1
2
Lição n.º 1 - SumárioLição n.º 1 - Sumário
• A constituição da matéria
• Átomos
• Moléculas
• Estados físicos da matéria...
3
A constituição da matéria
A MATÉRIA, QUALQUER QUE SEJA A SUA
NATUREZA, É CONSTITUÍDA POR
PARTÍCULAS MUITO PEQUENAS
OS ÁT...
4
O ÁTOMO POSSUI UM NÚCLEO COMPOSTO POR DOIS
TIPOS DE PARTÍCULAS :
• OS NEUTRÕES E OS PROTÕES
F2
Se FSe F22 > F> F11
o ele...
5
A constituição da matéria
AS MOLÉCULAS RESULTAM DA
ASSOCIAÇÃO DE ÁTOMOS E SÃO MAIS
ESTÁVEIS QUE ESTES
+ 2
Átomo de Dois ...
6
Estados físicos da matéria
OS SÓLIDOS :
• TÊM FORMA FIXA
• NÃO SÃO, EM GERAL, COMPRESSÍVEIS
OS LÍQUIDOS :
• NÃO TÊM FORM...
7
O FOGO
O FOGO É UMA REAÇÃO QUÍMICA,
DESIGNADA POR COMBUSTÃO
(OXIDAÇÃO), ACOMPANHADA PELA
LIBERTAÇÃO DE CALOR (EXOTÉRMICA)
8
O FOGO
A LIBERTAÇÃO DE CALOR PODE SER:
• LENTA - OXIDAÇÃO DO FERRO (FERRUGEM)
• RÁPIDA - COM A PRODUÇÃO DE CHAMAS
OS VAP...
9
O FOGO
OS COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS (COM CARBONO)
E ALGUNS METAIS ARDEM TAMBÉM SOB A
FORMA DE INCANDESCÊNCIA
OS COMBUSTÍVEIS ...
10
O FOGO
A COMBUSTÃO NÃO PODE OCORRER SEM
COMBUSTÍVEL, MAS TAMBÉM NÃO EXISTE
SEM COMBURENTE
O COMBURENTE RESPONSÁVEL PELA...
11
O FOGO
UM COMBUSTÍVEL E UM COMBURENTE
PODEM ESTAR JUNTOS SEM QUE HAJA
COMBUSTÃO
PARA SE INICIAR A COMBUSTÃO É NECESSÁRI...
12
O FOGO
TRIÂNGULO DO FOGO É O CONJUNTO DOS
TRÊS ELEMENTOS NECESSÁRIOS A QUE SE
INICIE UMA COMBUSTÃO
C
O
M
BU
STIVEL
ENER...
13
Lição n.º 1 - RevisõesLição n.º 1 - Revisões
• A constituição da matéria
• Átomos
• Moléculas
• Estados físicos da maté...
14
Lição n.º 2 - SumárioLição n.º 2 - Sumário
• O Tetraedro do fogo
• Fontes de calor
• Comburentes
• Combustíveis
• Carac...
15
A REACÇÃO EM CADEIA
A EXISTÊNCIA DO TRIÂNGULO DO FOGO,
NECESSÁRIO PARA SE INICIAR A
COMBUSTÃO, PODE NÃO SER SUFICIENTE
...
16
A REACÇÃO EM CADEIA
NO DECURSO DA REAÇÃO QUÍMICA DA
COMBUSTÃO FORMAM-SE RADICAIS LIVRES,
RESULTANTES DA DECOMPOSIÇÃO DA...
17
TETRAEDRO DO FOGO
TETRAEDRO DO FOGO É O CONJUNTO DO
TRIÂNGULO DO FOGO MAIS A REAÇÃO EM
CADEIA
TETRAEDRO DO FOGO É O CON...
18
FONTES DE CALOR
(ENERGIA DE ACTIVAÇÃO)
• ELÉCTRICA
• RESISTÊNCIA - Aquecedor eléctrico
• ARCO VOLTAICO (FAÍSCA) - Cabo ...
19
FONTES DE CALOR
(ENERGIA DE ACTIVAÇÃO)
•TÉRMICA
• SUPERFÍCIES QUENTES - Placa de um fogão
• RADIAÇÃO - Exposição intens...
20
COMBURENTES
É necessário conceber uma
transparência sobre este
tema
21
COMBUSTÍVEIS
CARACTERÍSTICAS MAIS IMPORTANTES :
• Condutividade térmica
• Estado de divisão
• Densidade
• Miscibilidade...
22
CONDUTIVIDADE TÉRMICA
CONDUTIVIDADE TÉRMICA É A MAIOR OU
MENOR CAPACIDADE DE UMA DADA
SUBSTÂNCIA CONDUZIR O CALOR
CONDU...
23
ESTADO DE DIVISÃO
QUANTO MAIOR É O ESTADO DE DIVISÃO
DUM COMBUSTÍVEL MAIOR É A SUA
CAPACIDADE DE ARDER
QUANTO MAIOR É O...
24
DENSIDADE
DENSIDADE É O QUOCIENTE ENTRE A MASSA
DE UMA DADA SUBSTÂNCIA E O VOLUME QUE
ELA OCUPA
Rever este conceito
25
MISCIBILIDADE
(LÍQUIDOS)
QUANDO SE TRATA DE DOIS LÍQUIDOS É
IMPORTANTE SABER SE ELES SÃO MISCÍVEIS,
ISTO É, SE SE MISTU...
26
TEMPERATURAS CARACTERÍSTICAS
TEMPERATURA DE INFLAMAÇÃO:
Temperatura mínima à qual uma
substância emite vapores combustí...
