SlideShare uma empresa Scribd logo

Catalogação Revisitada

Plácida Santos
Plácida Santos
Plácida SantosProfessor em PPGCI, FFC, Unesp

A Catalogação e a construção de formas de representação de conteúdos em ambientes informacionais digitais. RDA em foco.

Catalogação Revisitada

1 de 109
Baixar para ler offline
CATALOGAÇÃO REVISITADA
   história e contemporaneidade
                       Plácida L. V. Amorim da Costa Santos
                       Plácida
                                          PPGCI-FFC/Unesp
Catalogação; formatos de intercâmbio de dados;
AACR2r, RDA, FRBR…;
presenciar o processo de Catalogação
Automatizada no Brasil;
perceber a importância do
processo de Catalogação
na base estrutural da automação
de bibliotecas; orientações de pesquisa, projetos financiados...
Foram a motivação para buscar as respostas para o que me
inquietava na graduação


Catalogação não deve ser só isso...
Datilografar fichas deve ter sido em algum momento o
resultado de uma atividade inteligente...
A geração, o fluxo e o uso de informações, nos dias atuais,
foram transformados pelas tecnologias de informação e
comunicação (TIC), que alteraram os processos de tratamento,
organização, armazenamento, recuperação, disseminação, uso e
reuso e preservação da informação.


A descrição de recursos para a
recuperação da informação
caracteriza-se por uma estrutura de
complexidade que a conduz para um
tratamento específico, a partir de formas de representação e do
uso das tecnologias disponíveis para o instanciamento e a
persistência de dados e informações que garantirão acesso aos
recursos disponíveis.
CatalogAção Revisitada

                                   Proposta de ação de tornar a visitar e a
                            visitar muitas vezes os princípios e conceitos
                          da Catalogação em função de novos contextos.
                                Jogar luz sobre a evolução dos ambientes
                         informacionais onde se aplicam os métodos e o
         processo de construção de formas de representação, a partir da
      crença da impossibilidade de deixar de fazer um movimento para
dentro e para trás, ao pensar nas matrizes que moldaram o processo e o
                    lugar da Catalogação nos ambientes informacionais.

      O convite então, para revisitar os caminhos e os métodos de
                  construção da Catalogação, rever padrões e ensaiar a
                                               projeção de seu futuro.
Explicitar a inteligência instalada na Catalogação desde
seus primeiros exercícios de aplicação
Apresentar o seu papel no planejamento e na modelagem
de catálogos
Demonstrar a Catalogação como uma estrutura
intangível no ambiente informacional, proporcionadora
das estruturas tangíveis do sistema, camada essa que é
visível e acessível aos usuários
as unidades de documentação
procuraram melhorar cada vez mais as
formas de construção dos catálogos
com o desenvolvimento e a utilização
de métodos eficazes e econômicos de
cada época, usando as tecnologias
disponíveis.

Recomendados

Analise Documental-AI1-1ºano
Analise Documental-AI1-1ºanoAnalise Documental-AI1-1ºano
Analise Documental-AI1-1ºanoCTDI Grupo5
 
Aspectos teoricos de análise documentaria
Aspectos teoricos de análise documentariaAspectos teoricos de análise documentaria
Aspectos teoricos de análise documentariaAmanda Oliveira
 
Classificação Decimal Universal (aula completa)
Classificação Decimal Universal (aula completa)Classificação Decimal Universal (aula completa)
Classificação Decimal Universal (aula completa)Raquel Prado Leite de Sousa
 
Análise de conteúdo documental: a recuperação da informação.
Análise de conteúdo documental: a recuperação da informação.Análise de conteúdo documental: a recuperação da informação.
Análise de conteúdo documental: a recuperação da informação.Pedro Abreu Peixoto
 

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Catalogação Revisitada

A modelagem de dados no processo da catalogação sob a perspectiva do uso dos ...
A modelagem de dados no processo da catalogação sob a perspectiva do uso dos ...A modelagem de dados no processo da catalogação sob a perspectiva do uso dos ...
A modelagem de dados no processo da catalogação sob a perspectiva do uso dos ...Elvis Fusco
 
Modelagem de dados e representação da informação
Modelagem de dados e representação da informaçãoModelagem de dados e representação da informação
Modelagem de dados e representação da informaçãoElvis Fusco
 
Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017
Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017
Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017Aquiles Alencar Brayner
 
Cap8 repositórios maio 2013
Cap8 repositórios maio 2013Cap8 repositórios maio 2013
Cap8 repositórios maio 2013Anabela Mesquita
 
A indexação de livros por catalogadores com uso do modelo de leitura documental
A indexação de livros por catalogadores com uso do modelo de leitura documentalA indexação de livros por catalogadores com uso do modelo de leitura documental
A indexação de livros por catalogadores com uso do modelo de leitura documentalLuciana Piovezan
 
Competência em informação para o auto-arquivamento em open archives
Competência em informação para o auto-arquivamento em open archivesCompetência em informação para o auto-arquivamento em open archives
Competência em informação para o auto-arquivamento em open archivesRodrigo Moreira Garcia
 
Arquitetura da informação para blogs
Arquitetura da informação para blogsArquitetura da informação para blogs
Arquitetura da informação para blogsLaura Inafuko
 
FRBR_DESAFIANDO LIMITES
FRBR_DESAFIANDO LIMITESFRBR_DESAFIANDO LIMITES
FRBR_DESAFIANDO LIMITESRita Almeida
 
Novas tecnologias versus Velhos Padrões
Novas tecnologias versus Velhos PadrõesNovas tecnologias versus Velhos Padrões
Novas tecnologias versus Velhos PadrõesDôra Nogueira
 
Hipermídias: Hipertextos, Hiperdocumentos
Hipermídias: Hipertextos, HiperdocumentosHipermídias: Hipertextos, Hiperdocumentos
Hipermídias: Hipertextos, HiperdocumentosRobson Santos da Silva
 
