O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Revista Perfil Náutico ed 39

1.735 visualizações

Publicada em

Edição 39 Revista Perfil Náutico

Publicada em: Marketing
  • Seja o primeiro a comentar

Revista Perfil Náutico ed 39

  1. 1. ANGRA DOS REIS: Lazer no Meliá Angra Marina & Convention Resort R$ 15,90 - Ano 08 - n° 39 - 2013 - www.perfilnautico.com.br PRONTOS PARA CRUZEIRO ISSN 1980-9794 35 e 36 pés SETE BARCOS PARA MUITO MAIS QUE PASSEIOS CURTOS ESTALEIRO VENTURA COMEMORA 30 ANOS EM 2013 SALÃO NÁUTICO DE ISTAMBUL e mais! na seção perfil: SEDNA XF 335 DUFOUR 500 SEA RAY 540 SUNDANCER SCHAEFER 800
  2. 2. C M Y CM MY CY CMY K
  3. 3. Editorial CONSELHO DIRETOR Aldo Alfredo Malucelli aldo@grupocanal.com.br Carlos Alberto Gomes carlos@grupocanal.com.br José “Juca“ Kulling jose.juca@grupocanal.com.br Luiz Alfredo Malucelli luiz@grupocanal.com.br DEPTO. DE JORNALISMO EDITOR E JORNALISTA RESPONSÁVEL Marcelo Fabiani (Buda) macelo.buda@grupocanal.com.br A BORDO DA PERFIL NÁUTICO P ela segunda vez sou convidada a participar dessa aventura deliciosa que é conduzir o leme da Perfil Náutico, enquanto seu principal capitão tira férias. Colaboradora da revista já há tantos anos, confesso que poder mergulhar em águas mais profundas e me envolver em todas as produções é uma experiência sempre revigorante. Então para essa edição preparamos uma matéria especial para aqueles que almejam um dia ter um superiate. Antes de chegar lá, porém, há opções que se ajustam melhor ao bolso e não deixam de oferecer muito do luxo e conforto que os milionários oferecem, como os barcos de 35 e 36 pés. Fomos além-mar e desembarcamos no Estreito de Bósforo para conferir as belezas de Istambul durante o Eurásia Boat Show, com cobertura exclusiva de Guilherme Aquino. No Canal Perfil trouxemos alguns lançamentos e alguns destaques de grandes estaleiros, como o veleiro Dufour 500, que chega pela primeira vez ao Brasil, a Schaefer 800, um ousado projeto de produção brasileira, além da luxuosa 540 da Sea Ray e a sofisticada sportfishing da Sedna, a XF 335. Para curtir a bordo de seu barco trazemos nesta edição um belo destino de mergulho, as Ilhas Maldivas, e para lazer o Meliá Angra Marina & Convention Resort, que tem a primeira marina Bandeira Azul da América Latina. Além disso, muito estilo, tecnologia e design a bordo para você e seu barco. DRT-PR / 6633 EDITORA Rafaella Malucelli rafaella.malucelli@grupocanal.com.br DRT-PR / 7146 REDAÇÃO Leonardo Suzuki leonardo.suzuki@grupocanal.com.br DRT-PR / 8276 Lumen Design (Jaqueline de Bem Hirano) REVISÃO João Batista Ribeiro COLABORAM NESSA EDIÇÃO EDIÇÃO DE ARTE E PROJETO GRÁFICO Amanda Kasecker, Amir Rocco, Angelo Sfair, Carolina Schrappe, Giuliana Corso, Guilherme Aquino, Ilza Vinagre, Luiz Alfredo Malucelli, Jorge Nasseh. IMPRESSÃO E ACABAMENTO Gráfica Monalisa DISTRIBUIÇÃO EXCLUSIVA FC Comercial Distribuidora Ltda. CENTRAL DE PUBLICIDADE COMERCIAL comercial@grupocanal.com.br (41) 3331 8300 JOSÉ “JUCA” KOLLING jose.juca@grupocanal.com.br Rua Jorge Cury Brahim, 712, Pilarzinho, 82.110-040, Curitiba - PR. Fone (41) 3331 8300 Fax (41) 3331 8305 Revista Perfil Náutico Rádio Mix Curitiba - 91,3 MHz 91 Rock Web www.91rock.com.br Artigos assinados não representam necessariamente a opinião da revista. As imagens sem créditos foram fornecidas para divulgação. Revista Perfil Náutico, ano 8, no 39, é uma publicação da Editoral CANAL/mid, divisão de mídia do Grupo CANAL/com. Todos os direitos reservados. FALE COM A GENTE redacao@perfilnautico.com.br Aventure-se a bordo da Perfil Náutico e divirta-se. Rafaella Malucelli 8  PERFILNÁUTICO CANAL TÉCNICO Envie sua pergunta para canaltecnico@perfilnautico.com.br ASSINATURA assinatura@perfilnautico.com.br PERFIL NÁUTICO NA INTERNET www.perfilnautico.com.br
  4. 4. Índice CANAL 12 70 84 88 LEITOR NÁUTICO DÉCOR CONSTRUTOR NESTA EDIÇÃO 14 NEWS Notícias fresquinhas do mundo náutico 132 eSTILO 134 esporte Vela, jet ski, stand up paddle e surfe CAPA 46 PRONTOS PARA CRUZEIRO Barcos de 35 e 36 pés para muito mais que passeios curtos 138 MERGULHO — MALDIVAS Conheça a ilha Kuredu, um paraíso para fãs do mergulho PERFIL 91 SEDNA XF 335 99 DUFOUR 500 107 540 SUNDANCER 115 schaefer 800 123 ESTALEIRO VENTURA MARINE 148 PLANETA ÁGUA A sofisticada sportfishing da Sedna Yachts Um alerta sobre o consumo da água no mundo 150 GOURMET O Polvo à Lagareiro da chef Ilza Vinagre MUNDO NÁUTICO Sucesso na Europa começa a velejar em águas brasileiras 22 EURÁSIA BOAT SHOW — ISTAMBUL Os olhos da Europa voltam-se para o ascendente mercado turco de iates 36 HOTEL MARINA Lazer no Meliá Angra Marina & Convention Resort, a primeira marina Bandeira Azul da América Latina 42 TRAVESSIA DO ATLÂNTICO Mais uma aventura de Beto Pandiani a bordo de um catamarã sem cabine, o Picolé 10  PERFILNÁUTICO O luxuoso esportivo da Sea Ray A potente e ousada produção brasileira Trinta anos e no auge
  5. 5. searaybrasil.com.br Navegue Na direção de seus soNhos iva ev um mar de Novas experiêNcias. suNdaNcer® TO aMeN LaNÇ rio Boat show 2013
  6. 6. Canal do Leitor CAPA A CAÇULA PRODÍGIO Tive a satisfação de conhecer a Valent 210 e reafirmo todas as potencialidades, apresentadas na matéria, que essa pequena tem. Design arrojado, conforto para toda a família e amigos, e preço coerente. João Moreira Filho APOSTA CERTA Sou apaixonado pela pesca e o que me instigou a comprar a revista foi justamente a capa. Muito interessante a relação dos perfis de pescadores e respectivamente o barco ideal para obter bons resultados na atividade. Parabéns pela matéria! Carlos Magno dos Santos Um desafio da Bayliner para perpetuar a marca e uma grande surpresa para nós, clientes. A 350 Special Edition ficou simplesmente maravilhosa. Desde quando a vi, quatro anos atrás, não tive dúvidas de que a embarcação seria destaque no mundo náutico. Paulo Carvalho Romanedo UMA CASA DE LUXO EM ALTO-MAR O CONSTRUTOR DE PEQUENAS JOIAS Tudo o que se refere ao grupo Azimut-Benetti realmente é sinônimo de excelência, luxo e conforto inigualáveis. O novo modelo 70 é uma verdadeira joia criada pela marca, que surpreende em todos os elementos. A matéria ficou excelente, assim como a Azimut. Gostei muito da matéria sobre as maquetes. Trabalho impecável e belo do Mariano que realmente chama muito a atenção. Pelas ilustrações, dá para ver o capricho do profissional. Sucesso a ele! Marília da Souza Schneider Marcos Soares de Alcântara AGITO NO LITORAL DE ALAGOAS ESTALEIRO OCEAN LIFE A grande festa que o Estaleiro Phoenix fez para amigos e parceiros foi de deixar muitos com vontade de participar. Eu fui uma delas. Lindas fotos, lindos barcos... linda confraternização. Quero me programar para ir à próxima. É bom quando se veem jovens empreendedores esbanjando criatividades e apostando em lanchas com estilo próprio. A Evolve com certeza começa a ser destaque no mundo náutico por suas criações. Em alto-mar, todo mundo reconhece uma Evolve. Isabela Cristina Stangeberg Francisco da Silva Santos FALE CONOSCO Para falar com a Perfil Náutico, mande e-mail para: redacao@perfilnautico.com.br ou canaltecnico@perfilnautico.com.br. As mensagens devem ser enviadas à redação e à equipe técnica com identificação do autor, endereço e telefone. Em virtude do espaço disponível, os textos podem ser resumidos ou editados. A revista reserva-se o direito de publicar ou não as colaborações. 12  PERFILNÁUTICO
  7. 7. News em abril tem salão em olinda Os expositores vão desde montadoras e concessionárias de veículos e equipamentos náuticos até fabricantes e varejistas de acessórios. “Há um aumento forte de consumo de bens na Região Nordeste, em dois movimentos claros”, aponta Diego Montenegro, show manager da Reed Exhibitions Alcantara Machado no Nordeste e gerente regional do Nordeste MotorShow. “Por um lado, o mercado de luxo está crescendo. E na outra ponta dos negócios há as classes C e D entrando com força no consumo e buscando novidades.” Um cenário perfeito para o prazer náutico A Região Nordeste do Brasil vai receber pela primeira vez uma feira internacional voltada para o setor de veículos de duas rodas, quatro rodas e náutico. O Nordeste MotorShow acontece no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, entre os dias 25 e 28 de abril de 2013. Realizado pela Reed Exhibitions Alcantara Machado, o evento vai reunir em um único lugar as novidades do mercado. Motocicletas, carros e barcos em um espaço com características semelhantes às do Salão do Automóvel de São Paulo, o maior e mais importante evento automotivo da América Latina. Ao todo, cerca de cem expositores nacionais e internacionais devem ocupar os 25 mil metros quadrados do pavilhão do Centro de Convenções de Pernambuco. Carros no Centro de Convenções e barcos no Cabanga Iate Clube 14  PERFILNÁUTICO O NORDESTE MOTOR SHOW ACONTECE NO CENTRO DE CONVENÇÕES DE PERNAMBUCO EM OLINDA, ENTRE OS DIAS 25 E 28 DE ABRIL A expectativa é que 60 mil pessoas visitem o Nordeste MotorShow. Importantes estaleiros náuticos do Brasil estarão reunidos na primeira edição do evento. “Além de trazer para a região o que há de mais novo no mercado mundial, a parceria com os estaleiros vai gerar empregos diretos e indiretos para o Nordeste”, afirma Diego. O salão é o primeiro evento na região apoiado oficialmente pela Associação Brasileira de Construtores de Barcos e seus Implementos (Acobar).