27
TEMPERATURA DE COMBUSTÃO:
Temperatura mínima à qual uma
substância emite vapores
combustíveis em quantidade
suficiente ...
28
TEMPERATURA DE IGNIÇÃO:
Temperatura mínima à qual os
vapores libertados por um
combustível se auto-inflamam
(combustão ...
29
TEMPERATURAS CARACTERÍSTICAS
Substância
Temperatura
inflamação, ºC
Temperatura
combustão, ºC
Temperatura
ignição, ºC
Pi...
30
Lição n.º 2 - RevisõesLição n.º 2 - Revisões
• O Tetraedro do fogo
• Fontes de calor
• Comburentes
• Combustíveis
• Car...
31
Lição n.º 3 - SumárioLição n.º 3 - Sumário
• Combustíveis
• Tendência para libertar vapores
• Limites de inflamibilidad...
32
COMBUSTÍVEL:
Tendência para libertação de vapores
Muito inflamável: A temperatura de inflamação é
igual ou inferior a 2...
33
Categoria Combustível Ti ,°C
Éter de petróleo -45
Gasolina -45 a –20
1ª - Muito inflamável Acetona -12
Benzeno -11
Álco...
34
COMBUSTÍVEL:
Limites de Inflamabilidade
LII - Limite Inferior de Inflamabilidade
Percentagem mínima de combustível gaso...
35
COMBUSTÍVEL:
Campo de Inflamabilidade
COMBUSTÍVEL Campo de Inflamabilidade
LII (%) LSI (%)
Hidrogénio 4 75,0
Monóxido d...
36
Classes de Fogos
Classe A - Fogos secos. Envolvem combustíveis
sólidos, em geral de natureza orgânica e com
formação de...
37
Classe C - Fogos em gases ou gases liquefeitos
sobre pressão, tais como o metano, propano,
butano, gás natural, acetile...
38
Velocidade de Combustão
O grau de divisão do combustível (tábuas ou
serradura);
A inflamabilidade do combustível (gasol...
39
A superfície do combustível, em especial a
superfície exposta directamente ao comburente
(bidão de gasolina ou a mesma ...
40
Lenta: Quando se produz a uma temperatura
suficientemente baixa para que não haja
emissão de luz, isto é, inferior a 50...
41
Velocidade de Combustão
Viva: Produz luz e, vulgarmente, designa-se por
fogo. Neste caso, forma-se a chama e, no
caso d...
42
Deflagração: Combustão muito rápida cuja
propagação se dá a uma velocidade
inferior à do som no ar (340m/s).
Exemplos: ...
43
Explosão: A combustão, resultado da mistura de
gases com o ar numa percentagem bem
determinada - mistura explosiva ou
d...
44
Propagação da Combustão
Radiação:
A combustão viva, ao produzir chama, leva à
dissipação de energia sob a forma de radi...
45
Propagação da Combustão
Radiação:
A radiação é particularmente importante na
propagação entre edifícios vizinhos, ainda...
46
Condução:
Transmissão do calor directamente no interior de
um corpo ou através de corpos em contacto, sem
deslocação de...
47
Condução:
Exemplos de elementos condutores de calor num
edifício: Paredes, algerozes e estruturas metálicas
(pilares e ...
48
Propagação da Combustão
Convecção:
A menor densidade dos gases aquecidos provoca
correntes ascendentes dos mesmos e cor...
49
Propagação da Combustão
Convecção:
Exemplos: Propagação exterior pela fachada de um
edifício e, interior, pelas escadas...
50
Projecção e deslocamento de matéria
inflamada:
Devido a dilatações bruscas dos materiais
inflamados e/ou a correntes de...
51
Projecção e deslocamento de matéria
inflamada:
Esta propagação é também possível pelo
movimento de pequenos animais em ...
52
Lição n.º 3 - RevisõesLição n.º 3 - Revisões
• Combustíveis
• Tendência para libertar vapores
• Limites de inflamibilid...
53
Lição n.º 4 - SumárioLição n.º 4 - Sumário
• Produtos da combustão
• Desenvolvimento e progressão de
um incêndio:
• Fas...
54
Produtos da Combustão
Os produtos da combustão são:
Calor (energia)
Fumo
Gases
Resíduos sólidos (cinzas e outros)
55
Produtos da Combustão
Calor
Resultante da transformação de
energia química noutras formas de
energia, durante uma combu...
56
Fumo
É constituído por partículas sólidas em suspensão
Deve-se, geralmente, à combustão incompleta e
pode ser:
Branco o...
57
Gases
Vapor de água (H2O) - Queimaduras.
Monóxido de carbono (CO)
Incolor, inodoro, insípido e mais leve que o ar
Provo...
58
Gases
Dióxido de carbono (CO2)
Incolor, inodoro, insípido, mais pesado que o ar
Em concentrações superiores a 10% é let...
59
Gases
Acido cianídrico (HCN)
Produzido pela lã, seda e alguns plásticos
Letal em poucos min. (concentração de 0,3%)
Aci...
60
TOXICIDADE DE GASES DE COMBUSTÃO
Substância Admissível
várias horas
Perigoso em
meia hora
Mortal Origem
Dióxido de
carb...
61
Desenvolvimento de um incêndio
• Junção de quatro factores do tetraedro do fogo
I G N I Ç Ã O
Incêndio Em Espaços Abert...
62
Incêndios em Espaços Confinados
O desenvolvimento e progressão de um
incêndio deve-se:
• À quantidade de comburente exi...
