1
2Meu pai, meu pai
Méritos
“Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão
insondáveis sã...
3Meu pai, meu pai
Bênção da Paternidade – Arles Marques
“Eis que vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e ...
4Meu pai, meu pai
Lançando Moda...
Abaixo uma tabela com o nome de cada letra (algarismo), e sua equivalência numérica.
Le...
5Meu pai, meu pai
Índice:
INTRODUÇÃO – .................................................................................. ...
6Meu pai, meu pai
Introdução
Uma característica do Nosso Deus impressa em sua Revelação para os homens na Bíblia
Sagrada é...
7Meu pai, meu pai
Somos hoje nós os filhos dos profetas, e herdeiros de toda a Palavra, Profecia e Promessas,
assim como s...
8Meu pai, meu pai
Um dos personagens mais proeminentes como figura de Jesus Cristo, de seu poder, de sua
autoridade, assim...
9Meu pai, meu pai
a – De ELIAHU para ELISHÁ –
Você sabe o que eu fiz com você!
Anos atrás, um profeta, ensinando sobre o m...
10Meu pai, meu pai
Segube, seu último, segundo a palavra do SENHOR, que falara por intermédio de Josué, filho
de Num. Entã...
11Meu pai, meu pai
Elias deveria estar tão contente porque se cumpriu o propósito profético de Deus em sua vida,
mas, ele ...
12Meu pai, meu pai
número que fala dos apóstolos do Cordeiro, faziam parte do quotidiano de Eliseu. Isso nos
ensina que O ...
13Meu pai, meu pai
convicção de que ouvimos a sua voz, queimamos os aparelhos e cozemos os bois, para que não
haja chance ...
14Meu pai, meu pai
- De ELIAHU a ELISHÁ
O ministério profético abre caminho para o apostólico; dá lugar para que este se m...
15Meu pai, meu pai
No dia do nascimento da nossa Salvação (YESHUA), miríades de anjos, manifestaram-se em
adoração e num a...
16Meu pai, meu pai
b – Jordão – The Breakthrough
O quanto você quer? Qual é intensidade da fome que tem para alcançar o qu...
17Meu pai, meu pai
Assim como Deus através de Elias provou a Eliseu, hoje O Pai faz o mesmo conosco, nos
provando para sab...
18Meu pai, meu pai
- Jordão, the Breakthrough!
“Disse-lhe, pois, Elias: Fica-te aqui, porque o SENHOR me enviou ao Jordão....
19Meu pai, meu pai
Ressalto aqui, que os cinqüenta outros profetas que olharam de longe, tiveram a mesma
oportunidade que ...
20Meu pai, meu pai
A palavra de Elias a Eliseu foi: Se você me vir, quando for tomado de ti, você receberá a porção
dobrad...
21Meu pai, meu pai
Quando o Manto da Unção de Elias cai sobre Eliseu, este rasga suas vestes. Ele está
declarando: acabou-...
22Meu pai, meu pai
Nesse tempo senti muito forte a Presença de Deus, e comecei a ver O Seu Trono ali entre nós.
Era uma vi...
23Meu pai, meu pai
g – O Fim da Esterilidade
Karla, minha esposa e eu descíamos pelo deserto da Judéia, rumo à Região do M...
24Meu pai, meu pai
Cada vez que Jesus Cristo em sua vida terrena, deparou-se com a morte, fez questão de deixar
claro, que...
25Meu pai, meu pai
Esse é um chamado Apostólico! No dia em que Jesus Cristo declarou isto, era Festa dos
Tabernáculos, o G...
26Meu pai, meu pai
Nome que O Eterno designou para ele. Enquanto estava escrevendo este livro, sua mamãe me
ligou para con...
27Meu pai, meu pai
d – Há uma unção na tua vida
Anos atrás vivi um momento muito constrangedor, que não gostaria que ningu...
28Meu pai, meu pai
Ainda não havia concluído as negociações para a mudança para o novo escritório, e todos os
meus móveis ...
29Meu pai, meu pai
A Autoridade vem de Deus! Precisamos aprender isso.
Deus não foi além tendo matado Ananias e Safira. El...
30Meu pai, meu pai
Na verdade não sabemos lidar com isso, porque logo que pensamos no poder do Juízo de Deus,
logo fazemos...
31Meu pai, meu pai
h – Esteja pronto para o milagre
Lembro-me com saudades de momentos incríveis que desfrutei da companhi...
32Meu pai, meu pai
A sede não abate apenas um grupo, mas, todos. Penso imediatamente no que o apóstolo Paulo,
declara na c...
33Meu pai, meu pai
1º Fazendo o que precisa ser feito: O Rei Josafá fala da igreja, que sabe que as dificuldades
poderão s...
34Meu pai, meu pai
- Cave covas e covas
Aleluia! O bom humor de Deus é uma das coisas mais maravilhosas do Universo! Imagi...
35Meu pai, meu pai
José construiu os silos no Egito; Jesus ordenou que a multidão fosse dividida e organizada em
grupos be...
36Meu pai, meu pai
Jesus Cristo e beba, porque além de saciado, teus inimigos no fim te serão entregues. Este é o
resumo d...
37Meu pai, meu pai
w – Da realidade para a sobrenaturalidade
Continuando na mesma graça do capitulo anterior, lembro-me de...
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Meu pai, meu pai
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Meu pai, meu pai

3.543 visualizações

Publicada em

Tendo como pano de fundo o relacionamento entre Elias e Eliseu, Paulo de Tarso, descreve situações em sua própria vida e relacionamentos com muitos ministros que o marcaram e lhe inspiraram, e cujas histórias, transformam-se numa carta aberta sobre Fundamentos Apostólicos de Cristo para a sua Igreja que estão sendo restaurados em nossa geração.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.543
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.004
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Meu pai, meu pai

  1. 1. 1
  2. 2. 2Meu pai, meu pai Méritos “Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis, os seus caminhos! Quem, pois, conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi o seu conselheiro? Ou quem primeiro deu a ele para que lhe venha a ser restituído? Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A Ele, pois, a glória eternamente. Amém!” (Romanos 11:33-36). Consagro Este livro Ao Deus da minha vida, Deus da minha Salvação, o Único Deus que existe, O Criador dos Céus e da Terra, O Deus vivo, Deus de Abraão de Isaque e de Jacó, que nos enviou YESHUA HAMASHIACH (Jesus Cristo), para nos apontar o Caminho do seu Coração. Dedico este livro, À minha esposa Karla; aos filhinhos do nosso amor, Tikva e Boaz; à nossa filhinha do coração Bruna Kvitko; e à nossa geração escolhida por Deus (creio eu), para viver a maior aventura de toda a história humana: Ver e participar da Restauração de todas as coisas e do estabelecimento do Reino de Jesus Cristo nesta terra. Agradeço A minha esposa Karla por seu apoio para que tivesse toda a paz necessária para este projeto vir à luz. Também a Rachel, minha irmã e Renato Rocha, parceiros que me ajudaram muito neste projeto. Agradeço minha mãe Helena e irmãs Ester e Lídia que sempre me apóiam e intercedem por mim diante do Pai. Agradeço a cada filho ministerial que Deus me tem dado, cada qual com características e chamado próprio, tanto os da Betlehem, como de muitos outros ministérios. Tenho cada vez mais me sentido desafiado e honrado por cada um de vocês! Agradeço muito especialmente a todos os ministros e a cada membro da Igreja Apostólica Betlehem, que me inspiram, motivam e me moldam naquilo que O Pai espera de mim como pai. Obrigado pela paciência e submissão de vocês, que O Eterno, o nosso Deus, os recompense e prospere em tudo, assim como em tudo é próspera a alma de cada um de vocês! Honro Meu pai ministerial Arles Marques, servo de Jesus Cristo chamado para ser apóstolo, que é um exemplo de generosidade e retidão. Abençôo A memória de meu pai Walfredo Fernandes, meu melhor amigo. Um mestre da Palavra de Deus que em toda a sua vida teve apenas um discípulo:eu. Que minha vida e ministério e a dos meus filhos possam ser a coroa do seu ministério de pai.
  3. 3. 3Meu pai, meu pai Bênção da Paternidade – Arles Marques “Eis que vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do Senhor; e ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha e fira a terra com maldição.” Malaquias 4:5,6. Nestes dias, temos sido instruídos pelo Espírito Santo, na celebração da paternidade, que flui do coração do Pai Celestial, e que se expressa de forma apostólica a todo corpo de Cristo. Mais do que isso temos também o coração alegre, em perceber as alianças que estão em curso entre os homens, com o compromisso de uma cobertura de paternidade ministerial, na vida dos lideres de ministério, que tem feito a opção de se sujeitar à autoridade nesta terra, para não serem achados juízes de si mesmos, e para que assim possam também, exercer autoridade. Rm. 13:1-5. Paulo de Tarso é um filho ministerial muito amado, homem submisso, que tem aprendido a mansidão, e que por isso, tem alcançado autoridade conferida por Deus para a condução da Igreja de Cristo na terra. Dono de um espírito excelente, de um rico conhecimento da cultura e da língua hebraica, de um pujante amor pelo povo israelita, e de um caráter cristão ilibado, que lastreia em bases sólidas o carisma de Deus, evidente neste exímio pregador das escrituras. Que possa o Senhor Deus te enriquecer com Suas bênçãos sem medida, na revelação fresca de Sua Palavra Eterna, e na instrução para todo o Corpo de Cristo, através desta obra, que certamente conta com a inspiração do Espírito Santo, e faz de você uma carta viva, que continua sendo escrita, e que dá aqui seu testemunho de que só YHWH é Deus! Deus te abençoe! Arles Marques Ap.
  4. 4. 4Meu pai, meu pai Lançando Moda... Abaixo uma tabela com o nome de cada letra (algarismo), e sua equivalência numérica. Letras do Hebraico – ALEPH – BEIT (Alfabeto) Letra Nome Valor Numérico Transliteração Significado Álef 1 Recebe o som da vogal que lhe acompanha Princípio, primeiro, ensino Beit 2 B ou V Casa Guimel 3 G Camelo, orgulho, ponte Dalet 4 D Porta, entrar, elevação Hei 5 “H” com som aspirado Revelação, Palavra, Espírito, vento, Vav 6 V ou W Cabide, cravo, prego Zayin 7 Z Arma, espada, cortar, cortar fora Chet 8 CH (som de RR) Vida, temor de Deus, circuncisão, separado Tet 9 T Uma serpeente, humanidade Yud 10 Y Mão, Confiança Chaf 20 CH (som gutural de RR) Braço, mão aberta, poder de surpreender Lâmed 30 L Aguilhão Mem 40 M Água Nun 50 N Peixe Sâmech 60 S Ciclo Eterno, suporte Ayin 70 Recebe o som da vogal que lhe acompanha Olho, saber Pei 80 P ou F Boca, Aqui, estar presente, falar Tzadik 90 TZ, TS, ZZ Justo, Direito, Colheita Kuf 100 Q Grande força, parte de trás da cabeça Reish 200 RR Cabeça, chefe, principal Shim 300 SH ou S Dente Tav 400 T Sinal, marca, o ultimo As letras usadas para os números de 1 (um) a 10 (dez), são as letras seqüênciais da tabela acima. A partir do número 11 (onze), a letra correspondente ao número dez se repete acrescida das letras correspondentes aos números de um a nove. Porém os números 15 (quinze) e 16 (dezesseis), que seriam compostos por letras que fazem parte do Nome de Deus, (correspondentes em português às letras Y – H – W – H), são substituídas. No lugar da letra correspondente ao número 10, utiliza-se a letra que corresponde ao número nove, juntamente com as letras que correspondem aos números 6 (seis) e 7 (sete), e que não estão relacionadas com O Nome do Eterno. (Ou seja, 9+6 corresponde ao nº 15 e 9+7 corresponde ao nº 16).