  8. 8. PERFILNÁUTICO  15
  9. 9. News first yacht em balneário cambOriú A First Yacht, revendedora exclusiva das marcas Azimut Yachts e Atlantis para a Região Sul do Brasil e o estado de São Paulo, promoveu nos dias 28 e 29 de março na Marina Tedesco, em Balneário Camboriú (SC), o primeiro encontro “Showtime First Yacht”, direcionado a clientes e interessados no mundo da navegação em alto luxo. Os convidados puderam conhecer os mais recentes modelos de embarcações da Azimut Yachts e trocar informações sobre o universo náutico em uma estrutura montada às margens do Rio Camboriú. E para recepcionar o público estavam o presidente da First Yacht, Natanael Santos de Souza, e o CEO Nelson Waisbich junto à equipe de marketing e vendas. As grandes atrações foram os modelos Azimut 43, Azimut 60 e Azimut 70 expostos para visitação. Os modelos 43 e 60 são fabricados no estaleiro da Azimut em Itajaí (SC). O encontro foi realizado na Marina Tedesco com nossos clientes de forma cada vez mais direta”, explicou Breviglieri. “O Paraná concentra muitos de nossos clientes e pessoas interessadas em navegação e, por isso, resolvemos trazer a Confraria Azimut para apresentar nossas novidades e conhecer ainda mais as necessidades desse público.” confraria náutica by azymut yachts O Grupo Azimut-Benetti promoveu no dia 21 de março em Curitiba a terceira Confraria Náutica destacando as novidades da consagrada marca Azimut Yachts. O evento foi realizado no restaurante Vin Bistrô e contou com a presença de empresários da capital paranaense para um coquetel e bons negócios. 16  PERFILNÁUTICO Para receber os convidados estavam o CEO da Azimut no Brasil, Davide Breviglieri, e o gerente de vendas David Bisogni. “A Azimut tem uma presença mundial inquestionável, e agora estamos atingindo um de nossos grandes objetivos: atender toda a costa brasileira com excelência e prestando serviços de relacionamento A Confraria Náutica by Azimut Yachts é uma das estratégias da empresa no Brasil para aproximar os clientes do fabricante e seus parceiros. Além de Curitiba, já foi realizada com sucesso no Rio de Janeiro e em Florianópolis e seguirá ao longo do ano. David Bisogni, Natanael Santos de Souza, Davide Breviglieri, Hemerson Diniz e Nelson Waisbich
  10. 10. News JETCO 23 anos Em 2013 a Jetco comemora 23 anos de existência. O endereço da Avenida dos Bandeirantes, número 3.730, na capital paulista é, desde 1990, um dos mais conhecidos dos amantes de jet ski do Brasil. A história dessas motos aquáticas no país se confunde com a trajetória da Jetco, considerada a principal concessionária de jet skis da marca Yamaha no Brasil e a primeira a trabalhar exclusivamente com jet skis. A Jetco também foi a primeira loja a promover passeios de jets abertos ao público, sempre Loja na Avenida dos Bandeirantes realizados nos lugares mais paradisíacos do nosso litoral. Os jets da Yamaha são consagrados pela sua qualidade e confiabilidade. Divertidos e funcionais, a linha WaveRunner é perfeita para aventuras emocionantes ou em agradáveis passeios na água. Nas competições, a parceria Jetco e Yamaha também se destaca. A Jetco Yamaha Team é a atual campeã brasileira na principal categoria do esporte, a GP Turbo, que é considerada a Fórmula 1 brasileira dos jets. NACRA 17 premiado Em março, durante a última edição do evento holandês HISWA 2013, o Nacra 17 ganhou o título Boat of the Year, em reconhecimento pelo desempenho entre os barcos que fizeram parte do calendário holandês em 2012. Proprietário de um iate da mesma construtora do Nacra 17, a Azure Naval Architects, o presidente do júri, Hugo van Wieringem, destacou que, apesar de o Nacra 17 ser um barco muito rápido, é relativamente simples de ser construído e equipado. “É um exemplo de inovação. As placas curvadas garantem mais altura, controle e balanço mais precisos, o que otimiza a velocidade.” Boat of the Year na Holanda 18  PERFILNÁUTICO
  11. 11. News a ilha mais bonita do brasil Ilha de Boipeba Um dos paraísos do arquipélago de Tinharé, município de Cairu, Baixo Sul da Bahia, a Ilha de Boipeba foi escolhida como a mais bonita do Brasil e a segunda da América do Sul. A seleção feita pelos internautas do Traveller´s Choice 2013, do Trip Advisor, site especializado em turismo e um dos mais acessados do mundo no segmento. Boipeba deixou para trás outros destinos brasileiros de reconhecimento internacional, morro de são paulo protegido A prefeitura de Cairu iniciou em março a cobrança da Taxa de Preservação Ambiental (TAP) para as pessoas que visitarem o Morro de São Paulo. A tarifa única de R$ 15,00 será cobrada logo após o desembarque, quando o visitante chegar ao destino, através de transporte marítimo ou aéreo. Taxa de preservação para visitar 20  PERFILNÁUTICO Diferente da antiga Taxa de Turismo, a TAP tem o propósito exclusivo de como Fernando de Noronha, em Pernambuco, Ilha Grande, no Rio de Janeiro, as ilhas Santa Cruz e Isabela, do arquipélago de Galápagos, no Equador, e mesmo a vizinha Ilha de Tinharé, conhecida por abrigar o Morro de São Paulo. controle, proteção e preservação do meio ambiente. O objetivo é potencializar os serviços de proteção e preservação da fauna e flora do balneário. A tarifa segue o mesmo modelo das leis estabelecidas em Fernando de Noronha (PE) e Ilhabela (SP). Morro de São Paulo é terceiro destino mais visitado da Bahia, possui 180 meios de hospedagem com um total 10 mil leitos, 120 bares e restaurantes, 18 agências de turismo, 250 embarcações para transporte local e 110 embarcações de passeios turísticos.
  12. 12. MUNDO NÁUTICO SALÃO NÁUTICO DE ISTAMBUL TURQUIA! Um mar de atrações, em meio ao EurÁsia Boat Show Por Guilherme Aquino | Fotos turismo: Ufficio Turismo Turchia — Itália O mundo se encontra no Salão Náutico de Istambul, antiga cidade fundada às margens do Estreito do Bósforo, que liga o Mar Mediterrâneo ao Mar Negro e serve de ponte entre o Ocidente e o Oriente. 22  PERFILNÁUTICO Na parte europeia, diante da asiática, compartilhamse por uma semana duas culturas náuticas, numa das mais importantes exposições do setor e porta de entrada para um mercado que avança com força total na Turquia.
  13. 13. PERFILNÁUTICO  23
  14. 14. MUNDO NÁUTICO SALÃO NÁUTICO DE ISTAMBUL Estaleiro turco Numarine, com um iate de 78 pés em exposição Quinhentas embarcações ocuparam o salão náutico de Istambul. Deste total, cerca de 40 eram as novidades neste importante cruzamento marítimo entre os dois continentes. Todos prontos para navegar ao longo de 8 mil quilômetros de costa, pelos quatro mares diferentes que banham a Turquia. Os grandes estaleiros internacionais exibem seus “cartões de visita” no Eurásia Boat Show, o segundo maior salão em 24  PERFILNÁUTICO terra firme do mundo e um dos dois realizados na Turquia, anualmente. Ele não é um concorrente das feiras náuticas de Miami, Cannes ou Gênova, para citar alguns, mas é um complemento fundamental que reforça a visibilidade dos iates neste lado do mundo. Muitos deles já foram lançados ao mar, ou melhor, ao mercado em outros salões e, mesmo assim, OS GRANDES ESTALEIROS INTERNACIONAIS EXIBEM SEUS CARTÕES DE VISITA NO EURÁSIA BOAT SHOW, O SEGUNDO MAIOR SALÃO EM TERRA FIRME DO MUNDO.
  15. 15. 500 embarcações e 40 novidades no salão turco voltam a exibir sua forma e potência em um contexto histórico, social e econômico bem diferente. Neste momento, no Mar Mediterrâneo, a economia turca é a única que navega em mar de almirante e, por isso mesmo, se torna um farol para os novos investidores do setor. Cinco anos atrás a Turquia tinha apenas 7 mil vagas para barcos em suas marinas. Hoje o governo trabalha para chegar a 12 mil. Os sete pavilhões da feira foram ocupados pelas embarcações e por um mar de importadores e exportadores, compradores e vendedores, designers e visitantes. Eles avaliam de perto as balsas, os iates, as lanchas e os acessórios que o mercado oferece em grande variedade a preços competitivos. Jeanneau, Bavaria, Pricess, San Lorenzo, Azimut, Beneteau são algumas da marcas estrangeiras, enquanto o time da casa é capitaneado pela nave-mãe turca Numarine, com um iate de 78 pés, exposto na entrada, dando as boas-vindas a todos como sendo o maior exemplar à vista dentro do salão. A presença de renomados estaleiros dá bem a ideia do quanto este mercado é estratégico para alcançar novos portos, como Índia, Rússia e China, do lado oriental do planeta, e Venezuela, Colômbia e Brasil na parte ocidental. PERFILNÁUTICO  25
  16. 16. MUNDO NÁUTICO SALÃO NÁUTICO DE ISTAMBUL E, mesmo com os clientes europeus em busca de preços competitivos e qualidade alta, a Turquia seduz pela proximidade com a Europa. O comprador pode, facilmente, viajar ao estaleiro para controlar de perto a construção do barco. A entrega também é facilitada pela ligação marítima. O salão é espartano, por assim dizer, com poucos salamaleques aos visitantes. O luxo está presente apenas a bordo dos iates expostos. E o jeito turco de negociar é evidente e divertido. Os preços são exibidos em letras garrafais, nos anúncios pendurados nos barcos. A TURQUIA SEDUZ PELA PROXIMIDADE COM A EUROPA. O COMPRADOR PODE CONTROLAR DE PERTO A CONSTRUÇÃO DO BARCO No Mar Mediterrâneo, a economia turca navega em mar de almirante 26  PERFILNÁUTICO Alguns iates são verdadeiras joias de tecnologia e design. Impressiona por exemplo, a seleção de barcos “vintage”, como o Nostalgina 800 do estaleiro Kybele Boat, um puro estilo Sloep, que parece ter saído de um filme mudo e em preto e branco. Outros são imitações de sucessos náuticos italianos, como uma lancha bastante semelhante às famosas e caríssimas Rivas, que, em vez de navegar pelos lagos alpinos e pelos canais de Veneza ou pela costa da Riviera, flutuam velozmente pelos Mares Egeu, Negro, de
  17. 17. Mármara e Cáspio, singrando entre uma ilha e outra. A Bella Mia, nome italiano para a cópia turca, é produzida pela A&G Marine, que constrói o casco no quintal de casa e manda buscar os equipamentos náuticos nos Estados Unidos. Muitos modelos ainda são bem originais e, por assim dizer, turcos. É o caso de uma embarcação montada sobre dois flutuadores de aço, como a balsa Carettapontoo, do grupo turco Imtes, em diferentes versões, um exemplo de criatividade e utilidade difícil de ver nos salões de países como França e Itália. Não por acaso, os italianos visitam, com frequência, o país que mais cresce na zona da Europa — a Turquia não faz parte da União Europeia e talvez tenha sido esta a sua salvação neste momento recessivo e dramático daquele continente. Recentemente, dez estaleiros italianos dos setores naval e náutico realizaram missões e encontros, por meio de consórcios, com centenas, isso mesmo, centenas, de fabricantes turcos, interessados em design, acessórios e tecnologia, que ficam localizados no distrito industrial de Tuzla, na grande área metropolitana de Istambul. O jeito turco de negociar é evidente e divertido A cultura náutica na Turquia é bastante desenvolvida. Nos últimos dois anos, vinte empresas italianas refizeram o percurso do explorador veneziano Marco Polo, mas pararam em Istambul. Aqui a mão de obra é especializada, qualificou-se muito nos últimos anos e manteve-se ainda com um custo bem inferior, cerca de 30% abaixo do valor italiano ou francês. PERFILNÁUTICO  27
  18. 18. MUNDO NÁUTICO SALÃO NÁUTICO DE ISTAMBUL A cultura náutica na Turquia é bastante desenvolvida E a indústria turca acompanha as necessidades oferecendo equipamentos nacionais de qualidade. Os resultados são embarcações supreendentes, com design e potência que pouco deixam a desejar aos competidores. Os turcos possuem centenas de estaleiros – cerca de 50 com certificados europeus de qualidade – e fornecedores que, em muitos casos, se 28  PERFILNÁUTICO ajudam reciprocamente. Quem está com menos encomendas pode alugar ou emprestar o espaço e o maquinário para o concorrente em melhor momento. Vinte anos atrás, a principal matéria-prima dos barcos na Turquia era a madeira. Hoje, a ela se somam a resina, os materiais compostos, o alumínio e o aço. A fabricação do casco é a ponta de diamante da indústria e, ainda que a linha de produção de muitos estaleiros não seja completa, alguns fabricantes já controlam todas as fases do processo num único espaço físico. A empresa Numarine (iate a motor) é uma das poucas a realizar tudo. Já o estaleiro Yildiz Gemi, do grupo italiano Perini Navi – que desembarcou na costa turca no fim dos anos 1980 – constrói o casco em Tulza, Istambul, depois realiza as instalações mecânicas,
  19. 19. Vagas em marinas em expansão na Turquia elétricas e hidraúlicas, além do acabamento, na Itália. ISTAMBUL A rotina do país e da cidade é marcada pelas vozes dos chefes religiosos que, cinco vezes ao dia, convocam os fiéis pelos alto-falantes dos minaretes que dominam a paisagem urbana de Istambul. As mesquitas abrem as portas para todos que desejem rezar. Quem vive ou trabalha perto das famosas mesquistas de Suleymaniye e de Santa Sofia (conhecida como a mesquita azul) tem o privilégio de rezar em um dos lugares mais belos e sagrados do Oriente. A paz que reina dentro dos salões das mesquitas é um contraste com a vida caótica de Istambul, onde vivem quase 13 milhões. Isso sem falar na infinidade de balsas, barcas, catamarãs que transportam milhares de passageiros de um lado ao outro do Estreito de Bósforo. O centro histórico abriga o Grande Bazar, um “suk”, com centenas de lojinhas que vendem de tudo, submersas num labirinto onde história, cultura e consumo se cruzam em cada esquina. Mas tudo isto é apenas um aperitivo. O prato principal pode ser servido em restaurantes como o PERFILNÁUTICO  29
  20. 20. MUNDO NÁUTICO SALÃO NÁUTICO DE ISTAMBUL História, cultura e consumo na paisagem urbana de Istambul Beyati, frequentado pela alta burguesia turca – e passagem obrigatória de presidentes e autoridades que visitam Istambul –, ou o Uskumru, debruçado sobre o Estreito de Bósforo e embaixo da ponte que liga a Europa à Ásia. No primeiro, uma espécie de churrascaria turca, experimentam-se as delícias da culinária local, como o döner e o köfte. No segundo é 30  PERFILNÁUTICO possível saborear os frutos do mar com temperos e modos de preparação únicos. Entre uma garfada e outra, descobre-se que no vai e vem das marés, entre o Mar Negro e o de Mármara, a corrente na superfície é de sete nós, naquele sentido. Ao mesmo tempo, no sentido inverso, porém no fundo do estreito, o rio de mar corre a quatro nós por hora. Curiosidades que dão água na boca e vontade de descobrir mais e mais, como os engenheiros do metrô de Istambul que tiveram que suspender um trecho das obras do túnel submarino, porque encontraram restos de um porto romano do tempo em que a cidade se chamava Constantinopla, capital do Império Romano, mas esta é já outra história!
