AMOR E SEXO DICOTÔMICOS
?
SÉCULO XVII – DEFINIÇÃO DE
AMOR
“um embaraço de pernas,
Uma união de barrigas,
Um breve tremor de artérias.
Uma confusão d...
EROS...
Para os GREGOS, o deus do amor.
Para os ROMANOS, o cupido.
VÁRIAS VERSÕES SOBRE SUA HISTÓRIA:
-Filho de Caos. Se...
EROS E PSIQUÊ
Ele se casa com a amada, mas a proíbe
de ver seu rosto, pois deseja ser amado não
como uma divindade, mas co...
PORNOGRAFIA
1800 – Estudo (saúde pública) sobre
a prostituição;
A raiz do termo francês estava
plantada no grego, língua...
EROTISMO
Erotismo, trata-se de uma palavra que também
tem origem grega: erotikós, que fez escala no
latim eroticus antes ...
Satânico é o meu pensamento a teu respeito e ardente é o
meu desejo de apertar-te em minha mão, numa sede de
vingança inco...
REFERÊNCIAS
SANTANA, Ana Lúcia. Eros. Disponível em:
http://www.infoescola.com/biografias/eros/. Acesso em: jul. 2015.
REV...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

AS VÁRIAS FACES DO AMOR - AMOR E SEXO

333 visualizações

Publicada em

SLIDE UTILIZADO EM AULA.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
333
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AS VÁRIAS FACES DO AMOR - AMOR E SEXO

  1. 1. AMOR E SEXO DICOTÔMICOS ?
  2. 2. SÉCULO XVII – DEFINIÇÃO DE AMOR “um embaraço de pernas, Uma união de barrigas, Um breve tremor de artérias. Uma confusão de bocas, uma batalha de veias, um reboliço de ancas, Quem diz outra coisa, é besta.” (Gregório de Matos (1623/1695) – Barroco)
  3. 3. EROS... Para os GREGOS, o deus do amor. Para os ROMANOS, o cupido. VÁRIAS VERSÕES SOBRE SUA HISTÓRIA: -Filho de Caos. Seria uma divindade primordial, responsável pela ordem; -Como integrante do Olimpo, seria o cupido; -Para PLATÃO seria filho de Poros e Pínia, o símbolo do amor necessitado, que não se concretiza, pois o objeto do desejo sempre escapa de suas mãos.
  4. 4. EROS E PSIQUÊ Ele se casa com a amada, mas a proíbe de ver seu rosto, pois deseja ser amado não como uma divindade, mas como um mortal. Ela, porém, vencida pela curiosidade, vale-se do momento em que ele adormece e espia sua face; ela fica tão encantada que deixa uma gota de cera da vela que ilumina seu amado, cair em seu peito. Eros desperta e fica enraivecido, deixando sua amante. Ela fica sem rumo, ou em outras versões, é castigada por Afrodite, inconformada com a paixão de seu filho por Psiquê; de qualquer forma, arrependido, Eros implora a misericórdia de Zeus para a mulher amada. O deus supremo cede e torna Psiquê imortal, unindo os jovens amantes, que passam a morar no Olimpo. A bela mortal representa, segundo alguns especialistas, a espiritualidade presente no Homem, o que transforma esta lenda em penetrante metáfora sobre a relação
  5. 5. PORNOGRAFIA 1800 – Estudo (saúde pública) sobre a prostituição; A raiz do termo francês estava plantada no grego, língua que tinha palavras como pórne, “prostituta”, e pórnos, “que se prostitui”, além de pornographos, “autor de escritos sobre a prostituição”. Prostíbulo era porneion. Todos esses termos traziam embutida a ideia de comércio, de compra e venda. Há etimologistas que, cavando mais fundo, veem neles a raiz indo-europeia per, “vender”, a mesma que está presente no latim pretium, “preço”.
  6. 6. EROTISMO Erotismo, trata-se de uma palavra que também tem origem grega: erotikós, que fez escala no latim eroticus antes de desembarcar aqui ainda no século XVI, significava “que tem amor, paixão ou desejo intenso”. Se referia ao desejo sexual, mas aquele ligado ao amor e não ao comércio. A DIFERENÇA ENTRE EROTISMO E PORNOGRAFIA: O senso comum costuma traçá-la nas cenas de sexo explícito, que esta teria e aquele não, mas o critério é enganoso: se o erótico também pode ser explícito, nem sempre o pornográfico o é. Como princípio, pode-se dizer que é erótico um filme, livro ou pintura que dê a seu tema um tratamento artístico (a arte aqui cumpre o mesmo papel que o amor cumpria na distinção original), enquanto a pornografia está interessada apenas em excitar o freguês – e em ganhar dinheiro com
  7. 7. Satânico é o meu pensamento a teu respeito e ardente é o meu desejo de apertar-te em minha mão, numa sede de vingança incontestável pelo que me fizeste ontem. A noite era quente e calma e eu estava em minha cama, quando, sorrateiramente, te aproximaste. Encostaste o teu corpo sem roupa no meu corpo nu, sem o mínimo pudor! Percebendo minha aparente indiferença, aconchegaste-te a mim e mordeste-me sem escrúpulos. Até nos mais íntimos lugares. Eu adormeci. Hoje, quando acordei, procurei-te numa ânsia ardente, mas em vão. Deixaste em meu corpo e no lençol provas irrefutáveis do que entre nós ocorreu durante a noite. Esta noite recolho-me mais cedo, para na mesma cama te esperar. Quando chegares, quero te agarrar com avidez e força. Quero te apertar com todas as forças de minhas mãos. Só descansarei quando vir sair o sangue quente do teu
  8. 8. REFERÊNCIAS SANTANA, Ana Lúcia. Eros. Disponível em: http://www.infoescola.com/biografias/eros/. Acesso em: jul. 2015. REVISTA VEJA. Qual é a diferença entre pornografia e erotismo?. http://veja.abril.com.br/blog/sobre-palavras/consultorio/qual-e-a- diferenca-entre-pornografia-e-erotismo/

×