SlideShare uma empresa Scribd logo

1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais).pdf

Prime Assessoria
Prime Assessoria
Prime AssessoriaProfessor em Unicesumar

ATIVIDADE 3 - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023 APARELHOS DE NEOPRENE A utilização de aparelhos de neoprene em pontes desempenha um papel crucial na preservação e na manutenção da integridade estrutural dessas importantes infraestruturas. O neoprene, um tipo de borracha sintética resistente, é desenvolvido em pontes devido às suas propriedades específicas de absorção de choque e capacidade de suportar cargas significativas. Sabe-se que os aparelhos de apoio vinculam determinadas partes da superestrutura, permitindo, ao mesmo tempo, os movimentos previstos no projeto e provocados por esforços, protensão, variação de temperatura e retração do concreto, que modificam as dimensões dos elementos. Nas pontes e nas construções de grande porte, a estrutura deve funcionar, na medida do possível, de acordo com as hipóteses previstas no cálculo, sendo, portanto, necessária a utilização de aparelhos de apoio adequados nos locais onde o cálculo admitiu a possibilidade de acontecerem movimentos. A figura 1 ilustra o aparelho de apoio existente na região de interface entre uma longarina e um pilar em concreto A partir destas informações, você, futuro engenheiro (a), deverá realizar o pré-dimensionamento de um aparelho de apoio de neoprene que será posicionado abaixo de uma longarina de ponte cuja reação de apoio vertical será de 2.800 kN. A longarina tem comprimento de 22 metros e largura de 45 cm, enquanto o aparelho de apoio tem tensão admissível igual a σadm = 7 MPa (ou 7000 kN/m²). Considere que a longarina poderá estar sujeita a deformações horizontais da ordem de ε = 1,0‰ em decorrência de ações lentas, como a retração e a variação de temperatura. Para isto, determine as seguintes informações: Figura 1: Apoio para transferência de esforços Fonte: FERNANDES NETO (2022) 1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais) 2) Determinar as dimensões a e b (m) (arredondar para 2 casas decimais) 3) Calcular o deslocamento horizontal gerado pelas deformações provenientes das cargas lentas, como retração, fluência e temperatura (cm) (arredondar para 3 casas decimais) 4) Determinar a espessura do aparelho de apoio (cm) (arredondar para 2 casas decimais)

1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais).pdf

1 de 3
Baixar para ler offline
(99) 98525-8486
(99) 98525-8486
(99) 98525-8486
Confira nosso Instagram com diversos feedbacks dos nossos
alunos!
ATIVIDADE 3 - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023
APARELHOS DE NEOPRENE
A utilização de aparelhos de neoprene em pontes desempenha um papel crucial na
preservação e na manutenção da integridade estrutural dessas importantes infraestruturas.
O neoprene, um tipo de borracha sintética resistente, é desenvolvido em pontes devido às
suas propriedades específicas de absorção de choque e capacidade de suportar cargas
significativas. Sabe-se que os aparelhos de apoio vinculam determinadas partes da
superestrutura, permitindo, ao mesmo tempo, os movimentos previstos no projeto e
provocados por esforços, protensão, variação de temperatura e retração do concreto, que
modificam as dimensões dos elementos. Nas pontes e nas construções de grande porte, a
estrutura deve funcionar, na medida do possível, de acordo com as hipóteses previstas no
cálculo, sendo, portanto, necessária a utilização de aparelhos de apoio adequados nos
locais onde o cálculo admitiu a possibilidade de acontecerem movimentos. A figura 1 ilustra
o aparelho de apoio existente na região de interface entre uma longarina e um pilar em
concreto
Figura 1: Apoio para transferência de esforços
Fonte: FERNANDES NETO (2022)
A partir destas informações, você, futuro engenheiro (a), deverá realizar o pré-
dimensionamento de um aparelho de apoio de neoprene que será posicionado abaixo de
uma longarina de ponte cuja reação de apoio vertical será de 2.800 kN. A longarina tem
comprimento de 22 metros e largura de 45 cm, enquanto o aparelho de apoio tem tensão
admissível igual a σadm = 7 MPa (ou 7000 kN/m²). Considere que a longarina poderá estar
sujeita a deformações horizontais da ordem de ε = 1,0‰ em decorrência de ações lentas,
como a retração e a variação de temperatura. Para isto, determine as seguintes
informações:
1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais)
2) Determinar as dimensões a e b (m) (arredondar para 2 casas decimais)
3) Calcular o deslocamento horizontal gerado pelas deformações provenientes das cargas
lentas, como retração, fluência e temperatura (cm) (arredondar para 3 casas decimais)
4) Determinar a espessura do aparelho de apoio (cm

