<ul><li>Prevenção  </li></ul><ul><li>de riscos </li></ul><ul><li>e </li></ul><ul><li>desenvolvimento  </li></ul><ul><li>su...
Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável <ul><li>O nosso maior desafio para este século é pegar numa ideia que pa...
<ul><li>Desenvolvimento Sustentável é o “desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a satisf...
<ul><li>Da Cimeira do Rio resultou: </li></ul><ul><li>a  Agenda 21 Local , que engloba um conjunto de estratégias visando ...
<ul><li>Educar para a sustentabilidade envolve os sistemas económico, político e social que intervêm e causam impacto no a...
<ul><li>Os principais objectivos da aprendizagem são transmitir conhecimentos e ensinar competências tais como resolução d...
<ul><li>A UNESCO disponibiliza  on-line  um programa multimédia de educação para o desenvolvimento sustentável </li></ul><...
<ul><li>PREVENÇÃO DE RISCOS </li></ul><ul><li>Os últimos anos têm sido marcados por um crescimento da frequência de catást...
<ul><li>Os riscos naturais, numa determinada região, são induzidos por fenómenos naturais como sismos, erupções vulcânicas...
<ul><li>A ocorrência destes fenómenos é muitas vezes possível de conhecer graças à memória e aos traços deixados pelo pass...
<ul><li>Os riscos tecnológicos estão directamente relacionados com as actividades humanas e incluem o risco industrial, o ...
<ul><li>As catástrofes naturais não se limitam apenas a determinadas regiões, já que ocorrem tanto em países industrializa...
<ul><li>Os riscos tecnológicos também podem envolver regiões ou ultrapassar fronteiras, como se demonstrou com o acidente ...
<ul><li>Existe também a possibilidade de ocorrerem simultaneamente acidentes naturais e tecnológicos, como sucedeu em Fran...
<ul><li>Todos estes factores justificam os esforços conjuntos da comunidade internacional para o lançamento de iniciativas...
<ul><li>Em 1989 a Assembleia Geral das Nações Unidas decretou os anos 90 como Década Internacional para a Prevenção de Cat...
<ul><li>Em 1999 o Fórum Global de Genebra introduziu um documento determinante - a Estratégia Mundial para a Redução de Ca...
<ul><li>Esta abordagem fundamenta-se no facto de poderem ser atenuadas perdas humanas e grau de destruição quando se reduz...
<ul><li>A natureza e o grau de vulnerabilidade variam de país para país e de região para região, mas também com a altura d...
<ul><li>Consultar a Estratégia Nacional de Desenvolvimento Sustentável em: </li></ul><ul><li>http:// www.planotecnologico....
<ul><li>Em Janeiro de 2005 a Conferência Mundial sobre Prevenção de Catástrofes reunida em Kobe, no Japão produziu um docu...
<ul><li>O Quadro de Acção de Hyogo enuncia objectivos estratégicos e prioridades de acção, nomeadamente: </li></ul><ul><li...
Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável <ul><li>O que podemos fazer? </li></ul><ul><li>Na Escola: </li></ul><ul>...
Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável <ul><li>O que podemos fazer? </li></ul><ul><li>Em Casa: </li></ul><ul><l...
Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável <ul><li>Para mais informações: </li></ul><ul><li>Serviço Municipal de Pr...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Desenv sustentave prevencaoriscos_anpc

636 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
636
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desenv sustentave prevencaoriscos_anpc

