Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015

364 visualizações

Publicada em

Em tudo, te dá por exemplo de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravidade, sinceridade." (Tt 2.7)

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
364
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exortações Gerais - Lição 12 - 3°Trimestre de 2015

  1. 1. Pr. Andre Luiz "Em tudo, te dá por exemplo de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravidade, sinceridade." (Tt 2.7)
  2. 2. Ao dar esta ordem, Paulo nos ensina sobre o que o líder deve falar. Falar a sã doutrina é responsabilidade primordial da liderança, toda a igreja deve ser impactada com isso, ela deve ser conhecida por isso. A sã doutrina é a sua voz. É por isso que ela está neste mundo. Pedro escreveu que a igreja é a propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamar as virtudes daquele que a chamou das trevas para a sua maravilhosa luz (1Pe 2.9). A igreja tem a responsabilidade de tornar o caráter de Deus conhecido. É preciso proclamar as virtudes de Deus e a igreja faz isso quando fala o que convém à sã doutrina. Falar a sã doutrina é a responsabilidade da igreja. Para tal, é preciso manejar bem a Palavra da Verdade (2Tm 2.15). As palavras iniciais de Paulo, Tu, porém, são enfáticas. Os falsos mestres fustigados na seção anterior têm desviado as pessoas; a linha seguida por Tito deve ser exatamente a oposta. Destarte, seu ensino deve ser o que convém à sã doutrina, em contraste com as "fábulas" e os mandamentos dos homens sectários. A sã doutrina expõe o falso ensino e expõe a falsa profissão de fé.
  3. 3. Pronto para ouvir (do latim promptu), que quer dizer “disponível”.Esta disponibilidade deve ser espontânea, sincera; um desejo natural para ouvir. Estar disponível para ouvir, é estar disposto e pronto para obedecer. Era comum as pessoas ouvirem a Palavra de Deus nos cultos, nas sinagogas. Não havia exemplares da Bíblia como os temos hoje. A Palavra estava nos rolos e manuscritos, que eram lidos pelos líderes religiosos. Tardio para falar – sem pressa, lento, vagaroso. É ficar calado sem ficar emburrado, sem ficar carrancudo ou trombudo. O sentido da frase é: o crente não deve precipitar-se em dizer qualquer coisa sem antes ter ouvido e colocado em prática. As consequências da pressa no falar acaba levando o cristão a negar a fé e a contradizer o evangelho (Tg 1.26). “se alguém cuida ser religioso [isto é, nascido de novo pelo evangelho] e não refreia a sua língua, mas engana o seu coração, a sua religião é vã.”
  4. 4. Paulo dá conselhos detalhados, para que Tito realize um bom ministério. Eis um deles: “Use palavras certas, para que ninguém possa criticá-lo e para que os inimigos fiquem envergonhados por não terem nada de mau a dizer a nosso respeito.” (Tt 2.8). Gostemos ou não, o mundo sempre será inimigo dos cristãos. Pedro, entretanto, nos instrui: “Mas, se vocês sofrem por terem feito o bem... Deus os abençoará por causa disso” (1Pe 2.20). De acordo com Paulo, uma das maneiras de sofrer fazendo o bem é usar “palavras certas”. Quando sofremos injustiças, fica difícil responder com dignidade cristã. Nessas horas, o Inimigo estimula nossa natureza humana, sugerindo palavras torpes, para desabafar nossa raiva. Jesus nos ensina que, nas horas extremas, o Espírito Santo pode colocar as palavras certas em nossa boca (Lc 11.12). O segredo, então, é nos alimentarmos do Espírito do Cristo. Se isto acontecer, nossas palavras serão certas.
