SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
E         D         I       Ç         Ã        O                 V         E         R        Ã         O                 2        0       0           9


                                       o
               FAMÍLIa Silva 
                 GRALHA AZUL
                GRALHA AZUL
 BOLETIM MENSAL - No. 26 - Outubro - 2012 - SOCIEDADE BRASILEIRA DE MÉDICOS ESCRITORES - SOBRAMES - PR




Acabei	
  de	
  postar	
  no	
  Facebook,	
  aonde	
  temos	
  um	
  grupo	
  da	
  Sobrames,	
  aonde	
  constam	
  106	
  membros	
  sobramistas	
  
(ver	
  detalhe	
  oval	
  em	
  rosa),	
  os	
  seguintes	
  dizeres:

“Amigos,	
  poetas,	
  poeAsas,	
  escritores,	
  colegas	
  médicos	
  e	
  médicas,	
  olhem	
  o	
  Congresso	
  aí	
  gente!!!!!!!	
  
Ainda	
  dá	
  tempo	
  de	
  fazer	
  as	
  malas	
  e	
  vir	
  à	
  CuriAba,	
  curAr	
  conosco	
  três	
  dias	
  de	
  boa	
  literatura,	
  amizade	
  e	
  
confraternização!!!!!!	
  Venham.	
  Sejam	
  bem	
  vindos,	
  abraço	
  a	
  todos.”

Quaisquer	
  outras	
  informações,	
  por	
  favor,	
  visitem	
  o	
  site	
  do	
  congresso	
  -­‐	
  www.sobramescongresso2012.com.br.	
  
Façam	
  suas	
  inscrições,	
  dêem	
  uma	
  olhada	
  na	
  programação	
  que	
  está	
  muito	
  boa.	
  Infelizmente	
  os	
  que	
  fizerem	
  a	
  
inscrição	
  agora	
  não	
  parAciparão	
  dos	
  concursos,	
  com	
  os	
  prêmios	
  oferecidos	
  pela	
  Associação	
  Médica	
  do	
  Paraná,	
  
através	
  de	
  seu	
  presidente,	
  o	
  sobramista	
  João	
  Carlos	
  Baracho,	
  um	
  Ipad	
  para	
  o	
  primeiro	
  colocado	
  em	
  Poesia,	
  um	
  
Ipad	
  para	
  para	
  o	
  primeiro	
  colocado	
  em	
  Prosa	
  e	
  um	
  Ipad	
  para	
  o	
  primeiro	
  colocal	
  em	
  Trova.

               Desejo	
  a	
  todos	
  um	
  óAmo	
  XXIV	
  Congresso	
  Nacional	
  da	
  Sobrames	
  e	
  boa	
  sorte	
  aos	
  parAcipantes!
 	
  	
  	
  	
  	
  	
  Wislawa	
  Szymborska	
  1923-­‐2012
        	
                Nas	
   propagandas	
   –	
   “markeAng”	
   –	
   mais	
  
        especificamente,	
  há	
  muitas	
  frases	
  que	
  são	
  famosas	
  pelo	
  seu	
  
        forte	
  apelo	
  de	
  imagem	
  transmiAda	
  ao	
  leitor.	
   Isso	
  também	
  é	
  
        verdadeiro	
  quando	
  lê-­‐se	
  “amor	
  é....”.	
  Segue	
  uma	
  mensagem	
  
        do	
   nosso	
   dia	
   a	
   dia	
   que	
   devemos	
   buscar.	
   Outras	
   frases	
  
        também	
   importantes	
   na	
   metalinguagem	
   com	
   mensagens	
  
        subliminares	
   são	
   “cinema	
   também	
   é	
   cultura”,	
   “ler	
   é	
  
        importante”,	
   “cigarro	
   causa	
   câncer	
   de	
   pulmão”,	
   assim	
   por	
                                           Alguns	
  –
        diante.	
  Há	
   outro	
   tema	
  que	
   às	
   vezes	
   passa	
  despercebido	
   e	
  
                                                                                                                                         Ou	
  seja	
  nem	
  todos.
        depois	
   de	
  conhecido	
   muito	
   valorizado:	
  Amizade	
   também	
  é	
  
        cultura.                                                                                                                         Nem	
  mesmo	
  a	
  maioria	
  de	
  todos,	
  mas	
  a	
  minoria.

      	
                     Nessas	
   minhas	
   andanças	
   pelas	
   Sobrames	
   do	
                                                  Sem	
  contar	
  a	
  escola	
  onde	
  é	
  obrigatório
      Brasil	
  fiz	
  muitos	
  amigos.	
  Um	
  deles,	
  José	
  Jucovski,	
  presenteou-­‐                                                E	
  os	
  próprios	
  poetas
      me	
   com	
   algumas	
   cópias	
   da	
   poeAsa	
   polonesa	
   chamada	
  
      Wislava	
  Szymborska.	
  Ela	
  nasceu	
   em	
  Kornik,	
   oeste	
  da	
  Polônia	
                                                 Seriam	
  talvez	
  uns	
  dois	
  em	
  mil.
      em	
   1923	
   e	
   faleceu	
   de	
   câncer	
   de	
   pulmão	
   em	
   2012.	
  Prêmio	
  
                                                                                                                                             Gostam	
  –
      Nobel	
   de	
   1996.	
   Maravilhosa.	
   Digna.	
   Impecável.	
   Famosa.	
   A	
  
      mais	
   famosa	
   poeAsa	
   polonesa	
   do	
   século	
   XX.	
   Após	
   ter	
   sido	
                                          Mas	
  também	
  se	
  gosta	
  de	
  canja	
  de	
  galinha.
      agraciada	
   com	
   o	
   Nobel,	
   sua	
   poesia	
   foi	
   conhecida	
  
      internacionalmente.	
   Cheia	
   de	
   humor,	
   habilidosa	
   em	
                                                                Gosta-­‐se	
  de	
  galanteios	
  e	
  da	
  cor	
  azul,
      trocadilhos.	
   Seu	
   primeiro	
   poema	
   foi	
   publicado	
   em	
  1945.	
  Na	
  
                                                                                                                                             Gosta-­‐se	
  de	
  um	
  xale	
  velho,
      atribuição	
   do	
   Prêmio	
   Nobel,	
   a	
   Academia	
   elogiou	
   a	
   sua	
  
      "poesia	
   que	
   com	
   precisão	
   irônica	
   permite	
   que	
   o	
   contexto	
                                              Gosta-­‐se	
  de	
  fazer	
  o	
  que	
  se	
  tem	
  vontade,
      histórico	
   e	
   biológico	
   possa	
   vir	
   à	
   luz	
   em	
   fragmentos	
   da	
  
      realidade	
  humana."	
  Sua	
  poesia	
  examina	
  detalhes	
  domésAcos	
                                                           Gosta-­‐se	
  de	
  afagar	
  um	
  cão.
      e	
   ocasiões,	
  jogando	
   estes	
   contra	
  o	
   pano	
   de	
  fundo	
   histórico.	
                                         De	
  poesia	
  –
      Coleções	
   de	
  seus	
  poemas	
  que	
  foram	
   traduzidos	
  para	
  o	
  Inglês:	
  
      Pessoas	
   em	
   uma	
   ponte	
   (1990)	
   ,	
   Selected	
   Poems	
   (1995),	
                                                 Mas	
  o	
  que	
  é	
  isso,	
  poesia.
      e	
   Monólogo	
   de	
  um	
   cão	
   (2005).	
   	
   Szymborska	
   viveu	
   a	
   maior	
  
                                                                                                                                             Muita	
  resposta	
  vaga
      parte	
   de	
   sua	
   vida	
   em	
   Cracóvia.	
   Ela	
   estudou	
   Literatura	
  
      Polonesa	
   e	
   Sociedade	
   na	
   Universidade	
   Jagiellonian	
   aonde	
                                                      Já	
  foi	
  dada	
  a	
  essa	
  pergunta.
      trabalhou	
   como	
   editora	
   e	
   colunista.	
   Ela	
   recebeu	
   do	
   PEN	
  
      Clube	
   polonês	
   o	
   Premio	
   Goethe	
   e	
   o	
   Prêwislawa.jpg	
                                                         Pois	
  eu	
  não	
  sei	
  e	
  não	
  sei	
  e	
  me	
  agarro	
  a	
  isso
      (300×296)mio	
  Herder.
                                                                                                   	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  Como	
  a	
  uma	
  tábua	
  de	
  salvação.

                                                                                                                           	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  Alguns	
  gostam	
  de	
  poesia.



José	
  Jucowski.	
  
Nasceu	
  em	
  Salvador	
  BA,	
  em	
  13	
  de	
  setembro	
  de	
  1925.	
  Comemoramos	
  seu	
  
aniversário	
  no	
  úlAmo	
  mês.	
  Formou-­‐se	
  médico	
  em	
  1950.	
  Médico.	
  Obstetra.	
  Poeta.	
  
Autor	
  de	
  “Louvando	
  a	
  Vida”	
  de	
  2004,	
  junto	
  com	
  seu	
  irmão	
  Jayme	
  (já	
  falecido)	
  e	
  de	
  
“Casal	
  Grávido”	
  (1994	
  e	
  1997).	
  Vive	
  alegremente.	
  ParAcipa.	
  Emociona-­‐se.	
  ComparAlha	
  
sua	
  juventude	
  com	
  suas	
  confreiras	
  e	
  seus	
  confrades	
  na	
  Pizza	
  Literária	
  da	
  Sobrames	
  SP	
  na	
  
Pizzaria	
  Bonde	
  Paulista,	
  da	
  qual	
  Ave	
  a	
  saAsfação	
  de	
  parAcipar	
  e	
  conhecê-­‐lo.	
  
