“A nossa luta é pra vencer.”
Diário da ocupação da superintendência do
INCRA-GO.
De junho a julho de 2011.
Pedro Ferreira ...
A todas as famílias organizadas pelo Movimento
Popular Terra Livre, Movimento de Libertação dos
Sem Terra, Federação dos T...
Apresentação
Memórias de uma luta
Recebi a missão dos companheiros da coordenação dos
movimentos que ocuparam a superinten...
O diário foi uma ação muito importante para divulgar a
nossa luta e para que também conseguíssemos apoio de
diversas organ...
sentisse parte dela, para que ele pudesse sentir o clima
em que vivíamos – Nossas angustias, tristezas,
esperanças e alegr...
inspirava muita gente e por outro lado conseguíamos
furar o bloqueio da mídia, conseguir apoio do Brasil
todo e nos blinda...
Movimento Terra Livre, MLST e a FETRAF
ocuparam nessa madrugada o INCRA de Goiás
Nota à impressa
Cerca de 280 famílias org...
Senado e o veto pela presidente do novo texto do
Código Florestal aprovado pela Câmara dos Deputados.
2. Agilidade no proc...
Canto a luta da ocupação do INCRA-GO
Em uma fria madrugada de junho,
começou a nossa ação
sabíamos o que queríamos,
mais a...
Mais todas as dificuldades
serviu para nos fortalecer
dividir as dores dos dias,
como também as alegrias,
levou-nos a venc...
Agora de volta para casa com a vitória na mão
só temos uma certeza,
Nossa maior vitória foi nossa transformação.
Diário da ocupação do INCRA – Regional Goiás
Segunda-feira, 27 de Junho de 2011 - 1º dia.
Na madrugada do dia 27/06, cerca...
Terça-feira, 28 de junho de 2011 - 2º dia.
Começou com a presença da Deputada Federal Marina
Santana (PT) que declarou apo...
Estudantes do curso de psicologia da UFG
compareceram para dar o seu apoio e a proposta de
fazer um curso de formação entr...
Quarta-feira, 29 de junho de 2011 - 3º dia.
As famílias acampadas na superintendência regional do
INCRA continuam firme na...
- Sábado (02/06) ás 19h00 exibição do filme “Tapete
vermelho” e debate em seguida.
- Domingo (03/06) dás 08h00 ás 18h00 cu...
A reunião começou com a leitura da moção de apoio a
ação feita pelo DCE-UFG, em seguida foi dado
informe de que em vários ...
não estava, mas assim que chegar olhará a pauta dos
movimentos e dará uma resposta.
Mais uma vez foi ressaltada a posição ...
No fim da tarde fomos até a faculdade de educação da
UFG para conversar com alunos do curso de psicologia
sobre a ação dos...
Quinta-feira, 30 de junho de 2011 - 4º dia.
Chegamos ao 4º dia da ocupação da superintendência
regional do Incra – Goiás, ...
Gilberto Carvalho e a Ministra de relações institucionais
a senhora Ideli Salvati e que após essa conversa nos
dará uma po...
organização presente se comprometeu a mobilizar mais
gente para a próxima semana.
À noite uns grupos dos acampados no INCR...
As famílias continuam firme no seu objetivo tendo
convicção do papel importante que essa ação terá para
questão agrária no...
A tarde teve reunião da coordenação para fazer um
balanço e avaliação da ação e discussão sobre os
próximos passos a serem...
19h00- Mostra de cinema, exibição do filme “Tapete
vermelho” e debate em seguida.
22h00- Forró Cultural.
Sábado, 02 de jun...
crise mundial e seus efeitos no Brasil como o corte no
orçamento de 50 bilhões sobre tudo das áreas como
educação, saúde e...
Atividades com estudantes da UFG na ocupação
do INCRA
Por Danilo Oliveira e Silva - Estudante de
Psicologia – UFG
Na tarde...
processo de reforma agrária em Goiás; a imediata
substituição do atual superintendente do INCRA em
Goiás por alguém que te...
aberta pelos Movimentos e o total apoio às lutas do
povo pela construção de uma sociedade
economicamente justa, socialment...
Segunda-feira, 04 de julho de 2011 – 8º dia.
Vitória dos movimentos: Primeiro ponto de pauta é
atendido, presidente nacion...
ocupar o cargo de superintendente regional. Por tanto
um quadro com capacidade técnico – operativo,
político e de dialogo ...
PRONERA, mais até o momento tem ficado só na
promessa. Enquanto isso centenas de trabalhadores
camponeses estão sem o dire...
servidores federais no Hospital Universitário em
solidariedade a luta dos companheiros que estão em
greve.
A tarde um grup...
no INCRA e por ventura venha precisar de
atendimento médico. Nesse sentido a secretaria
disponibilizou o CAIS do jardim Gu...
Quarta-feira, 06 de julho de 2011 - 10º dia.
Após as famílias tomarem o café da manhã, logo foi
convocada uma assembleia g...
Estadual pela Reforma Agrária e Justiça no Campo que
trouxe um abraço e uma saudação de Dom Tomás
Balduíno que não pode co...
da reforma agrária na ordem do dia, o que não tem
acontecido nos últimos tempos.
Para todos os presentes essa ação marca u...
A Luta continua
Na parte da tarde as coordenações dos movimentos que
estão comandando a ocupação do INCRA fizeram uma
reun...
Ás 20h00 Roda de diálogo sobre a participação da
juventude no movimento popular
Diário da Ocupação do INCRA – Goiás: A lut...
As pessoas que participaram do curso elogiarão
bastante a atividade destacando a importância da
mesma, os companheiros que...
A noite foi exibido o filme “Cadê profiro” do cineasta
Hélio Brito que conta a história do líder camponês José
Porfírio de...
Domingo, 10 de julho de 2011 - 14º dia.
Famílias acampadas no INCRA discutem em
seminário propostas para o funcionamento d...
moralização da administração do órgão. O seminário
durou a tarde toda e as famílias avaliaram como muito
positivo o mesmo,...
Segunda-feira, 11 de julho de 2011 - 15º dia.
Coordenação da ocupação vai ao INCRA nacional
em Brasília tentar conversar c...
As famílias que estão no INCRA têm total convicção
de que a vitória final exigirá de nós mais duas semanas
de sacrifício, ...
Nossa luta tem como objetivo a transformação radical
dessa sociedade, queremos superar o capitalismo, e a
reforma agrária ...
cultura se reuniu para organizar uma agenda de
atividades. Em resumo foi um dia de articulação e
organização interna da oc...
energia solar. As famílias pretendem reivindicar que
sejam montados kits com materiais para construir esses
projetos alter...
De uma forma bem didática e dinâmica, incentivando a
participação integral do grupo presente a professora
Márcia Jorge con...
necessidade de conversar com a polícia e o juiz sobre a
questão da reintegração de posse.
Foi colocado que essa tem sido a...
Diário da Ocupação do INCRA – Goiás: “Nas
praças, nas ruas, quem disse que sumiu, a que está
presente que quer mudar o Bra...
Nesse sentido após a assembleia geral a companheira
Márcia Jorge do SINTSEPE-GO dá continuidade ao
curso sobre “Como funci...
Dom Tomás Balduino figura histórica da luta pela
reforma agrária de renome internacional, fundador da
Comissão Pastoral da...
movimentos que estão sendo comercializados na
barraca da ocupação instalada na praça universitária.
Todos os dias mais est...
fizeram um bonito ato que contou com a participação
de cerca de mil participantes,
Gritando palavras de ordem como “Os est...
retomar a Une e fazer dessa instituição outrora
aguerrida novamente um instrumento de luta em defesa
dos direitos da class...
do exemplo de unidade dessa ação, colocando a
dificuldade que é conseguir a unidade hoje mesmo entre
o setor de esquerda d...
improvisada do movimento Terra Livre a turma
começou a improvisar canções sertanejas em ritmo de
samba (por isso sambanejo...
levantar muitos fundos para continuidade da nossa
ação.
Já na ocupação o dia é de descanso, sem assembleia
geral, sem reun...
renovamos as nossas energias para mais uma semana de
luta.
Segunda – feira, 18 de julho de 2011 - 22º dia.
Coordenação ger...
Campo que ficou com a responsabilidade de coordenar
a reunião fez uma breve introdução sobre o papel do
fórum de reforma a...
Jovair Arantes, no entanto o presidente conseguiu
articular junto aos ministros que diante do quadro
colocado e dos nomes ...
Já por volta das 15h retomamos a reunião com o
presidente do INCRA, o procurador geral e o Jorge
Tadeu futuro superintende...
alguns dias tentando que fosse executada uma liminar
de despejo, no entanto o INCRA nacional estava
conseguindo barrar.
A ...
presidente do INCRA iriam a Goiás para uma reunião
com os servidores e o fórum de reforma agrária, essa
reunião acontecerá...
mão de alguém do INCRA nacional e do novo
superintendente.
Diário da ocupação do INCRA – Goiás: Momentos
finais de uma bat...
risadas e diversão para as famílias sobre tudo para as
crianças.
Quarta-feira, 20 de julho de 2011 - 24º dia.
A frustração...
já tínhamos ido até ali não dava para voltar para trás,
não podíamos transformar uma possibilidade de vitória
em derrota, ...
Quinta-feira, 21 de julho de 2011 - 25º dia.
Para Brasília mais uma vez: Ou vai ou racha!
Logo na madrugada a coordenação ...
Todos achavam que retornaríamos para nossa casa
naquele dia e acabamos por descuidar da organização
interna, o que era nor...
pólvora, gritos de comemoração foram ouvidos, mais a
coordenação com os pés no chão pediu para que todos
se acalmassem, ma...
suas bandeiras, gritos de guerra se preparava para o ato
de entrega da chave ao novo superintendente como
também pela deso...
Goiânia nesta sexta-feira ás 14h, pretendemos com isso
marcar um novo período na luta pela reforma agrária
em Goiás.
Por t...
NOTA A IMPRENSA
Ocupação do INCRA será encerrada após vitória
dos movimentos
Goiânia, 22 de julho de 2011.
Após 25 dias de...
novo superintendente do órgão em Goiás o senhor
Jorge Tadeu.
A pauta principal dos movimentos que estavam
ocupando o INCRA...
compromisso político e ideológico com a reforma
agrária.
Por tanto ao conseguirmos essa importante vitória
decidimos por d...
*Segue em anexo portaria emitida pelo Senhor
Celso Lacerda presidente nacional do INCRA.
Portaria emitida pelo Presidente ...
cargo efetivo de Fiscal de Cadastro e Tributação Rural,
matrícula SIAPE nº 1031842, CPF nº 140.452.064-34,
para exercer o ...
pelo art. 21, da Estrutura Regimental deste Instituto,
aprovada pelo Decreto n.º 6.812, de 03 de abril de
2009, publicado ...
NOEMIR BRITO OLIVEIRA, Procuradora Federal,
matrícula SIAPE nº 0720405, CPF nº 167.550.141-68,
do cargo em comissão de Che...
O ato final – Desocupação do INCRA-GO
Ás 14h00 o novo superintendente Jorge Tadeu já se
encontrava na ocupação com o procu...
da nomeação do novo superintendente, falando de todo
o processo burocrático e articulações políticas que
aconteceram até a...
cansaço visto nos olhos de todos, o sorriso fácil
mostrava a alegria da missão cumprida e a esperança de
que dali para fre...
Vai companheiro, ti encontro na luta
Aos companheiros e companheiras que fizeram parte da
ocupação do INCRA-GO
I
Nesses 26...
IV
Sentirei a tua falta, de acordar e não tiver
de ouvir a sua voz cantando “a nossa luta é pra vencer”
mas sei que nessas...
Nos bastidores da ocupação
Sofrendo no frio
Na ocupação todo mundo se arranjava como podia.
Nada de mordomia, ao contrario...
Desde que passei a morar em Goiânia (em 2005), todos
os anos quando minha mãe vinha nos visitar eu fazia
questão de ir bus...
com a minha militância politica, pois o que se fala do
movimento sem terra e o que se mostra na TV não é
muito animador. N...
alguma reclamação e alguns pontos que eram
necessários melhorar.
Como todos pensavam que naquela quinta-feira
estaríamos v...
acontecendo em Brasília, assim eu era sempre parado
nos corredores com a pergunta se a exoneração do atual
superintendente...
que defendem e lutam pela reforma agrária em Goiás
para um ato em defesa da reforma agrária que ocorreria
na ocupação.
Á n...
me cumprimentar e me abraçar. Por fim comecei a
cumprir a tarefa de assessor de imprensa recebendo
uma enxurrada de ligaçõ...
para minha casa apenas no domingo a tarde quando
então embarcamos os últimos companheiros do
movimento Terra Livre rumo a ...
político, colocando assim pessoas que não tem
nenhuma condição de gerir estas pastas). um sujeito da
direita ligado a seto...
No entanto, apesar desse quadro desolador, sobretudo
quando vemos grandes movimentos tal como foi na
ocupação do INCRA de ...
ALGUNS MOMENTOS DA OCUPAÇÃO
Sobre o autor
Pedro Ferreira Nunes é Poeta e escritor. - Natural de
Miracema do Tocantins, cidade em que nasceu em 18
de m...
Agrária em Goiás’ e ‘Estudos sobre os Efeitos
Econômicos e Sociais do Agronegócio
tocantinense, além de diversos contos, c...