63
Incêndios em Espaços Confinados
Fases de um incêndio
1 - Eclosão ou ignição
2 - Fase inicial
3 - Combustão livre
4 - De...
64
Fase Inicial
• Elevação da temperatura em função do tempo,
pouco significativa, pequena taxa de
libertação de fumos e g...
65
Fase de combustão livre
• Elevada produção de chamas
• Elevação sensível da temperatura
• Ainda existe bastante oxigéni...
66
• A libertação de energia provoca o envolvimento
de mais combustível activando a combustão
• Fase rápida - o incêndio é...
67
• Não existindo renovação de ar no local do
incêndio
• Verifica-se o decaimento das chamas, mantendo-
se a temperatura ...
68
• Desenvolvimento da combustão sem envolver
chama
• Pode desenrolar-se durante muito tempo sem se
manifestar de forma v...
69
Declínio das Chamas
• A combustão continua, progressivamente
mais fraca, até ao declínio das chamas
• Decaimento da tax...
70
• Ocorre a cerca de 500 - 600ºc, se existir bastante
oxigénio para se atingir essas temperaturas
• Trata-se da inflamaç...
71
Explosão de Fumos
• Com o desenvolvimento do incêndio num
compartimento, maior quantidade de calor é
libertado e gases ...
72
• Fumo negro que se torna cinzento amarelado
• Local fechado com calor excessivo
• Pequena chama e pouco visível
• Fumo...
73
Lição n.º 4 - RevisõesLição n.º 4 - Revisões
• Produtos da combustão
• Desenvolvimento e progressão de
um incêndio
• Fa...
74
Lição n.º 5 - SumárioLição n.º 5 - Sumário
• Métodos de extinção
• Arrefecimento
• Carência
• Limitação do comburente
•...
75
Lição n.º 5Lição n.º 5
FALTAM
TRANSPARÊNCIAS
76
Lição n.º 5 - RevisõesLição n.º 5 - Revisões
• Métodos de extinção
• Arrefecimento
• Carência
• Limitação do comburente...
77
Lição n.º 6 - SumárioLição n.º 6 - Sumário
• As espumas
• Azoto e CO2
• Os pós extintores
• Halons
• Escolha do agente ...
78
Lição n.º 6Lição n.º 6
FALTAM
TRANSPARÊNCIAS
79
A
AGENTES EXTINTORES
ÁGUA
JACTO PULVE-
RIZADA
ESPU-
MA
CO2
PÓ QUÍMICO
ABC BC D
HALONS
B
C
D
SIM
BOM
NÃO
NÃO
NÃO
SIM
MUI...
80
Lição n.º 6Lição n.º 6
FALTAM
TRANSPARÊNCIAS
81
Lição n.º 6 - RevisõesLição n.º 6 - Revisões
• As espumas
• Azoto e CO2
• Os pós extintores
• Halons
• Escolha do agent...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Quimicafogo referzo

1.723 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.723
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
532
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Quimicafogo referzo

  1. 1. 1
  2. 2. 2 Lição n.º 1 - SumárioLição n.º 1 - Sumário • A constituição da matéria • Átomos • Moléculas • Estados físicos da matéria • O que é o fogo? • Triângulo do fogo
  3. 3. 3 A constituição da matéria A MATÉRIA, QUALQUER QUE SEJA A SUA NATUREZA, É CONSTITUÍDA POR PARTÍCULAS MUITO PEQUENAS OS ÁTOMOS Figura 1 do manual Foto apresentada pelos autores
  4. 4. 4 O ÁTOMO POSSUI UM NÚCLEO COMPOSTO POR DOIS TIPOS DE PARTÍCULAS : • OS NEUTRÕES E OS PROTÕES F2 Se FSe F22 > F> F11 o electrão saio electrão sai Protão - carga positiva Electrão - carga negativa Neutrão - electricamente neutro Num átomo é igual o número de protões e de electrões A constituição da matéria À VOLTA DO NÚCLEO MOVIMENTAM-SE OUTRAS PARTÍCULAS - OS ELECTRÕES
  5. 5. 5 A constituição da matéria AS MOLÉCULAS RESULTAM DA ASSOCIAÇÃO DE ÁTOMOS E SÃO MAIS ESTÁVEIS QUE ESTES + 2 Átomo de Dois átomos Molécula de água oxigénio de hidrogénio Formação de uma molécula de água, H2O, a partir de um átomo de oxigénio e dois de hidrogénio
  6. 6. 6 Estados físicos da matéria OS SÓLIDOS : • TÊM FORMA FIXA • NÃO SÃO, EM GERAL, COMPRESSÍVEIS OS LÍQUIDOS : • NÃO TÊM FORMA FIXA • JÁ SÃO, UM POUCO, COMPRESSÍVEIS OS GASES : • NÃO TÊM FORMA FIXA • SÃO FACILMENTE COMPRESSÍVEIS
  7. 7. 7 O FOGO O FOGO É UMA REAÇÃO QUÍMICA, DESIGNADA POR COMBUSTÃO (OXIDAÇÃO), ACOMPANHADA PELA LIBERTAÇÃO DE CALOR (EXOTÉRMICA)
