SlideShare uma empresa Scribd logo
Reprodução nas
Fêmeas Bovinas

-Endocrinologia-
 Escola Superior Agrária de Viseu
         Enfermagem Veterinária
             Reprodução Animal
                            2012

          Docente: Carla Santos

 E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
   Puberdade

   Órgãos     e    Hormonas
    ligadas   nos   processos
    reprodutivos

   Ciclo sexual

   Divisão das fases do Ciclo
    sexual tendo em conta o      Reprodução nas Fêmeas
    cio                                 Bovinas
   Divisão das fases do Ciclo
    sexual tendo em conta a         –Endocrinologia-
    estrutura na superfície do
    ovário

   Divisão das fases do Ciclo              Índice
    sexual tendo em conta a
    hormona na circulação
    sanguínea
                                    E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
Puberdade

           Púbis
          ( Pêlo )


   Mecanismos
    fisiológicos     são
    idênticos              Reprodução nas Fêmeas
                                  Bovinas

   Não se manifesta em       –Endocrinologia-
    todos os animais da
    mesma maneira ou na
    mesma idade
                                    Puberdade



                              E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 O começo da puberdade é encenada pelo Hipotálamo
  que através da Hipófise estimula as glândulas sexuais
  femininas (ovários) e masculinas (testículos).
 Assim é desencadeado uma reacção hormonal em cadeia.


 Ovários segregam               Testículos segregam
 hormonas sexuais               hormonas sexuais




 .Estrogénios                   .Androgénios
 .Progesterona                  .Testosterona



                                 E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Fisiologicamente podemos dizer que a fêmea só vai atingir a
  puberdade a partir do momento que liberta de forma cíclica
  os seus gâmetas e exibir comportamento sexual.

 Podemos então afirmar que a puberdade começa se quando
  os órgãos reprodutivos    iniciam a sua função, sendo
  representado para a fêmea pelo 1º cio, seguido de ovulação,
  cujo óvulo tem a capacidade de ser fertilizado .

 Vários factores condicionam o aparecimento da puberdade,
  tais como a raça e nutrição o qual pode antecipar e retardar
  o aparecimento do cio cerca de seis meses em animais
  pertencentes á mesma raça.




                                      E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
Média em raças para aparecimento do cio




Raças Europeias      entre 9 a 12 meses de idade


Raças Zebuínas       até aos 24 meses de idade


Zebuína x Europeia   entre os 12 e 20 meses de idade




                                 E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Hipotálamo


    Hipófise
                    Reprodução nas Fêmeas
                           Bovinas
    Ovários
                       –Endocrinologia-


      Útero        Órgãos e Hormonas ligadas
                     nos processos reprodutivos




                       E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Hipotálamo
(Resumo)



   Localização    >    base    do
    cérebro

   Tamanho > 1/300


  Sistema                                 Reprodução nas Fêmeas
porta-hipotálamo-hipofisário                      Bovinas
(transporta hormonas hipotalâmicas à
hipófise anterior)
                                              –Endocrinologia-

   Regulador                              Órgãos e Hormonas ligadas
(concentrações       de     hormonas
hipofisiárias que passam num sentido        nos processos reprodutivos
retrógrado)




                                              E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Hipotálamo
   Relativamente á Reprodução


A hormona reguladora primária
da função reprodutiva é a: Gnrh
(gonadrotopin-releasing hormone)


Decapeptídeo         Chave para
sistema reprodutivo.
                                       Reprodução nas Fêmeas
                                              Bovinas
Hormona       produzida    no
hipotálamo      que     actua
principalmente na estimulação             –Endocrinologia-
do lóbulo anterior da hipófise
para que este produza as
gonadotrofinas:                        Órgãos e Hormonas ligadas
                                        nos processos reprodutivos
LH > hormona luteinizante
FSH > hormona estimuladora
dos folículos
                                          E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
   A descoberta dos pulsos de
    Gnrh na circulação portal e
    a demonstração de que essa
    pulsatilidade               era
    fundamental                  na
    manutenção da síntese e
    secreção das gonadotrofinas
    foram fundamentais para o
    entendimento da função                Reprodução nas Fêmeas
    desta hormona nos processos                  Bovinas
    reprodutivos (Knobil 1980).

   A síndrome de Kallman
                                             –Endocrinologia-
    caracteriza-se pela ausência
    de pulsos de Gnrh, a qual é
    normalmente associada a
                                          Órgãos e Hormonas ligadas
    anosmia, uma vez que                   nos processos reprodutivos
    embriologicamente          o
    hipotálamo se forma a partir
    do bulbo olfactivo.
                                             E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Hipófise


   É formada pela confluência
    de          dois        tecidos
    embriologicamente
    diferentes.
   Um é originado do sistema
    nervoso.
   Outro    do      epitélio    da       Reprodução nas Fêmeas
    cavidade oral.                               Bovinas

   Por essa razão a hipófise                –Endocrinologia-
    divide-se em:

Neuro-Hipófise e Adeno-Hipófise           Órgãos e Hormonas ligadas
                                           nos processos reprodutivos




                                             E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
Neuro-Hipófise/Adeno-Hipófise
   Composta      por    fibras elástica    (Adeno-hipófise / hipófise anterior / lóbulo
    desprovidas de mielina que se           anterior da hipófise)
    originam dos núcleos supra-óptico e
    paraventricular terminando no lobo         A adeno-hipófise é que está mais
    nervoso da hipófise.                        relacionada com a reprodução visto
                                                alem de segregar hormonas como a
   O material neuro-secretor tem origem        Somatrofina (hormona Crescimento),
    no hipotálamo, nos núcleos acima            Prolactina (inicio da lactação), TSH
    referidos, e desloca-se através dos         (tireotrofina - regula o crescimento e
    axónios     do   tracto    hipotálamo       metabolismo da tiróide) e ACTH
    hipofisário para se armazenar na            (corticotrofina)    actua    sobre   a
    neuro-hipófise,   a     qual   produz       glândula supra-renal onde vai causar
    essencialmente suas hormonas:               a libertação de corticosteróides, são
                                                aqui produzidas:
ADH (hormona antidiurética)
                                            FSH (hormona folículo estimulante),
Vasopressina
                                            LH (hormona Luteinizante)

                                            Sendo estas que actuam directamente
                                            sobre o Ovário.


                                                    E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 FSH > promove o crescimento e proporciona o meio
  adequado ao desenvolvimento dos ovários.


 A concentração desta hormona no sangue tem uma
  relação funcional importante com o crescimento folicular,
  já que as ondas foliculares são sempre precedidas por
  aumento dos níveis de FSH (Adams et al.,1992).


 LH > é uma proteína que controla a ovulação bem como a
  iniciação do corpo lúteo e promove o desenvolvimento de
  um folículo maduro, contendo um ovo capaz de ser
  fertilizado.



                                   E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Ovários
  Pequeno em relação ao
   peso animal
 Em média:
37mm de comprimento
25 mm de largura
16 mm de espessura
3g a 20g de peso

    Forma ovóide e varia de              Reprodução nas Fêmeas
    tamanho e contorno                           Bovinas
    frequentemente a cada
    ciclo, devido á projecção
    de folículos e corpo amarelo             –Endocrinologia-
    na sua superfície.

   As hormonas produzidas                Órgãos e Hormonas ligadas
    pelos ovários estão                    nos processos reprodutivos
    directamente relacionadas
    com o tipo de estrutura
    dominante presente na
    superfície. ( folículo ou corpo
    lúteo)
                                             E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
   Ovários
   O folículo dominante segrega 80%
    do estradiol (Campbell et al.,1991)
    o      que       determina       as
    características sexuais femininas.

   Este, o estradiol, aumenta quando
    a FSH induz o crescimento dos
    folículos e também induz o
    comportamento do cio nas
    fêmeas,        sendo      também
    responsável pela manutenção
    dos tecidos do organismo e                Reprodução nas Fêmeas
    garante a elasticidade da pele e
    vasos sanguíneos entre outras
                                                     Bovinas
    funções.

   o    Corpo    lúteo       produz
                                                 –Endocrinologia-
    progesterona e oxitocina.

   A progesterona tem uma acção              Órgãos e Hormonas ligadas
    local mas age principalmente no            nos processos reprodutivos
    eixo     hipotalâmico/hipofisário
    inibindo a síntese de Gnrh e
    FSH/LH,   actuando     sobre    o
    comportamento do animal e
    ausência de cio.
                                                 E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Ovários

   O    Estradiol   inibe     as
    gonadotrofinas hipofisárias e
    manifestações de cio.