"A nossa luta é pra vencer..." Diário da ocupação do INCRA-GO
"A nossa luta é pra vencer..." Diário da ocupação do INCRA-GO
"A nossa luta é pra vencer..." Diário da ocupação do INCRA-GO
"A nossa luta é pra vencer..." Diário da ocupação do INCRA-GO
"A nossa luta é pra vencer..." Diário da ocupação do INCRA-GO
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

"A nossa luta é pra vencer..." Diário da ocupação do INCRA-GO

754 visualizações

Publicada em

Após 04 anos da ocupação da superintendência regional do INCRA-GO organizada pelo Movimento Popular Terra Livre, pelo Movimento de Libertação dos Sem Terra – MLST, pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar – FETRAF, pelo Movimento de Volta dos Trabalhadores ao Campo – MVTC e pelo Movimento Brasileiro dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MBTR que culminou com a queda do então superintendente do órgão o senhor Rogerio Arantes.




Resolvemos reorganizar e lançar no formato de livro digital o diário da ocupação escrito no período dessa importante ação do movimento por reforma agrária em Goiás e que foi amplamente divulgado em sites e blogs de norte a sul do país. Aproveitei para acrescentar alguns comentários como também algumas cenas dos bastidores da ocupação que não foi para o diário.




O objetivo desse livro é resgatar essa importante luta do movimento popular por reforma agrária em Goiás, bem como no sentido de servir de exemplo para aqueles que continuam resistindo na luta por essa importante bandeira.




Mesmo com a vitória da ocupação precisamos ressaltar que após quase quatros anos de governo Dilma (PT) – aqueles que lutam por uma reforma agrária de fato em todo o Brasil não tem muito que comemorar, ao contrario tivemos mais retrocessos que avanços na luta contra o latifúndio e o agronegócio. Ano após ano o governo Dilma bate recordes negativos em relação ao assentamento de novas famílias, assim como aprova leis como a reforma do código florestal que fortalece o agronegócio.




A ocupação da superintendência do INCRA de Goiás em 2011 não foi apenas uma ação para derrubar o então superintendente que lá estava defendendo os interesses dos ruralistas, mas foi, sobretudo uma ação em defesa da reforma agrária. Infelizmente os grandes movimentos de luta por reforma agrária hoje no Brasil estão extremamente recuados – as tentativas de unidade entre as organizações após o congresso camponês em 2012 pouco se efetivou e muita pouca luta se fez contra o avanço do agronegócio. Apesar da conjuntura difícil é extremamente importante continuarmos resistindo e lutando por uma reforma agrária de fato no Brasil e nesse sentido espero que esse resgate histórico possa contribuir.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
754
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

"A nossa luta é pra vencer..." Diário da ocupação do INCRA-GO

  1. 1. “A nossa luta é pra vencer.” Diário da ocupação da superintendência do INCRA-GO. De junho a julho de 2011. Pedro Ferreira Nunes Lajeado-TO 2014
  2. 2. A todas as famílias organizadas pelo Movimento Popular Terra Livre, Movimento de Libertação dos Sem Terra, Federação dos Trabalhadores e trabalhadoras da agricultura familiar de Goiás, Movimento de Volta dos Trabalhadores ao Campo e ao Movimento Brasileiro dos Trabalhadores Rurais que participaram da ocupação do INCRA-GO em 2011. Em especial aos camaradas: Zelito, Queila, Danilo, Alessandra, Matheus, Dona Fatima, Geraldo, Lena, Géssica, Aloisio, Cida, Valdelice, Antônio Chagas, Geraiton, Lazim, Aparecido, Anair e Nega.
  3. 3. Apresentação Memórias de uma luta Recebi a missão dos companheiros da coordenação dos movimentos que ocuparam a superintendência regional do INCRA em Goiás de ficar responsável pela assessoria de comunicação dessa ação. Com isso o camarada Zelito do Movimento Terra Livre, organização da qual eu também fazia parte – Deu a ideia de fazermos o diário da ocupação para divulgarmos o dia a dia na ocupação e as ações que iriamos realizar, pois com o passar dos dias a ação tenderia a cair no esquecimento, sobretudo pelos veículos oficiais de comunicação, com o diário manteríamos a ocupação em pauta. A ideia inicial era que fizéssemos os relatos coletivamente, mas já nos dois primeiros houve grande dificuldade para reunir todo mundo, sobretudo por que sempre havia outras atividades e problemas que surgiam que o núcleo dirigente precisava resolver. Por tanto acabou ficando para mim a responsabilidade de fazer os relatos que sempre quando era possível eu submetia ao crivo de alguns camaradas.
  4. 4. O diário foi uma ação muito importante para divulgar a nossa luta e para que também conseguíssemos apoio de diversas organizações da classe trabalhadora. Os relatos foram reproduzidos em diversos sites e blogs de norte a sul do país, assim como chegou a nossas mãos diversas manifestações de apoio graças às informações que passávamos através do diário, o que com certeza contribuiu para que fizéssemos a maior ocupação do INCRA-GO. E mesmo com o boicote da grande mídia na maior parte do tempo que ficamos acampados no INCRA, conseguimos manter o Brasil informado do que se estava passando em Goiânia. Quando comecei escrever era como estivesse fazendo uma nota à imprensa, mas ao longo dos dias o mesmo foi ganhando um caráter mais eloquente e emotivo, sobretudo por que a imprensa estava se lixando pelo que nós estávamos fazendo lá dentro. A não ser se fizéssemos como defendia um companheiro da direção – Tocássemos fogo em umas caminhonetes do governo, dai a imprensa apareceria para nos chamar de vândalos e com eles a policia para nos reprimir. Por fim o caráter do diário foi mudando, já não era um informativo meramente, queríamos trazer o leitor para dentro da ocupação com a gente, para que ele se
  5. 5. sentisse parte dela, para que ele pudesse sentir o clima em que vivíamos – Nossas angustias, tristezas, esperanças e alegrias. Lembro-me de uma ligação que recebi de uma senhora que morava em um assentamento no vale do Araguaia – Ela disse que havia lido o diário e tinha se emocionado com o nosso exemplo de força e resistência. Lamentava por não poder esta conosco na ocupação, pois não tinha como largar seu lote. E pediu para que eu agradecesse a todos, pois sabia que estávamos lutando por todos os acampados e assentados de Goiás independente do movimento que faziam parte; Que eu desse um grande abraço e falasse que ela estaria rezando por nós, pela nossa vitória. Esse telefonema foi uma grande injeção de animo para que eu continuasse escrevendo o diário, pois não era simples achar um tempo para escrevê-lo, já que eu tinha outras tarefas na ocupação bastante cansativas. Alguns companheiros chegaram a dizer que não era bom escrever o diário, pois dávamos muita informação a cerca do que iriamos fazer e assim os nossos inimigos sempre sabiam do nosso próximo passo. Já outros elogiavam, pois o nosso exemplo de luta e resistência
  6. 6. inspirava muita gente e por outro lado conseguíamos furar o bloqueio da mídia, conseguir apoio do Brasil todo e nos blindarmos contra qualquer ação truculenta por parte das autoridades. Reorganizar esses relatos é resgatar a memoria e o exemplo dessa importante luta do movimento campesino por reforma agrária em Goiás, sobretudo em um período em que os que bravamente continuam resistindo e persistindo na luta por reforma agrária não tem o que comemorar. Assim espero que esse relato possa inspirar, sobretudo a juventude camponesa a continuar a tão importante e necessária luta por reforma agrária em Goiás e em todo o Brasil. Pedro Ferreira Nunes
  7. 7. Movimento Terra Livre, MLST e a FETRAF ocuparam nessa madrugada o INCRA de Goiás Nota à impressa Cerca de 280 famílias organizadas pelo Movimento Popular Terra Livre, o Movimento de Libertação dos Sem-Terra (MLST) e a Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (FETRAF) ocuparam a Superintendência Regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) nesta segunda feira, 27 de junho de 2011, pois nossa paciência acabou! Não temos mais como esperar. Diante da grave situação que encontramos na luta pela terra e a lentidão da reforma agrária nacional e no estado de Goiás decidimos ocupar a Superintendência Regional do INCRA e apresentar nossas reivindicações. Estamos dispostos ao diálogo, mas não com a atual superintendência que já mostrou a que veio. Portanto exigimos: 1. O fim da violência no campo, a prisão e condenação dos responsáveis pelos assassinatos de camponeses e ativistas ambientais no Norte do Brasil, assim como também defendemos a rejeição pelo
  8. 8. Senado e o veto pela presidente do novo texto do Código Florestal aprovado pela Câmara dos Deputados. 2. Agilidade no processo de reforma agrária nacionalmente e no estado de Goiás, para tanto é necessário pagamento dos Títulos da Dívida Agrária (TDAs) das fazendas que estão com decreto e que, há mais de dois anos, aguardam o lançamento das TDAs pelo tesouro. 3. Pagamento dos créditos das famílias assentadas; 4. A suspensão do recadastramento proposto pelo Ministério Público Federal. Demandamos que o INCRA rediscuta com os movimentos os critérios e a forma de realização do cadastro; 5. A imediata substituição do atual superintendente do INCRA de Goiás. Direção Estadual do Movimento Popular Terra Livre, Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar - FETRAF e Movimento de Libertação dos Sem Terras - MLST.
  9. 9. Canto a luta da ocupação do INCRA-GO Em uma fria madrugada de junho, começou a nossa ação sabíamos o que queríamos, mais até aonde iríamos, ninguém sabia não! Vínhamos de vários cantos, de regiões do estado homem, mulheres e crianças, trazendo nos rostos a lembrança, o nosso destino traçado. Dividimos nossas incertezas, o frio e também o sono das noites mal dormidas, as obrigações assumidas, como também a fome!
  10. 10. Mais todas as dificuldades serviu para nos fortalecer dividir as dores dos dias, como também as alegrias, levou-nos a vencer. Depois de tantos dias nos tornamos irmãos aprendemos a dividir, a pensar coletivamente a fazer revolução. Nossa força adquirida superou o cansaço, e o ataque dos inimigos, o jogo sujo do poder até que muito tentou, mais não consegui nos vencer.
  11. 11. Agora de volta para casa com a vitória na mão só temos uma certeza, Nossa maior vitória foi nossa transformação.
  12. 12. Diário da ocupação do INCRA – Regional Goiás Segunda-feira, 27 de Junho de 2011 - 1º dia. Na madrugada do dia 27/06, cerca de 280 famílias organizadas pelos movimentos: Terra Livre, MLST e FETRAF ocuparam a superintendência regional do INCRA Goiás tendo como pauta a substituição imediata do atual superintendente (Rogério Arantes), a não aprovação do novo texto do código florestal pelo Senado e o veto da presidente Dilma, como também agilidade no processo de reforma agrária no Brasil e especialmente em Goiás. Os movimentos elaboraram uma carta para as autoridades regionais e nacionais exigindo agilidade na indicação do novo superintendente para o órgão em Goiás, além de cobrar a não aprovação do novo texto do código florestal e agilidade no processo de reforma agrária. Também foi feito uma nota a imprensa informando sobre a ação. Na parte da tarde as famílias receberam a visita e o apoio do deputado estadual Mauro Rubem (PT), também da CSP-Conlutas de Goiás do DCE- UFG e a assessoria da deputada federal Marina Santana (PT).
  13. 13. Terça-feira, 28 de junho de 2011 - 2º dia. Começou com a presença da Deputada Federal Marina Santana (PT) que declarou apoio à ação e se comprometeu em levar a pauta de reivindicações dos movimentos para o presidente nacional do INCRA e para ministra de relações institucionais Ideli Salvati. Também durante todo o dia mais famílias foram se incorporando a ocupação e fortalecendo a luta dos movimentos. O clima na ocupação é de resistir até que as reivindicações sejam atendidas. A coordenação da ocupação decidiu convocar mais pessoas de acampamentos e assentamentos para somar a luta. Nesse sentido dois outros movimentos decidiram se incorporar a luta. O movimento de volta dos trabalhadores ao campo (MVTC) e o Movimento Brasileiro dos Trabalhadores Rurais (MBTR) decidiram se incorporar com mais 100 famílias. As coordenações dos movimentos que estão ocupando o INCRA (Terra Livre, MLST e FETRAF) se reuniram para discutir e avaliar os dois dias da ação. Até o momento nossa ação tem sido vitoriosa por que fizemos de forma organizada e planejada.
  14. 14. Estudantes do curso de psicologia da UFG compareceram para dar o seu apoio e a proposta de fazer um curso de formação entre um grupo de estudantes da universidade e os movimentos sociais. A proposta foi aprovada e as coordenações dos movimentos colocaram a necessidade de fazer atividades de formação e culturais nas horas livres. Na parte da tarde um canal de televisão compareceu a ocupação e fez uma reportagem interessante que com certeza irá ajudar no fortalecimento de nossa luta e furar o bloqueio da mídia. O dia foi encerrado com a projeção do filme Tempos Moderno. A cada momento mais famílias tem chegado e se incorporado à ocupação, os movimentos não abriram mão da pauta apresentada e se as autoridades não derem retorno estamos dispostos a radicalizar nossa ação.