Recomendados

ATIVIDADE 3 - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 542023.pdf
ATIVIDADE 3 - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 542023.pdfATIVIDADE 3 - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 542023.pdf
ATIVIDADE 3 - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 542023.pdfPrime Assessoria
 
ATIVIDADE 3 – PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS – 54/2023
ATIVIDADE 3 – PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS – 54/2023ATIVIDADE 3 – PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS – 54/2023
ATIVIDADE 3 – PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS – 54/2023Unicesumar
 
Nesta etapa, você precisa dimensionar as armaduras sujeitas à flexão da longa...
Nesta etapa, você precisa dimensionar as armaduras sujeitas à flexão da longa...Nesta etapa, você precisa dimensionar as armaduras sujeitas à flexão da longa...
Nesta etapa, você precisa dimensionar as armaduras sujeitas à flexão da longa...PrimeAssessoriaAcadm3
 
Você foi requisitado para determinar a combinação de esforços solicitantes de...
Você foi requisitado para determinar a combinação de esforços solicitantes de...Você foi requisitado para determinar a combinação de esforços solicitantes de...
Você foi requisitado para determinar a combinação de esforços solicitantes de...PrimeAssessoriaAcadm3
 
As pontes desempenham um papel fundamental na superação de obstáculos que int...
As pontes desempenham um papel fundamental na superação de obstáculos que int...As pontes desempenham um papel fundamental na superação de obstáculos que int...
As pontes desempenham um papel fundamental na superação de obstáculos que int...PrimeAssessoriaAcadm3
 
MAPA - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023
MAPA - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023MAPA - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023
MAPA - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023PrimeAssessoriaAcadm3
 
Trabalho final pontes.doc
Trabalho final pontes.docTrabalho final pontes.doc
Trabalho final pontes.docThomasCipriano2
 
2) O valor mínimo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md m...
2) O valor mínimo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md m...2) O valor mínimo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md m...
2) O valor mínimo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md m...Azul Assessoria Acadêmica
 

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a 1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais).pdf

4) Encontrar a área de aço a ser usada nas armaduras transversais por unidade...
4) Encontrar a área de aço a ser usada nas armaduras transversais por unidade...4) Encontrar a área de aço a ser usada nas armaduras transversais por unidade...
4) Encontrar a área de aço a ser usada nas armaduras transversais por unidade...Azul Assessoria Acadêmica
 
5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm).
5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm). 5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm).
5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm). Azul Assessoria Acadêmica
 
SUPERESTRUTURA DE PONTES EM CONCRETO ARMADO DIMENSIONAMENTO As pontes dese...
SUPERESTRUTURA DE PONTES EM CONCRETO ARMADO DIMENSIONAMENTO    As pontes dese...SUPERESTRUTURA DE PONTES EM CONCRETO ARMADO DIMENSIONAMENTO    As pontes dese...
SUPERESTRUTURA DE PONTES EM CONCRETO ARMADO DIMENSIONAMENTO As pontes dese...Azul Assessoria Acadêmica
 
ETAPA 1 COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS Você foi requisitado para determinar a comb...
ETAPA 1  COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS  Você foi requisitado para determinar a comb...ETAPA 1  COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS  Você foi requisitado para determinar a comb...
ETAPA 1 COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS Você foi requisitado para determinar a comb...Azul Assessoria Acadêmica
 
3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN).
3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN). 3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN).
3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN). Azul Assessoria Acadêmica
 
1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm².
1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm². 1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm².
1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm². Azul Assessoria Acadêmica
 