  21. 21. A paz que reina dentro dos salões das mesquitas é um contraste com a vida caótica de Istambul PERFILNÁUTICO  31
  22. 22. MUNDO NÁUTICO SALÃO NÁUTICO DE ISTAMBUL Riza Tansu Elegância turca para alemães... E brasileiros! Por Guilherme Aquino Riza Tansu, 52 anos, é o principal designer turco de iates de luxo e um dos maiores nomes do setor no mercado europeu e asiático. Com uma simplicidade desarmante, ele conversou com a Perfil Náutico em seu estúdio, debruçado sobre o Estreito de Bósforo. Em junho de 2012, Riza Tansu venceu o prêmio Interior Design Award para iates entre os 30 e os 59,99 metros de comprimento, com o iate Bartender, um 119,5 pés. O designer é conhecido pela habilidade e criatividade de revolucionar a geometria, encaixando espaços maiores em áreas menores Riza Tanzu, premiado designer turco 32  PERFILNÁUTICO
  23. 23. conversar sobre o barco. É muito divertido. Existe algo da cultura turca nos seus barcos? Não. Eu não trago nada de tradicional turco para o barco. Tudo nele tem que chegar através de uma função. Realmente, eu gosto de elegância e simplicidade. Eu não gosto de ornamentos excessivos. Tudo tem que ter uma explicação. A janela é assim porque tem um motivo. O “kitsch” polui. Quando somos crianças, somos inocentes, puros. Os meus clientes são assim. As crianças gostam do design essencial, que é o mais fascinante. Como você começou a sua carreira? E o que aconteceu com o seu primeiro barco? Eu sempre gostei de desenhar desde a minha infância. Os barcos são fascinantes e achava que os turcos tinham um futuro na construção de iates, temos uma grande área para isso. Eu comecei a desenhar e a construir o meu barco porque era muito caro comprar. Além disso, eu não tinha experiência. Seria muito difícil eu me oferecer ao mercado e dizer: “eu sou um boat designer”, ninguém iria acreditar ou me dar um projeto. Então decidi ser o meu próprio cliente e pensei: se for um sucesso, eu continuo. Investi na construção do meu barco, um modelo Explorer, um cliente alemão gostou e encomendou um barco igual, um pouco maior. Eu o vendi para um amigo e ele ainda navega 17 anos depois. Era um Explorer de um arquiteto naval conceituado naquele tempo. Ele fez um belo casco, eu fiz o exterior e o interior. O que mais lhe atrai na sua profissão? Yacht designer é uma profissão muito interessante porque você pode praticar muitas disciplinas da arquitetura, como arquitetura interior, o processo industrial, o modelo gráfico, tudo ao mesmo tempo enquanto você cria um projeto. Muitos clientes pedem um emblema no primeiro jantar para EU NÃO TRAGO NADA DE TRADICIONAL TURCO PARA O BARCO. TUDO NELE TEM QUE CHEGAR ATRAVÉS DE UMA FUNÇÃO Quem são eles? Brasileiros e alemães, principalmente. Eles têm gosto e compreendem bem. Tenho agora um cliente brasileiro, é um povo caloroso, eu o encontrei numa de suas casas, no Uruguai. Uma casa bonita e fui ver de perto o estilo de vida, muito “cool”. Eu escolho também os meus clientes que são livres para escolher os designers. Se alguém vem até mim, eu logo entendo se vai ou não funcionar. Mas as pessoas que chegam aqui sabem o que fazemos, quem gosta de “kitsch” não me procura. PERFILNÁUTICO  33
  24. 24. MUNDO NÁUTICO SALÃO NÁUTICO DE ISTAMBUL Elegância e bom gosto em linhas externas e internas Você é um mestre em criar espaço onde ele não existe. Como se faz? Eu acho que deve existir algo em função da utilidade. Em barcos pequenos devemos fazer janelas grandes. Temos sempre que pensar em como transformar os barcos em áreas maiores. A zona aberta precisa ser grande. Se você 34  PERFILNÁUTICO não vai navegar nos mares do norte ou na Patagônia — onde precisaria de uma área interna mais elaborada pelo tempo que vai passar ali dentro–, tem que ter em mente a fórmula de potencializar as dimensões em contato com o oceano. Apartamentos são como barcos. Se você vive num território maravilhoso, tem que desfrutá-lo ao máximo. Meus barcos navegam no Mar Mediterrâneo. Por exemplo, no meu recente projeto para este cliente brasileiro criamos um terraço para a cabine do armador. Com uma porta de correr você tem acesso a uma zona que é somente sua. Este foi um pedido do cliente. Difícil de realizar em um 37 pés, mas conseguimos e ele está muito contente.
  25. 25. MUNDO NÁUTICO HOTEL MARINA ANGRA DOS REIS EM ALTO ESTILO Meliá Angra Marina & Convention Resort. Um lugar para lazer, negócios e com a única marina Bandeira Azul da América do Sul para seu barco Por Angelo Sfair Q uase cem mil metros quadrados de área de preservação natural em meio à Mata Atlântica em Angra dos Reis, uma das regiões mais belas do país. É neste local que está localizado um empreendimento que pode ser uma ótima escolha para relaxar com a família e até mesmo para fazer negócios. Para relaxar com a família ou fazer bons negócios 36  PERFILNÁUTICO
  26. 26. A estrutura conta com um hotel, uma marina e ainda um conjunto residencial, todos administrados independentemente. A marina inclusive ostenta a Bandeira Azul, uma garantia de que ela não agride a natureza local. O Meliá Angra Marina & Convention Resort é voltado para a família que procura descanso e lazer. “O foco está nas atividades para as crianças durante o dia, durante a noite, fazemos o entretenimento dos adultos”, explica o gerentegeral do hotel, Luiz Sanches. Os apartamentos são grandes e oferecem muito conforto e privacidade. Todos eles possuem varandas e banheiras O HOTEL, A MARINA E O CONJUNTO RESIDENCIAL SÃO ADMINISTRADOS INDEPENDENTEMENTE separadas do box. Para quem realmente aprecia quartos amplos, ainda há a opção dos quartos da categoria “Family Rooms”, que são do tipo duplex. Atualmente, o sistema do resort é all-inclusive, garantido uma preocupação a menos para os hóspedes. “Todos os serviços de alimentação e bebidas dos bares e restaurante estão incluídos na diária, além, é claro, dos serviços de lazer”, comenta Sanches. PERFILNÁUTICO  37
  27. 27. HOTEL MARINA Lazer As programações diárias são divididas em várias faixas etárias para atender às necessidades de todos. Para a criançada, por exemplo, há o Kid’s Club. O Meliá Angra Marina & Convention Resort também dispõe de academia, sauna, quadras de tênis e poliesportiva. O que não poderia faltar em um complexo como este são as piscinas. São mais de mil metros quadrados de espelho d’água divididos em três grandes áreas: piscina infantil, piscina adulta e o bar molhado. ÓTIMO ESPAÇO PARA RELAXAR, TOMAR UM DRINQUE E CURTIR MÚSICA AO VIVO Além do bar na piscina, há também o bar do lobby, no qual são preparados coquetéis e servidos os mais variados petiscos. Um ótimo espaço para tomar um drinque e curtir música ao vivo. Para relaxar, talvez a melhor opção seja o espaço da sauna e academia. Lá, encontra-se um spa, com serviços terceirizados de cabeleireiros, massagens e ofurôs. Estes, porém, são serviços cobrados à parte. O Meliá Angra também é uma ótima opção para eventos. “Possuímos uma infraestrutura para eventos sociais, como festas e casamentos, que também pode ser utilizada 38  PERFILNÁUTICO Apartamentos espaçosos e mais de mil metros quadrados de piscinas para eventos corporativos, como reuniões, workshops e exposições”, aponta o gerentegeral. Este espaço tem uma área de 352 metros quadrados, atendendo até 350 pessoas. nisso, no lobby do hotel há uma agência de turismo que vende pacotes para os hóspedes, como city tours para o Rio de Janeiro e Paraty e passeios ao centro de Angra. Turismo e Gastronomia A cidade, fundada em 1530, é a terceira mais antiga do Brasil. O destaque desta visita são as belas igrejas coloniais construídas no século 17. “Outra opção é passear de lancha pelas 350 ilhas da região com pontos para mergulho de Em uma região como Angra dos Reis, tão rica historicamente e conhecida por suas belezas naturais, o que não faltam são opções de passeio. Pensando
  28. 28. snorkel”, destaca Luiz Sanches. “A visibilidade é excelente para avistar as belezas da fauna e da flora marítima.” Já para os amantes de gastronomia, o hotel também não fica devendo. O restaurante Atlântico possui uma cozinha internacional que realiza estações gastronômicas nas quais o chef prepara o prato na hora e na frente do hóspede. Há variedades para todos os gostos, como risotos, massas, yakisoba e crepes. Atualmente, o sistema do resort é all-inclusive costabella marina Outro grande destaque do empreendimento é um prato cheio para os amantes do mar. Anexada ao resort, encontrase a Marina CostaBella. A estrutura conta com 220 vagas secas para barcos de até 60 pés e 20 vagas molhadas para embarcações a motor de até 76 pés. “Em breve a marina será ampliada e poderá receber mais do que o dobro de barcos”, explica o presidente da CostaBella, Uriel Binembau. A parceria com o Meliá Angra, apesar de acontecer com administrações separadas, funciona muito bem para ambos. “Isto acaba facilitando para quem queira vir de barco ao hotel e também para o hóspede que deseja sair em passeios de escuna”, comenta Sanches. Localizada ao fundo da Baía da Ribeira, em uma área de proteção natural da Ilha da Pimenta, a Marina CostaBella foi construída com responsabilidade e priorizando a sustentabilidade. Fato este que pode ser comprovado, já que a marina é a única da América do Sul a receber a Bandeira Azul. “Conquistar esta honrosa certificação é, para nós, motivo de orgulho e responsabilidade, pois além de obter esta certificação temos que mantêla e renová-la todos os anos”, aponta Binembau. PERFILNÁUTICO  39
  29. 29. HOTEL MARINA Preocupação com a segurança e monitoramento 24 horas esTrutura BANDEIRA AZUL Na CostaBella encontramos uma estrutura comparável à das marinas norteamericanas e europeias. O local conta com hangares para barcos de diversos tamanhos, ponte rolante com capacidade de 40 toneladas, duas empilhadeiras negativas para embarcações de 8 a 11 toneladas. Há também empilhadeira e hangar exclusivo para jet skis. “A certificação Bandeira Azul traz consigo a chancela de organizações internacionais, como o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, a Organização Mundial do Turismo, a Organização Mundial da Saúde, entre outros que como estes compõem o Júri Internacional”, explica a coordenadora nacional do projeto, Leana Bernardi. “O programa comemorou há pouco 25 anos de trabalho e credibilidade, sendo considerado hoje o mais importante selo socioambiental para praias e marinas no mundo.” De acordo com Uriel Binembau, a marina oferece serviços de apoio ao navegante dos quais nenhuma outra do Brasil dispõe. Além disso, existem as vagas para lavagem e manutenção e uma grande preocupação com a segurança, com monitoramento 24 horas por dia. HANGARES DIVERSOS, PONTES ROLANTES E DUAS EMPILHADEIRAS NEGATIVAS PARA EMBARCAÇÕES 40  PERFILNÁUTICO A certificação Bandeira Azul é concedida anualmente e durante o período em que a bandeira está hasteada são realizadas visitas de inspeção agendadas e surpresas. A coordenadora do projeto conta como é o processo: “No mês de junho a marina ou praia encaminha a documentação solicitando a certificação e em seguida é realizada uma visita de inspeção. Um mês depois, o Júri Nacional se reúne em Brasília. Sendo aprovada na primeira instância, a documentação é encaminhada ao Júri Internacional, que se reúne em setembro na Dinamarca.” CERTIFICAÇÃO AMBIENTAL Apesar da enorme costa brasileira, apenas três pontos ostentam a Bandeira Azul. Além da Marina CostaBella, a Praia do Tombo, em Guarujá, e a Prainha, no Rio de Janeiro, receberam esta condecoração. Leana aponta a falta de vontade política e o saneamento precário na zona costeira como uma das principais causas deste número aquém do potencial brasileiro. “A conquista da Bandeira Azul não é tão difícil como se imagina, basta cumprir a legislação e desenvolver um bom plano de educação ambiental aliado às boas práticas em ambientes naturais”, afirma Leana. Atualmente, duas praias e uma marina estão na fase piloto do programa, podendo concorrer à certificação para a próxima temporada. SERVIÇO SITE: www.melia-angra-marina.com TELEFONE: 0800 892 1356
  30. 30. MUNDO NÁUTICO EXPEDIÇÃO A travessia do Atlântico de Beto Pandiani e Igor Bely Após dois anos de planejamentos, os aventureiros deram a largada, em um catamarã sem cabine, para um percurso repleto de adversidades e descobertas Por Leo Suzuki O velejador Beto Pandiani, já conhecido pelas suas aventuras a bordo, saiu para mais um desafio em alto-mar. No último dia 20 de março, ele e o francês Igor Bely iniciaram a travessia do Atlântico a bordo do Picolé, um catamarã sem cabine de 24 pés, todo feito de carbono para suportar as condições adversas. Da Cidade do Cabo, na África do Sul, a Ilhabela, em São Paulo, a expedição percorrerá quatro mil milhas náuticas (7.410 quilômetros) em linha reta. No entanto, a viagem se tornará ainda mais longa, já 42  PERFILNÁUTICO que Pandiani e seu parceiro Bely terão de fazer uma parábola para evitar regiões de condições meteorológicas adversas. Sendo assim, ao todo serão percorridas 5 mil milhas náuticas (9.260 quilômetros). A expedição, parcialmente bancada por um financiamento coletivo na internet, até o fechamento desta edição não havia terminado e tem grandes chances de se tornar uma das mais desgastantes da carreira de Pandiani. Mesmo tentando evitar zonas de tempo ruim no Oceano Atlântico, o Picolé está sofrendo com os fortes ventos e seus tripulantes com o frio nessa parte do planeta. Foram muitos os preparativos para iniciar a expedição. Em território africano, o veleiro ganhou reforço por fora e por dentro, no berço cinza, onde vai a travessa. Várias camadas de carbono foram laminadas dentro do casco e a instalação elétrica foi reavaliada, assim como a configuração dos eletrônicos e os ajustes de velas.