  8. 8. 8 O FOGO A LIBERTAÇÃO DE CALOR PODE SER: • LENTA - OXIDAÇÃO DO FERRO (FERRUGEM) • RÁPIDA - COM A PRODUÇÃO DE CHAMAS OS VAPORES LIBERTADOS PELOS MATERIAIS COMBUSTÍVEIS (SÓLIDOS E LÍQUIDOS) E OS GASES COMBUSTÍVEIS ARDEM SOB A FORMA DE CHAMA OS VAPORES LIBERTADOS PELOS MATERIAIS COMBUSTÍVEIS (SÓLIDOS E LÍQUIDOS) E OS GASES COMBUSTÍVEIS ARDEM SOB A FORMA DE CHAMA
  9. 9. 9 O FOGO OS COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS (COM CARBONO) E ALGUNS METAIS ARDEM TAMBÉM SOB A FORMA DE INCANDESCÊNCIA OS COMBUSTÍVEIS SÓLIDOS (COM CARBONO) E ALGUNS METAIS ARDEM TAMBÉM SOB A FORMA DE INCANDESCÊNCIA A INCANDESCÊNCIA (OU BRASAS) RESULTA DA REACÇÃO COM O OXIGÉNIO À SUPERFÍCIE DO COMBUSTÍVEL SÓLIDO A INCANDESCÊNCIA (OU BRASAS) RESULTA DA REACÇÃO COM O OXIGÉNIO À SUPERFÍCIE DO COMBUSTÍVEL SÓLIDO
  10. 10. 10 O FOGO A COMBUSTÃO NÃO PODE OCORRER SEM COMBUSTÍVEL, MAS TAMBÉM NÃO EXISTE SEM COMBURENTE O COMBURENTE RESPONSÁVEL PELA MAIORIA DAS COMBUSTÕES É O OXIGÉNIO, QUE EXISTE NO AR O COMBURENTE RESPONSÁVEL PELA MAIORIA DAS COMBUSTÕES É O OXIGÉNIO, QUE EXISTE NO AR COMPOSIÇÃO APROXIMADA DO AR: 20% DE OXIGÉNIO E 80% DE AZOTO
  11. 11. 11 O FOGO UM COMBUSTÍVEL E UM COMBURENTE PODEM ESTAR JUNTOS SEM QUE HAJA COMBUSTÃO PARA SE INICIAR A COMBUSTÃO É NECESSÁRIO FORNECER UMA CERTA QUANTIDADE DE ENERGIA (DE ACTIVAÇÃO) À MISTURA COMBUSTÍVEL - COMBURENTE PARA SE INICIAR A COMBUSTÃO É NECESSÁRIO FORNECER UMA CERTA QUANTIDADE DE ENERGIA (DE ACTIVAÇÃO) À MISTURA COMBUSTÍVEL - COMBURENTE
  12. 12. 12 O FOGO TRIÂNGULO DO FOGO É O CONJUNTO DOS TRÊS ELEMENTOS NECESSÁRIOS A QUE SE INICIE UMA COMBUSTÃO C O M BU STIVEL ENERGIA DE ACTIVAÇÃO CO M BURENTE
  13. 13. 13 Lição n.º 1 - RevisõesLição n.º 1 - Revisões • A constituição da matéria • Átomos • Moléculas • Estados físicos da matéria • O que é o fogo? • Triângulo do fogo
  14. 14. 14 Lição n.º 2 - SumárioLição n.º 2 - Sumário • O Tetraedro do fogo • Fontes de calor • Comburentes • Combustíveis • Características importantes • Temperaturas características
  15. 15. 15 A REACÇÃO EM CADEIA A EXISTÊNCIA DO TRIÂNGULO DO FOGO, NECESSÁRIO PARA SE INICIAR A COMBUSTÃO, PODE NÃO SER SUFICIENTE PARA QUE ESTA SE MANTENHA PARA GARANTIR A COMBUSTÃO CONTÍNUA É NECESSÁRIO INTRODUZIR UM QUARTO ELEMENTO: A REAÇÃO EM CADEIA PARA GARANTIR A COMBUSTÃO CONTÍNUA É NECESSÁRIO INTRODUZIR UM QUARTO ELEMENTO: A REAÇÃO EM CADEIA
  16. 16. 16 A REACÇÃO EM CADEIA NO DECURSO DA REAÇÃO QUÍMICA DA COMBUSTÃO FORMAM-SE RADICAIS LIVRES, RESULTANTES DA DECOMPOSIÇÃO DAS MOLÉCULAS NOS ÁTOMOS QUE LHES DERAM ORIGEM OS RADICAIS LIVRES: • POSSUEM MUITA ENERGIA • REAGEM COM OUTRAS MOLÉCULAS • CRIAM MAIS RADICAIS LIVRES DÁ-SE UMA REAÇÃO EM CADEIA OS RADICAIS LIVRES: • POSSUEM MUITA ENERGIA • REAGEM COM OUTRAS MOLÉCULAS • CRIAM MAIS RADICAIS LIVRES DÁ-SE UMA REAÇÃO EM CADEIA
  17. 17. 17 TETRAEDRO DO FOGO TETRAEDRO DO FOGO É O CONJUNTO DO TRIÂNGULO DO FOGO MAIS A REAÇÃO EM CADEIA TETRAEDRO DO FOGO É O CONJUNTO DO TRIÂNGULO DO FOGO MAIS A REAÇÃO EM CADEIA Figura do TETRAEDRO DO FOGO apresentada pelos autores
  18. 18. 18 FONTES DE CALOR (ENERGIA DE ACTIVAÇÃO) • ELÉCTRICA • RESISTÊNCIA - Aquecedor eléctrico • ARCO VOLTAICO (FAÍSCA) - Cabo de alta tensão quebrado em contacto com o solo • ELECTRICIDADE ESTÁTICA - Descarga rápida de um extintor • MECÂNICA • FRICÇÃO - Contacto não lubrificado entre peças metálicas em movimento • COMPRESSÃO - Compressão de um gás num cilindro
  19. 19. 19 FONTES DE CALOR (ENERGIA DE ACTIVAÇÃO) •TÉRMICA • SUPERFÍCIES QUENTES - Placa de um fogão • RADIAÇÃO - Exposição intensa e continuada ao Sol •QUÍMICA • REACÇÃO QUÍMICA - Limalha de ferro com óleo; algodão com óleo