Serviço de descoberta: considerações sobre a implantação na Rede Sirius - Red...
Serviço de descoberta: considerações sobre a implantação na Rede Sirius - Red...Serviço de descoberta: considerações sobre a implantação na Rede Sirius - Red...
Serviço de descoberta: considerações sobre a implantação na Rede Sirius - Red...Fernanda Lobo
 
Representação da Informação
Representação da InformaçãoRepresentação da Informação
Representação da InformaçãoHercules Santos
 
Arquitetura da Informação de websites: o caso do Sistema de Bibliotecas da UFAL
Arquitetura da Informação de websites: o caso do Sistema de Bibliotecas da UFALArquitetura da Informação de websites: o caso do Sistema de Bibliotecas da UFAL
Arquitetura da Informação de websites: o caso do Sistema de Bibliotecas da UFALRonaldo Araújo
 
III Encontro Partilhar Leituras, Faro março 2014
III Encontro Partilhar Leituras, Faro março 2014III Encontro Partilhar Leituras, Faro março 2014
III Encontro Partilhar Leituras, Faro março 2014Emilia Pacheco
 

Semelhante a Catalogação Revisitada (20)

A modelagem de dados no processo da catalogação sob a perspectiva do uso dos ...
A modelagem de dados no processo da catalogação sob a perspectiva do uso dos ...A modelagem de dados no processo da catalogação sob a perspectiva do uso dos ...
A modelagem de dados no processo da catalogação sob a perspectiva do uso dos ...
 
Modelagem de dados e representação da informação
Modelagem de dados e representação da informaçãoModelagem de dados e representação da informação
Modelagem de dados e representação da informação
 
Cap8
Cap8Cap8
Cap8
 
Concursosantabarbara
ConcursosantabarbaraConcursosantabarbara
Concursosantabarbara
 
Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017
Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017
Curadoria Digital_Arquivo Nacional_julho 2017
 
Cap8 repositórios maio 2013
Cap8 repositórios maio 2013Cap8 repositórios maio 2013
Cap8 repositórios maio 2013
 
A indexação de livros por catalogadores com uso do modelo de leitura documental
A indexação de livros por catalogadores com uso do modelo de leitura documentalA indexação de livros por catalogadores com uso do modelo de leitura documental
A indexação de livros por catalogadores com uso do modelo de leitura documental
 
Apresentação ietic rc
Apresentação ietic rcApresentação ietic rc
Apresentação ietic rc
 
Competência em informação para o auto-arquivamento em open archives
Competência em informação para o auto-arquivamento em open archivesCompetência em informação para o auto-arquivamento em open archives
Competência em informação para o auto-arquivamento em open archives
 
Bibliotecario 2.0
Bibliotecario 2.0Bibliotecario 2.0
Bibliotecario 2.0
 
Arquitetura da informação para blogs
Arquitetura da informação para blogsArquitetura da informação para blogs
Arquitetura da informação para blogs
 
FRBR_DESAFIANDO LIMITES
FRBR_DESAFIANDO LIMITESFRBR_DESAFIANDO LIMITES
FRBR_DESAFIANDO LIMITES
 
Literacia digital
Literacia digitalLiteracia digital
Literacia digital
 
Curadoria digital fcrb 2017_dia 1
Curadoria digital fcrb 2017_dia 1Curadoria digital fcrb 2017_dia 1
Curadoria digital fcrb 2017_dia 1
 
Novas tecnologias versus Velhos Padrões
Novas tecnologias versus Velhos PadrõesNovas tecnologias versus Velhos Padrões
Novas tecnologias versus Velhos Padrões
 
Hipermídias: Hipertextos, Hiperdocumentos
Hipermídias: Hipertextos, HiperdocumentosHipermídias: Hipertextos, Hiperdocumentos
Hipermídias: Hipertextos, Hiperdocumentos
 
Serviço de descoberta: considerações sobre a implantação na Rede Sirius - Red...
Serviço de descoberta: considerações sobre a implantação na Rede Sirius - Red...Serviço de descoberta: considerações sobre a implantação na Rede Sirius - Red...
Serviço de descoberta: considerações sobre a implantação na Rede Sirius - Red...
 
Representação da Informação
Representação da InformaçãoRepresentação da Informação
Representação da Informação
 
Arquitetura da Informação de websites: o caso do Sistema de Bibliotecas da UFAL
Arquitetura da Informação de websites: o caso do Sistema de Bibliotecas da UFALArquitetura da Informação de websites: o caso do Sistema de Bibliotecas da UFAL
Arquitetura da Informação de websites: o caso do Sistema de Bibliotecas da UFAL
 
III Encontro Partilhar Leituras, Faro março 2014
III Encontro Partilhar Leituras, Faro março 2014III Encontro Partilhar Leituras, Faro março 2014
III Encontro Partilhar Leituras, Faro março 2014
 

Último

PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfkeiciany
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba InicialTeresaCosta92
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...manoelaarmani
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfalexandrerodriguespk
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!Psyc company
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxssuser86fd77
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOxogilo3990
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfkeiciany
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfkeiciany
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba InicialDomínio da Linguagem  Oral Classificação Sílaba Inicial
Domínio da Linguagem Oral Classificação Sílaba Inicial
 
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
Desafie-se Como Estabelecer Metas de Fitness Realistas e Alcançáveis em Casa ...
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
O Guia Definitivo para Investir em Bitcoin: Domine o Mercado Hoje!
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docxPROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
PROJETO INTERDISCIPLINAR 6º AO 9º ANOS - 2.docx
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 8º ANO.pdf
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
1. Ciente das novas dinâmicas do mundo do trabalho, você deve pesquisar e des...
 

