História do Regimento de Infantaria 14    e da presença militar em Viseu
Sumário1.    As Ordenanças Sebásticas e o embrião de um Exército Português2.    Do pós-restauração até ao final do Séc XVI...
As Ordenanças Sebásticas e oembrião de um Exército Português• A tropa de 1ª Linha• A criação dos Terços de  Ordenanças de ...
Do pós-restauração até ao final do Séc XVII• Reorganização do Exército – relançamento das  ordenanças, passando o Exército...
O Século XVIII• A partir de 1707, com a publicação das “Novas Ordenanças”, os  terços pagos passam a designar-se Regimento...
As guerras napoleónicas        (1801 a 1814)• A desmobilização de 1 de  Janeiro de 1800• A Guerra das Laranjas• A reestrut...
O periodo das guerras napoleónicas                      – a 1ª Invasão (Junot)•Iniciada em Novembro de 1807•Dificuldades e...
O período das guerras napoleónicas           (1800 a 1814)•   1808 - Chegada do RI 11 a Viseu•   1809 – 2ª invasão (Soult)...
Porto da Maia                                Toulouse                        (1813)                                     (1...
Das lutas liberais, à fixação           em Viseu • Rescaldo da guerra peninsular                      • A criação da “aula...
Convento dos Capuchos  (1º quartel do RI 14)                          E outras unidades em Viseu?                         ...
Início do Século XX – Ilustres em tempo de paz:            Coronel Ribeiro Arthur          Tenente Manuel Joaquim
Pacificação do Sul de Angola e               I Grande Guerra• Depois dos Cuamatos, os Cuanhamas - a  coluna Roçadas• …mas ...
A I Grande Guerra e o RI 14           • Março de 1916 – A Alemanha             declara a Guerra           • Levantamento, ...
II Grande Guerra• Destacamento do RI  14 para S. Miguel (O  BI 74, que incluía  elementos de várias  unidades – Ago 1941  ...
A presença do RI 14no Estado Português      da Índia(Uma companhia integrando o Batalhão de Caçadores  das Beiras, no dist...
A guerra de ÁfricaCCaç 82 (Mar61 – Dez62)CCaç 129 (Jul61 – Ago63)CCaç 135 (Jun61 – Set63)CCaç 191 (Jul61 – Nov63)         ...
Restauração da democracia – 25 de Abril de 1974
Participação em missões no exterior                          Bósnia-Herzegovina                          • 2000 – Agrupame...
Actividades em tempo de paz• Cerimónias diversas, dentro e fora de portas• Participação em comemorações militares e não só...
Conclusão
Referências•   http://debatespoliticos.mforos.com    /860753/7462197-los-mitos-de-la-guerra-de-independencia/•   “Exército...
História do ri 14
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

