Ozono

843 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
843
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
310
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ozono

  1. 1. O ozono (O3) na estratosfera
  2. 2. 95% das radiações UVB são assim absorvidas na estratosfera Consequências das radiações UVB: • Cancro de pele • Mutações genéticas • Diminuição do sistema imunitário
  3. 3. Filtro solar e FPS É uma loção, spray ou produto típico que ajuda a proteger a pele da radiação ultravioleta do sol, o que reduz as queimaduras solares e outros danos à pele, intimamente ligado a um menor risco de cancro de pele.
  4. 4. Filtro solar e FPS • O fator de proteção solar (FPS) representa o tempo a mais que a pele fica protegida com o uso de um protetor solar. Por exemplo, se a pele de uma pessoa leva cinco minutos para sofrer os efeitos do Sol, ao protege-la com um protetor com fator de proteção solar 15, fica protegida por 15 vezes mais tempo (neste caso, 75 minutos).
  5. 5. O OZONO NA ESTRATOSFERA A diminuição da camada de ozono Os dados recolhidos ao longo de vários anos de medição da camada de ozono mostraram um decréscimo desta camada por cima da zona do observatório (Halley Bay, na costa da Antártida). Esta diminuição dava-se de uma forma irregular, mas, de um modo geral, verificou-se que em cada primavera, havia menos ozono do que na anterior (no hemisfério sul a primavera coincide com o outono no hemisfério norte). A camada de ozono tornou-se tão fina, que acabou por vir a ser batizada com o nome de “buraco” na camada de ozono.
  6. 6. O OZONO NA ESTRATOSFERA A diminuição da camada de ozono Porque é que o “buraco na camada de ozono” se observa essencialmente na zona do Antártico? A diminuição da concentração do ozono observase, fundamentalmente na zona do Antártico (hemisfério sul). Este facto deve-se a condições atmosféricas e meteorológicas muito particulares:
  7. 7. O OZONO NA ESTRATOSFERA A diminuição da camada de ozono - As emissões de CFC ocorrem essencialmente no hemisfério norte. Estes gases são insolúveis em água e pouco reativos pelo que sobem até à estratosfera, onde se mantêm estáveis. Posteriormente, os CFC são levados pelos ventos até aos pólos (especialmente até ao Antártico). - Durante os invernos antárticos (junho e agosto), quando esta zona não recebe luz solar, a temperatura na estratosfera diminui bastante (- 80 ⁰C) e formam-se as nuvens polares estratosféricas (nuvens geladas de ácido nítrico e água). Estas nuvens proporcionam o meio ideal para a reação entre o ozono e o cloro. Esta reação, e consequente destruição da camada de ozono, só ocorre na presença de luz solar, logo, só tem início na primavera do hemisfério sul (setembro e outubro). Durante o Inverno do hemisfério sul o Antártico fica isolado do resto do planeta devido a uma circulação natural do vento – o vórtex polar. Esta corrente cria um enorme reator onde irá ocorrer a destruição de ozono.
  8. 8. O OZONO NA ESTRATOSFERA A diminuição da camada de ozono A destruição da camada de ozono pode ser originada quer por agentes naturais quer por agentes antropogénicos. Agentes naturais: trovoadas, vulcões, etc. Agentes antropogénicos: poluição – libertação de CFC, óxidos de azoto e outros.
  9. 9. O OZONO NA ESTRATOSFERA A diminuição da camada de ozono

×