Catalogação Revisitada

  • 1. CATALOGAÇÃO REVISITADA história e contemporaneidade Plácida L. V. Amorim da Costa Santos Plácida PPGCI-FFC/Unesp
  • 2. Catalogação; formatos de intercâmbio de dados; AACR2r, RDA, FRBR…; presenciar o processo de Catalogação Automatizada no Brasil; perceber a importância do processo de Catalogação na base estrutural da automação de bibliotecas; orientações de pesquisa, projetos financiados... Foram a motivação para buscar as respostas para o que me inquietava na graduação Catalogação não deve ser só isso... Datilografar fichas deve ter sido em algum momento o resultado de uma atividade inteligente...
  • 3. A geração, o fluxo e o uso de informações, nos dias atuais, foram transformados pelas tecnologias de informação e comunicação (TIC), que alteraram os processos de tratamento, organização, armazenamento, recuperação, disseminação, uso e reuso e preservação da informação. A descrição de recursos para a recuperação da informação caracteriza-se por uma estrutura de complexidade que a conduz para um tratamento específico, a partir de formas de representação e do uso das tecnologias disponíveis para o instanciamento e a persistência de dados e informações que garantirão acesso aos recursos disponíveis.
  • 4. CatalogAção Revisitada Proposta de ação de tornar a visitar e a visitar muitas vezes os princípios e conceitos da Catalogação em função de novos contextos. Jogar luz sobre a evolução dos ambientes informacionais onde se aplicam os métodos e o processo de construção de formas de representação, a partir da crença da impossibilidade de deixar de fazer um movimento para dentro e para trás, ao pensar nas matrizes que moldaram o processo e o lugar da Catalogação nos ambientes informacionais. O convite então, para revisitar os caminhos e os métodos de construção da Catalogação, rever padrões e ensaiar a projeção de seu futuro.
  • 5. Explicitar a inteligência instalada na Catalogação desde seus primeiros exercícios de aplicação Apresentar o seu papel no planejamento e na modelagem de catálogos Demonstrar a Catalogação como uma estrutura intangível no ambiente informacional, proporcionadora das estruturas tangíveis do sistema, camada essa que é visível e acessível aos usuários
  • 6. as unidades de documentação procuraram melhorar cada vez mais as formas de construção dos catálogos com o desenvolvimento e a utilização de métodos eficazes e econômicos de cada época, usando as tecnologias disponíveis.
  • 7. Sete períodos marcam a construção teórica Antiguidade – Período Pré-Tipográfico Idade Média – Período Pré-tipográfico Idade Moderna - Período Tipográfico Idade Contemporânea - Período Semimecanizado Idade Contemporânea - Período Mecanizado Idade Atual – Período Automatizado Idade Atual – Período das Tecnologias de rede e Web
  • 8. A Catalogação tradicional abriu caminhos para o catalogador reordenar o que já havia sido feito e caminhar para a construção de Catálogos estruturados e interoperáveis
  • 9. Em que as tecnologias atuais são diferentes das anteriormente utilizadas pelos catalogadores com grande aceitação?
  • 10. Evoluções resultantes das novas tecnologias, à sua época geram transformações, mas as anteriores não nos forçavam a uma modificação radical em nossas estruturas. Tecnologias disponíveis a partir da segunda metade do século XX oferecem a possibilidade da realização e controle de tarefas inteiramente novas. Em alguns segundos, podemos ter acesso a vastas fontes de informação e obter dados bibliográficos do mundo inteiro.
  • 11. Desafio é articular os avanços técnicos às práticas tradicionais na Catalogação, que passam a fazer parte de um processo mais amplo e complexo com a introdução de novos materiais digitais e suas especificidades: tridimensionalidade, hipertextualidade e estruturas específicas. O que demanda por integração de ambientes informacionais e a inserção de teorias advindas de outras áreas do conhecimento, como da Computação, no processo de geração, armazenamento e acesso à informação.
  • 12. O conhecimento, como estrutura abstrata, se corporifica em um tipo de recurso informacional, um documento, que é objeto material. A informação como um conjunto de dados carregado de sentido, uma obra como criação intelectual, uma idéia expressa materializa-se em uma manifestação como uma idéia corporificada, um objeto que corporifica a expressão de uma obra.
  • 13. Obra é o conteúdo particular de um conhecimento não corporificado e recurso informacional é a estrutura de corporificação da informação. A missão desafiadora da Catalogação é a descrição da multiplicidade de recursos informacionais que deverão ser armazenados para que possam ser buscados e recuperados a partir de representações para (re)utilização e apropriação das informações neles contidas
  • 14. Uma característica diferencia o tratamento descritivo de uma informação corporificada de qualquer outro produto. A de incorporar duas estruturas obra e recurso informacional que precisam ser descritas em separado e organizadas em conjunto preservando as características individuais de cada uma delas: diferenças, unicidade do recurso, descrição inteligível e comunicável tanto para buscadores humanos como não humanos, juntar o que é igual, diferenciar o que não é exatamente igual e aproximar o que é semelhante.
  • 15. • A perspectiva humana deve considerar: o quê, e como mostrar o que está sendo representado. • A perspectiva tecnológica deve se responsabilizar pela estrutura dos dados: desenvolver uma estrutura de armazenamento para que os dados sejam vistos pelos usuários e, ainda, armazenar dados sobre os usuários (perfil, contexto, objetivos) para definir o quê, quando e como mostrar o que foi representado e armazenado.
  • 16. A Catalogação tem por missão fornecer regras, estruturas, esquemas e modelos para elaborar representações dos recursos informacionais de forma a possibilitar e a simplificar sua busca e recuperação, abrangendo tanto seu aspecto físico quanto seu conteúdo, como uma das especialidades do fazer biblioteconômico e uma atividade imprescindível no interior das bibliotecas Identificar a postura de 26 bibliotecários frente a inovações no âmbito da Catalogação descritiva.
  • 17. O resultado foi a percepção de que apesar de todos os respondentes se referirem às orientações de descrição do código de Catalogação AACR, a definição dos elementos, dos atributos de descrição para a representação é realizada em diferentes níveis nas unidades de informação em que atuam elementos de Catalogação considerados indispensáveis para uma instituição não são igualmente importantes para as outras instituições. O único ponto comum entre os elementos/atributos de descrição foi o Título.