   É um esteróide produzido
    pelas células dos folículos.
                                        Reprodução nas Fêmeas
   A sua alta concentração,
    característica do proestro                 Bovinas
    (devido à sua produção pelo
    folículo    dominante   pré-
    ovulatório), é determinante            –Endocrinologia-
    do surto pré-ovulatório das
    gonadotrofinas,
    contrastando com o seu              Órgãos e Hormonas ligadas
    efeito inibitório quando em          nos processos reprodutivos
    concentrações mais baixas
    nas outras fases do ciclo
    sexual.

                                           E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
   Ovários
    Outra substancia produzida
     pelos ovários é o Interferon.

    Esta substancia é produzida
     pela placenta nos primórdios
     do     desenvolvimento    pelo
     trofoblasto, daí ser também
     conhecida por Trofoblastina ou
     Proteína Trofoblástica Bovina
     (PTB-1).
                                               Reprodução nas Fêmeas
    Produzida nos ovários e inibe a                  Bovinas
     FSH, sendo a sua principal
     função.
                                                  –Endocrinologia-
     Além destas hormonas são
      também        produzidas       uma
      família de Péptidos sintetizados         Órgãos e Hormonas ligadas
      pelas células da granulosa em
      resposta á FSH, as quais são
                                                nos processos reprodutivos
      secretadas para o liquido
      folicular.
    Inibina / Activina / Folistatina

                                                  E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Útero
   O Útero e em particular o
    endométrio uterino vai variar
    em vascularização e em
    espessura com a gestação e
    as variações hormonais.

   Participa activamente no
    controlo do CL através da
    produção e libertação de
    uma      substância      com         Reprodução nas Fêmeas
    actividade          hormonal                Bovinas
    denominada                 por
    Prostaglandina F2 alfa, esta é
    libertada 14 dias após a                –Endocrinologia-
    ovulação no útero não
    gestante.
                                         Órgãos e Hormonas ligadas
   As células do oviducto, cérvix        nos processos reprodutivos
    e vagina também produzem
    substancias     de    acção
    sistémica e local, a mais
    importante na reprodução é
    a Prostaglandina.
                                            E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Útero

   As prostaglandinas são da
    família   de     Eucasinóides,
    sendo    estas     substancias
    derivadas       do      ácido
    araquidónico e responsável
    pela Luteólise.

                                         Reprodução nas Fêmeas
    A anatomia da drenagem
                                                Bovinas
    venosa do útero permite a
    passagem dos metabolitos                –Endocrinologia-
    uterinos        em        alta
    concentração       para      o
    sistema de irrigação ovárica,        Órgãos e Hormonas ligadas
    antes de serem diluídos na            nos processos reprodutivos
    circulação         periférica,
    permitindo uma acção local
    sobre o ovário.

                                            E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Ciclo     sexual
          ciclo sexual



            ciclo éstrico
   Provem do latim oistros e
    significa desejo maluco.

   É     caracterizado      por   Reprodução nas Fêmeas
    modificações    cíclicas   e          Bovinas
    morfológicas   nos    órgãos
    reprodutivos      e       no
    comportamento sexual.             –Endocrinologia-

   Esta     modificação     de            Ciclo sexual
    comportamento
    (receptividade   sexual)  é
    chamada de estro ou cio.



                                      E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Ciclo       sexual

   O    intervalo entre   dois
    períodos de estro         é
    chamado de ciclo éstrico.

   21 dias (vacas)
   20 dias (novilhas)             Reprodução nas Fêmeas
                                          Bovinas
   Com um intervalo que pode
    variar entre os 17 a 25 dias      –Endocrinologia-
    não sendo influenciado pelo
    fotoperíodo ou pela estação
    do ano.                                Ciclo sexual




                                      E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Ciclo     sexual
   A     fêmea    atinge    a
    puberdade    quando     for
    capaz    de   ciclicamente
    produzir gâmetas capazes
    de serem fecundados e de
    manifestar comportamento
    sexual.
                                  Reprodução nas Fêmeas
                                         Bovinas
   Durante o ciclo sexual
    ocorrem         alterações       –Endocrinologia-
    comportamentais
    morfológicas e hormonais,
    podendo este ser dividido             Ciclo sexual
    didacticamente         em
    períodos.




                                     E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Ciclo     sexual
   Se tivermos em conta:

   O dia do cio, podemos dividir
    o ciclo em 4 fases:
.Metaestro, Diestro, Proestro e
Estro

  O tipo de estrutura na           Reprodução nas Fêmeas
   superfície do ovário ( CL,              Bovinas
   Folículos):
.Fase Luteínica (se existir CL)
.Fase Folícular ( se existir 1 ou
                                       –Endocrinologia-
vários folículos)
                                            Ciclo sexual

  As hormonas na circulação
   sanguínea:
.Fase Progesterónica
.Fase Estrogénica
                                       E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
Divisão das fases do Ciclo
sexual tendo em conta o cio


            Metaestro,

                 Diestro,     Reprodução nas Fêmeas
                                      Bovinas

                Proestro,         –Endocrinologia-

                                Divisão das fases do Ciclo
                      Estro   sexual tendo em conta o cio




                                   E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
   Metaestro
   Fase do ciclo dos dias, vai do
    dia 1 ao dia 5 do ciclo sexual
    sendo o dia zero o dia do
    cio.
   Baixa    concentração       de
    estrogénio     no      sangue
    progesterona e LH.
   A cavidade que é deixada
    no tecido ovárico aquando        Reprodução nas Fêmeas
    da ovulação forma o corpus              Bovinas
    hemorrhagicum,      o     qual
    aumenta em tamanho nos
    dias 2 - 5 do ciclo,
                                         –Endocrinologia-
    transformando-se por acção
    da LH em corpo lúteo
    funcional   começando        a
                                      Divisão das fases do Ciclo
    secreção de progesterona.        sexual tendo em conta o cio




                                         E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
    Diestro
   Vai do dia 5 ao dia 18 do ciclo.
   A formação do CL e por sua vez a
    supremacia         da      progesterona
    caracterizam o diestro.
   O CL segrega progesterona e vai
    inibir a libertação de LH.
   Os folículos não vão ovular ou atingir
    a maturidade devido ao alto nível de
    concentração de progesterona.
   O CL produz oxitocina e armazena-a
    no seu interior.
   A oxitocina é libertada de uma só
    vez na corrente sanguínea alterando
    os receptores de prostaglandina F2        Reprodução nas Fêmeas
    alfa existente na nível da artéria e da
    veia uterina o que provoca a sua
    contracção.
                                                     Bovinas
   Assim o volume sanguíneo ao ovário
    é reduzido o que provoca a morte
    (lise) do CL.                                 –Endocrinologia-
   Logo os níveis de progesterona
    diminuem         rapidamente          e
    consequentemente o retro-controlo
    negativo existente sobre o lóbulo
    anterior da hipófise e sobre o             Divisão das fases do Ciclo
    hipotálamo.                               sexual tendo em conta o cio
   Então nos dias 16 – 18, a ultima onda
    de folículos vais crescer e ao
    segregar mais estrogénios prepara-se
    para um ciclo seguinte.


                                                  E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
   Proestro
   É a ultima fase do ciclo e
    ocorre nos dias 18 – 20/21.

   O CL praticamente já não
    funciona,    logo    deixa   de
    produzir           progesterona
    cessando       a     actividade
    inibidora desta.
   Os folículos começam, nova e
    rapidamente        a     crescer
    tornando-se        um       mais
                                       Reprodução nas Fêmeas
    proeminente, folículo de De               Bovinas
    Graaf, devido a um rápido
    crescimento      e   actividade
    segregando mais estrogénios            –Endocrinologia-
    enquanto outros regridem.

   Para finalizar este aumento de      Divisão das fases do Ciclo
    estrogénios libertados por o
    folículo de De Graaf e com a       sexual tendo em conta o cio
    descida      de    progesterona
    divido á regressão do CL o
    estro ocorre novamente e
    estamos de novo no dia 0.
                                           E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
   Estro
   Do dia 0 a 1 do ciclo.

   A vaca entra em cio no dia 0
    o que se mantem por um
    período de 18 horas (pode
    variar entre 12 a 24 h).

   Aproximadamente        12   h   Reprodução nas Fêmeas
    depois do cio , o folículo de
    De     Graaf   ,   que     se
                                           Bovinas
    transformou em folículo pré-
    ovulatório vai ovular em            –Endocrinologia-
    resposta ao aumento de LH.