  31. 31. Munidos com alimentos como presunto cru, pasta com pesto, biscoitos de carne, frutas e muita água, os aventureiros deram a largada à empreitada a partir da Cidade do Cabo. Como era de se esperar, nas primeiras horas da expedição, eles já sofreram com variações de ventos e ondas descontroladas. Pandiani relatou que havia se AO TODO SERÃO PERCORRIDAS 5 MIL MILHAS NÁUTICAS (9.260 QUILÔMETROS) Beto Pandiani e Igor Bely, mais um desafio em alto-mar esquecido de “como era duro o começo”. Desde o início do percurso, eles estabeleceram revezar o leme para evitar colisões indesejadas com os cargueiros. Durante a noite, quando o mar está manso, eles aproveitam os minutos de sono na espreita. Ao clarear, revezam o comando do Picolé. Desde então, Pandiani e Bely já passaram por zonas de naufrágio na Namíbia, tiveram de escolher parábolas para passar na temida Costa dos Esqueletos, enfrentaram o calor dos trópicos, dentre outros testes de resistência. No decorrer da expedição, que está com chegada prevista para o final do mês de abril em Ilhabela, litoral norte de São Paulo, a Perfil Náutico acompanhou pelo Tumblr (travessiadoatlantico.tumblr. com) que a dupla estava quase na metade da viagem. Enquanto isso, eles navegam e encaram as adversidades desse grande percurso e se entretêm registrando tudo em texto, foto e vídeo. Na próxima edição da revista, mostraremos os momentos mais inóspitos pelos quais os velejadores passaram. Conheça, agora, um pouquinho sobre a história dessa corajosa dupla! A dupla a bordo do catamarã Picolé PERFILNÁUTICO  43
  32. 32. MUNDO NÁUTICO EXPEDIÇÃO BETO PANDIANI O santista Roberto Pandiani, 55, é formado em Administração e há 18 anos realiza expedições de alta performance pelos mais temidos mares do mundo, a bordo de catamarãs sem cabine. Ele é filho do velejador italiano Corrado Pandiani, que conquistou prêmios nacionais, internacionais e coleciona marcas vitoriosas na história da vela mundial. No final dos anos 1990, ele resolveu assumir a vela como profissão e negócio. Suas expedições originaram cinco títulos pela Editora Terra Virgem (Entre Trópicos, Rota Austral, Travessia do Drake, Rota Boreal e Travessia do Pacífico) e um livro de histórias pela Editora Grão: O Mar É Minha Terra. IGOR BELY O francês Igor Bely, 29, é formado em Engenharia Mecânica em Lyon, na França. Ele viveu seus primeiros 18 anos a bordo do veleiro de seus pais. Realizou sua primeira viagem à Antártica com dois anos de idade e aos três anos foi personagem da reportagem de TV “Igor na Antártica”, produzida pela então Rede Manchete. Com mais de 200 mil milhas (400 mil quilômetros) navegadas, tem em sua trajetória mais de 20 expedições à Antártica e a regiões polares como Groenlândia, Labrador, Geórgia do Sul, Alaska e Cabo Horn. Participou como apoio de duas expedições polares do velejador Roberto Pandiani (Travessia do Drake e Rota Boreal) e foi também velejador na Travessia do Pacífico. 44  PERFILNÁUTICO
  33. 33. CAPA BARCOS DE 35 E 36 PÉS Prontos para cruzeiro 46  PERFILNÁUTICO
  34. 34. Com características que os tornam especiais, os barcos de 35 e 36 pés já são considerados embarcações luxuosas, com um detalhe que faz toda a diferença: a vantagem do preço Por Amanda Kasecker PERFILNÁUTICO  47
  35. 35. CAPA BARCOS DE 35 E 36 PÉS Sessa C36, ambiente planejado para o conforto no pernoite C amarotes espaçosos, cozinha completa, boa motorização, tecnologia de ponta. A descrição pode parecer de um grande iate, mas não é. Hoje em dia, os barcos com média de tamanho de 35 e 36 pés têm tudo isso e mais um pouco. Ou seja, são embarcações hoje os barcos de 35 e 36 pés têm tudo e mais um pouco 48  PERFILNÁUTICO bastante completas em relação a uma de 20 pés, mas ainda têm um preço mais acessível quando comparadas as lanchas com mais de 40 pés. É o barco ideal para aqueles que estão no caminho para um dia conquistar o seu iate milionário. tecnologia que comporte arcondicionado, televisão e demais aparelhos, e ainda uma boa motorização que traga aos passageiros uma navegação confortável, tudo isso nada mais é do que uma ótima infraestrutura. Mas o que faz com que um barco desse tamanho tenha essa característica tão especial? A Perfil Náutico conversou com alguns estaleiros para saber quais os principais pontos marcantes dessas embarcações e, nessa pesquisa, a palavra infraestrutura ganhou destaque. Afinal, cabines mais espaçosas, Espaço para se sentir em casa De acordo com o proprietário do estaleiro Sessa Marine, Massimo Radice, as cabines maiores são um dos grandes diferenciais das embarcações de 35, 36 pés. “Esse tamanho de barco já possibilita camarotes
  36. 36. mais espaçosos”, afirma. “Eles já acomodam até cinco pessoas confortavelmente para pernoite, banheiros com sistema de ducha e cozinha completa.” No caso especial da Sessa Marine, o barco da categoria é a Cruiser 36, que, não por acaso, herdou muita coisa de outro barco do estaleiro: a C68. “A C36 mantém também todas as características que fizeram dela (C68) um sucesso, como o conforto na navegação, desempenho esportivo, luz, espaço, transparência, originalidade e qualidade dos materiais.” A infraestrutura que um barco de 36 pés oferece é o grande diferencial por trazer comodidade e conforto completos aos tripulantes. Esses barcos precisam ter cabine com pé-direito alto, ar-condicionado, gerador, água quente, banheiro confortável, camas para quatro ou mais pessoas, cozinha completa, som, televisão, entre outros atributos, tudo para tornar a experiência de pernoite tão ou mais prazerosa do que a de passeio. Os barcos dessa categoria oferecem uma proteção maior, tanto contra frio e chuva como para o passageiro. “É um iate para passar o fim de semana viajando, com todo o conforto e comodidade”, resume Tomas Freitag, proprietário cabines espaçosas são um dos grandes diferenciais para quem quer passar um pernoite a bordo do estaleiro Cimitarra, que nessa categoria disponibiliza a 360 Hard Top, uma lancha homologada para passeio com até 12 pessoas — incluindo o piloto — e toda equipada com os requisitos de segurança, como uma estrutura própria para extintores de incêndio, coletes salva-vidas e demais itens. Tecnologia mais completa Cimitarra Soft 360 HT, pé-direito alto faz toda a diferença Além do tamanho, do conforto e das cabines, quando se compara um barco da categoria 35, 36 pés com os da faixa de 20 pés, não se pode deixar de fora o quesito tecnologia. “Um barco desse tamanho apresenta mais equipamentos e tecnologia mais complexa, como sistema elétrico 120 e 220 volts, gerador, ares-condicionados diferenciados por ambiente, hardtop com sistema elétrico de movimentação do teto e limpador de para-brisa como os de carro”, explica Massimo Radice, da Sessa Marine. PERFILNÁUTICO  49
  37. 37. CAPA BARCOS DE 35 E 36 PÉS SESSA CRUISER C36 56  PERFILNÁUTICO
  38. 38. A C36 é equipada com um moderno hardtop elétrico S ão 11,3 metros de comprimento total projetados pelo designer Christian Grande. O destaque da Cruiser C36, da Sessa Marine, estaleiro italiano instalado em Santa Catarina, está no conceito de modularidade. Isto é, o armador tem a opção de utilizar todos os ambientes com máxima privacidade e com acesso independente à área da cozinha e ao cockpit – mesmo quando há outro casal acomodado na embarcação. os detalhes do barco – nas ferragens e acessórios, como torneiras e maçanetas, no estofamento feito à mão – e a tecnologia empregada dentro da embarcação possui certificação Rina, uma das mais antigas sociedades de classificação naval do mundo, atuando no Brasil desde 1993. A cabine da lancha possibilita total liberdade de escolha. O navegador pode optar pelo modo “open space”, por meio de uma zona living e uma única cabine, ou então criar duas cabines, uma à proa e uma à popa, através da parede móvel, com acessos independentes para cada uma. A C36 é equipada com um moderno hardtop elétrico, apresenta exclusivo design em todos PERFILNÁUTICO  57
  39. 39. CAPA BARCOS DE 35 E 36 PÉS bAyliner 350 special edition 58  PERFILNÁUTICO
  40. 40. Projeto que privilegia o aproveitamento de espaços O grande destaque da Bayliner 350 Special Edition é o projeto que privilegia o aproveitamento de espaços. A plataforma de popa é equipada com sofás deslocáveis e com porta-objetos por todos os cantos da embarcação. Entre o sofá principal e o assento do cockpit, há uma portinhola no meio do parabrisa, a qual dá acesso à proa do barco. O cockpit é todo de madeira laminada. A 350 Special, com quase 11 metros de comprimento total, pode ser equipada com dois motores – a diesel ou a gasolina – de até 300 HP. A cabine é prática e funcional com amplo espaço para os tripulantes transitarem à vontade. Na cozinha, uma aparelhagem completa — com micro-ondas, armários projetados, pia de aço inoxidável, fogão de cerâmica e geladeira — facilita a vida de quem está a bordo. No espaço de convivência, há churrasqueira integrada com pia e torneira, o que permite mais praticidade ao utilizála.Na sala de estar, televisor de LCD com leitor de DVD, além do sofá que pode ser transformado em cama, o que torna esse espaço mais uma opção para pernoite de convidados. A embarcação, produzida na fábrica da Brunswick em Joinville, Santa Catarina, também conta com um camarote fechado na meianau, com bom acabamento e conforto. PERFILNÁUTICO  59
  41. 41. CAPA BARCOS DE 35 E 36 PÉS SEA RAy SUNDANCER 350 60  PERFILNÁUTICO
  42. 42. Na cabine, cama island-style e sala repleta de acessórios A Sundancer 350 foi lançada em setembro de 2012 pelo estaleiro americano Sea Ray. A lancha começou a ser fabricada no Brasil este ano pela empresa Brunswick Boat – estaleiro localizado em Joinville, Santa Catarina, do qual a Sea Ray faz parte. A 350 é uma day cruiser moderna com comprimento total de quase 11 metros, incluindo a plataforma de popa integrada. O modelo tem cockpit social com banco do piloto duplo e rebatível, sofás com espreguiçadeiras, amplo espaço para guardar equipamentos e componentes eletrônicos. O salão é equipado com sofá revestido com tecido ecológico Ultraleather, armários e gabinetes, além de televisor e DVD. Na cozinha, móveis planejados, micro-ondas, geladeira e fogão com duas bocas. Na cabine, uma cama island-style e uma luxuosa sala repleta de acessórios personalizáveis. A lancha é homologada para 12 passageiros e seis pessoas no pernoite. O barco é construído em ângulo V profundo, oferecendo assim uma correta distribuição de peso e consequentemente uma melhor navegação. A motorização da Sundancer 350 de centro-rabeta, na versão básica, possui dois motores MerCruiser 350 Mag Tec Bravo com 300 HP cada, a gasolina. PERFILNÁUTICO  61