  5. 5. 5Meu pai, meu pai Índice: INTRODUÇÃO – .................................................................................. 06 a – De ELIAHU para ELISHA – Você sabe o que eu fiz com você! .. 09 b – Jordão “the breakthrough” ............................................................. 16 g – O Fim da esterilidade ..................................................................... 23 d – Há uma unção na sua vida ............................................................. 27 h – Esteja pronto para o milagre .......................................................... 31 w – Da realidade para a sobrenaturalidade ........................................... 37 z – Como gerar um Habacuque ........................................................... 42 j - Não deixe o diabo fazer o teu prato ............................................... 47 f – Primícias: a chave da multiplicação ............................................. 50 y – Aparências enganam ...................................................................... 54 ay – Onde foi que o meu machado caiu? ........................................... 61 by– Com Deus somos maioria ............................................................ 66 gy – Pode uma nação nascer num só dia? BERRUCOTAI ................ 70 dy – O corpo de Cristo e suas batalhas ............................................. 80 wf – Meu pai, meu pai... .................................................................... 85 zf – Elias virá ................................................................................... 95
  6. 6. 6Meu pai, meu pai Introdução Uma característica do Nosso Deus impressa em sua Revelação para os homens na Bíblia Sagrada é Sua Eternidade, manifesta no passado, no presente e no futuro. Percebemos isso no momento em que Ele se apresenta a Moisés dizendo: “Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. Moisés escondeu o rosto, porque temeu olhar para Deus.” (Êxodo 3:6). Deus se revela, se apresenta, diz seu Nome, diz quem Ele é e o que faz, apontando para a vida dos três patriarcas; ou seja, se observarmos a vida daqueles homens, e o que Deus fez deles ou com eles, nós conheceremos mais profundamente a Deus, que diz mais ou menos assim: “Muito prazer, meu nome é Deus de Abraão, Deus de Isaque e Deus de Jacó.” O que Deus faria através de Moisés, futuramente, estava diretamente ligado a coisas que Deus fizera na vida dos antepassados de Moisés, os quais Deus aponta como sendo Sua identidade e currículo ao escolhido que seria usado para libertar do cativeiro o povo do Eterno. Da mesma maneira quando Jesus Cristo manifesta-se Glorificado para João na Ilha de Patmos, logo foi se apresentado dizendo: “Eu sou o Alfa e Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo- Poderoso.” (Apocalipse 1:8). Uma das características indeléveis de Deus é o fato Dele ser o mesmo sempre, imutável, O Senhor se apresenta para o apóstolo João, ordenando que ele escreva coisas que tinha visto, que estavam acontecendo e que ainda viriam a ocorrer. Um dos maiores mistérios, anteriormente oculto no Coração do Pai, hoje revelado a nós pelos santos apóstolos e profetas, é que de dois povos, Deus faria um só, destruindo a parede da divisão entre judeus e não judeus. A Igreja de Jesus Cristo é constituída de pessoas que nestes dois mil anos, foram se entregando de coração às Palavras de Jesus Cristo, e que viveram em épocas distintas da história da Igreja, formando na verdade um só corpo, O CORPO DE CRISTO, para transformar-se na Noiva de Jesus Cristo, estando à estatura do varão perfeito, para que, devidamente ataviada, possa ser conduzida a Ele para viver pelos séculos dos séculos junto do Amado Noivo. Características que havia na igreja nos primeiros dias, inquestionavelmente ainda estão manifestas em nós, pois a Igreja é a mesma, não mudou. Amadureceu, passou por muitas crises de identidade, desviou-se de seu projeto original, mas, tem sido atraída de volta, pelo Espírito Santo de Deus. E a própria Igreja, não está desassociada das Veredas Antigas, da Lei de Moisés, e dos Profetas, pois o nosso Deus nunca desistiu de ter um povo, que pudesse ser neste mundo a Manifestação visível de Sua Glória. Assim como as Escrituras citadas por Paulo, Pedro e o próprio Senhor Jesus, são as mesmas que dispomos hoje, porém acrescidas pelas revelações e experiências, que O Espírito Santo agora pôde trazer ao coração de cada homem e mulher que creram na Redenção do Pai, por intermédio de Cristo Jesus.
  7. 7. 7Meu pai, meu pai Somos hoje nós os filhos dos profetas, e herdeiros de toda a Palavra, Profecia e Promessas, assim como serão os nossos filhos depois de nós, para que A Igreja de Jesus Cristo cumpra todo o seu papel, sonhado e designado pelo Todo Poderoso. Podemos então observar que em figuras chamadas por convenção humana de “gente do Velho Pacto”, estão reveladas características claras do que O Pai nos legou a nós e àqueles que virão depois de nós. A prova disto é que tais características estão reveladas e cumpridas em Jesus Cristo, que tem todo O Poder nos céus na Terra e debaixo da Terra. Poder este que Ele decidiu liberar sobre pessoas aos quais designou apóstolos para que, depois de sua Ascensão aos céus, fossem enviados, cheios de poder, por todos os cantos do Mundo, proclamando tão grande salvação. Podemos e devemos então ler, meditar, estudar, compreender características que Deus plantou em pessoas de todas as gerações, para que entendamos o que hoje O Eterno quer fazer conosco, e ainda mais, como preparar as pessoas que virão para aquilo que ainda está para se cumprir. Como exemplo tomamos a figura de um efraimita, Josué (YEHOSHUA), que levou toda a nação de Israel a conquistar a Terra Prometida, atravessando o rio Jordão para apropriar-se dela, permitindo que a primeira Tribo a herdar a Terra, fosse a tribo de Judá; logo após, a própria tribo de Efraim; e por fim todas as outras acharam descanso para si na Terra Boa que Mana Leite e Mel, conforme as palavras dos espias a seu respeito. Vimos que tudo isso apontava para Jesus. Assim como a mulher de José, pai de Efraim, era uma Egípcia, ou seja, não-judia, uma gentia, Jesus Cristo teve em seus antepassados, mulheres como a Moabita Rute, ou a Cananéia Raabe. O Nome YESHUA, é o único Nome que quer dizer Salvação: “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos.” – (Atos 4:12). O próprio Senhor Jesus declara que Ele veio para as ovelhas perdidas da Casa de Israel. Todos os Seus discípulos que foram designados apóstolos eram judeus, porém Ele oferece Água da vida para uma mulher Samaritana (não judia, gentia). Isto que vimos acontecer antes de Jesus Cristo, e que se cumpriu Nele, ainda é verdade hoje, porque é a Igreja (figura hoje da Tribo de Efraim – povo misturado, gentio, não judeu), que tem YESHUA, para que todos os habitantes da Terra possam conhecer a Redenção do Pai. Cremos que assim como os judeus, estão de novo na Terra Prometida desde 1948, os próximos a herdar a Promessa seremos nós a Igreja (figura de Efraim). YESHUA (Jesus), O apóstolo do Pai, aquele que veio para que se cumprisse tudo o que a Lei, os Profetas e as figuras, apontavam, veio também para dar Autoridade, para que a Igreja, sua Noiva, Seu Corpo, possa com a mesma Autoridade e Poder manifestar a Sua Glória neste mundo e demonstrar: Só O Eterno é Deus! Só há Salvação em YESHUA!
  8. 8. 8Meu pai, meu pai Um dos personagens mais proeminentes como figura de Jesus Cristo, de seu poder, de sua autoridade, assim como da Igreja e do Ministério Apostólico do Cordeiro, foi Eliseu, personagem que neste livro ilustrará, propósitos, perspectivas, e características que vamos manifestar nestes dias, para que o Mundo veja O Deus vivo através do Corpo de Cristo. Minha oração é para que você possa atravessar comigo as águas do Jordão, sem medo e sem dúvidas de que aquilo que Deus tem designado para tua vida te será entregue, desde que você seja fiel até o fim. Rogo a Deus, para que, sabendo o que Ele está por fazer, você não fique do outro lado do Jordão, vendo de longe a Glória dobrada que o Eterno está dispensando hoje sobre a Igreja, maior do que a que foi entregue no passado. Peço a Deus que te dê ousadia para que você tome esta capa, e por fé, logo de pronto fira as águas, porque elas se abrirão!
