12.2.11. #1 m_lopes et al

339 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
339
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

12.2.11. #1 m_lopes et al

  1. 1. Conferência Internacional ‘Europa 2020: retórica, discursos, política e prática’ Universidade de Aveiro| 5 Julho 2013 Myriam Lopes S. Rafael| L. Tarelho | I. Ribeiro| A. I. Miranda | C. Borrego Valorização energética de biomassa e uso sustentável da floresta
  2. 2. Enquadramento Estratégico Reduzir a dependência energética externa e as emissão de GEE da Europa e Estados-Membros: Plano Europeu para as Alterações Climáticas (PEAC) Comércio Europeu de licenças de Emissão Pacote Energia e Clima da EU (Estratégia 20-20-20)
  3. 3. Enquadramento Estratégico Reduzir a dependência energética externa e as emissão de GEE da Europa e Estados-Membros: Plano Europeu para as Alterações Climáticas (PEAC) Comércio Europeu de licenças de Emissão Pacote Energia e Clima da EU (Estratégia 20-20-20) Reduzir as emissões de GEE na UE em pelo menos 20% em relação aos níveis de 1990 20% do consumo de energia proveniente de fontes de energia renováveis Redução em 20% do uso de energia primária através do aumento da eficiência energética Horizonte 2020
  4. 4. Enquadramento Estratégico Reduzir a dependência energética externa e as emissão de GEE em Portugal: Plano Nacional para as Alterações Climáticas (PNAC) Plano Nacional de Atribuição de Licenças de Emissão (PNALE) Fundo Português de Carbono (FPC) Estratégia Nacional de Energia 2020 (ENE – 2020)
  5. 5. Enquadramento Estratégico Reduzir a dependência energética externa e as emissão de GEE em Portugal: Plano Nacional para as Alterações Climáticas (PNAC) Plano Nacional de Atribuição de Licenças de Emissão (PNALE) Fundo Português de Carbono (FPC) Estratégia Nacional de Energia 2020 (ENE – 2020) Plano Nacional de Ação para as Energias Renováveis (PNAER) Horizonte 2020 Reduzir a dependência energética de 83% para 74% Produzir 31% da energia final a partir de recursos endógenos Produzir 60% da eletricidade por fontes renováveis Promoção do uso de resíduos de biomassa florestal (RBF) para produção de energia
  6. 6. RBF Produção de energia elétrica Produção de energia térmica Desenvolvimento Rural Criação de emprego Redução do risco de incêndio Desenvolvimento da economia local/regional Enquadramento Estratégico
  7. 7. Enquadramento Estratégico Distribuição do consumo de energia para Aquecimento do ambiente por tipo de fonte – Portugal 2010
  8. 8. Cadeia de valorização energética da Biomassa Florestal Produtos: RBF; Pellets, Briquetes
  9. 9. Quais os impactes associados?
  10. 10. Cadeia de valorização energética dos RBF Produção e Colheita Transporte Conversão Energética Distribuição Utilização de energia
  11. 11. Localização das Centrais existentes e disponibilidade de recursos (RBF) Pinheiro bravo SobreiroEucalipto Cadeia de valorização energética dos RBF
  12. 12. Consumo de RBF para valorização energética 6.89E+05 2.46E+06 1.91E+06 1.77E+06 0.0E+00 5.0E+05 1.0E+06 1.5E+06 2.0E+06 2.5E+06 3.0E+06 [ton(dry)biomass.year -1 ] Consumo das centrais existentes Consumo das centrais planeadas Consumo total previsto Resíduos de biomassa florestal disponíveis com base no declive do terreno Cadeia de valorização energética dos RBF
  13. 13. Emissão de poluentes atmosféricos: NOx 0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 7000 ton·ano-1 Cadeia de valorização energética dos RBF Centrais em operação Centrais planeadas Concelho de Aveiro
  14. 14. Qualidade do ar: NOX % Variação percentual das concentrações médias anuais de NOx, quando comparado um cenário de referência (sem emissão das centrais térmicas a biomassa) com o cenário atual (com emissão das centrais térmicas) Cadeia de valorização energética dos RBF
  15. 15. Serviços do ecossistema florestal Floresta Proteção do solo Conservação da biodiversidade Regularização das reservas de água doce Regularização do clima Sumidouros de CO2
  16. 16. Impactes na Floresta Cadeia logística Segregação espacial do uso do solo Especialização funcional do território Degradação da estrutura do solo Deterioração da multifuncionalida de muitas paisagens
  17. 17. Impactes na Floresta Otimização da produtividade Promoção da monocultura Redução da biodiversidade Pressão sobre os recursos (solo, água)
  18. 18. Gestão Florestal Sustentável As opções de gestão deverão focar-se em elementos chave: Disponibilidade dos recursos; Diversidade biológica; Vitalidade e saúde das florestas; Proteção dos recursos florestais; Dimensão socioeconómica; Estrutura política, legal e institucional. O aproveitamento da Biomassa Florestal enquanto fonte de energia, só poderá ser eficiente e ambientalmente eficaz num modelo de gestão florestal sustentável.
  19. 19. Impacto da cadeia de valorização energética da biomassa na qualidade do ar e na política climática Portuguesa http://www.ua.pt/gemac/biogair/ Obrigada pela vossa atenção! myr@ua.pt

×