   A     hormona       que     é    Divisão das fases do Ciclo
    responsável por    isso é   o   sexual tendo em conta o cio
    estrogénio.



                                        E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
   Estro
   É aqui que o comportamento do
    macho é típico, isto devido ao
    aumento         de    estrogénio
    proveniente        do     folículo
    dominante em conjunto com a
    descida basal da progesterona
    uma vez que os estrogénios têm
    uma estrutura molecular muito
    idêntica á testosterona (Moreira
    da Silva,1997).
                                         Reprodução nas Fêmeas
   Esta fase é a responsável pelos             Bovinas
    feedbacks negativos e positivos
    na libertação de:
                                             –Endocrinologia-
o    GRH
o   Características      sexuais
    secundarias                           Divisão das fases do Ciclo
o   Aumento      de contracções          sexual tendo em conta o cio
    uterinas
o   Estimulação do afluxo de
    glóbulos brancos no lúmen
    uterino
                                             E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
Divisão das fases do Ciclo
sexual tendo em conta a
estrutura na superfície do
          ovário



   Fase Folicular
                               Reprodução nas Fêmeas
            Fase Ovulatória          Bovinas

   Fase Luteínica                –Endocrinologia-
                               Divisão das fases do Ciclo
                               sexual tendo em conta a
                               estrutura na superfície do
                                         ovário



                                  E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
Divisão das fases do Ciclo
 sexual tendo em conta a
 estrutura na superfície do
           ovário



   Fase Folicular
                                             Reprodução nas Fêmeas
               Fase Ovulatória                     Bovinas

   Fase Luteínica                              –Endocrinologia-
                                             Divisão das fases do Ciclo
                                             sexual tendo em conta a
                                             estrutura na superfície do
                                                       ovário

(Têm inicio com o aumento da hormona
luteinizante, libertando-se o óvulo que se
encontra no folículo maduro)
                                                E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
   Fase Folicular
    Período     folicular ou    fase
     folicular.
    Fase que compreende o
     proestro e o estro.
    No proestro existe um declínio
     nos níveis de progesterona pelo
     desenvolvimento folicular e
     pelo aumento dos níveis de
     estradiol no sangue.
    No estro o aumento dos níveis      Reprodução nas Fêmeas
     de estradiol, além de induzirem           Bovinas
     a manifestação física do cio
     são também responsáveis pela
     dilatação do cérvix, síntese e        –Endocrinologia-
     secreção do muco vaginal e o
     transporte dos espermatozóides     Divisão das fases do Ciclo
     no tracto reprodutivo feminino.    sexual tendo em conta a
                                        estrutura na superfície do
    estrogénio         induz                      ovário
                       receptividade
progesterona           sexual

                                           E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
   Fase Folicular

   A ovulação ocorre aquando
    da ruptura do folículo e
    consequente libertação do
    ovócito. (Allrich,1993).

   A duração do estro está
    dependente        de      vários
    factores incluindo e idade e       Reprodução nas Fêmeas
    a estação do ano, sendo                   Bovinas
    mais comum aparecerem
    cios nocturnos do que
    diurnos (Peters e Ball,1995).
                                          –Endocrinologia-
                                       Divisão das fases do Ciclo
   A raça o maneio dos animais        sexual tendo em conta a
    e os factores ambientais são       estrutura na superfície do
    também       factores     de                 ovário
    variação da duração do
    estro.

                                          E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
   Fase Folicular

   A foliculogénese comporta
    todas     as       etapas do
    desenvolvimento do folículo
    desde a sua formação ate à
    sua ovulação ou à sua atrésia
    (Driancourt et al., 1991)

   A foliculogénese contém duas     Reprodução nas Fêmeas
    fases distintas :
                                            Bovinas
   Fase do desenvolvimento do
    folículo que está dependente        –Endocrinologia-
    de um controlo intra-ovárico e
    uma segunda fase em que o        Divisão das fases do Ciclo
    controlo é feito por hormonas    sexual tendo em conta a
    gonadotróficas (Hafez,1987)      estrutura na superfície do
                                               ovário



                                        E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
   Fase Luteínica

   Após o final de manifestação
    do cio, tem inicio o período
    de     desenvolvimento     do
    corpo      lúteo  ou     fase
    Luteínica.

   Esta é dividida em metaestro
    e diestro.                      Reprodução nas Fêmeas
                                           Bovinas
   O metaestro, com duração
    de dois a três dias tem como       –Endocrinologia-
    característica principal a
    ovulação.                       Divisão das fases do Ciclo
                                    sexual tendo em conta a
   O diestro é quando o corpo      estrutura na superfície do
    lúteo passa a ser funcional               ovário
    representado pela síntese e
    libertação de elevados níveis
    de progesterona.
                                       E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
 Se o ovócito for fecundado, o corpo lúteo será mantido e os
  níveis de progesterona permanecerão elevados durante o
  período de gestação.


 Se não ocorrer fecundação, o CL regredirá (17 dias após o
  cio) e os níveis de progesterona no sangue diminuem, isto
  permite o desenvolvimento de um novo ciclo sexual.


 A prostaglandina F2 alfa (PGF2alfa) é responsável pela
  Luteólise (gordon,1994).




                                     E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
       Se a fertilização ocorre:

então ocorre a clivagem do zigoto e formação do
blastocisto, o blastocisto inicia a implantação no endométrio,
em torno do sexto dia da fase Luteínica (dia 20, de um ciclo
de 28 dias), a fase Luteínica (secretora) continua e não
ocorre menstruação.


      Se a fertilização não ocorre:

o corpo lúteo degenera, os níveis de estrogénio e
progesterona caem e, no ultimo dia da fase Luteínica, o
endométrio secretor entra na fase isquémica (redução do
suprimento sanguíneo) e ocorre menstruação.



                                       E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
Divisão das fases do Ciclo
sexual tendo em conta a
 hormona na circulação
        sanguínea


     Fase Progesterónica
                             Reprodução nas Fêmeas
                                    Bovinas
         Fase Estrogénica
                                –Endocrinologia-
                             Divisão das fases do Ciclo
                             sexual tendo em conta a
                              hormona na circulação
                                     sanguínea



                                E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
   Divide-se o ciclo éstrico em
    duas fases :




   Fase estrogénica
            (proestro e estro)

                                   Reprodução nas Fêmeas
   Fase Progesterónica
                                          Bovinas
          (metaestro e diestro)

                                      –Endocrinologia-
                                   Divisão das fases do Ciclo
                                   sexual tendo em conta a
                                    hormona na circulação
                                           sanguínea



                                      E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
Reprodução nas Fêmeas Bovinas

       -Endocrinologia-
Bibliografia

   Compêndio de Reprodução
    Animal, Intervet International bv

   Atlas do Ovócito e do Embrião
    Bovino, ISBN 978-989-9131-22-5.

    Regulation of dominant follicle
                                         Reprodução nas Fêmeas

    turnover during the oestrous cycle
    in cows, journal of reproduction            Bovinas
    and fertility (1993)97, 197-203.

                                            –Endocrinologia-




                                          Bibliografia
                                            E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
FIM
      Trabalho realizado por:

         Pedro Carvalho
              1637
        E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fisiologia da reprodução - fêmeas
Fisiologia da reprodução - fêmeasFisiologia da reprodução - fêmeas
Fisiologia da reprodução - fêmeas
José Alcides C M Ribeiro
 
Patologias do sistema reprodutor
Patologias do sistema reprodutorPatologias do sistema reprodutor
Patologias do sistema reprodutor
Marília Gomes
 
Caprinos e Ovinos
Caprinos e OvinosCaprinos e Ovinos
Caprinos e Ovinos
Sheila Cassenotte
 
Aparelho urogenital das aves
Aparelho urogenital das avesAparelho urogenital das aves
Aparelho urogenital das aves
Fernando Moreira
 
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinosSistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Marília Gomes
 
Racas bovinas
Racas bovinasRacas bovinas
Racas bovinas
Antonio Marchi
 
Sistema reprodutor feminino seminario
Sistema reprodutor feminino seminarioSistema reprodutor feminino seminario
Sistema reprodutor feminino seminario
Emannuelle Alves de Souza
 
Fisiologia da reprodução - machos
Fisiologia da reprodução - machosFisiologia da reprodução - machos
Fisiologia da reprodução - machos
José Alcides C M Ribeiro
 
Embriogênese
EmbriogêneseEmbriogênese
Embriogênese
Gessica Sousa
 
Aula gametogênese
Aula gametogêneseAula gametogênese
Aula gametogênese
César Milani
 