  43. 43. CAPA BARCOS DE 35 E 36 PÉS SESSA CRUISER C36 56  PERFILNÁUTICO
  44. 44. A C36 é equipada com um moderno hardtop elétrico S ão 11,3 metros de comprimento total projetados pelo designer Christian Grande. O destaque da Cruiser C36, da Sessa Marine, estaleiro italiano instalado em Santa Catarina, está no conceito de modularidade. Isto é, o armador tem a opção de utilizar todos os ambientes com máxima privacidade e com acesso independente à área da cozinha e ao cockpit – mesmo quando há outro casal acomodado na embarcação. os detalhes do barco – nas ferragens e acessórios, como torneiras e maçanetas, no estofamento feito à mão – e a tecnologia empregada dentro da embarcação possui certificação Rina, uma das mais antigas sociedades de classificação naval do mundo, atuando no Brasil desde 1993. A cabine da lancha possibilita total liberdade de escolha. O navegador pode optar pelo modo “open space”, por meio de uma zona living e uma única cabine, ou então criar duas cabines, uma à proa e uma à popa, através da parede móvel, com acessos independentes para cada uma. A C36 é equipada com um moderno hardtop elétrico, apresenta exclusivo design em todos PERFILNÁUTICO  57
  45. 45. CAPA BARCOS DE 35 E 36 PÉS bAyliner 350 special edition 58  PERFILNÁUTICO
  46. 46. Projeto que privilegia o aproveitamento de espaços O grande destaque da Bayliner 350 Special Edition é o projeto que privilegia o aproveitamento de espaços. A plataforma de popa é equipada com sofás deslocáveis e com porta-objetos por todos os cantos da embarcação. Entre o sofá principal e o assento do cockpit, há uma portinhola no meio do parabrisa, a qual dá acesso à proa do barco. O cockpit é todo de madeira laminada. A 350 Special, com quase 11 metros de comprimento total, pode ser equipada com dois motores – a diesel ou a gasolina – de até 300 HP. A cabine é prática e funcional com amplo espaço para os tripulantes transitarem à vontade. Na cozinha, uma aparelhagem completa — com micro-ondas, armários projetados, pia de aço inoxidável, fogão de cerâmica e geladeira — facilita a vida de quem está a bordo. No espaço de convivência, há churrasqueira integrada com pia e torneira, o que permite mais praticidade ao utilizála.Na sala de estar, televisor de LCD com leitor de DVD, além do sofá que pode ser transformado em cama, o que torna esse espaço mais uma opção para pernoite de convidados. A embarcação, produzida na fábrica da Brunswick em Joinville, Santa Catarina, também conta com um camarote fechado na meianau, com bom acabamento e conforto. PERFILNÁUTICO  59
  47. 47. CAPA BARCOS DE 35 E 36 PÉS SEA RAy SUNDANCER 350 60  PERFILNÁUTICO
  48. 48. Na cabine, cama island-style e sala repleta de acessórios A Sundancer 350 foi lançada em setembro de 2012 pelo estaleiro americano Sea Ray. A lancha começou a ser fabricada no Brasil este ano pela empresa Brunswick Boat – estaleiro localizado em Joinville, Santa Catarina, do qual a Sea Ray faz parte. A 350 é uma day cruiser moderna com comprimento total de quase 11 metros, incluindo a plataforma de popa integrada. O modelo tem cockpit social com banco do piloto duplo e rebatível, sofás com espreguiçadeiras, amplo espaço para guardar equipamentos e componentes eletrônicos. O salão é equipado com sofá revestido com tecido ecológico Ultraleather, armários e gabinetes, além de televisor e DVD. Na cozinha, móveis planejados, micro-ondas, geladeira e fogão com duas bocas. Na cabine, uma cama island-style e uma luxuosa sala repleta de acessórios personalizáveis. A lancha é homologada para 12 passageiros e seis pessoas no pernoite. O barco é construído em ângulo V profundo, oferecendo assim uma correta distribuição de peso e consequentemente uma melhor navegação. A motorização da Sundancer 350 de centro-rabeta, na versão básica, possui dois motores MerCruiser 350 Mag Tec Bravo com 300 HP cada, a gasolina. PERFILNÁUTICO  61
  49. 49. CAPA BARCOS DE 35 E 36 PÉS PHOENIX 360 platinum 62  PERFILNÁUTICO
  50. 50. Cockpit inovador com solário de popa para quatro pessoas O modelo 360 Platinum é o top de linha da família Phoenix Boats, estaleiro localizado em Maceió (AL) que mais vende barcos no país. A lancha com quase três metros e meio de largura total alia robustez, segurança e muito conforto. O casco, derivado do modelo 360 Full, oferece dimensões e aproveitamentos únicos. A 360 Platinum garante espaço para até cinco adultos no pernoite. O cockpit é inovador. O solário de popa, para quatro pessoas, possui banco rebatível que se transforma em dois – um voltado para a água e outro para entrada da cabine. Na extensa plataforma de popa, há cozinha gourmet e churrasqueira, teca sintética no piso, espreguiçadeira ao lado do banco duplo do piloto, armários em toda a cabine, além de geladeira, bar e minicozinha de apoio, um conjunto de facilidades que permitem um ótimo aproveitamento da área externa. Com uma das maiores cabines da categoria, a 360 Platinum possui sala de estar, janelas panorâmicas, copa com micro-ondas e fogão de duas bocas, cama de casal à meianau com privacidade e cama de casal king size na proa compatível com as suítes de hotel. O banheiro é ventilado, com box fechado e armários como em uma residência. PERFILNÁUTICO  63
  51. 51. CAPA BARCOS DE 35 E 36 PÉS CIMITARRA 360 soft hard top 64  PERFILNÁUTICO
  52. 52. O cliente pode customizar a embarcação C om design inspirado nos modelos europeus e conceito “day cruiser”, que alia linhas elegantes com excelente distribuição de espaço, a Cimitarra 360 Soft Hard Top foi lançada no mercado em outubro de 2009. A embarcação, com 11 metros de comprimento máximo e capacidade para 12 passageiros, possui uma suíte, dois dormitórios, dois toaletes, sala de estar, cozinha, churrasqueira na plataforma, além de teto solar na cabine e teto retrátil. A motorização, de centrorabeta, vai de 320 a 520 HP. A Soft 360 é totalmente equipada com os requisitos de segurança necessários, como extintores de incêndio e coletes salva-vidas, por exemplo. A instalação elétrica é terceirizada e feita pela empresa catarinense CS Náutica. O cliente tem também a oportunidade de customizar a embarcação como quiser, podendo equipá-la com os melhores instrumentos e tecnologia, como GPS, câmeras de segurança e ecobatímetro, além de poder personalizar a decoração ao escolher a cor da estofaria, a madeira, os mármores e a fachada lateral. A Soft 360 é produzida no estaleiro Cimitarra, localizado no município de Vera Cruz, no Rio Grande do Sul. PERFILNÁUTICO  65
  53. 53. CAPA BARCOS DE 35 E 36 PÉS LOBSTER L35 SPORT 66  PERFILNÁUTICO
  54. 54. Estilo clássico, marca do estaleiro Kalmar A embarcação Lobster L35 Sport destacase nessa matéria por ser a única com design no estilo clássico, marca registrada do estaleiro catarinense Kalmar. O barco apresenta um layout desenvolvido para a pesca esportiva. Possui maior espaço na praça de popa pelo fato de sua cabine ser mais reduzida em relação às demais da categoria. O modelo é totalmente construído com madeira laminada e resina epóxi, material altamente resistente e durável. O barco, com quase 11 metros de comprimento total, é produzido pelo método cold molding, que forma uma estrutura forte, leve e resistente à umidade. O casco do L35 Sport é semideslocante e seu interior tem alto padrão de acabamento, com madeira aparente, o que remete ao estilo clássico, porém cheio de tecnologia moderna aplicada. Possui banheiro, cozinha, cama, armários, ar-condicionado, TV e DVD, salão e comando em um só ambiente. PERFILNÁUTICO  67
  55. 55. CAPA BARCOS DE 35 E 36 PÉS PORTOFINO FLY 35 68  PERFILNÁUTICO
  56. 56. O destaque na Portofino Fly 35 é, como o próprio nome já diz, o flybridge, um diferencial para a categoria. A largura do casco mede aproximadamente quatro metros – segue quase que paralelamente até a linha d’água, oferecendo sustentação e apoio para a embarcação. Com 11 metros de comprimento total, o barco é homologado para 12 passageiros. No pernoite, pode abrigar até cinco pessoas. Outro destaque é a tecnologia aplicada no casco, Step V, que torna a embarcação hidrodinâmica, pois o atrito do casco com a água é diminuído consideravelmente. Na parte íntima do modelo há dois banheiros e dois camarotes, o de proa e um na meia-nau. O salão é equipado com sofá em formato de L e mesa com altura regulável. A área externa é dividida em dois ambientes: o solário de proa, com acesso por meio de passadiços laterais, e a praça de popa com sofá central, espaço gourmet com cozinha completa – pia e tampo de Corian DuPont, fogão vitrocerâmico, micro-ondas e frigobar. O cockpit é dividido em duas áreas por meio de uma porta deslizante de vidro de quatro partes, separando-o do grande salão e cozinha. A motorização da Fly 35, na versão básica, é feita com dois Volvos Penta D4 com 260 HP cada, a diesel, e sua fabricação é feita pela Portofino Yachts, localizada em Jacareí, na região do Vale do Paraíba, interior de São Paulo. No salão, cozinha completa, com pia e tampo de Corian DuPont PERFILNÁUTICO  69
  57. 57. Canal Náutico Bem-estar a bordo: característica de um barco Azimut VIEMOS PARA FICAR! CEO da Azimut do Brasil afirma fortalecimento do estaleiro italiano no país Por Leo Suzuki Com investimento em serviços e uma renovada rede de dealers, a Azimut do Brasil, após dois anos instalada em Itajaí, litoral de Santa Catarina, aprofunda suas raízes e prevê crescimento para este ano, pegando carona no impulso econômico do país. O grupo italiano – composto por quatro marcas: Azimut Yachts, Atlantis, Benetti e Azimut Grande – é considerado o 70  PERFILNÁUTICO mais prestigiado construtor de embarcações de luxo e megaiates do mundo. A fábrica de 25 mil metros quadrados é dividida em duas áreas: um galpão exclusivo para laminação e produção, e outro reservado à sede administrativa. O projeto, que ainda não foi concluído entretanto, pretende ocupar nos próximos anos uma área total de 45 mil metros quadrados, com 50% da área coberta. Atualmente, a Azimut do Brasil emprega 300 profissionais que atuam na construção de iates e na rede de atendimento, serviços e pós-vendas. Aqui no país são produzidos os modelos de 48, 60 e 70 pés da marca Azimut Yachts, e recentemente foi lançada a área de seminovos com o seleto multimarcas Pre-Loved-Yachts. Além disso, há o suporte para clientes que optam pelos barcos importados do estaleiro.