1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm².
1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm². 1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm².
1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm². Azul Assessoria Acadêmica
 
2) Altura útil da seção transversal d (cm).
2) Altura útil da seção transversal d (cm). 2) Altura útil da seção transversal d (cm).
2) Altura útil da seção transversal d (cm). Azul Assessoria Acadêmica
 
ETAPA 1 COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS Você foi requisitado para determinar a comb...
ETAPA 1  COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS  Você foi requisitado para determinar a comb...ETAPA 1  COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS  Você foi requisitado para determinar a comb...
ETAPA 1 COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS Você foi requisitado para determinar a comb...Azul Assessoria Acadêmica
 
2) Calcular a parcela da força cortante resistida pelos mecanismos complement...
2) Calcular a parcela da força cortante resistida pelos mecanismos complement...2) Calcular a parcela da força cortante resistida pelos mecanismos complement...
2) Calcular a parcela da força cortante resistida pelos mecanismos complement...Azul Assessoria Acadêmica
 
3) Calcular a parcela de esforço cortante a ser resistida pela armadura trans...
3) Calcular a parcela de esforço cortante a ser resistida pela armadura trans...3) Calcular a parcela de esforço cortante a ser resistida pela armadura trans...
3) Calcular a parcela de esforço cortante a ser resistida pela armadura trans...Azul Assessoria Acadêmica
 
5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm).
5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm). 5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm).
5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm). Azul Assessoria Acadêmica
 
1) O valor máximo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md m...
1) O valor máximo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md m...1) O valor máximo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md m...
1) O valor máximo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md m...Azul Assessoria Acadêmica
 
MAPA - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023
MAPA - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023MAPA - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023
MAPA - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023Azul Assessoria Acadêmica
 
3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN).
3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN). 3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN).
3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN). Azul Assessoria Acadêmica
 
2) Altura útil da seção transversal d (cm).
2) Altura útil da seção transversal d (cm). 2) Altura útil da seção transversal d (cm).
2) Altura útil da seção transversal d (cm). Azul Assessoria Acadêmica
 
1) Verificar se o esforço cortante solicitante de cálculo será menor que a fo...
1) Verificar se o esforço cortante solicitante de cálculo será menor que a fo...1) Verificar se o esforço cortante solicitante de cálculo será menor que a fo...
1) Verificar se o esforço cortante solicitante de cálculo será menor que a fo...Azul Assessoria Acadêmica
 

Semelhante a 1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais).pdf (20)

4) Encontrar a área de aço a ser usada nas armaduras transversais por unidade...
4) Encontrar a área de aço a ser usada nas armaduras transversais por unidade...4) Encontrar a área de aço a ser usada nas armaduras transversais por unidade...
4) Encontrar a área de aço a ser usada nas armaduras transversais por unidade...
 
5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm).
5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm). 5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm).
5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm).
 
SUPERESTRUTURA DE PONTES EM CONCRETO ARMADO DIMENSIONAMENTO As pontes dese...
SUPERESTRUTURA DE PONTES EM CONCRETO ARMADO DIMENSIONAMENTO    As pontes dese...SUPERESTRUTURA DE PONTES EM CONCRETO ARMADO DIMENSIONAMENTO    As pontes dese...
SUPERESTRUTURA DE PONTES EM CONCRETO ARMADO DIMENSIONAMENTO As pontes dese...
 
ETAPA 1 COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS Você foi requisitado para determinar a comb...
ETAPA 1  COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS  Você foi requisitado para determinar a comb...ETAPA 1  COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS  Você foi requisitado para determinar a comb...
ETAPA 1 COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS Você foi requisitado para determinar a comb...
 
3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN).
3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN). 3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN).
3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN).
 
1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm².
1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm². 1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm².
1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm².
 
6) Área efetiva de aço na seção (cm²).
6) Área efetiva de aço na seção (cm²). 6) Área efetiva de aço na seção (cm²).
6) Área efetiva de aço na seção (cm²).
 
1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm².
1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm². 1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm².
1) Resistência característica de cálculo à compressão fcd, em MPa e kN/cm².
 