Amizade	
  é	
  cultura.	
  
Cultuar	
  amizade	
  é	
  bom.	
  
Amizades	
  são	
  importantes	
  para	
  a	
  saúde.	
  
A	
  amizade	
  previne	
  câncer.	
  A	
  amizade	
  é....	
  
Saúdo	
  meu	
  amigo	
  José	
  Jucowski	
  que	
  presenteou-­‐me	
  com	
  Wislava	
  Szymborska.	
  
Meu	
  muito	
  Obrigado.	
  Djiekuie.


BOLETIM MENSAL - SOBRAMES PARANÁ - GRALHA AZUL No 26 - OUTUBRO- 2012
A	
  CEGA	
  MULHER	
  -­‐	
  em	
  “A	
  Cega	
  Mulher	
  e	
  Outros	
  Contos”	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  
                                                                                                                                        FLÁVIO	
  ALENCAR	
  -­‐	
  SOBRAMES	
  -­‐	
  PERNAMBUCO
                                                                                                                                                  	
  “A	
  real	
  cegueira	
  não	
  está	
  nos	
  olhos,	
  mas	
  na	
  alma...”

	
          Ele	
   –	
   de	
   forma	
  torpe,	
   até	
  miserável	
  –	
  vende	
  ingressos	
  para	
  que	
  olhem	
  –	
  seus	
  clientes	
  e	
  amigos	
  –	
  em	
  sua	
   própria	
  casa	
  a	
  inAmidade	
  
inocente	
  de	
  sua	
  cega	
  e	
  jovem	
  esposa.

	
              O	
  desonesto	
  marido,	
  sempre	
  meio	
  bêbado,	
   anuncia,	
  aos	
  quatro	
  ventos,	
   que	
  vai	
  vender	
  entradas	
  aos	
  homens	
  da	
   sua	
   cidade,	
   para	
  
que	
  a	
  vejam	
  –	
  na	
  inAmidade	
  –	
  sem	
  que	
  ela,	
  por	
  ser	
  cega,	
  nada	
  perceba.

	
              Eles	
  fazem	
  fila	
  à	
  porta	
  aberta	
  de	
  sua	
  herdade.	
  Chegam,	
  pagam,	
  Aram	
  os	
  chapéus,	
  capas	
  e	
  sobem	
  a	
  sua	
  escada.

                As	
  vizinhas	
  do	
  lado,	
  enquanto	
  –	
  falso	
  pudor	
  –	
  curiosas,	
  olham	
  os	
  tais	
  homens	
  pelas	
  frestas,	
  um	
  a	
  um,	
  lá	
  aportarem.

	
          Daí,	
  após	
  subirem	
  os	
  poucos	
  degraus	
  de	
   entrada,	
   se	
  põem	
  nos	
  cantos	
  da	
  sala	
  e,	
  ansiosos,	
  esperam,	
  observando	
  os	
  simples	
  móveis	
  
de	
  lembranças	
  	
  eternas	
  e	
  silenciosas.

	
        Quando	
  ela	
   –	
   a	
   jovem	
   mulher	
   cega	
   –	
   entra,	
   os 	
  homens	
  suspiram	
   à	
   míngua,	
   ávidos 	
  pelo	
   inusitado,	
   pela	
   esperada	
   e	
   deliciosa	
  
beleza...

	
              -­‐	
  Há	
  alguém	
  aí?	
  –	
  sensível,	
  pergunta	
  ela	
  com	
  voz	
  inocente.

	
           -­‐	
  Sou	
  eu	
  –	
  diz	
  o	
  marido-­‐	
   já	
   contando	
  o 	
  dinheiro	
  arrecadado,	
  e	
  o	
   sente,	
  calculando	
  os	
  lucros,	
   umedecendo	
  a	
  ponta	
  dos	
  dedos	
  com	
  a	
  
negra	
  língua	
  impregnada	
  de	
  nicoAna	
  do	
  fumo	
  mascado,	
  semelhante	
  à	
  negritude	
  de	
  seu	
  mau	
  espírito.

	
       Ela,	
   suave,	
   caminha	
   até	
   a	
   cozinha.	
   Abre	
   a	
   geladeira	
   nova.	
   Seu	
   jovem	
   corpo	
   deslumbra-­‐se	
   de	
   uma	
   linda	
   e	
   branca	
   nudez	
  sob	
   a	
  
aparência	
  da	
  camisola	
  inundada	
  pela	
  luminosidade	
  gelada.

	
             Pega	
  uma	
   água...,	
  prova.	
  Encosta-­‐	
  se	
  na	
  pia.	
  Bebe	
  gole	
  por	
  gole,	
   um	
  pouco	
  de	
  cada	
  vez.	
  (Tudo	
   observado	
  pelos	
  homens	
  silenciosos	
  
e	
  sem	
  almas.)

	
               Depois,	
  ela,	
  de	
   forma	
   graciosa,	
   sobe	
   a	
   escadinha	
   para	
   o	
  seu	
  quarto.	
  Seguem-­‐na	
   eles,	
  furAvamente,	
   próprios	
  fantasmas.	
   Porém,	
   é	
  
ela	
  a	
  irrealidade,	
  em	
  seu	
  mundo	
  impenetrável,	
  tateando	
  o	
  ar,	
  as	
  paredes,	
  a	
  vida,	
  o	
  corrimão	
  instável.

            Entra	
   em	
  seu	
  ambiente	
  ínAmo	
   e,	
  logo,	
  abre	
   a	
   grande	
   janela.	
   Respira	
   a	
   suave	
   brisa	
  da	
   noite	
   de	
   uma	
   chuva	
   que	
   e	
   aproxima	
   e	
  fica	
  
diante	
  dela,	
  como	
  se	
  pudesse	
  ver	
  a	
  paisagem-­‐	
  ao	
  longe	
  –	
  de	
  luzes,	
  como	
  um	
  colar	
  branco	
  de	
  lâmpadas	
  com	
  seus	
  capuzes.

	
              Acaricia	
  a	
  corAna	
  junto	
  às	
  paredes	
  nostálgicas...

	
              Sai,	
  senta-­‐se	
  ao	
  toucador	
  e,	
  diante	
  dele,	
  finge	
  que	
  se	
  olha.

	
              Sussurra	
  palavras	
  roucas,	
  incompreensíveis,	
  mágicas...

	
            Nesse	
   instante,	
   um	
  dos	
  homens,	
   mais	
  afoito,	
  se	
   aproxima.	
   Ela	
  se	
   assusta,	
   franze	
   a	
  celha.	
  O	
  leve	
  roçar	
  de	
   tecidos	
   em	
  pernas	
  a	
   faz	
  
alertar	
  os	
  senAdos.	
  Levanta-­‐se	
  em	
  susto	
  e	
  percorre	
  o	
  ar,	
  com	
  seus	
  finos	
  dedos,	
  o	
  espaço	
  vazio	
  do	
  seu	
  quarto,	
  para	
  ela	
  bem	
  conhecido.

	
              -­‐	
  Quem	
  está	
  aí?	
  –	
  pergunta.

	
          O	
  homem	
   se	
  recolhe	
   a	
   um	
   canto.	
  Ela	
  aquietando-­‐se	
  um	
  pouco,	
  pelo	
  vazio	
  e	
  silêncio	
  encontrados,	
  volta	
  a	
  sentar-­‐se	
  diante	
   do	
  anAgo	
  
espelho	
  polido,	
  aplacando	
  seus	
  medos,	
  achando-­‐os,	
  àquele	
  instante,	
  sem	
  senAdo.	
  –	
  Afinal,	
  que,	
  poderia	
  ali	
  estar?	
  –	
  pensou.

	
           Acalma-­‐se	
  e	
  escova,	
  de	
  cima	
  para	
  baixo,	
  suas	
  madeixas	
  mimosas,	
  e,	
  nelas,	
  de	
  baixo	
  para	
  cima,	
  põe-­‐lhes	
  fitas	
  roxas,	
  Borrifa,	
  em	
  seu	
  
lindo	
  colo,	
  um	
  perfume	
  de	
  rosas,	
  descansa	
  as	
  mãos,	
  à	
  mostra,	
  sobre	
  suas	
  alvas	
  coxas	
  semi-­‐encobertas	
  pelo	
  fino	
  tecido.

	
      Muda	
   o	
  olhar	
   vazio,	
   ao	
  acaso,	
   para	
  certo	
  lado.	
   (Os	
  homens	
   se	
   preocupam...,	
  mas	
   sem	
   demora	
  se	
   acalmam,	
   fora	
   só	
  coincidência.	
  
Porquanto,	
  ela	
  era	
  uma	
  cega	
  mulher.)

	
               Logo,	
  ela	
  se	
  dirige	
  à	
  cama.	
  Tira	
  as	
  chinelas,	
  senta-­‐se,	
  vira-­‐se	
  e	
  se	
  deita.	
   Toma,	
  em	
  suas	
  mãos,	
  um	
  livro	
  grosso,	
  encapado,	
  e	
   o	
  lê	
  em	
  
voz	
  alta,	
  tudo	
  o	
  que	
  lhe	
  agrada	
  e	
  deleita.

	
          Mas,	
  logo,	
   os	
  intrusos	
  matam	
   a	
  charada,	
   já	
  que	
   ela,	
  seguramente,	
  recita	
  todas	
  as 	
  passagens	
  de	
  memória	
  (sua	
   avó,,	
  quando	
  ela	
  era	
  
uma	
   enceguecida	
   criança,	
   todas	
  as	
  noites,	
   lhe	
   contava),	
   pois,	
   em	
   ponta	
   cabeça	
   estava	
   o	
   tal	
   livro	
   de	
   estórias,	
   e	
   o	
  negro	
   dos	
  seus	
   olhos,	
  
somente	
  fitava	
  o	
  nada.