  15. 15. Quarta-feira, 29 de junho de 2011 - 3º dia. As famílias acampadas na superintendência regional do INCRA continuam firme na luta para que as autoridades que respondam pela reforma agrária tanto a nível nacional como regional possam dar encaminhamento a pauta apresentada pelos movimentos sociais que estão ocupando o INCRA. Nesse sentido as famílias continuam firme no objetivo de só desocupar a superintendência quando as reivindicações apresentadas forem de fato encaminhadas pelas autoridades responsáveis. Caso contrário o objetivo é a cada dia fortalecer a ocupação com mais acampados e assentados se incorporando. Ainda pela parte da manhã as famílias receberam a visita da companheira Ana Lucia do Centro Cultural Eldorado dos Carajás que fora convidada pela coordenação da ocupação para ministrar cursos de formação nas horas vagas para as famílias que estão acampadas no INCRA, tendo em vista a necessidade de fazer atividades de formação político-cultural nos momentos mais tranquilos da ocupação. Nesse sentido tirou-se uma agenda com a companheira que irá realizar essas atividades de formação que serão:
  16. 16. - Sábado (02/06) ás 19h00 exibição do filme “Tapete vermelho” e debate em seguida. - Domingo (03/06) dás 08h00 ás 18h00 curso sobre “Como funciona a sociedade”. - Segunda – feira (04/06) ás 19h00 exibição do filme “Tropa de Elite” e debate em seguida. Estudantes do Diretório Central dos Estudantes da universidade federal de Goiás e do Centro acadêmico de psicologia participarão de uma atividade de formação no sábado ás 14h00 para conhecer a luta dos movimentos populares, sua organização, e dialogar sobre a conjuntura atual para os movimentos populares. Após o almoço foi convocada uma assembleia geral para dar informe sobre os encaminhamentos políticos da ocupação, a organização e funcionamento como também as atividades de formação apresentadas acima. Sobre a nossa organização interna tudo tem funcionado, alimentação, cozinha, limpeza infraestrutura entre outras, claro que algumas melhores que outras, mas é necessário nos organizar melhor para superar as dificuldades que forem aparecendo.
  17. 17. A reunião começou com a leitura da moção de apoio a ação feita pelo DCE-UFG, em seguida foi dado informe de que em vários estados brasileiros tem acontecido mobilizações sobre tudo relativos à questão da lentidão da reforma agrária, todos têm pressionado o INCRA nacional para que dê respostas concretas para os movimentos sociais e as famílias que estão na luta por um pedaço de chão ou que já tem o seu mais que esperam a infraestrutura nos seus assentamentos. Colocou-se que nossa pauta apresentada já chegou à mão de todas as autoridades, no entanto as mesmas pouco se moveram até o momento. Por tanto é necessário que nos preparemos para ficar até o tempo que for necessário, isso é, até que nossas reivindicações sejam atendidas, e que lutemos para que mais companheiros se incorporem a nossa luta, pois nossa pauta de reivindicações é extensa e para que ela seja atendida é necessário que fortaleçamos nossa luta com mais pessoas todos os dias. Foi colocado o contato que a coordenação da ocupação fez com o INCRA nacional com Junior Fidelis da procuradoria nacional do INCRA e da advogada do órgão, a Drª Quitéria. Junior Fidelis informou que o presidente nacional do INCRA o senhor Celso Lacerda
  18. 18. não estava, mas assim que chegar olhará a pauta dos movimentos e dará uma resposta. Mais uma vez foi ressaltada a posição dos movimentos presentes que é de não indicar nomes para superintendência mais sim um perfil. Queremos a substituição imediata do atual superintendente e posteriormente uma audiência com o presidente nacional do INCRA e o novo superintendente para discutirmos sobre nossa pauta apresentada. Se até sexta- feira não houver nenhum retorno começaremos a radicalizar. Em seguida foi anunciada a presença e incorporação em nossa ação dos companheiros do MVTC e MBTR. Companheiros do MLST nacional passaram para fazer uma saudação e parabenizar os movimentos pela ação. Também esteve presente o professor Fernando Leite do Núcleo Luta Socialista do Psol Goiânia e servidor em greve da universidade federal que parabenizou os movimentos pela ação e ofereceu total apoio como também deu informe sobre a greve dos servidores da universidade federal. Foi anunciado também o apoio da CUT-Goiás.
  19. 19. No fim da tarde fomos até a faculdade de educação da UFG para conversar com alunos do curso de psicologia sobre a ação dos movimentos sociais no INCRA e os convidando a participar da atividade de formação no sábado, os mesmos foram receptivos com a iniciativa. À tarde Carlos Custodio da Direção estadual do PSOL e do gabinete do Vereador Elias Vaz (PSOL) também passou para deixar o apoio do Partido Socialismo e Liberdade a nossa luta. E nossa luta continua, e continuará até que nossas pautas sejam atendidas. Não nos venceram pelo cansaço.
  20. 20. Quinta-feira, 30 de junho de 2011 - 4º dia. Chegamos ao 4º dia da ocupação da superintendência regional do Incra – Goiás, até o momento pouco tem avançado na pauta apresentada pelos movimentos as autoridades regionais e nacionais responsáveis pela reforma agrária. No entanto a cada dia as famílias têm recebido mais apoios de organizações importantes, nesse sentido o Partido Socialismo e Liberdade – PSOL de Goiás enviou moção de apoio às famílias através da assessoria do gabinete do vereador Elias Vaz. Também a Comissão Pastoral da Terra de Goiás (CPT) compareceu para dar apoio às famílias. As 09h00 teve assembleia geral para da informe sobre os encaminhamentos da pauta política dos movimentos e os resultados obtidos até o momento, como também fazer uma avaliação das questões realizadas até o momento, a organização e continuidade da ação. Ainda na parte da manhã a coordenação da ocupação conseguiu entrar em contato com o presidente nacional do INCRA o senhor Celso Lacerda que confirmou o recebimento de nossa pauta e das reivindicações dos movimentos, colocou que discutirá a mesma com o ministro da secretaria geral da presidência o senhor
  21. 21. Gilberto Carvalho e a Ministra de relações institucionais a senhora Ideli Salvati e que após essa conversa nos dará uma posição sobre a substituição do atual superintendente do órgão em Goiás e das outras pautas. Na parte da tarde teve reunião na CELG para discutir o programa “Luz para todos” que é um dos maiores gargalos nas áreas de assentamento. As noticiais não são animadoras para os assentados, segundo o superintendente de distribuição de energia a qual esta vinculada o programa Luz para todos, o senhor Antônio Almeida que recebeu a comissão dos movimentos sociais, na ultima licitação aberta para tocar o projeto apenas duas empresas concorreram e depois retiraram seu nome, pois o valor que a CELG tem pagado esta muito abaixo da praticada no mercado, por tanto será convocada outro processo licitatório, o processo será demorado, dessa forma os problemas nas áreas de assentamentos continuaram por algum tempo. Também teve reunião da coordenação dos movimentos presentes no INCRA para avaliar a ação e tirar estratégias para os próximos passos a serem tomados. As coordenações dos movimentos e as famílias estão dispostas a continuarem a ação enquanto a pauta apresentada não for atendida, dessa forma cada
  22. 22. organização presente se comprometeu a mobilizar mais gente para a próxima semana. À noite uns grupos dos acampados no INCRA foram prestigiar na assembleia legislativa de Goiás o ato de lançamento da marcha nacional que esta sendo organizada pelo MLST com o tema “Aperta a mão de que lhe alimenta” que acontecerá em agosto. O ato contou com a presença de varias autoridades e representação de diversos movimentos sociais que defendem a reforma agrária. Sexta-feira, 01 de julho de 2011 – 5º dia. O dia começou com uma assembleia geral para da informe sobre as questões encaminhadas até o momento, avaliação da ocupação, a organização interna, e os encaminhamentos para os próximos passos a serem tomados. Brasília continua sem dar respostas à pauta apresentada pelos movimentos, por outro lado a cada momento o apoio à ocupação tem crescido. Zé Antônio da direção estadual da CUT – Goiás compareceu a ocupação para trazer o apoio da Central Única dos Trabalhadores.
  23. 23. As famílias continuam firme no seu objetivo tendo convicção do papel importante que essa ação terá para questão agrária no estado de Goiás nos próximos anos, por isso desocupar esta fora de cogitação, mesmo com as ameaças de reintegração de posse por parte da justiça federal. Após a assembleia geral as coordenações dos movimentos que estão na ocupação foram para uma reunião do fórum estadual pela reforma agrária e justiça no campo para discutir a questão no INCRA como também o seminário sobre reforma agrária que será realizado pelo fórum em agosto. Todos os movimentos que estavam presentes na reunião do fórum (CPT, CUT, ASSINCRA, FETAEG, MST, Terra Livre, MLST, FETRAF, MBTR, MVTC, e Mandato do Deputado Estadual Mauro Rubem (PT)) - Declararam apoio a ocupação e falaram da importância dessa ação. Ao final o fórum deliberou por fazer uma nota de apoio aos movimentos que estão ocupando o INCRA e a pauta apresentada, essa nota será encaminhada para as autoridades nacionais e estaduais responsáveis pela reforma agrária em Goiás e no Brasil.
  24. 24. A tarde teve reunião da coordenação para fazer um balanço e avaliação da ação e discussão sobre os próximos passos a serem tomados. A noite teve cinema com a exibição do filme “Dia de festa” documentário que mostra a historia de quatro companheiras da direção do movimento sem teto de São Paulo sobre uma jornada de ocupação realizada no ano de 2004. O filme foi bastante elogiado e discutido pela turma que perceberam a semelhança de nossa luta com a luta urbana. Agenda para o final de semana: Hoje tem! A partir de sábado começará uma serie de atividades de formação política e cultural na ocupação, convidamos as organizações parceiras a comparecerem e colaborar na organização e realização das mesmas. 14h00- Atividades de formação com estudantes da universidade federal de Goiás – UFG: Conhecer a realidade de uma ocupação, a organização e historia dos movimentos presentes e a pauta de reivindicação. Logo após roda de diálogo sobre a conjuntura atual de criminalização das lutas dos movimentos sociais.
  25. 25. 19h00- Mostra de cinema, exibição do filme “Tapete vermelho” e debate em seguida. 22h00- Forró Cultural. Sábado, 02 de junho de 2011 - 6º dia. As famílias acordaram no sábado com á noticia da liberação da liminar de reintegração de posse do órgão por parte da justiça federal, no entanto essa noticia não abalou as famílias já que todos tem convicção de sua missão, isto é, só desocupar a superintendência quando a pauta dos movimentos for atendida pelas autoridades. No sábado pela manhã aconteceu uma ciranda com as crianças que estão na ocupação, às crianças se divertiram muito desenhando e pintando. Na parte da tarde um grupo de estudantes da Universidade Federal de Goiás participaram de uma roda de dialogo com as famílias acampadas no INCRA. Os estudantes tiveram a oportunidade de conhecer a historia dos movimentos que fazem parte dessa ação, sua organização e as pautas de reinvindicações da ocupação. Também foi feito um dialogo sobre a conjuntura atual de criminalização dos movimentos sociais, abordando a
  26. 26. crise mundial e seus efeitos no Brasil como o corte no orçamento de 50 bilhões sobre tudo das áreas como educação, saúde e reforma agraria. Como também a aprovação na câmara do novo texto do código florestal e a violência no campo. Os estudantes fizeram vários questionamentos sobre a organização e luta dos movimentos sociais, e mostraram disposição e solidariedade com a luta dos movimentos de agricultores familiares e camponeses sem terra em Goiás. A atividade contou com um momento cultural com moda de viola, um gostoso lanche e por fim uma partida de futebol entre os Estudantes X Sem terras. À noite as famílias assistiram a o filme “Tapete Vermelho”, o mesmo conseguiu tirar boas gargalhadas do público e também muita reflexão. Assim como muita emoção, após a exibição do filme a companheira Ana Lucia do Centro Cultural Eldorado dos Carajás fez um dialogo com as famílias sobre a mensagem do filme. Para fechar à noite as famílias ainda tiveram animo para dançar forró madrugada adentro.
  27. 27. Atividades com estudantes da UFG na ocupação do INCRA Por Danilo Oliveira e Silva - Estudante de Psicologia – UFG Na tarde de sábado, 2 de julho, estudantes universitários se reuniram com companheiros de Movimentos Sociais na Superintendência roda de diálogo Regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) em Goiás, ocupada desde a madrugada de domingo para segunda. O Movimento Popular Terra Livre, o Movimento de Libertação dos Sem Terra (MLST), a Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (FETRAF), o Movimento Brasileiro de Trabalhadores Rurais (MBTR) e o Movimento de Volta do Trabalhador ao Campo (MVTC) resistem na ocupação para exigir dentre outras pautas: a rejeição pelo Senado e o veto presidencial do novo texto do Código Florestal bandeiras dos movimentos aprovado pela Câmara dos Deputados – que anistia desmatadores e diminui as áreas de preservação ambiental; o fim e a punição dos responsáveis pela violência no campo, expressa pelos assassinatos recentes de lideranças camponesas e ativistas ambientalistas no Norte do Brasil; agilidade no
  28. 28. processo de reforma agrária em Goiás; a imediata substituição do atual superintendente do INCRA em Goiás por alguém que tenha capacidade teórico-técnica e disposição política de dialogar com os diversos Movimentos Sociais. A atividade de formação construída em unidade entre o Centro Acadêmico de Psicologia da Faculdade de Educação da UFG (CAPsi), o Diretório Central dos Estudantes da UFG (DCE-UFG) e os Movimentos Sociais envolveu a apresentação dos diferentes Movimentos e sua constituição histórica, a explicação das pautas reivindicadas com a ocupação, a contextualização da conjuntura dos movimentos populares, em especial os envolvidos com a questão agrária e a discussão destes temas entre estudantes e militantes que lutam pela terra. O encontro contou com a apresentação musical de moda de viola e no final uma confraternização em forma de partida de futebol improvisada – sem terras 3, estudantes 1. Está posto o desafio de integrar as pautas do Movimento Estudantil e dos Movimentos Sociais pela solidariedade da classe trabalhadora. A avaliação é de que um pequeno passo foi dado nesta tarde de sábado. Fica a gratidão pela disponibilidade e oportunidade
  29. 29. aberta pelos Movimentos e o total apoio às lutas do povo pela construção de uma sociedade economicamente justa, socialmente solidária e politicamente igualitária. Domingo, 03 de julho de 2011 - 7º dia. O dia de domingo foi marcado por muitas reuniões das coordenações e reuniões gerais dos movimentos para articular a próxima semana, desde a mobilização de mais companheiros para se somar a luta, como tirar estratégias para que as autoridades saiam do campo das promessas e comecem de fato a atender nossas pautas. A noite vários companheiros começaram a chegar, e entre segunda e terça a ideia é que o numero de famílias ocupando o INCRA dobre. Essa semana será de extrema importância para que as pautas apresentadas pelos movimentos sejam atendidas, mesmo com uma liminar de reintegração de posse os movimentos e as famílias não se intimidarão, e se necessário for resistiremos à desocupação. Mais não nos calaram e nem nos intimidaram.