  20. 20. 20 COMBURENTES É necessário conceber uma transparência sobre este tema
  21. 21. 21 COMBUSTÍVEIS CARACTERÍSTICAS MAIS IMPORTANTES : • Condutividade térmica • Estado de divisão • Densidade • Miscibilidade (líquidos) • Temperaturas características • Tendência para libertar vapores (líquidos)
  22. 22. 22 CONDUTIVIDADE TÉRMICA CONDUTIVIDADE TÉRMICA É A MAIOR OU MENOR CAPACIDADE DE UMA DADA SUBSTÂNCIA CONDUZIR O CALOR CONDUTIVIDADE TÉRMICA É A MAIOR OU MENOR CAPACIDADE DE UMA DADA SUBSTÂNCIA CONDUZIR O CALOR OS METAIS SÃO BONS CONDUTORES DE CALOR; A MADEIRA E A CORTIÇA SÃO MAUS CONDUTORES DE CALOR AS SUBSTÂNCIAS MÁS CONDUTORAS DE CALOR ARDEM MAIS FACILMENTE QUE AS BOAS CONDUTORAS AS SUBSTÂNCIAS MÁS CONDUTORAS DE CALOR ARDEM MAIS FACILMENTE QUE AS BOAS CONDUTORAS
  23. 23. 23 ESTADO DE DIVISÃO QUANTO MAIOR É O ESTADO DE DIVISÃO DUM COMBUSTÍVEL MAIOR É A SUA CAPACIDADE DE ARDER QUANTO MAIOR É O ESTADO DE DIVISÃO DUM COMBUSTÍVEL MAIOR É A SUA CAPACIDADE DE ARDER • A SERRADURA ARDE MAIS FACILMENTE DO QUE O PEDAÇO DE MADEIRA QUE LHE DEU ORIGEM • À TEMPERATURA AMBIENTE O PETRÓLEO NÃO ARDE, MAS SE FOR PULVERIZADO ARDERÁ FACILMENTE
  24. 24. 24 DENSIDADE DENSIDADE É O QUOCIENTE ENTRE A MASSA DE UMA DADA SUBSTÂNCIA E O VOLUME QUE ELA OCUPA Rever este conceito
  25. 25. 25 MISCIBILIDADE (LÍQUIDOS) QUANDO SE TRATA DE DOIS LÍQUIDOS É IMPORTANTE SABER SE ELES SÃO MISCÍVEIS, ISTO É, SE SE MISTURAM • O AZEITE E A ÁGUA NÃO SÃO MISCÍVEIS • DOIS LÍQUIDOS MISCÍVEIS, UM MUITO INFLAMÁVEL E OUTRO POUCO (GASOLINA E PETRÓLEO), PASSAM A LIBERTAR QUANTIDADES IMPORTANTES DE VAPOR, AUMENTANDO O RISCO DE INCÊNDIO
  26. 26. 26 TEMPERATURAS CARACTERÍSTICAS TEMPERATURA DE INFLAMAÇÃO: Temperatura mínima à qual uma substância emite vapores combustíveis em quantidade suficiente para formar com o comburente uma mistura que, por acção de uma fonte de calor se INFLAMAM, extinguindo-se a combustão de seguida devido à emissão de vapores em quantidade insuficiente.
  27. 27. 27 TEMPERATURA DE COMBUSTÃO: Temperatura mínima à qual uma substância emite vapores combustíveis em quantidade suficiente para que, em contacto com o comburente, se possam inflamar por acção de fonte de calor exterior, e arde continuamente. TEMPERATURAS CARACTERÍSTICAS
  28. 28. 28 TEMPERATURA DE IGNIÇÃO: Temperatura mínima à qual os vapores libertados por um combustível se auto-inflamam (combustão espontânea) sem a presença de uma fonte de calor exterior. TEMPERATURAS CARACTERÍSTICAS
  29. 29. 29 TEMPERATURAS CARACTERÍSTICAS Substância Temperatura inflamação, ºC Temperatura combustão, ºC Temperatura ignição, ºC Pinho 225 265 280 Madeira dura ≈245 ≈270 ≈290 Papel 230 ____ 230 Polietileno 340 ____ 350 Gasolina -40 -20 227 Gasóleo 90 104 330 Petróleo 30 43 250 a 450 Óleo lubrificante 157 177 230 Etanol 13 ____ 370 Butano -60 ____ 430 Etileno ____ 490 a 540
  30. 30. 30 Lição n.º 2 - RevisõesLição n.º 2 - Revisões • O Tetraedro do fogo • Fontes de calor • Comburentes • Combustíveis • Características importantes • Temperaturas características
  31. 31. 31 Lição n.º 3 - SumárioLição n.º 3 - Sumário • Combustíveis • Tendência para libertar vapores • Limites de inflamibilidade • Classes de fogos • Velocidade de combustão • Propagação de energia • Radiação • Condução • Convecção • Projecção e deslocamento de matéria inflamada
  32. 32. 32 COMBUSTÍVEL: Tendência para libertação de vapores Muito inflamável: A temperatura de inflamação é igual ou inferior a 21ºC. Estas substâncias libertam vapores à temperatura ambiente. Inflamável : A temperatura de inflamação está entre 21 e 55ºC. Estas substâncias libertam vapores em locais não protegidos. Não inflamável : A temperatura de inflamação é superior a 55ºC. Estas substâncias só libertam vapores quando sujeitas à acção de uma fonte de calor.
