Hemorragias

2.528 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.528
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
24
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
149
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Hemorragias

  1. 1. B O M B E I R O S T A T Escola Nacional de Bombeiros Curso de Tripulantes de Ambulância de Transporte
  2. 2. TAT Cap 6 Hemorragias2 Capítulo VI Hemorragias Escola Nacional de Bombeiros
  3. 3. TAT Cap 6 Hemorragias3 Capítulo VI Hemorragias Sempre que existe o rompimento de um vaso sanguíneo e o sangue sai do seu circuito normal estamos perante uma hemorragia. Definição Dependendo do tipo, calibre e da localização do vaso sanguíneo poderemos ter uma situação de maior ou menor gravidade.
  4. 4. TAT Cap 6 Hemorragias4 Capítulo VI Hemorragias Uma hemorragia grave necessita de socorro imediato, pois pode rapidamente levar à morte Somente a paragem ventilatória e a paragem cardíaca têm prioridade sobre as hemorragias Definição
  5. 5. TAT Cap 6 Hemorragias5 Capítulo VI Hemorragias Uma hemorragia maciça, originada por uma lesão que, habitualmente, não justificaria tal hemorragia, deverá alertar o tripulante A vítima poderá ser um hemofílico Definição Se a vítima possuir um cartão que o identifique como hemofílico o tripulante deverá seguir escrupulosamente os cuidados indicados
  6. 6. TAT Cap 6 Hemorragias6 Capítulo VI Hemorragias Hemorragia arterial  Rompimento de uma artéria  O sangue é vermelho vivo e sai em jacto em cada contracção do coração  Normalmente abundante  Difícil controle Classificação das hemorragias quanto à origem
  7. 7. TAT Cap 6 Hemorragias7 Capítulo VI Hemorragias Hemorragia venosa  Rompimento de uma veia  O sangue é vermelho escuro e sai de uma forma regular  Pode também ser abundante  Mais fácil de controlar que a arterial Classificação das hemorragias quanto à origem
  8. 8. TAT Cap 6 Hemorragias8 Capítulo VI Hemorragias Hemorragia capilar  Rompimento de capilares  Fácil controle  Pode parar espontaneamente Classificação das hemorragias quanto à origem
  9. 9. TAT Cap 6 Hemorragias9 Capítulo VI Hemorragias Hemorragia externas  Observáveis  Facilmente identificadas Classificação das hemorragias quanto à localização Hemorragia internas  Difícil reconhecimento  Suspeitar pelos sinais e sintomas  Causadas por doença ou trauma
  10. 10. TAT Cap 6 Hemorragias10 Capítulo VI Hemorragias Hemorragia internas  Visíveis  Exteriorizam-se pelos orifícios naturais do corpo (boca, nariz, ouvidos, ânus, vagina, etc.)  Invisíveis  Quando não existe saída de sangue para o exterior Classificação das hemorragias quanto à localização
  11. 11. TAT Cap 6 Hemorragias11 Capítulo VI Hemorragias Trauma  Forças de aceleração, desaceleração e compressão  Quedas de altura superior à do corpo  Feridas penetrantes  Lesões torácicas  Politraumatizados Principais causas das hemorragias internas
  12. 12. TAT Cap 6 Hemorragias12 Capítulo VI Hemorragias Doença  Úlceras  Estômago  Duodeno  Esófago  Aneurismas  Cérebro  Aorta Principais causas das hemorragias internas
  13. 13. TAT Cap 6 Hemorragias13 Capítulo VI Hemorragias  Hematemeses (vómito)  Melenas (fezes)  Hemoptises (expectoração)  Otorragia (ouvidos)  Epistaxes (nariz) Alguns tipos de hemorragias internas
  14. 14. TAT Cap 6 Hemorragias14 Capítulo VI Hemorragias  Saída evidente de sangue  Ventilação rápida e superficial  Pulso rápido e fino  Pressão arterial baixa (em hemorragias graves)  Pele pálida e suada  Hipotermia  Mal estar geral  Sede  Zumbido nos ouvidos  Ansiedade e agitação  Alterações da consciência e inconsciência Sinais e sintomas
  15. 15. TAT Cap 6 Hemorragias15 Capítulo VI Hemorragias Pressão directa Métodos de controle das hemorragias  Comprimir directamente com uma compressa esterilizada
  16. 16. TAT Cap 6 Hemorragias16 Capítulo VI Hemorragias Pressão directa Métodos de controle das hemorragias  Comprimir directamente com uma compressa esterilizada  Se necessário colocar outras compressas por cima e nunca retirar as primeiras
  17. 17. TAT Cap 6 Hemorragias17 Capítulo VI Hemorragias Pressão directa Métodos de controle das hemorragias  Comprimir directamente com uma compressa esterilizada  Se necessário colocar outras compressas por cima e nunca retirar as primeiras  Passar uma ligadura para segurar e manter a pressão
  18. 18. TAT Cap 6 Hemorragias18 Capítulo VI Hemorragias Pressão indirecta Métodos de controle das hemorragias  Quando existe um corpo estranho ou uma fractura  Comprimir nos pontos de compressão das artérias (raiz dos membros)
  19. 19. TAT Cap 6 Hemorragias19 Capítulo VI Hemorragias Garrote Métodos de controle das hemorragias  Utilizar só em último recurso  Aplicar quando todos os outros métodos falharem  Amputação  Nunca aliviar  Deixar o membro garrotado à vista  Registar a hora da garrotagem  Usar material largo e não elástico
  20. 20. TAT Cap 6 Hemorragias20 Capítulo VI Hemorragias Elevação do membro Métodos de controle das hemorragias  Pode ser associado aos outros métodos  A força da gravidade contraria a corrente sanguínea Imobilização  Auxilia a diminuir a circulação
  21. 21. TAT Cap 6 Hemorragias21 Capítulo VI Hemorragias Aplicação de frio Métodos de controle das hemorragias  Diminui o calibre dos vasos (vasoconstrição)  Utilizado essencialmente nas hemorragias internas  Compressas frias, gelo químico ou saco com gelo protegido com um pano ou toalha
  22. 22. TAT Cap 6 Hemorragias22 Capítulo VI Hemorragias Outras medidas de actuação  Manter as vias aéreas permeáveis  Controlar as hemorragias  Administrar oxigénio a 15 l/m  Não dar nada a beber  Manter a temperatura corporal  Reavaliar os sinais vitais
  23. 23. TAT Cap 6 Hemorragias23 Capítulo VI Hemorragias Questões ???

×