O slideshow foi denunciado.
HT – Riscos QuímicosHT – Riscos Químicos
TEmA:TEmA:
“AgEnTEs sEnsibilizAdoREs dA pElE”
GRUPO:
oLurdes
oMarcos
oCarla
A Pele
 É o maior órgão do corpo humanoÉ o maior órgão do corpo humano
 Envolve o corpo determinando o seu limite com o
...
A Constituição da Pele
INTRODUÇÃO
 Estima-se que as doenças da pele de origemEstima-se que as doenças da pele de origem
profissional custem à Un...
Alergias
 É uma resposta exagerada do sistema imunológico a
uma substância estranha ao organismo, é uma
hipersensibilidad...
SintomatologiaSintomatologia
 O alérgico pode apresentar um ou vários, dos sinais
abaixo designados:
 Espirros consecuti...
Agentes SensibilizadoresAgentes Sensibilizadores
 São denominados por alergénios
(Substância que pode provocar uma
reacçã...
Como se desenvolvem?Como se desenvolvem?
 Em alguns casos por inalação ou ingestão dos
alergénios
 Por contacto da pele ...
ECZEMAECZEMA
((reacção inflamatória que ocorre devido ao contacto da pele com um agente irritante
ou que cause alergia )
...
Envelhecimento cutâneoEnvelhecimento cutâneo
(o efeito da exposição diária da pele ao sol)
 O motivo de tal
transformação...
ImpétigoImpétigo
(Infecção bacteriana da pele, causada pelos germes
estafilococos e estreptococos)
 A doença caracteriza-...
Exemplos de alergéniosExemplos de alergénios
 QUÍMICOSQUÍMICOS ::
 ArsénioArsénio (Metalurgia de minérios, fabricação,
p...
PREVENÇÃOPREVENÇÃO
 Avaliar as profissões de risco
 Eliminar ou substituir as substâncias perigosas
 Reduzir a exposiçã...
Informações adicionaisInformações adicionais
 Decreto-Lei nº 164/2001 de 23 de
Maio (aplica-se a estabelecimentos onde
es...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