Controle de verminose de ovinos
Controle de verminose de ovinosControle de verminose de ovinos
Controle de verminose de ovinos
Thiago Abdo
 
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdfAULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
Aldrin83
 
Sistema reprodutor de uma ave
Sistema reprodutor de uma aveSistema reprodutor de uma ave
Sistema reprodutor de uma ave
00367p
 
Sistema Reprodutor Masculino- Prof. Franklin
Sistema Reprodutor Masculino- Prof. FranklinSistema Reprodutor Masculino- Prof. Franklin
Sistema Reprodutor Masculino- Prof. Franklin
Matheus Yuri
 
Apresentação coluna vertebral
Apresentação coluna vertebralApresentação coluna vertebral
Apresentação coluna vertebral
Med. Veterinária 2011
 
Cronometria dentaria de Equinos
Cronometria dentaria de EquinosCronometria dentaria de Equinos
Cronometria dentaria de Equinos
Killer Max
 
Casqueamento de Equinos
Casqueamento de EquinosCasqueamento de Equinos
Casqueamento de Equinos
Killer Max
 
Manejo Reprodutivo de Equinos
Manejo Reprodutivo de EquinosManejo Reprodutivo de Equinos
Manejo Reprodutivo de Equinos
Killer Max
 
Anatomia das aves
Anatomia das avesAnatomia das aves
Anatomia das aves
Marília Gomes
 
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animalAula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
James Pinho Ladislau Pinho
 

Mais procurados (20)

Fisiologia da reprodução - fêmeas
Fisiologia da reprodução - fêmeasFisiologia da reprodução - fêmeas
Fisiologia da reprodução - fêmeas
 
Patologias do sistema reprodutor
Patologias do sistema reprodutorPatologias do sistema reprodutor
Patologias do sistema reprodutor
 
Caprinos e Ovinos
Caprinos e OvinosCaprinos e Ovinos
Caprinos e Ovinos
 
Aparelho urogenital das aves
Aparelho urogenital das avesAparelho urogenital das aves
Aparelho urogenital das aves
 
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinosSistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
Sistemas de criação e instalações para caprinos e ovinos - caprinos e ovinos
 
Racas bovinas
Racas bovinasRacas bovinas
Racas bovinas
 
Sistema reprodutor feminino seminario
Sistema reprodutor feminino seminarioSistema reprodutor feminino seminario
Sistema reprodutor feminino seminario
 
Fisiologia da reprodução - machos
Fisiologia da reprodução - machosFisiologia da reprodução - machos
Fisiologia da reprodução - machos
 
Embriogênese
EmbriogêneseEmbriogênese
Embriogênese
 
Aula gametogênese
Aula gametogêneseAula gametogênese
Aula gametogênese
 
Controle de verminose de ovinos
Controle de verminose de ovinosControle de verminose de ovinos
Controle de verminose de ovinos
 
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdfAULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
AULA 2 - BEM-ESTAR ANIMAL.pdf
 
Sistema reprodutor de uma ave
Sistema reprodutor de uma aveSistema reprodutor de uma ave
Sistema reprodutor de uma ave
 
Sistema Reprodutor Masculino- Prof. Franklin
Sistema Reprodutor Masculino- Prof. FranklinSistema Reprodutor Masculino- Prof. Franklin
Sistema Reprodutor Masculino- Prof. Franklin
 
Apresentação coluna vertebral
Apresentação coluna vertebralApresentação coluna vertebral
Apresentação coluna vertebral
 
Cronometria dentaria de Equinos
Cronometria dentaria de EquinosCronometria dentaria de Equinos
Cronometria dentaria de Equinos
 
Casqueamento de Equinos
Casqueamento de EquinosCasqueamento de Equinos
Casqueamento de Equinos
 
Manejo Reprodutivo de Equinos
Manejo Reprodutivo de EquinosManejo Reprodutivo de Equinos
Manejo Reprodutivo de Equinos
 
Anatomia das aves
Anatomia das avesAnatomia das aves
Anatomia das aves
 
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animalAula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
Aula 4 bioclimatologia animal ecologia animal
 

Destaque

Apostila reprodução bovina final
Apostila reprodução bovina finalApostila reprodução bovina final
Apostila reprodução bovina final
Portal Canal Rural
 
Manual inseminação artificial
Manual inseminação artificialManual inseminação artificial
Manual inseminação artificial
Portal Canal Rural
 
Reprodução animal valéria
Reprodução animal   valériaReprodução animal   valéria
Reprodução animal valéria
Valeria Charaba
 
Inseminação artificial
Inseminação artificialInseminação artificial
Inseminação artificial
Robson Oliveira
 
Inseminação Artificial
Inseminação ArtificialInseminação Artificial
Inseminação Artificial
complementoindirecto
 
Manejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corteManejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corte
Fabrício Farias
 
Bovino
BovinoBovino
Sistema reprodutor do macho e femea
Sistema reprodutor do macho e femeaSistema reprodutor do macho e femea
Sistema reprodutor do macho e femea
Marcos Anicio
 
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos pbsm [modo de compatibilidade]
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos pbsm [modo de compatibilidade]Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos pbsm [modo de compatibilidade]
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos pbsm [modo de compatibilidade]
Pbsmal
 
995 aula de endocrinologia da reprodução
995 aula de endocrinologia da reprodução995 aula de endocrinologia da reprodução
995 aula de endocrinologia da reprodução
Boitatá Dacarapreta
 
Bovinos manejo reprodutivo
Bovinos manejo reprodutivoBovinos manejo reprodutivo
Bovinos manejo reprodutivo
Fmodri3
 
COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...
COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...
COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...
RG Genetica Avançada Girotto
 
Reprodução animal e biotecnologia
Reprodução animal e biotecnologiaReprodução animal e biotecnologia
Reprodução animal e biotecnologia
Rural Pecuária
 
Sistema Endocrino - Resumo
Sistema Endocrino - ResumoSistema Endocrino - Resumo
Sistema Endocrino - Resumo
bioemanuel
 
Cetose
CetoseCetose
Mapa conceitual Sistema Endócrino
Mapa conceitual Sistema EndócrinoMapa conceitual Sistema Endócrino
Mapa conceitual Sistema Endócrino
Jenifer Matos
 
Introduccion a la endocrinologia
Introduccion a la endocrinologiaIntroduccion a la endocrinologia
Introduccion a la endocrinologia
Universidad cuauhtemoc
 
Glândulas endócrinas
Glândulas endócrinasGlândulas endócrinas
Glândulas endócrinas
Paula Bachettini
 
Aparelho reprodutor masculino
Aparelho reprodutor masculinoAparelho reprodutor masculino
Aparelho reprodutor masculino
Jorge Rubens
 
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINOCONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
Patrícia Trindade
 

Destaque (20)

Apostila reprodução bovina final
Apostila reprodução bovina finalApostila reprodução bovina final
Apostila reprodução bovina final
 
Manual inseminação artificial
Manual inseminação artificialManual inseminação artificial
Manual inseminação artificial
 
Reprodução animal valéria
Reprodução animal   valériaReprodução animal   valéria
Reprodução animal valéria
 
Inseminação artificial
Inseminação artificialInseminação artificial
Inseminação artificial
 
Inseminação Artificial
Inseminação ArtificialInseminação Artificial
Inseminação Artificial
 
Manejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corteManejo reprodutivo em gado de corte
Manejo reprodutivo em gado de corte
 
Bovino
BovinoBovino
Bovino
 
Sistema reprodutor do macho e femea
Sistema reprodutor do macho e femeaSistema reprodutor do macho e femea
Sistema reprodutor do macho e femea
 
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos pbsm [modo de compatibilidade]
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos pbsm [modo de compatibilidade]Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos pbsm [modo de compatibilidade]
Manejo reprodutivo de caprinos e ovinos pbsm [modo de compatibilidade]
 
995 aula de endocrinologia da reprodução
995 aula de endocrinologia da reprodução995 aula de endocrinologia da reprodução
995 aula de endocrinologia da reprodução
 
Bovinos manejo reprodutivo
Bovinos manejo reprodutivoBovinos manejo reprodutivo
Bovinos manejo reprodutivo
 
COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...
COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...
COMO ELIMINAR O GARGALO "PRIMÍPARAS". ALTERNATIVAS PARA MELHORAR A TAXA DE PR...
 
