Revisional pism II

698 visualizações

Publicada em

Conteúdo do PISM II

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
698
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
654
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revisional pism II

  1. 1. Revisional PISM – II Professor Rodolfo Alves Pereira 2016
  2. 2. Iluminismo (Século XVIII – Luzes) • Movimento intelectual e político. • Crítica ao Antigo Regime. • Princípios gerais: • Razão; • Educação; • Defesa dos direitos naturais. • Liberdade de Pensamento; • Tolerância Religiosa; • Igualdade Jurídica; • Liberdade Individual; • Liberalismo Econômico; • Busca da felicidade.
  3. 3. Liberalismo • Origem da riqueza: trabalho (Adam Smith). • Relações de trabalho: donos dos meios de produção x donos da força de trabalho. • Defesa da não intervenção do governo na economia. • Mercado: regulado por uma mão invisível (lei da oferta e da procura). • Serviu de base para o avanço do capitalismo.
  4. 4. Revolução Francesa (1789) • Pôs fim ao Antigo Regime na França. • Princípios: Liberdade, Igualdade e Fraternidade. • Assembleia Nacional Constituinte (1789-1791): • Aprovou a Declaração dos direitos do homem e do cidadão: preservação dos direitos naturais do indivíduo; • Aboliu os privilégios da nobreza (obrigações feudais e outros); • 14/07/1789: Tomada da Bastilha.
  5. 5. Revolução Industrial • Sistema produtivo antecedente: artesanato e manufatura. • Começou na Inglaterra, séc. XVIII. • Introdução da máquina a vapor (carvão). • Impactos sociais, demográficos, agrários e urbanísticos. • Grande mudança no sistema produtivo e nas relações de trabalho (Trabalho assalariado, Divisão e Especialização do Trabalho, Linha de Montagem, Alienação do Trabalho). • Colônias: mercado consumidor e fornecimento de matéria-prima (algodão). • Capitalistas x proletários.
  6. 6. A classe operária inglesa -Séc. XIX • A demanda fabril contribuiu para a formação da classe operária. • Organização do proletariado (consciência de classe). • Movimentos de resistência (ludismo, cartismo). • Risco de ruptura da ordem vigente (Manifesto comunista, Marx e Engels).
  7. 7. Liberalismo x Socialismo • Defesa do livre mercado. • Não interferência governamental na economia. • Proteção à propriedade privada. • Pensadores: Adam Smith, David Ricardo. • Estatização da economia; • Coletivização dos bens e das riquezas; • Fim da propriedade privada; • Pensadores: Karl Marx, Frederich Engels.
  8. 8. Resistência ao capitalismo – novas ideias políticas no século XIX • Socialismo utópico: esboço de modelos para um mundo melhor (Saint-Simon, Charles Fourier, Robert Owen). • Socialismo científico: materialismo histórico; luta de classes (Karl Marx, Friderich Engels). • Anarquismo: liberdade nas relações humanas; fim do Estado (Pierre Joseph Proudhon, Mikhail Bakunin).
  9. 9. Período Napoleônico (1799-1815) • Bloqueio Continental (1806): Debilitar economicamente a Inglaterra.
  10. 10. Consequências das Guerras Napoleônicas • Independência das colônias espanholas (vácuo de poder no trono espanhol). • Congresso de Viena (1814-1815): restabelecer a ordem na Europa passava pela contenção da Revolução Francesa. • Restituir os monarcas aos tronos e as colônias para suas metrópoles. • Formação da Santa Aliança: sufocar manifestação nacionalista ou liberal. *Posição da Inglaterra era a favor do Liberalismo e da independência das colônias.
  11. 11. Unificação da Itália • Península itálica: divida em várias unidades independentes. • Congresso de Viena: as regiões da península foram dominadas por França, Áustria e Igreja Católica. • Burguesia: desejava unificação para ampliar a industrialização e o comércio no exterior. • Nacionalismo: singularidades da história de um povo, se opunha à internacionalização das doutrinas proletárias. • 1848: Primeira tentativa de unificação pelo rei do Piemonte- Sardenha, Carlos Alberto (sufocada por tropas austríacas e francesas). Ideal de unificação se manteve vivo pelos grupos nacionalistas. • 1859: Camilo Benso, conde de Cavour e primeiro-ministro do reino, liderou a unificação. No sul, Giuseppe Garibaldi formou um exército de voluntários (camisas vermelhas) e avançou pelo território. • 1860: Vitor Emanuel II foi proclamado rei da Itália. Veneza e Roma foram anexadas em 1866 e 1870, respectivamente. • A questão romana: só foi resolvida em 1929 (Tratado de Latrão) com a criação do Estado do Vaticano.
