Lição 4 amós - a justiça social, slide por professor érick freire.

2.038 visualizações

Publicada em

Slides da Escola Dominical, lição 4 - 4º trimestre de 2012.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.038
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
654
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
61
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 4 amós - a justiça social, slide por professor érick freire.

  1. 1. Lição 4 - Amós - A justiça Social como parte da Adoração. TEXTO ÁUREO “Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modonenhum entrareis no Reino dos Céus” (MT 5.20) VERDADE PRÁTICA Justiça e retidão são elementos necessários e imprescindíveis a verdadeira adoração.
  2. 2. 1 - Quem era Amós?• Amós significa “Aquele que carrega fardos”.• Não era de classe aristocrática ou abastada.• Morava nas montanhas de Tecoa, aldeia das regiões montanhosas da Judeia, cerca de 9 Km ao sul de Belém.• Tinha como profissão o pastoreio de ovelhas e a agricultura.• Leigo, pois não era da escola de profetas, mas tinha convicção de seu chamado.
  3. 3. 2 – O tempo de Amós• Governo de Uzias em Yudah (Judá – 790 até 740 a.C.)• Governo de Jeroboão II em Israel (793 a 753 a.C.)• Época de grande expansão territorial dos reinos e de grande fortuna.
  4. 4. 3 – A mensagem de Amós• Privilégios implicam perigo (Am. 3.2), quanto maior a “prosperidade”, maior o risco.• A história do povo hebreu não substitui o compromisso moral e espiritual com a lei no atual tempo.• A prática religiosa oca e com hipocrisia, ou seja, ritual, leva a ruína e não tem estima.
  5. 5. 4 – O juízo de Deus sobre as nações (Am. 1.3 – 2.3)• Amós põe em evidência o pecado de seis naçõs fora Judah e Israel.• O julgamento destas é um ato de Deus.• São julgados os pecados cometidos contra o povo de Deus.• Anúncio do julgamento às nações pagãs e depois às que se relacionavam com Israel.• Julgamento: Gaza, Damasco, Tiro, Edom, Amon e Moabe por crimes contra humanidade, principalmente escravagismo.
  6. 6. 4 – O juízo de Deus sobre as nações (Am. 1.3 – 2.3)• Judah e Israel terão punição pelos pecados contra a bondade de Deus e a violação da Torah (lei).• Juízo sobre Damasco (Am. 1. 3 - 5)• Juízo sobre Gaza (Am. 1. 6 - 8)• Juízo sobre Tiro (Am. 1. 9, 10)• Juízo sobre Edom (Am. 1. 11, 12)• Juízo sobre Amom (Am. 1. 13 - 15)• Juízo sobre Moabe (Am. 2. 1 - 3)
  7. 7. 5 – O juízo de Deus contra seu próprio povo. (Am. 2. 4 – 16)• Começa o juízo contra Seu povo.• Pecado do povo de Deus: grave, hipocrisia e dano em alto grau superlativamente maior até que as nações pagãs.• Pecado de Judah contra Deus (Am. 2. 4)• Juízo contra Judah (Am. 2. 5)• O pecado de Israel (Am. 2. 6 – 8)• Amor para com Israel (Am. 2 . 8 – 11)• Amor não correspondido pelo povo (Am. 2. 12)• Juízo a Israel (Am. 2. 13 – 16)
  8. 8. 6 – As três mensagens por Amós1. Explicação (Am. 3. 1 -15)2. Acusação (Am. 4. 1 – 13)3. Lamentação (Am. 5.1 – 6.14) 3.1. Choro do profeta, funeral da nação • Uma política corrompida e sua queda (5. 2, 3) • Cegueira espiritual (5. 4 – 6) • Corrupção moral (5.7 – 12) • Juízo (5. 8, 9, 11, 13) 3.2. Luxúria e impiedade dos israelitas (Am. 6. 1 – 14) • Líderes acomodados com o pecado (6. 1 – 3a). Qual a diferença de hoje? • Degradação moral (6. 3b – 7)
  9. 9. 6 – As três mensagens por Amós – Violência desumana (6. 3b) – O luxo excessivo (6. 4a) – Extrema preguiça(6. 4b) – Glutonaria (6. 4c) – Frivolidades (6. 5) – Embriaguez profana (6. 6) – Indiferença criminosa, egoísmo, individualismo (6. 6b) – Juízo (6. 7)
  10. 10. 7 – A luta do Profeta (Am. 7. 1 -17)• Com Deus (7. 1 – 9) – Primeiro juízo – Lacusta (7. 1, 2) A praga terrível de gafanhotos, terrível calamidade que foi usada para despertar o povo (4.9). Gafanhotos: Agentes de Deus, pois: Deus forma- os (7. 1) e os usa para cortar a fonte de renda do governo (7.1) e do povo (7.2) – Segundo juízo – Fogo (7.4): Instrumento da ira de Deus, usado para justiça divina, castigar o erro e destruir os impiedosos. – Terceiro juízo – O prumo (7. 7 – 9): Muro (povo) sujeito as medidas do prumo (7.7) e esquadrinhado por Deus (7.8) dando a reprovação (7.8b) e destruindo os principais focos de pecado (7.9).
  11. 11. 7 – A luta do Profeta (Am. 7. 1 -17)• Com os homens (7. 10 – 17) – Deturpação das palavras de Amós (7. 10, 11) – A tentação inserida nas palavras de Amazias (7. 12) – Confronto às autoridades (7. 13)
  12. 12. 8 – O colapso da nação (Am. 8. 1 -14)• Estado Vs Religião – Uma junção que não dá certo.• Condenação do fortalecimento do estado por meio da opressão aos pobres e da injustiça social, consequência: abismo.• Ricos ladrões, estado calado, religião muda, em consequência... Juízo Divino!
  13. 13. 9 – A disciplina e restauração do povo (Am. 9. 1 – 15)• Deus julga e não dá escape (9. 1 – 6)• Yaweh Soberano das nações (9. 7 -10)• Restauração gloriosa do povo (9. 11 – 15)
  14. 14. 10 – A teologia de Amós• Deus governa todas as nações, é soberano• A religião verdadeira é intrinsecamente ligada a história e a vida social• Deus vivo e único, criador e controlador (4. 12; 9.5, 6)• Deus é o Senhor da história• Deus é o Senhor da natureza física• Deus é o Senhor da justiça• A graça e eleição divina não é desculpa para pecar (5.18)• Rituais não salvam se a prática da justiça e da equidade, pois isso insulta a Deus (6. 4 – 7)
  15. 15. A PAZ DO SENHORSlide elaborado pelo professor Érick Freireembasado na obra de Hernandes Dias Lopes. Acesse: www.ebdbrasil.net

×