Em pleno deserto de Karakoum (Turcomenistão) perto da pequena localidade de
Darvaza, encontra-se uma cratera com uns cinqu...
O poço de Darvaza não é uma obra da natureza, mas o resultado
de uma desastrada prospecção mineira soviética feita em 1970
Uma equipe de geólogos perfurava o solo em busca de uma jazida de gás natural,
quando súbita e acidentalmente encontrou um...
Ninguém ousou descer pela cratera para resgatar a equipe de escavação, devido a
grande quantidade de gases tóxicos .Os geó...
A acção não foi muito bem sucedida, já que os soviéticos subestimaram
grosseiramente as dimensões da caverna e de seu cont...
Não se sabe por quanto tempo ainda o gás continuará a queimar na «Porta do Inferno».
Embora o poço se encontre numa região...
O intenso calor que emana da cratera permite às pessoas aproximarem-se
por apenas poucos minutos, pois a temperatura é ins...
À noite o espectáculo é dantesco, o fogo brilha em toda a sua amplitude, dando ao poço
um aspecto de cratera vulcânica ard...
À noite o espectáculo é dantesco, o fogo brilha em toda a sua amplitude, dando ao poço
um aspecto de cratera vulcânica ard...
A porta do inferno angborg
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A porta do inferno angborg

289 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
289
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
80
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A porta do inferno angborg

  1. 1. Em pleno deserto de Karakoum (Turcomenistão) perto da pequena localidade de Darvaza, encontra-se uma cratera com uns cinquenta metros de diâmetro e de mais de vinte de profundidade, baptizado pelos habitantes de «A porta do inferno». No interior deste poço arde um fogo há décadas, um incêndio que parece não ter fim.
  2. 2. O poço de Darvaza não é uma obra da natureza, mas o resultado de uma desastrada prospecção mineira soviética feita em 1970
  3. 3. Uma equipe de geólogos perfurava o solo em busca de uma jazida de gás natural, quando súbita e acidentalmente encontrou uma cavidade subterrânea que provocou um “sugamento” da equipe de escavação .
  4. 4. Ninguém ousou descer pela cratera para resgatar a equipe de escavação, devido a grande quantidade de gases tóxicos .Os geólogos decidiram atear fogo aos gases que emanavam do poço, incinerando a equipe, até que todo o gás fosse consumido
  5. 5. A acção não foi muito bem sucedida, já que os soviéticos subestimaram grosseiramente as dimensões da caverna e de seu conteúdo inflamável. O gás, que deveria se consumir em algumas semanas, continuou a queimar sem parar desde 1971, ou seja há quase 40 anos .
  6. 6. Não se sabe por quanto tempo ainda o gás continuará a queimar na «Porta do Inferno». Embora o poço se encontre numa região de difícil acesso e apesar das dificuldades burocráticas, muitas pessoas vão até este local isolado do Turcomenistão para observar o fenómeno de fascinante desolação .
  7. 7. O intenso calor que emana da cratera permite às pessoas aproximarem-se por apenas poucos minutos, pois a temperatura é insuportável .
  8. 8. À noite o espectáculo é dantesco, o fogo brilha em toda a sua amplitude, dando ao poço um aspecto de cratera vulcânica ardente, fazendo jus ao seu nome: «Porta do Inferno» Uma vez mais temos a prova do perigo de brincar com as forças da natureza, sobretudo quando não se conhece a sua extensão .
  9. 9. À noite o espectáculo é dantesco, o fogo brilha em toda a sua amplitude, dando ao poço um aspecto de cratera vulcânica ardente, fazendo jus ao seu nome: «Porta do Inferno» Uma vez mais temos a prova do perigo de brincar com as forças da natureza, sobretudo quando não se conhece a sua extensão .

×