2) Altura útil da seção transversal d (cm).
2) Altura útil da seção transversal d (cm). 2) Altura útil da seção transversal d (cm).
2) Altura útil da seção transversal d (cm).
 
4) Obter o braço de alavanca z (cm).
4) Obter o braço de alavanca z (cm). 4) Obter o braço de alavanca z (cm).
4) Obter o braço de alavanca z (cm).
 
ETAPA 1 COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS Você foi requisitado para determinar a comb...
ETAPA 1  COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS  Você foi requisitado para determinar a comb...ETAPA 1  COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS  Você foi requisitado para determinar a comb...
ETAPA 1 COMBINAÇÕES DE ESFORÇOS Você foi requisitado para determinar a comb...
 
2) Calcular a parcela da força cortante resistida pelos mecanismos complement...
2) Calcular a parcela da força cortante resistida pelos mecanismos complement...2) Calcular a parcela da força cortante resistida pelos mecanismos complement...
2) Calcular a parcela da força cortante resistida pelos mecanismos complement...
 
3) Calcular a parcela de esforço cortante a ser resistida pela armadura trans...
3) Calcular a parcela de esforço cortante a ser resistida pela armadura trans...3) Calcular a parcela de esforço cortante a ser resistida pela armadura trans...
3) Calcular a parcela de esforço cortante a ser resistida pela armadura trans...
 
5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm).
5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm). 5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm).
5) Calcular o espaçamento necessário entre os estribos da longarina (cm).
 
1) O valor máximo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md m...
1) O valor máximo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md m...1) O valor máximo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md m...
1) O valor máximo de momento fletor resultante da combinação de esforços Md m...
 
3) Posições da linha neutra x (cm).
3) Posições da linha neutra x (cm). 3) Posições da linha neutra x (cm).
3) Posições da linha neutra x (cm).
 
MAPA - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023
MAPA - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023MAPA - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023
MAPA - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023
 
3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN).
3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN). 3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN).
3) O valor máximo de cortante resultante da combinação de esforços Vd máx (kN).
 
2) Altura útil da seção transversal d (cm).
2) Altura útil da seção transversal d (cm). 2) Altura útil da seção transversal d (cm).
2) Altura útil da seção transversal d (cm).
 
1) Verificar se o esforço cortante solicitante de cálculo será menor que a fo...
1) Verificar se o esforço cortante solicitante de cálculo será menor que a fo...1) Verificar se o esforço cortante solicitante de cálculo será menor que a fo...
1) Verificar se o esforço cortante solicitante de cálculo será menor que a fo...
 

Mais de Prime Assessoria

ATIVIDADE 3 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - 54 2023.
ATIVIDADE 3 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - 54 2023.ATIVIDADE 3 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - 54 2023.
ATIVIDADE 3 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - 54 2023.Prime Assessoria
 
Renomeie o arquivo para - TRABALHO DO LUCRO PRESUMIDO - e após corrigir.
Renomeie o arquivo para - TRABALHO DO LUCRO PRESUMIDO - e após corrigir.Renomeie o arquivo para - TRABALHO DO LUCRO PRESUMIDO - e após corrigir.
Renomeie o arquivo para - TRABALHO DO LUCRO PRESUMIDO - e após corrigir.Prime Assessoria
 
Você deverá refazer todo o trabalho da disciplina referente à atividade.
Você deverá refazer todo o trabalho da disciplina referente à atividade.Você deverá refazer todo o trabalho da disciplina referente à atividade.
Você deverá refazer todo o trabalho da disciplina referente à atividade.Prime Assessoria
 
Sobre o acabamento superficial, como podemos avaliá-lo em uma peça usinada e ...
Sobre o acabamento superficial, como podemos avaliá-lo em uma peça usinada e ...Sobre o acabamento superficial, como podemos avaliá-lo em uma peça usinada e ...
Sobre o acabamento superficial, como podemos avaliá-lo em uma peça usinada e ...Prime Assessoria
 
ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023
ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023
ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023Prime Assessoria
 
ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023
ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023
ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023Prime Assessoria
 
