Seminário apresentação rvcc

250 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
250
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário apresentação rvcc

  1. 1. COMUNIDADE EM DESENVOLVIMENTOEDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS Equipa CNO Práticas/Forças/Constrangimentos
  2. 2. “A educação é um processo social, édesenvolvimento. Não é a preparaçãopara a vida, é a própria vida.” John Dewey
  3. 3. ETAPAS INICIAIS DE INTERVENÇÃO NO CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES Levantamento do perfil do candidato
  4. 4. ETAPAS INICIAIS DE INTERVENÇÃO NO CENTRO NOVAS OPORTUNIDADES Ofertas educativas e formativasENCAMINHAMENTO externas ao CNO Orientação para a oferta mais adequada ao perfilde competências do candidato Processo de reconhecimento, validação e certificação de competências (RVCC)
  5. 5. UMA OPORTUNIDADE PARA TODOSA educação de grupos socialmente deprimidos e grupos de risco - apenas é realizada quando existe um interesse político-socialAdaptação do Centro Novas Oportunidades Anselmo de Andrade auma nova realidade – princípio da educabilidade e da capacidadeuniversal de aprendizagem, numa perspetiva social e educativa facea contextos socialmente excluídos.
  6. 6. UMA OPORTUNIDADE PARA TODOS Nível de ensino atingido na população do Continente e das PCDI População Nível de ensino do PCDI continenteNão sabe ler nem escrever /sabe ler, mas não frequentou a escola 3,2% 20,9%Ensino básico – 1.º ciclo 32,3% 56,6%Ensino básico – 2.º ciclo 15,3% 10,7%Ensino básico – 3.º ciclo 20,1% 6,5%Ensino secundário 18,7% 3,4%Curso Médio/ensino superior 10,4% 1,9%Total 100,0% 100,0% Fonte: CRPG – Elementos de caracterização das Pessoas com Deficiências e Incapacidades em Portugal, 2007
  7. 7. UMA OPORTUNIDADE PARA TODOSRealização de formação dentro desta área Análise e adaptação do contexto e das metodologias do Centro Levantamento e realização de parceriasRealização de reuniões de trabalho com várias entidades especializadasCandidatos em diagnóstico e candidatos encaminhados para processo RVCC
  8. 8. PROCESSO RVCC – DA VIDA PARA O REFERENCIAL Validação decompetências através das experiências de vida dos adultos,devidamente refletidas na narrativa autobiográfica Referencial de competências-chave
  9. 9. PROCESSO RVCC – DA VIDA PARA O REFERENCIAL Sessões de descodificação do referencial Experiência/competência Sessões individuais com os adultos Sessões de formação complementar Validação de competências Júri de certificação
  10. 10. PROCESSO RVCC – DA VIDA PARA O REFERENCIAL Objetivos do processo de RVCCValorizar a aprendizagem ao longoda vida através do reconhecimento e certificação de competências Permitir a valorização pessoal, social e profissional Fator de justiça social
  11. 11. O PRAZER DA LEITURASempre gostei de ler e li, mais ocasionalmente, esteou aquele livro. Agora que sei ir ao encontro deles, écomo ter chegado a uma clareira e definir a próximaexpedição.Um livro pode realmente alterar a nossa maneira deestar na vida, não só pelo diálogo que desencadeiadentro de nós, como por espelhar as nossasnecessidades mais profundas. Otília Maria
  12. 12. Visitas àbiblioteca Viajar através das palavras Tertúlias
  13. 13. VISITAS CULTURAIS A visita foi para mim o reencontro com lugares esquecidos desta cidade que tão bem conheço, a cidade onde me orgulho de ter nascido e onde vivo. Na exposição encontro fotos de um passado que me é querido, e sinto a falta de ver em laboração algumas das indústrias existentes em todaMuseu da cidade de Almada a zona ribeirinha. João Valente
  14. 14. DEBATES“os percursos da Debate sobre os media informação”
  15. 15. PALESTRAS E AÇÕES “Acordo ortográfico”“A emigração açoriana”
  16. 16. EMPREENDEDORISMO Não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra, no trabalho, na ação-reflexão. Paulo FreireDinamizada pela Santa casa da Misericórdia de Almada
  17. 17. Como seres humanos a nossa grandezanão jaz em sermos capazes de refazer omundo – é esse o mito da era atómica – mas em sermos capazes de nos refazermos a nós próprios. Mahatma Gandhi

×