História do ri 14

909 visualizações

Publicada em

História do Regimento de Infantaria 14 e da presença militar em Viseu

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

História do ri 14

  1. 1. História do Regimento de Infantaria 14 e da presença militar em Viseu
  2. 2. Sumário1. As Ordenanças Sebásticas e o embrião de um Exército Português2. Do pós-restauração até ao final do Séc XVII3. O Século XVIII4. O período das guerras napoleónicas (1800 a 1814)5. Das lutas liberais, à fixação em Viseu6. Do declínio da monarquia à implantação da República7. Pacificação do Sul de Angola e I Grande Guerra8. II Grande Guerra9. A presença no Estado Português da Índia10. A guerra de África11. Restauração da democracia – 25 de Abril de 197412. Participação em missões no exterior13. A actividade interna em tempo de paz14. Conclusão• Referências
  3. 3. As Ordenanças Sebásticas e oembrião de um Exército Português• A tropa de 1ª Linha• A criação dos Terços de Ordenanças de base local• O universo recrutavel• Organização• Alojamento• Instrução e treino Regimento dos capitães-mores, & mais capitães & officiaes das companhias da gente de pé, & de cavallo : & da ordem que teram em se exercitarem
  4. 4. Do pós-restauração até ao final do Séc XVII• Reorganização do Exército – relançamento das ordenanças, passando o Exército a contemplar 3 níveis de prestação de serviço (regimentos de linha, terços de milícias e terços de ordenanças)• Universo recrutavel• Criação da “tenência”(Extracto da “Relação da Gente de Guerra do Reino”, de Abril de 1639)
  5. 5. O Século XVIII• A partir de 1707, com a publicação das “Novas Ordenanças”, os terços pagos passam a designar-se Regimentos.• As “sortes”• Primeiros passos para a padronização do uniforme e armamento• As reformas do Marquês de Pombal - Projecto de construção de quartéis permanentes; transformação da tenência no Arsenal do Exército Dotação de fardamento (1721) •Casaca, véstia, calção e chapéu •2 camisas, 2 gravatas e 2 pares de meias e de
  6. 6. As guerras napoleónicas (1801 a 1814)• A desmobilização de 1 de Janeiro de 1800• A Guerra das Laranjas• A reestruturação de 1806• 1807… Viseu recebe o seu primeiro regimento???
  7. 7. O periodo das guerras napoleónicas – a 1ª Invasão (Junot)•Iniciada em Novembro de 1807•Dificuldades encontradas pelosfranceses•A partida da corte•O licenciamento do Exército•A convenção de Sintra•Loison, o “maneta”
  8. 8. O período das guerras napoleónicas (1800 a 1814)• 1808 - Chegada do RI 11 a Viseu• 1809 – 2ª invasão (Soult)• 1810 – 3ª Invasão - A Batalha do Buçaco• A expulsão dos franceses e a perseguição até Toulouse
  9. 9. Porto da Maia Toulouse (1813) (1814) Vitoria Porto de Ariete (1813) (1813) Pamplona (1813)Bussaco (1810) Alba de Tormes (1812) Badajoz (1811 e 1812) Olivença (1811) Albuera (1811)
  10. 10. Das lutas liberais, à fixação em Viseu • Rescaldo da guerra peninsular • A criação da “aula de ler, escrever e contar para militares e civis” • O despontar do liberalismo e a guerra civil • Vitória liberal e extinção das ordens religiosas • Unidades militares em Viseu na primeira metade do Sec XIX: – RI 11 (1808 – 1829) – Quartel da Ribeira – Regimento de Caçadores da Beira Alta (1829 – 1834) – RI 3 (1835 – 1837), transformado no BI 19 (1837 – 1841) – BI 24 (1841 – 1842), transformado no RI 14 (1842 até ao presente)… foi também neste ano que foi inaugurada a iluminação pública “58 lampiões de azeite, acesos desde o crepúsculo até à meia-noite, salvo em ocasiões de luar”
  11. 11. Convento dos Capuchos (1º quartel do RI 14) E outras unidades em Viseu? 1854: Pela 1ª vez, fala-se de ter sido pedida a atribuição de uma unidade de cavalaria (RC 8) É atribuído à cidade, em acumulação com o RI 14, o Quartel General da 2ª Divisão Militar e um Tribunal Militar
  12. 12. Início do Século XX – Ilustres em tempo de paz: Coronel Ribeiro Arthur Tenente Manuel Joaquim
  13. 13. Pacificação do Sul de Angola e I Grande Guerra• Depois dos Cuamatos, os Cuanhamas - a coluna Roçadas• …mas antes: NAULILA!
  14. 14. A I Grande Guerra e o RI 14 • Março de 1916 – A Alemanha declara a Guerra • Levantamento, organização e aprontamento do Corpo Expedicionário Português • As trincheiras, a guerra química, a artilharia, o clima • 19 de Março de 1918
  15. 15. II Grande Guerra• Destacamento do RI 14 para S. Miguel (O BI 74, que incluía elementos de várias unidades – Ago 1941 a 25 de Julho de 1944)• Destacamento de Angola – o BI 74 (Julho de 1941 até ao final de 1944)
  16. 16. A presença do RI 14no Estado Português da Índia(Uma companhia integrando o Batalhão de Caçadores das Beiras, no distrito de Goa, de 1957 a 1959)
  17. 17. A guerra de ÁfricaCCaç 82 (Mar61 – Dez62)CCaç 129 (Jul61 – Ago63)CCaç 135 (Jun61 – Set63)CCaç 191 (Jul61 – Nov63) Cmd BCaç 161 Pel Mort 24, 26 e 33 Pel Canh 29 (Jul61 – Nov 63) (datas não apuradas) (??? – Out 63)
  18. 18. Restauração da democracia – 25 de Abril de 1974
  19. 19. Participação em missões no exterior Bósnia-Herzegovina • 2000 – Agrupamento Conjunto ALFA/BLI/SFOR * • 2002 – 2BI/BLI/SFOR * Timor • 2001 – 2BI/BLI/UNTAET *Kosovo• 2005 – 2BI/BLI/KFOR * * Aprontamento em BEJA• 2007/2008 – 2BI/BRIGINT/KFOR * * Aprontamento em VISEU
  20. 20. Actividades em tempo de paz• Cerimónias diversas, dentro e fora de portas• Participação em comemorações militares e não só;• Protecção e combate contra incêndios florestais• Protocolos de cedência de instalações (INEM, GNR, PSP, Instituições, etc)• Apoios vários a autarquias e instituições (Cáritas, Banco alimentar, Instituto Português do Sangue, Cruz Vermelha, Bombeiros, etc)• Participação / organização / apoio a eventos desportivos e culturais• VISITAS (O quartel e o Núcleo Museológico)
  21. 21. Conclusão
  22. 22. Referências• http://debatespoliticos.mforos.com /860753/7462197-los-mitos-de-la-guerra-de-independencia/• “Exército, mudança e modernização na 1ª metade do Século XIX” (Fernando Pereira Marques; Ed Cosmos – IDN, Lisboa 1999)• “Anuário do Regimento de Infantaria de Viseu, 1981”• “O 14 de Infantaria” (ed. RI 14 – 2009)• Monografia comemorativa do “Centenário do Museu Militar do Buçaco” (ed. Exército Português, 2010)• “Homens, espadas e tomates” (Rainer Daehnardt; Ed. Quipu – 2ª edição, Setembro de 1999)• “Diccionário do Portugal Antigo e Moderno” (Pinho Leal; Ed. Tavares Cardoso & Irmão, 1890)• “Vizeu” (Maximiano Aragão)• Revista Beira Alta (vários números)• “As ordenanças militares e a evolução do serviço militar na idade média” (Tese de Mestrado apresentada por Armando Rodrigues de Figueiredo em 2006, na FLUC)• “Regimento de Ordenanças de D. Sebastião – 1570”• “Unidades de Infantaria – sua evolução desde 1640 até à actualidade “(Capitão Balula Cid)• “Unidades de 1ª linha da Infantaria que tiveram quartel na cidade de Viseu “(Capitão Balula Cid)• “O Reino de Portugal em 1766 “ (Charles Dumouriez; ed. Caleidoscópio, 1ª ed – Jun2007)

×