  1. 1. <ul><li>Prevenção </li></ul><ul><li>de riscos </li></ul><ul><li>e </li></ul><ul><li>desenvolvimento </li></ul><ul><li>sustentável </li></ul>
  2. 2. Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável <ul><li>O nosso maior desafio para este século é pegar numa ideia que parece abstracta – o desenvolvimento sustentável – e transformá-la em realidade para todos os povos do mundo </li></ul><ul><li>Kofi Annan, Secretário-Geral das Nações Unidas </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Desenvolvimento Sustentável é o “desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a satisfação das necessidades das gerações futuras”. </li></ul><ul><li>In Relatório Bruntland </li></ul><ul><li>apresentado na Cimeira do Rio </li></ul><ul><li>(Conferência das Nações Unidas para o Ambiente e Desenvolvimento), 1992 </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  4. 4. <ul><li>Da Cimeira do Rio resultou: </li></ul><ul><li>a Agenda 21 Local , que engloba um conjunto de estratégias visando inverter o processo de deterioração ambiental, a nível regional; </li></ul><ul><li>- a Declaração do Rio , um conjunto de princípios que pretende garantir a manutenção do equilíbrio ecológico do planeta e do desenvolvimento sustentável global. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  5. 5. <ul><li>Educar para a sustentabilidade envolve os sistemas económico, político e social que intervêm e causam impacto no ambiente natural e construído. </li></ul><ul><li>A educação para o desenvolvimento sustentável lida com estes sistemas ao nível local, nacional e global. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  6. 6. <ul><li>Os principais objectivos da aprendizagem são transmitir conhecimentos e ensinar competências tais como resolução de problemas e conflitos, construção de consensos, gestão de informação, expressão interpessoal, pensamento crítico e pensamento criativo. </li></ul><ul><li>A educação para a sustentabilidade oferece um veículo exemplar para desenvolver e exercitar muitas destas competências. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  7. 7. <ul><li>A UNESCO disponibiliza on-line um programa multimédia de educação para o desenvolvimento sustentável </li></ul><ul><li>Teaching and Learning for a Sustainable Future </li></ul><ul><li>em </li></ul><ul><li>www.unesco.org / education / tlsf </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  8. 8. <ul><li>PREVENÇÃO DE RISCOS </li></ul><ul><li>Os últimos anos têm sido marcados por um crescimento da frequência de catástrofes - sismos, secas, inundações, tempestades, acidentes industriais - que têm causado pesadas consequências em termos de vidas humanas, destruição de edifícios e infra-estruturas económicas, sociais e culturais. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  9. 9. <ul><li>Os riscos naturais, numa determinada região, são induzidos por fenómenos naturais como sismos, erupções vulcânicas, movimentações de terrenos, ciclones ou tempestades, cheias, enxurradas, incêndios florestais, etc. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  10. 10. <ul><li>A ocorrência destes fenómenos é muitas vezes possível de conhecer graças à memória e aos traços deixados pelo passado, embora seja difícil avaliar a respectiva frequência (ou probabilidade), sobretudo quando os fenómenos são raros ou quando ocorrem em regiões recentemente povoadas. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável Lisboa, maremoto de 1 de Novembro de 1755
  11. 11. <ul><li>Os riscos tecnológicos estão directamente relacionados com as actividades humanas e incluem o risco industrial, o risco nuclear e o risco de transporte de matérias perigosas. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável Peaceful Kingdom, Steve Sack in Minneapolis Star Tribune
  12. 12. <ul><li>As catástrofes naturais não se limitam apenas a determinadas regiões, já que ocorrem tanto em países industrializados como países em vias de desenvolvimento. </li></ul><ul><li>São disso exemplo as inundações que devastaram Nova Orleães em 2005. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  13. 13. <ul><li>Os riscos tecnológicos também podem envolver regiões ou ultrapassar fronteiras, como se demonstrou com o acidente nuclear de Chernobyl, em 1986. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável A vermelho, a nuvem radioactiva em 27 de Abril www.worldprocessor.com/53.htm
  14. 14. <ul><li>Existe também a possibilidade de ocorrerem simultaneamente acidentes naturais e tecnológicos, como sucedeu em França, em 1999, quando dois sistemas de arrefecimento da central nuclear de Blayais foram submergidos por efeito de uma forte tempestade que provocou enormes inundações na região. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  15. 15. <ul><li>Todos estes factores justificam os esforços conjuntos da comunidade internacional para o lançamento de iniciativas em matéria de prevenção de riscos. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  16. 16. <ul><li>Em 1989 a Assembleia Geral das Nações Unidas decretou os anos 90 como Década Internacional para a Prevenção de Catástrofes Naturais. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  17. 17. <ul><li>Em 1999 o Fórum Global de Genebra introduziu um documento determinante - a Estratégia Mundial para a Redução de Catástrofes - a qual constitui um importante momento de viragem ao privilegiar a abordagem da prevenção e educação para os riscos. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  18. 18. <ul><li>Esta abordagem fundamenta-se no facto de poderem ser atenuadas perdas humanas e grau de destruição quando se reduz a vulnerabilidade das comunidades mais expostas. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  19. 19. <ul><li>A natureza e o grau de vulnerabilidade variam de país para país e de região para região, mas também com a altura do dia ou da semana em que a ocorrência se produz (horas de ponta, dias de trabalho ou feriados). </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  20. 20. <ul><li>Consultar a Estratégia Nacional de Desenvolvimento Sustentável em: </li></ul><ul><li>http:// www.planotecnologico.pt / desenvolvimentosustentavel / pt / a-estrategia / </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  21. 21. <ul><li>Em Janeiro de 2005 a Conferência Mundial sobre Prevenção de Catástrofes reunida em Kobe, no Japão produziu um documento: </li></ul><ul><li>o Quadro de Acção de Hyogo 2005-2015 , no qual se define um plano para uma década com o objectivo de proteger o planeta contra os efeitos nefastos das catástrofes naturais. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  22. 22. <ul><li>O Quadro de Acção de Hyogo enuncia objectivos estratégicos e prioridades de acção, nomeadamente: </li></ul><ul><li>Tornar prioritária a educação para a prevenção de riscos; </li></ul><ul><li>Integrar a redução de riscos de catástrofe na planificação e políticas de desenvolvimento sustentável. </li></ul><ul><li>Reforçar a prevenção e sensibilização para os riscos no quadro escolar e local. </li></ul>Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável
  23. 23. Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável <ul><li>O que podemos fazer? </li></ul><ul><li>Na Escola: </li></ul><ul><li> Conhecer os riscos locais </li></ul><ul><li> Aprender medidas de prevenção e autoprotecção </li></ul><ul><li> Construir, de forma participada, o Plano de Prevenção e Emergência </li></ul><ul><li> Treinar procedimentos </li></ul><ul><li> Testar respostas </li></ul><ul><li>Integrar a prevenção de riscos: </li></ul><ul><li> Projecto Educativo de Escola ou Agrupamento </li></ul><ul><li> Plano Anual de Actividades </li></ul>
  24. 24. Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável <ul><li>O que podemos fazer? </li></ul><ul><li>Em Casa: </li></ul><ul><li>Conhecer riscos locais </li></ul><ul><li>Fazer Plano Segurança Familiar </li></ul><ul><li>Adoptar medidas de prevenção e autoprotecção </li></ul><ul><li>Organizar Kit de Emergência </li></ul><ul><li>Treinar procedimentos </li></ul>
  25. 25. Prevenção de riscos e desenvolvimento sustentável <ul><li>Para mais informações: </li></ul><ul><li>Serviço Municipal de Protecção Civil </li></ul><ul><li>Comando Distrital de Operações de Socorro </li></ul><ul><li>Autoridade Nacional de Protecção Civil </li></ul><ul><li>www.proteccaocivil.pt/ </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>

×