O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 38 Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Semelhante a Xp (20)

Anúncio

Xp

  1. 1. Paulo Moura Web Developer studiosecret.com.br/blog tasafo.wordpres.com
  2. 2. Extreme Programming
  3. 3. Por quê?
  4. 4. Projetos que não são entregues no prazo. Gastos que superam orçamento. Funcionalidades que não ajudam o usuário. Baixa qualidade dos sistemas.
  5. 5. Isso a 40 anos atrás
  6. 6. Não há um único desenvolvimento, sendo em tecnologia ou metodologias de gerenciamento que prometa uma melhoria de uma ordem de grandeza em uma década de produtividade.
  7. 7. NO SILVER BULLET
  8. 8. Complexidade Essência do software “programar não é apenas um comportamento humano; é comportamento humano complexo.” Gerald Weinberg
  9. 9. Conformidade sistemas de software não costumam existir em conformidade com princípios fundamentais e estáveis.
  10. 10. Maleabilidade “Software, por sua vez, é apenas pensamento, o que o torna infinitamente maleável.” Fred Brooks
  11. 11. Invisibilidade “Esta falta não apenas retarda o processo de design dentro de uma mente, como também prejudica severamente a comunicação entre mentes diferentes.” Fred Brooks
  12. 12. Inexistência de princípios básicos
  13. 13. Rápida evolução tecnológica
  14. 14. Baixo custo de manufatura
  15. 15. METÁFORAS
  16. 16. Fábricas de software
  17. 17. Frederick Taylor
  18. 18. Trabalhador do conhecimento  Permitir que os próprios trabalhadores se auto-gerenciem;  Assegurar que os trabalhadores tenham a oportunidade de inovar;  Aprendizado e ensino contínuo;  Qualidade é um fator tão o mais importante que a quantidade;  Os trabalhadores do conhecimento precisam ser tratados como “ativos” e  não como “custo”;
  19. 19. Motivação para um programador  A satisfação de montar coisas;  A satisfação de montar coisas que são úteis para outras pessoas;  O fascínio de montar objetos que se assemelham a quebra-cabeças;  A satisfação de estar sempre aprendendo coisas não repetitivas;  O prazer de trabalhar em um meio tão maleável – pensamento puro – que, apesar de maleável, existe, se move e trabalha de uma forma diferente dos objetos do mundo físico;
  20. 20. Lean  Eliminar desperdícios;  Amplificar o aprendizado;  Adiar decisões ao máximo;  Entregar o mais rapidamente possível;  Delegar poder à equipe;  Incorporar integridade;  Ver o todo;
  21. 21. RUP
  22. 22. Manifesto Ágil Indivíduos e interações ao invés de processos e ferramentas; Software funcionando ao invés de documentação abrangente; Colaboração com o cliente ao invés de negociação de contratos e Responder a mudanças ao invés de seguir um plano.
  23. 23. Extreme Programming Refatoração Programação em par Mudanças rápidas Feedback constatante do cliente Testes automatizados
  24. 24. Programação em Par
  25. 25. TDD
  26. 26. Refactoring
  27. 27. TDD
  28. 28. Cliente Presente
  29. 29. Design Iterativo e Incremental
  30. 30. Stand up meeting
  31. 31. Código Coletivo
  32. 32. Integração Contínua
  33. 33. Coragem
  34. 34. Coragem
  35. 35. Obrigado @paulociecomp paulociecomp@gmail.com studiosecret.com.br/blog Links interessantes: http://improveit.com.br/xp tasafo.org

×