  9. 9. 9Meu pai, meu pai a – De ELIAHU para ELISHÁ – Você sabe o que eu fiz com você! Anos atrás, um profeta, ensinando sobre o ministério profético e compartilhando que Deus lhe comissionara para a Restauração da Adoração no Brasil, falava sobre a importância de aprendermos sobre os nomes de lugares que possuem intrinsecamente características do Dom Redentivo de Deus para aquele lugar. Dizia ele: “Em que lugar do mundo há uma capital de Estado chamada: Vitória do Espírito Santo?” Logo depois declarava com solenidade profética: “A Cidade de São Paulo, foi escolhida por Deus para enviar para as nações apóstolos como um dia Paulo de Tarso foi enviado para os gentios...” Com todo o temor de parecer orgulhoso e bairrista (coisas que são pecado), podemos ver que, inquestionavelmente, Deus tem levantado nos últimos anos, muitos apóstolos deste lugar. Lá estava eu Paulo de Tarso, ouvindo aquilo, com uma paixão que nunca soube explicar que surgira pelo povo judeu, e me perguntando: “Se Deus escolheu um Paulo de Tarso, judeu, para que a Manifestação de Seu Poder fosse revelada aos gregos (gentios), será que pode levantar um Paulo de Tarso gentio, para que a Sabedoria do Alto, do Pai das Luzes, em quem não há sombra de variação, possa ser revelada aos judeus?” Minha vida está sendo consumida neste propósito, e corro esta carreira para que possa completá-la, mas, como me ajudou entender que parte do mistério que Deus sonhou para minha vida, Ele fez questão de esconder logo num lugar onde eu o pudesse achar, afim de que juntando com outras peças, pudesse ter os olhos do meu entendimento iluminados para descobrir qual é a esperança do meu chamado em Cristo Jesus. A história de Eliseu, figura central desta procura pela compreensão do significado do ofício apostólico, está diretamente ligada à figura de Elias. Este por sua vez, quando estudado, possui como texto bíblico mais procurado para contar sua história o Capítulo 17 de I Reis, quando o Tisbita Elias aparece. Porém convido-os a conhecer Elias, o que ele era e representava, um pouco antes, quando a situação de Israel, exigia uma resposta de Deus, e a resposta foi: ELIAHU. “No trigésimo primeiro ano de Asa, rei de Judá, Onri começou a reinar sobre Israel e reinou doze anos... De Semer comprou ele o monte de Samaria por dois talentos de prata e o fortificou; à cidade que edificou sobre o monte, chamou-lhe Samaria... Fez Onri o que era mau perante o SENHOR; fez pior do que todos quantos foram antes dele.... Onri descansou com seus pais e foi sepultado em Samaria; e Acabe, seu filho, reinou em seu lugar. Acabe, começou a reinar sobre Israel no ano trigésimo oitavo de Asa, rei de Judá; e reinou Acabe, filho de Onri, sobre Israel, em Samaria, vinte e dois anos. Fez Acabe, filho de Onri, que era mau perante o SENHOR, mais do que todos os que foram antes dele. Como se fora coisa de somenos andar ele nos pecados de Jeroboão, filho de Nebate, tomou por mulher a Jezabel, filha de Etbaal, rei dos sidônios; e foi, e serviu a Baal, e o adorou. Levantou um altar a Baal, na casa de Baal que edificara em Samaria. Também Acabe fez um poste-ídolo, de maneira que cometeu mais abominações para irritar ao SENHOR, Deus de Israel, do que todos os reis de Israel que foram antes dele. Em seus dias, Hiel, o betelita, edificou a Jericó; quando lhe lançou os fundamentos, morreu-lhe Abirão, seu primogênito; quando lhe pôs as portas, morreu
  10. 10. 10Meu pai, meu pai Segube, seu último, segundo a palavra do SENHOR, que falara por intermédio de Josué, filho de Num. Então, Elias, o tesbita...” (trechos de 1 Reis 16:23-17:1 – grifos – Paulo de Tarso) Acabe tendo conseguido a façanha de superar seu pai Onri, em pecados e afrontas a Deus, toma por mulher a sacerdotisa Jezabel, uma mulher possuída pela terrível entidade demoníaca Rainha dos céus; e logo já estava Acabe prestando culto a Baal. Nestes dias a Bíblia nos relata que um homem chamado HIEL, nome hebraico que quer dizer: “Ela é Deus” (HI – Ela; EL – Deus), decide edificar Jericó. Por que Jericó? Porque séculos atrás, exatamente naquele lugar Deus decidiu fazer Josué e todo o povo cruzar o Jordão para a conquista da Terra Prometida. Por que ali? Porque desde a Antiguidade, Jericó, era a Cidade edificada para prestar culto a Astarote (outra face da mesma entidade das trevas), e sob maldição do próprio Josué, de que quem edificasse de novo aquela cidade, ao lançar seus fundamentos pagaria o preço da morte de seu primogênito e colocando-lhe as portas, perderia seu filho caçula. Uma cidade fortaleza estava sendo reerguida para adoração a este demônio, numa clara afronta à ordem do líder da Conquista da Terra, e com sacrifício dos próprios filhos deste homem cujo nome significava “Ela é deus”. Basta! Sem genealogia, sem história, sem preâmbulos, sem explicações surge ELIAHU (nome hebraico de Elias), da cidade de Tisbe (lugar do outro lado do Rio Jordão). ELIAHU quer dizer (EL – Deus; IA – O Nome do Deus da Aliança, maneira como Deus apresentou-se para Abraão, Isaque e Jacó); (HU – Ele), ou seja: Ele, O Deus da Aliança é Deus. Conhecemos todos a história de Elias para saber que no dia mais importante de sua vida, dia em que o motivo para o qual nasceu, e pelo qual recebeu este nome se cumpriu. Quando todos os profetas de Baal, depois de terem se esquartejado, afim de que seu falso deus respondesse. Todo o povo que viu O Nosso Deus responder com Fogo, declarou a uma só voz: “VAYAREH KOL-HAAM VAIFELU AL PENEIHEM VAIOMERU YHWH HU HAELOHIM, YHWH HU HAELOHIM.” – “Ao ver isso, todo o povo caiu de rosto em terra e disse: YHWH Ele é Deus, YHWH Ele é Deus.” (I Reis – 18:39 – grifos Paulo de Tarso) Pronto, a vida de Elias tinha feito sentido. O seu nome profético agora havia se cumprido. Todo o povo ao ver O Poder incomparável do Nosso Deus, passou a declarar o que o nome de Elias representava. Que momento importante é aquele em que O Propósito de Deus para as nossas vidas é cumprido e o nosso próximo alvo é preparar o Caminho para aquele que virá depois de nós e que será maior do que nós, e alcançará mais coisas, e terá êxitos que nunca alcançamos em nossas vidas. Bem, se não está preparado para isso é melhor ir se acostumando, porque senão você estará preste a ouvir de Deus o mesmo que o Profeta Elias ouviu: “Elias, só queria te informar, que você não é o único que Eu estou usando, há mais 7 mil que não se dobraram a Baal para servi-lo. Vá, unja Jeú, Rei de Israel, Hazael, Rei da Síria e Eliseu, profeta no teu lugar. UI!!!!!
  11. 11. 11Meu pai, meu pai Elias deveria estar tão contente porque se cumpriu o propósito profético de Deus em sua vida, mas, ele esperava ainda coisas que jamais Deus lhe falara. Elias esperava um avivamento em Israel tão grande que todos renunciassem aos falsos deuses e voltassem para O Eterno, Nosso Deus. Elias, esperava que o Ato Profético de restaurar as doze pedras, restaurando O Altar de Deus que estava em ruínas, abriria as portas para a restauração do Reino, que estava dividido desde os dias de Roboão, de Judá e Jeroboão de Efraim. Bem, Elias esperava muitas coisas. Seu maior problema foi achar que só ele estava fazendo a Vontade de Deus, e que a culpa era do povo que não tinha visão, e que já não havia profetas como Ele, que pleiteassem as Batalhas do Senhor... Na-na-não! Elias, corrigido, reagiu segundo o coração de Deus, e por isso sabemos que não experimentou a morte, porque ainda que passemos por crises tão terríveis quanto Elias, se permanecermos em Deus e suas palavras permanecerem em nós, as piores crises de nossa vida serão os sinais de Deus de nossas maiores conquistas e realizações. Ao saber o que Deus queria, Elias não perde tempo, obedece, cumpre o que o Pai espera dele e vai até um moço, chamado ELISHÁ, nome hebraico que quer dizer: (EL – Deus; ISHÁ – Contração da palavra YESHUA) – em outras palavras: Deus é Salvação, ou Deus é YESHUA; ou se preferir Jesus é Deus. Enquanto ELIAHU, aponta para o Pai, ELISHÁ, aponta para Jesus Cristo. Qual seria a esperança do chamado de ELISHÁ? Como este encontro, e a resignação de Elias em levantar alguém para ocupar o seu lugar, nos aponta para João Batista e Jesus, e o momento em que João entende que é importante que ele diminua, para que Jesus Cristo se manifeste! “Partiu, pois, Elias dali e achou a Eliseu, filho de Safate, que andava lavrando com doze juntas de bois adiante dele; ele estava com a duodécima. Aproximou-se Elias e lançou o seu manto sobre ele. Então, deixou este os bois, correu após Elias e disse: Deixa-me beijar a meu pai e a minha mãe e, então, te seguirei. Elias respondeu-lhe: Vai e volta; pois já sabes o que fiz contigo. Voltou Eliseu de seguir a Elias, tomou a junta de bois, e os imolou, e, com os aparelhos dos bois, cozeu as carnes, e as deu ao povo, e comeram. Então, se dispôs, e seguiu a Elias, e o servia.” (1 Reis 19:19-21) Duas coisas que muito nos ensinam destes primeiros momentos de Elias e Eliseu, e da expectativa da manifestação do Chamado de Deus em nossas vidas são, em primeiro lugar, que Elias acha a Eliseu, certamente porque o estava procurando. Gosto muito de usar uma frase a respeito da ansiedade que temos em estar envolvidos no ministério e identificarmos o real chamado de Deus para as nossas vidas: “Deus tem mais interesse em te usar, do que você tem interesse em ser usado por Ele”. Então espere! Esperar em Deus, não é uma coisa contemplativa e monótona, mas, ativa, porque esperamos aquilo que sabemos que nos irá suceder, e portanto, devemos agir, como se tal situação já fosse realidade em nossas vidas. Eliseu, estava trabalhando, quando foi achado por Elias. Gosto muito de pensar em Jesus Cristo, trabalhando até o encontro com João. O mais interessante nisso tudo é em que Eliseu trabalhava. Ele estava conduzindo doze juntas de bois, mais propriamente, estava lidando com a duodécima. Note-se que o número que revela o Governo de Deus, o número que fala das Tribos unidas de Israel, o
  12. 12. 12Meu pai, meu pai número que fala dos apóstolos do Cordeiro, faziam parte do quotidiano de Eliseu. Isso nos ensina que O mesmo Deus de propósito, que esconde em nossas vidas pistas, para identificarmos a Esperança de nosso chamado nos nossos nomes, o pode fazer também nos ramos de atividades profissionais com o qual nos envolvemos: Tal como Pedro, João, Tiago, André, pescadores, que se tornariam pescadores de homens; o letrado Moisés ensinado na maior cultura de seus dias, a Egípcia, escreve os primeiros livros da Bíblia; o poliglota e binacional Saulo, que veio a escrever mais da metade do Novo Testamento, e foi enviado por Deus para os não judeus. Ao escrever este livro e grande quantidade de materiais de ensino e discipulado, não posso deixar de lembrar dos anos em que, como Gerente de RH, escrevia manuais de técnicas de administração de pessoal, ministrava cursos de desenvolvimento pessoal e profissional. Deus nos conduz para que nos apercebamos de seu chamado em nossas vidas. Há um momento em que o Manto, O Chamado, é estabelecido, e este é apenas o primeiro dia do treinamento. E a primeira chance que teremos para provar se queremos ou não, viver os sonhos de Deus. - Olhar para frente ou para trás? Eliseu corre atrás de Elias, mas com o pensamento em seus pais. Elias prontamente lhe contesta: “Vai, e volta, pois já sabes o que fiz contigo.” É muito importante não continuar olhando para trás; portanto, este é o momento da decisão. Elias permite que Eliseu vá até seu passado, com um único objetivo, despedir-se dele, abandoná-lo. Todos querem ser usados por Deus, e muitos correm atrás de homens de Deus para serem levantados, mas querem ter uma vida a serviço de Deus, no conforto de sua vida cotidiana, de seus amigos, de sua família, de seu habitat natural. Será que realmente alguém assim quer servir a Deus, ou será que a honra e a fama daqueles que pagaram tal preço os tem motivado mais, do que a necessidade de dizerem não para si mesmos e seguir a Jesus, deixando suas vidas e recebendo a Dele? É bom ter esse tempo, é bom poder se despedir, é bom poder cortar laços, é bom soltar as amarras, porque quando realmente Deus nos chama, não há mais para onde voltar! “ Mas Jesus lhe replicou: Ninguém que, tendo posto a mão no arado, e olha para trás é apto para o reino de Deus.” (Lucas 9:62) - A prova dos nove Quando Eliseu voltou, ele usou a madeira do arado para fazer fogo, e fez um grande churrasco dos seus boizinhos, porque este ato era uma declaração espiritual: “Eu não tenho mais para onde voltar, não há chance de dar errado, eu confio totalmente Naquele que é o dono do querer e do realizar!!!” Certa vez, um casal de pastores decidiram caminhar sozinhos e fundar uma nova igreja e ao despedir-se, um dos cônjuges indagou-me: “Se estivermos errados, você nos aceita de volta?”, não há resposta para uma pergunta destas, porque quando somos guiados por Deus, e temos
