Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados

872 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
872
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Representação Descritiva - RD - Catálogos e Bases de dados

  1. 1. S organização do conhecimento e representação de documentos. Tema de aula: - Utilização de bases de dados manuais: Catálogos internos e externos - Catálogos automatizados - Utilização de Bases de dados eletrônicas. MÓDULO 2 Docente: Priscila R. Campos priscilacampos0302@gmail.com
  2. 2. SApresentação de Catálogos: Definição: Catálogo é um meio de comunicação, que veicula mensagens sobre os registros do conhecimento, de um ou vários acervos, reais ou ciberspaciais, apresentando- as com sintaxe e semântica próprias e reunindo os registros do conhecimento por semelhanças, para os usuários desse acervo. O catálogo explicita por meio das mensagens, os atributos das entidades e os relacionamentos entre elas. (MEY; SILVEIRA, 2009)
  3. 3. SApresentação de Catálogos: Para que serve um catálogo ? • encontrar, • identificar, • selecionar e • obter recursos bibliográficos e • navegar um catálogo (IFLA MEETINGS OF EXPERTS ON AN INTERNATIONAL CATALOGUING CODE, 2009)
  4. 4. SPara que serve ? Mediação entre ... autor – bibliotecário – documento – pesquisador – usuário etc. Administração desde à aquisição ao atendimento do usuário – registro patrimonial – capitação de recursos (humanos e financeiros) etc. Memória Ele estabelece a história da Instituição através de seu acervo, mesmo com a retirada do item, seu registro permaneceria – identificar, através do catálogo as questões políticas vivenciadas em determinados contextos
  5. 5. Ao catálogos externos são os destinados ao público, são um produtos dos catálogos internos ou auxiliares, àqueles destinados aos profissionais, aos serviços bibliotecários. Podem ser organizados: Alfabeticamente: Como um todo (todos os tipos de acesso), denominado catálogo-dicionário ou com as entradas separadas, denominado catálogo dividido; Sistematicamente: Com entradas de assuntos organizadas pelo número de classificação. Os Catálogos externos possuem três tipos de acesso: *responsabilidade *título *assunto SCatálogos Externos:
  6. 6. SCatálogos Internos: • Catálogos manuais internos: são os catálogos para acesso interno da biblioteca. “Os catálogos internos ou auxiliares são os que dão suporte as diferentes atividades dos catalogadores e demais bibliotecários, são catálogos indispensáveis para o controle dos cabeçalhos, da coleção e dos catálogos externos, permitindo a continuidade e a padronização do trabalho, mesmo que haja mudança dos responsáveis.” (MEY, 1995)
  7. 7. SCatálogos Internos: Catálogos manuais internos abrangem: • Catálogos de identidade; • Catálogos de assuntos; • Catálogos de número de classificação; • Catálogos de série e de títulos uniformes; • Catálogo decisório, • Catálogo topográfico; • Catálogo oficial; • Catálogo de registro.
  8. 8. SComo escolher o melhor catálogo ? S Assim, a melhor escolha do tipo de catálogo vai depender: > recursos disponíveis em cada biblioteca; > tamanho de seu acervo; > características do público que irá utilizá-lo. Podem ser vinculados a somente um acervo como também a vários ao mesmo tempo.
  9. 9. SCatálogos automatizados • O uso de catálogo automatizado facilita e abranger a disseminação da informação em maior alcance, viabilizando a consulta dos itens do acervo através de softwares. Exemplos de programas: Bib Livre, Sisbib, Aleph, Minerva, Sophia, PHL, Sofbib, Caribe, TotsBib, Dedalus, Verum, Pergamum, Koha ... Entre vários outros.
  10. 10. SCatálogos automatizados