Reprodução animal e biotecnologia
Reprodução animal e biotecnologiaReprodução animal e biotecnologia
Reprodução animal e biotecnologia
 
Sistema Endocrino - Resumo
Sistema Endocrino - ResumoSistema Endocrino - Resumo
Sistema Endocrino - Resumo
 
Cetose
CetoseCetose
Cetose
 
Mapa conceitual Sistema Endócrino
Mapa conceitual Sistema EndócrinoMapa conceitual Sistema Endócrino
Mapa conceitual Sistema Endócrino
 
Introduccion a la endocrinologia
Introduccion a la endocrinologiaIntroduccion a la endocrinologia
Introduccion a la endocrinologia
 
Glândulas endócrinas
Glândulas endócrinasGlândulas endócrinas
Glândulas endócrinas
 
Aparelho reprodutor masculino
Aparelho reprodutor masculinoAparelho reprodutor masculino
Aparelho reprodutor masculino
 
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINOCONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
CONTROLE HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO
 

Semelhante a Reprodução nas fêmeas bovinas endocrinologia-

Biologia reproducao
Biologia reproducaoBiologia reproducao
Biologia reproducao
Joseane Pasini CB
 
Biologia reproducao
Biologia reproducaoBiologia reproducao
Biologia reproducao
Marcos Elias
 
Unidade eb9 – mecanismos de integração e regulação
Unidade eb9 – mecanismos de integração e regulaçãoUnidade eb9 – mecanismos de integração e regulação
Unidade eb9 – mecanismos de integração e regulação
CAtriane Sousa
 
Hormônios relacionados à reprodução.pptx
Hormônios relacionados à reprodução.pptxHormônios relacionados à reprodução.pptx
Hormônios relacionados à reprodução.pptx
SandraMeirelles4
 
2016 Frente 2 módulo 12 Sistema Endócrino
2016 Frente 2 módulo 12 Sistema Endócrino2016 Frente 2 módulo 12 Sistema Endócrino
2016 Frente 2 módulo 12 Sistema Endócrino
Colégio Batista de Mantena
 
Aula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
Aula 2 Puberdade, hormônios e reproduçãoAula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
Aula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
Ana Filadelfi
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Fisiologia Humana - Sistema Reprodutor e Regulação Hormonal
Fisiologia Humana - Sistema Reprodutor e Regulação HormonalFisiologia Humana - Sistema Reprodutor e Regulação Hormonal
Fisiologia Humana - Sistema Reprodutor e Regulação Hormonal
Alexandre Alves De Sousa
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
Alpha Colégio e Vestibulares
 
12Bio_unidade1A.pdf
12Bio_unidade1A.pdf12Bio_unidade1A.pdf
12Bio_unidade1A.pdf
Teresa Cardoso
 
Fisiologia reprodutora humana
Fisiologia reprodutora humanaFisiologia reprodutora humana
Fisiologia reprodutora humana
Felipe Ribeiro
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
Simone Regina Grando
 
12 bio sistema reprodutor e regulação hormonal
12 bio sistema reprodutor e regulação hormonal12 bio sistema reprodutor e regulação hormonal
12 bio sistema reprodutor e regulação hormonal
CarlaCruz88
 
Sistema Endócrino II.pptx
Sistema Endócrino II.pptxSistema Endócrino II.pptx
Sistema Endócrino II.pptx
Luigi Hidd
 
HORMÔNIOS E SUAS FUNÇÕES.pptx
HORMÔNIOS E SUAS FUNÇÕES.pptxHORMÔNIOS E SUAS FUNÇÕES.pptx
HORMÔNIOS E SUAS FUNÇÕES.pptx
LucasWelligton
 
DEFICIÊNCIA DO CRESCER POR COMPROMETIMENTO DE HORMÔNIOS HIPOFISÁRIOS ASSOCIADOS
DEFICIÊNCIA DO CRESCER POR COMPROMETIMENTO DE HORMÔNIOS HIPOFISÁRIOS ASSOCIADOSDEFICIÊNCIA DO CRESCER POR COMPROMETIMENTO DE HORMÔNIOS HIPOFISÁRIOS ASSOCIADOS
DEFICIÊNCIA DO CRESCER POR COMPROMETIMENTO DE HORMÔNIOS HIPOFISÁRIOS ASSOCIADOS
Van Der Häägen Brazil
 
Regulação do funcionamento dos sistemas reprodutores
Regulação do funcionamento dos sistemas reprodutoresRegulação do funcionamento dos sistemas reprodutores
Regulação do funcionamento dos sistemas reprodutores
Isabel Lopes
 
Sistema endócrino: glândulas, hormônios e funções
Sistema endócrino: glândulas, hormônios e funçõesSistema endócrino: glândulas, hormônios e funções
Sistema endócrino: glândulas, hormônios e funções
Felipe Haeberlin
 
2.2. regulação hormonal ciclo ovárico e uterino
2.2. regulação hormonal ciclo ovárico e uterino2.2. regulação hormonal ciclo ovárico e uterino
2.2. regulação hormonal ciclo ovárico e uterino
Maria Rocha R
 
2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d
2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d
2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d
Cidalia Aguiar
 

Semelhante a Reprodução nas fêmeas bovinas endocrinologia- (20)

Biologia reproducao
Biologia reproducaoBiologia reproducao
Biologia reproducao
 
Biologia reproducao
Biologia reproducaoBiologia reproducao
Biologia reproducao
 
Unidade eb9 – mecanismos de integração e regulação
Unidade eb9 – mecanismos de integração e regulaçãoUnidade eb9 – mecanismos de integração e regulação
Unidade eb9 – mecanismos de integração e regulação
 
Hormônios relacionados à reprodução.pptx
Hormônios relacionados à reprodução.pptxHormônios relacionados à reprodução.pptx
Hormônios relacionados à reprodução.pptx
 
2016 Frente 2 módulo 12 Sistema Endócrino
2016 Frente 2 módulo 12 Sistema Endócrino2016 Frente 2 módulo 12 Sistema Endócrino
2016 Frente 2 módulo 12 Sistema Endócrino
 
Aula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
Aula 2 Puberdade, hormônios e reproduçãoAula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
Aula 2 Puberdade, hormônios e reprodução
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
 
Fisiologia Humana - Sistema Reprodutor e Regulação Hormonal
Fisiologia Humana - Sistema Reprodutor e Regulação HormonalFisiologia Humana - Sistema Reprodutor e Regulação Hormonal
Fisiologia Humana - Sistema Reprodutor e Regulação Hormonal
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
 
12Bio_unidade1A.pdf
12Bio_unidade1A.pdf12Bio_unidade1A.pdf
12Bio_unidade1A.pdf
 
Fisiologia reprodutora humana
Fisiologia reprodutora humanaFisiologia reprodutora humana
Fisiologia reprodutora humana
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
 
12 bio sistema reprodutor e regulação hormonal
12 bio sistema reprodutor e regulação hormonal12 bio sistema reprodutor e regulação hormonal
12 bio sistema reprodutor e regulação hormonal
 
Sistema Endócrino II.pptx
Sistema Endócrino II.pptxSistema Endócrino II.pptx
Sistema Endócrino II.pptx
 
HORMÔNIOS E SUAS FUNÇÕES.pptx
HORMÔNIOS E SUAS FUNÇÕES.pptxHORMÔNIOS E SUAS FUNÇÕES.pptx
HORMÔNIOS E SUAS FUNÇÕES.pptx
 
DEFICIÊNCIA DO CRESCER POR COMPROMETIMENTO DE HORMÔNIOS HIPOFISÁRIOS ASSOCIADOS
DEFICIÊNCIA DO CRESCER POR COMPROMETIMENTO DE HORMÔNIOS HIPOFISÁRIOS ASSOCIADOSDEFICIÊNCIA DO CRESCER POR COMPROMETIMENTO DE HORMÔNIOS HIPOFISÁRIOS ASSOCIADOS
DEFICIÊNCIA DO CRESCER POR COMPROMETIMENTO DE HORMÔNIOS HIPOFISÁRIOS ASSOCIADOS
 
Regulação do funcionamento dos sistemas reprodutores
Regulação do funcionamento dos sistemas reprodutoresRegulação do funcionamento dos sistemas reprodutores
Regulação do funcionamento dos sistemas reprodutores
 
Sistema endócrino: glândulas, hormônios e funções
Sistema endócrino: glândulas, hormônios e funçõesSistema endócrino: glândulas, hormônios e funções
Sistema endócrino: glândulas, hormônios e funções
 
2.2. regulação hormonal ciclo ovárico e uterino
2.2. regulação hormonal ciclo ovárico e uterino2.2. regulação hormonal ciclo ovárico e uterino
2.2. regulação hormonal ciclo ovárico e uterino
 