  13. 13. 13Meu pai, meu pai convicção de que ouvimos a sua voz, queimamos os aparelhos e cozemos os bois, para que não haja chance de pensarmos na possibilidade de voltar atrás. Estive presente numa reunião em que um líder de uma igreja foi questionado, por um de seus pastores, sobre quando e de que forma Deus havia lhe falado, sobre determinada posição ministerial que ele decidira seguir. Tive a maior, e inquestionavelmente mais dramática aula de minha vida, quando aquele líder, depois de mais de uma hora, tentou por todos os meios explicar porque aquela decisão ministerial era correta para aquela igreja, mas, não pôde esclarecer de que forma, qual foi à hora, o dia, que roupas estava vestindo, quem estava com ele, como foi, o dia em que Deus lhe deu aquela visão. A Palavra Rhema, a palavra específica de Deus para as nossas vidas, tem de ser encarada com tanta seriedade, porque a fé vem por ouvir a Palavra de Deus, e tudo que faremos mediante a Palavra de Deus que recebemos manifestará a nossa fé, que sem atitudes práticas é morta. Porém se não foi Deus quem falou, tudo o que realizarmos serão obras mortas, e estaremos edificando sobre a areia, e qualquer vento, ou chuva, fará com que tudo venha abaixo. Num dos conselhos mais importantes que recebi em minha vida de um apóstolo da cidade de São Paulo anos atrás, quando lhe pedi oração, para que Deus usasse sua vida para me dar uma direção sobre qual era o Seu chamado para minha vida, este ministro com amor, e com uma atenção paternal, pôs as mãos em meus ombros e disse: “Paulo, se tem uma coisa que Deus tem me mostrado, é o chamado ministerial que Ele tem para a vida de determinadas pessoas, mas, o que Deus está me falando agora, é que Ele quer revelar para você, qual é a esperança do teu chamado em Cristo Jesus”.– Ainda hoje, oro e abençôo a vida deste amado, porque era de máxima importância que nos momentos difíceis que passaria no meu chamado, pudesse lembrar-me, que dia, que hora, quem estava comigo e em que lugar, Deus falou comigo, sobre a Esperança do meu chamado em Cristo Jesus. Quando ouvimos a Palavra de Deus especificamente para nós, é gerada dentro de nós fé, e esta fé manifestar-se-á com atitudes práticas que demonstrarão o quanto cremos naquilo que recebemos de Deus. Mesmo desafiados, somos inabaláveis, porque não temos mais para onde voltar, porque nós mesmos destruímos toda a ponte, toda a segurança humana, toda a chance de ter para onde voltar, por causa da Palavra que recebemos. “E prosseguiu Cristo: Por causa disto, é que vos tenho dito: ninguém poderá vir a mim, se, pelo Pai, não lhe for concedido. À vista disso, muitos dos seus discípulos o abandonaram e já não andavam com ele. Então, perguntou Jesus aos doze: Porventura, quereis também vós outros retirar-vos? Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras da vida eterna; e nós temos crido e conhecido que tu és o Santo de Deus”.(João 6:65-69)
  14. 14. 14Meu pai, meu pai - De ELIAHU a ELISHÁ O ministério profético abre caminho para o apostólico; dá lugar para que este se manifeste, embora seja do ministério Apostólico que fluam todos os outros ministérios. É como um ciclo que se renova, quando o Profético é manifestado, logo a força geradora do ministério Apostólico de novo surge para desatar o Fluir do Rio de Deus. Assim como Moisés, o profeta que falou com Deus face a face, instrui ao povo sobre como deveriam se comportar na Terra Prometida e constitui a Josué diante de toda a nação como aquele que faria o povo herdar a Terra que sob juramento Deus prometeu dar aos seus pais. Moisés, vê a Terra Prometida, mas é Josué que nela pisa e que a conquista; assim Elias, ensina, orienta Eliseu para que cumpra seu chamado. Enquanto Elias vê o fim de Acabe, é Eliseu quem vê o fim de Jezabel. João Batista, prepara o Caminho para o Senhor Jesus, e é Jesus Cristo que caminha nele. Muitos dos dilemas que temos enfrentado hoje na Igreja de Cristo estão na falta de nos submetermos a esta verdade espiritual. O próprio Senhor Jesus Cristo submeteu-se em tudo à Vontade do Pai, fazendo exclusivamente o que Ele via primeiro o Pai fazer, e submeteu-se também a João Batista, como fica claro na hora do batismo nas águas. Sabendo que era João que tinha autoridade para aquela função, Jesus, por submeter-se, dali recebia autoridade para exercer tudo o que O Pai, esperava Dele. É sempre assim. Deus é quem fez ser assim. Enquanto o Profeta aponta para o Pai (a palavra, a soberania de Deus, os princípios imutáveis de que não há Deus além do nosso Deus), o Apóstolo aponta para a Manifestação do Filho (o realizar, o estabelecer o Reino, o conquistar, o subjugar os inimigos). - O Caminho para o Alto é ir para Baixo. “Aquele que desceu é o mesmo que subiu”. Fazendo o caminho inverso de Satanás, que quis colocar um trono acima do Trono do Pai (em outras palavras: quis subir e por isso caiu); Jesus Cristo humilhou-se a si mesmo, vindo a este mundo limitado num corpo humano, para servir aos homens. Veio ser servo. Gosto da palavra no grego para isso: Veio ser “Diakonos”. Quer ser alguém, seja Diácono. Há promessa para esse serviço. O apóstolo Paulo, diz que aqueles que desempenharem bem a função diaconal alcançarão justa preeminência e intrepidez na fé em Cristo Jesus. Josué fez isso: era servo de Moisés. Eliseu deitava água nas mãos de Elias, era seu servo. Na última aula antes da colação de grau dos discípulos de Jesus, O Mestre aparece com uma bacia de água e uma toalha, para nos ensinar, que o MINISTÉRIO APOSTÓLICO é um Ministério de DIACONIA, de Serviço, e que o servo que não serve, não serve para nada! “Bem aventurado sois se, sabendo estas coisas, as puserem em prática”. - Glória a Deus nas Alturas e Paz na Terra aos Homens
  15. 15. 15Meu pai, meu pai No dia do nascimento da nossa Salvação (YESHUA), miríades de anjos, manifestaram-se em adoração e num anúncio profético, que deve ecoar em nossos corações todos os dias de nossas vidas, pois a cada dia YESHUA, deve ser manifestado nas nossas vidas e através de nossas vidas. Quando Ele é manifesto, duas coisas acontecem, uma no Céu, a Morada do Todo Poderoso, e outra na Terra. Uma no mundo Espiritual e Sobrenatural, outra no mundo físico e natural. Nos Céus, há Glória para O Pai, Honra e Adoração dignas de Seu Santo e Poderoso Nome. Aqui na Terra paz para os homens. Os anjos (seres espirituais), manifestam-se aos homens (seres naturais), por causa de YESHUA, que sendo Deus fez-se homem. Só O Todo-Poderoso poderia gerar algo assim. Só Ele pode manifestar seu poder no mundo natural afim de redimi-lo, como excelso e elevado é O Seu poder no mundo espiritual que Ele governa. Quando o ministério apostólico, que aponta para Jesus Cristo e a sua obra redentora, representado por ELISHA (YESHUA é Deus), se manifesta, Nosso Pai Eterno é engrandecido e recebe toda a Glória devida a Sua Santidade, enquanto para nós seres humanos, se manifesta a Paz, pois o SAR SHALOM (Príncipe da Paz), fez-se carne e veio habitar entre nós.
  16. 16. 16Meu pai, meu pai b – Jordão – The Breakthrough O quanto você quer? Qual é intensidade da fome que tem para alcançar o que Deus tem pra te dar? Qual é o preço que está disposto a pagar para que possa provar para Deus que seu negócio com Ele é sério? Em minha primeira viagem a Israel, como qualquer grupo de turistas, visitamos inúmeros lugares conhecidos por fatos bíblicos, e que nos inspiravam de maneira especial. Um desses lugares marcantes para mim, foi o nada hospitaleiro deserto da Judéia, mais precisamente nos desfiladeiros onde um dia David peregrinou, fugindo de Saul, e onde Jesus Cristo durante quarenta dias esteve em comunhão com o Pai, palco também da tentação que sofreu de Satanás. As pessoas chamam aquele lugar de o Monte da Tentação. Não gosto desse nome, porque Jesus fica 40 dias na Presença do Pai, e é a tentação do Diabo que é ressaltada? Não. Gosto de chamar aquele lugar de O Monte da Comunhão com O Pai. Já estávamos bem cansados das horas de viagem num micro-ônibus, num calor que superava os 40 graus, bastante comum no deserto. Descemos ali, e sempre um dos pastores presentes ministrava uma breve palavra, orava e depois seguíamos viagem. A palavra ali ministrada por um dos servos de Deus que muito influenciou minha vida, foi justamente que naquele lugar onde o Ministério de Jesus Cristo foi liberado, porque Jesus foi conduzido pelo Espírito ao deserto, mas, saiu dali NO Poder do Espírito Santo. Bem, foram poucas palavras, pelo cansaço e desinteresse do grupo, e logo, todos deram de ombros e viraram as costas para entrar de novo no ônibus. Eu, fechei meus olhos e pensei: O que? Aqui é lugar de ministérios serem liberados, portanto não abro mão desta Palavra sobre minha vida. Então estendi as mãos como se fosse receber algo, cerrei os olhos e me pus a orar. Imediatamente, aquele pregador ouviu O Espírito dizer: Olhe para trás. Quando ele virou, estava eu chorando com as mãos estendidas. Deus o tomou com tanta fúria que quase fui lançado desfiladeiro abaixo, mas, lhe garanto: recebi 100% do que naquela tarde O Pai queria derramar sobre a minha vida! Ali foi liberado o ministério pastoral em minha vida. - Ser Fiel até o fim – Porção Dobrada! “Quando estava o SENHOR para tomar Elias ao céu por um redemoinho, Elias partiu de Gilgal em companhia de Eliseu. Disse Elias a Eliseu: Fica-te aqui, porque o SENHOR me enviou a Betel. Respondeu Eliseu: Tão certo como vive o SENHOR e vive a tua alma, não te deixarei. E, assim, desceram a Betel. Então, os discípulos dos profetas que estavam em Betel saíram ao encontro de Eliseu e lhe disseram: Sabes que o SENHOR, hoje, tomará o teu senhor, elevando-o por sobre a tua cabeça? Respondeu ele: Também eu o sei; calai-vos.” (2 Reis 2:1-3 RA) É difícil fazer um cálculo preciso sobre o tempo em que Elias discipulou a Eliseu. Acredito num período igual ou superior a cinco anos, porém uma coisa é certa, há um dia em que o discipulado acaba, e o mestre é tirado, o pai é tirado, e será a hora do discípulo e filho, mostrar que o tempo de aprendizado foi proveitoso.