	
              A	
  seguir	
  ela	
  reza	
  num	
  terço	
  –	
  de	
  pérolas	
  as	
  contas	
  –	
  	
  derrama	
  grossas	
  lágrimas.	
  Nada	
  mais	
  lhe	
  importa.

	
              Seca	
  o	
  rosto	
  no	
  travesseiro	
  e,	
  sem	
  idéias	
  prontas,	
  vira-­‐se,	
  permanecendo	
  imóvel,	
  de	
  olhos	
  abertos	
  –	
  parece	
  morta.

	
          Minutos	
  passam...	
   enfim,	
  todos	
  percebem,	
   num	
   instante,	
  que	
   a	
   cega	
   mulher	
  está	
   mesmo	
  adormecida	
  de	
   fato,	
   com	
   o	
  livro	
  aberto	
  
sobre	
  seu	
  lindo	
  peito	
  arfante.

	
          Os	
   homens	
  se	
   entreolham,	
   esperam	
   mais	
  um	
   pouco,	
  e,	
   por	
   fim,	
   saem	
   do	
  quarto.	
  Descem	
  –	
   vazios	
  todos	
  -­‐	
   	
   lentamente,	
  a	
   velha	
  
escadinha	
   nua.	
   Vestem	
   seus	
  remorsos,	
  suas	
  capas,	
  seus 	
  chapéus	
  e	
  vão	
  embora,	
   um	
  a	
   um,	
   pela	
   escura	
   e	
   deserta	
   rua	
   –	
   em	
  silêncio	
  -­‐	
  sob	
  os	
  
olhares	
  da	
  vizinhança	
  curiosa	
  e	
  da	
  miúda	
  e	
  fria	
  chuva	
  dos	
  umbrosos	
  céus.




       BOLETIM MENSAL - SOBRAMES PARANÁ - GRALHA AZUL No 26 - OUTUBRO - 2012
 	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  	
  O	
  OVO	
  DA	
  SERPENTE	
  	
  -­‐	
  “Serpent’s	
  Egg”
                                                                                               JOÃO	
  CARLOS	
  SIMÕES	
  -­‐	
  EX-­‐PRESIDENTE	
  DA	
  SOBRAMES	
  PARANÁ	
  

                                                                                                                EDITOR	
  CIENTÍFICO	
  DA	
  REVISTA	
  DO	
  MÉDICO	
  RESIDENTE	
  

                                                                                                         “	
  O	
  progresso	
  éSco	
  é	
  lento,	
  mas	
  seguro.	
  A	
  virtude	
  atrai	
  e	
  ensina	
  “	
  

                                                                                                                                                          (	
  José	
  Ingenieros	
  –	
  O	
  homem	
  medíocre)



	
     Hoje,	
  as	
   escolas	
   médicas	
   no	
   Brasil	
   oferecem	
   16.892	
   vagas	
   por	
   ano.	
   Nos	
   programas	
   de	
   residência,	
  paradigma	
   de	
  
formação	
  de	
  médicos	
  	
  especialistas	
  e	
  competentes,	
  há	
  10.196	
  vagas	
  de	
  acesso	
  direto	
  disponíveis	
  para	
  os	
  recém-­‐formados.

	
          A	
  inferência	
   lógica	
  é	
  que	
   só	
  60%	
  dos	
  médicos	
  têm	
  acesso	
   à 	
  especialização.	
  ParAcipam	
  do	
   mercado	
  de	
  trabalho,	
  sem	
  
nenhum	
  treinamento	
  necessário	
   aproximadamente	
   6.000	
  médicos	
   por	
   ano.	
  E	
   o	
   que	
   eles	
   farão?	
  Aonde	
   vão	
  trabalhar?	
  Com	
  
que	
   atribuição	
   examinarão	
   um	
   paciente	
   e	
   interpretarão	
   ou	
   solicitarão	
   exames	
   complementares?	
   Pior	
   ainda,	
   com	
   que	
  
competência	
  e	
  habilidade	
  	
  farão	
  	
  um	
  ato	
  operatório	
  invasivo,	
  se	
  não	
  Averam	
  nenhum	
  treinamento	
  em	
  serviço?

	
      Atualmente	
   o	
   Brasil	
  tem	
  hoje	
   197	
  cursos	
   de	
  Medicina	
   e	
  só	
  perde	
  para	
   a 	
  Índia	
   que	
   tem	
   202	
  e	
  aproximadamente	
  
1.205.073.612	
  habitantes.

	
       Recentemente,	
  o	
   Ministério	
  da	
  Educação	
  autorizou,	
  em	
  junho	
  de	
  2012,	
  a 	
  criação	
  de	
  mais	
  nove	
  cursos	
  de	
   medicina	
  
parSculares	
   com	
  800	
   vagas	
  no	
   total,	
  sendo	
   520	
  nas	
  regiões	
   Sul	
  e	
  Sudeste,	
  onde	
  hoje	
   já	
  se	
   concentram	
  72%	
   dos	
   médicos	
  
brasileiros.

	
            As	
   novas	
   escolas	
   estão	
  nas	
  cidades	
  de	
  Votuporanga	
  (60	
   vagas)	
   e	
  São	
  José	
  do	
   Rio	
   Preto	
   (160	
  vagas	
  em	
   dois	
  cursos),	
  
em	
  São	
  Paulo;	
  Belo	
  Horizonte	
  (120	
  vagas)	
  e	
  BeAm	
  (120	
  vagas),	
  em	
  Minas	
  Gerais;	
  e	
  Londrina	
  (60	
   vagas),	
  no	
  Paraná.	
  As	
  demais	
  
ficam	
  em	
  Recife/PE	
  (120	
  vagas),	
  Cajazeiras/PB	
  (60	
  vagas)	
  e	
  Salvador/BA	
  (100	
  vagas).

	
          Sete	
  foram	
  criadas	
  em	
  2011,	
  sendo	
  cinco	
   parAculares,	
  uma	
   municipal	
   e	
   uma	
  estadual.	
  Este	
   ano,	
  além	
  das	
  nove	
   já	
  
mencionadas,	
  foi	
  criada	
   uma	
  federal	
   em	
  fevereiro.	
  No	
   quadro	
  geral,	
  são	
   82	
  cursos	
   públicos	
  (federais,	
  estaduais	
  e	
  municipais)	
  
contra	
   114	
  privados,	
   criados	
  principalmente	
  de	
   1967	
  a	
  1970	
   (auge	
   do	
   período	
   militar),	
   1997	
  a	
  1999	
   (segundo	
   mandato	
   do	
  
governo	
  FHC)	
  e	
  desde	
  2002	
  até	
  nossos	
  dias	
  (governos	
  Lula	
  e	
  Dilma).

	
          Consequentemente,	
  nenhum	
  dos	
  médicos	
  que	
   se	
  graduarão	
   em	
   um	
   desses	
  novos	
  cursos	
  privados	
   irá	
  trabalhar	
   em	
  
uma	
   cidade	
   ou	
   região	
   carente	
   de	
   médicos.	
   Serão	
   parAcipantes	
   de	
   um	
   	
   sistema	
   saturado	
   de	
   médicos	
   nas	
   insAtuições	
   de	
  
melhor	
   qualidade.	
  Disputarão	
   tenazmente	
   as	
  vagas	
  em	
  bons	
  programas	
  de	
   residência	
  médica	
  e	
   poucos	
   serão	
  selecionados.	
  
ResisArão	
  a	
  trabalhar	
  na	
  periferia	
  dos	
  grandes	
  centros	
  onde	
  estudaram	
  e	
  insuflarão	
  cada	
  vez	
  mais	
  as	
  capitais.

	
            O	
  notável	
  professor	
  Adib	
  Jatene	
  escreveu	
  que	
  decisões	
  equivocadas	
  como	
  essas	
  e	
   outras	
  servem	
  para	
  desmoAvar	
   os	
  
que	
  ainda	
  creditam	
  ser	
  possível	
  corrigir	
  as	
  iniquidades,	
  criadas	
  por	
   influência	
  empresarial	
  ou	
  políAca,	
  e	
  para	
  reforçar	
   a	
  ideia	
  
de	
  que	
  não	
  adianta	
  lutar	
  por	
  dias	
  melhores.

	
         Desta	
  maneira	
  inconsequente,	
  o	
  governo	
  está	
  encubando	
  o	
  ovo	
  da	
  serpente	
  que	
  quando	
   eclodir	
  devorará	
   a 	
  todos	
  
nós	
  com	
  a	
  incompetência	
  dos	
  novos	
  profissionais	
  da	
  saúde,	
  degradação	
  do	
  mercado	
  de	
  trabalho	
  e	
  precarização	
  da	
  saúde.	
  




