Sismos

2.796 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.796
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
86
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sismos

  1. 1. Escola E.B. 2,3 de Campo de Besteiros<br />Sismos<br />Trabalho realizado por: <br />Hugo Carmo<br /> e <br />Luís Costa<br />
  2. 2. O que é um sismo?<br />Os sismos são abalos naturais da crosta terrestre que ocorrem num período de tempo restrito, num determinado local. Propagam-se em todas as direcções (ondas sísmicas), dentro e à superfície terrestre, sempre que a energia potencial elástica se liberta bruscamente nalgum ponto.<br />
  3. 3. Foco ou Hipocentro e Epicentro<br />O hipocentro ou foco de um terramoto é o local no interior da Terra onde se dá o movimento que produz a libertação de energia por meio de ondas sísmicas. <br />O epicentro de um terramoto é o ponto à superfície da Terra directamente acima do foco ou hipocentro. A zona em redor do epicentro é normalmente a mais afectada por um abalo sísmico. <br />
  4. 4. Escala de Richter e Mercalli<br />A escala de Mercalli, foi criada em 1902 pelo sismólogo italiano Guisseppe Mercalli. Esta escala avalia os efeitos ou danos produzidos nas estruturas que é percebido pelas pessoas nas imediações do abalo.<br />A escala de Richter, foi criada em 1935 pelos sismólogos Charles Francis Ritchter e BenoGutenberg.<br />Esta escala representa a energia sísmica libertada durante o terramoto e baseia-se em registos sismográficos.<br />
  5. 5.
  6. 6. Regiões Sísmicas<br />As regiões sísmicas encontram-se sobretudo nas fronteiras das placas litosféricas. Estes sismos são denominados sismos tectónicos. Podemos dizer que, os alinhamentos dos sismos indicam os limites das placas tectónicas.<br />
  7. 7. Têm a sua origem normalmente em zonas onde a crosta terrestre está fracturada (falhas) , podendo as vibrações nele produzidas durar desde poucos segundos até alguns minutos. Após o primeiro abalo acontecem espaçadamente outros mais fracos (réplicas). <br />Os sismos são fenómenos naturais frequentes em Portugal, embora na sua grande maioria não sejam sentidos pelo homem.<br />
  8. 8. Caso Português<br />A 1 de Novembro de 1755 em Lisboa ocorreu um sismo que poderá ter atingido a magnitude 9 na escala de Richter. <br /> O epicentro cuja localização registou-se no mar provocou ondas gigantes (tsunami) que atingiram a cidade verificando-se a subida da água do mar 5 metros acima do normal. Registou-se ainda um incêndio que consumiu casas, igrejas, palácios e bibliotecas.<br />Nas horas seguintes a capital portuguesa foi atingida por várias réplicas agravando o cenário de destruição.<br />
  9. 9.
  10. 10. Reconstrução da Cidade de Lisboa<br />Sebastião José de Carvalho e Melo Marquês de Pombal <br />O desastre que se abateu sobre Portugal na manhã do dia 1 de Novembro (dia de Todos os Santos) de 1755 levou à destruição de grande parte de Lisboa. <br /> Marquês de Pombal imediatamente tratou da reconstrução da cidade. É dele a famosa frase: &quot;E agora? Enterram-se os mortos e alimentam-se os vivos&quot;. A baixa da cidade foi redesenhada por um grupo de arquitectos, com a orientação expressa de resistir a terramotos posteriores. Foram construídos modelos para testes. Os edifícios e praças da Baixa Pombalina de Lisboa ainda prevalecem.<br />Marquês de Pombal fez também uma importante contribuição para a sismologia: elaborou um inquérito enviado a todas as paróquias do país. Questões que permitiram aos cientistas portugueses a reconstrução do evento e marcaram o nascimento da sismologia enquanto ciência.<br />
  11. 11. Mapa da Cidade<br />O terramoto abrangeu toda a zona da Baixa, os bairros do Castelo e a zona do Carmo.<br />O plano, sem dúvida inovador, baseia-se numa direcção planificada de ruas alinhadas, cujas opções arquitectónicas baseiam-se em  regulamentos de construção,  tendo em atenção conceitos básicos de resistência às acções sísmicas.<br />
  12. 12. Convento do Carmo<br />Convento Carmo antes do terramoto<br />Convento do Carmo após o terramoto – imagem actual <br />
  13. 13. E se houvesse um Sismo <br />em Portugal?<br />Saberias o que fazer????<br />
  14. 14. Estás Preparado???<br />
  15. 15. Antes do sismo<br />Aprender a desligar o gás e a electricidade.<br />Vestir roupas quentes e calçar sapatos. <br />Não usar desnecessariamente o telefone.<br />Armazenar alguma comida enlatada /empacotada e água engarrafada.<br />Uma mesa pesada e a ombreira de uma <br />porta são bons locais para se abrigar.<br />
  16. 16. Preparar um estojo de primeiros socorros.<br />Ter uma lanterna e um transístor a pilhas.<br />Fixar estantes e botijas de gás à parede<br />
  17. 17. Durante<br />Não usar elevadores porque podem <br />ser desactivados pelo corte de energia.<br />   <br />Evitar o pânico <br />Afastar-se de janelas ou de outros <br />objectos que possam cair.<br />Afastar-se de zonas litorais. <br />Procurar locais abertos e  <br />manter-se afastado de edifícios<br />
  18. 18. Depois<br />Não fazer lume;  arejar os locais.<br />Ajudar a socorrer feridos ligeiros e <br /> a apagar pequenos incêndios; <br />avisar os bombeiros em caso de necessidade.<br />Ouvir as notícias e seguir as indicações dadas.<br />
  19. 19. E a tua Escola?...<br />Está Preparada?<br />Já treinaste o plano de <br />Emergência?<br />
  20. 20. Em caso de sismo quem deves contactar?<br /> GNR de Campo de Besteiros: 232851 387<br />Protecção civil: 232 425 983<br />GNR de Tondela: 232 819 370<br />Bombeiros: 232 814 110<br />http://www.meteo.pt/pt/<br />http://www.proteccaocivil.pt/Pages/default.aspx<br />

×