  • 18. Diante do resultados e acreditando nas características potenciais do ciberespaço, como o local que tem abrigado cada vez mais ambientes informacionais dinâmicos iniciados como sistemas simples que originaram comportamentos complexos como; os arranjos pessoais para organização da informação e as ações colaborativas (na alimentação de repositórios informacionais, na valoração de metadados, no processo de rotulação, na etiquetagem, na construção de um saber coletivo para a representação da informação e de recursos informacionais) buscou-se respostas sobre como se dão as construções mentais e como os usuários dos ambientes informacionais criam seus marcadores de memória para transitarem nesses ambientes.
  • 19. os bancos de dados bibliográficos conterão os elementos de uma representação complexa e completa na camada intangível do sistema, e apresentarão, na camada de acesso, apenas os elementos necessários para resolver um problema específico.
  • 20. As interfaces poderão estar preparadas para usar diferentes formas de representação em diversas situações considerando: Design: uma arquitetura de software para ambientes com múltiplas representações, e Cognição: a compreensão da maneira como empregar múltiplas formas de representação para a solução de problemas e como fazer uso de um ambiente computacional onde representações alternativas estão disponíveis.
  • 21. 153 adultos de idade, classe social e cultural heterogêneas e 26 crianças com idade de 8 a 10 anos, todos alfabetizados, a partir das seguintes orientações: Descreva um livro de modo que ele possa ser localizado na Internet, em uma livraria ou em uma biblioteca.
  • 22. Elementos de Descrição Bibliotecários Adultos Crianças Titulo 100% 75% 42% Assunto 80% 22% 19% Autor 73% 93% 4% Edição 73% 16% Imprenta 73% Local de Publicação 8% Editor 52% 4% ISBN 73% 4% Indicações de Responsabilidade 67% Ilustrador 7% Tradutor 25% Descrição Física 60% Dimensões 27% Número de páginas 58% 19% Série 53% 10% Pontos de Acesso Secundários 46% Notas 33% Resumo 29% 65% Público Alvo 7% Título Original 27% Classificação 13% 0,6% Capa 66% 15%
  • 23. Com o objetivo de refletir sobre os marcadores de memória de usuários de ambientes informacionais e as orientações, de descrição de recursos informacionais para a construção registros bibliográficos, contidas nos instrumentos de trabalho do catalogador foi analisado um conjunto de formas de representação elaboradas a partir dos mais conhecidos instrumentos de trabalho desde a publicação das 91 Regras de Panizzi em 1887
  • 24. Com a grande quantidade de informações produzidas e disponíveis, especialmente nos ambientes digitais, a catalogação, de um sistema, que tinha como objetivo primordial orientar a construção de registros bibliográficos para tipos documentais específicos, tornou-se inegavelmente um sistema complexo, que tem aos seus cuidados não somente os documentos tangíveis proprietários de uma biblioteca, mas também os recursos a que a unidade de informação dá acesso.
  • 25. Em um ambiente informacional, os componentes são os registros informacionais, que interagem com agentes inteligentes, que interagem com pessoas, que interagem de modo permanente e variado. Essa interação, a partir de padrões de representação da informação disponível, pode produzir padrões de comportamento que formam as manifestações de domínio e que se chamam, na teoria dos sistemas dinâmicos parâmetros de ordem (GONZALEZ, 2004).
  • 26. Os parâmetros de ordem, na Ciência da Informação, pode-se dizer que são as formas de representação construídas para descrever o conteúdo e a forma da informação registrada, aquela passível de tratamento, armazenamento, recuperação, (re)uso e preservação. O parâmetro é o resultado das interações dos componentes do sistema (no caso, sujeitos institucionais, recursos informacionais, registros bibliográficos, usuários, representações mentais e ambiente) e exerce uma influência causal no comportamento dos componentes, subjugando-os.
  • 27. O comportamento do sistema informacional pode ser descrito por meio de um cenário de atratores, no qual os registros bibliográficos funcionam como atratores e exemplificam os modos de comportamento relativamente estável. Ele pode ser caracterizado como a posição (e as mudanças na posição) do sistema neste cenário de atratores. Influenciado por um ou mais parâmetros de controle, o cenário de atratores pode mudar, e os atratores podem desaparecer ou emergir. Na Catalogação, os parâmetros de controle são esquemas, os formatos de intercâmbio e os padrões de metadados, convencionados e internacionalmente aceitos (AACR, ISBD, MARC, RDA, FRBR). Por meio de parâmetros de controle, podem ser efetuadas transições entre modos do comportamento diferentes.
  • 28. A Catalogação é basicamente um processo de representação. Como esse processo envolve o sentido da visão, catalogar é, na sua essência uma projeção, é olhar para uma coisa, descreve-la de outra forma, e possibilitar que o leitor veja a coisa representada. O resultado da Catalogação não se dá por acesso direto à realidade, mas por intermediação de outros elementos da realidade, os esquemas do usuário, os frames disponíves e as possibilidades do sistema.
  • 29. Nessa triangulação (os esquemas do usuário, os frames disponíves e as possibilidades do sistema) o elemento intermediário -formas de apresentação das representações- funciona como um espelho; mostra um segmento do universo bibliográfico que normalmente nada tem a ver com sua própria consistência física do item representado. Catalogar é, portanto, representar um universo por meio de espelhos que oferecem imagens fragmentadas que serão integralizadas com o preenchimento das hipóteses levantas pelas experiências dos usuários e pelas possibilidades oferecidas no ambiente informacional.
  • 30. Deirdre Kiorgaard - RDA/Australia
  • 31. Seção 1: Manifestação e Item Atributos Seção 2: Obra e Expressão Seção 3: Pessoa, Família e RDA Entidade coletiva Seção 4: Conceito, Objeto, Relacionamentos Evento e Lugar Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 32. Seção 5: Relacionamentos primários Atributos entre uma Obra, Expressão, Manifestação e Item RDA Seção 6: Pessoas, Famílias e Entidades coletivas associadas com um recurso Seção 7: Assuntos Relacionamentos Seção 8: Relacionamentos entre Obras, Expressões, Manifestações e Itens Seção 9: Entre Pessoas, Famílias e Entidades coletivas Seção 10: Entre Conceitos, Objetos, Eventos e Lugares Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 33. Obra Seção 2: Obra e Expressão Expressão Manifestação Seção 1: Manifestação e Item Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 34. Seção 5: Relacionamentos primários entre uma Obra, Expressão, Manifestação e Item Obra Expressão Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 35. Seção 5: Relacionamentos primários entre uma Obra, Expressão, Manifestação e Item Obra Expressão Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 36. Seção 5: Relacionamentos primários entre uma Obra, Expressão, Manifestação e Item Obra Expressão Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 37. a le tiv soa ília e co Obra Pes Fam idad nt E Seção 6: Pessoas, Famílias e Entidades coletivas associadas com um recurso