1196982 ht riscos_quimicos

842 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

1196982 ht riscos_quimicos

  1. 1. HT – Riscos QuímicosHT – Riscos Químicos TEmA:TEmA: “AgEnTEs sEnsibilizAdoREs dA pElE” GRUPO: oLurdes oMarcos oCarla
  2. 2. A Pele  É o maior órgão do corpo humanoÉ o maior órgão do corpo humano  Envolve o corpo determinando o seu limite com o meio externo.  Corresponde a 16% do peso corporal  Exerce diversas funções, como: regulação térmica, defesa orgânica, controle do fluxo sanguíneo, protecção contra diversos agentes do meio ambiente e funções sensoriais (calor, frio, pressão, dor e tacto).  A pele é um órgão vital e, sem ela, a sobrevivência seria impossível.  É formada por três camadas: epiderme, derme e hipoderme, da mais externa para a mais profunda, respectivamente.
  3. 3. A Constituição da Pele
  4. 4. INTRODUÇÃO  Estima-se que as doenças da pele de origemEstima-se que as doenças da pele de origem profissional custem à União Europeiaprofissional custem à União Europeia € 600 milhões/ano 3 milhões de dias de trabalho perdidos  São afectados praticamente todos os sectores daSão afectados praticamente todos os sectores da Indústria e ComércioIndústria e Comércio  Muitos trabalhadores são obrigados a mudar deMuitos trabalhadores são obrigados a mudar de empregoemprego
  5. 5. Alergias  É uma resposta exagerada do sistema imunológico a uma substância estranha ao organismo, é uma hipersensibilidade imunológica a um estímulo externo específico.  Os portadores de alergias são chamados de “atópicos”.  A imunoglobulina é uma proteína que exerce importante papel no corpo humano.  É ela que vai dar início a um complexo sistema de defesa contra infecções e ataques de vírus e bactérias.  A imunoglobulina tem função de mensageira. É libertada na circulação sanguínea, percorre o organismo e ao deparar-se com o agente agressor para o qual foi concebida, fixa-se nele e promove a liberação de histamina (é um importante mediador das respostas alérgicas na pele, no nariz e nos olhos), que é a responsável pelos sintomas.
  6. 6. SintomatologiaSintomatologia  O alérgico pode apresentar um ou vários, dos sinais abaixo designados:  Espirros consecutivos  Nariz obstruído, com respiração pela boca.  Coriza (secreção nasal aquosa e fluida)  Tosse repetitiva  Prurido (coceira) nos olhos, nariz, garganta e em qualquer parte do corpo.  Lacrimação dos olhos  Erupções cutâneas  Urticárias  Edema (inchaço) nos lábios ou nas pálpebras  Conjuntivite, faringite, sinusite e otite alérgicas.  Marcas nas pálpebras  Dispneia (falta de ar)
  7. 7. Agentes SensibilizadoresAgentes Sensibilizadores  São denominados por alergénios (Substância que pode provocar uma reacção alérgica) e no campo laboral, podem classificar-se em dois tipos essenciais: 1. Produtos químicos (desenvolve-se normalmente de forma gradual) 2. Proteínas contidas nos materiais naturais (podem ocorrer muito rapidamente.
  8. 8. Como se desenvolvem?Como se desenvolvem?  Em alguns casos por inalação ou ingestão dos alergénios  Por contacto da pele com produtos químicos ou outras substâncias alergénicas  Reacções fotoalérgicas (substâncias perigosas provenientes de algumas plantas ou medicamentos, combinadas com a exposição solar  O seu desenvolvimento vai depender: da dosagem ou concentração da substância; da duração ou frequência do contacto com a mesma.
  9. 9. ECZEMAECZEMA ((reacção inflamatória que ocorre devido ao contacto da pele com um agente irritante ou que cause alergia )  O eczema por irritante primário ocorre pela acção directa da substância sobre a pele, que a danifica e desencadeia a reacção. Pode ser:  Agudo: quando a substância causadora tem concentração alta e a resposta é imediata à exposição.  Crónico: quando a pele é exposta repetidamente a substâncias irritantes de baixa concentração, provocando um dano cumulativo.  O eczema alérgico ocorre quando uma substância alergénica entra em contacto com a pele e, ligando-se a proteínas da própria pele, passa a ser reconhecida como estranha ao organismo, que desencadeia uma resposta imunológica para combatê- la.
  10. 10. Envelhecimento cutâneoEnvelhecimento cutâneo (o efeito da exposição diária da pele ao sol)  O motivo de tal transformação são as alterações decorrentes do envelhecimento intrínseco e extrínseco da pele Intrínseco - quando é decorrente do desgaste natural do organismo Extrínseco - quando decorre do efeito da radiação ultravioleta do sol sobre a pele durante toda a vida
  11. 11. ImpétigoImpétigo (Infecção bacteriana da pele, causada pelos germes estafilococos e estreptococos)  A doença caracteriza-se pelo surgimento de vesículas e bolhas com pus que rapidamente se rompem (muitas vezes as bolhas nem são vistas) deixando áreas rosadas cobertas por crostas espessas de aspecto semelhante ao mel.  Podem ser várias pequenas lesões disseminadas ou poucas que vão aumentando progressivamente de tamanho
  12. 12. Exemplos de alergéniosExemplos de alergénios  QUÍMICOSQUÍMICOS ::  ArsénioArsénio (Metalurgia de minérios, fabricação, preparação e emprego de tintas, lacas, insecticidas, parasiticidas e raticidas, etc.)  BenzenoBenzeno (instalações petroquímicas; indústria química ou de laboratório; produção de cola sintética; produção de tintas; impressores (especialmente na fotogravura);  AmiantoAmianto ((extracção de rochas amiantíferas, perfuração, corte, desmonte, trituração, peneiramento e manipulação; despejos do material proveniente da extracção, trituração; mistura, cardagem, fiação e tecelagem de amianto)  FlúorFlúor (siderurgia; fabricação de ladrilhos, telhas, cerâmica, cimento, vidro, esmalte, fibra de vidro, fertilizantes ;produção de gasolina (como catalisador); soldagem eléctrica; calefacção de superfícies; sistema de combustível para foguetes  CrómioCrómio (construção civil - pessoas expostas à preparação de cimento fresco)
  13. 13. PREVENÇÃOPREVENÇÃO  Avaliar as profissões de risco  Eliminar ou substituir as substâncias perigosas  Reduzir a exposição: Instalar dispositivos de protecção colectiva (ventilação por extracção localizada, protecções, divisórias anti-salpicos, etc.)  Fornecer EPI’s (luvas, vestuário, máscaras, etc..) Elaborar plano de protecção da pele Fornecer instalações de lavagem adequadas Boa gestão e higiene pessoal  Monitorizar as ocorrências  Informar, consultar e formar os trabalhadores
  14. 14. Informações adicionaisInformações adicionais  Decreto-Lei nº 164/2001 de 23 de Maio (aplica-se a estabelecimentos onde estejam presentes substâncias perigosas)  Portaria nº 193/2002 de 4 de Março (estabelece os códigos e modelos de relatórios de informação de acidentes graves)  Decreto-Lei nº 290/2001 de 16 de Novembro (Anexo – agentes químicos sujeitos a valores limite de exposição profissional)

×