CANFIELD, M. de S.; JAEGER, A.A. Aulas de Educação Física: o professor e suas ações. Revista Kinesis, Santa Maria, n.13, p.57-80, jan./ jun., 1994. FARIAS, G.O.; SHIGUNOV, V; NASCIMENTO, J.V. Formação e desenvolvimento profissional dos professores de Educação Física. In: SHIGUNOV, V.; SHIGUNOV NETO, A. (Orgs.). A formação profissional e a prática pedagógica: ênfase nos professores de Educação Física. Londrina: O Autor, 2001. p.19-53.
  • 6. GHIRALDELLI JÚNIOR, P. Educação Física progressista – a pedagogia crítica-social dos conteúdos e a Educação Física brasileira. São Paulo: Loyola, 1988. GODOY, A.S. Pesquisa qualitativa: tipos fundamentais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v.35, p.20-29, mai./jun., 1995. GOODE, L.; HATT, K. Métodos em pesquisa social. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1968. HÜBERMAN, M. O ciclo de vida profissional dos professores. In: NÓVOA, A. (Org.). Vidas de professores. 2. ed. Porto: Porto Editora, 1995. p.31-62. JESUS, S.N. de . Como prevenir e resolver o stress dos professores e a indisciplina dos alunos? Lisboa: ASA, 1999. KRUG, H.N. A reflexão na prática pedagógica do professor de Educação Física, 1996. Dissertação (Mestrado em Ciência do Movimento Humano) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 1996. KRUG, H.N. Rede de auto-formação participada como forma de desenvolvimento do profissional de Educação Física, 2004. Tese (Doutorado em Ciência do Movimento Humano) – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2004. KRUG, H.N. Os primeiros anos da profissão professor de Educação Física escolar: a insegurança, a sobrevivência e o entusiasmo profissional. Revista Biomotriz, Cruz Alta: UNICRUZ, n.4, p.70-79, nov., 2006. LOURENCETTI, G. do C.; MIZUKAMI, M. da G.N. Dilemas de professores em práticas cotidianas. In: MIZUKAMI, M. da G.N.; REALI, A.M. de M.R. (Orgs.). Aprendizagem profissional da docência: saberes, contextos e práticas. São Carlos: EdUFSCAR, 2002. p.49-59. LÜDKE, M.; ANDRÉ, M.D.A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986. MATTOS, A.M. de A.; MATTOS, C.M. de A. O trabalho docente: reflexões sobre a profissão professor. Revista Presença Pedagógica, Belo Horizonte, v.7, n.41, p.69-73, set./out., 2001. NÓVOA, A. A formação de professores e formação docente. In: NÓVOA, A. (Coord.). Os professores e sua formação. Lisboa: Publicação Dom Quixote, 1992. p.15-34. OLIVEIRA, G.K. de. Possíveis contribuições das aulas de Educação Física para as relações de gênero. Revista Artus – Edição Especial – Congresso Mundial de Educação Física – Programa e Resumo, Rio de Janeiro, v.13, n.1, 1997. p.173. ONOFRE, M.S.; FIALHO, M. Diagnóstico dos problemas da prática pedagógica em Educação Física: o caso dos professores estagiário. In: CONGRESSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E CIÊNCIA DO DESPORTO DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA, IV, 1995 Coimbra. Anais. Coimbra: Universidade de Coimbra, 1995, p.EF-45. ROMERO, E. Estudo sobre estereótipos sexuais em professores de educação Física do Rio Grande do Sul. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE GINÁSTICA, 14, 1993, Pelotas. Anais. Pelotas: ESEF/UFPEL, 1993. p.24.
  • 7. XAVIER, T.P. Método de ensino em Educação Física. São Paulo: Manole, 1986.