  30. 30. Segunda-feira, 04 de julho de 2011 – 8º dia. Vitória dos movimentos: Primeiro ponto de pauta é atendido, presidente nacional do INCRA divulga nome do novo superintendente do órgão em Goiás. O oitavo dia da ocupação da superintendência regional do INCRA em Goiás foi de renovação de força e energia para as famílias que estão ocupando o órgão, por um lado a chegada de novos companheiros alegrou quem já esta a mais de uma semana na luta, por outro lado o anuncio por parte do presidente nacional do INCRA o senhor Celso Lacerda de que já foi decidido o nome do novo superintendente do INCRA Goiás animou o pessoal. No entanto as famílias não têm ilusão, sabem da importância dessa decisão já que esse era o primeiro ponto da pauta dos movimentos, e o encaminhamento desses, abriria a possibilidade de negociar os outros. Mas até o momento não foi oficializado o nome no diário oficial da união, por tanto pode haver mudanças. O nome divulgado pelo presidente do INCRA é do Alagoano Jorge Tadeu, que é servidor do INCRA de Sergipe desde 1978, ocupando vários cargos de chefia naquela superintendência e em 2008 passa então a
  31. 31. ocupar o cargo de superintendente regional. Por tanto um quadro com capacidade técnico – operativo, político e de dialogo com os movimentos sociais. Totalmente ao contrario do atual superintendente do INCRA de Goiás. Escola de alfabetização e escolarização na ocupação do INCRA A educação no e do campo é uma bandeira dos movimentos sociais que chegaram à conclusão que não basta apenas se conquistar a terra, e nesse sentido então esta colocada a importância da educação no e do campo para que os acampados e assentados na luta pela reforma agrária tenham condição de ali permanecer e possa se educar para contribuir com a luta. Mesmo que nos últimos anos, sobre tudo no governo Lula várias escolas no campo tenham sido fechadas, o programa nacional de educação na reforma agrária (PRONERA), veio se consolidando e de programa de governo passou a ser lei. No entanto ao mesmo tempo os recursos destinados para o programa foram cortados. Desde 2008 os movimentos discutem com o INCRA a implantação do curso de escolarização de 1º a 4º via
  32. 32. PRONERA, mais até o momento tem ficado só na promessa. Enquanto isso centenas de trabalhadores camponeses estão sem o direito de estudar. Para protestar contra essa morosidade os movimentos que estão ocupando o INCRA organizaram uma sala de aula improvisada na entrada do INCRA de alfabetização e escolarização. As aulas continuaram enquanto a ocupação continuar. Mostra de cinema A noite foi exibido o filme “Tropa de Elite 2”, pelo Centro Cultural Eldorado dos Carajás, após a exibição do filme a companheira Ana Lucia fez um dialogo com o público sobre as questões abordadas no filme. A companheira colocou que enquanto os produtores das drogas ilícitas não forem presos e punidos o trafico não acabará. Quem tem sido preso e criminalizado tem sido a juventude negra e pobre das periferias. Terça-feira, 05 de julho de 2011 - 9º dia. Começou com uma assembleia geral para discutir o andamento das negociações, a organização e continuidade da ação. Logo após um grupo de companheiros foi participar de uma manifestação dos
  33. 33. servidores federais no Hospital Universitário em solidariedade a luta dos companheiros que estão em greve. A tarde um grupo de companheiros participaram de um curso sobre os efeitos do alcoolismo ministrado pela companheira Alzira da CSP – Conlutas de Goiás. A turma que participou do curso elogiou muito a atividade ressaltando a importância da mesma. Ao mesmo tempo as aulas de alfabetização e escolarização aconteciam na sala improvisada na entrada do órgão. Por outro lado à coordenação política da ocupação tirou à tarde para visitar varias organizações de luta dos trabalhadores pedindo apoio político e material para a continuidade de nossa ação. Nesse sentido os companheiros do SINDIAGRI (Sindicato dos Trabalhadores do Setor Público Agrícola do Estado de Goiás), fizeram uma importante contribuição. O SINTEGO, ANDES, SINTSEPE e o SINDSAÚDE, também prometeram ajudar os movimentos e as famílias que estão ocupando o INCRA. Os movimentos também conseguiram articular com a secretaria de saúde do município de Goiânia um canal para o atendimento das pessoas que estão acampadas
  34. 34. no INCRA e por ventura venha precisar de atendimento médico. Nesse sentido a secretaria disponibilizou o CAIS do jardim Guanabara para atender as famílias. A noite teve cinema, foi passado para as famílias o filme “Batismo de Sangue”.
  35. 35. Quarta-feira, 06 de julho de 2011 - 10º dia. Após as famílias tomarem o café da manhã, logo foi convocada uma assembleia geral para preparar a turma para o ato que aconteceria logo mais. Os informes foram dados e os encaminhamentos relativos à organização do ato foram tirados e deliberados. Logo após um grupo da coordenação política foi participar de um café da manhã oferecido pela Central Única dos Trabalhadores em decorrência do dia nacional de luta dos trabalhadores. Ato em defesa da reforma agrária, não ao novo texto do código florestal, e pelo fim da violência no campo. O Ato teve inicio por volta das 10h00 da manhã, as famílias que estão acampadas no órgão pegaram suas bandeiras, seus gritos de ordem, e suas musicas e começaram a cantar animando a turma. Logo a imprensa compareceu no local para cobrir a atividade e fazer reportagens sobre a ação dos movimentos. Em seguida começaram a chegar representantes e militantes das organizações parceiras. Estiveram presentes no ato os companheiros da CPT (Comissão Pastoral da Terra) de Goiás e do Fórum
  36. 36. Estadual pela Reforma Agrária e Justiça no Campo que trouxe um abraço e uma saudação de Dom Tomás Balduíno que não pode comparecer ao ato devido à agenda marcada anteriormente. Companheiros da CSP – Conlutas de Goiás (Central Sindical e Popular), CUT – GO (Central Única dos Trabalhadores), SINTSEPE – GO (Sindicato dos Servidores Público), ASSINCRA – GO (Associação dos Servidores do INCRA), RECID (Rede de Educação Cidadã), Deputado Estadual Mauro Rubem (PT), e do Vereador Elias Vaz (PSOL). Antes que fossem abertas as falas para saudação das organizações e militantes solidários a luta dos movimentos que estão ocupando o INCRA, os mesmos foram recepcionados com uma mística elaborada pelo coletivo de educação e formação da ocupação com as crianças que trouxeram as bandeiras dos movimentos e produtos produzidos pelas famílias assentadas da reforma agrária. Logo após as organizações presentes fizeram uso da palavra para saudar a ação dos movimentos que estão no INCRA, ressaltando a importância da unidade em um momento de fragmentação das lutas dos trabalhadores, e a importância de se colocar a questão
  37. 37. da reforma agrária na ordem do dia, o que não tem acontecido nos últimos tempos. Para todos os presentes essa ação marca um novo momento da luta pela reforma agrária em Goiás, mostrando que a unidade é possível e que com resistência e luta as vitorias viram, nesse sentido todas as organizações presentes deram total apoio e solidariedade a luta dos movimentos que estão ocupando a superintendência regional do INCRA em Goiás. Uma vitória já foi alcançada, isto é, o anuncio por parte do presidente nacional do INCRA da troca do atual superintendente, no entanto essa vitória tem que ser concretizada, e isso só se dará com o anuncio oficial no diário da união, o que não aconteceu até o momento, por enquanto só temos a garantia por parte do presidente. Mesmo com a troca do superintendente a luta continua, pois não temos apenas um ponto de pauta. O ato foi encerrado com os presentes gritando palavras de ordem e cantando musicas que falam de nossas lutas e conquistas.
  38. 38. A Luta continua Na parte da tarde as coordenações dos movimentos que estão comandando a ocupação do INCRA fizeram uma reunião para avaliar os 10 dias da ocupação, e planejar a continuidade da ação. Todos avaliaram como positiva a ação até o momento, como também a necessidade de continuarmos, pois até agora não temos nada garantido, é necessário nos organizarmos para mobilizar mais gente, pois a ação continuará na próxima semana, e mais semanas se nossa pauta não for atendida, já chegamos até onde chegamos por tanto agora não podemos voltar atrás. Foi com esse entusiasmo que as coordenações saíram da reunião, com a convicção que a luta não vai ser fácil, mais todos estão convictos de que não nos venceram pelo cansaço. Amanhã tem! Ás 08h00 da manhã assembleia geral. Ás 09h30 Curso de Formação Política sobre A Globalização. Ás 14h00 Aula de Alfabetização e Escolarização para jovens e adultos.
  39. 39. Ás 20h00 Roda de diálogo sobre a participação da juventude no movimento popular Diário da Ocupação do INCRA – Goiás: A luta continua. Quinta-feira, 07 de julho de 2011, 11º dia. As famílias continuam esperando a nomeação do novo superintendente do órgão, assim como a audiência com o presidente nacional do INCRA e com o novo superintendente para encaminhar as outras pautas. Mesmo com o cansaço as famílias continuaram a resistência. Alguns companheiros sobre tudo os que já estão assentados tem que retornar para casa, mais outros companheiros chegam para fortalecer a luta, assim vamos continuando a nossa batalha cotidiana. Pela manhã sempre uma assembleia geral para discutir questões organizativas internas como também da informes das negociações. Acertar questões pendentes e avançar na luta. A companheira Márcia Jorge do SINTSEPE-GO ministrou um curso sobre o processo da globalização, para tanto utilizou o filme “Globalização ou o Mundo visto do lado de cá” de Silvio Tendler.
  40. 40. As pessoas que participaram do curso elogiarão bastante a atividade destacando a importância da mesma, os companheiros que participaram do curso eram da coordenação, e assumiram o compromisso de reproduzir o curso com os companheiros da base. Sexta-feira, 08 de julho de 2011 - 12º dia. Após o café a turma parte para a assembleia geral, a avaliação continua a mesma, a necessidade de resistirmos o período que for necessário, mais não sairemos enquanto não tivermos nossas pautas atendidas, é então que entoamos um canto de luta: “Quem tá cansado da licença do caminho, quem acredita dê as mãos e vamo embora”. E assim vamos resistindo. Superando o frio, a gripe, a dor nas costas entre outros probleminhas. Na parte da tarde os companheiros Ângela e Sergio da Rede de Educação Cidadã, comparece para ministrar um curso sobre educação popular, o curso também foi bastante elogiado por quem participou sobre tudo a metodologia utilizada pelos companheiros. A educação popular libertadora na perspectiva freiriana é uma bandeira dos movimentos do campo na luta pela reforma agrária.
  41. 41. A noite foi exibido o filme “Cadê profiro” do cineasta Hélio Brito que conta a história do líder camponês José Porfírio desaparecido político durante a ditadura militar no Brasil. Antes do filme foi feito uma introdução para contextualizar o pessoal que iria assistir ao filme sobre a história desse importante mártir da luta pela reforma agrária em Goiás e no Brasil. Sábado, 09 de julho de 2011 - 13º dia. O dia começa com a assembleia geral para repassar os encaminhamentos anteriores, planejar os próximos passos, avaliar o que tem sido feito até então, como também renovar as energias para continuação da luta. À tarde as famílias acampadas tiraram o tempo para se organizar e reorganizar suas coisas, também foi realizado um campeonato de truco, e a turma jogou bola no final da tarde. A noite teve exibição de documentários sobre a visita dos sem tetos ao shopping Center e outro sobre os surdos que voltaram a ouvir, a companheira Ana Lucia do Centro Cultural Eldorado dos Carajás após a exibição dos filmes fez uma discussão com a turma sobre os mesmos. A noite foi encerrada com muita animação da turma dançando forró.