  58. 58. Davide Brevigliere, CEO da Azimut do Brasil, e a fábrica em Itajaí (SC) O BRASIL ENCONTRA-SE EM UM PERÍODO DE GRANDE EXPANSÃO DO MERCADO NÁUTICO E A AZIMUT, SEGUNDO BREVIGLIERE, ACOMPANHA ESSE PROGRESSO Embarcações imponentes e de beleza irretocável – nos quais se aliam conforto, segurança, tecnologia, design e elegância para os interiores – são características do grupo que atua há mais de 40 anos no mercado náutico. Segundo o CEO da Azimut do Brasil, Davide Brevigliere, as estratégias de fortalecimento e posicionamento da marca no país são certeiras: “A Azimut reconhece o grande potencial náutico brasileiro e quer crescer junto ao mercado, colocando-se como um grupo de confiança e cada vez mais brasileiro.” Com o intuito de absorver as necessidades e desejos do consumidor brasileiro, desde a chegada da Azimut ao país, foram promovidas diversas Confrarias Náuticas para apresentar novidades e interagir diretamente com os compradores e apaixonados pelo mar. O Brasil encontra-se em um período de grande expansão do mercado náutico e a Azimut, segundo Brevigliere, acompanha esse progresso. “Estamos fortalecendo o nosso processo de serviços, estruturando uma rede de dealers Azimut para lidar diretamente com todas as exigências e necessidades dos consumidores”, enfatiza. “Contamos com a parceria da First Yacht, para atender a Região Sul e São Paulo, e da Yacht Collection, que atende o Rio de Janeiro, Minas Gerais e o Nordeste.” PERFILNÁUTICO  71
  59. 59. Canal Náutico Brevigliere é pontual ao afirmar que o mercado nacional irá apreciar cada vez mais a cultura náutica italiana e o estilo de vida Azimut. “Viemos para ficar. Nosso objetivo é expandir o negócio e aumentar a produção ano a ano. Tenho certeza que o Brasil apreciará cada vez mais o apaixonante mundo náutico e teremos muito orgulho de participar deste processo.” Além da fábrica no sul do país, o grupo AzimutBenetti possui em todo o mundo uma rede de 70 concessionários, com 138 escritórios em 68 países. Ao todo, são nove fábricas com área total de 650 mil metros quadrados. NOSSO OBJETIVO É EXPANDIR O NEGÓCIO E AUMENTAR A PRODUÇÃO ANO A ANO Davide Brevigliere, CEO da Azimut do Brasil Azimut 70: puro luxo e sofisticação O destaque atual da Azimut Yachts é o modelo 70, que começou a ser fabricado também no estaleiro de Itajaí. Parte da coleção Flybridge, a lancha é adequada aos mares brasileiros e direcionada para um público exigente, que busca qualidade de vida a bordo. A Azimut 70 está equipada com dois motores MAN V12 Commonrail de 1.360 cv cada um, que proporcionam 28 nós de velocidade de cruzeiro e 32 nós de velocidade máxima. 72  PERFILNÁUTICO A área do flybridge — a maior da categoria, com 30 metros quadrados — contém sofá, mesa para oito pessoas, um amplo solário e lugar para transportar jet ski ou um barco pequeno. O deque inferior é composto por quatro cabines e quatro banheiros, que acomodam confortavelmente oito pessoas, além do amplo salão principal com sala de estar, jantar e cozinha. A decoração emprega todo o estilo italiano, com mármore nos banheiros, couro e tecidos delicados. O convés principal do iate tem mais de 15 metros quadrados de janelas, desenhadas pelo designer italiano Stefano Righini, garantindo uma iluminação natural diferenciada na embarcação.
  60. 60. QUEM TEM GVT NÃO VIVE MAIS SEM. Na GVT, você tem Banda Larga de até 150 Mega sem limites de download e upload e recebe a velocidade contratada. Tem Telefone Fixo com ligações ilimitadas para fixo e até de graça para celular. Uma TV por Assinatura superinterativa com HDTV em todos os pacotes e acesso a redes sociais direto na tela da TV. Além de um atendimento que está sempre buscando oferecer o melhor serviço para você. Por isso, quem tem GVT não fica mais sem. LIGUE 103 25 www.vocenofuturohoje.com.br VERIFIQUE SE OS SERVIÇOS ESTÃO DISPONÍVEIS NA SUA LOCALIDADE. A VELOCIDADE ESTÁ SUJEITA A VERIFICAÇÃO NO ATO DA INSTALAÇÃO. Franquia ilimitada para fixo e ligações para 2 celulares cadastrados no Plano GVT Ilimitado Local (PAS 042/POS/Local) e GVT Ilimitado Total (PAS 043/POS/Local) sob condições promocionais. Para melhor usufruir os serviços HD da GVT TV, recomenda-se a utilização de uma TV de alta definição. Acesso a YouTube, Instagram e Facebook. Melhor Atendimento em Telefonia Fixa e Banda Larga, de acordo com as Pesquisas Ranking IBRC/Revista Exame 2012, Gallup maio/2012, e Pesquisa CVA Solutions 2012. Consulte os termos no portal www.gvt.com.br.
  61. 61. Canal Náutico PARCERIA dE POTêNCIA A FPT Industrial e a Caterpillar assinaram um acordo na área de motores para barcos de lazer com o objetivo de desenvolver novos modelos de motores marítimos. A parceria entre os dois fabricantes de motores a diesel representa o encontro adequado entre as inovações e os desenvolvimentos da FPT com a vasta experiência no setor marítimo e a presença global da rede da Caterpillar. Os clientes poderão usufruir de motores com mais economia de combustível e com os melhores números de potência, torque e resposta do mercado. A FPT irá dobrar sua produção de propulsores marítimos e inovar com projetos sofisticados, aliando facilidade de instalação e manutenção. A Caterpillar, por meio da tecnologia de ponta da FPT, vai oferecer para os fabricantes de iates uma ampla gama de potência de 650 mhp a 1.000 mhp com os novos Cat® C8.7 e Cat® C12.9, com cilindrada de 8,7 L e 12,9 L. Os produtos serão fabricados na França e preparados para o uso marítimo na Itália. Para atender os requisitos únicos dos clientes, cada motor poderá contar com diversas configurações diferentes, todas de acordo com a regulamentação de emissões de poluentes Tier 3. www.fptindustrial.com Parceria entre a FTP Industrial e a Caterpillar 74  PERFILNÁUTICO
  62. 62. Canal Náutico A EVOLUÇÃO DAS SONDAS A Dragonfly DownVision, da Raymarine, é considerada uma evolução das sondas, pois se diferencia das tradicionais pela resolução Chirp. A tecnologia proporciona imagens em alta resolução e detecta o fundo do mar como nunca visto antes. Enquanto as sondas digitais e analógicas trabalham com frequências de 50 e 200 KHz, a Chirp trabalha com todas as frequências no intervalo de 50 a 230 KHz – conseguindo utilizar sempre a melhor frequência para cada caso. O Dragonfly é ideal para a pescaria e para batimetria de um local. www.marinexpress.com.br ATRACAÇÃO SEGURA As defensas infláveis da marca francesa Fendress chegam ao mercado nacional por meio da rede de varejo e atacado náutico Regatta. Os infláveis são especialmente projetados para a proteção na atracação de embarcações de 60 a 65 pés. Costurados com tecido de Kevlar, são resistentes e leves, além da prátios e rápidos ao inflar e desinflar. www.fendress.fr 76  PERFILNÁUTICO
  63. 63. PERFILNÁUTICO  87
  64. 64. Canal do Construtor Canal do Construtor COLANDO A VÁCUo parte 2 A seleção dos materiais depende da temperatura e do tipo de resina ou adesivo aspirador de pó industrial ou adaptações. A escolha da potência da bomba irá depender do tamanho do molde e da velocidade de retirada do ar. Ela precisa ter um filtro para reter as partículas sólidas e o vapor da resina e deve ser testada antes. A bolsa deve ser 20% maior que a área de colagem Para aplicações de colagem a vácuo na temperatura ambiente, os materiais descartáveis são especificados para uma operação mínima em 120 graus centígrados. Os materiais para uso no sistema a vácuo também devem oferecer resistência aos solventes, como, por exemplo, o monômero de estireno. Quando se combinam alta temperatura e solventes, as características dos produtos descartáveis devem ser reavaliadas. Para prevenir perfurações, os filmes de vácuo devem ser fabricados a partir da laminação de vários filmes finos colados e podem ter espessuras que variam entre 88  PERFILNÁUTICO 50 e 75 mícrons. Sempre use uma bolsa 20% maior que a área de colagem para permitir o ajuste perfeito nos cantos mais complexos do molde. Para o fechamento da bolsa de vácuo, deve ser usada uma fita emborrachada com dupla face, de 12 a 15 milímetros de largura. Além dos produtos descartáveis, o construtor deve ter válvulas, mangueiras e conexões para ligar o sistema de vácuo na peça. As mangueiras de passagem de vácuo devem ser resistentes a pressões negativas de pelo menos três vezes a pressão de vácuo. O construtor deve sempre usar uma bomba de vácuo apropriada, e não um A melhor forma de se colocar as linhas de vácuo é na parte externa do molde. A transferência da sucção pode ser feita através de uma camada de tela plástica tridimensional ou outro material que mova o ar uniformemente através da peça. A linha de vácuo pode ser feita com uma mangueira em forma de espiral, conhecida como espiroduto, e o diâmetro desta linha pode variar dependendo da taxa de vácuo requerida para o laminado. UMA BOMBA DE VÁCUO NÃO CUSTA SEQUER PARTE DO PREJUÍZO QUE SE PODE TER IMPROVISANDO Se o construtor estiver usando o processo de laminação a vácuo para a colagem de material sandwich, a bolsa deve ser testada sobre o núcleo posicionado ainda sem adesivo. Toda a espuma deve ser pré-cortada com precisão, usando-se um gabarito, evitando espaços vazios entre as placas ou mesmo no seu contorno. Se isto não acontecer, o desenho dos gabaritos terá que ser ajustado.
  65. 65. Se a espuma de PVC é usada na forma de placa plana, é necessário perfurar as placas para permitir que o ar encapsulado sob elas possa ser removido. Existe uma série de tipos de cortes específicos para a espuma de modo que ela possa ser usada com maior eficiência na colagem a vácuo. Espumas com cortes e perfurações oferecem grande versatilidade para conformação, curvatura, moldagem, ajuste e colagem de material sandwich. Use um filme de adesivo que seja compatível com a espessura do material sandwich. Deposite as placas de espuma e ajuste as bordas de modo que não existam espaços vazios. Sobre a espuma, coloque uma tela para transferir o ar do interior da bolsa para a linha de vácuo posicionada na borda do molde. Feche a bolsa de vácuo com uma linha sólida de Tacky Tape e em seguida abra parcialmente o sistema de vácuo. Ajuste aos poucos os cantos da peça comprimindo de forma homogênea todo o laminado. Mantenha a pressão baixa por um bom espaço de tempo até que todo o perímetro da peça esteja O AJUSTE DO TEMPO DE CURA É FUNDAMENTAL PARA O SUCESSO DO PROCESSO ajustado e acione toda a pressão de vácuo. Finalmente confira o ajuste da bolsa nos cantos mais difíceis para assegurar uma linha de colagem estável e perfeita. Para a colagem do material sandwich, utilize uma pressão máxima de 0,8 atm. No caso de peças menores é aconselhável não ultrapassar a pressão de 0,6 atm. Imperfeições no laminadobase, um filme muito fino de adesivo ou uma pressão muito alta irão reduzir muito o poder de adesão entre as duas camadas. Jorge Nasseh Colagem do material sandwich Construtor Canal do Construtor Ajuste e colagem Para a colagem do material sandwich, a camada externa já deverá estar laminada e curada. A partir deste ponto o laminado receberá um filme de adesivo e o material sandwich. Dependendo da área de colagem e da resina-base das camadas de laminação externa e interna, o fabricante pode usar adesivos à base de resina epóxi ou poliéster. O ajuste do tempo de cura é fundamental para o sucesso do processo. Se o adesivo secar antes, todo o trabalho estará perdido.