Expressão Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 38. a le tiv soa ília e co Obra Pes Fam idad nt E Seção 6: Pessoas, Famílias e Entidades coletivas associadas com um recurso Expressão Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 39. a le tiv soa ília e co Obra Pes Fam idad t En Seção 6: Pessoas, Famílias e Entidades coletivas associadas com um recurso Expressão Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 40. a tiv oa ília e c ole s Obra Pes Fam dad ti En Seção 6: Pessoas, Famílias e Entidades coletivas associadas com um recurso Expressão Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 41. a le tiv soa ília e co Obra Pes Fam idad nt E Expressão Seção 3: Pessoa, Família e Entidade coletiva Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 42. a tiv oa ília e c ole s Obra Pes Fam dad ti En Expressão Seção 3: Pessoa, Família e Entidade coletiva Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 43. a tiv oa ília e c ole s Obra Pes Fam idad t En Expressão Seção 3: Pessoa, Família e Entidade coletiva Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 44. a tiv oa ília e c ole s Obra Pes Fam dad ti Seção 9: Entre Pessoas, En Famílias e Entidades coletivas Expressão Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 45. a tiv o oa ília e c ole eit o o et ent ugar s c bj Ev Obra Pes Fam dad Con O L i ntE Expressão Seção 7: Assuntos Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 46. a tiv a ília e co le ito eto nto r so m ad ce bj e ga Obra Pes Fa tid Con O Ev Lu n E Expressão Seção 4: Conceito, Objeto, Evento e Lugar Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 47. tiva a ília ito eto nto ole r so m ade c ce bj e ga Obra Pes Fa id Con O Ev Lu nt E Seção 10: Entre Conceitos, Objetos, Eventos e Lugares Expressão Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 48. Obra a le tiv a ília eco ito eto nto r so m ad ce bj e ga Obra Pes Fa tid Con O Ev Lu En Seção 8: Relacionamentos entre Obras, Expressões, Expressão Manifestações e Itens Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 49. Obra tiva a ília ito eto nto ole r so m ade c ce bj e ga Obra Pes Fa id Con O Ev Lu nt E Seção 8: Relacionamentos entre Obras, Expressões, Expressão Expressão Manifestações e Itens Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 50. Obra a le tiv a ília eco ito eto nto r so m ad ce bj e ga Obra Pes Fa tid Con O Ev Lu En Seção 8: Relacionamentos entre Obras, Expressões, Expressão Expressão Manifestações e Itens Manifestação Manifestação Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 51. Obra a tiv to o o oa ília e c ole ei et ent ugar s c bj Ev Obra Pes Fam dad Con O L ti En Seção 8: Relacionamentos entre Obras, Expressões, Expressão Expressão Manifestações e Itens Manifestação Manifestação Item Item Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 52. Obra a tiv ole eito o o soa ília de c et ent ugar es Fam ida nc bj Ev L Obra P n t Co O E Expressão Expressão Manifestação Manifestação Item Item Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 53. Harry
Po(er
and Obra the
Philosopher's Stone É
realizada
através da Expressão Harry
Po(er
e
a pedra
filosofal Está
con3da
na Manifestação Publicação
da
editora Rocco
no
ano
de
2004 É
exemplificada
pelo Exemplar
que
está Item na
minha
estante Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 54. “ideia” Texto
em Texto
em inglês português Editora
X, Editora
A, Editora
A, 2004 2008 2011 Item Item Item Item Item Item Item Fabrício S. Assumpção. Fapesp - GPnti/Unesp 2011
  • 55. RDA em 10 passos Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 56. 1. Olhe para a estrutura física Registro de coisas que ajundam a identificar o livro. RDA Cap. 2 - Identificando Manifestações e Itens com Cap. 1 - Diretrizes gerais no registro dos atributos de Manifestações e Itens Título Outras
informações
sobre
o
Atulo Variações
do
Atulo Indicação
de
responsabilidade Local
de
Publicação,
Casa Indicação
de
edição Publicadora
e
Data
de Publicação Data
de Indicação
de
Série Copyright ISBN Notas Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 57. 2. Ainda estrutura física do livro Registro de características físicas que ajudam na seleção desse livro em particular. RDA Cap. 3 Descrevendo suportes com Cap. 1 - Diretrizes gerais no registro dos atributos de Manifestações e Itens Tipo
de
Mídia Tipo
de
suporte Extensão Dimensões Tamanho
da
fonte Notas
explicaOvas Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 58. 3. Considere o livro em termos de aquisições e acesso Registro de coisas que afetam a obtenção do livro. RDA Cap. 4 - Provendo aquisição e acesso à informação com Cap. 1 - Diretrizes gerais no registro dos atributos de Manifestações e Itens Modalidades de
Aquisição Contatos Restrições
no
acesso Restrições
no
uso Uniform
Resource
Locator (URL) Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 59. 4. Considere o conteúdo do livro Registre coisas que ajudam identificar o conteúdo do livro. RDA Cap. 6 - Identificando Obras e Expressões com Cap. 5 - Diretrizes gerais no registro dos atributos de Obras e Expressões Título
preferido
para
a
obra Tipo
de
obra Data
da
obra Lugar
de
origem
da
obra Historia
da
obra Tipo
de
Conteúdo Idioma
da
expressão IdenOficadores
para
a obra
e
a
expressão Pontos
de
Acesso
autorizados Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 60. 5. Ainda o conteúdo do livro Registre as características do conteúdo que ajudarão na seleção deste livro em particular. RDA Cap. 7 - Descrevendo conteúdo com Cap. 5 - Diretrizes gerais no registro dos atributos de Obras e Expressões Natureza
do
conteúdo Cobertura
do
conteúdo Público
alvo Resumo
do
conteúdo Idioma
do
conteúdo Conteúdo
ilustraOvo Conteúdo
suplementar Conteúdo
colorido Prêmios Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 61. 6. Considere a pessoa, famílias e entidades coletivas associadas com o livro. Registre coisas que ajudam identificar a pessoa/familia/entidade coletiva. RDA Cap. 9 - Identificando Pessoas, 10 - Identificando Famílias, 11 Identificando Entidades coletivas com Cap. 8 - Diretrizes gerais no registro dos atributos de Pessoas, Famílias e Entidades coletivas Para uma pessoa … Nome
preferido
para
a
pessoa Variante
do
nome
da
pessoa Data
de
nascimento Nome
completo Título
da
pessoa Gênero País
associado
com
a
pessoa Local
de
residência Afiliação Idioma
da
pessoa Campo
de
aOvidade
da
pessoa Profissão
ou
ocupação Ponto
de
Acesso
Autorizado IdenOficador
da
pessoa Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 62. Identificando a Pessoa RDA Element Data Preferred name for the person Munro, Alice Variant name for the person Laidlaw, Alice Ann Date of birth 1931 Gender female Place of birth Wingham, Ont. Country associated with the person Canada Place of residence Clinton, Ont. Language of the person English Profession or occupation Short-story writer Identifier for the person LAC control number: 0101J7510 Status of identification fully established Ponto
de
Acesso
Autorizado:




Munro,
Alice,
1931‐ Ponto
de
Acesso
Variante:




Laidlaw,
Alice
Ann,
1931‐ h]p://www.rda‐jsc.org/docs/6JSC_RDA_Complete_Examples_%28Authority%29.pdf
  • 63. 7. Mostra primária dos relacionamento entre obra, manifestação e item no livro Ajuda a encontrar todos os recursos que incorporam as obras e expressões em um livro e todos os items exemplificados pela manifestação. RDA Cap. 17 - Diretrizes gerais no registro dos relacionamentos primários entre uma Obra, Expressão, Manifestação e Item Métodos
para
apresentação
de
relacionamentos
primários: IdenOficadores
(obra,
expressão,
manifestação,
item) Pontos
de
Acesso
Autorizados
(obra,
expressão) Composição
da
Descrição
(obra,
expressão,
manifestação, item) Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 64. 8. Mostra relacionamentos entre obra/expressão/manifestação/item e pessoas, familias e entidades coletivas. Ajuda encontrar todos os recursos associados com a pessoa, família ou entidade coletiva específica relacionada com o livro pelo registro desses relacionamentos. RDA Chapters 19 - Pessoas, Famílias e Entidades coletivas associadas com uma Obra, 20 - Pessoas, Famílias e Entidades coletivas associadas com uma Expressão, 21- Pessoas, Famílias e Entidades coletivas associadas com uma Manifestação, 22 - Pessoas, Famílias e Entidades coletivas associadas com um Item com Cap. 18 - Diretrizes gerais no registro dos relacionamentos para Pessoas, Famílias e Entidades coletivas associadas com um recurso IdenOfcadores Pontos
de
Acesso
Autorizados Designadores
de
relacionamento Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 65. Grupo
1
e
Grupo
2
EnOdades
‐
Elementos
e
Designadores
de
Relacionamento Group 1 Element (Group 2 Entity) Select Relationship Entity Designators Work Creator author, composer, programmer Other Person, Family or Corporate Body director, appellant, issuing body, Associated with a Work (including Legal plaintiff, producer, judge, honouree Works and Religious Works) Expression Contributor abridger, art director, editor, illustrator, performer, translator Manifestation Producer of an Unpublished Resource Publisher broadcaster Distributor film distributor Manufacturer printer, book designer Other Person, Family or Corporate Body Associated with a Manifestation Item Owner current owner, former owner Custodian Other Person, Family or Corporate Body annotator, binder, curator, Associated with an Item illuminator, dedicatee of item
  • 66. 9. Mostra relacionamentos entre obra/expressão/manifestação/item e outras obras, expressões, manifestações e itens Ajuda encontrar obras, expressões, manifestações e itens relacionados com o livro pelo registro desses relacionamento. Ajuda a entender relacionamentos entre 2 ou mais obras, expressões, manifestações ou itens. RDA Cap. 25 - Obras relacionadas, 26 - Expressões relacionadas, 27 - Manifestações relacionadas, 28 Itens relacionados com Cap. 24 - Diretrizes gerais no registro dos relacionamentos entre Obras, Expressões, Manifestações e Itens IdenOficadores Pontos
de
Acesso
Autorizados Descrições
estruturadas Fonte
consultada,
notas
do Descrições
não
estruturadas catalogador,
notas
descriOvas de
relacionamento Designadores
de
relacionamento Numeração
de
parte Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 67. Convenção para relacionamento entre obras e entre expressões Pontos de Acesso autorizados: • Related work: Tolkien, J.R.R. (John Ronald Reuel), 1892-1974. Lord of the rings • Relationship designator: parody of (work) 700 1_ $i parody of (work) $a Tolkien, J. R. R. $q (John Ronald Reuel), $d 1892-1974. $t Lord of the rings • Related work: Berenholtz, Jim, 1957- Teachings of the feathered serpent • Relationship designator: in series (work) • Numbering of part: bk. 1 800 1_ $a Berenholtz, Jim, $d 1957- $t Teachings of the feathered serpent ; $v bk. 1. Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 68. Convenções para relacionamentos entre obras, expressões, manifestações e itens Descrição Estruturada: Related work: Quark models / J. Rosner -- Introduction to gauge theories of the strong, weak, and electromagnetic interactions / C. Quigg -- Deep inelastic lepton-nucleon scattering / D.H. Perkins. Relationship designator: contains (work) 505 00 $t Quark models /$r J. Rosner -- $t Introduction to gauge theories of the strong, weak, and electromagnetic interactions / $r C. Quigg -- $t Deep inelastic lepton-nucleon scattering / $r D.H. Perkins. Related The concise Oxford companion to Irish literature / edited by expression: Robert Welch Relationship designator: abridged as (expression) 500 __ $a Abridged as: The concise Oxford companion to Irish literature / edited by Robert Welch. Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 69. Convenção para relacionamentos entre obra, expressões, manifestações e itens Descrição Não Estruturada Related work: Finding aid available in the repository and online. 555 __ $a Finding aid available in the repository and online. Related expression: Also available in a 45 min. abridged version. 500 __ $a Also available in a 45 min. abridged version. Related manifestation: Issued also in Blu-Ray Disc format. 