  42. 42. Domingo, 10 de julho de 2011 - 14º dia. Famílias acampadas no INCRA discutem em seminário propostas para o funcionamento do órgão em Goiás. Após uma breve assembleia geral as famílias que no domingo receberam a visita e apoio do advogado agrarista Amarildo Cardoso, almoçaram e em seguida partiram para um seminário que discutiu propostas de funcionamento do órgão em Goiás. O seminário mostrou aos participantes a legitimidade da pauta de reivindicações dos movimentos, sobre tudo a conclusão de que o atual superintendente Rogério Arantes não tem legitimidade e nem capacidade de continuar a frente do INCRA. Também foi apontada a necessidade de mudar muita coisa no funcionamento do órgão, por conseguinte pessoas que estão à frente de alguns setores importantes que não tem conseguido dar respostas às necessidades apresentadas pelos movimentos. Há também uma serie de denuncias de corrupção que inclusive já estão sendo investigados pelo Ministério Público, os movimentos apontaram à necessidade de uma lavagem no INCRA, e a necessidade de uma
  43. 43. moralização da administração do órgão. O seminário durou a tarde toda e as famílias avaliaram como muito positivo o mesmo, ao final foi aprovado pelos participantes um conjunto de propostas para o funcionamento da SR – 04 será encaminhado depois um documento final desse seminário com as proposta discutidas e aprovadas. Foi encerrado o campeonato de truco e durante a noite a turma dançou mais forró para relaxar e se preparar para próxima semana.
  44. 44. Segunda-feira, 11 de julho de 2011 - 15º dia. Coordenação da ocupação vai ao INCRA nacional em Brasília tentar conversar com o presidente nacional do órgão. Um grupo de 16 companheiros das coordenações dos movimentos que estão ocupando o INCRA em Goiás, partiu ás 05h00 da manhã para capital federal na tentativa de conversar com o presidente nacional do INCRA. No entanto ao chegarem descobriram que durante essa semana Celso Lacerda está em viajem oficial para o exterior, mais a assessoria do presidente recebeu a coordenação da ocupação após ouvir nossas reivindicações e pauta marcou para a próxima segunda- feira uma reunião com o presidente nacional do INCRA em com o nome indicado para assumir a superintendência em Goiás Jorge Tadeu. Sabemos que tem sido feito varias articulações políticas no sentido de impedir que o superintendente indicado pelo presidente do INCRA nacional seja nomeado para a superintendência em Goiás. O processo para sua nomeação esta na casa civil, e por enquanto está confirmado o nome do Jorge Tadeu.
  45. 45. As famílias que estão no INCRA têm total convicção de que a vitória final exigirá de nós mais duas semanas de sacrifício, e todos estão dispostos a fazê-lo. A luta é feita de dedicação e sacrifício, assim sobre sangue, suor e lagrima vamos continuando, sabendo que a persistência, a insistência e resistência nos levarão a vitória final. “Quem tá cansado dê licença do caminho, quem acredita dê as mãos e vamo embora… Não adianta inventar novos caminhos por que já mais conseguiram nos convencer, capitalismo nunca foi de quem trabalha, nossos direitos só a luta faz valer”. (José Pinto) Terça-feira, 12 de julho de 2011 – 16º dia. Ocupação do INCRA-GO: Organização, formação e luta de classes. A formação é necessária para que a cada dia nossos companheiros e companheiras entendam que a nossa luta é muito maior, não é simplesmente para conquistar um pedaço de terra, o que dará minimamente condição para que essas famílias sobrevivam com mais dignidade.
  46. 46. Nossa luta tem como objetivo a transformação radical dessa sociedade, queremos superar o capitalismo, e a reforma agrária apesar de ser uma política desenvolvida em países capitalistas altamente desenvolvidos, no Brasil ela tem um caráter revolucionário. Queremos uma reforma agrária de fato e não apenas concessão de lotes, essa reforma agrária consiste em acabar com os latifúndios e o agronegócio. Por tanto essa semana a ocupação do INCRA em Goiás tem sido marcada pela realização de vários cursos que tem como objetivo mostrar as famílias que estão nessa ação como funciona essa sociedade, a necessidade de nos articularmos e nos organizarmos para superar a mesma. Nesta terça o dia começa com mais uma assembleia geral - Informes, avaliação e organização para continuidade da ação, mais apoios a nossa luta como moções da CSP – Conlutas de Goiás, da Comissão Pastoral da Terra de Goiás, e do Sindicato dos Servidores do Judiciário de São Paulo. Após a assembleia geral a coordenação geral sai para articular junto às organizações parceiras contribuição para continuação de nossa luta. A coordenação responsável por articular os cursos de formação e
  47. 47. cultura se reuniu para organizar uma agenda de atividades. Em resumo foi um dia de articulação e organização interna da ocupação. Quarta-feira, 13 de julho de 2011 - 17º dia. Curso sobre projetos alternativos de geração de energias não poluentes Foi apresentado para as famílias projetos de geração de energias alternativas que tem sido desenvolvido em vários assentamentos e comunidades do nordeste, sobre tudo o projeto do Biogás, uma tecnologia de fácil domínio, que a partir do esterco do gado é possível a geração de gás de cozinha. Nesse sentido foi apresentado para as famílias que estão na ocupação, sendo que boa parte delas são pré- assentadas ou assentadas à importância de dominar essas tecnologias alternativas não só pela questão econômica mais sobre tudo pela questão da preservação do meio ambiente, já que são fontes de energias renováveis e que não poluem o meio ambiente. O projeto inicialmente apresentado foi o do Biogás, mais também há outros que serão trabalhados posteriormente como o das fossas biodigestoras e o da
  48. 48. energia solar. As famílias pretendem reivindicar que sejam montados kits com materiais para construir esses projetos alternativos juntamente com os recursos de construção das casas nos assentamentos. Quinta-feira, 14 de julho de 2011- 18º dia. Um dia bastante movimentado A quinta-feira foi um dia bastante movimentado, logo sedo uma equipe foi com destino a praça universitária onde está acontecendo o Congresso Nacional da União dos Estudantes, onde os movimentos que estão ocupando o INCRA montaram uma estrutura para arrecadar fundos para o financiamento da nossa ação. Quem ficou na ocupação foi convocado para a assembleia geral onde foram passados os informes das negociações nacional, da organização interna da ocupação, dos limites e desafios como também planejar e dividir as várias tarefas que teríamos durante o dia. Logo após a assembleia geral um grupo foi participar do curso “Como funciona a sociedade” com a professora Márcia Jorge do SINTSEPE-GO. O curso iniciou – se na quinta-feira e terminará na sexta-feira.
  49. 49. De uma forma bem didática e dinâmica, incentivando a participação integral do grupo presente a professora Márcia Jorge conseguiu passar a questão da desigualdade social, de onde surge, entre outras questões. Paralelo a isso a coordenação articulou com a economia solidaria um curso sobre o tema na sexta-feira, nesse sentido o pessoal da economia solidaria convidou um grupo de companheiros que estão acampados no INCRA a participação dos mesmos em uma atividade da economia solidaria no encontro da Sociedade Brasileira para o progresso da ciência que está acontecendo no Campus II da UFG. Reunião da coordenação com os servidores do INCRA Um grupo de servidores da superintendência regional do INCRA em Goiás solicitou uma reunião com a coordenação da ocupação para discutir questões relativas à ação e no que os servidores poderiam ajudar. Os servidores declararam apoiar a ação dos movimentos e se colocaram a disposição para colaborar e ajudar no que for necessário, sobre tudo se houver
  50. 50. necessidade de conversar com a polícia e o juiz sobre a questão da reintegração de posse. Foi colocado que essa tem sido a maior ocupação na história da superintendência do INCRA em Goiás, a mesma nunca teve ocupada por tanto tempo, e a disposição dos movimentos ao contrario do que muitos pensavam, e que era habitual de se ocupar o INCRA e ficar no máximo uma semana, é de ficar o tempo que for necessário. Barraca da ocupação no congresso nacional da união nacional dos estudantes Os movimentos que estão ocupando o INCRA decidiram montar uma barraca na praça universitária onde está acontecendo o encontro nacional da união dos estudantes para levantar finanças para continuarmos na luta. Será comercializado na barraca feijão tropeiro e espetinhos, por tanto é importante que todos os companheiros e companheiras que passem por lá possam contribuir com a luta comprando nossos produtos.
  51. 51. Diário da Ocupação do INCRA – Goiás: “Nas praças, nas ruas, quem disse que sumiu, a que está presente que quer mudar o Brasil”. Sexta-feira, 15 de julho de 2011 - 19º dia. Após as famílias acordarem e tomarem o café da manhã a voz do companheiro Galego ecoa através do megafone convocando mais uma assembleia geral. Informes sobre o andamento das negociações são dadas, por enquanto nada mudou, nem de lá e nem de cá, enquanto de lá o nome do novo superintendente não é nomeado oficialmente, daqui o animo de permanecer enquanto for necessário continua inabalado. Por enquanto só nos resta esperar a audiência de segunda-feira com o presidente nacional do INCRA em Brasília, o que definirá os nossos próximos passos. Também são dadas informes sobre nossa organização interna, as articulações com as organizações parceiras, apoios, moções de solidariedade entre outras questões. Também acertamos e organizarmos as atividades de formação.
  52. 52. Nesse sentido após a assembleia geral a companheira Márcia Jorge do SINTSEPE-GO dá continuidade ao curso sobre “Como funciona a sociedade”. Os companheiros Deusdete e Joana da economia solidária dão curso sobre o assunto, os companheiros apresentaram o importante trabalho que a ECOSOL tem feito no estado de Goiás, articulando os camponeses e agricultores familiares no sentido de organizar e comercializar seus produtos com outra ótica. Dom Tomás Balduino da Comissão Pastoral da Terra visita as famílias que estão ocupando o INCRA e declara solidariedade e apoio a luta dos camponeses sem terra e dos agricultores familiares. Na sexta-feira as famílias que estão a quase três semanas ocupando a superintendência regional do INCRA em Goiás, receberam uma importante visita de solidariedade e apoio que com certeza fortaleceu não só a nossa luta externa mais sobre tudo o nosso animo interno para que continuemos sem vacilar rumo ao nosso objetivo final.
