Introdução ao Software Livre

3.549 visualizações

Publicada em

Entenda um pouco mais sobre a liberdade de software. Tire suas dúvidas, curiosidades, conheça a respeito!

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.549
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
110
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução ao Software Livre

  1. 1. Introdução ao Software Livre Kim Archanjo Tostes kimtostes@gmail.com www.pinguim.pro.br
  2. 2. Definição● Software Livre, ou Free Software, conforme a definição de software livre criada pela Free Software Foundation, é o software que pode ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído sem restrição.● A forma usual de um software ser distribuído livremente é sendo acompanhado por uma licença de software livre, como a GPL, e com a disponibilização do seu código-fonte. www.pinguim.pro.br
  3. 3. "Software Livre" é uma questão de liberdade, não de preço. Para entender o conceito, você deve pensarem "livre" como em "liberdade de expressão", e não como "cerveja grátis". www.pinguim.pro.br
  4. 4. InícioO Software Livre como movimento organizado teve início em1983, quando Richard Stallman deu início ao Projeto GNU e,posteriormente, à Free Software Foundation. www.pinguim.pro.br
  5. 5. Richard Stallman www.pinguim.pro.br
  6. 6. GNUwww.pinguim.pro.br
  7. 7. GNU é um sistema operacional baseado em Unix, que é software livre, respeitando sua liberdade. Você pode instalar versões do GNU baseado em Linux totalmente livres.Um sistema operacional baseado em Unix é um software com uma coleção de aplicativos, bibliotecas e ferramentas dedesenvolvimento, junto com um programa para alocar recursos e “conversar” com o hardware, chamado Kernel. www.pinguim.pro.br
  8. 8. GNU General Public License ou Licença Pública Geral ou GNU GPL ou simplesmente GPL É a licença com maior utilização por parte deprojetos de software livre, em grande parte devido à sua adoção para o projeto GNU e o sistema operacional GNU/Linux. www.pinguim.pro.br
  9. 9. Em termos gerais, a GPL baseia-se em 4 liberdades: www.pinguim.pro.br
  10. 10. Em termos gerais, a GPL baseia-se em 4 liberdades:1) A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito www.pinguim.pro.br
  11. 11. Em termos gerais, a GPL baseia-se em 4 liberdades:1) A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito2) A liberdade de estudar como o programa funciona e adaptá-lopara as suas necessidades. * www.pinguim.pro.br
  12. 12. Em termos gerais, a GPL baseia-se em 4 liberdades:1) A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito2) A liberdade de estudar como o programa funciona e adaptá-lopara as suas necessidades. *3) A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possaajudar ao seu próximo www.pinguim.pro.br
  13. 13. Em termos gerais, a GPL baseia-se em 4 liberdades:1) A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito2) A liberdade de estudar como o programa funciona e adaptá-lopara as suas necessidades. *3) A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possaajudar ao seu próximo4) A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seusaperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficiedeles. * www.pinguim.pro.br
  14. 14. Em termos gerais, a GPL baseia-se em 4 liberdades:1) A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito2) A liberdade de estudar como o programa funciona e adaptá-lopara as suas necessidades. *3) A liberdade de redistribuir cópias de modo que você possaajudar ao seu próximo4) A liberdade de aperfeiçoar o programa, e liberar os seusaperfeiçoamentos, de modo que toda a comunidade se beneficiedeles. ** - O acesso ao código-fonte é um pré-requisito para esta liberdade. www.pinguim.pro.br
  15. 15. Com a garantia destas liberdades, a GPL permite que os programas sejam distribuídos e reaproveitados, mantendo, porém, os direitos do autor por forma a nãopermitir que essa informação seja usada de uma maneira que limite as liberdades originais. A licença não permite, por exemplo, que o código seja apoderado por outra pessoa, ou que sejam impostossobre ele restrições que impeçam que seja distribuído da mesma maneira que foi adquirido. www.pinguim.pro.br
  16. 16. A GPL está redigida em inglês e atualmente nenhuma tradução é aceita como válida pela Free Software Foundation, com o argumento de que há o risco deintrodução de erros de tradução que poderiam deturpar o sentido da licença.Deste modo, qualquer tradução da GPL é não-oficial emeramente informativa, mantendo-se a obrigatoriedadede distribuir o texto oficial em inglês com os programas. www.pinguim.pro.br
  17. 17. Free Software Foundation (Fundação para o Software Livre) www.pinguim.pro.br
  18. 18. Free Software Foundation (Fundação para o Software Livre) É uma organização sem fins lucrativos que se dedica aeliminação de restrições sobre a cópia, redistribuição, estudo e modificação de programas de computadores – bandeiras do movimento do software livre, em essência.Faz isso promovendo o desenvolvimento e o uso de softwarelivre em todas as áreas da computação mas, particularmente, ajudando a desenvolver o sistema operacional GNU e suas ferramentas. www.pinguim.pro.br