  11. 11. SUtilização de bases de dados eletrônicas A utilização das bases de dados eletrônicas é um agregador de valor,uma ferramenta impressindivel junto a recuperação da informação, informação esta que deve ser tratada rigorosamente pelo processo de catalogação para que assim haja a recuperação correta pelo usuário. Cabe ao técnico saber ler e interpretar um estratégia de busca feita pelo bibliotecário responsável, para auxiliar ao usuário neste processo de recuperação. Segue abaixo algumas bases de dados atualmente mais utilizadas: SCIELO - PORTAL CAPES- LILAC’S – SCOPOS - ENTRE OUTRAS …
  12. 12. SUtilização de bases de dados eletrônicas
  13. 13. SUtilização de bases de dados eletrônicas
  14. 14. SApresentação de vídeo sobre a importância da catalogação.
  15. 15. STarefas / avaliação O Conteúdo desta aula será divido em 2 aulas de 4 horas cada, algumas atividades abordarão estratégias pedagógicas e novas metodologias: • Propor um trabalho feito em sala (Tempestade Cerebral) para realizar escolha de uma base de dados online e porque a escolha daquela base e suas funcionalidades. Os alunos terão 20 minutos para executar estratégias de buscas já estabelecidas e utilizar um gerenciador de referencias online, Ex: ZOTERO ou EndNote. • Será sugerido ao aluno para inserir em 3 catálogos automatizados, diferentes 10 títulos de livros e periódicos, para avaliação de uso das bases em cima disso será feita uma discussão em sala de aula.
  16. 16. STarefas / avaliação Para retomada da aula na semana seguinte será sugerida uma tarefa de pesquisa online para os alunos, sobre os itens: • Catálogos de identidade; • Catálogos de assuntos; • Catálogos de número de classificação; • Catálogos de série e de títulos uniformes; • Catálogo decisório, • Catálogo topográfico; • Catálogo oficial; • Catálogo de registro.
  17. 17. SReferências: Bibliografia básica: CRUZ, Anamaria da Costa da; MENDES, Maria Tereza Reis. A biblioteca: o técnico e suas tarefas. 2. ed. Niterói: Intertexto, 2009. ESTABEL, Lizandra Brasil; MORO; Eliane Lourdes da Silva. Biblioteca: conhecimentos e práticas. Porto Alegre: Penso, 2014. MEY, Eliane Serrão Alves; SILVEIRA, Naira Christofoletti. Catalogação no plural. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 2009. MILANESI, Luís Augusto. O que é biblioteca?. São Paulo: Brasiliense, 1983. RODRIGUES, Anielma Maria Marques; PRUDENCIO, Ricardo Bastos Cavalcante. Automação: a inserção da biblioteca na tecnologia da informação. Biblionline, João Pessoa, v. 5, n. 1/2, 2009.
  18. 18. SReferências: SANTOS, Jussara Pereira. O técnico em biblioteconomia e sua inserção no mercado de trabalho Brasileiro. Disponível em: <http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/10278/000391096.pdf?sequence=1> . Acesso em: 15 maio 2014. SILVA, Divina Aparecida da; ARAÚJO, Iza Antunes. Auxiliar de bibliotecas: técnicas e práticas para formação profissional. 6. ed. Brasília: Thesaurus, 2009. Bibliografia Complementar: PEREIRA, J. L. Tecnologia de bases de dados. 2. ed. Lisboa: FCA Editora de Informática,1998. SOUSA, Artur Afonso. Bases de dados Web e XML. Lisboa: FCA Editora de Informática, 2002.
  19. 19. SReferências: IFLA MEETINGS OF EXPERTS ON AN INTERNATIONAL CATALOGUING CODE. Statement of International Cataloguing Principles. 2009. Disponível em: <http://www.ifla.org/en/publications/statement-of-international-cataloguing-principles>. Acesso em: 18 jul. 2011. Tradução para o português, disponível em: < http://www.ifla.org/files/cataloguing/icp/icp_2009-pt.pdf>. Acesso em: 18 jul. 2011. SILVEIRA, Naira. Slides de apresentação: o catálogo como instrumento de mediação e administração e memória. Pouso Alegre, 2014.

×