  17. 17. 17Meu pai, meu pai Assim como Deus através de Elias provou a Eliseu, hoje O Pai faz o mesmo conosco, nos provando para sabermos se queremos viver tudo o que Ele sonhou para nós. Elias se dispõem para ir a um lugar chamado Betel - “Casa de Deus”, e diz a Eliseu que este fique em Gilgal, lugar que quer dizer: circuncisão – cortar em círculo – local onde no passado, todo o povo de Israel se circuncidou antes de tomar a Jericó – (Lugar de Aliança com Deus). Eliseu lhe contestou dizendo: “Tão certo como vive O Eterno, e vive a tua alma, não te deixarei.” – Eliseu sabia que algo estava para acontecer, e que só recebe herança quem é fiel até o fim. Assim sendo, depois de andar anos com Elias e de servi-lo, Eliseu não estava disposto a deixar escapar pelo vão de seus dedos, tudo o que Deus lhe tinha reservado. Esta disposição nos ensina a sermos diligentes com o que Deus tem para a nossa vida porque, certamente, as figuras bíblicas usadas, são exemplos que Deus nos dá. Curioso é que em Betel, os discípulos dos profetas, sabiam exatamente o que Deus estava por fazer com Elias, e Eliseu também sabia. Em outras palavras, quando muitos profetas estão reunidos, todos sabem o que Deus está por fazer, - SÃO PROFETAS -, conhecem o mundo espiritual, ouvem a Deus. Estavam todos em Betel – Casa de Deus, e na Casa de Deus, O Eterno fala. A questão é: não adianta saber o que Deus fará. A Fé sem obras é morta! Não adianta apenas ser profeta e saber o que Deus está por fazer. A transição do profético para o apostólico, ocorre quando alguém entende que precisa fazer alguma coisa com a Palavra de Deus, como quando Eliseu segue determinadamente a Elias, certo do que lhe estava destinado. “Disse Elias a Eliseu: Fica-te aqui, porque o SENHOR me enviou a Jericó. Porém ele disse: Tão certo como vive o SENHOR e vive a tua alma, não te deixarei. E, assim, foram a Jericó. Então, os discípulos dos profetas que estavam em Jericó se chegaram a Eliseu e lhe disseram: Sabes que o SENHOR, hoje, tomará o teu senhor, elevando-o por sobre a tua cabeça? Respondeu ele: Também eu o sei; calai-vos.” (2 Reis 2:4-5 RA) Jericó: a cidade do pecado, a fortaleza construída para a adoração à Rainha dos Céus, lugar de terrível confronto espiritual. Um dia, Jesus conta à parábola de um homem que faz este caminho que Elias e Eliseu empreendem, e que é roubado, e deixado quase morto à beira do caminho. Literalmente, quem vai da Região de Betel para Jericó desce, pois há uma diferença de altitude brutal, entre uma que é um monte, para outra que está abaixo do nível do mar, na região mais profunda da Terra não coberta pelas águas do oceano. Isto tudo nos fala de que o treinamento, o discipulado, deve abranger tanto o conforto da Casa de Deus, como as dificuldades da guerra espiritual, em lugares de pecado. Lá em Jericó também havia discípulos que por serem treinados no ofício profético, sabiam tudo o que estava por acontecer, mas, de novo, manifesta-se o caráter determinado de Eliseu que também era profeta, mas, que estava pronto para dar um passo além de tudo o que estavam acostumados no cotidiano profético daqueles dias: Ser apostólico! Agir.
  18. 18. 18Meu pai, meu pai - Jordão, the Breakthrough! “Disse-lhe, pois, Elias: Fica-te aqui, porque o SENHOR me enviou ao Jordão. Mas ele disse: Tão certo como vive o SENHOR e vive a tua alma, não te deixarei. E, assim, ambos foram juntos. Foram cinqüenta homens dos discípulos dos profetas e pararam a certa distância deles; eles ambos pararam junto ao Jordão. Então, Elias tomou o seu manto, enrolou-o e feriu as águas, as quais se dividiram para os dois lados; e passaram ambos em seco. Havendo eles passado, Elias disse a Eliseu: Pede-me o que queres que eu te faça, antes que seja tomado de ti. Disse Eliseu: Peço-te que me toque por herança porção dobrada do teu espírito. Tornou-lhe Elias: Dura coisa pediste. Todavia, se me vires quando for tomado de ti, assim se te fará; porém, se não me vires, não se fará. Indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho.” (2 Reis 2:6-11 RA) Morris Cerullo, um profeta norte-americano de origem judaica, foi pai de inúmeros apóstolos como Rony Chaves, Ana Mendez, e influenciou muito minha vida, quando no final dos anos 90 em uma de suas passagens pelo Brasil, e em especial num encontro (o último que tive com ele até escrever este livro) num congresso na Guatemala, quando impôs as mãos sobre mim e transferiu unção para alcançar o povo judeu, falava e ensinava sobre o Breakthrough, palavra que não possui uma tradução literal para o português, mas que quer dizer: romper um limite, ir além do que se imaginava, ir para o outro lado da linha. Elias desta vez diz para Eliseu que este fique na cidade do pecado, pois ele desceria até o Jordão. Eliseu, não o deixa porque entende que se aproxima a hora em que tudo o que aprendeu seria posto à prova, para que ele fosse aprovado. Não há chances de sucesso ministerial na cidade do pecado, se não com O Poder manifesto de Deus, para destruir as obras do diabo. Por muitas vezes podemos achar que não podemos largar determinada atividade para buscar a face de Deus, são tantas desculpas que damos pelas necessidades que nos cercam que não buscamos ao Pai para Dele recebermos autoridade e poder, e a falta disto exatamente é o motivo de nosso insucesso. Os discípulos dos profetas vinham seguindo de longe a Elias e Eliseu, e esta é a diferença sobre alcançar a bênção e saber que ela existe. Todos sabiam o que estava para acontecer, mas, ou por timidez, ou por falta de ousadia, ficaram todos de longe, enquanto, Eliseu, que pré-figura o ministério apostólico, não largou de Elias. Elias então toma seu manto e fere as águas do Jordão que se dividem em duas partes e eles passam a seco pelo leito do rio. Esse manto que outrora lançara Elias sobre Eliseu, separando-o para o ministério, representava ,desde então, o símbolo do que Elias deixaria para Eliseu, porque desde o primeiro momento fica claro que, um dia, se Eliseu fosse fiel até o fim, aquele Manto seria dele.
  19. 19. 19Meu pai, meu pai Ressalto aqui, que os cinqüenta outros profetas que olharam de longe, tiveram a mesma oportunidade que Eliseu, porque todos sabiam o que Deus estava por fazer. A diferença foi que Eliseu agiu, ele fez alguma coisa com a “tal” revelação da parte de Deus. - O que queres que eu te faça A disposição de Eliseu abre um rombo no mundo espiritual para que a bênção de Deus chegue até ele. Jesus um dia pergunta para o cego de Jericó: “O que queres que eu te faça?”. Talvez Jesus tenha se impressionado tanto com a disposição de Bartimeu, de gritar até que fosse ouvido, que mesmo tendo sido contido pelos discípulos, não parava de gritar: “Jesus filho de David, tem misericórdia de mim!”. A diferença entre pessoas como o cego Bartimeu e Eliseu, para os discípulos dos profetas, ou os discípulos de Jesus (até aquele momento), é que embora andassem e vissem todo o poder do Pai, estavam se acostumando com a sobrenaturalidade de Deus, o que é o maior impedimento para que O Eterno se manifeste em nossa vida. Deus não ficará impedido de se manifestar! Ele continua sendo Deus e se manifestando mas, apenas para pessoas como Eliseu e o cego Bartimeu, que têm coragem de ir além do Jordão para cruzar as barreiras e os limites que nos foram impostos, ou pelo diabo, ou por nossa própria tradição, para então alcançarmos os projetos de Deus. - Primogenitura Filho primogênito, não é quem nasce primeiro, mas, quem age como alguém que é consagrado para Deus! Eliseu toma a mesma postura de Abel, Jacó, Moisés, Gideão e David, não eram filhos primogênitos, todos esses agem sem o título, mas, honram a Deus com suas vidas e por isso, atraem para si mesmos, a Glória do Pai. Eliseu pede para Elias, a porção dobrada do que Deus lhe tinha conferido. Isto segundo a Lei de Moisés, literalmente é um pedido concernente à herança de primogenitura. Sabendo que um herdeiro só recebe herança com a morte de seu pai, Elias não declarou que o pedido de Eliseu era difícil de ser atendido porque ele teria de morrer. Elias sabia o que o Pai estava por fazer, porém ele também sabia que dependia de Eliseu, o alcançar a herança que ele queria. E a condição era: SER FIEL ATÉ O FIM! Não bastava ter estado todos aqueles anos juntos e Eliseu ter sido uma ótima companhia para Elias. Não era suficiente todo o desprendimento de Eliseu em seguir Elias desde Gilgal até o outro lado do Jordão. Se porventura, Eliseu já se sentia bastante provado até então é porque não imaginava o que estava por acontecer... - Um Carro de Fogo Não sei se você já viu um desses, uau! Nem os carros mais modernos do mundo podem ser comparados a um dos modelos “populares” dos céus.