530 __ $a Issued also in Blu-Ray Disc format. Related item: Library’s copy bound with 11 other songs. 500 __ $a Library’s copy bound with 11 other songs. Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 70. 10. Mostra relacionamentos entre pessoa/familia/entidade coletiva e outras pessoas, famílias e entidades coletivas Ajuda encontrar pessoas, famílias e entidades coletivas relacionadas com pessoas, famílias e entidade coletivas associadas ao livro pelo registro desses relacionamentos. Ajuda entender recionamentos entre duas ou mais pessoas, famílias e entidades coletivas. RDA Cap. 30 - Pessoas relacionadas, 31- Famílias relacionadas, 32 - Entidades coletivas relacionadas, com Cap. 29 - Diretrizes gerais no registro dos relacionamentos entre Pessoas, Famílias e Entidades coletivas IdenOficadores Pontos
de
Acesso
Autorizados Designadores
de
relacionamento Fontes
consultadas,
notas
dos catalogador,
notas
de
descrição de
realcionamentos Thomas
Brenndorfer
‐
Guelph
Public
Library
2011
  • 71. RDA Workflow • Implementação – Criar Obra – Adicionar Expressão – Adicionar Manifestação – Adicionar Item • Depois, quando Manifestações são adquiridas  Adicionar Expressão, se necessário . Idioma diferente . Performance diferente . Tipo de conteúdo diferente Texto, Texto oral, Musica executada, etc. . Texto diferente  Adicionar Manifestação
  • 72. A aplicação do RDA tem sido descrita em três cenários No 1o. cenário, os dados RDA são armazenados em uma estrutura de banco de dados relacional ou orientado a objeto que espelha o FRBR e FRAD modelos conceituais. Nos cenários de segundo e terceiro, os dados RDA são armazenados em estruturas de banco de dados convencionalmente usado em aplicações de biblioteca.
  • 74. 041 1# $a eng $h por 100 1# $a Coelho, Paulo. 240 10 $a Alquimista. $l English 245 14 $a The alchemist / $c Paul Coelho ; translated by Alan R. Clarke 260 ## $a [San Francisco] : $b HarperSanFrancisco, $b c1993 300 ## $a 177 p. ; $c 21 cm 700 1# $a Clarke, Alan $q (Alan R.) 5. RDA (LC core elements only) 041 1# $a eng $h por 100 1# $a Coelho, Paulo. 240 10 $a Alquimista. $l English 245 14 $a The alchemist / $c Paul Coelho. 260 ## $a [San Francisco] : $b HarperSanFrancisco, $c [1993?], c1993 300 ## $a 177 pages ; $c 21 cm 336 ## $a text $2 rdacontent 337 ## $a unmediated $2 rdamedia 338 ## $a volume $2 rdacarrier 500 ## $a Translation of the author’s Alquimista. 700 1# $a Clarke, Alan $q (Alan R.)
  • 75. Comentários: #1. O relacionamento dessa expressão com o original (nesse registro como uma descrição não estruturada no campo 500) poderia também ser expressada por uma descrição estruturada no campo 500 (ou campo 765) ou por um ponto de acesso autorizado. 500 ## $a Translation of: Alquimista / Paulo Coelho. -- Rio de Janeiro : Rocco, 1991. -- 247 pages ; 21 cm 700 1# $i Translation of: $a Coelho, Paulo. $t Alquimista. #2. É jungamento do catalogador usar um designador de relacionamento do RDA appendix I no campo 100 para Coelho e no campo 700 para Clarke. 100 1# $a Coelho, Paulo, $e author 700 1# $a Clarke, Alan $q (Alan R.), $e translator #3. O campo 700 não precisa ser justificado por transcrever a segunda declaração de responsabilidade (não é um elemento central): traduzido por Alan R. Clarke. Um catalogador pode decidir transcrevê-lo, especialmente se um designador de relacionamento não está presente no campo 700.
  • 76. Shakespeare, William, 1564-1616. Hamlet. French. LC Control No. : 47023612 LCCN Permalink : http://lccn.loc.gov/47023612 Type of Material : Book (Print, Microform, Electronic, etc.) Personal Name : Shakespeare, William, 1564-1616. Main Title : ... Hamlet, traduit par André Gide. Published/Created : [Paris] Gallimard [1946] Description : 2 p. l., 7-237, [2] p. 17 cm. CALL NUMBER : PR2779.H3 G5Copy 1 -- Request in : Jefferson or Adams Bldg General or Area Studies Reading Rms Judith A. Kuhagen - LC 06/2011
  • 77. Person Shakespeare, William, 1564-1616. Hamlet. French. LC Control No. : 47023612 Work LCCN Permalink : http://lccn.loc.gov/47023612 Type of Material : Book (Print, Microform, Electronic, etc.) Personal Name : Shakespeare, William, 1564-1616. Main Title : ... Hamlet, traduit par André Gide. Published/Created : [Paris] Gallimard [1946] Description : 2 p. l., 7-237, [2] p. 17 cm. CALL NUMBER : PR2779.H3 G5Copy 1 -- Request in : Jefferson or Adams Bldg General or Area Studies Reading Rms Judith A. Kuhagen - LC 06/2011
  • 78. Shakespeare, William, 1564-1616. Hamlet. French. LC Control No. : 47023612 Expression LCCN Permalink : http://lccn.loc.gov/47023612 Type of Material : Book (Print, Microform, Electronic, etc.) Personal Name : Shakespeare, William, 1564-1616. Main Title : ... Hamlet, traduit par André Gide. Published/Created : [Paris] Gallimard [1946] Description : 2 p. l., 7-237, [2] p. 17 cm. CALL NUMBER : PR2779.H3 G5Copy 1 -- Request in : Jefferson or Adams Bldg General or Area Studies Reading Rms Judith A. Kuhagen - LC 06/2011
  • 79. Shakespeare, William, 1564-1616. Hamlet. French. LC Control No. : 47023612 Manifestation LCCN Permalink : http://lccn.loc.gov/47023612 Type of Material : Book (Print, Microform, Electronic, etc.) Personal Name : Shakespeare, William, 1564-1616. Main Title : ... Hamlet, traduit par André Gide. Published/Created : [Paris] Gallimard [1946] Description : 2 p. l., 7-237, [2] p. 17 cm. CALL NUMBER : PR2779.H3 G5Copy 1 -- Request in : Jefferson or Adams Bldg General or Area Studies Reading Rms Judith A. Kuhagen - LC 06/2011