  66. 66. Algum desses pode ser o seu próximo barco Índice Nesta edição destacamos barcos de diferentes tamanhos, estilos e fabricação. Nas próximas páginas você confere a sportfishing da Sedna, o XF 335; o veleiro Dufour 500, que chega pela primeira vez ao Brasil, após grande sucesso internacional. Entramos na luxuosa Sea Ray 540 Sundancer e no maior iate produzido no país com base italiana, o Schaefer 800. Exploramos a história e o sucesso da Ventura Marine, que completa 30 anos em 2013. 91 Sedna XF 335 99 Veleiro Dufour 500 107 540 Sundancer 115 Schaefer 800 123 Estaleiro Ventura 90  PERFILNÁUTICO O moderno projeto norte-americano da compacta sportfishing da Sedna Know-how a bordo O esportivo mais sofisticado da Sea Ray O superiate brasileiro com raiz italiana O trintão brasileiríssimo
  67. 67. Canal Náutico O BARCO MAIS RESISTENTE DO MUNDO Modelo Triumph 195 CC: casco com parede dupla em polietileno Os barcos Triumph são conhecidos mundialmente como os mais resistentes pela fabricação em polietileno marinho com anti UV, projetado para uso prolongado sob a luz solar. Nunca necessitam de pintura, pois é mantida a coloração original do próprio material. Testes comprovaram que o polietileno tem cinco vezes mais resistência a impactos do que a fibra de vidro e é muito simples de manter, limpar e reparar. Dispensa polimento, cera ou gelcoat, além de ser menos suscetível ao crescimento de organismos marinhos. Na foto está o modelo 195 CC, que possui casco com parede dupla, o que absorve tanto o barulho do motor quanto o das ondas, resultando em um passeio silencioso e prazeroso. www.smartpier.com 15 ANOS DE FS YACHTS Comemorando o aniversário de 15 anos de FS Yachts, o estaleiro lança para o mercado duas novas embarcações, a FS175 e FS265. O modelo 175, que você vê na foto, será lançado no Rio Boat Show 2013 e promete ser destaque na categoria de pequenas embarcações de proa aberta. Com design arrojado e excelente aproveitamento de espaço interno, a lancha tem capacidade para sete pessoas a bordo. O estaleiro FS Yachts é reconhecido em todo o mundo pela qualidade de construção e pelo refinado acabamento. www.fsyachts.com.br 82  PERFILNÁUTICO FS175, design arrojado e excelente aproveitamento de espaço interno
  68. 68. Canal Décor Amor pelo mar e vocação no DNA Isabella Angeloni. A jovem designer de interiores À frente dA novA Portofino Fly 35 Por Leo Suzuki A união faz a força e muitas vezes é a responsável por germinar sonhos e traçar os objetivos de uma pessoa. Essa afirmação retrata bem o fascínio pelo mar da designer de interiores Isabella Angeloni, que desde a infância desenhou seus ideais por meio da convivência em família. Sua mãe sempre foi apaixonada por arquitetura, decoração e design. O pai tem uma marina há mais de 20 anos e seu avô foi almirante na Itália. Hoje, com 25 anos de idade, Isabella é empresária da Estilo a Bordo Decor, especializada em decoração náutica e yachting lifestyle. 84  PERFILNÁUTICO Ela se formou em 2009, começou a trabalhar com design de interiores em residências e desenvolveu alguns trabalhos no interior de embarcações. Mas foi em 2012 que surgiu a oportunidade de dar o pontapé inicial na carreira de decoração náutica projetando o interior da lancha Portofino Fly 35, do estaleiro paulista Portofino Yachts. A designer conta, em primeira mão, à Perfil Náutico o conceito empregado e mostra detalhes importantíssimos que deram charme e elegância para o modelo Fly 35: “Cada copo foi verificado por mim mesma, para ter certeza de que não haveria COM EXPERIÊNCIA EM DESIGN DE INTERIORES, EM 2012 SURGIU A OPORTUNIDADE DE INICIAR A CARREIRA NA DECORAÇÃO NÁUTICA qualquer risco. Cada tecido foi escolhido com muita atenção. Cada costura foi feita com a máxima precisão. Os mínimos
  69. 69. Trabalho minucioso detalhes foram pensados e repensados para que tudo saísse, no mínimo, perfeito.” Esse modelo não foi um dos maiores barcos para os quais Isabella elaborou a decoração. Ela, no entanto, considera o trabalho minucioso e de melhor resultado de excelência alcançado até o momento. A decoração da Fly 35, pode-se dizer pautada na teoria “menos é mais”, do arquiteto alemão Ludwig Mies van der Rohe. A elegância dos detalhes está na simplicidade dos tons, que formam a harmonia do interior. “Tons de bege e suas variações foram usados em todo o barco”, explica a designer. “Lençóis brancos, sem qualquer bordado ou detalhe, foram os eleitos para as camas. Para pôr sobre estes lençóis, foram confeccionados especialmente cobre-leitos Conforto, funcionalidade e estética são indispensáveis para uma decoração requintada, e a Portofino Fly 35 atinge todos esses requisitos. Almofadas com cavalos-marinhos e peixes bordados, acessórios padronizados com o logotipo do estaleiro e utensílios que compõem a analogia ao mar fazem parte da bela decoração do iate. A CAUTELA E A ATENÇÃO NA ESCOLHA DOS INTENS DECORATIVOS DECORREM DAS ADVERSIDADES QUE SE ENFRENTAM EM UMA EMBARCAÇÃO A cautela e a atenção na escolha dos itens decorativos, segundo Isabella, decorrem das adversidades que uma embarcação enfrenta, diferentemente dos cuidados da decoração de uma residência. “Calculamos que num barco os espaços são reduzidos, o contato com a maresia é constante, existem muitos espaços externos expostos a sol, chuva, vento, além do balanço do mar durante a navegação, o que aumenta a probabilidade de os objetos quebrarem”, explica. Esse belo trabalho realizado pela designer, mostra que os ideais traçados lá na infância estão sendo concretizados no mundo náutico. Com determinação e profissionalismo, ela segue com o seu talento, que com certeza ainda vai conquistar os sete mares. Cada costura feita com a máxima precisão SERVIÇO ACESSE www.estiloabordo.com.br Funcionalidade, conforto e estética PERFILNÁUTICO  85 Canal Décor acolchoados com matelassê, de linho impermeabilizado claro sobreposto ao linho escuro.”
  70. 70. Canal Décor canal décor jato retilíneo e uniforme, o que garante plena satisfação e bem-estar na hora do banho. O acabamento cromado conta com duas camadas de níquel, o que aumenta a durabilidade do produto por ter maior resistência à corrosão e ao desgaste da superfície do metal, perfeito para se ter a bordo. A marca italiana Zenoni & Colombi é reconhecida na indústria têxtil mundial pela excelência em acabamento e peças diferenciadas. Em parceria com o estaleiro Rio Yachts, a marca produziu uma linha específica para embarcações de luxo. Os tecidos de linho não retêm o calor e dão uma sensação de frescor, pois suas fibras são mais rígidas do que as do algodão. Os produtos podem ser personalizados, com tamanhos, acabamentos, cores e composições de acordo com as necessidades do cliente. www.docol.com.br www.zenoniecolombi.com CHUVEIROS LUMINA O grande diferencial do chuveiro Lumina da Docol são as cores vibrantes (Chrome, Black, Green, Bordeaux e Blue), aplicadas pelo processo de pintura automotiva com excelente resistência à luz, ao calor e à umidade. Com design moderno e exclusivo, o modelo é resultado do Prêmio Docol Arquitetando, que valoriza o talento brasileiro. Suas formas integradas proporcionam um Navegue com conforto e elegância Ipanema dentro do seu barco A linha Ipanema, criada pela Germer Porcelanas Finas, é inspirada nas lindas paisagens da Praia de Ipanema no Rio de Janeiro. As peças de design contemporâneo, aliadas a sinuosos contornos, são ideais para servir saladas, massas, sopas ou qualquer outra criação de quem gosta de surpreender na cozinha. A linha Ipanema harmoniza-se facilmente com qualquer ambiente ou ocasião. A cadeira estilo diretor da Tutto a Bordo Decoração Náutica pode ser personalizada de acordo com a decoração de sua embarcação. É feita de alumínio com acento e encosto com tecido da marca Perennials Outdoor Fabrics. Essas lindas peças, que você vê na foto, foram padronizadas pela designer Tania Ortega. www.germerporcelanas.com.br Cozinhe com estilo As cerâmicas Ceraflame são reconhecidas por serem atóxicas e 100% resistentes a choques térmicos. Essas panelas fazem parte do conjunto Premiere da marca. Elas não riscam, podem ir do forno ou do fogão direto para a mesa, além de serem compatíveis com micro-ondas e máquinas de lavar louça. 86  PERFILNÁUTICO CADEIRA PERSONALIZÁVEL www.tuttoabordo.com.br Alie a praticidade e o estilo com o prazer de cozinhar! www.camicado.com.br
  71. 71. PERFILNÁUTICO  87
  72. 72. Canal do Construtor Canal do Construtor COLANDO A VÁCUo parte 2 A seleção dos materiais depende da temperatura e do tipo de resina ou adesivo aspirador de pó industrial ou adaptações. A escolha da potência da bomba irá depender do tamanho do molde e da velocidade de retirada do ar. Ela precisa ter um filtro para reter as partículas sólidas e o vapor da resina e deve ser testada antes. A bolsa deve ser 20% maior que a área de colagem Para aplicações de colagem a vácuo na temperatura ambiente, os materiais descartáveis são especificados para uma operação mínima em 120 graus centígrados. Os materiais para uso no sistema a vácuo também devem oferecer resistência aos solventes, como, por exemplo, o monômero de estireno. Quando se combinam alta temperatura e solventes, as características dos produtos descartáveis devem ser reavaliadas. Para prevenir perfurações, os filmes de vácuo devem ser fabricados a partir da laminação de vários filmes finos colados e podem ter espessuras que variam entre 88  PERFILNÁUTICO 50 e 75 mícrons. Sempre use uma bolsa 20% maior que a área de colagem para permitir o ajuste perfeito nos cantos mais complexos do molde. Para o fechamento da bolsa de vácuo, deve ser usada uma fita emborrachada com dupla face, de 12 a 15 milímetros de largura. Além dos produtos descartáveis, o construtor deve ter válvulas, mangueiras e conexões para ligar o sistema de vácuo na peça. As mangueiras de passagem de vácuo devem ser resistentes a pressões negativas de pelo menos três vezes a pressão de vácuo. O construtor deve sempre usar uma bomba de vácuo apropriada, e não um A melhor forma de se colocar as linhas de vácuo é na parte externa do molde. A transferência da sucção pode ser feita através de uma camada de tela plástica tridimensional ou outro material que mova o ar uniformemente através da peça. A linha de vácuo pode ser feita com uma mangueira em forma de espiral, conhecida como espiroduto, e o diâmetro desta linha pode variar dependendo da taxa de vácuo requerida para o laminado. UMA BOMBA DE VÁCUO NÃO CUSTA SEQUER PARTE DO PREJUÍZO QUE SE PODE TER IMPROVISANDO Se o construtor estiver usando o processo de laminação a vácuo para a colagem de material sandwich, a bolsa deve ser testada sobre o núcleo posicionado ainda sem adesivo. Toda a espuma deve ser pré-cortada com precisão, usando-se um gabarito, evitando espaços vazios entre as placas ou mesmo no seu contorno. Se isto não acontecer, o desenho dos gabaritos terá que ser ajustado.
  73. 73. Se a espuma de PVC é usada na forma de placa plana, é necessário perfurar as placas para permitir que o ar encapsulado sob elas possa ser removido. Existe uma série de tipos de cortes específicos para a espuma de modo que ela possa ser usada com maior eficiência na colagem a vácuo. Espumas com cortes e perfurações oferecem grande versatilidade para conformação, curvatura, moldagem, ajuste e colagem de material sandwich. Use um filme de adesivo que seja compatível com a espessura do material sandwich. Deposite as placas de espuma e ajuste as bordas de modo que não existam espaços vazios. Sobre a espuma, coloque uma tela para transferir o ar do interior da bolsa para a linha de vácuo posicionada na borda do molde. Feche a bolsa de vácuo com uma linha sólida de Tacky Tape e em seguida abra parcialmente o sistema de vácuo. Ajuste aos poucos os cantos da peça comprimindo de forma homogênea todo o laminado. Mantenha a pressão baixa por um bom espaço de tempo até que todo o perímetro da peça esteja O AJUSTE DO TEMPO DE CURA É FUNDAMENTAL PARA O SUCESSO DO PROCESSO ajustado e acione toda a pressão de vácuo. Finalmente confira o ajuste da bolsa nos cantos mais difíceis para assegurar uma linha de colagem estável e perfeita. Para a colagem do material sandwich, utilize uma pressão máxima de 0,8 atm. No caso de peças menores é aconselhável não ultrapassar a pressão de 0,6 atm. Imperfeições no laminadobase, um filme muito fino de adesivo ou uma pressão muito alta irão reduzir muito o poder de adesão entre as duas camadas. Jorge Nasseh Colagem do material sandwich Construtor Canal do Construtor Ajuste e colagem Para a colagem do material sandwich, a camada externa já deverá estar laminada e curada. A partir deste ponto o laminado receberá um filme de adesivo e o material sandwich. Dependendo da área de colagem e da resina-base das camadas de laminação externa e interna, o fabricante pode usar adesivos à base de resina epóxi ou poliéster. O ajuste do tempo de cura é fundamental para o sucesso do processo. Se o adesivo secar antes, todo o trabalho estará perdido.