  5. 5. Homens com mais de 60 anos de idade” que “por serem membros maduros da comunidade e exemplos para os homens mais jovens, Paulo recomenda que estes devem ter os seguintes requisitos: (1) Sobriedade: No grego temos 'nephalios', isto é, 'moderado' em tudo... Sua forma verbal é 'nepho', 'ser sóbrio', 'ser auto controlado', 'ser bem equilibrado' (1Tm 3.2,11); (2) Gravidade: No grego é 'sermnos', isto é, 'respeitoso', 'nobre', 'digno'; (3) Prudência: No grego é 'sophron', que quer dizer 'prudente', 'refletido', auto controlado. Em sua forma nominal temos a famosa virtude grega da 'moderação', que deveria controlar todas as ações, impedindo os vícios de excesso e de deficiência”.
  6. 6. Paulo admoesta que estas mulheres devem ter o seu estilo de vida apropriado, digno, merecedor de honra, próprio das mulheres cristãs. Elas precisam ser: (1) Sérias no seu viver: No grego é 'katastema', que aponta para 'conduta', 'comportamento' , 'maneiras'. Portanto, as mulheres mais idosas deveriam ser 'reverentes em sua conduta', não se deixando levar ao redor pelo mundanismo; (2) Não caluniadoras: O original grego usa o vocábulo 'diabolos', um dos títulos dados ao próprio Satanás (1Tm 3.6); temos aqui o típico 'pecado feminino', em que tantas mulheres (mas também tantos homens) se deleitam em provocar a queda de outrem, para se sentirem superiores; (3) Não dadas ao vinho: O alcoolismo era um problema sério na sociedade pagã, e a igreja cristã não estava isenta deste problema, por isso a recomendação; (4) Mestras do bem: Em outras palavras, as mulheres idosas devem ser mestras de 'coisas boas', da 'sã doutrina', da 'correta conduta cristã', em tudo quanto nisso esta implícito. E isso tanto na igreja (1Tm 2.11), como no lar, e também nos lares das mulheres mais jovens e de seus filhos (CHAMPLIN, 2002, p. 427)
  7. 7. O apóstolo passa recomendações aos rapazes acima de 12 anos de idade (MACARTHUR, 2010, p. 1680); que estes “... em todas as coisas, sejam criteriosos” (Tt 2.6 – ARA) a expressão “...em todas as coisas..”, alude 'no tocante a tudo'. “Em tudo eles deveriam ser “criteriosos”; no original o termo 'sophroneo', significa 'ser sério', 'ser sensato', 'ser auto controlado'. Crisóstomo aplica esse mandamento a necessidade de vencermos as tendências para os prazeres estranhos. Diz ele: 'Nesse período de idade, nada é tão difícil como dominar os prazeres indevidos'. Os jovens crentes devem controlar-se, devem refrear-se, para que possam dar um testemunho forte e coerente em favor de Cristo, não permitindo que qualquer excesso próprio da juventude leve-os a perder o controle sobre as próprias ações” (apud, CHAMPLIN, 2002, p. 428.
  8. 8. O comportamento esperado dos escravos que eram cristãos nos dias do apóstolo, são os mesmos esperados, nos dias de hoje, pelos funcionários com relação aos seus empregadores. Estes devem tratar os seus patrões com respeito e em tudo agradarem. Dizer que estes não deveriam contradizer significa que eles não deveriam ser teimosos, incontroláveis, ou resistentes à autoridade. Que não deveriam defraudar refere-se a qualquer tipo de roubo, mesmo aquele que possa ser classificado como um “pequeno roubo”. Eles poderiam ser tentados a se apropriar de “pequenos” itens necessários, mas como cristãos devem resistir a esta tentação, para mostrar toda a boa lealdade (RIBAS, 2010, p. 559)
  9. 9. Irrepreensível, adjetivo; Que não merece censura; que não merece ser repreendido: conduta irrepreensível. Que não há falhas; perfeito. Do grego αμεμπτος [amemptos]: Sem culpa, sem falta, inocente, irrepreensível. Em 1 Timóteo 3.1-7, Paulo mostra os requisitos para os pastores, presbíteros ou diáconos: a importância de viver "acima de qualquer suspeita." Romanos 13.13 diz: "Andemos dignamente, como em pleno dia, não em orgias e bebedices, não em impudicícias e dissoluções, não em contendas e ciúmes; mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e nada disponhais para a carne no tocante às suas concupiscências.” O claro ensino das Escrituras é a ideia de que os líderes da igreja deve estar vivendo acima do padrão do mundo: “Não vos conformeis com este mundo” (Rm 12.1, 2). Afinal de contas, os pastores e presbíteros são exemplos para as pessoas que os estão ouvindo e vendo o seu procedimento, semana após semana, e eu acredito que Deus deseja um padrão de vida mais elevado de seus líderes. Isso não quer dizer que pessoas que não são pastores, presbíteros ou diáconos, podem fazer o que quiserem e Deus não vai se importar, não é isso, só que Deus exige dos líderes que sejam irrepreensíveis.