EXPEDIENTE: Editor Responsável e Presidente Sobrames Paraná: Sérgio Pitaki ;Vice-Presidentes: Fahed Daher e
Sonia Braga; Secretários: Paulo Maurício Piá de Adrade e Maurício Norberto Friedrich; Tesoureiros: Maria Fernanda
Caboclo Ribeiro e Edival Perrini. contacto: sergiopitaki@gmail.com , fones:41-30131133; 41-99691233




  BOLETIM MENSAL - SOBRAMES PARANÁ - GRALHA AZUL No 26 - OUTUBRO - 2012                                                                                                                                                  4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Jorge amado tenda dos milagres
Jorge amado   tenda dos milagresJorge amado   tenda dos milagres
Jorge amado tenda dos milagreseducacaocedbc
 
Sinopses obras projeto_leitura_11
Sinopses obras projeto_leitura_11Sinopses obras projeto_leitura_11
Sinopses obras projeto_leitura_11Lurdes Meneses
 
Os Maias: Cap. I e II
Os Maias: Cap. I e IIOs Maias: Cap. I e II
Os Maias: Cap. I e IIsin3stesia
 
Maria Keil em entrevista
Maria Keil em entrevistaMaria Keil em entrevista
Maria Keil em entrevistamrvpimenta
 
MilFolhasOsCorvosAldousHuxley
MilFolhasOsCorvosAldousHuxleyMilFolhasOsCorvosAldousHuxley
MilFolhasOsCorvosAldousHuxleymrvpimenta
 
Questões fechadas sobre contos de aprendiz
Questões fechadas sobre contos de aprendizQuestões fechadas sobre contos de aprendiz
Questões fechadas sobre contos de aprendizma.no.el.ne.ves
 
Pág.Farol de Sonhos 2006
Pág.Farol de Sonhos 2006Pág.Farol de Sonhos 2006
Pág.Farol de Sonhos 2006mrvpimenta
 
SEMINÁRIO DE LITERATURA - RAQUEL DE QUEIROZ
SEMINÁRIO DE LITERATURA - RAQUEL DE QUEIROZSEMINÁRIO DE LITERATURA - RAQUEL DE QUEIROZ
SEMINÁRIO DE LITERATURA - RAQUEL DE QUEIROZMarcelo Fernandes
 
Katipsoi zunontee guerreiro_os_maias
Katipsoi zunontee guerreiro_os_maiasKatipsoi zunontee guerreiro_os_maias
Katipsoi zunontee guerreiro_os_maiaskatipsoi_zunontee
 
Ação "Os Maias"
Ação "Os Maias"Ação "Os Maias"
Ação "Os Maias"Marta Jorge
 
[1960] Clarice Lispector LaçOs De FamíLia
[1960] Clarice Lispector   LaçOs De FamíLia[1960] Clarice Lispector   LaçOs De FamíLia
[1960] Clarice Lispector LaçOs De FamíLiaMara Virginia
 

Mais procurados (18)

Jorge amado tenda dos milagres
Jorge amado   tenda dos milagresJorge amado   tenda dos milagres
Jorge amado tenda dos milagres
 
Sinopses obras projeto_leitura_11
Sinopses obras projeto_leitura_11Sinopses obras projeto_leitura_11
Sinopses obras projeto_leitura_11
 
Tenda dos milagres
Tenda dos milagresTenda dos milagres
Tenda dos milagres
 
Os Maias: Cap. I e II
Os Maias: Cap. I e IIOs Maias: Cap. I e II
Os Maias: Cap. I e II
 
Os maias a intriga
Os maias   a intrigaOs maias   a intriga
Os maias a intriga
 
Maria Keil em entrevista
Maria Keil em entrevistaMaria Keil em entrevista
Maria Keil em entrevista
 
MilFolhasOsCorvosAldousHuxley
MilFolhasOsCorvosAldousHuxleyMilFolhasOsCorvosAldousHuxley
MilFolhasOsCorvosAldousHuxley
 
Questões fechadas sobre contos de aprendiz
Questões fechadas sobre contos de aprendizQuestões fechadas sobre contos de aprendiz
Questões fechadas sobre contos de aprendiz
 
Frida khalo
Frida khaloFrida khalo
Frida khalo
 
Pág.Farol de Sonhos 2006
Pág.Farol de Sonhos 2006Pág.Farol de Sonhos 2006
Pág.Farol de Sonhos 2006
 
SEMINÁRIO DE LITERATURA - RAQUEL DE QUEIROZ
SEMINÁRIO DE LITERATURA - RAQUEL DE QUEIROZSEMINÁRIO DE LITERATURA - RAQUEL DE QUEIROZ
SEMINÁRIO DE LITERATURA - RAQUEL DE QUEIROZ
 
Revista Literatas Nº 31 - Ano II
Revista Literatas Nº 31 - Ano IIRevista Literatas Nº 31 - Ano II
Revista Literatas Nº 31 - Ano II
 
Katipsoi zunontee guerreiro_os_maias
Katipsoi zunontee guerreiro_os_maiasKatipsoi zunontee guerreiro_os_maias
Katipsoi zunontee guerreiro_os_maias
 
Ação "Os Maias"
Ação "Os Maias"Ação "Os Maias"
Ação "Os Maias"
 
Os Maias - Análise
Os Maias - AnáliseOs Maias - Análise
Os Maias - Análise
 
Contacto março 2014
Contacto  março 2014Contacto  março 2014
Contacto março 2014
 
A Moreninha
A MoreninhaA Moreninha
A Moreninha
 
[1960] Clarice Lispector LaçOs De FamíLia
[1960] Clarice Lispector   LaçOs De FamíLia[1960] Clarice Lispector   LaçOs De FamíLia
[1960] Clarice Lispector LaçOs De FamíLia
 

Destaque

Catering and Sendwich Truck, Sendwich Budda in Decatur GA.
Catering and Sendwich Truck, Sendwich Budda in Decatur GA.Catering and Sendwich Truck, Sendwich Budda in Decatur GA.
Catering and Sendwich Truck, Sendwich Budda in Decatur GA.Mira Krnjetin
 
The inconveniences that have happenedto..
The inconveniences that have happenedto..The inconveniences that have happenedto..
The inconveniences that have happenedto..Levilei
 
Command Channel Slides July 23 to 30
Command Channel Slides July 23 to 30Command Channel Slides July 23 to 30
Command Channel Slides July 23 to 30USAG Japan
 
Alt climat
Alt climatAlt climat
Alt climatcnoetz
 
Using the reflective cycle for staff management ev
Using the reflective cycle for staff management evUsing the reflective cycle for staff management ev
Using the reflective cycle for staff management evedvainker
 
Command Channel Slides July 30 to Aug 6
Command Channel Slides July 30 to Aug 6Command Channel Slides July 30 to Aug 6
Command Channel Slides July 30 to Aug 6USAG Japan
 
Command Channel Slides Dec. 17 to 24
Command Channel Slides Dec. 17 to 24Command Channel Slides Dec. 17 to 24
Command Channel Slides Dec. 17 to 24USAG Japan
 
Command Channel Slides Week between Aug. 9 to 15, 2013
Command Channel Slides Week between Aug. 9 to 15, 2013Command Channel Slides Week between Aug. 9 to 15, 2013
Command Channel Slides Week between Aug. 9 to 15, 2013USAG Japan
 
Command Channel Slides Week between Aug. 23 to 29
Command Channel Slides Week between Aug. 23 to 29Command Channel Slides Week between Aug. 23 to 29
Command Channel Slides Week between Aug. 23 to 29USAG Japan
 
Command Channel Slides Week Between Nov. 22 to 28
Command Channel Slides Week Between Nov. 22 to 28Command Channel Slides Week Between Nov. 22 to 28
Command Channel Slides Week Between Nov. 22 to 28USAG Japan
 
Command Channel Slides Week Between Nov. 8 to 14
Command Channel Slides Week Between Nov. 8 to 14Command Channel Slides Week Between Nov. 8 to 14
Command Channel Slides Week Between Nov. 8 to 14USAG Japan
 
Command Channel Slides Week between Aug. 16 to 22
Command Channel Slides Week between Aug. 16 to 22Command Channel Slides Week between Aug. 16 to 22
Command Channel Slides Week between Aug. 16 to 22USAG Japan
 
Command Channel Slides Week Between Nov. 1 to 7
Command Channel Slides Week Between Nov. 1 to 7Command Channel Slides Week Between Nov. 1 to 7
Command Channel Slides Week Between Nov. 1 to 7USAG Japan
 
Command Channel Slides Week Between July 5 to 11, 2013
Command Channel Slides Week Between July 5 to 11, 2013Command Channel Slides Week Between July 5 to 11, 2013
Command Channel Slides Week Between July 5 to 11, 2013USAG Japan
 
Command Channel Slides May 7 to May 14
Command Channel Slides May 7 to May 14Command Channel Slides May 7 to May 14
Command Channel Slides May 7 to May 14USAG Japan
 
Command channel slides sep 10 to sept. 18
Command channel slides sep 10 to sept. 18Command channel slides sep 10 to sept. 18
Command channel slides sep 10 to sept. 18USAG Japan
 

Destaque (20)

Catering and Sendwich Truck, Sendwich Budda in Decatur GA.
Catering and Sendwich Truck, Sendwich Budda in Decatur GA.Catering and Sendwich Truck, Sendwich Budda in Decatur GA.
Catering and Sendwich Truck, Sendwich Budda in Decatur GA.
 
Elipse
ElipseElipse
Elipse
 
Ilusões de óptica
Ilusões de ópticaIlusões de óptica
Ilusões de óptica
 
The inconveniences that have happenedto..
The inconveniences that have happenedto..The inconveniences that have happenedto..
The inconveniences that have happenedto..
 