  12. 12. Unificação Alemã • Alemanha: conjunto de 39 estados independentes. • 1815 (Congresso de Viena): Confederação Germânica – liderada pela Prússia e Áustria. • 1834: Zollverein – forma de integração econômica/eliminar impostos alfandegários. • Nacionalismo: pregava a união étnica e cultural dos povos germânicos. • 1862: O chanceler da Prússia - Bismarck – iniciou o processo de unificação investido em força bélica. • 1871: após guerrear contra França, Áustria e Dinamarca a Alemanha foi unificada. • A industrialização acelerou e exigiu a busca de novos mercados consumidores (disputa por colônias com França e Inglaterra - IMPERIALISMO).
  13. 13. “América para os americanos” • Doutrina Monroe (1823). • Voltava-se contra a criação de novas colônias na América. • Reconhecia os Estados independentes. • Não intervenção dos EUA em conflitos dos países europeus e suas colônias na América. • Evidenciou o caráter agressivo da política externa norte-americana. • Transformou a América Central e o Caribe em áreas sobre o controle dos EUA. • Estabeleceu os EUA como “protetores da América”.
  14. 14. Expansão territorial dos EUA • “Marcha para o Oeste”; “Destino Manifesto”; República Perfeita. • 1803: Aquisição da Lousiana junto à França. • 1818: Ocupação da Flórida/Pagamento à Espanha. • 1845-1848: Anexação do Texas, Califórnia e do Novo México – Guerra contra o México. • Incentivo à imigração para ocupar as terras. • 1862: Homestead Act: garantia a posse da terra para quem produzisse nela por cinco anos consecutivos. (Motivar a imigração europeia). • Índios: massacrados ou confinados em reservas. “Lei de remoção dos índios” (1830).
  15. 15. Guerra de Secessão • Guerra Civil dos EUA (1861-1865). • Norte (industrializado) X Sul (escravocrata). • 11 estados escravocratas criaram os Estados Confederados da América. • 1865: os Confederados foram derrotados pela União. • Abolição da escravidão em todo o país; Afirmação do modelo capitalista e industrial.
  16. 16. Guerras de independência no Brasil (1822- 1824) • Algumas regiões resistiram à proclamação da independência. • Capitania do Grão-Pará e Maranhão: estava vinculada aos interesses metropolitanos. • Notícia da independência chegou tarde no Norte. • Distúrbios no Piauí: saques, levantes civis e militares. Batalha de Jenipapo: vitória das tropas pró-independência (1823). • Bahia (1822-1823) também houve enfrentamento entre os que apoiavam d. Pedro (incluindo homens livres pobres, libertos e escravos) contra o grupo leal à Portugal. As forças portuguesas também foram derrotadas.
  17. 17. Monarquia constitucional – Primeiro Reinado (1822-1831) • Elite (proprietários e comerciantes) do Centro-Sul: desejavam uma monarquia constitucional. D. Pedro: era favorável ao império absolutista. • 1823: D. Pedro dissolveu a Assembleia Constituinte. • 1824: Outorgou a Constituição. Criou o poder Moderador. Estabeleceu o voto censitário. • 1824: Confederação do Equador – cunho republicano/contra a tirania do Imperador. • Guerra Cisplatina: derrota brasileira. Surgimento do Uruguai (1828). • 1831: Noite das Garrafadas (conflitos entre portugueses e brasileiros). Abdicação do trono e retorno de D. Pedro I para Portugal.
  18. 18. Construir a nação e identidade nacional • Após a guerra de independência era preciso construir a identidade nacional. • Povo brasileiro: heterogêneo. • Índios: deveriam ser assimilados. • Negros: abolição gradual. • Brancos: incentivar a vinda de europeus. • Literatura romântica: exaltação da natureza e idealização do índio. Ex: Iracema e O Guarani, de José Alencar. (Processo de longa duração).
  19. 19. Período Regencial (1831-1840) • Descentralização Política. • Elites no Poder/Oligarquias. • Guarda Nacional (ordem e unidade nacional). • Ato adicional de 1834. • Assembleias Provinciais. • Autonomia para as províncias. • Instabilidade política / Disputa entre Liberais e Conservadores. • Rebeliões Regenciais. • Golpe da Maioridade.
  20. 20. Segundo Reinado(1840-1889) • Governo de D. Pedro II. • Estabilidade política. • Guerra do Paraguai (1864-1870). • Campanha do Abolicionismo. • 1889: Golpe civil militar. • Razões para o fim da monarquia: Questão militar, questão religiosa, ideias republicanas, insatisfação dos cafeicultores com a abolição, isolamento do monarca.
  21. 21. Sociedade e economia brasileira – final do XIX • Marcha do café para o oeste paulista. • Lei de terras (1850)/Terras só poderiam ser adquiridas por compra. • Exportação do café. • Expansão do capitalismo e das atividades industriais. • Aumento da malha ferroviária. • Urbanização. • Substituição do trabalho escravo por imigrantes, principalmente europeus.

×