  • 80. Shakespeare, William, 1564-1616. Hamlet. French. LC Control No. : 47023612 LCCN Permalink : http://lccn.loc.gov/47023612 Type of Material : Book (Print, Microform, Electronic, etc.) Personal Name : Shakespeare, William, 1564-1616. Main Title : ... Hamlet, traduit par André Gide. Published/Created : [Paris] Gallimard [1946] Description : 2 p. l., 7-237, [2] p. 17 cm. Item CALL NUMBER : PR2779.H3 G5Copy 1 -- Request in : Jefferson or Adams Bldg General or Area Studies Reading Rms Judith A. Kuhagen - LC 06/2011
  • 81. RDA: template VTLS ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 82. RDA: template VTLS ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 83. Display Work record ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 84. 1.10 RDA Expression Template ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 85. Display RDA Work and Expression ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 86. Add RDA Manifestation ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 87. RDA Manifestation Template ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 88. RDA Manifestation record ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 89. Work, Expression, Manifestation ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 90. Adding a new RDA Manifestation ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 91. A new RDA Manifestation ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 92. Two RDA Manifestations ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 93. The other RDA Manifestation ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 94. A new RDA Expression ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 95. New RDA Expression ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 96. New RDA Expression ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 97. Add French RDA Manifestation ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 98. French RDA Manifestation ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 99. Two RDA Expressions ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 100. Display of Selected RDA Work ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 101. Expanding the Display ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 102. Further expanding the display ESPLEY and PILLOW, 2011
  • 103. RDA Attributes Element: Statement of responsibility relating to title proper Value: by Walter de la Mare Example in MARC: 245 10 $a Lewis Carroll / $c by Walter de la Mare. Attribute of which entity: manifestation Primary user task: identify Thomas Brenndorfer RDA 2.4
  • 104. RDA Attributes Element: Variant name for the corporate body Value: IBM Example in MARC: Authority 410 2_ $a IBM (Preferred name for the corporate body: International Business Machines Corporation) Attribute of which entity: corporate body Primary user task: identify RDA 11.2.3
  • 105. RDA Relationships Element: Creator Value: Hemingway, Ernest, 1899-1961 Example in MARC: 100 1_ $a Hemingway, Ernest, $d 1899-1961. (700 could also be used for this Creator element) Relationship between entities: person And : work RDA 19.2
  • 106. RDA Relationships Element: Publisher Value: Farmhouse Press Example in MARC: 710 2_ $a Farmhouse Press. Relationship between entities: corporate body and manifestation RDA 21.3
  • 107. REFERÊNCIAS ASSUMPÇÃO, R. S. Ciclo de Estudos “Resource Description and Access (RDA)”. Marília: GPNTI-BEAM/Unesp, 2011. BRENNDORFER, T. The FRBR-RDA Puzzle: Putting the Pieces Together. Ontario: OLA Super Conference 2011 ESPLEY, J. and PILLOW, R. The RDA Sandbox and RDA Implementation Scenario One: VTLS. New Orleans: ALA, 2011 FUNCTIONAL requirements for bibliographic records: final report. München: K. G. Saur, 1998. Disponível em: <http://www.ifla.org/files/cataloguing/frbr/frbr.pdf>. Acesso em: 27 mar. 2011. FUNCTIONAL requirements for bibliographic records. September 1997. As amended and corrected through February 2008. Disponível em: <http://www.ifla.org/VII/s13/frbr/frbr_2008.pdf>. Acesso em: 16 fev. 2009. KIORGAARD, D. Resource Description and Access: Implementation Update. National library of Australia , 2010.- Director, Serials Collection Management & Standards, National library of Australia KUHAGEN, J. A. RDA: The content standard, US RDA test, your prepatation. Philadelphia: Special Library Association, 2011 RDA : resource description and access: full draft of RDA. JSC for development of RDA, 2011 [last update]. Disponível em: http://www.rda-jsc.org/rdafulldraft.html Acesso em 30 ago. 2011. SANTOS, P.L.V.A.C. Catalogação revisitada: sua história e contemporaneidade. Marília: Unesp, 2010. (Tese de Livre-docência)
  • 108. Imagens PLACS. Revistar. 2010 PLACS. Olhar. 2010 PLACS. Jogo. 2010 PLACS. Retomada. 2010 PLACS. Engrenagem. 2010 PLACS. Investigação. 2010 PLACS. Engrenagem. 2010 PLACS. O que é tecnologia? 2010
  • 109. DCI-PPGCI/Unesp Muito Obrigada! placida@marilia.unesp.br