Script
ScriptScript
Script
 
Command Channel Slides July 23 to 30
Command Channel Slides July 23 to 30Command Channel Slides July 23 to 30
Command Channel Slides July 23 to 30
 
Alt climat
Alt climatAlt climat
Alt climat
 
A hora da escuridão
A hora da escuridãoA hora da escuridão
A hora da escuridão
 
Using the reflective cycle for staff management ev
Using the reflective cycle for staff management evUsing the reflective cycle for staff management ev
Using the reflective cycle for staff management ev
 
Command Channel Slides July 30 to Aug 6
Command Channel Slides July 30 to Aug 6Command Channel Slides July 30 to Aug 6
Command Channel Slides July 30 to Aug 6
 
Command Channel Slides Dec. 17 to 24
Command Channel Slides Dec. 17 to 24Command Channel Slides Dec. 17 to 24
Command Channel Slides Dec. 17 to 24
 
Command Channel Slides Week between Aug. 9 to 15, 2013
Command Channel Slides Week between Aug. 9 to 15, 2013Command Channel Slides Week between Aug. 9 to 15, 2013
Command Channel Slides Week between Aug. 9 to 15, 2013
 
Command Channel Slides Week between Aug. 23 to 29
Command Channel Slides Week between Aug. 23 to 29Command Channel Slides Week between Aug. 23 to 29
Command Channel Slides Week between Aug. 23 to 29
 
Command Channel Slides Week Between Nov. 22 to 28
Command Channel Slides Week Between Nov. 22 to 28Command Channel Slides Week Between Nov. 22 to 28
Command Channel Slides Week Between Nov. 22 to 28
 
Command Channel Slides Week Between Nov. 8 to 14
Command Channel Slides Week Between Nov. 8 to 14Command Channel Slides Week Between Nov. 8 to 14
Command Channel Slides Week Between Nov. 8 to 14
 
Command Channel Slides Week between Aug. 16 to 22
Command Channel Slides Week between Aug. 16 to 22Command Channel Slides Week between Aug. 16 to 22
Command Channel Slides Week between Aug. 16 to 22
 
Command Channel Slides Week Between Nov. 1 to 7
Command Channel Slides Week Between Nov. 1 to 7Command Channel Slides Week Between Nov. 1 to 7
Command Channel Slides Week Between Nov. 1 to 7
 
Command Channel Slides Week Between July 5 to 11, 2013
Command Channel Slides Week Between July 5 to 11, 2013Command Channel Slides Week Between July 5 to 11, 2013
Command Channel Slides Week Between July 5 to 11, 2013
 
Command Channel Slides May 7 to May 14
Command Channel Slides May 7 to May 14Command Channel Slides May 7 to May 14
Command Channel Slides May 7 to May 14
 
Command channel slides sep 10 to sept. 18
Command channel slides sep 10 to sept. 18Command channel slides sep 10 to sept. 18
Command channel slides sep 10 to sept. 18
 

Semelhante a Sobrames Boletim Mensal com Poesia de Wislawa Szymborska

O Bandeirante - n.211 - Junho de 2010
O Bandeirante - n.211 - Junho de 2010O Bandeirante - n.211 - Junho de 2010
O Bandeirante - n.211 - Junho de 2010Marcos Gimenes Salun
 
Diversidade de dicções - as linguagens da experiência literária I 2020.1....
Diversidade de dicções - as linguagens da experiência literária I 2020.1....Diversidade de dicções - as linguagens da experiência literária I 2020.1....
Diversidade de dicções - as linguagens da experiência literária I 2020.1....GleicilianoSantos
 
PrelúDio, Alda Lara
PrelúDio, Alda LaraPrelúDio, Alda Lara
PrelúDio, Alda Laracatiasgs
 
Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010
Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010
Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010Sérgio Pitaki
 
Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1
Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1
Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1ma.no.el.ne.ves
 
Centenário da AFL e Concurso Nacional e Internacional de Trovas
Centenário da AFL e Concurso Nacional e Internacional de TrovasCentenário da AFL e Concurso Nacional e Internacional de Trovas
Centenário da AFL e Concurso Nacional e Internacional de TrovasAcademia Fluminense de Letras
 
Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1
Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1
Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1ma.no.el.ne.ves
 
GRALHA AZUL No. 59 - julho 2016
GRALHA AZUL No. 59 - julho 2016GRALHA AZUL No. 59 - julho 2016
GRALHA AZUL No. 59 - julho 2016Sérgio Pitaki
 
GRALHA AZUL No. 71 - NOVEMBRO - 2017
GRALHA AZUL No. 71 - NOVEMBRO -  2017GRALHA AZUL No. 71 - NOVEMBRO -  2017
GRALHA AZUL No. 71 - NOVEMBRO - 2017Sérgio Pitaki
 
Maria De Lourdes Reis - Dentre Outras Coisas
Maria De Lourdes Reis   - Dentre Outras CoisasMaria De Lourdes Reis   - Dentre Outras Coisas
Maria De Lourdes Reis - Dentre Outras CoisasJohnny Batista Guimaraes
 
Poetas da contemporaneidade: Adélia Prado, Manoel de Barros e José Paulo Paes
Poetas da contemporaneidade: Adélia Prado, Manoel de Barros e José Paulo PaesPoetas da contemporaneidade: Adélia Prado, Manoel de Barros e José Paulo Paes
Poetas da contemporaneidade: Adélia Prado, Manoel de Barros e José Paulo PaesPaula Back
 
Boletim Contacto - abril de 2022.pdf
Boletim Contacto - abril de 2022.pdfBoletim Contacto - abril de 2022.pdf
Boletim Contacto - abril de 2022.pdfBibliotecasEscolares3
 

Semelhante a Sobrames Boletim Mensal com Poesia de Wislawa Szymborska (20)

O Bandeirante - n.211 - Junho de 2010
O Bandeirante - n.211 - Junho de 2010O Bandeirante - n.211 - Junho de 2010
O Bandeirante - n.211 - Junho de 2010
 
Diversidade de dicções - as linguagens da experiência literária I 2020.1....
Diversidade de dicções - as linguagens da experiência literária I 2020.1....Diversidade de dicções - as linguagens da experiência literária I 2020.1....
Diversidade de dicções - as linguagens da experiência literária I 2020.1....
 
PrelúDio, Alda Lara
PrelúDio, Alda LaraPrelúDio, Alda Lara
PrelúDio, Alda Lara
 
Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010
Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010
Gralha Azul No. 6 - Sobrames Paraná - Dezembro 2010
 
Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1
Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1
Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1
 
358 an 15_novembro_2011.ok
358 an 15_novembro_2011.ok358 an 15_novembro_2011.ok
358 an 15_novembro_2011.ok
 
Contacto 1.º período
Contacto   1.º períodoContacto   1.º período
Contacto 1.º período
 
Boletim Contacto - julho de 2020
Boletim Contacto -  julho de 2020Boletim Contacto -  julho de 2020
Boletim Contacto - julho de 2020
 
Centenário da AFL e Concurso Nacional e Internacional de Trovas
Centenário da AFL e Concurso Nacional e Internacional de TrovasCentenário da AFL e Concurso Nacional e Internacional de Trovas
Centenário da AFL e Concurso Nacional e Internacional de Trovas
 
Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1
Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1
Prova aberta de literatura brasileira ufmg 2012-1
 
GRALHA AZUL No. 59 - julho 2016
GRALHA AZUL No. 59 - julho 2016GRALHA AZUL No. 59 - julho 2016
GRALHA AZUL No. 59 - julho 2016
 
GRALHA AZUL No. 71 - NOVEMBRO - 2017
GRALHA AZUL No. 71 - NOVEMBRO -  2017GRALHA AZUL No. 71 - NOVEMBRO -  2017
GRALHA AZUL No. 71 - NOVEMBRO - 2017
 
Maria De Lourdes Reis - Dentre Outras Coisas
Maria De Lourdes Reis   - Dentre Outras CoisasMaria De Lourdes Reis   - Dentre Outras Coisas
Maria De Lourdes Reis - Dentre Outras Coisas
 
Cubas
CubasCubas
Cubas
 
Portugues3em
Portugues3emPortugues3em
Portugues3em
 
Prova 6º c artes
Prova 6º c artesProva 6º c artes
Prova 6º c artes
 
Poetas da contemporaneidade: Adélia Prado, Manoel de Barros e José Paulo Paes
Poetas da contemporaneidade: Adélia Prado, Manoel de Barros e José Paulo PaesPoetas da contemporaneidade: Adélia Prado, Manoel de Barros e José Paulo Paes
Poetas da contemporaneidade: Adélia Prado, Manoel de Barros e José Paulo Paes
 
Novelas do Minho
Novelas do MinhoNovelas do Minho
Novelas do Minho
 
Boletim Contacto - abril de 2022.pdf
Boletim Contacto - abril de 2022.pdfBoletim Contacto - abril de 2022.pdf
Boletim Contacto - abril de 2022.pdf
 
Contacto dezembro 2015
Contacto dezembro 2015Contacto dezembro 2015
Contacto dezembro 2015
 

Mais de Sérgio Pitaki

Dr. Sérgio Pitaki Curriculum vitae- Bahia.docx
Dr. Sérgio Pitaki Curriculum vitae- Bahia.docxDr. Sérgio Pitaki Curriculum vitae- Bahia.docx
Dr. Sérgio Pitaki Curriculum vitae- Bahia.docxSérgio Pitaki
 
DR. PITAKI, CURRICULUM VITAE RESUMIDO 2022
DR. PITAKI, CURRICULUM VITAE RESUMIDO 2022DR. PITAKI, CURRICULUM VITAE RESUMIDO 2022
DR. PITAKI, CURRICULUM VITAE RESUMIDO 2022Sérgio Pitaki
 
BOLETIM GRALHA AZUL NO. 81 JANEIRO 2019
BOLETIM GRALHA AZUL NO. 81 JANEIRO 2019BOLETIM GRALHA AZUL NO. 81 JANEIRO 2019
BOLETIM GRALHA AZUL NO. 81 JANEIRO 2019Sérgio Pitaki
 