A disciplina aborda os processos fundamentais envolvidos na fabricação de peç...
A disciplina aborda os processos fundamentais envolvidos na fabricação de peç...A disciplina aborda os processos fundamentais envolvidos na fabricação de peç...
A disciplina aborda os processos fundamentais envolvidos na fabricação de peç...Prime Assessoria
 
4. Os processos de usinagem são importantes e, muitas vezes, necessários para...
4. Os processos de usinagem são importantes e, muitas vezes, necessários para...4. Os processos de usinagem são importantes e, muitas vezes, necessários para...
4. Os processos de usinagem são importantes e, muitas vezes, necessários para...Prime Assessoria
 
3. Diferencie os processos de usinagem convencional (torneamento, fresamento ...
3. Diferencie os processos de usinagem convencional (torneamento, fresamento ...3. Diferencie os processos de usinagem convencional (torneamento, fresamento ...
3. Diferencie os processos de usinagem convencional (torneamento, fresamento ...Prime Assessoria
 
2. A conformação plástica de metais é um processo de fabricação que consiste ...
2. A conformação plástica de metais é um processo de fabricação que consiste ...2. A conformação plástica de metais é um processo de fabricação que consiste ...
2. A conformação plástica de metais é um processo de fabricação que consiste ...Prime Assessoria
 
1. Calcule o raio de dobramento mínimo para uma chapa de 0,5 mm com alongamen...
1. Calcule o raio de dobramento mínimo para uma chapa de 0,5 mm com alongamen...1. Calcule o raio de dobramento mínimo para uma chapa de 0,5 mm com alongamen...
1. Calcule o raio de dobramento mínimo para uma chapa de 0,5 mm com alongamen...Prime Assessoria
 
Para realizar o corte, utilizam-se os processos de corte por estampagem e por...
Para realizar o corte, utilizam-se os processos de corte por estampagem e por...Para realizar o corte, utilizam-se os processos de corte por estampagem e por...
Para realizar o corte, utilizam-se os processos de corte por estampagem e por...Prime Assessoria
 
Descreva resumidamente, em no máximo cinco (05) linhas, a aplicação da ferram...
Descreva resumidamente, em no máximo cinco (05) linhas, a aplicação da ferram...Descreva resumidamente, em no máximo cinco (05) linhas, a aplicação da ferram...
Descreva resumidamente, em no máximo cinco (05) linhas, a aplicação da ferram...Prime Assessoria
 
ATIVIDADE 3 - MÁQUINAS DE FLUXO - 542023
ATIVIDADE 3 - MÁQUINAS DE FLUXO - 542023ATIVIDADE 3 - MÁQUINAS DE FLUXO - 542023
ATIVIDADE 3 - MÁQUINAS DE FLUXO - 542023Prime Assessoria
 
Assim, para que os objetivos sejam alcançados, são sugeridos princípios para ...
Assim, para que os objetivos sejam alcançados, são sugeridos princípios para ...Assim, para que os objetivos sejam alcançados, são sugeridos princípios para ...
Assim, para que os objetivos sejam alcançados, são sugeridos princípios para ...Prime Assessoria
 
As ferramentas gerenciais da qualidade são estabelecidas para auxiliar a empr...
As ferramentas gerenciais da qualidade são estabelecidas para auxiliar a empr...As ferramentas gerenciais da qualidade são estabelecidas para auxiliar a empr...
As ferramentas gerenciais da qualidade são estabelecidas para auxiliar a empr...Prime Assessoria
 
4 – Dentre as sete (07) ferramentas gerenciais da qualidade, qual você consid...
4 – Dentre as sete (07) ferramentas gerenciais da qualidade, qual você consid...4 – Dentre as sete (07) ferramentas gerenciais da qualidade, qual você consid...
4 – Dentre as sete (07) ferramentas gerenciais da qualidade, qual você consid...Prime Assessoria
 
3 – Quais são as sete ferramentas gerenciais da qualidade.
3 – Quais são as sete ferramentas gerenciais da qualidade.3 – Quais são as sete ferramentas gerenciais da qualidade.
3 – Quais são as sete ferramentas gerenciais da qualidade.Prime Assessoria
 