  33. 33. 33 Categoria Combustível Ti ,°C Éter de petróleo -45 Gasolina -45 a –20 1ª - Muito inflamável Acetona -12 Benzeno -11 Álcool a 80 ° 10 Aguarrás 34 2ª - Inflamável Aguardente 36 a 54 Petróleo 45 a 48 Gasóleo 65 a 72 3ª - Não inflamável Óleo de travões 82 a 118 Óleos lubrificantes 175 a 220 COMBUSTÍVEL:COMBUSTÍVEL: Tendência para libertação de vaporesTendência para libertação de vapores
  34. 34. 34 COMBUSTÍVEL: Limites de Inflamabilidade LII - Limite Inferior de Inflamabilidade Percentagem mínima de combustível gasoso que misturado com o ar permite a combustão. LSI - Limite Superior de Inflamabilidade Percentagem máxima de combustível gasoso que misturado com o ar permite a combustão. 1% 2% 3% 4% 5% 6% 7% 8% LII LSI Campo de Inflamabilidade
  35. 35. 35 COMBUSTÍVEL: Campo de Inflamabilidade COMBUSTÍVEL Campo de Inflamabilidade LII (%) LSI (%) Hidrogénio 4 75,0 Monóxido de Carbono 12,5 74,0 Propano 2,1 9,5 Acetileno 2,5 100,0 Gasolina (vapor) 1,4 7,6 Éter (vapor) 1,7 48,0 Álcool (vapor) 3,3 19,0
  36. 36. 36 Classes de Fogos Classe A - Fogos secos. Envolvem combustíveis sólidos, em geral de natureza orgânica e com formação de brasas. São exemplos, a madeira, o carvão, o papel, os plásticos comuns, os tecidos e a palha. Classe B - Fogos em líquidos inflamáveis ou sólidos liquefeitos. As gasolinas, o álcool, o petróleo, alcatrão, cera, parafina, são exemplos desta classe de fogos.
  37. 37. 37 Classe C - Fogos em gases ou gases liquefeitos sobre pressão, tais como o metano, propano, butano, gás natural, acetileno e hidrogénio, entre outros. Classe D - Fogos envolvendo metais, tais como os metais leves (lítio, sódio, potássio, magnésio, alumínio), certas ligas, o titânio e materiais compósitos. Classes de Fogos
  38. 38. 38 Velocidade de Combustão O grau de divisão do combustível (tábuas ou serradura); A inflamabilidade do combustível (gasolina ou gasóleo); A velocidade a que decorre uma combustão depende de vários factores. Em particular será tanto mais rápida quanto maior for:
  39. 39. 39 A superfície do combustível, em especial a superfície exposta directamente ao comburente (bidão de gasolina ou a mesma quantidade derramada); O grau de renovação ou alimentação do comburente (combustível em recinto fechado ou em espaço aberto). Velocidade de Combustão A velocidade a que decorre uma combustão será tanto mais rápida quanto maior for:
  40. 40. 40 Lenta: Quando se produz a uma temperatura suficientemente baixa para que não haja emissão de luz, isto é, inferior a 500 ºC. Exemplo: A oxidação de um metal (ferro, cobre, zinco, etc.), em contacto com o ar húmido. Velocidade de Combustão
  41. 41. 41 Velocidade de Combustão Viva: Produz luz e, vulgarmente, designa-se por fogo. Neste caso, forma-se a chama e, no caso dos sólidos, verificam-se a incandescência e a formação de brasas. Exemplo: A combustão do carvão
  42. 42. 42 Deflagração: Combustão muito rápida cuja propagação se dá a uma velocidade inferior à do som no ar (340m/s). Exemplos: Um tiro de pólvora, a combustão do cotão ou de poeiras. Velocidade de Combustão
  43. 43. 43 Explosão: A combustão, resultado da mistura de gases com o ar numa percentagem bem determinada - mistura explosiva ou detonante, propaga-se a uma velocidade superior a 340m/s. A mistura tem de ocupar todo o espaço onde está contida e, no momento da detonação, é exercida de forma instantânea uma grande pressão sobre todos os objectos confinantes. Velocidade de Combustão
  44. 44. 44 Propagação da Combustão Radiação: A combustão viva, ao produzir chama, leva à dissipação de energia sob a forma de radiação. A energia transmite-se através do espaço sem suporte material, em todas as direcções, tal como acontece com a luz e a radiação solar, que se propagam até à Terra através do vazio. É particularmente importante em relação a exposições exteriores.
  45. 45. 45 Propagação da Combustão Radiação: A radiação é particularmente importante na propagação entre edifícios vizinhos, ainda que separados - exposições exteriores. Figura apresentada pelos autores
  46. 46. 46 Condução: Transmissão do calor directamente no interior de um corpo ou através de corpos em contacto, sem deslocação de matéria, através da agitação molecular. É tanto mais rápida nos materiais melhores condutores do calor. Exemplos: Paredes e estruturas metálicas (pilares e vigas). Propagação da Combustão
  47. 47. 47 Condução: Exemplos de elementos condutores de calor num edifício: Paredes, algerozes e estruturas metálicas (pilares e vigas). Propagação da Combustão Figura apresentada pelos autores
  48. 48. 48 Propagação da Combustão Convecção: A menor densidade dos gases aquecidos provoca correntes ascendentes dos mesmos e correntes descendentes do ar circundante, mais frio, deslocando-se desta forma a matéria aquecida para outros pontos. As correntes de convecção são, normalmente, ascendentes.