  10. 10. O ensinamento na primeira igreja foi chamado a doutrina dos apóstolos. Jesus revelou a sua vontade aos apóstolos e mandou que eles a entregassem ao mundo. Observe que este ensinamento não foi chamado “a doutrina da igreja”. A Igreja Católica Romana ensina que a igreja produz as Escrituras. É com esta base que eles aceitam os escritos dos “Pais da Igreja”, as tradições e até editos modernos como palavras de autoridade. Mas o relato de Lucas demonstra que aconteceu ao contrário. Foi a pregação do evangelho que deu origem à igreja. Então, santos apóstolos e profetas guiaram a igreja até Deus completar a sua revelação (Efésios 3:5). A doutrina da igreja primitiva veio dos apóstolos porque eles a receberam diretamente de Deus. Não devemos falhar em observar quem perseverava na doutrina. Todos os crentes, não somente os pregadores, perseveravam na doutrina. Freqüentemente, esperamos os outros se dedicarem à doutrina para nos guiarem. Todos os membros da primeira congregação foram dedicados à palavra. Todos desejavam aprender. Isso não significa que todos fossem mestres ou peritos. Deus não precisa de um monte de professores para cumprir seu plano. De fato, os estudiosos freqüentemente se acham sofisticados demais para aceitar a simplicidade do plano de Deus (1 Coríntios 1:18-31). Não precisamos fazer seminário, mas Deus quer que sejamos capazes de defender as razões da nossa esperança nele (1 Pedro 3:15). Essa defesa será possível somente por meio de um discipulado dedicado. Os primeiros cristãos desejavam aprender porque queriam fazer. O cristianismo não é uma busca acadêmica. No livro de Atos, Lucas escreveu sobre vidas transformadas, não sobre formaturas de faculdades. Os tessalônicos suportaram perseguições. Os efésios queimaram livros de artes mágicas. Um casal, Áqüila e Priscila, saíram de Roma, foram para Corinto e depois para Éfeso, e depois voltaram para Roma pelo seu desejo de divulgar o evangelho. Pessoas de fé se mostram dedicadas em ouvir e praticar!
  11. 11. O crescimento em direção à maturidade cristã e a Santificação Contínua é dever de todo crente! Para que sejamos ornamento "ornamento da doutrina de Deus, nosso Salvador". No texto de 3.3-7, Paulo mostra que a bondade de Deus e seu amor para conosco (v. 4) nos regeneraram e nos renovaram (v. 5). Em outras palavras, fomos tornados novas criaturas. Este amor e esta bondade foram derramados em Jesus Cristo (v. 6), e assim fomos justificados e tornados herdeiros da vida eterna (v. 7). Quanto às discussões tolas e sem sentido, que Tito as deixasse de lado. Nesta classificação, o apóstolo inclui as discussões sobre a lei e as genealogias, tão caras aos judeus. Eles levam isto tão a sério que, ainda hoje, o judeu que tiver o sobrenome Cohen (palavra hebraica para“sacerdote”) é reverenciado nas sinagogas, pois é descendente de Levi. Isto não tem valor algum. E se alguém insiste em ser briguento, depois da segunda admoestação, que seja deixado de lado (v. 10). Por vezes esquecemos este conselho de Paulo e gastamos muita vela com mau defunto, discutindo por ninharia. A pessoa que ama discussões na igreja é pervertida, está em pecado e está perdida (v. 11). A palavra do versículo 10 tem muito sentido: “evita-o”. a idéia é “põe de lado”.

×