  20. 20. 20Meu pai, meu pai A palavra de Elias a Eliseu foi: Se você me vir, quando for tomado de ti, você receberá a porção dobrada, se não... Nada feito! Nessa hora algo surpreendente, sobrenatural, maravilhoso, vem provar o quanto Eliseu queria realmente ver a Promessa do Pai cumprida em sua vida. Ser fiel até o fim, é desprezar a visão gloriosa de um carro de fogo, não se distrair com as coisas maravilhosas, que nos provam se queremos o muito bom ou o excelente de Deus, um carro de fogo, ou a Manto da Unção, uma grande bênção ou a Herança da Primogenitura. Quantas coisas em nossa vida podem ser hoje só um “carro de fogo”? “As luzes da ribalta”, e da fama de grandes ministérios; uma tentação ao pecado que parece irresistível; O desejo de independência e de fazer surgir “o seu ministério”... São inúmeras situações, porém nenhuma delas comparáveis àquilo que Deus sonhou para nós. Eliseu não se permitiu desviar a atenção com o carro de fogo, mas, manteve seus olhos fixos em Elias, até que, este é tomado por um Redemoinho que o leva aos céus. - Meu Pai, Meu Pai, Carros de Israel e seus Cavaleiros Desde que Deus ordenou que Elias ungisse Eliseu profeta em seu lugar, a Bíblia se refere a Eliseu como filho de Safate. Este era o nome do pai natural de Eliseu; porém, desde que Eliseu havia se despedido de seus pais, surge um outro tipo de paternidade. Lembro de Jesus Cristo dizendo: “Aquilo que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito”. A paternidade ministerial, tão empregada hoje em dia (algumas vezes muito mal aplicada, porque há pessoas que se dizem pais, apenas para controlar e manipular seus filhos), é um modelo de formação e transferência de autoridade e unção que Deus quer que se manifeste entre as gerações. Na hora em que Eliseu declara quem é seu pai, e diz que Elias para ele é mais importante do que todo o poder do exército de Israel, a parte que lhe cabia, lhe é liberada. Receba a porção dobrada! “Fiel foste no pouco... sobre o muito te colocarei.” Há alguns mistérios na forma de Deus agir. Quando Deus promete preeminência e intrepidez na fé em Cristo Jesus para os diáconos que cumprirem bem seu diaconato, certamente, está tomando como padrão o mesmo que Ele fez com Eliseu, servo de Elias; com Josué, servo de Moisés; com Estevão e Filipe (dois dos primeiros diáconos da Igreja de Jesus Cristo, em Jerusalém). Este é o método de Deus. Aquele que desceu, é o mesmo que subiu! - Agora vamos ver! “O que vendo Eliseu, clamou: Meu pai, meu pai, carros de Israel e seus cavaleiros! E nunca mais o viu; e, tomando as suas vestes, rasgou-as em duas partes. Então, levantou o manto que Elias lhe deixara cair e, voltando-se, pôs-se à borda do Jordão. Tomou o manto que Elias lhe deixara cair, feriu as águas e disse: Onde está o SENHOR, Deus de Elias? Quando feriu ele as águas, elas se dividiram para um e outro lado, e Eliseu passou.” (2 Reis 2:12-14 RA)
  21. 21. 21Meu pai, meu pai Quando o Manto da Unção de Elias cai sobre Eliseu, este rasga suas vestes. Ele está declarando: acabou-se um período de minha vida e começa outro. A unção havia sido trocada, uma nova autoridade foi delegada, aquela antiga roupa já não lhe era mais apropriada. Agora era hora da manifestação de Deus em sua vida. Assim como João Batista, desceu às águas do Jordão com Jesus, Elias o fez com Eliseu. A Presença do Espírito Santo na plenitude, sobre Jesus Cristo, e a declaração do Pai: “Este é o meu filho amado, em quem me comprazo.”, muito bem pode ser comparada com a porção da primogenitura legada de Elias para Eliseu. Assim como, logo após o batismo Jesus é levado pelo Espírito Santo ao deserto, onde é tentado por Satanás, mas, de lá é trazido NO PODER do Espírito Santo, chegou à hora de Eliseu mostrar o que lhe havia acontecido. Coloque-se no lugar dele, por um instante! Pouco tempo antes, Eliseu vê Elias abrir as águas do Rio Jordão, quando as tocou com seu manto. Será que Deus está realmente comigo? Vou testar! Irmãos, a fé sem obras é morta. Bem disse Tiago, irmão do Senhor: “Não me fale de fé, por que com minhas obras lhes mostrarei minha fé”. Qual o resultado da prática da fé? Eliseu clama: “Onde está O Senhor, Deus de Elias?”, e eu quase posso ouvir Deus gritando do Trono: Estou aqui! Quando Eliseu feriu as águas do Jordão, elas se abriram e Ele pode passar com os pés secos. Passar, como outrora passou Josué, no mesmo lugar, diante da mesma Jericó, para conquistar a Terra, que sob juramento Deus prometera dar aos seus pais. Da mesma forma que as águas se fecharam atrás de Josué, se fecharam agora atrás de Eliseu, mas, este estava bem treinado, porque desde o primeiro encontro com Elias, uma frase não saía de sua cabeça: “Vai e se despeça de seus pais, porque você sabe o que fiz contigo!” O Chamado de Eliseu, é um constante deixar coisas para trás e prosseguir para o alvo da Soberana Vocação de Deus em sua vida. Essa característica tem que estar presente em nossas vidas, porque o rio abriu e se fechou atrás de nós, mas, se pensarmos bem, apenas um rio abriu e se fechou, até aí nada de novidade... Agora é que as coisas precisam acontecer, agora é com Eliseu e Deus, contigo e com O Espírito Santo nesta Terra Prometida de Deus para a vida de cada servo seu. Uma Visão do Trono de Deus No segundo semestre de 1999, estava num “Encontro com Deus”, ministrado pela apóstola Valnice Milhomens, na igreja INSEJEC de São Paulo. Era um encontro apenas com pastores, e eu ainda não havia sido consagrado para o ministério, porém, convidado por meu pastor, deliciei-me com o frescor de tudo o que Deus fazia naqueles dias. Na última manhã do encontro, todos os presentes seriam ungidos, pela própria apóstola, e a ordem de unção era: Pastores Presidentes de ministério, Co-Pastores, etc. e, por fim, se porventura, houvesse ali pessoas convidadas que ainda não haviam sido ordenadas para o ministério, teriam sua oportunidade de receber a ministração daquela unção. Bem, eu fui um dos últimos da última fila. Fiquei por mais de uma hora esperando até que chegasse a minha vez.
  22. 22. 22Meu pai, meu pai Nesse tempo senti muito forte a Presença de Deus, e comecei a ver O Seu Trono ali entre nós. Era uma visão tão real, e bastava fechar os olhos que podia contemplar a Glória de Deus, ali, naquela igreja. Quando, no entanto, eu abria os olhos, me chamava à atenção que muitas pessoas ao receberem imposição de mãos caiam e logo se levantavam como se nada tivesse acontecido, e diante de mim, estava O Trono de Deus. O Espírito Santo me falava: Não se distraia! Quanto mais eu podia contemplar a Glória de Deus, mais era envolvido pela presença poderosa e inconfundível do Pai. Foi mais de uma hora de espera. Quando a apóstola Valnice se aproximou de mim, olhei bem nos seus olhos e bradei, enquanto ela impunha as mãos sobre mim: “ERETZ YISRAEL”. Ela de repente parou, e enquanto eu caia, gritei de novo “ERETZ YISRAEL” (que quer dizer a Terra de Israel), antes que eu tocasse o chão, numa fração de segundos, ela voou sobre mim e passou a ungir meus lábios, ouvidos, olhos, nariz, coração, mãos. Ela mesma arrancou-me os sapatos e ungiu a sola de meus pés, ao mesmo tempo em que profetizava a respeito do meu chamado para com o povo judeu. Quinze dias depois, de maneira absolutamente sobrenatural, entrava eu pela primeira vez em Jerusalém, e numa das experiências mais dramáticas que tive com Deus em minha vida, vi Jesus Cristo, no Kotel (Muro Ocidental, Muro das Lamentações), e por ordem explícita do Senhor, arranquei meus sapatos e pude ali pisar, com aquela unção que recebera no dia em que vi O Senhor assentado no seu Alto e Sublime Trono, e pude esperar até o momento oportuno em que me seriam entregues chaves e armas, para que se cumprisse aquilo que O Pai, desde que nasci, me estava preparando. Naquele dia em Israel, experimentei o que o Apóstolo Paulo disse sobre gentios serem usados por Deus para colocarem em ciúmes os judeus: quando me curvava em adoração diante da Presença de YESHUA. Ali naquele lugar tão significativo para mim, um judeu ortodoxo me acompanhava e enquanto eu não parei de adorar e de me prostrar, ele não deixou de fazer o mesmo, como que querendo dizer: Quem é este rapaz não judeu, que chora pelo meu Deus, adora o meu Deus, se prostra diante do meu Deus?! E eu pude vê-lo fazendo o mesmo, e que Deus consuma minha vida para que minha adoração possa despertar outros a O adorarem também com a mesma intensidade.
  23. 23. 23Meu pai, meu pai g – O Fim da Esterilidade Karla, minha esposa e eu descíamos pelo deserto da Judéia, rumo à Região do Mar Morto, e algo surpreendente surgiu diante de nossos olhos: Até o horizonte, por qualquer lado que se olhasse, só havia pedras claras e areia, nunca tinha visto um lugar tão inóspito. Porém bem no meio do Vale um corredor verde, não permitia que qualquer visitante deixasse de perguntar e de se admirar, como pode haver tanta vida no meio daquele grande deserto? Nossa próxima parada justamente foi, o lugar onde começava aquele corredor verde, lugar em que outrora as águas eram amargas, até que passou por ali, O Ministério Apostólico pré- figurado em Eliseu. “ Os homens da cidade disseram a Eliseu: Eis que é bem situada esta cidade, como vê o meu senhor, porém as águas são más, e a terra é estéril. Ele disse: Trazei-me um prato novo e ponde nele sal. E lho trouxeram. Então, saiu ele ao manancial das águas e deitou sal nele; e disse: Assim diz o SENHOR: Tornei saudáveis estas águas; já não procederá daí morte nem esterilidade. Ficaram, pois, saudáveis aquelas águas, até ao dia de hoje, segundo a palavra que Eliseu tinha dito.” (2 Reis 2:19-22 RA) A esterilidade é um sinal evidente de maldição como conseqüência do pecado da idolatria. Já discorri anteriormente sobre quais foram os fundamentos da reconstrução de Jericó, lugar reedificado para que o culto à entidade demoníaca chamada na Bíblia de Rainha dos céus fosse adorada. As fontes de água deste lugar eram amargas, nada que procedia dali tinha vida, pois a recompensa do pecado é a morte. Temos inúmeros exemplos bíblicos sobre a conseqüência do culto de falsos deuses gerando esterilidade no povo, como as mulheres dos patriarcas Sarah, Rebeca e Raquel, todas oriundas do mesmo lugar, todas pertencentes a famílias idólatras, todas com esterilidade como conseqüência do pecado contra Deus. O poder para ser frutífero e se multiplicar dado aos homens, confronta Satanás de uma forma terrível, pois este poder junto com o domínio sobre todas as coisas, deu O Senhor ao ser humano, criado à Sua Imagem e Semelhança. Por isso cada vez que o Diabo marca o ser humano com a impossibilidade de vivermos esta promessa, logo percebemos um confronto específico entre o poder do Doador da Vida, com aquele que é Enganador desde o princípio. É mister saber, não apenas racionalmente, mas tornar prática de vida, o entendimento que os Céus, são os Céus do Senhor, mas, esta Terra aqui, O nosso Deus deu para nós os filhos dos homens. Trava-se aí uma guerra por princípios. Violência precisa ser demonstrada ao mundo espiritual da maldade, que quer nos fazer acreditar, que esta situação não pode ser mudada. Falarei sobre este assunto mais à frente, mas, neste momento me cabe lembrar que a Ressurreição de Mortos, é um dos elementos fundamentais da Doutrina de Cristo, visto, que é a Ressurreição de Jesus Cristo, que nos garante completa vitória sobre o maior malefício que Satanás conseguiu infringir ao homem: A morte.