  53. 53. Dom Tomás Balduino figura histórica da luta pela reforma agrária de renome internacional, fundador da Comissão Pastoral da Terra (CPT), e defensor intransigente dos povos oprimidos do campo e da cidade, como também uma voz de resistência e rebeldia em um período de conformismo e descenso da luta dos trabalhadores, é com certeza um estimulo para que continuemos firmes na nossa luta. Dom Tomás parabenizou as famílias pela ação sobre tudo pelo exemplo da unidade, que os movimentos e as famílias estão fazendo uma ação legitima e que os mesmos devem continuar para que tenhamos vitórias concretas. Ressaltou a ilusão dos movimentos diante da eleição de Lula de que pela origem do mesmo se faria uma reforma agrária no Brasil, mais essa só acontecerá com a luta dos movimentos, não devemos esperar que ela seja feita de cima para baixo, pois assim não se fará a reforma agrária. Barraca da ocupação no CONUNE faz sucesso entre os estudantes Estudantes de todo o Brasil que estão participando do congresso da Une tem colaborado com a ocupação do INCRA de Goiás através da compra dos produtos dos
  54. 54. movimentos que estão sendo comercializados na barraca da ocupação instalada na praça universitária. Todos os dias mais estudantes tem se solidarizado e divulgado a barraca da ocupação, o dinheiro que esta sendo arrecadado será revertido totalmente para continuação de nossa ação, desde compra de alimentos como também para o deslocamento e mobilização de mais companheiros para a luta. Sábado, 16 de julho de 2011 - 20º dia. Ato contra a reforma do código florestal no CONUNE Um grupo das famílias que estão ocupando o INCRA pegou suas bandeiras, seus gritos de guerra, seus cantos de luta e partiram rumo ao Goiânia arena, onde iria acontecer um ato contra a reforma do código florestal organizado pelo setor de oposição da UNE. Estudantes de todas as partes do Brasil, de varias correntes e linhas partidárias de esquerda, MST e via campesina, marcha mundial das mulheres e os cincos movimentos que estão ocupando o INCRA em Goiás: Terra Livre, MLST, MBTR, MVTC e a FETRAF
  55. 55. fizeram um bonito ato que contou com a participação de cerca de mil participantes, Gritando palavras de ordem como “Os estudantes não vão deixar o novo código passar” ou “Os camponeses não vão deixar o novo código passar”. “Quem não pula é ruralista”. “Oh Kátia Abreu preste atenção eucalipto não é floresta não” entre outros. Os movimentos presentes que fizeram o uso da palavra discursaram no sentido de denunciar os problemas que geraram se o novo texto do código florestal já aprovado na câmara dos deputados for aprovado no senado e pela presidente Dilma, como o assassinato de lideranças camponesas e ambientalistas no norte e que até o momento ninguém foi preso, os movimentos foram unanimes em dizer que essas mortes estão ligadas a aprovação do novo texto na câmara. Como também pela necessidade de proteção e preservação do meio ambiente algo que não é prioridade para o novo texto do código florestal. Os estudantes também denunciaram a posição, ou melhor, a omissão por parte da direção majoritária da Une que simplesmente tem ignorado o assunto, nesse sentido todos discursaram sobre a necessidade de
  56. 56. retomar a Une e fazer dessa instituição outrora aguerrida novamente um instrumento de luta em defesa dos direitos da classe trabalhadora. Os movimentos do campo presentes parabenizaram os estudantes pela realização do ato ressaltando que essa luta tem que ser de todos e ressaltaram que com unidade venceremos essa batalha. Oposição de esquerda da Une visita à ocupação da superintendência regional do INCRA em Goiás. Na parte da tarde um grupo de estudantes que fazem parte da oposição de esquerda dentro da Une foram fazer uma visita à ocupação da superintendência do INCRA, os mesmos puderam conhecer um pouco de como as famílias estão vivendo e aproveitaram para almoçar. Logo após participaram de uma roda de dialogo com as famílias sobre a conjuntura da luta pela terra em Goiás e no Brasil, a pauta de reivindicações da ocupação, além da organização e funcionamento da ocupação. Os estudantes agradeceram a oportunidade em estarem sendo recebidos e em conhecer a ocupação assim como do conhecimento adquirido, ressaltando a importância
  57. 57. do exemplo de unidade dessa ação, colocando a dificuldade que é conseguir a unidade hoje mesmo entre o setor de esquerda da Une, e que os movimentos estão provando que a unidade se dá na ação concreta, e que esses exemplos de luta levarão para as organizações e universidades onde atuam. Já as lideranças dos movimentos agradeceram a presença dos estudantes que tiraram um tempo na programação do congresso da Une e foram ver a realidade da ocupação, como também a importância da luta deles dentro da Une tentando resgatar o perfil de luta de outras épocas. Sendo um grupo de estudantes de outros estados como SP, RJ, CE além dos de Goiás, os movimentos pediram que os mesmos divulgassem nos seus estados a luta que estamos travando em Goiás, e que essa luta possa servir de exemplo para seus respectivos estados. Roda de sambanejo e culto evangélico na ocupação Enquanto um grupo foi dirigir a barraca da ocupação no congresso da Une na praça universitária que a cada dia esta bombando mais, quem ficou na ocupação não ficou parado. Comandados pela bateria cultural
  58. 58. improvisada do movimento Terra Livre a turma começou a improvisar canções sertanejas em ritmo de samba (por isso sambanejo), as canções que falam da vida no interior, dos amores perdidos fez com que a turma sentisse um pouco a saudade de casa como também do companheiro ou companheira que ficou para trás, no entanto todos entendem que o sacrifício é necessário, e as canções que os fazem lembrar de casa de certa forma os ajudam a suportar a saudade. A turma evangélico-protestante estava em outro canto realizando um culto evangélico para agradecer a Deus pela energia e pedindo ajuda para que nossas pautas sejam atendidas com urgência. Assim todas as manifestações dessa diversidade que é o nosso povo vão se revelando e se apresentando sem ninguém se sentir discriminado. Domingo, 17 de julho de 2011 - 21º dia. Logo sedo mais uma equipe parte para dirigir a barraca da ocupação no ultimo dia do congresso da Une, para os companheiros o dia será longo e intenso, mais também muito prazeroso, pois terão a oportunidade de
  59. 59. levantar muitos fundos para continuidade da nossa ação. Já na ocupação o dia é de descanso, sem assembleia geral, sem reuniões dos movimentos ou das coordenações. As famílias aproveitam então para acordar um pouco mais tarde do que o habitual e arrumar suas coisas como lavar as roupas sujas, já se preparando para mais uma semana. Outros sentam a redor da mesa de truco e vão passando as horas jogando o jogo que ninguém nunca ganha, a fila para lavar as roupas vai aumentando, sai o almoço e o lanche continua a mesa de truco e a lavagem de roupa. É hora do jogo do Brasil e sempre há uma turma iludida que vai para frente da TV passar raiva. A noite cai é hora do jantar e novos companheiros chegam para fortalecer a luta. A noite tem reunião da coordenação geral para organizar a ida a Brasília, quem irá, a hora que sairemos. Nossas táticas e estratégias. Chega então a hora de cair na cama, cama não, no chão, em cima das caminhonetes, em barracas improvisadas e assim
  60. 60. renovamos as nossas energias para mais uma semana de luta. Segunda – feira, 18 de julho de 2011 - 22º dia. Coordenação geral da ocupação vai a Brasília conversar com o presidente nacional do INCRA e com o futuro superintendente do órgão em Goiás. Ás 05h00 da manhã saímos de comboio rumo a Brasília com o objetivo de voltar de lá com o mínimo de garantia de que nossas pautas serão atendidas. - Com a convicção de que se necessário permaneceríamos ali o tempo que fosse necessário, como também já estávamos articulando e preparando o nosso pessoal que ficou na ocupação a possibilidade de deslocar três ônibus para ocuparmos o INCRA nacional com o objetivo de agilizar o processo. Ás 10h00 da manhã como combinado fomos recebidos pelo presidente nacional do INCRA o senhor Celso Lacerda e pelo procurador geral do INCRA o senhor Junior Fidelis. Após uma breve apresentação dos presentes o companheiro Aderson da Comissão Pastoral da Terra e do Fórum Estadual pela Reforma Agrária e Justiça no
  61. 61. Campo que ficou com a responsabilidade de coordenar a reunião fez uma breve introdução sobre o papel do fórum de reforma agrária e sua atuação em Goiás, como também colocando a importância da ação dos movimentos que estão ocupando o INCRA e a legitimidade de suas pautas. Logo após a coordenação de cada movimento fez uma fala sobre a questão agrária em Goiás e o papel que o INCRA tem tido nesse processo no ultimo período, como também falou – se das pautas de reivindicações da ocupação, em seguida foi à vez do presidente do INCRA falar de como estava às negociações. Celso Lacerda colocou que o nome para assumir a superintendência em Goiás é mesmo do Alagoano Jorge Tadeu, e que isso já esta acertado politicamente na casa civil e com o ministério de relações institucionais, como também na secretaria geral da presidência, e que o nome só não foi oficializado devido a questões burocráticas. Colocou também que na ultima semana houve uma pressão muito grande para que o nome apresentado não fosse oficializado, sobre tudo por pressão da bancada federal de Goiás representada na pessoa do deputado
  62. 62. Jovair Arantes, no entanto o presidente conseguiu articular junto aos ministros que diante do quadro colocado e dos nomes propostos de Goiás o melhor era trazer um nome de fora. O presidente colocou que a nossa vinda com certeza iria ajudar para que o processo acelerasse e que desde nossa chegada ao INCRA nacional ele estava em contato com a ministra da casa civil, a ministra de relações institucionais e o ministro da secretaria geral da necessidade de concretizar o processo da nomeação do novo superintendente do órgão em Goiás, pois a disposição dos movimentos que estavam ali era permanecer o tempo que fosse necessário como também em articular a vinda de mais companheiros. Por fim o presidente pediu licença para fazer mais articulações nesse sentido e ficou combinado que na parte da tarde voltaríamos a nos reunirmos para ver o que se tinha avançado e avaliar o que era necessário fazer, e também na parte da tarde estaria presente o novo superintendente Jorge Tadeu. Articulamos nosso almoço dentro do INCRA mesmo e ficamos aguardando a evolução das negociações, também fazendo as nossas.
  63. 63. Já por volta das 15h retomamos a reunião com o presidente do INCRA, o procurador geral e o Jorge Tadeu futuro superintendente da superintendência de Goiás. O presidente mais uma vez nos garantiu que a nomeação estava garantida politicamente e que o problema era apenas de ordem burocrática, pois como havia tido mudança de ministro e pessoal na casa civil, o novo pessoal estava tomando pé das questões. Nesse meio tempo chegou até a nossa coordenação por parte de servidores do INCRA uma ameaça de despejo das famílias que estavam na superintendência em Goiás na terça-feira. - Foi nos passado que o Rogério Arantes tinha negociado para que a liminar de despejo fosse cumprida, e para tanto o mesmo tinha articulado com o governo de Goiás um operativo com 250 policiais para despejar as famílias. O presidente e o procurador do órgão imediatamente entraram em contato com o ouvidor do INCRA em Goiás e com a secretaria de segurança pública para verificar a informação, e descobriu-se depois que era tentativa de intimidação por parte do Rogério Arantes, então superintendente do INCRA-GO, que já estava a
  64. 64. alguns dias tentando que fosse executada uma liminar de despejo, no entanto o INCRA nacional estava conseguindo barrar. A reunião continuou com o Jorge Tadeu falando um pouco da sua trajetória e do seu trabalho desenvolvido tanto como servidor, depois como chefe de divisão e por ultimo como superintendente do INCRA em Sergipe. Dos avanços que pode se obter mesmo com as dificuldades e do seu compromisso ideológico com a reforma agrária. Foram feitos vários questionamentos pelos movimentos ao Jorge Tadeu sobre funcionamento do INCRA como também adiantamento da alguns pontos de pauta e sobre a realidade do INCRA em Goiás, o mesmo respondeu prontamente, deixando uma boa impressão nos presentes. Por fim fomos para os encaminhamentos finais. - O presidente Celso Lacerda nos colocou que devido ao correr da hora a liberação por parte da casa civil provavelmente só se daria na terça-feira, e assim a nomeação oficial se daria na quarta-feira. Ficou encaminhado então que ao sair à nomeação oficial do Jorge Tadeu, o mesmo juntamente com o
  65. 65. presidente do INCRA iriam a Goiás para uma reunião com os servidores e o fórum de reforma agrária, essa reunião acontecerá talvez ainda nesta semana. Assim o presidente solicitou que assim que saísse a nomeação que desocupemos o órgão. Colocamos para ele que desocuparíamos mais que gostaríamos de entregar a chave na mão do novo superintendente e se possível dele, como também após 10 a 15 dias de trabalho uma audiência com o novo superintendente para negociarmos nossas pautas especificas. Após alguns minutos de discussão e certa resistência encaminhou se então que ao sair à nomeação do Jorge Tadeu na quarta-feira, na quinta-feira ele irá para Goiânia juntamente com alguém do INCRA nacional para receber a chave das mãos dos movimentos que estão ocupando o INCRA. Por fim tudo fechado politicamente à coordenação resolveu retornar para Goiânia, contente pelos resultados obtidos mais com a convicção de que a luta não havia acabado e a ocupação continuaria, só sairíamos do INCRA quando entregássemos a chave na
  66. 66. mão de alguém do INCRA nacional e do novo superintendente. Diário da ocupação do INCRA – Goiás: Momentos finais de uma batalha inesquecível Terça-feira, 19 de julho de 2011 - 23º dia. O dia foi de muito animo para as famílias sobre tudo após os informes por parte da coordenação dos resultados da reunião acontecida no dia anterior com o presidente nacional do INCRA. Todos estavam contentes por saber que estávamos prestes a conquistar o que tanto lutamos, como também por saber que logo estaríamos voltando para casa. No entanto foi ressaltada a necessidade de nos mantermos firmes na nossa organização e na continuidade da ocupação até o ultimo momento que de fato a nomeação oficial pudesse se confirmar no papel. Mais a noticia se espalhou e mais companheiros começaram a chegar para o “gran finale”. Na parte da tarde a turma do circo laheto compareceu a ocupação para fazer uma apresentação para as famílias acampadas no INCRA, foram momentos de muitas
  67. 67. risadas e diversão para as famílias sobre tudo para as crianças. Quarta-feira, 20 de julho de 2011 - 24º dia. A frustração Logo pela manhã a noticia de que a nomeação não saiu no diário oficial como articulado na reunião em Brasília frustrou a expectativa de todos. Um golpe que nem o mais descrente dos que estavam ali pudesse imaginar. Logo foi articulado o contato em Brasília para saber o que estava acontecendo, a resposta não foi animadora, a bancada federal de apoio ao governo em Goiás conseguira articular para que a portaria que nomeava o novo superintendente fosse barrada. Foi um dia para pensar e planejar o próximo passo que daríamos, pois estávamos em um momento decisivo e não podíamos abrir mão da nossa luta. Nos olhos de todos se via a frustração e um grande ponto de interrogação sobre o que aconteceria. Á noite a coordenação geral se reuniu para decidir o que fazer e como fazer, já que o que tinha sido cominado não tinha sido cumprido, não dava para ficar chorando sobre o leite derramado. Uma coisa era fato,
  68. 68. já tínhamos ido até ali não dava para voltar para trás, não podíamos transformar uma possibilidade de vitória em derrota, dizia o camarada Zelito. Foi então que se decidiu, vamos para Brasília ocupar novamente a sala da presidência do INCRA e de lá só sairemos com o decreto em mãos, se necessário fosse se acorrentar no INCRA nacional, faríamos. Foi então que cada coordenação partiu para articular com o seu grupo as pessoas que iriam e como iriam.
  69. 69. Quinta-feira, 21 de julho de 2011 - 25º dia. Para Brasília mais uma vez: Ou vai ou racha! Logo na madrugada a coordenação partiu para Brasília com o objetivo de voltar de lá só com a nomeação do novo superintendente nas mãos, seja ele quem fosse. Na ocupação logo foi convocada uma assembleia geral, era necessário preparar a turma para continuar a resistência, não podíamos voltar atrás, mais ao contrario do dia anterior havia vontade de resistir no rosto das pessoas. A assembleia geral tornou-se mais um ato político com as pessoas da coordenação colocando a importância de continuarmos, já tínhamos informes sobre como as coisas estavam em Brasília, às coisas estavam caminhando bem, mais não era hora de fazermos muito alarde, agora era preto no branco como dizem. Enquanto em Brasília à coordenação estava articulando reunião com Gilberto Carvalho da Secretaria Geral da presidência e na casa civil juntamente com assessores do presidente nacional do INCRA, na ocupação era hora de reorganizar a casa.