  49. 49. 49 Propagação da Combustão Convecção: Exemplos: Propagação exterior pela fachada de um edifício e, interior, pelas escadas, caixas de elevadores, corredores, coretes de cabos e condutas de ventilação. Figura apresentada pelos autores
  50. 50. 50 Projecção e deslocamento de matéria inflamada: Devido a dilatações bruscas dos materiais inflamados e/ou a correntes de ar fortes, é frequente dar-se a projecção de partículas aquecidas ou mesmo inflamadas (incandescentes), tais como pinhas, caruma, folhas, pequenos ramos, etc. Propagação da Combustão
  51. 51. 51 Projecção e deslocamento de matéria inflamada: Esta propagação é também possível pelo movimento de pequenos animais em chamas, faúlhas de locomotiva e artigos pirotécnicos. Propagação da Combustão Figura apresentada pelos autores
  52. 52. 52 Lição n.º 3 - RevisõesLição n.º 3 - Revisões • Combustíveis • Tendência para libertar vapores • Limites de inflamibilidade • Classes de fogos • Velocidade de combustão • Propagação de energia • Radiação • Condução • Convecção • Projecção e deslocamento de matéria inflamada
  53. 53. 53 Lição n.º 4 - SumárioLição n.º 4 - Sumário • Produtos da combustão • Desenvolvimento e progressão de um incêndio: • Fases de desenvolvimento de um incêndio • Combustão oculta • Combustão generalizada • Explosão de fumo
  54. 54. 54 Produtos da Combustão Os produtos da combustão são: Calor (energia) Fumo Gases Resíduos sólidos (cinzas e outros)
  55. 55. 55 Produtos da Combustão Calor Resultante da transformação de energia química noutras formas de energia, durante uma combustão, devido ao facto de se tratar de uma reacção exotérmica.
  56. 56. 56 Fumo É constituído por partículas sólidas em suspensão Deve-se, geralmente, à combustão incompleta e pode ser: Branco ou cinza pálido: muito oxigénio Escuro: pouco oxigénio Amarelo, rouxo, etc.: gases tóxicos. Produtos da Combustão
  57. 57. 57 Gases Vapor de água (H2O) - Queimaduras. Monóxido de carbono (CO) Incolor, inodoro, insípido e mais leve que o ar Provoca asfixia Responsável por um determinado tipo de explosões designadas por explosão de fumos Produtos da Combustão
  58. 58. 58 Gases Dióxido de carbono (CO2) Incolor, inodoro, insípido, mais pesado que o ar Em concentrações superiores a 10% é letal Dióxido de azoto (N2O) É anestésico Ataca o sistema respiratório provocando a morte em poucos minutos (concentrações entre 0,2 a 0,7%) Produtos da Combustão
  59. 59. 59 Gases Acido cianídrico (HCN) Produzido pela lã, seda e alguns plásticos Letal em poucos min. (concentração de 0,3%) Acido sulfídrico (H2S) Ataca o sistema nervoso, paralisando o sistema respiratório, acima de 0,07% em 30 minutos Amonia (NH3) Sistemas de refrigeração - dose letal: 0,3 a 0,7% numa a duas horas Produtos da Combustão
  60. 60. 60 TOXICIDADE DE GASES DE COMBUSTÃO Substância Admissível várias horas Perigoso em meia hora Mortal Origem Dióxido de carbono, CO2 1000 a 1500 3500 a 4000 60000 a 70000 Todos os materiais orgânicos Monóxido de carbono, CO 100 1500 a 2000 10000 Todos os materiais orgânicos Vapores nitrosos, NO/NO2 10 a 40 100 a 150 200 a 700 Fábricas de celulóide, brinquedos e estúdios cinematográficos Ácido cianídrico, HCN 15 100 180 a 270 Lã, seda e alguns plásticos Ácido clorídrico, HCL 10 1000 a 2000 1300 a 2000 Materiais sintéticos como o PVC Ácido sulfídrico, H2S 20 300 1000 Materiais orgânicos com enxofre Amoníaco, NH3 100 500 2500 a 5000 Em sistemas de refrigeração Cloro, Cl2 0,35 a 1,0 40 a 60 1000 Materiais à base de cloro, (pouco significativo) Fosgénio, COCl2 1,0 25 50 Materiais à base de cloro, (pouco significativo)
  61. 61. 61 Desenvolvimento de um incêndio • Junção de quatro factores do tetraedro do fogo I G N I Ç Ã O Incêndio Em Espaços Abertos • Os vapores libertados formam uma espécie de tecto sobre o oxigénio (ar) • O ar que se encontra frio, arrefece os vapores, que por sua vez transmitem o calor à superfície do solo, propagando o incêndio • Formação de uma espécie de flâmula (barbas soltas) ex: Incêndios florestais • O vento desempenha um papel importante juntamente com o tipo de terreno e material combustível ALTERAR ESTA TRANSPASRÊNCIA
  62. 62. 62 Incêndios em Espaços Confinados O desenvolvimento e progressão de um incêndio deve-se: • À quantidade de comburente existente • À quantidade e tipo de combustível existente • À forma como o combustível está disposto • Às condições de propagação de energia da combustão • A outros factores O balanço de todos estes factores define a maior ou menor complexidade do incêndio