  24. 24. 24Meu pai, meu pai Cada vez que Jesus Cristo em sua vida terrena, deparou-se com a morte, fez questão de deixar claro, que tinha autoridade para enfrentá-la em qualquer circunstância. Quando o espírito de morte estava para se manifestar, para matar o filho do Centurião romano, Jesus realiza o seu o 2º milagre decretando: “Seu filho ainda vive”. Com a filha de Jairo, a morte que tinha acabado de se manifestar foi subjugada. O filho da viúva de Naim, que já estava num esquife sendo levado para o sepultamento teve de refazer seus planos, pois Jesus fez questão de lembrar à Morte que ela está debaixo da Autoridade do Doador da vida. E por último, Lázaro, o amigo do Senhor Jesus, que já estava sepultado há quatro dias, saiu do túmulo sob o decreto d´Aquele que é a Ressurreição e a Vida. Há alguns confrontos espirituais, que me parecem questão de honra, para O Senhor Jesus, e deve ser também para aqueles que o servem. Quando Jesus Cristo envia os setenta discípulos a pregarem O Evangelho do Reino de Deus, uma das ordens explícitas era ressuscitar os mortos, com a mesma simplicidade que ordenou que curassem os enfermos e libertassem os cativos. Estudando com um grupo de discípulos amados os fundamentos da Doutrina de Cristo percebemos que se Arrependimento de Obras Mortas, Fé, Batismos, imposição de mãos, todas estas coisas são ações requeridas pelo Senhor de nós, a Doutrina da Ressurreição de Mortos, não pode apenas apontar para o futuro encontro, dos que morreram em Cristo com os que estiverem vivos e forem selados pelo Sangue do Cordeiro, mas, uma ação que deve fazer parte da nossa vida cristã. O primeiro desafio de Eliseu, foi com ele mesmo, de perceber que O mesmo Deus de Elias estava também com ele, o segundo desafio foi contra a Morte e Esterilidade. Sabemos que no capítulo segundo do Profeta Malaquias, Deus deixa claro que Ele transforma em maldição as bênçãos do sacerdote idólatra, e que é importante sabermos então, quem nós somos em Cristo Jesus, para experimentarmos a honra de ver Deus confirmar, as palavras de bênção que saem de nossa boca. Anos atrás pastoreei um casal, hoje são pastores do Senhor Jesus, que não podiam ter filhos mesmo depois de nove anos de casamento. Eles se converteram, do Catolicismo Romano e idólatra, e lembro-me que me pediram que reconsagrasse seu casamento ao Senhor, visto que tinham enfrentado momentos terríveis até aquela época. Naquele dia O Senhor me disse que removia o impedimento para que pudessem gerar filhos, e hoje são pais de um lindo menino totalmente consagrado ao Senhor, para a Glória de seu Poderoso Nome. Há pessoas que são estéreis em várias áreas de suas vidas, não só no gerar filhos, mas, na vida emocional, profissional, financeira, ministerial, de relacionamentos, e há que se fazer violência no mundo espiritual para que se ponha em liberdade estes amados do Senhor. “ Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva.” (João 7:38)
  25. 25. 25Meu pai, meu pai Esse é um chamado Apostólico! No dia em que Jesus Cristo declarou isto, era Festa dos Tabernáculos, o Grande dia da Festa, ele estava ao lado do Tanque de Siloé (Palavra hebraica derivada da palavra SHALIACH que quer dizer o “Enviado” ou Apóstolo), e então O Mestre declara: Quem beber da minha Fonte, tornar-se-á fonte. Quem beber destas águas, terá destas águas para dar. Quem experimentar desta vida, desta vida poderá ministrar a outros. Creio que está aí uma das bases mais importantes do Ministério Apostólico: Somos comissionados, como portadores da Vida de Deus. Por isso o nosso confronto com a Morte e Esterilidade, deve ser nosso primeiro alvo. Duas vezes me deparei com a Morte e orei com fé sem duvidar pela Ressurreição. Um dos casos foi meu sogro, que morreu inesperadamente de um ataque cardíaco. Não, eles não ressuscitaram. A sensação de derrota e fracasso foram às coisas mais terríveis que já senti em minha vida, porém estas experiências me amadureceram e me fizeram pensar em algumas coisas do tipo: Sabe porque os crentes não oram por ressurreição de mortos, porque este é o Maior Conflito, que enfrentamos, o último inimigo a ser vencido, e nos constrangemos ante a possibilidade do insucesso. Fugimos com desculpas de que a pessoa era velha demais; Deus o recolheu para que o espírito não se perdesse; Não sabemos do que Deus o livrou em seu futuro, e nos conformamos com a atuação destruidora deste inimigo tão cruel. Por vezes até oramos baixinho, ou pensamos uma oração pedindo que se for a Vontade do Pai, que aquela pessoa ressuscite, pensamos que a família enlutada se sentirá pior ainda, se nada acontecer ou ainda, que O Nome de Jesus Cristo poderia ser envergonhado se nada acontecesse, e mais uma vez a morte triunfa. Jesus não fez, e nem faria isso. E O Espírito que ressuscitou Jesus dentre os mortos está dentro de nós. No caso do meu sogro, Deus respondeu uma oração de minha esposa e disse claramente por intermédio de uma pessoa que nada sabia do caso, ou da oração, que Ele mesmo o havia recolhido, e que meu sogro estava com Ele. Confortados pelo Senhor, é claro que ficamos, mas, satisfeitos não, porque eu sei em Quem tenho crido, e que O Meu Senhor venceu a Morte e O Inferno, e que este Jesus Poderoso, está dentro de nós. Por isso sei, por que sei, que assim como a mesma fonte que possuía águas amargas, e que foi transformada em águas que correm para a Fertilidade e para a Ressurreição, minha vida foi transformada por Deus, e por onde correrem as fontes da minha vida, ou das vidas que puder influenciar com O Amor de Jesus Cristo, eu sei que surgirá um grande corredor de vida no meio de um deserto, para que se veja diferença na vida de quem serve a Deus e que morreu com Cristo, para com Ele ressuscitar. Há menos de três anos atrás uma pastora que trabalhava conosco em nossa igreja, lutava com a impossibilidade de ter um segundo filho, por graves problemas hormonais que surgiram em sua vida. Numa reunião com outros ministros ela me pediu oração visto que estava enfrentando problemas graves em seu casamento e precisava de um toque especial de Deus. Enquanto orava senti a ousadia suficiente para lhe falar, o que O Eterno me mostrava: Que ela ficaria grávida, que seria um menino, e que se chamaria Samuel. Naquela mesma noite ela engravidou, quando com seu esposo, foram ao médico por uma suspeita de gravidez (impossível ante o diagnóstico médico), se alegraram em descobrir que Deus cumpriu sua Palavra. Esperaram mais cinco meses, e constataram que era um menino. Foram obedientes ao Senhor e esta criança tem o
  26. 26. 26Meu pai, meu pai Nome que O Eterno designou para ele. Enquanto estava escrevendo este livro, sua mamãe me ligou para contar que na luta com uma doença comum, mas, que esteve em seu filhinho numa forma mais aguda , num dos dias de hospitalização ela dizia para ele: Samuel profetize que você vai ficar bem e que logo sairá deste hospital. Havia uma outra criança por perto, que chorava muito e o Samuel declarou: Papai do Céu, eu vou sair deste hospital e este neném também. A ligação me deu a alegre notícia da sua alta. Aleluia!
  27. 27. 27Meu pai, meu pai d – Há uma unção na tua vida Anos atrás vivi um momento muito constrangedor, que não gostaria que ninguém experimentasse, mas, que serviu para provar a fidelidade de Deus e a seriedade com que Deus zela por seus ungidos. Eu trabalhei como advogado, alguns poucos anos depois de haver me formado em direito, já que desenvolvi toda minha vida profissional, na área de Recursos humanos em diversas empresas brasileiras e estrangeiras. Nos últimos meses que trabalhei efetivamente com escritório aberto, quase que exclusivamente usava minha sala como gabinete pastoral, e pude experimentar a conversão de inúmeras pessoas que me procuravam como advogado, mas, que encontravam o servo de Deus. Casamentos restaurados, embora tivessem me procurado para o divórcio, além de muitos milagres, curas extraordinárias que O Eterno realizava através da minha vida, naqueles dias de uma grande expectativa sobre o que o Pai reservava para mim ministerialmente. Naqueles dias também estudava com muito afinco o idioma hebraico, bem como toda a cultura judaica, já que tinha absoluta convicção de meu chamado, bem como minha esposa. Bem na virada do ano 1999 para 2000, quando a escola onde aprendíamos o hebraico, ficou fechada nos feriados de final de ano, decidimos continuar as aulas já que nossa Morá (professora), também se demonstrou interessada. De pronto marquei aulas para meu escritório, que até então dividia com um Engenheiro (o real dono do escritório, e que me cedeu uma das salas para minha atividade), e um amigo que lidava com crédito e financiamentos (também na mesma condição que eu, utilizando um espaço daquele escritório para suas atividades). Infelizmente tomei uma decisão absolutamente equivocada, e quando dei por mim que minha professora judia viria ao escritório, e na recepção havia uma enorme árvore de natal, achei que não haveria mal algum desmontá-la, já que estávamos nos primeiros dias de janeiro, e eu não sabia da tradição de desmontar a tal árvore, num dia específico todos os anos... Bem, dias depois de minha primeira aula, quando os outros empregados do escritório e justamente a secretária do proprietário (que havia montado a árvore, e que era sua amante), chegou e percebeu o que eu tinha feito, criou uma situação super constrangedora, e eu fui chamado à responsabilidade, por ter mexido em algo que realmente não me pertencia e só me coube pedir perdão. Porém, o Engenheiro me disse no calor da conversa: “Se algum judeu entrar aqui, você sai junto com eles”, e imediatamente entendi que lá não era mais lugar para mim. Procurei um lugar e de pronto, outro escritório no mesmo conjunto se abriu para que eu me mudasse, porém ainda havia alguns trâmites, e quando procurei meus colegas de escritório para agradecer o tempo que estivemos juntos e resolver as questões práticas de minha saída, infelizmente aquele homem me agrediu com palavras e alguns dos móveis que eles usavam no próprio escritório de engenharia me pertenciam, e ele disse que não queria que nem os móveis que eram meus ficassem ali, pois eu me considerava tão santo, que deveriam ser as minhas coisas que causavam problemas para eles. Fui despejado!
  28. 28. 28Meu pai, meu pai Ainda não havia concluído as negociações para a mudança para o novo escritório, e todos os meus móveis foram lançados no corredor do prédio, e se não fosse a providência divina, através do zelador, que me ajudou a recolher tudo e depositar num espaço vazio até que tudo estivesse concluído e minhas coisas devidamente acomodadas no meu novo lugar, eu realmente não saberia o que fazer. Quando tudo terminou, e acomodei todos os móveis, voltei até a porta do escritório, e fiz algo que espero nunca mais repetir em toda a minha vida. Limpei o pó daquela sala da sola de meus sapatos e fui embora, para nunca mais entrar naquele lugar. Poucos meses depois aquele homem morreu com um câncer violentíssimo e súbito. Ele era um desviado, nunca quis ouvir as palavras que o chamavam ao arrependimento, nunca abandonou o adultério, e não sei se veio a reconciliar-se com Jesus Cristo, antes de sua partida. Uma coisa verdadeiramente aconteceu comigo, a partir desta situação: Surgiu um grande temor de Deus em minha vida, pelo o que O Pai, quer com a minha vida e com a vida daqueles a quem Ele levanta. Eliseu e o Juízo de Deus Logo pensamos que coisas ruins não se podem manifestar da parte de Deus que é bom. A questão é que o julgamento do que é bom e ruim, geralmente é feito em nossa mente, presa a experiências racionais do passado, e que só trabalha com um décimo de sua capacidade (como dizem os estudiosos sobre o assunto). Nosso Deus no entanto, não é apenas Justo, Ele é Justiça, e as manifestações do Juízo de Deus vêm corrigir e deixar exemplos dramáticos da Santidade e do Poder Grandioso de Nosso Deus. Logo que Eliseu sai de Jericó, para subir rumo a Betel (percebemos que ele está fazendo exatamente o caminho inverso, do que havia feito com Elias, nos últimos dias). Jovens saem da cidade (creio ser da própria Jericó), e no lugar de estarem agradecendo e motivando o servo de Deus, pelo grande milagre da Cura das águas, aqueles moços passam a ridicularizá-lo, chamando-o de Calvo (Careca). Parece engraçado, e nos parece até exagerado à maneira que Deus trata com esta situação. Porém Deus faz questão que algumas coisas fiquem bem claras: Deus não foi além matando Usa. Aquele homem que era um levita e tinha de saber, que a Glória de Deus não pode ser carregada por bois, e sim deve ser levada nos ombros dos sacerdotes, (naquele momento em que David quis levar a Arca de Deus para Jerusalém). A Glória de Deus tem peso! Precisamos aprender isso. Deus não foi além tendo matado Nadai e Abiu. Eles eram filhos do Sumo Sacerdote, e tinham que saber, que não é porque eu sei como se faz, que eu estou habilitado para fazer. Deviam saber que não é do nosso jeito, e sim do jeito de Deus. Deviam saber que o fogo usado na Casa de Deus tem que ser o Fogo da Santidade e não fogo estranho. A função sacerdotal requer temor de Deus. Precisamos aprender isso. Deus não foi além tendo matado Core, Danam, Abirão e suas famílias. Como líderes entre as famílias de Israel, precisavam saber, que Deus dá autoridade para quem Ele quer dar autoridade, e quando a autoridade de um servo de Deus é confrontada, é o Próprio Deus, que está sendo confrontado, e Ele mesmo se defende.