  70. 70. Todos achavam que retornaríamos para nossa casa naquele dia e acabamos por descuidar da organização interna, o que era normal, mais agora era necessário retomar a organização sobre tudo pela possibilidade da questão não se resolver com a urgência que queríamos. Por tanto chamamos uma reunião da coordenação que permaneceu na ocupação para articular a organização interna da ocupação. Na parte da tarde a coordenação chamou uma reunião com a equipe de segurança que tinha sido apontada com muitos gargalos que fazia se necessária serem corrigidos, as coisas foram discutidas e encaminhadas, agora era por em prática. A turma estava apreensiva sobre o que estava acontecendo em Brasília, as noticias eram que tudo estava caminhando mais ninguém fazia muito alarde, enquanto isso um grupo preparava um bolo para uma companheirinha que fazia aniversario naquele dia, outro grupo estava organizando um cineminha improvisado. À noite por volta das 09h00 veio à confirmação de que o nome do Jorge Tadeu tinha sido encaminhado, neste momento estava passando o filme “Che o argentino”, a noticia se espalhou rapidamente como rastro de
  71. 71. pólvora, gritos de comemoração foram ouvidos, mais a coordenação com os pés no chão pediu para que todos se acalmassem, mas era impossível esconder a alegria. Os companheiros da coordenação em Brasília como definido não voltariam sem a nomeação oficial na mão, por tanto decidiram dormir dentro do INCRA nacional. Sexta – feira, 22 de julho de 2011 – 26º dia. O dia da vitória Ás 06h00 da manhã estava publicado no diário oficial a exoneração de Rogério Arantes e mais três chefes de divisão como também a nomeação de Jorge Tadeu como novo superintendente do INCRA de Goiás. Á noticia logo chegou à ocupação, a felicidade tomou conta de todos, logo mais estava confirmada a vinda do novo superintendente para receber a chave da mão dos movimentos, tínhamos então que reorganizar o INCRA para entregá-lo bem organizado como também organizar as coisas para voltarmos para casa. Uma equipe de servidores do INCRA compareceu ao local para fazer uma vistoria, os mesmos conferiram e parabenizaram a turma pela organização, pois nada tinha sido extraviado ou quebrado. A turma feliz com
  72. 72. suas bandeiras, gritos de guerra se preparava para o ato de entrega da chave ao novo superintendente como também pela desocupação. Tudo organizado com todos já tendo almoçado agora era esperar o grande momento. ATO NA PORTA DO INCRA-GO EM DEFESA DA REFORMA AGRÁRIA CONVITE URGENTE Após 25 dias de sangue, suor e sacrifício na luta ocupando a superintendência regional do INCRA em Goiás, chega ao fim essa importante batalha com a nomeação oficial do novo superintendente do órgão o senhor Jorge Tadeu. Por tanto com o atendimento do nosso principal ponto de pauta resolvemos desocupar o INCRA, no entanto ressaltamos que a guerra continua, pois há outros pontos de pauta que precisamos discutir e encaminhar, mais que faremos posteriormente já com o novo superintendente. A desocupação do INCRA se dará através de um importante ato em defesa da reforma agrária e do INCRA que culminará com a entrega da chave ao novo superintendente o senhor Jorge Tadeu e a um representante do INCRA nacional que estarão em
  73. 73. Goiânia nesta sexta-feira ás 14h, pretendemos com isso marcar um novo período na luta pela reforma agrária em Goiás. Por tanto convidamos a todas as organizações parceiras e aos seus militantes que foram solidários de alguma forma e que com certeza colaboraram para que nossa ação tivesse êxito, a estarem presentes neste importante ato. DIA: SEXTA – FEIRA, 22 DE JULHO DE 2011 (HOJE). HORÁRIO: 14H LOCAL: INCRA – GO (EM FRENTE AO CLUBE FERREIRA PACHECO). “Ou o povo com o seu poder popular impõe uma reforma agrária ao governo ou o governo não fará uma reforma agrária”. (Plínio de Arruda Sampaio) Contamos com a presença de todas e todos!
  74. 74. NOTA A IMPRENSA Ocupação do INCRA será encerrada após vitória dos movimentos Goiânia, 22 de julho de 2011. Após 25 dias desocuparemos a superintendência regional do INCRA – GO, mais antes faremos um ato em defesa do INCRA e da Reforma Agrária, hoje no dia 22 de julho ás 14h00 na porta do INCRA de Goiás onde passaremos as chaves da superintendência ao novo superintendente o senhor Jorge Tadeu e a um representante do INCRA nacional que estará presente no ato. A superintendência do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) em Goiás está sendo ocupada desde o dia 27 de junho de 2011 pelos movimentos: Terra Livre, Movimento de Libertação dos Sem Terras (MLST), Movimento de Volta dos Trabalhadores ao Campo (MVTC), Movimento Brasileiro dos Trabalhadores Rurais (MBTR) e pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (FETRAF-GO). E esta ação chega ao fim após a confirmação do presidente nacional do INCRA senhor Celso Lacerda da nomeação oficial do
  75. 75. novo superintendente do órgão em Goiás o senhor Jorge Tadeu. A pauta principal dos movimentos que estavam ocupando o INCRA em Goiás era a exoneração do superintendente até então o senhor Rogério Arantes e a nomeação de um novo superintendente, sendo que após a nomeação discutiríamos os outros pontos de pauta. A burocracia do governo e a interferência por parte de grupos políticos que não tem compromisso com a reforma agrária em Goiás buscaram de todas as formas desmobilizarem os movimentos fazendo com que desistíssemos pelo cansaço. Mais a resistência, a persistência e a insistência de todos e todas que construíram essa ação fizeram com que ela se tornasse vitoriosa. Com a nomeação do senhor Jorge Tadeu como novo superintendente do INCRA – GO conseguimos uma importante vitória que com certeza colaborara para um novo período na luta agrária em Goiás e no funcionamento do órgão, pois o novo superintendente é um servidor de carreira do INCRA de Sergipe sendo superintendente do órgão no ultimo período, e tendo demonstrado capacidade técnico-operativo e
  76. 76. compromisso político e ideológico com a reforma agrária. Por tanto ao conseguirmos essa importante vitória decidimos por desocupar o INCRA – GO, no entanto nossa luta continuará, pois a vários outros pontos de pauta que precisamos discutir com o novo superintendente e os novos gestores do INCRA em Goiás, para que o processo de reforma agrária possa avançar minimamente. Com isso voltamos para os nossos acampamentos e assentamentos esperando que os novos gestores do INCRA – GO cumpram o seu papel como servidores público que é de servir os trabalhadores camponeses e familiares, agilizando o processo de reforma agrária em Goiás, dialogando com os movimentos e não os tendo como inimigos. No entanto ressaltamos que se os outros pontos de pauta não forem atendidos e se o INCRA – GO continuar com a morosidade e a falta de compromisso do ultimo período não hesitaremos em ocupá-lo novamente. Coordenação da Ocupação (Terra Livre, MLST, FETRAF, MVTC, MBTR).
  77. 77. *Segue em anexo portaria emitida pelo Senhor Celso Lacerda presidente nacional do INCRA. Portaria emitida pelo Presidente do INCRA Celso Lacerda: INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA PORTARIAS DE 20 DE JULHO DE 2011 O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA – INCRA, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 21, da Estrutura Regimental deste Instituto, aprovada pelo Decreto n.º 6.812, de 03 de abril de 2009, publicado no Diário Oficial dos mesmos dia, mês e ano, combinado com o § 3º do art. 9°, do Regimento Interno da Autarquia, aprovado pela Portaria/MDA/nº 20, de 08 de abril de 2009, publicada no Diário Oficial da União do dia 09 seguinte, resolve: N° 358 – I – Exonerar ROGERIO PAPALARDO ARANTES, CPF nº 500.431.531-00, do cargo em comissão de Superintendente Regional, código DAS-101.4, da Superintendência Regional de Goiás – SR-04, do Quadro de Pessoal deste Instituto. II – Nomear JORGE TADEU JATOBA CORREIA, ocupante do
  78. 78. cargo efetivo de Fiscal de Cadastro e Tributação Rural, matrícula SIAPE nº 1031842, CPF nº 140.452.064-34, para exercer o cargo em comissão de Superintendente Regional, código DAS-101.4, da Superintendência Regional de Goiás – SR-04, do Quadro de Pessoal deste Instituto. O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA – INCRA, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo art. 21, da Estrutura Regimental deste Instituto, aprovada pelo Decreto n.º 6.812, de 03 de abril de 2009, publicado no Diário Oficial dos mesmos dia, mês e ano, combinado com o § 3º do art. 9°, do Regimento Interno da Autarquia, aprovado pela Portaria/MDA/nº 20, de 08 de abril de 2009, publicada no Diário Oficial da União do dia 09 seguinte, resolve: No- 359 – Exonerar VANESSIA TEODORA DA COSTA ALVES, CPF nº. 300.081.231-87, do cargo em comissão de Assistente Técnico (Comunicação Social), código DAS-102.1, da Superintendência Regional de Goiás – SR-04, do Quadro de Pessoal deste Instituto. O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA – INCRA, no uso das atribuições que lhe são conferidas
  79. 79. pelo art. 21, da Estrutura Regimental deste Instituto, aprovada pelo Decreto n.º 6.812, de 03 de abril de 2009, publicado no Diário Oficial dos mesmos dia, mês e ano, combinado com o § 3º do art. 9°, do Regimento Interno da Autarquia, aprovado pela Portaria/MDA/nº 20, de 08 de abril de 2009, publicada no Diário Oficial da União do dia 09 seguinte, resolve: N o- 360 – I – Exonerar EMIVAL LOPES, ocupante do cargo efetivo de Engenheiro Agrônomo, matrícula SIAPE nº. 0440040, CPF nº. 085.965.301-34, do cargo em comissão de Assistente, código DAS- 102.2, da Superintendência Regional de Goiás – SR-04, do Quadro de Pessoal deste Instituto. II – Exonerar LUIZ CELIO PEREIRA DE AZEVEDO, ocupante do cargo efetivo de Engenheiro Agrônomo, matrícula SIAPE nº. 0720319, CPF nº. 134.887.081-87, do cargo em comissão de Chefe de Divisão, código DAS-101.2, da Divisão de Obtenção de Terras, da Superintendência Regional de Goiás – SR-04, do Quadro de Pessoal deste Instituto. O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DE COLONIZAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA – INCRA, no uso da competência que lhe foi subdelegada pela Portaria MDA nº 11, de 10 de fevereiro de 2010, publicada no Diário Oficial da União do dia 11 seguinte, resolve: No- 361 – Exonerar
  80. 80. NOEMIR BRITO OLIVEIRA, Procuradora Federal, matrícula SIAPE nº 0720405, CPF nº 167.550.141-68, do cargo em comissão de Chefe de Procuradoria Regional, código DAS 101.2, do órgão de execução da Procuradoria Federal Especializada junto ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – INCRA, na cidade de Goiânia/GO. CELSO LISBOA DE LACERDA
  81. 81. O ato final – Desocupação do INCRA-GO Ás 14h00 o novo superintendente Jorge Tadeu já se encontrava na ocupação com o procurador do INCRA nacional Junior Fidelis. Companheiros da CPT nacional e de Goiás, do MST, da FETAEG, do SINTSEPE-GO, da ASSINCRA, CUT, PT-GO, A deputada Federal Marina Santana (PT), o deputado Estadual Mauro Rubem (PT), assim como vários servidores compareceram ao ato que também contou com a cobertura massiva da imprensa local. O ato começou com uma mística puxada pelas crianças que traziam nas mãos o símbolo de nossa luta como os alimentos e produtos da agricultura familiar e camponesa, o caderno representando nossa luta pela educação no campo, atrás das crianças vinham à turma com nossas bandeiras cantando “Pra não dizer que não falei das flores”, e com nossos gritos de guerra. – Quando o campo e a cidade se unir, a burguesia não vai resistir. – Pátria livre, venceremos. – Reforma Agrária quando? Já! Em seguida foi aberto para as autoridades e militantes das organizações parceiras que estavam no ato pudesse falar. -Todas as falas discorreram sobre a importância
  82. 82. da nomeação do novo superintendente, falando de todo o processo burocrático e articulações políticas que aconteceram até aquele momento, apontando a importância da ação dos movimentos que estavam ocupando o INCRA como também à pressão dos mesmos em Brasília. Logo após foi lido uma carta elaborada pelos movimentos que estavam ocupando o INCRA direcionada ao presidente nacional do INCRA o senhor Celso Lacerda, o procurador geral do INCRA Junior Fidelis e a o novo superintendente do INCRA o senhor Jorge Tadeu, após lida a carta, a chave do órgão foi entregue ao novo superintendente pelas mãos da pequena Ana Terra. Em seguida Jorge Tadeu já falando como superintendente do INCRA – GO, sobre sua experiência a frente do INCRA em Sergipe, e dos desafios que devem ser superados, mais se colocando aberto ao dialogo com todos os movimentos via fórum de reforma agrária. Ao final as famílias cantando desocuparam a superintendência regional do INCRA em Goiás após 26 dias, sob sangue, suor, dor, sacrifício, mais apesar do
  83. 83. cansaço visto nos olhos de todos, o sorriso fácil mostrava a alegria da missão cumprida e a esperança de que dali para frente o INCRA em Goiás funcionasse de outra forma. Que de fato se realize a reforma agrária, pois mesmo com todo o processo burocrático, a falta de vontade do governo e de orçamento insuficiente é possível avançar minimamente. Por fim era hora de se organizar, se despedir dos amigos feitos durante a ação e partir de volta para casa. A coordenação da ocupação partiu para uma reunião com o novo superintendente e com o procurador para discutir a volta das pessoas, então o INCRA assumiu a responsabilidade pelo transporte e retorno das famílias. Sobre lagrimas e abraços intensos a turma se despediu, mostrando a unidade criada e o relacionamento harmonioso entre todas as famílias dos diferentes movimentos nos 26 dias da ocupação. Assim todos voltaram para casa levando em suas sacolas a certeza que “só a luta faz valer”.