2 – No livro texto foram apresentadas cinco (05) práticas para auxiliar as eq...
2 – No livro texto foram apresentadas cinco (05) práticas para auxiliar as eq...2 – No livro texto foram apresentadas cinco (05) práticas para auxiliar as eq...
2 – No livro texto foram apresentadas cinco (05) práticas para auxiliar as eq...Prime Assessoria
 
1 – Quais foram as práticas sugeridas para o desenvolvimento das ferramentas ...
1 – Quais foram as práticas sugeridas para o desenvolvimento das ferramentas ...1 – Quais foram as práticas sugeridas para o desenvolvimento das ferramentas ...
1 – Quais foram as práticas sugeridas para o desenvolvimento das ferramentas ...Prime Assessoria
 

Mais de Prime Assessoria (20)

ATIVIDADE 3 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - 54 2023.
ATIVIDADE 3 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - 54 2023.ATIVIDADE 3 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - 54 2023.
ATIVIDADE 3 - CCONT - ESTÁGIO SUPERVISIONADO I - 54 2023.
 
Renomeie o arquivo para - TRABALHO DO LUCRO PRESUMIDO - e após corrigir.
Renomeie o arquivo para - TRABALHO DO LUCRO PRESUMIDO - e após corrigir.Renomeie o arquivo para - TRABALHO DO LUCRO PRESUMIDO - e após corrigir.
Renomeie o arquivo para - TRABALHO DO LUCRO PRESUMIDO - e após corrigir.
 
Você deverá refazer todo o trabalho da disciplina referente à atividade.
Você deverá refazer todo o trabalho da disciplina referente à atividade.Você deverá refazer todo o trabalho da disciplina referente à atividade.
Você deverá refazer todo o trabalho da disciplina referente à atividade.
 
Sobre o acabamento superficial, como podemos avaliá-lo em uma peça usinada e ...
Sobre o acabamento superficial, como podemos avaliá-lo em uma peça usinada e ...Sobre o acabamento superficial, como podemos avaliá-lo em uma peça usinada e ...
Sobre o acabamento superficial, como podemos avaliá-lo em uma peça usinada e ...
 
ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023
ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023
ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023
 
ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023
ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023
ATIVIDADE 3 - USINAGEM E CONFORMAÇÃO - 542023
 
A disciplina aborda os processos fundamentais envolvidos na fabricação de peç...
A disciplina aborda os processos fundamentais envolvidos na fabricação de peç...A disciplina aborda os processos fundamentais envolvidos na fabricação de peç...
A disciplina aborda os processos fundamentais envolvidos na fabricação de peç...
 
4. Os processos de usinagem são importantes e, muitas vezes, necessários para...
4. Os processos de usinagem são importantes e, muitas vezes, necessários para...4. Os processos de usinagem são importantes e, muitas vezes, necessários para...
4. Os processos de usinagem são importantes e, muitas vezes, necessários para...
 
3. Diferencie os processos de usinagem convencional (torneamento, fresamento ...
3. Diferencie os processos de usinagem convencional (torneamento, fresamento ...3. Diferencie os processos de usinagem convencional (torneamento, fresamento ...
3. Diferencie os processos de usinagem convencional (torneamento, fresamento ...
 
2. A conformação plástica de metais é um processo de fabricação que consiste ...
2. A conformação plástica de metais é um processo de fabricação que consiste ...2. A conformação plástica de metais é um processo de fabricação que consiste ...
2. A conformação plástica de metais é um processo de fabricação que consiste ...
 
1. Calcule o raio de dobramento mínimo para uma chapa de 0,5 mm com alongamen...
1. Calcule o raio de dobramento mínimo para uma chapa de 0,5 mm com alongamen...1. Calcule o raio de dobramento mínimo para uma chapa de 0,5 mm com alongamen...
1. Calcule o raio de dobramento mínimo para uma chapa de 0,5 mm com alongamen...
 
Para realizar o corte, utilizam-se os processos de corte por estampagem e por...
Para realizar o corte, utilizam-se os processos de corte por estampagem e por...Para realizar o corte, utilizam-se os processos de corte por estampagem e por...
Para realizar o corte, utilizam-se os processos de corte por estampagem e por...
 