BOLETIM GRALHA AZUL NO. 82 - FEVEREIRO 2019
BOLETIM GRALHA AZUL NO. 82 - FEVEREIRO 2019BOLETIM GRALHA AZUL NO. 82 - FEVEREIRO 2019
BOLETIM GRALHA AZUL NO. 82 - FEVEREIRO 2019Sérgio Pitaki
 
GRALHA AZUL No.84 DEZ 2019
GRALHA AZUL No.84 DEZ 2019GRALHA AZUL No.84 DEZ 2019
GRALHA AZUL No.84 DEZ 2019Sérgio Pitaki
 
GABRIELA MISTRAL - AULA NA BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARANÁ
GABRIELA MISTRAL - AULA NA BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARANÁGABRIELA MISTRAL - AULA NA BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARANÁ
GABRIELA MISTRAL - AULA NA BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARANÁSérgio Pitaki
 
ACUPUNTURA REN MAI 4 - SEGUNDO CHAKRA - TAN TIEN
ACUPUNTURA REN MAI 4 - SEGUNDO CHAKRA - TAN TIENACUPUNTURA REN MAI 4 - SEGUNDO CHAKRA - TAN TIEN
ACUPUNTURA REN MAI 4 - SEGUNDO CHAKRA - TAN TIENSérgio Pitaki
 
VERSOS NA REDE No. 2 - JAN/MAR 2019
VERSOS NA REDE No. 2 - JAN/MAR 2019VERSOS NA REDE No. 2 - JAN/MAR 2019
VERSOS NA REDE No. 2 - JAN/MAR 2019Sérgio Pitaki
 
GRALHA AZUL No. 79 NOVEMBRO DE 2018
GRALHA AZUL No. 79 NOVEMBRO DE 2018GRALHA AZUL No. 79 NOVEMBRO DE 2018
GRALHA AZUL No. 79 NOVEMBRO DE 2018Sérgio Pitaki
 
GRALHA AZUL No. 80 - DEZEMBRO 2018
GRALHA AZUL No. 80 - DEZEMBRO 2018GRALHA AZUL No. 80 - DEZEMBRO 2018
GRALHA AZUL No. 80 - DEZEMBRO 2018Sérgio Pitaki
 
GRALHA AZUL No.81 - JANEIRO 2019
GRALHA AZUL No.81 - JANEIRO 2019GRALHA AZUL No.81 - JANEIRO 2019
GRALHA AZUL No.81 - JANEIRO 2019Sérgio Pitaki
 
Gralha azul no.82 Fevereiro - 2019
Gralha azul no.82 Fevereiro - 2019Gralha azul no.82 Fevereiro - 2019
Gralha azul no.82 Fevereiro - 2019Sérgio Pitaki
 
VERSOS NA REDE. No.1 NOV/DEZ 2018
VERSOS NA REDE. No.1 NOV/DEZ 2018VERSOS NA REDE. No.1 NOV/DEZ 2018
VERSOS NA REDE. No.1 NOV/DEZ 2018Sérgio Pitaki
 
GRALHA AZUL No. 77 - SETEMBRO - 2018
GRALHA AZUL No. 77 - SETEMBRO - 2018GRALHA AZUL No. 77 - SETEMBRO - 2018
GRALHA AZUL No. 77 - SETEMBRO - 2018Sérgio Pitaki
 
GRALHA AZUL No. 76 mai/jul 2018
GRALHA AZUL No. 76 mai/jul 2018GRALHA AZUL No. 76 mai/jul 2018
GRALHA AZUL No. 76 mai/jul 2018Sérgio Pitaki
 
GRALHA AZUL No. 75 - ABRIL 2018
GRALHA AZUL No. 75 - ABRIL 2018GRALHA AZUL No. 75 - ABRIL 2018
GRALHA AZUL No. 75 - ABRIL 2018Sérgio Pitaki
 
GRALHA AZUL No. 7 - Janeiro - 2011
GRALHA AZUL No. 7 - Janeiro - 2011GRALHA AZUL No. 7 - Janeiro - 2011
GRALHA AZUL No. 7 - Janeiro - 2011Sérgio Pitaki
 
GRALHA AZUL No. 73 - JANEIRO 2018
GRALHA AZUL No. 73 - JANEIRO 2018GRALHA AZUL No. 73 - JANEIRO 2018
GRALHA AZUL No. 73 - JANEIRO 2018Sérgio Pitaki
 
JORNADA SOBRAMES PR - DEZEMBRO 2017
JORNADA SOBRAMES PR - DEZEMBRO 2017JORNADA SOBRAMES PR - DEZEMBRO 2017
JORNADA SOBRAMES PR - DEZEMBRO 2017Sérgio Pitaki
 
GRALHA AZUL No. 68 - AGOSTO 2017
GRALHA AZUL No. 68 - AGOSTO 2017GRALHA AZUL No. 68 - AGOSTO 2017
GRALHA AZUL No. 68 - AGOSTO 2017Sérgio Pitaki
 

Mais de Sérgio Pitaki (20)

Dr. Sérgio Pitaki Curriculum vitae- Bahia.docx
Dr. Sérgio Pitaki Curriculum vitae- Bahia.docxDr. Sérgio Pitaki Curriculum vitae- Bahia.docx
Dr. Sérgio Pitaki Curriculum vitae- Bahia.docx
 
DR. PITAKI, CURRICULUM VITAE RESUMIDO 2022
DR. PITAKI, CURRICULUM VITAE RESUMIDO 2022DR. PITAKI, CURRICULUM VITAE RESUMIDO 2022
DR. PITAKI, CURRICULUM VITAE RESUMIDO 2022
 
BOLETIM GRALHA AZUL NO. 81 JANEIRO 2019
BOLETIM GRALHA AZUL NO. 81 JANEIRO 2019BOLETIM GRALHA AZUL NO. 81 JANEIRO 2019
BOLETIM GRALHA AZUL NO. 81 JANEIRO 2019
 
BOLETIM GRALHA AZUL NO. 82 - FEVEREIRO 2019
BOLETIM GRALHA AZUL NO. 82 - FEVEREIRO 2019BOLETIM GRALHA AZUL NO. 82 - FEVEREIRO 2019
BOLETIM GRALHA AZUL NO. 82 - FEVEREIRO 2019
 
GRALHA AZUL No.84 DEZ 2019
GRALHA AZUL No.84 DEZ 2019GRALHA AZUL No.84 DEZ 2019
GRALHA AZUL No.84 DEZ 2019
 
GABRIELA MISTRAL - AULA NA BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARANÁ
GABRIELA MISTRAL - AULA NA BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARANÁGABRIELA MISTRAL - AULA NA BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARANÁ
GABRIELA MISTRAL - AULA NA BIBLIOTECA PÚBLICA DO PARANÁ
 
ACUPUNTURA REN MAI 4 - SEGUNDO CHAKRA - TAN TIEN
ACUPUNTURA REN MAI 4 - SEGUNDO CHAKRA - TAN TIENACUPUNTURA REN MAI 4 - SEGUNDO CHAKRA - TAN TIEN
ACUPUNTURA REN MAI 4 - SEGUNDO CHAKRA - TAN TIEN
 
VERSOS NA REDE No. 2 - JAN/MAR 2019
VERSOS NA REDE No. 2 - JAN/MAR 2019VERSOS NA REDE No. 2 - JAN/MAR 2019
VERSOS NA REDE No. 2 - JAN/MAR 2019
 
GRALHA AZUL No. 79 NOVEMBRO DE 2018
GRALHA AZUL No. 79 NOVEMBRO DE 2018GRALHA AZUL No. 79 NOVEMBRO DE 2018
GRALHA AZUL No. 79 NOVEMBRO DE 2018
 
GRALHA AZUL No. 80 - DEZEMBRO 2018
GRALHA AZUL No. 80 - DEZEMBRO 2018GRALHA AZUL No. 80 - DEZEMBRO 2018
GRALHA AZUL No. 80 - DEZEMBRO 2018
 
GRALHA AZUL No.81 - JANEIRO 2019
GRALHA AZUL No.81 - JANEIRO 2019GRALHA AZUL No.81 - JANEIRO 2019
GRALHA AZUL No.81 - JANEIRO 2019
 
Gralha azul no.82 Fevereiro - 2019
Gralha azul no.82 Fevereiro - 2019Gralha azul no.82 Fevereiro - 2019
Gralha azul no.82 Fevereiro - 2019
 
VERSOS NA REDE. No.1 NOV/DEZ 2018
VERSOS NA REDE. No.1 NOV/DEZ 2018VERSOS NA REDE. No.1 NOV/DEZ 2018
VERSOS NA REDE. No.1 NOV/DEZ 2018
 
GRALHA AZUL No. 77 - SETEMBRO - 2018
GRALHA AZUL No. 77 - SETEMBRO - 2018GRALHA AZUL No. 77 - SETEMBRO - 2018
GRALHA AZUL No. 77 - SETEMBRO - 2018
 
GRALHA AZUL No. 76 mai/jul 2018
GRALHA AZUL No. 76 mai/jul 2018GRALHA AZUL No. 76 mai/jul 2018
GRALHA AZUL No. 76 mai/jul 2018
 
GRALHA AZUL No. 75 - ABRIL 2018
GRALHA AZUL No. 75 - ABRIL 2018GRALHA AZUL No. 75 - ABRIL 2018
GRALHA AZUL No. 75 - ABRIL 2018
 
GRALHA AZUL No. 7 - Janeiro - 2011
GRALHA AZUL No. 7 - Janeiro - 2011GRALHA AZUL No. 7 - Janeiro - 2011
GRALHA AZUL No. 7 - Janeiro - 2011
 