  84. 84. Vai companheiro, ti encontro na luta Aos companheiros e companheiras que fizeram parte da ocupação do INCRA-GO I Nesses 26 dias lutando ao teu lado dividindo o frio e a fome, como também o cansaço mostraste-me ser possível conseguir, nosso objetivo traçado. II Nos momentos de tristeza e frustrações tu estavas ali como também nos dias que eu queria desistir mas o teu sorriso amigo me fazia prosseguir. III Resistindo e persistindo assim fomos andando e no nosso caminhar fomos nos transformando descobrindo que a vitória final só foi possível lutando.
  85. 85. IV Sentirei a tua falta, de acordar e não tiver de ouvir a sua voz cantando “a nossa luta é pra vencer” mas sei que nessas idas e vindas voltaremos a nos ver. V Mais como nos conhecemos na luta, na luta nos encontraremos. Mesmo que passe algum tempo, isso eu posso falar. - Vai companheiro, na luta vamos nos encontrar.
  86. 86. Nos bastidores da ocupação Sofrendo no frio Na ocupação todo mundo se arranjava como podia. Nada de mordomia, ao contrario. Os mais privilegiados eram os que tinham barracas, onde podiam ter o mínimo de privacidade bem como se protegerem do frio. Aliás, a ocupação foi no período que mais faz frio em Goiás. Eu assim como muitos companheiros nos arranjamos em baixo de um galpão que servia de garagem para os carros do órgão, assim minha pousada era em cima da carroceria de uma caminhonete. Como tenho um problema crônico de dor nas costas que se agrava com o frio, sofri bastante, tal como um beduíno. Foram noites sem se quer conseguir pregar os olhos, nem os calmantes que eu tomava conseguia aliviar a dor. Mas a energia e o carinho de todos para comigo, em especial os mais velhos que cuidavam de mim como se fosse um filho fez com que eu superasse as dores e seguisse cumprindo as tarefas que havia assumido na ocupação. Causando preocupação
  87. 87. Desde que passei a morar em Goiânia (em 2005), todos os anos quando minha mãe vinha nos visitar eu fazia questão de ir busca-la na rodoviária bem como ir deixa- la quando ela fosse voltar para o Tocantins. No entanto em 2011 não pude ir busca-la e nem deixa-la como de costume, pois não podia me ausentar da ocupação devido às tarefas assumidas. Além disso, eu também não estava conseguindo arranjar um tempo para ir vê-la para lhe dar um grande abraço e matar a saudade dela bem como ter noticia da nossa família no norte. Apesar de falar com ela pelo telefone todos os dias e explicar o que estava acontecendo ela passou a desconfiar que eu estivesse preso e não queria falar para ela para não deixa-la preocupada, pois eu nunca tinha feito aquilo antes. Faltando três dias para ela retornar para o Tocantins a minha irmã Vera ligou dizendo que minha mãe estava chorando desesperada por ir embora e não me ver, além do mais estava muito preocupado comigo, assim tive que arrumar um jeito de me ausentar da ocupação por algum período para mostrar a ela que tudo estava bem comigo. Ao me ver pessoalmente ela se conformou bem como após ouvir minhas explicações compreendeu a minha ausência. Minha mãe sempre teve muita preocupação
  88. 88. com a minha militância politica, pois o que se fala do movimento sem terra e o que se mostra na TV não é muito animador. No entanto ela sempre respeitou as minhas decisões mesmo que esta não lhe agradasse é por isso que a considero um importante pilar de sustentação da minha militância política. Últimos momentos Na quinta-feira os principais dirigentes da ocupação tiveram que ir a Brasília para reverter o quadro das negociações para nomeação do novo superintendente do INCRA-GO que não era animador. Dessa vez eu fiquei na ocupação com os outros companheiros com a responsabilidade de reorganizar a ocupação e levantar o animo do pessoal. Apesar de fazer parte da coordenação geral da ocupação eu não me envolvia diretamente com a parte de articulação politica e organização interna, no entanto na ausência dos camaradas responsáveis por essas frentes tivemos que cumprir este papel. Assim convocamos a assembleia geral como de costume para poder da os informes a cerca das articulações em Brasília bem como discutirmos a cerca da organização interna da ocupação como alimentação, segurança, limpeza, atividades de formação, cultura entre outros, pois sempre tinha
  89. 89. alguma reclamação e alguns pontos que eram necessários melhorar. Como todos pensavam que naquela quinta-feira estaríamos voltando para casa, algumas coisas estavam bastante desorganizadas em especial a segurança. Assim por mais difícil que fosse era preciso levantar o animo do pessoal inclusive apontando a perspectiva que se fosse necessário teríamos que continuar uma semana ou mais ali. O resultado da assembleia geral foi animadora, as noticias de Brasília também eram, portanto conseguimos reativar o espirito de luta e resistência. Todos estavam sentido que a vitória estava próxima, assim era preciso continuar resistindo. Depois convocamos uma reunião especifica com o pessoal da segurança para podermos fazer alguns ajustes que se fazia necessário, era preciso haver mais rigor e firmeza com quem entrava e saia da ocupação, limitar horários e entrada de visitas. A reunião teve um resultado bastante positivo. Enquanto isso também era organizado atividades culturais para o pessoal como exibição do filme ‘Che o argentino’. Mesmo com a tentativa de voltar a vida normal na ocupação todos não tiravam a cabeça do que estava
  90. 90. acontecendo em Brasília, assim eu era sempre parado nos corredores com a pergunta se a exoneração do atual superintendente e nomeação do outro se daria em breve. Como já havia me frustrado anteriormente eu não tinha total convicção de que isso aconteceria ainda naquele dia ou na sexta-feira, que provavelmente ficaria para próxima semana, no entanto como eu não queria desmotivar o pessoal, sempre respondia que tinha que ter esperança que as perspectivas eram boas e que tudo ira ocorrer bem e teríamos êxito em breve. Á noticia Era por volta das 20h. Estávamos assistindo o filme ‘Che o argentino’ de Steve Soltemberg e estrelado por Benicio del Toro. De repente um telefonema, era o camarada Zelito de Brasília falando que tudo estava acertado para nomeação do novo superintendente que a mesma sairia no diário oficial da união na sexta-feira e que eles já retornariam de Brasília acompanhado do novo superintendente. Era, portanto para mim ir para o escritório do movimento Terra Livre (pois não tínhamos internet na ocupação) para elaborar duas notas. – Uma para imprensa informando a cerca da nomeação do novo superintendente e da desocupação do INCRA-GO e outra convidando as organizações
  91. 91. que defendem e lutam pela reforma agrária em Goiás para um ato em defesa da reforma agrária que ocorreria na ocupação. Á noticia também chegou ao ouvido de outros camaradas que começaram a comemorar, no entanto foi preciso alertar para que não se fizesse muito alarde e nem espalhasse a noticia. Em seguida segui para a sede do movimento Terra Livre no setor universitário, chegando lá comprei umas cervejas, coloquei algumas canções do Belchior e comecei a me inspirar para escrever as notas. Lá pelas três da manhã tentei dormir, mas não consegui, as 05h da manhã já estava em frente ao computador lendo o diário oficial da união e logo pude encontrar a noticia tão esperada. Ás 06h30 o camarada Zelito me liga confirmando o ato e pedindo para eu encaminhar as notas para imprensa e para as organizações parceiras. Ás 08h da manhã eu estava retornando para a ocupação com um monte de copias da portaria assinada pelo presidente nacional do INCRA exonerando o atual e nomeando o novo superintendente do órgão em Goiás. Já nas redondezas do INCRA-GO podíamos ouvir os foguetes que as famílias soltavam em comemoração a vitória alcançada. Ao chegar à ocupação todos vinham
  92. 92. me cumprimentar e me abraçar. Por fim comecei a cumprir a tarefa de assessor de imprensa recebendo uma enxurrada de ligações de órgãos de imprensa querendo saber maiores detalhes da desocupação e da nomeação do novo superintendente. Vai companheiro, ti encontro na luta. Ao final do ato me sentei em um banco e fiquei observando o pessoal correndo de cima para baixo organizando as coisas para retornar para seus acampamentos e assentamentos. O cansaço era tanto que eu estava quase dormindo, mas sempre era despertado por alguém que vinha me abraçar e se despedir. Foi nesse momento que após tantos anos sem escrever um poema me veio na cabeça a inspiração para fazer ‘Vai companheiro, ti encontro na luta e Canto a ocupação do INCRA-GO’. Nesses poemas em especial no primeiro explicitei o sentimento daquele momento. Para mim não era um adeus, mas um até breve para aquele pessoal que vinha de varias partes do estado de Goiás - Jataí, Rio Verde, Araguapaz, Goiás Velho, Faina, Lagoa Santa, Itajá, Itarumã, Palestina, Vale do Araguaia entre outras cidades que não me recordo. Era uma sexta-feira, eu iria
  93. 93. para minha casa apenas no domingo a tarde quando então embarcamos os últimos companheiros do movimento Terra Livre rumo a suas casas no interior. Eu e o camarada Zelito fomos tomar uma cerveja, brindamos ao sucesso da ocupação e enfim fui para casa. Toda essa luta foi apenas para mudar o superintendente do INCRA em Goiás? Olhando superficialmente pode parecer, mas não tínhamos essa ilusão, sabíamos que não era mudando o superintendente que faria com que a reforma agrária saísse do papel em Goiás. No entanto tínhamos uma convicção que com o Rogerio Arantes a frente do INCRA-GO a reforma agrária estaria em marcha ré. Não é preciso explicar muito o porquê dessa afirmação, basta apenas dizer que Rogerio Arantes é sobrinho e afilhado político do deputado federal Jovair Arantes (PTB) Marconista de carteirinha, mas que a nível nacional faz parte da base do governo petista tanto de Lula como de Dilma. Assim tínhamos no INCRA de Goiás (graças à logica de nomeação do governo do PT que loteia e distribui os cargos entre seus aliados apenas em troca de apoio
  94. 94. político, colocando assim pessoas que não tem nenhuma condição de gerir estas pastas). um sujeito da direita ligado a setores ruralistas. Este sujeito da direita que se apropriou do INCRA-GO graças a omissão do PT fez desse um instrumento para cooptar movimentos populares, desviar dinheiro público conforme aponta investigações do ministério público federal bem como fazer uso político do órgão para fortalecer Jovair Arantes e seu grupo politico. Por tanto lutar para tirar um sujeito com este perfil da superintendência do INCRA em Goiás, era lutar em defesa da reforma agrária. Luta esta que foi vitoriosa, ao contrario de outras ocupações que também tiveram este ponto de pauta, mas nunca tiveram força suficiente para derrubar Rogerio Arantes. É fato que mesmo com as mudanças ocorridas a reforma agrária não avançou, tanto em Goiás como no resto do Brasil, pois sob o governo Dilma (PT) o que vemos em curso é um processo de antirreforma agrária e avanço do agronegócio, inclusive sobre as terras dos povos indígenas. E este processo de antirreforma agrária ocasiona também o desmantelamento e sucateamento do INCRA.
  95. 95. No entanto, apesar desse quadro desolador, sobretudo quando vemos grandes movimentos tal como foi na ocupação do INCRA de Goiás em 2011 optando pela via da negociata em gabinetes deixando de lado as ocupações e mobilizações. Devemos resistir e continuar lutando por uma reforma agrária de fato neste país. E o exemplo dado pelo Terra Livre, MLST, FETRAF, MVTC e MBTR devem ser seguido e repetido em todos os estados brasileiros. Não nos esqueçamos - A reforma agrária não sairá em uma canetada e nem cairá do céu, se o povo organizado não impor uma reforma agrária ao governo, seja ele qual for, a reforma agrária não sairá. Pedro Ferreira Nunes Lajeado – TO, 01 de Janeiro de 2014.
  96. 96. ALGUNS MOMENTOS DA OCUPAÇÃO
  97. 97. Sobre o autor Pedro Ferreira Nunes é Poeta e escritor. - Natural de Miracema do Tocantins, cidade em que nasceu em 18 de maio de 1985. Atualmente mora na cidade de Lajeado também no Tocantins após morar oito anos em terras goianas. Formado como bacharel em Serviço Social pela Universidade Norte do Paraná - UNOPAR, também atua como educador popular e assessor de movimentos populares construindo o Coletivo de Formação José Porfírio. Pedro Ferreira Nunes é autor do romance ‘A Ilha dos Espíritos’, do livro de poemas ‘Minha poesia’ e dos artigos ‘O Serviço Social e a Política de Reforma
  98. 98. Agrária em Goiás’ e ‘Estudos sobre os Efeitos Econômicos e Sociais do Agronegócio tocantinense, além de diversos contos, crônicas e artigos sobre questões politicas e sociais referente à luta de classes no Brasil.

×