  63. 63. 63 Incêndios em Espaços Confinados Fases de um incêndio 1 - Eclosão ou ignição 2 - Fase inicial 3 - Combustão livre 4 - Declínio das chamas
  64. 64. 64 Fase Inicial • Elevação da temperatura em função do tempo, pouco significativa, pequena taxa de libertação de fumos e gases Figura elucidativa da fase inicial de um incêndio (a criar)
  65. 65. 65 Fase de combustão livre • Elevada produção de chamas • Elevação sensível da temperatura • Ainda existe bastante oxigénio para alimentar a combustão Figura elucidativa da fase de combustão livre de um incêndio (a criar)
  66. 66. 66 • A libertação de energia provoca o envolvimento de mais combustível activando a combustão • Fase rápida - o incêndio é controlado pela quantidade, tipo e distribuição do combustível Combustão generalizada Combustão generalizada Fase de combustão livre Desta fase pode transitar-se para duas situações distintas Desta fase pode transitar-se para duas situações distintas AsfixiaAsfixia OUOU
  67. 67. 67 • Não existindo renovação de ar no local do incêndio • Verifica-se o decaimento das chamas, mantendo- se a temperatura elevada • Formam-se brasas • A quantidade de gases libertados é máxima Fase de asfixia SITUAÇÃO MUITO PERIGOSA PODE OCORRER UMA EXPLOSÃO DE FUMOS SITUAÇÃO MUITO PERIGOSA PODE OCORRER UMA EXPLOSÃO DE FUMOS
  68. 68. 68 • Desenvolvimento da combustão sem envolver chama • Pode desenrolar-se durante muito tempo sem se manifestar de forma visível - PERIGO Combustão oculta EXEMPLOS: • Forros de mobílias contendo algodão ou espuma de poliuretano; • Pilhas de aparas de madeira, de serradura ou de carvão; • Medas de estrume ou de palha não enfardada. EXEMPLOS: • Forros de mobílias contendo algodão ou espuma de poliuretano; • Pilhas de aparas de madeira, de serradura ou de carvão; • Medas de estrume ou de palha não enfardada.
  69. 69. 69 Declínio das Chamas • A combustão continua, progressivamente mais fraca, até ao declínio das chamas • Decaimento da taxa de libertação de calor • Este decaimento pode ser acelerado se for provocada a dissipação de energia
  70. 70. 70 • Ocorre a cerca de 500 - 600ºc, se existir bastante oxigénio para se atingir essas temperaturas • Trata-se da inflamação, quase em simultâneo, da totalidade dos gases resultantes da destilação dos combustíveis sólidos Figura elucidativa de uma combustão generalizada ( a criar) Figura elucidativa de uma combustão generalizada ( a criar) Combustão generalizada
  71. 71. 71 Explosão de Fumos • Com o desenvolvimento do incêndio num compartimento, maior quantidade de calor é libertado e gases não queimados são acumulados. • Os gases (como o CO) encontram-se próximo da temperatura de ignição. Não ardemNão ardem Falta o O2Falta o O2 Introdução de ar na zona abaixo resulta numa explosão de fumos
  72. 72. 72 • Fumo negro que se torna cinzento amarelado • Local fechado com calor excessivo • Pequena chama e pouco visível • Fumo a sair, sobre pressão e aos soluços, por pequenas aberturas do edifício • Vidros das janelas escurecidos pelo fumo Indicação de situação potencial para uma explosão de fumos (backdraft): Explosão de Fumos
  73. 73. 73 Lição n.º 4 - RevisõesLição n.º 4 - Revisões • Produtos da combustão • Desenvolvimento e progressão de um incêndio • Fases de desenvolvimento de um incêndio • Combustão oculta • Combustão generalizada • Explosão de fumo
  74. 74. 74 Lição n.º 5 - SumárioLição n.º 5 - Sumário • Métodos de extinção • Arrefecimento • Carência • Limitação do comburente • Inibição • Agentes extintores • A água
  75. 75. 75 Lição n.º 5Lição n.º 5 FALTAM TRANSPARÊNCIAS
  76. 76. 76 Lição n.º 5 - RevisõesLição n.º 5 - Revisões • Métodos de extinção • Arrefecimento • Carência • Limitação do comburente • Inibição • Agentes extintores • A água
  77. 77. 77 Lição n.º 6 - SumárioLição n.º 6 - Sumário • As espumas • Azoto e CO2 • Os pós extintores • Halons • Escolha do agente extintor
  78. 78. 78 Lição n.º 6Lição n.º 6 FALTAM TRANSPARÊNCIAS
  79. 79. 79 A AGENTES EXTINTORES ÁGUA JACTO PULVE- RIZADA ESPU- MA CO2 PÓ QUÍMICO ABC BC D HALONS B C D SIM BOM NÃO NÃO NÃO SIM MUITO BOM SIM ACEI- TÁVEL NÃO NÃO NÃO NÃO NÃO NÃO NÃO NÃO NÃO NÃONÃO NÃO NÃO SIM BOM SIM MUITO BOM SIM BOM SIM BOM SIM BOM SIM BOM SIM BOM SIM BOM SIM ACEI- TÁVEL SIM MUITO BOM SIM SIM SIM MUITO BOM AGENTE EXTINTOR CLASSES DE FOGOS SELECÇÃO DO AGENTE EXTINTOR
  80. 80. 80 Lição n.º 6Lição n.º 6 FALTAM TRANSPARÊNCIAS
  81. 81. 81 Lição n.º 6 - RevisõesLição n.º 6 - Revisões • As espumas • Azoto e CO2 • Os pós extintores • Halons • Escolha do agente extintor

×