GRALHA AZUL No. 73 - JANEIRO 2018
GRALHA AZUL No. 73 - JANEIRO 2018GRALHA AZUL No. 73 - JANEIRO 2018
GRALHA AZUL No. 73 - JANEIRO 2018
 
JORNADA SOBRAMES PR - DEZEMBRO 2017
JORNADA SOBRAMES PR - DEZEMBRO 2017JORNADA SOBRAMES PR - DEZEMBRO 2017
JORNADA SOBRAMES PR - DEZEMBRO 2017
 
GRALHA AZUL No. 68 - AGOSTO 2017
GRALHA AZUL No. 68 - AGOSTO 2017GRALHA AZUL No. 68 - AGOSTO 2017
GRALHA AZUL No. 68 - AGOSTO 2017
 

Sobrames Boletim Mensal com Poesia de Wislawa Szymborska

  • 1. E D I Ç Ã O V E R Ã O 2 0 0 9 o FAMÍLIa Silva  GRALHA AZUL GRALHA AZUL BOLETIM MENSAL - No. 26 - Outubro - 2012 - SOCIEDADE BRASILEIRA DE MÉDICOS ESCRITORES - SOBRAMES - PR Acabei  de  postar  no  Facebook,  aonde  temos  um  grupo  da  Sobrames,  aonde  constam  106  membros  sobramistas   (ver  detalhe  oval  em  rosa),  os  seguintes  dizeres: “Amigos,  poetas,  poeAsas,  escritores,  colegas  médicos  e  médicas,  olhem  o  Congresso  aí  gente!!!!!!!   Ainda  dá  tempo  de  fazer  as  malas  e  vir  à  CuriAba,  curAr  conosco  três  dias  de  boa  literatura,  amizade  e   confraternização!!!!!!  Venham.  Sejam  bem  vindos,  abraço  a  todos.” Quaisquer  outras  informações,  por  favor,  visitem  o  site  do  congresso  -­‐  www.sobramescongresso2012.com.br.   Façam  suas  inscrições,  dêem  uma  olhada  na  programação  que  está  muito  boa.  Infelizmente  os  que  fizerem  a   inscrição  agora  não  parAciparão  dos  concursos,  com  os  prêmios  oferecidos  pela  Associação  Médica  do  Paraná,   através  de  seu  presidente,  o  sobramista  João  Carlos  Baracho,  um  Ipad  para  o  primeiro  colocado  em  Poesia,  um   Ipad  para  para  o  primeiro  colocado  em  Prosa  e  um  Ipad  para  o  primeiro  colocal  em  Trova. Desejo  a  todos  um  óAmo  XXIV  Congresso  Nacional  da  Sobrames  e  boa  sorte  aos  parAcipantes!
  • 2.              Wislawa  Szymborska  1923-­‐2012   Nas   propagandas   –   “markeAng”   –   mais   especificamente,  há  muitas  frases  que  são  famosas  pelo  seu   forte  apelo  de  imagem  transmiAda  ao  leitor.   Isso  também  é   verdadeiro  quando  lê-­‐se  “amor  é....”.  Segue  uma  mensagem   do   nosso   dia   a   dia   que   devemos   buscar.   Outras   frases   também   importantes   na   metalinguagem   com   mensagens   subliminares   são   “cinema   também   é   cultura”,   “ler   é   importante”,   “cigarro   causa   câncer   de   pulmão”,   assim   por   Alguns  – diante.  Há   outro   tema  que   às   vezes   passa  despercebido   e   Ou  seja  nem  todos. depois   de  conhecido   muito   valorizado:  Amizade   também  é   cultura. Nem  mesmo  a  maioria  de  todos,  mas  a  minoria.   Nessas   minhas   andanças   pelas   Sobrames   do   Sem  contar  a  escola  onde  é  obrigatório Brasil  fiz  muitos  amigos.  Um  deles,  José  Jucovski,  presenteou-­‐ E  os  próprios  poetas me   com   algumas   cópias   da   poeAsa   polonesa   chamada   Wislava  Szymborska.  Ela  nasceu   em  Kornik,   oeste  da  Polônia   Seriam  talvez  uns  dois  em  mil. em   1923   e   faleceu   de   câncer   de   pulmão   em   2012.  Prêmio   Gostam  – Nobel   de   1996.   Maravilhosa.   Digna.   Impecável.   Famosa.   A   mais   famosa   poeAsa   polonesa   do   século   XX.   Após   ter   sido   Mas  também  se  gosta  de  canja  de  galinha. agraciada   com   o   Nobel,   sua   poesia   foi   conhecida   internacionalmente.   Cheia   de   humor,   habilidosa   em   Gosta-­‐se  de  galanteios  e  da  cor  azul, trocadilhos.   Seu   primeiro   poema   foi   publicado   em  1945.  Na   Gosta-­‐se  de  um  xale  velho, atribuição   do   Prêmio   Nobel,   a   Academia   elogiou   a   sua   "poesia   que   com   precisão   irônica   permite   que   o   contexto   Gosta-­‐se  de  fazer  o  que  se  tem  vontade, histórico   e   biológico   possa   vir   à   luz   em   fragmentos   da   realidade  humana."  Sua  poesia  examina  detalhes  domésAcos   Gosta-­‐se  de  afagar  um  cão. e   ocasiões,  jogando   estes   contra  o   pano   de  fundo   histórico.   De  poesia  – Coleções   de  seus  poemas  que  foram   traduzidos  para  o  Inglês:   Pessoas   em   uma   ponte   (1990)   ,   Selected   Poems   (1995),   Mas  o  que  é  isso,  poesia. e   Monólogo   de  um   cão   (2005).     Szymborska   viveu   a   maior   Muita  resposta  vaga parte   de   sua   vida   em   Cracóvia.   Ela   estudou   Literatura   Polonesa   e   Sociedade   na   Universidade   Jagiellonian   aonde   Já  foi  dada  a  essa  pergunta. trabalhou   como   editora   e   colunista.   Ela   recebeu   do   PEN   Clube   polonês   o   Premio   Goethe   e   o   Prêwislawa.jpg   Pois  eu  não  sei  e  não  sei  e  me  agarro  a  isso (300×296)mio  Herder.                      Como  a  uma  tábua  de  salvação.                      Alguns  gostam  de  poesia. José  Jucowski.   Nasceu  em  Salvador  BA,  em  13  de  setembro  de  1925.  Comemoramos  seu   aniversário  no  úlAmo  mês.  Formou-­‐se  médico  em  1950.  Médico.  Obstetra.  Poeta.   Autor  de  “Louvando  a  Vida”  de  2004,  junto  com  seu  irmão  Jayme  (já  falecido)  e  de   “Casal  Grávido”  (1994  e  1997).  Vive  alegremente.  ParAcipa.  Emociona-­‐se.  ComparAlha   sua  juventude  com  suas  confreiras  e  seus  confrades  na  Pizza  Literária  da  Sobrames  SP  na   Pizzaria  Bonde  Paulista,  da  qual  Ave  a  saAsfação  de  parAcipar  e  conhecê-­‐lo.   Amizade  é  cultura.   Cultuar  amizade  é  bom.   Amizades  são  importantes  para  a  saúde.   A  amizade  previne  câncer.  A  amizade  é....   Saúdo  meu  amigo  José  Jucowski  que  presenteou-­‐me  com  Wislava  Szymborska.   Meu  muito  Obrigado.  Djiekuie. BOLETIM MENSAL - SOBRAMES PARANÁ - GRALHA AZUL No 26 - OUTUBRO- 2012
  • 3. A  CEGA  MULHER  -­‐  em  “A  Cega  Mulher  e  Outros  Contos”                           FLÁVIO  ALENCAR  -­‐  SOBRAMES  -­‐  PERNAMBUCO  “A  real  cegueira  não  está  nos  olhos,  mas  na  alma...”   Ele   –   de   forma  torpe,   até  miserável  –  vende  ingressos  para  que  olhem  –  seus  clientes  e  amigos  –  em  sua   própria  casa  a  inAmidade   inocente  de  sua  cega  e  jovem  esposa.   O  desonesto  marido,  sempre  meio  bêbado,   anuncia,  aos  quatro  ventos,   que  vai  vender  entradas  aos  homens  da   sua   cidade,   para   que  a  vejam  –  na  inAmidade  –  sem  que  ela,  por  ser  cega,  nada  perceba.   Eles  fazem  fila  à  porta  aberta  de  sua  herdade.  Chegam,  pagam,  Aram  os  chapéus,  capas  e  sobem  a  sua  escada. As  vizinhas  do  lado,  enquanto  –  falso  pudor  –  curiosas,  olham  os  tais  homens  pelas  frestas,  um  a  um,  lá  aportarem.   Daí,  após  subirem  os  poucos  degraus  de   entrada,   se  põem  nos  cantos  da  sala  e,  ansiosos,  esperam,  observando  os  simples  móveis   de  lembranças    eternas  e  silenciosas.   Quando  ela   –   a   jovem   mulher   cega   –   entra,   os  homens  suspiram   à   míngua,   ávidos  pelo   inusitado,   pela   esperada   e   deliciosa   beleza...   -­‐  Há  alguém  aí?  –  sensível,  pergunta  ela  com  voz  inocente.   -­‐  Sou  eu  –  diz  o  marido-­‐   já   contando  o  dinheiro  arrecadado,  e  o   sente,  calculando  os  lucros,   umedecendo  a  ponta  dos  dedos  com  a   negra  língua  impregnada  de  nicoAna  do  fumo  mascado,  semelhante  à  negritude  de  seu  mau  espírito.   Ela,   suave,   caminha   até   a   cozinha.   Abre   a   geladeira   nova.   Seu   jovem   corpo   deslumbra-­‐se   de   uma   linda   e   branca   nudez  sob   a   aparência  da  camisola  inundada  pela  luminosidade  gelada.   Pega  uma   água...,  prova.  Encosta-­‐  se  na  pia.  