2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d
2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d
2.5.1. d mecanismos do parto e lactação d
 

Mais de Pedro Carvalho

2 jornadas equinicultura 2015
2 jornadas equinicultura 20152 jornadas equinicultura 2015
2 jornadas equinicultura 2015
Pedro Carvalho
 
Vacinação de equinos
Vacinação de equinosVacinação de equinos
Vacinação de equinos
Pedro Carvalho
 
I jornadas de Equinicultura
I jornadas de EquiniculturaI jornadas de Equinicultura
I jornadas de EquiniculturaPedro Carvalho
 
I jornadas de Equinicultura ( cartaz)
I jornadas de Equinicultura ( cartaz)I jornadas de Equinicultura ( cartaz)
I jornadas de Equinicultura ( cartaz)Pedro Carvalho
 
Programa
ProgramaPrograma
Programa
Pedro Carvalho
 
Cão guia
Cão guiaCão guia
Cão guia
Pedro Carvalho
 
Problema de comportamento em cavalos
Problema de comportamento em cavalosProblema de comportamento em cavalos
Problema de comportamento em cavalos
Pedro Carvalho
 
Comportamento do gato
Comportamento do gatoComportamento do gato
Comportamento do gato
Pedro Carvalho
 
Parasitas teciduais carvalho p
Parasitas teciduais carvalho pParasitas teciduais carvalho p
Parasitas teciduais carvalho p
Pedro Carvalho
 
Vírus cache valley é a causa de malformação
Vírus cache valley é a causa de malformaçãoVírus cache valley é a causa de malformação
Vírus cache valley é a causa de malformação
Pedro Carvalho
 
Trabalho hsa1 ev
Trabalho hsa1 ev  Trabalho hsa1 ev
Trabalho hsa1 ev
Pedro Carvalho
 
Imagiologia
Imagiologia Imagiologia
Imagiologia
Pedro Carvalho
 
dirofilaria immitis
 dirofilaria immitis dirofilaria immitis
dirofilaria immitis
Pedro Carvalho
 
segurança e resposabilidade civil
segurança e resposabilidade civil segurança e resposabilidade civil
segurança e resposabilidade civil
Pedro Carvalho
 
O Javali
O JavaliO Javali
O Javali
Pedro Carvalho
 
Imagiologia
Imagiologia Imagiologia
Imagiologia
Pedro Carvalho
 
Vacinação Animal
Vacinação AnimalVacinação Animal
Vacinação Animal
Pedro Carvalho
 
Trabalho Nutrição Flamingos ev 1ano
Trabalho Nutrição  Flamingos ev 1anoTrabalho Nutrição  Flamingos ev 1ano
Trabalho Nutrição Flamingos ev 1ano
Pedro Carvalho
 

Mais de Pedro Carvalho (19)

2 jornadas equinicultura 2015
2 jornadas equinicultura 20152 jornadas equinicultura 2015
2 jornadas equinicultura 2015
 
Vacinação de equinos
Vacinação de equinosVacinação de equinos
Vacinação de equinos
 
I jornadas de Equinicultura
I jornadas de EquiniculturaI jornadas de Equinicultura
I jornadas de Equinicultura
 
I jornadas de Equinicultura ( cartaz)
I jornadas de Equinicultura ( cartaz)I jornadas de Equinicultura ( cartaz)
I jornadas de Equinicultura ( cartaz)
 
Programa
ProgramaPrograma
Programa
 
Cão guia
Cão guiaCão guia
Cão guia
 
Problema de comportamento em cavalos
Problema de comportamento em cavalosProblema de comportamento em cavalos
Problema de comportamento em cavalos
 
Comportamento do gato
Comportamento do gatoComportamento do gato
Comportamento do gato
 
Parasitas teciduais carvalho p
Parasitas teciduais carvalho pParasitas teciduais carvalho p
Parasitas teciduais carvalho p
 
Vírus cache valley é a causa de malformação
Vírus cache valley é a causa de malformaçãoVírus cache valley é a causa de malformação
Vírus cache valley é a causa de malformação
 
Trabalho hsa1 ev
Trabalho hsa1 ev  Trabalho hsa1 ev
Trabalho hsa1 ev
 
Imagiologia
Imagiologia Imagiologia
Imagiologia
 
Resumos farmacologia
Resumos farmacologiaResumos farmacologia
Resumos farmacologia
 
dirofilaria immitis
 dirofilaria immitis dirofilaria immitis
dirofilaria immitis
 
segurança e resposabilidade civil
segurança e resposabilidade civil segurança e resposabilidade civil
segurança e resposabilidade civil
 
O Javali
O JavaliO Javali
O Javali
 
Imagiologia
Imagiologia Imagiologia
Imagiologia
 
Vacinação Animal
Vacinação AnimalVacinação Animal
Vacinação Animal
 
Trabalho Nutrição Flamingos ev 1ano
Trabalho Nutrição  Flamingos ev 1anoTrabalho Nutrição  Flamingos ev 1ano
Trabalho Nutrição Flamingos ev 1ano
 

Último

Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
MarceloMonteiro213738
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 

Último (20)

Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).pptepidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
epidemias endemia-pandemia-e-epidemia (1).ppt
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 