  74. 74. Algum desses pode ser o seu próximo barco Índice Nesta edição destacamos barcos de diferentes tamanhos, estilos e fabricação. Nas próximas páginas você confere a sportfishing da Sedna, o XF 335; o veleiro Dufour 500, que chega pela primeira vez ao Brasil, após grande sucesso internacional. Entramos na luxuosa Sea Ray 540 Sundancer e no maior iate produzido no país com base italiana, o Schaefer 800. Exploramos a história e o sucesso da Ventura Marine, que completa 30 anos em 2013. 91 Sedna XF 335 99 Veleiro Dufour 500 107 540 Sundancer 115 Schaefer 800 123 Estaleiro Ventura 90  PERFILNÁUTICO O moderno projeto norte-americano da compacta sportfishing da Sedna Know-how a bordo O esportivo mais sofisticado da Sea Ray O superiate brasileiro com raiz italiana O trintão brasileiríssimo
  75. 75. Sedna XF 335 www.sednayachts.com.br Um barco esportivo para pesca SEDNA XF 335 O moderno projeto norte-americano da compacta sportfishing da Sedna. Por Angelo Sfair PERFILNÁUTICO  91
  76. 76. Sedna XF 335 T anto para passear quanto para pescar, o Sedna XF 335 é um barco que surpreende. Sua excelente construção faz deste modelo uma embarcação de nível internacional, sem deixar nada a desejar se comparada com outros barcos de sua categoria. Conforto e desempenho para esportivos de pesca é a marca registrada do estaleiro brasileiro, que tem no modelo 335 seu compacto de luxo. 92  PERFILNÁUTICO UMA EMBARCAÇÃO COM A MARCA REGISTRADA DO ESTALEIRO SEDNA: ESPORTIVOS DE PESCA DE NÍVEL INTERNACIONAL
  77. 77. PERFILNÁUTICO  93
  78. 78. Sedna XF 335 A embarcação conta com uma boca bem larga, o que colabora diretamente no aproveitamento dos espaços. Os quatro metros de largura proporcionam um espaço interno muito maior do que costumamos ver em barcos na faixa dos 30 pés. A XF 335 é um barco construído por engenheiros. Desta forma, observa-se uma grande preocupação com a performance, sobretudo, na relação custobenefício. O projeto é uma parceria entre a Sedna e o escritório americano Donald L. Blount Associates. “Percebemos a necessidade de uma embarcação deste porte que fosse moderna e que oferecesse 94  PERFILNÁUTICO muitas soluções técnicas e de projeto para o usuário ter o que há de mais moderno e eficiente no mercado mundial”, comenta Alberto Clark, um dos sócios da Sedna. Prática, compacta, ágil e versátil, a XF 335 possui atributos fundamentais para uma boa sportfishing. O seu casco foi projetado especificamente para as condições oceânicas do Atlântico Sul, superando com destreza os mares abertos. A proa alta, o para-brisas elevado e o teto amplo garantem uma navegação segura e precisa,
  79. 79. independentemente das condições climáticas. Um dos grandes trunfos da XF 335 é a sua capacidade de navegar em mar aberto com a mesma segurança e confiabilidade que um barco de 50 ou 60 pés, mas com um consumo de combustível muito menor. A embarcação também surpreende pela sua navegabilidade. A Sedna XF 335 oferece um ótimo padrão de navegação e supera grande parte dos barcos que se encontram à disposição no mercado náutico brasileiro. “Nossos clientes fazem pescarias a 100 milhas da costa, pernoitam no barco e já enviamos duas unidades do XF 335 para a Bahia por mar em travessias que duraram 55 horas, ou seja, é um barco preparado para enfrentar qualquer condição de mar em função do seu projeto”, explica Clark. Dois postos de comando, do cockpit e do alto PRÁTICA, COMPACTA, ÁGIL E VERSÁTIL, A XF 335 POSSUI ATRIBUTOS FUNDAMENTAIS PARA UMA BOA SPORTFISHING PERFILNÁUTICO  95
  80. 80. Comando central com poltronas confortáveis para até duas pessoas COCKPIT De acordo com Manoel Santana, o grande ponto positivo da 540 Sundancer é o posicionamento do comando central. O assento do leme permite comportar até duas pessoas e o layout é capaz de fazer o capitão sentir-se livre para desfrutar o cruzeiro da maneira como preferir. O equipamento padrão de fábrica vem com todos os requisitos básicos, mas há também a opção de inserir uma aparelhagem ainda mais completa. No posto de comando, o equipamento de série inclui um rádio de quatro estações de intercomunicação com interface simples, além de Raytheon VHF, GPS Nav 398 e demais instrumentos, todos digitais. Do posto de comando se tem acesso à sala de máquinas. Ao atravessar a escotilha, você irá se surpreender: ao contrário da maioria dos barcos, a sala de máquinas da 540 Sundancer é uma área grande e aberta, com facilidade de acesso aos motores principais de 640 HP, geradores de 12,5 kW e todos os outros componentes. Não há compartimentos separados nem anteparos, o que facilita a locomoção e operação dentro deste ambiente. DO POSTO DE COMANDO O CAPITÃO PODE SENTIR-SE LIVRE PARA DESFRUTAR O CRUZEIRO DA MANEIRA COMO PREFERIR PERFILNÁUTICO  111
  81. 81. SEA RAY 540 Sundancer Interior organizado O espaço interno tem um ótimo acabamento e também oferece o máximo de conforto para a tripulação. “São duas cabines com uma terceira opcional”, aponta Santana. “A personalização é um ponto positivo da 540: a Sea Ray oferece seis tipos de madeiras decorativas, além de diferentes cores de pisos, carpetes e demais itens do acabamento interno.” A PERSONALIZAÇÃO É PONTO POSITIVO DA 540: É POSSÍVEL ESCOLHER ENTRE OS TIPOS DE MADEIRA DECORATIVA E DIVERSOS ITENS DO ACABAMENTO INTERNO São duas cabines, com uma terceira opcional 112  PERFILNÁUTICO Uma das principais diferenças entre a 540 e sua antecessora, a Sea Ray 500 AD, é a maneira como os espaços internos estão organizados. Os cinco metros a mais conseguiram deixar o ambiente mais apropriado. Enquanto a 500 apresentava um layout bastante compartimentado, na Sundancer podemos observar os ambientes mais abertos e amplos, aumentando a sensação de espaço interno.
  82. 82. As cabines também foram beneficiadas. Neste novo layout, a máster fica localizada à meianau e está mais baixa que o salão principal, gerando maior conforto e um ambiente mais silencioso nas noites, já que não se ouvem as ondas batendo no casco. A privacidade também entra em questão. O segundo camarote pode receber tranquilamente outro casal, crianças ou amigos. Já o mobiliário é de bom gosto e tem um design que prioriza o aproveitamento dos espaços. O salão é ideal para quem gosta de navegar com tripulação. Um enorme sofá surpreende pelo tamanho e pode comportar sete ou oito pessoas tranquilamente. Também pode ser utilizado para o pernoite de mais tripulantes. Na cozinha, a aparelhagem é completa, de liquidificador a cafeteira, e fornece todo o conforto exigido por cruzeiros mais longos. Salão ideal para quem gosta de navegar com tripulação PERFILNÁUTICO  113
  83. 83. SEA RAY 540 Sundancer Um barco que se adapta ao estilo e às preferências do usuário pode ser V-Drive (pé-de-galinha) ou Zeus”, explica Santana. “É um barco para quem deseja o máximo em navegação, qualidade, requinte, acabamento e espaço”, finaliza. Desempenho Considerando tudo o que a Sea Ray 540 Sundancer oferece, seu desempenho final é, de fato, surpreendente. O nivelamento do casco mais os dois motores de 640 HP podem levar este barco a incríveis velocidades que chegam perto dos 40 nós por hora. É perfeitamente possível ultrapassar a marca dos 35 nós/hora mesmo que estejam a bordo mais de 20 pessoas. Próximos lançamentos No próximo São Paulo Boat Show a Sea Ray já irá apresentar a 510 DA. Já no Salão de Fort Lauderdale, em outubro, o estaleiro lança mundialmente a versão deste barco com flybridge, que promete agradar em cheio ao público brasileiro. Para 2014, a expectativa está em torno dos grandes lançamentos da 640 Fly (Miami Boat Show) e 580 Fly (Fort Lauderdade). A agilidade nas manobras mais bruscas também é satisfatória. Nas curvas feitas em alta velocidade, o barco chega a ter ângulos de inclinação de 20°, fazendo com que o seu desempenho seja semelhante ao de um barco com metade do seu tamanho. SERVIÇO Ele também pode se adaptar ao estilo e às preferências do usuário. “A embarcação tem uma flexibilidade quanto ao sistema de propulsão. Ele SITE: www.searaybrasil.com.br TELEFONE: (47) 3043 5600 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS COMPRIMENTO TOTAL: 16,70 m BOCA: 4,65 m LAYOUT PADRÃO - 2 CABINES CALADO (inboards): 1,27 m DESLOCAMENTO: 22.679 kg CAPACIDADE DE COMBUSTÍVEL: 600 galões / 2.271 L CAPACIDADE DE ÁGUA: 150 galões /568 L MOTOR: 2x640 HP LAYOUT OPCIONAL - 3 CABINES BOCA: 4,65 m COMPRIMENTO TOTAL: 16,70 m 114  PERFILNÁUTICO
  84. 84. SCHAEFER 800 www.schaeferyachts.com.br Com 80 pés, o superiate pode receber com conforto mais de 20 pessoas O superiate brasileiro com raIz italiana Já é possível ver navegando o projeto mais ousado da indústria náutica nacional. A Schaefer 800, lançada em fevereiro, é um marco para o estaleiro brasileiro e já vem recebendo reconhecimento internacional. Por Angelo Sfair PERFILNÁUTICO  115
  85. 85. O Dufour 500 Grand Large já é um sucesso internacional A julgar pela reputação que o estaleiro Dufour tem no Brasil, a novidade não deve passar despercebida nem vai ter algum tipo de dificuldade de aceitação pelo público. “A Dufour Yachts já é um dos principais estaleiros a vender no país”, conta Rui Pimenta, representante comercial da Descobre Ventos. Segundo ele, os veleiros Dufour são vendidos atualmente para grande parte do mercado brasileiro e estados como Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina já têm a tradição de procura pela marca. O modelo Dufour 500 foi apresentado ao mercado internacional em setembro do ano passado, durante o Festival de La Plaisance, o salão náutico de Cannes. O novo veleiro da marca francesa constitui um passo importante no desenvolvimento da gama Grand Large do estaleiro. PERFILNÁUTICO  101
  86. 86. DUFOUR 500 102  PERFILNÁUTICO
  87. 87. De acordo com Pimenta, o veleiro já recebeu diversos prêmios e excelentes comentários da imprensa. A revista de vela italiana Vela & Motore considerou o Dufour 500 o melhor na categoria geral de veleiros. A publicação afirma que “nos últimos anos foram vários os modelos de vela orientados para cativar uma clientela mais habituada ao barco a motor, que devido ao custo crescente dos combustíveis e da manutenção foi se interessando pelo mundo da vela, buscando assim um estilo de vida cômodo e relaxante, deixando para segundo plano a estética e as prestações dos barcos a motor”. E ainda destaca que a Dufour “focou-se neste target e evoluiu a espécie”. Até agora, já foram vendidos mais de 30 veleiros do modelo 500. O primeiro vendido para o Brasil é o exposto no Rio Boat Show 2013. E uma das características que prometem chamar a atenção do público é o seu design. O jeito como o espaço interno e externo é definido oferece uma sensação única de liberdade a bordo. E os grandes interessados por esse veleiro, a Descobre Ventos acredita, serão “velejadores exigentes que procurem grande conforto exterior e interior aliado à elevada performance e luxo”. ELEITO O MELHOR NA CATEGORIA VELEIROS PELA REVISTA ITALIANA VELA & MOTORE A expectativa é grande. “O mercado brasileiro está sempre atento aos novos modelos e à evolução tecnológica dos veleiros, com certeza será um sucesso de vendas”, diz Pimenta, otimista. Design de dar inveja a qualquer um Uma das palavras mais citadas quando se fala na nova Dufour é o seu design moderno. Tanto Liberdade a bordo no interior, como exterior, provavelmente seja este o grande protagonista desse veleiro. Iniciando pelo interior do 500 GL, o que realmente chama a atenção é o grande espaço interno. Segundo Rui Pimenta, existe a opção de o espaço ser formado por três ou quatro cabines e a suíte máster, espaçosa e com uma cama de casal como personagem principal, utiliza o espaço como nenhum outro veleiro ousou. Segundo o estaleiro, o layout pode parecer pouco ortodoxo, mas, uma vez que você passe um tempo a bordo, perceberá que este é um grande passo de vanguarda, que nenhum construtor de outra produção tem usado. O banheiro da cabine principal é dividido em dois. Em uma parte fica o chuveiro e em outra a pia, desta maneira, oferece mais praticidade aos hóspedes. A opção de ter três ou quatro cabines acontece porque uma delas pode ser convertida em lavanderia, de acordo com o gosto do cliente. A cozinha também tem seu próprio charme. Com uma configuração diferenciada, é dividida em dois ambientes: um que prioriza a geladeira e o fogão, e outro com armários planejados. Há a opção de a cozinha já vir equipada, com micro-ondas e ainda máquina de café expresso, um mimo para os velejadores. O bar do barco já está também integrado ao salão. Para dar um ar mais personalizado ao gosto de cada cliente, a Dufour permite a escolha da madeira utilizada no interior do veleiro. Carvalho claro ou madeira moabi mais escura estão na lista. Além disso, podem ser personalizados os layouts e os itens de decoração. PERFILNÁUTICO  103

×