Descreva resumidamente, em no máximo cinco (05) linhas, a aplicação da ferram...
Descreva resumidamente, em no máximo cinco (05) linhas, a aplicação da ferram...Descreva resumidamente, em no máximo cinco (05) linhas, a aplicação da ferram...
Descreva resumidamente, em no máximo cinco (05) linhas, a aplicação da ferram...
 
ATIVIDADE 3 - MÁQUINAS DE FLUXO - 542023
ATIVIDADE 3 - MÁQUINAS DE FLUXO - 542023ATIVIDADE 3 - MÁQUINAS DE FLUXO - 542023
ATIVIDADE 3 - MÁQUINAS DE FLUXO - 542023
 
Assim, para que os objetivos sejam alcançados, são sugeridos princípios para ...
Assim, para que os objetivos sejam alcançados, são sugeridos princípios para ...Assim, para que os objetivos sejam alcançados, são sugeridos princípios para ...
Assim, para que os objetivos sejam alcançados, são sugeridos princípios para ...
 
As ferramentas gerenciais da qualidade são estabelecidas para auxiliar a empr...
As ferramentas gerenciais da qualidade são estabelecidas para auxiliar a empr...As ferramentas gerenciais da qualidade são estabelecidas para auxiliar a empr...
As ferramentas gerenciais da qualidade são estabelecidas para auxiliar a empr...
 
4 – Dentre as sete (07) ferramentas gerenciais da qualidade, qual você consid...
4 – Dentre as sete (07) ferramentas gerenciais da qualidade, qual você consid...4 – Dentre as sete (07) ferramentas gerenciais da qualidade, qual você consid...
4 – Dentre as sete (07) ferramentas gerenciais da qualidade, qual você consid...
 
3 – Quais são as sete ferramentas gerenciais da qualidade.
3 – Quais são as sete ferramentas gerenciais da qualidade.3 – Quais são as sete ferramentas gerenciais da qualidade.
3 – Quais são as sete ferramentas gerenciais da qualidade.
 
2 – No livro texto foram apresentadas cinco (05) práticas para auxiliar as eq...
2 – No livro texto foram apresentadas cinco (05) práticas para auxiliar as eq...2 – No livro texto foram apresentadas cinco (05) práticas para auxiliar as eq...
2 – No livro texto foram apresentadas cinco (05) práticas para auxiliar as eq...
 
1 – Quais foram as práticas sugeridas para o desenvolvimento das ferramentas ...
1 – Quais foram as práticas sugeridas para o desenvolvimento das ferramentas ...1 – Quais foram as práticas sugeridas para o desenvolvimento das ferramentas ...
1 – Quais foram as práticas sugeridas para o desenvolvimento das ferramentas ...
 

Último

CIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEIS
CIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEISCIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEIS
CIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEISColaborar Educacional
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxssuser86fd77
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOxogilo3990
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfalexandrerodriguespk
 
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsxLITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsxrafabebum
 
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfApresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfAndreiaSilva852193
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfalexandrerodriguespk
 
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...Colaborar Educacional
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...manoelaarmani
 
Dicas para o Enem 2024 ensino médio itinerários
Dicas para o Enem 2024 ensino médio  itineráriosDicas para o Enem 2024 ensino médio  itinerários
Dicas para o Enem 2024 ensino médio itineráriosRonanDasFlores
 
CURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfCURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfdaniele690933
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfkeiciany
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
SLIDES Lição 6, Recabitas, Exemplo de Obediência, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA ...
SLIDES Lição 6, Recabitas, Exemplo de Obediência, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA ...SLIDES Lição 6, Recabitas, Exemplo de Obediência, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA ...
SLIDES Lição 6, Recabitas, Exemplo de Obediência, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA ...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Q20 - Reações fotoquímicas.pdf
Q20 - Reações fotoquímicas.pdfQ20 - Reações fotoquímicas.pdf
Q20 - Reações fotoquímicas.pdfPedroGual4
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfkeiciany
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfkeiciany
 

Último (20)

CIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEIS
CIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEISCIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEIS
CIÊNCIAS CONTÁBEIS - BACHARELADO/PROJETO DE EXTENSÃO I - CIÊNCIAS CONTÁBEIS
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA ESTRELAS - VOLUME 6. EDIÇÃO 2^^.pdf
 
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsxLITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
LITERATURA, 3.º EM, apostila 1, frentes 2 e 3, módulo 3.ppsx
 
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfApresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
APOSTILA MATERNAL 2 ANOS PARTE 1.pdf
APOSTILA MATERNAL 2 ANOS PARTE 1.pdfAPOSTILA MATERNAL 2 ANOS PARTE 1.pdf
APOSTILA MATERNAL 2 ANOS PARTE 1.pdf
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
 
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
A realização das atividades extensionistas do CST em Gestão Financeira, vincu...
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
 
Dicas para o Enem 2024 ensino médio itinerários
Dicas para o Enem 2024 ensino médio  itineráriosDicas para o Enem 2024 ensino médio  itinerários
Dicas para o Enem 2024 ensino médio itinerários
 
CURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfCURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdf
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
 
SLIDES Lição 6, Recabitas, Exemplo de Obediência, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA ...
SLIDES Lição 6, Recabitas, Exemplo de Obediência, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA ...SLIDES Lição 6, Recabitas, Exemplo de Obediência, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA ...
SLIDES Lição 6, Recabitas, Exemplo de Obediência, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA ...
 
Q20 - Reações fotoquímicas.pdf
Q20 - Reações fotoquímicas.pdfQ20 - Reações fotoquímicas.pdf
Q20 - Reações fotoquímicas.pdf
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
 

1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais).pdf

  • 1. (99) 98525-8486 (99) 98525-8486 (99) 98525-8486 Confira nosso Instagram com diversos feedbacks dos nossos alunos! ATIVIDADE 3 - PONTES E ESTRUTURAS ESPECIAIS - 54/2023 APARELHOS DE NEOPRENE A utilização de aparelhos de neoprene em pontes desempenha um papel crucial na preservação e na manutenção da integridade estrutural dessas importantes infraestruturas. O neoprene, um tipo de borracha sintética resistente, é desenvolvido em pontes devido às suas propriedades específicas de absorção de choque e capacidade de suportar cargas significativas. Sabe-se que os aparelhos de apoio vinculam determinadas partes da superestrutura, permitindo, ao mesmo tempo, os movimentos previstos no projeto e provocados por esforços, protensão, variação de temperatura e retração do concreto, que modificam as dimensões dos elementos. Nas pontes e nas construções de grande porte, a
  • 2. estrutura deve funcionar, na medida do possível, de acordo com as hipóteses previstas no cálculo, sendo, portanto, necessária a utilização de aparelhos de apoio adequados nos locais onde o cálculo admitiu a possibilidade de acontecerem movimentos. A figura 1 ilustra o aparelho de apoio existente na região de interface entre uma longarina e um pilar em concreto Figura 1: Apoio para transferência de esforços Fonte: FERNANDES NETO (2022) A partir destas informações, você, futuro engenheiro (a), deverá realizar o pré- dimensionamento de um aparelho de apoio de neoprene que será posicionado abaixo de uma longarina de ponte cuja reação de apoio vertical será de 2.800 kN. A longarina tem comprimento de 22 metros e largura de 45 cm, enquanto o aparelho de apoio tem tensão admissível igual a σadm = 7 MPa (ou 7000 kN/m²). Considere que a longarina poderá estar sujeita a deformações horizontais da ordem de ε = 1,0‰ em decorrência de ações lentas, como a retração e a variação de temperatura. Para isto, determine as seguintes informações: 1) Área (a.b) do aparelho de apoio (m²) (arredondar para 2 casas decimais)
  • 3. 2) Determinar as dimensões a e b (m) (arredondar para 2 casas decimais) 3) Calcular o deslocamento horizontal gerado pelas deformações provenientes das cargas lentas, como retração, fluência e temperatura (cm) (arredondar para 3 casas decimais) 4) Determinar a espessura do aparelho de apoio (cm