Bebe  gole  por  gole,   um  pouco  de  cada  vez.  (Tudo   observado  pelos  homens  silenciosos   e  sem  almas.)   Depois,  ela,  de   forma   graciosa,   sobe   a   escadinha   para   o  seu  quarto.  Seguem-­‐na   eles,  furAvamente,   próprios  fantasmas.   Porém,   é   ela  a  irrealidade,  em  seu  mundo  impenetrável,  tateando  o  ar,  as  paredes,  a  vida,  o  corrimão  instável. Entra   em  seu  ambiente  ínAmo   e,  logo,  abre   a   grande   janela.   Respira   a   suave   brisa  da   noite   de   uma   chuva   que   e   aproxima   e  fica   diante  dela,  como  se  pudesse  ver  a  paisagem-­‐  ao  longe  –  de  luzes,  como  um  colar  branco  de  lâmpadas  com  seus  capuzes.   Acaricia  a  corAna  junto  às  paredes  nostálgicas...   Sai,  senta-­‐se  ao  toucador  e,  diante  dele,  finge  que  se  olha.   Sussurra  palavras  roucas,  incompreensíveis,  mágicas...   Nesse   instante,   um  dos  homens,   mais  afoito,  se   aproxima.   Ela  se   assusta,   franze   a  celha.  O  leve  roçar  de   tecidos   em  pernas  a   faz   alertar  os  senAdos.  Levanta-­‐se  em  susto  e  percorre  o  ar,  com  seus  finos  dedos,  o  espaço  vazio  do  seu  quarto,  para  ela  bem  conhecido.   -­‐  Quem  está  aí?  –  pergunta.   O  homem   se  recolhe   a   um   canto.  Ela  aquietando-­‐se  um  pouco,  pelo  vazio  e  silêncio  encontrados,  volta  a  sentar-­‐se  diante   do  anAgo   espelho  polido,  aplacando  seus  medos,  achando-­‐os,  àquele  instante,  sem  senAdo.  –  Afinal,  que,  poderia  ali  estar?  –  pensou.   Acalma-­‐se  e  escova,  de  cima  para  baixo,  suas  madeixas  mimosas,  e,  nelas,  de  baixo  para  cima,  põe-­‐lhes  fitas  roxas,  Borrifa,  em  seu   lindo  colo,  um  perfume  de  rosas,  descansa  as  mãos,  à  mostra,  sobre  suas  alvas  coxas  semi-­‐encobertas  pelo  fino  tecido.   Muda   o  olhar   vazio,   ao  acaso,   para  certo  lado.   (Os  homens   se   preocupam...,  mas   sem   demora  se   acalmam,   fora   só  coincidência.   Porquanto,  ela  era  uma  cega  mulher.)   Logo,  ela  se  dirige  à  cama.  Tira  as  chinelas,  senta-­‐se,  vira-­‐se  e  se  deita.   Toma,  em  suas  mãos,  um  livro  grosso,  encapado,  e   o  lê  em   voz  alta,  tudo  o  que  lhe  agrada  e  deleita.   Mas,  logo,   os  intrusos  matam   a  charada,   já  que   ela,  seguramente,  recita  todas  as  passagens  de  memória  (sua   avó,,  quando  ela  era   uma   enceguecida   criança,   todas  as  noites,   lhe   contava),   pois,   em   ponta   cabeça   estava   o   tal   livro   de   estórias,   e   o  negro   dos  seus   olhos,   somente  fitava  o  nada.   A  seguir  ela  reza  num  terço  –  de  pérolas  as  contas  –    derrama  grossas  lágrimas.  Nada  mais  lhe  importa.   Seca  o  rosto  no  travesseiro  e,  sem  idéias  prontas,  vira-­‐se,  permanecendo  imóvel,  de  olhos  abertos  –  parece  morta.   Minutos  passam...   enfim,  todos  percebem,   num   instante,  que   a   cega   mulher  está   mesmo  adormecida  de   fato,   com   o  livro  aberto   sobre  seu  lindo  peito  arfante.   Os   homens  se   entreolham,   esperam   mais  um   pouco,  e,   por   fim,   saem   do  quarto.  Descem  –   vazios  todos  -­‐     lentamente,  a   velha   escadinha   nua.   Vestem   seus  remorsos,  suas  capas,  seus  chapéus  e  vão  embora,   um  a   um,   pela   escura   e   deserta   rua   –   em  silêncio  -­‐  sob  os   olhares  da  vizinhança  curiosa  e  da  miúda  e  fria  chuva  dos  umbrosos  céus. BOLETIM MENSAL - SOBRAMES PARANÁ - GRALHA AZUL No 26 - OUTUBRO - 2012
  • 4.                                                                    O  OVO  DA  SERPENTE    -­‐  “Serpent’s  Egg” JOÃO  CARLOS  SIMÕES  -­‐  EX-­‐PRESIDENTE  DA  SOBRAMES  PARANÁ   EDITOR  CIENTÍFICO  DA  REVISTA  DO  MÉDICO  RESIDENTE   “  O  progresso  éSco  é  lento,  mas  seguro.  A  virtude  atrai  e  ensina  “   (  José  Ingenieros  –  O  homem  medíocre)   Hoje,  as   escolas   médicas   no   Brasil   oferecem   16.892   vagas   por   ano.   Nos   programas   de   residência,  paradigma   de   formação  de  médicos    especialistas  e  competentes,  há  10.196  vagas  de  acesso  direto  disponíveis  para  os  recém-­‐formados.   A  inferência   lógica  é  que   só  60%  dos  médicos  têm  acesso   à  especialização.  ParAcipam  do   mercado  de  trabalho,  sem   nenhum  treinamento  necessário   aproximadamente   6.000  médicos   por   ano.  E   o   que   eles   farão?  Aonde   vão  trabalhar?  Com   que   atribuição   examinarão   um   paciente   e   interpretarão   ou   solicitarão   exames   complementares?   Pior   ainda,   com   que   competência  e  habilidade    farão    um  ato  operatório  invasivo,  se  não  Averam  nenhum  treinamento  em  serviço?   Atualmente   o   Brasil  tem  hoje   197  cursos   de  Medicina   e  só  perde  para   a  Índia   que   tem   202  e  aproximadamente   1.205.073.612  habitantes.   Recentemente,  o   Ministério  da  Educação  autorizou,  em  junho  de  2012,  a  criação  de  mais  nove  cursos  de   medicina   parSculares   com  800   vagas  no   total,  sendo   520  nas  regiões   Sul  e  Sudeste,  onde  hoje   já  se   concentram  72%   dos   médicos   brasileiros.   As   novas   escolas   estão  nas  cidades  de  Votuporanga  (60   vagas)   e  São  José  do   Rio   Preto   (160  vagas  em   dois  cursos),   em  São  Paulo;  Belo  Horizonte  (120  vagas)  e  BeAm  (120  vagas),  em  Minas  Gerais;  e  Londrina  (60   vagas),  no  Paraná.  As  demais   ficam  em  Recife/PE  (120  vagas),  Cajazeiras/PB  (60  vagas)  e  Salvador/BA  (100  vagas).   Sete  foram  criadas  em  2011,  sendo  cinco   parAculares,  uma   municipal   e   uma  estadual.  Este   ano,  além  das  nove   já   mencionadas,  foi  criada   uma  federal   em  fevereiro.  No   quadro  geral,  são   82  cursos   públicos  (federais,  estaduais  e  municipais)   contra   114  privados,   criados  principalmente  de   1967  a  1970   (auge   do   período   militar),   1997  a  1999   (segundo   mandato   do   governo  FHC)  e  desde  2002  até  nossos  dias  (governos  Lula  e  Dilma).   Consequentemente,  nenhum  dos  médicos  que   se  graduarão   em   um   desses  novos  cursos  privados   irá  trabalhar   em   uma   cidade   ou   região   carente   de   médicos.   Serão   parAcipantes   de   um     sistema   saturado   de   médicos   nas   insAtuições   de   melhor   qualidade.  Disputarão   tenazmente   as  vagas  em  bons  programas  de   residência  médica  e   poucos   serão  selecionados.   ResisArão  a  trabalhar  na  periferia  dos  grandes  centros  onde  estudaram  e  insuflarão  cada  vez  mais  as  capitais.   O  notável  professor  Adib  Jatene  escreveu  que  decisões  equivocadas  como  essas  e   outras  servem  para  desmoAvar   os   que  ainda  creditam  ser  possível  corrigir  as  iniquidades,  criadas  por   influência  empresarial  ou  políAca,  e  para  reforçar   a  ideia   de  que  não  adianta  lutar  por  dias  melhores.   Desta  maneira  inconsequente,  o  governo  está  encubando  o  ovo  da  serpente  que  quando   eclodir  devorará   a  todos   nós  com  a  incompetência  dos  novos  profissionais  da  saúde,  degradação  do  mercado  de  trabalho  e  precarização  da  saúde.   EXPEDIENTE: Editor Responsável e Presidente Sobrames Paraná: Sérgio Pitaki ;Vice-Presidentes: Fahed Daher e Sonia Braga; Secretários: Paulo Maurício Piá de Adrade e Maurício Norberto Friedrich; Tesoureiros: Maria Fernanda Caboclo Ribeiro e Edival Perrini. contacto: sergiopitaki@gmail.com , fones:41-30131133; 41-99691233 BOLETIM MENSAL - SOBRAMES PARANÁ - GRALHA AZUL No 26 - OUTUBRO - 2012 4