Reprodução nas fêmeas bovinas endocrinologia-

  • 1. Reprodução nas Fêmeas Bovinas -Endocrinologia- Escola Superior Agrária de Viseu Enfermagem Veterinária Reprodução Animal 2012 Docente: Carla Santos E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 2. Puberdade  Órgãos e Hormonas ligadas nos processos reprodutivos  Ciclo sexual  Divisão das fases do Ciclo sexual tendo em conta o Reprodução nas Fêmeas cio Bovinas  Divisão das fases do Ciclo sexual tendo em conta a –Endocrinologia- estrutura na superfície do ovário  Divisão das fases do Ciclo Índice sexual tendo em conta a hormona na circulação sanguínea E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 3. Puberdade Púbis ( Pêlo )  Mecanismos fisiológicos são idênticos Reprodução nas Fêmeas Bovinas  Não se manifesta em –Endocrinologia- todos os animais da mesma maneira ou na mesma idade  Puberdade E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 4.  O começo da puberdade é encenada pelo Hipotálamo que através da Hipófise estimula as glândulas sexuais femininas (ovários) e masculinas (testículos).  Assim é desencadeado uma reacção hormonal em cadeia. Ovários segregam Testículos segregam hormonas sexuais hormonas sexuais .Estrogénios .Androgénios .Progesterona .Testosterona E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 5.  Fisiologicamente podemos dizer que a fêmea só vai atingir a puberdade a partir do momento que liberta de forma cíclica os seus gâmetas e exibir comportamento sexual.  Podemos então afirmar que a puberdade começa se quando os órgãos reprodutivos iniciam a sua função, sendo representado para a fêmea pelo 1º cio, seguido de ovulação, cujo óvulo tem a capacidade de ser fertilizado .  Vários factores condicionam o aparecimento da puberdade, tais como a raça e nutrição o qual pode antecipar e retardar o aparecimento do cio cerca de seis meses em animais pertencentes á mesma raça. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 6. Média em raças para aparecimento do cio Raças Europeias entre 9 a 12 meses de idade Raças Zebuínas até aos 24 meses de idade Zebuína x Europeia entre os 12 e 20 meses de idade E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 7.  Hipotálamo  Hipófise Reprodução nas Fêmeas Bovinas  Ovários –Endocrinologia-  Útero  Órgãos e Hormonas ligadas nos processos reprodutivos E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 8.  Hipotálamo (Resumo)  Localização > base do cérebro  Tamanho > 1/300  Sistema Reprodução nas Fêmeas porta-hipotálamo-hipofisário Bovinas (transporta hormonas hipotalâmicas à hipófise anterior) –Endocrinologia-  Regulador  Órgãos e Hormonas ligadas (concentrações de hormonas hipofisiárias que passam num sentido nos processos reprodutivos retrógrado) E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 9.  Hipotálamo Relativamente á Reprodução A hormona reguladora primária da função reprodutiva é a: Gnrh (gonadrotopin-releasing hormone) Decapeptídeo Chave para sistema reprodutivo. Reprodução nas Fêmeas Bovinas Hormona produzida no hipotálamo que actua principalmente na estimulação –Endocrinologia- do lóbulo anterior da hipófise para que este produza as gonadotrofinas:  Órgãos e Hormonas ligadas nos processos reprodutivos LH > hormona luteinizante FSH > hormona estimuladora dos folículos E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 10. A descoberta dos pulsos de Gnrh na circulação portal e a demonstração de que essa pulsatilidade era fundamental na manutenção da síntese e secreção das gonadotrofinas foram fundamentais para o entendimento da função Reprodução nas Fêmeas desta hormona nos processos Bovinas reprodutivos (Knobil 1980).  A síndrome de Kallman –Endocrinologia- caracteriza-se pela ausência de pulsos de Gnrh, a qual é normalmente associada a  Órgãos e Hormonas ligadas anosmia, uma vez que nos processos reprodutivos embriologicamente o hipotálamo se forma a partir do bulbo olfactivo. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 11.  Hipófise  É formada pela confluência de dois tecidos embriologicamente diferentes.  Um é originado do sistema nervoso.  Outro do epitélio da Reprodução nas Fêmeas cavidade oral. Bovinas  Por essa razão a hipófise –Endocrinologia- divide-se em: Neuro-Hipófise e Adeno-Hipófise  Órgãos e Hormonas ligadas nos processos reprodutivos E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 12. Neuro-Hipófise/Adeno-Hipófise  Composta por fibras elástica (Adeno-hipófise / hipófise anterior / lóbulo desprovidas de mielina que se anterior da hipófise) originam dos núcleos supra-óptico e paraventricular terminando no lobo  A adeno-hipófise é que está mais nervoso da hipófise. relacionada com a reprodução visto alem de segregar hormonas como a  O material neuro-secretor tem origem Somatrofina (hormona Crescimento), no hipotálamo, nos núcleos acima Prolactina (inicio da lactação), TSH referidos, e desloca-se através dos (tireotrofina - regula o crescimento e axónios do tracto hipotálamo metabolismo da tiróide) e ACTH hipofisário para se armazenar na (corticotrofina) actua sobre a neuro-hipófise, a qual produz glândula supra-renal onde vai causar essencialmente suas hormonas: a libertação de corticosteróides, são aqui produzidas: ADH (hormona antidiurética) FSH (hormona folículo estimulante), Vasopressina LH (hormona Luteinizante) Sendo estas que actuam directamente sobre o Ovário. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 13.  FSH > promove o crescimento e proporciona o meio adequado ao desenvolvimento dos ovários.  A concentração desta hormona no sangue tem uma relação funcional importante com o crescimento folicular, já que as ondas foliculares são sempre precedidas por aumento dos níveis de FSH (Adams et al.,1992).  LH > é uma proteína que controla a ovulação bem como a iniciação do corpo lúteo e promove o desenvolvimento de um folículo maduro, contendo um ovo capaz de ser fertilizado. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 14.  Ovários  Pequeno em relação ao peso animal  Em média: 37mm de comprimento 25 mm de largura 16 mm de espessura 3g a 20g de peso  Forma ovóide e varia de Reprodução nas Fêmeas tamanho e contorno Bovinas frequentemente a cada ciclo, devido á projecção de folículos e corpo amarelo –Endocrinologia- na sua superfície.  As hormonas produzidas  Órgãos e Hormonas ligadas pelos ovários estão nos processos reprodutivos directamente relacionadas com o tipo de estrutura dominante presente na superfície. ( folículo ou corpo lúteo) E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 15. Ovários  O folículo dominante segrega 80% do estradiol (Campbell et al.,1991) o que determina as características sexuais femininas.  Este, o estradiol, aumenta quando a FSH induz o crescimento dos folículos e também induz o comportamento do cio nas fêmeas, sendo também responsável pela manutenção dos tecidos do organismo e Reprodução nas Fêmeas garante a elasticidade da pele e vasos sanguíneos entre outras Bovinas funções.  o Corpo lúteo produz –Endocrinologia- progesterona e oxitocina.  A progesterona tem uma acção  Órgãos e Hormonas ligadas local mas age principalmente no nos processos reprodutivos eixo hipotalâmico/hipofisário inibindo a síntese de Gnrh e FSH/LH, actuando sobre o comportamento do animal e ausência de cio. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 16.  Ovários  O Estradiol inibe as gonadotrofinas hipofisárias e manifestações de cio.  É um esteróide produzido pelas células dos folículos. Reprodução nas Fêmeas  A sua alta concentração, característica do proestro Bovinas (devido à sua produção pelo folículo dominante pré- ovulatório), é determinante –Endocrinologia- do surto pré-ovulatório das gonadotrofinas, contrastando com o seu  Órgãos e Hormonas ligadas efeito inibitório quando em nos processos reprodutivos concentrações mais baixas nas outras fases do ciclo sexual. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 17. Ovários  Outra substancia produzida pelos ovários é o Interferon.  Esta substancia é produzida pela placenta nos primórdios do desenvolvimento pelo trofoblasto, daí ser também conhecida por Trofoblastina ou Proteína Trofoblástica Bovina (PTB-1). Reprodução nas Fêmeas  Produzida nos ovários e inibe a Bovinas FSH, sendo a sua principal função. –Endocrinologia-  Além destas hormonas são também produzidas uma família de Péptidos sintetizados  Órgãos e Hormonas ligadas pelas células da granulosa em resposta á FSH, as quais são nos processos reprodutivos secretadas para o liquido folicular. Inibina / Activina / Folistatina E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 18.  Útero  O Útero e em particular o endométrio uterino vai variar em vascularização e em espessura com a gestação e as variações hormonais.  Participa activamente no controlo do CL através da produção e libertação de uma substância com Reprodução nas Fêmeas actividade hormonal Bovinas denominada por Prostaglandina F2 alfa, esta é libertada 14 dias após a –Endocrinologia- ovulação no útero não gestante.  Órgãos e Hormonas ligadas  As células do oviducto, cérvix nos processos reprodutivos e vagina também produzem substancias de acção sistémica e local, a mais importante na reprodução é a Prostaglandina. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 19.  Útero  As prostaglandinas são da família de Eucasinóides, sendo estas substancias derivadas do ácido araquidónico e responsável pela Luteólise. Reprodução nas Fêmeas  A anatomia da drenagem Bovinas venosa do útero permite a passagem dos metabolitos –Endocrinologia- uterinos em alta concentração para o sistema de irrigação ovárica,  Órgãos e Hormonas ligadas antes de serem diluídos na nos processos reprodutivos circulação periférica, permitindo uma acção local sobre o ovário. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 20.  Ciclo sexual ciclo sexual ciclo éstrico  Provem do latim oistros e significa desejo maluco.  É caracterizado por Reprodução nas Fêmeas modificações cíclicas e Bovinas morfológicas nos órgãos reprodutivos e no comportamento sexual. –Endocrinologia-  Esta modificação de  Ciclo sexual comportamento (receptividade sexual) é chamada de estro ou cio. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 21.  Ciclo sexual  O intervalo entre dois períodos de estro é chamado de ciclo éstrico.  