  19. 19. O Linux www.pinguim.pro.br
  20. 20. O núcleo Linux foi inicialmente desenvolvido por Linus Torvalds numa tentativa de criar um sistema operacionalsimilar ao Unix que rodava em processadores Intel 80386. www.pinguim.pro.br
  21. 21. O núcleo Linux foi inicialmente desenvolvido por Linus Torvalds numa tentativa de criar um sistema operacionalsimilar ao Unix que rodava em processadores Intel 80386. O projeto foi lançado em 1991 em uma famosa mensagem para a Usenet em que ele divulgou que estava disposto adisponibilizar o código-fonte e contar com a colaboração de outros programadores. www.pinguim.pro.br
  22. 22. O núcleo Linux foi inicialmente desenvolvido por Linus Torvalds numa tentativa de criar um sistema operacionalsimilar ao Unix que rodava em processadores Intel 80386. O projeto foi lançado em 1991 em uma famosa mensagem para a Usenet em que ele divulgou que estava disposto adisponibilizar o código-fonte e contar com a colaboração de outros programadores.Desde os primeiros dias, ele recebeu ajuda de hackers do Minix, e hoje recebe contribuições de milhares de programadores dos mais diversos locais do mundo. www.pinguim.pro.br
  23. 23. Linus Torvalds www.pinguim.pro.br
  24. 24. Linux é um sistema operacional, programa responsável pelofuncionamento do computador, que faz a comunicação entre hardware (impressora, monitor, mouse, teclado) e software (aplicativos em geral). www.pinguim.pro.br
  25. 25. Linux é um sistema operacional, programa responsável pelofuncionamento do computador, que faz a comunicação entre hardware (impressora, monitor, mouse, teclado) e software (aplicativos em geral). O Linux é livre. www.pinguim.pro.br
  26. 26. Linux é um sistema operacional, programa responsável pelofuncionamento do computador, que faz a comunicação entre hardware (impressora, monitor, mouse, teclado) e software (aplicativos em geral). O Linux é livre.O conjunto de um kernel e demais programas responsáveispela comunicação com este é o que denominamos sistema operacional. O kernel é o coração do Linux. www.pinguim.pro.br
  27. 27. Uma distribuição do Linux nada mais é que o conjunto de kernel, programas de sistema e aplicativos reunidos num único CD-ROM. Hoje em dia temos milhares de aplicativos para a plataforma Linux, onde cada empresa responsável por sua distribuição escolhe os aplicativos que deverão estar incluídos em seu CD-ROM. www.pinguim.pro.br
  28. 28. Muitos conhecem e divulgam o sistema operacional do pinguim apenas como Linux, porém o termo correto é GNU/Linux.Em palavras simplificadas, Linux é apenas o kernel do sistema operacional, ele depende de uma série de ferramentas parafuncionar, a começar pelo programa usado para compilar seu código-fonte. Essas ferramentas são providas pelo projeto GNU. www.pinguim.pro.br
  29. 29. Distribuições Linux www.pinguim.pro.br
  30. 30. Vantagens do Software Livre1) Compartilhamento do código fonte.2) Desenvolvimento de novas aplicações sem precisar começar do zero.3) Impacto significativo na redução e na diminuição da duplicação de esforços.4) Melhoria na qualidade do código devido a um maior número de desenvolvedorese usuários envolvidos, facilitando a correção de erros.5) O desenvolvedor deve ser cuidadoso pois sua produção será avaliada poroutros profissionais, comprometendo sua carreira profissional.6) Promove o estabelecimento de vários fornecedores com base no mesmosoftware. www.pinguim.pro.br
  31. 31. Vantagens do Software Livre7) A competição entre fornecedores traz vantagens aos usuários, como melhoriasnos serviços de suporte e redução nos preços dos pacotes (manuais, CDs, etc).8) Esse modelo de suporte e venda de pacotes incentiva o surgimento depequenas empresas que podem atender os mercados locais e consequentementeredução da dependência de empresas estrangeiras. www.pinguim.pro.br
  32. 32. Desvantagens do Software Livre1) Interface de usuário não uniforme nos aplicativos2) Instalação e configuração pode ser difícil3) Mão de obra escassa e/ou custosa para desenvolvimento e/ou suporte. www.pinguim.pro.br
  33. 33. A pouca experiência do mercado em lidar com o software livre e o próprio fato do software ser, em geral, gratuito, podem gerar dúvidas sobre a viabilidade econômica ou a qualidade do software. Estes conceitos estão sendo revertidos aos poucos. As empresas estão percebendo que é mais vantajoso aprimorar/contribuir com o software livre do que investir na construção de um novo software similar e proprietário. www.pinguim.pro.br
  34. 34. Dúvidas? www.pinguim.pro.br
  35. 35. Alguns links: http://www.gnu.org/ http://www.fsf.org/ http://www.softwarelivre.gov.br/ http://www.sbc.org.br/ http://www.opensource.org/ http://www.ubuntu.com/ http://www.debian.org/ http://www.mandriva.com/br/ http://fedoraproject.org/ http://br-linux.org/ http://www.gentoo.org/ http://br.redhat.com/ www.pinguim.pro.br

×