21 dias (vacas)  20 dias (novilhas) Reprodução nas Fêmeas Bovinas  Com um intervalo que pode variar entre os 17 a 25 dias –Endocrinologia- não sendo influenciado pelo fotoperíodo ou pela estação do ano.  Ciclo sexual E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 22.  Ciclo sexual  A fêmea atinge a puberdade quando for capaz de ciclicamente produzir gâmetas capazes de serem fecundados e de manifestar comportamento sexual. Reprodução nas Fêmeas Bovinas  Durante o ciclo sexual ocorrem alterações –Endocrinologia- comportamentais morfológicas e hormonais, podendo este ser dividido  Ciclo sexual didacticamente em períodos. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 23.  Ciclo sexual  Se tivermos em conta:  O dia do cio, podemos dividir o ciclo em 4 fases: .Metaestro, Diestro, Proestro e Estro  O tipo de estrutura na Reprodução nas Fêmeas superfície do ovário ( CL, Bovinas Folículos): .Fase Luteínica (se existir CL) .Fase Folícular ( se existir 1 ou –Endocrinologia- vários folículos)  Ciclo sexual  As hormonas na circulação sanguínea: .Fase Progesterónica .Fase Estrogénica E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 24. Divisão das fases do Ciclo sexual tendo em conta o cio  Metaestro,  Diestro, Reprodução nas Fêmeas Bovinas  Proestro, –Endocrinologia- Divisão das fases do Ciclo  Estro sexual tendo em conta o cio E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 25. Metaestro  Fase do ciclo dos dias, vai do dia 1 ao dia 5 do ciclo sexual sendo o dia zero o dia do cio.  Baixa concentração de estrogénio no sangue progesterona e LH.  A cavidade que é deixada no tecido ovárico aquando Reprodução nas Fêmeas da ovulação forma o corpus Bovinas hemorrhagicum, o qual aumenta em tamanho nos dias 2 - 5 do ciclo, –Endocrinologia- transformando-se por acção da LH em corpo lúteo funcional começando a Divisão das fases do Ciclo secreção de progesterona. sexual tendo em conta o cio E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 26. Diestro  Vai do dia 5 ao dia 18 do ciclo.  A formação do CL e por sua vez a supremacia da progesterona caracterizam o diestro.  O CL segrega progesterona e vai inibir a libertação de LH.  Os folículos não vão ovular ou atingir a maturidade devido ao alto nível de concentração de progesterona.  O CL produz oxitocina e armazena-a no seu interior.  A oxitocina é libertada de uma só vez na corrente sanguínea alterando os receptores de prostaglandina F2 Reprodução nas Fêmeas alfa existente na nível da artéria e da veia uterina o que provoca a sua contracção. Bovinas  Assim o volume sanguíneo ao ovário é reduzido o que provoca a morte (lise) do CL. –Endocrinologia-  Logo os níveis de progesterona diminuem rapidamente e consequentemente o retro-controlo negativo existente sobre o lóbulo anterior da hipófise e sobre o Divisão das fases do Ciclo hipotálamo. sexual tendo em conta o cio  Então nos dias 16 – 18, a ultima onda de folículos vais crescer e ao segregar mais estrogénios prepara-se para um ciclo seguinte. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 27. Proestro  É a ultima fase do ciclo e ocorre nos dias 18 – 20/21.  O CL praticamente já não funciona, logo deixa de produzir progesterona cessando a actividade inibidora desta.  Os folículos começam, nova e rapidamente a crescer tornando-se um mais Reprodução nas Fêmeas proeminente, folículo de De Bovinas Graaf, devido a um rápido crescimento e actividade segregando mais estrogénios –Endocrinologia- enquanto outros regridem.  Para finalizar este aumento de Divisão das fases do Ciclo estrogénios libertados por o folículo de De Graaf e com a sexual tendo em conta o cio descida de progesterona divido á regressão do CL o estro ocorre novamente e estamos de novo no dia 0. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 28. Estro  Do dia 0 a 1 do ciclo.  A vaca entra em cio no dia 0 o que se mantem por um período de 18 horas (pode variar entre 12 a 24 h).  Aproximadamente 12 h Reprodução nas Fêmeas depois do cio , o folículo de De Graaf , que se Bovinas transformou em folículo pré- ovulatório vai ovular em –Endocrinologia- resposta ao aumento de LH.  A hormona que é Divisão das fases do Ciclo responsável por isso é o sexual tendo em conta o cio estrogénio. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 29. Estro  É aqui que o comportamento do macho é típico, isto devido ao aumento de estrogénio proveniente do folículo dominante em conjunto com a descida basal da progesterona uma vez que os estrogénios têm uma estrutura molecular muito idêntica á testosterona (Moreira da Silva,1997). Reprodução nas Fêmeas  Esta fase é a responsável pelos Bovinas feedbacks negativos e positivos na libertação de: –Endocrinologia- o GRH o Características sexuais secundarias Divisão das fases do Ciclo o Aumento de contracções sexual tendo em conta o cio uterinas o Estimulação do afluxo de glóbulos brancos no lúmen uterino E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 30. Divisão das fases do Ciclo sexual tendo em conta a estrutura na superfície do ovário  Fase Folicular Reprodução nas Fêmeas  Fase Ovulatória Bovinas  Fase Luteínica –Endocrinologia- Divisão das fases do Ciclo sexual tendo em conta a estrutura na superfície do ovário E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 31. Divisão das fases do Ciclo sexual tendo em conta a estrutura na superfície do ovário  Fase Folicular Reprodução nas Fêmeas  Fase Ovulatória Bovinas  Fase Luteínica –Endocrinologia- Divisão das fases do Ciclo sexual tendo em conta a estrutura na superfície do ovário (Têm inicio com o aumento da hormona luteinizante, libertando-se o óvulo que se encontra no folículo maduro) E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 32. Fase Folicular  Período folicular ou fase folicular.  Fase que compreende o proestro e o estro.  No proestro existe um declínio nos níveis de progesterona pelo desenvolvimento folicular e pelo aumento dos níveis de estradiol no sangue.  No estro o aumento dos níveis Reprodução nas Fêmeas de estradiol, além de induzirem Bovinas a manifestação física do cio são também responsáveis pela dilatação do cérvix, síntese e –Endocrinologia- secreção do muco vaginal e o transporte dos espermatozóides Divisão das fases do Ciclo no tracto reprodutivo feminino. sexual tendo em conta a estrutura na superfície do estrogénio induz ovário receptividade progesterona sexual E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 33. Fase Folicular  A ovulação ocorre aquando da ruptura do folículo e consequente libertação do ovócito. (Allrich,1993).  A duração do estro está dependente de vários factores incluindo e idade e Reprodução nas Fêmeas a estação do ano, sendo Bovinas mais comum aparecerem cios nocturnos do que diurnos (Peters e Ball,1995). –Endocrinologia- Divisão das fases do Ciclo  A raça o maneio dos animais sexual tendo em conta a e os factores ambientais são estrutura na superfície do também factores de ovário variação da duração do estro. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 34. Fase Folicular  A foliculogénese comporta todas as etapas do desenvolvimento do folículo desde a sua formação ate à sua ovulação ou à sua atrésia (Driancourt et al., 1991)  A foliculogénese contém duas Reprodução nas Fêmeas fases distintas : Bovinas  Fase do desenvolvimento do folículo que está dependente –Endocrinologia- de um controlo intra-ovárico e uma segunda fase em que o Divisão das fases do Ciclo controlo é feito por hormonas sexual tendo em conta a gonadotróficas (Hafez,1987) estrutura na superfície do ovário E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 35. Fase Luteínica  Após o final de manifestação do cio, tem inicio o período de desenvolvimento do corpo lúteo ou fase Luteínica.  Esta é dividida em metaestro e diestro. Reprodução nas Fêmeas Bovinas  O metaestro, com duração de dois a três dias tem como –Endocrinologia- característica principal a ovulação. Divisão das fases do Ciclo sexual tendo em conta a  O diestro é quando o corpo estrutura na superfície do lúteo passa a ser funcional ovário representado pela síntese e libertação de elevados níveis de progesterona. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 36.  Se o ovócito for fecundado, o corpo lúteo será mantido e os níveis de progesterona permanecerão elevados durante o período de gestação.  Se não ocorrer fecundação, o CL regredirá (17 dias após o cio) e os níveis de progesterona no sangue diminuem, isto permite o desenvolvimento de um novo ciclo sexual.  A prostaglandina F2 alfa (PGF2alfa) é responsável pela Luteólise (gordon,1994). E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 37. Se a fertilização ocorre: então ocorre a clivagem do zigoto e formação do blastocisto, o blastocisto inicia a implantação no endométrio, em torno do sexto dia da fase Luteínica (dia 20, de um ciclo de 28 dias), a fase Luteínica (secretora) continua e não ocorre menstruação.  Se a fertilização não ocorre: o corpo lúteo degenera, os níveis de estrogénio e progesterona caem e, no ultimo dia da fase Luteínica, o endométrio secretor entra na fase isquémica (redução do suprimento sanguíneo) e ocorre menstruação. E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 38. Divisão das fases do Ciclo sexual tendo em conta a hormona na circulação sanguínea  Fase Progesterónica Reprodução nas Fêmeas Bovinas  Fase Estrogénica –Endocrinologia- Divisão das fases do Ciclo sexual tendo em conta a hormona na circulação sanguínea E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 39. Divide-se o ciclo éstrico em duas fases :  Fase estrogénica (proestro e estro) Reprodução nas Fêmeas  Fase Progesterónica Bovinas (metaestro e diestro) –Endocrinologia- Divisão das fases do Ciclo sexual tendo em conta a hormona na circulação sanguínea E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 40. Reprodução nas Fêmeas Bovinas -Endocrinologia-
  • 41. Bibliografia  Compêndio de Reprodução Animal, Intervet International bv  Atlas do Ovócito e do Embrião Bovino, ISBN 978-989-9131-22-5. Regulation of dominant follicle Reprodução nas Fêmeas  turnover during the oestrous cycle in cows, journal of reproduction Bovinas and fertility (1993)97, 197-203. –Endocrinologia- Bibliografia E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012
  • 42. FIM Trabalho realizado por: Pedro Carvalho 1637 E.S.A.V.- Reprodução Animal - 2012