  29. 29. 29Meu pai, meu pai A Autoridade vem de Deus! Precisamos aprender isso. Deus não foi além tendo matado Ananias e Safira. Eles viviam num momento de grande manifestação do Espírito Santo, e muito provavelmente foram batizados no Espírito Santo e no Fogo de Deus como todos da primeira igreja, porém mentiram para o Espírito Santo, e quiseram enganar o apóstolo Pedro, para que eles fossem considerados pessoas especiais, no meio de outros irmãos. Morreram fulminados! O Espírito de Deus é Santo. Precisamos aprender isso. Jesus não foi além tendo amaldiçoado a figueira que no dia seguinte estava morta. A árvore que não dá fruto, só serve para ser cortada e lançada no fogo. Precisamos aprender isso. Deus não foi além tendo permitido, que aquelas ursas estraçalhassem aqueles jovens. Eles tinham que respeitar a Unção de Deus na vida de Eliseu. “... Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas.” (Salmos 105:15). Precisamos aprender isso. Outro aspecto que quero ressaltar, é que ninguém pode parar ou frustrar os planos de Deus nesta Restauração completa dos ministérios do Cordeiro, visto, que são eles que prepararão a base para a Edificação da Igreja Gloriosa, que se encontrará com Jesus Cristo, bem como são o Instrumento para o aperfeiçoamento dos Santos, exatamente para esta obra. Aqueles primeiros cinqüenta discípulos dos profetas que ficaram aquém do Jordão, por onde cruzaram Elias e Eliseu, como muitas pessoas que conhecemos, dizem saber de tudo, que podem ver tudo no mundo espiritual, mas, não tomam postura nenhuma para que possam receber a comissão e a autoridade de Deus, para viverem o que Deus espera deles. Ainda depois que Eliseu atravessa de volta o Jordão, eles ainda se lhe opõe, querendo sair para procurar Elias, não crendo e se opondo àquilo que Deus acabara de fazer. Estas farsas engendradas na mente corrompida humana, bem como na mente obscura de Satanás, é do mesmo tipo que levou sacerdotes a subornarem soldados romanos, para dizerem que o Corpo do Mestre, havia sido roubado pelos seus seguidores. Frustrados sejam os planos das Trevas! Porém, um outro grupo de jovens, levanta-se para ridicularizar a Eliseu, e para impedi-lo de alcançar o que O Pai lhe havia reservado. Eliseu no entanto volta e amaldiçoa aqueles jovens em O Nome do Eterno. Resultado: Imediatamente duas ursas surgem do bosque e matam aqueles jovens. Portanto é bom lembrar que um homem de Deus, é tão homem, sujeito a lutas e problemas como qualquer outro homem, porém Deus está nele! Cuidado com o que falam de homens de Deus, e cuidado com o que VOCÊ homem de Deus fala! Uma palavra de Maldição, como a de Jacó para Rachel (ainda que ele não soubesse, que estava amaldiçoando sua própria esposa amada), gera morte.
  30. 30. 30Meu pai, meu pai Na verdade não sabemos lidar com isso, porque logo que pensamos no poder do Juízo de Deus, logo fazemos um Julgamento e damos o veredicto contra aquela pessoa, que nos aborreceu, e a Justiça de Deus não é por nós conhecida com a nossa mente racional. O direito Romano base de nosso sistema jurídico, não é base para a Justiça de Deus. Nossas experiências, nosso rito de adorar a Deus, não é base; Nosso sentimento mesquinho de autocomiseração e pena de nós mesmos não é base. Quando os discípulos de Jesus questionam se podem pedir para que fogo caia do céus e consuma aqueles que se recusaram a receber O Mestre, Jesus lhes pergunta: “Não sabeis de que Espírito sois?” O mesmo Jesus disse que haveria mais compaixão para Sodoma e Gomorra do que para Corazim, Cafarnaum e Betsaida, que viram milagres extraordinários de Jesus e não se converteram. Hoje em Israel, vemos apenas as ruínas daquelas antigas e poderosas cidades, como prova das palavras proferidas contra elas. Penso que na brincadeira daqueles jovens que ridicularizavam Eliseu, com sua calvície, a maior lição para todos nós sobre este tema é que não podemos fazer justiça com as nossas próprias mãos (mãos falam de exercer a nossa vontade), mas, deixemos Jesus em nós exercer a Justiça, e se Ele colocar em nossas bocas decretos de Juízo contra o pecado, contra tudo o que se levanta contra Deus, o faremos, e para isso precisamos urgentemente aguçar nossos ouvidos espirituais para não errarmos o alvo de Deus para nós. Veja David, encheu-se de Justiça humana para condenar, aquele homem que na história de Natã havia roubado a cordeirinha de seu vizinho, sendo que ele (David) era o homem do pecado. Fico pensando figurativamente na cena narrada no Livro de Reis, e penso que o fato de terem ridicularizado a calvície de Eliseu, não possa ser uma alusão à falta de Cobertura sobre a vida daquele homem, já que agora ele não andava mais com o poderoso Elias. Duvido que alguém teria zombado de Eliseu na presença de Elias que invocava a Deus e fogo caia dos céus. Porém embora Elias tenha sido apartado de Eliseu, o Deus Todo Poderoso é a sua cobertura, e pobre de quem duvidar disso. No exercício do ministério apostólico, juntamente com outros irmãos no mesmo ofício, muitas vezes nos deparamos com momentos de oração, em que decretos são liberados no Reino do Espírito e que geram impactos incríveis até em dimensão nacional. Lembro-me de um político muito famoso em Brasília, que numa discussão com um político cristão muito conhecido disse: que ele (o cristão), não sabia quem era seu pai, enquanto ele (político famoso e de família nobre), era filho de um grande e poderoso homem naqueles dias em todo o território nacional. A primeira coisa é que o pai daquele político cristão era um servo de Deus, mas, acima de seu pai natural, o Pai daquele homem é O Criador dos Céus e da Terra. Lembro-me de meu papai, ainda vivo comentar comigo, que aquela declaração tão repugnante e covarde não ficaria assim e que ele sentiria a resposta do próprio Deus. Resultado: Pouco tempo depois, um ataque fulminante cardíaco o matou e seu pai depois de sua morte perdeu o poder e o prestígio que possuía na nação brasileira, vindo falecer recentemente de insuficiência cardíaca. “ ...Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas.” (Salmos 105:15)
  31. 31. 31Meu pai, meu pai h – Esteja pronto para o milagre Lembro-me com saudades de momentos incríveis que desfrutei da companhia de meu pai, um mestre zeloso da Palavra de Deus e certamente a pessoa que conheci, que mais leu a Bíblia Sagrada, e que investiu tudo o que tinha na vida em seu único discípulo: eu. Um dia me contava sobre SMITH WIGGLESWORTH, chamado de o apóstolo da fé, num dos tantos milagres que Jesus Cristo operou através de sua vida, quando um menino completamente aleijado desde o seu nascimento foi poderosamente visitado pela Unção de Deus e foi curado. Quando seu pai descia de sua casa para o local daquele ajuntamento onde Wigglesworth estaria orando pelos enfermos, foi contestado por um amigo, visto, que além do filho aleijado que carregava nos braços, tinha também uma caixa que lhe dificultava ainda mais no seu caminhar. Questionado, porque não largava aquele volume tão inconveniente, o pai disse: “- Não posso. É um par de sapatinhos para meu filho, sei que ele será curado e não quero que na primeira vez que ele ande, suje seus pezinhos na terra”. Isso é fé! A criança para a Glória do Nosso Deus, foi totalmente curada daquela paralisia. Aleluia! Eliseu é procurado por três reis. Um deles é o Jorão, filho do maligno Acabe, o outro é um rei estrangeiro do povo de Edom e por fim com eles estava Josafá, um rei que estava por experimentar algo de Deus que mudaria completamente sua vida. A empreitada dos três reis se deu por convite de Jorão, Rei de Israel, contra o Rei de Moabe, que se recusou a pagar tributos, já que naqueles dias Moabe havia sido dominado pelo rei de Israel. Depois de sete dias de caminho rumo ao local do confronto, todo o exército se vê causticado por um calor terrível e por falta de água que quase conduz todo o agrupamento dos três povos à derrota antes mesmo da batalha. Josafá, rei de Judá é fiel ao Deus Altíssimo, e por isso toma a iniciativa de sugerir que buscassem um homem de Deus como solução para a crise que estavam enfrentando. Surge então o nome de ELISHA (Eliseu - Deus é YESHUA, YESHUA é Deus, ou Deus é Salvação). - O Ministério apostólico e a água Como já citei anteriormente, aquele que experimentar da Água da Vida, torna-se uma fonte. Eliseu, (me permitam chamá-lo de ELISHA -YESHUA é Deus), é procurado por três reis, cada um no meu modo de ver representando um tipo de pessoa. O primeiro, Rei de Israel fala das pessoas que abandonaram a Deus, são os cristãos desviados, que ainda até dizem ter princípios de Deus em si, mas, em suas vidas, cometem todo o tipo de coisa abominável contra Deus. O segundo tipo de pessoa, representada pelo Rei de Edom, são as pessoas que não conhecem a Deus, mas que por uma contingência estão no mesmo barco com os “tais” servos de Deus e que passando por dificuldades dizem: “- Bem eu não creio ou sirvo a este Deus, se acontecer alguma coisa eu volto a pensar melhor sobre isso”. E o terceiro rei Josafá (este sim um servo de Deus).
  32. 32. 32Meu pai, meu pai A sede não abate apenas um grupo, mas, todos. Penso imediatamente no que o apóstolo Paulo, declara na carta aos Romanos: “A Criação (toda ela, todos os seres criados, toda a natureza), espera com grande expectativa (impacientemente, ardentemente), a manifestação (revelação), dos filhos (maduros) de Deus que se tornarão conhecidos (que se revelarão, que divulgarão sua filiação) – (Compilação de textos de várias traduções, dentre elas a Amplified Bible, ECA, NVI, RCA, por Paulo de Tarso). Os três reis procuram por ELISHA, o filho maduro de Elias, aquele que recebeu o manto da Unção e a Porção dobrada do espírito de Elias. E o problema deles: Sede. Deus mesmo quer atrair as pessoas para a Sua Presença, para a Manifestação da Sua Glória, Santidade e Poder e através disso levar os homens ao arrependimento. Nos três grupos representados pelos três reis, todos estavam com o mesmo problema, ou passando pelo mesmo problema, mas, foi o Rei que servia a Deus, que apontou o caminho para todos, buscar a Deus através de um profeta. Um dos servos do Rei de Israel, falou sobre ELISHA, e todos foram à sua procura. Todos esperavam livramento, todos estavam no mesmo barco, e a solução aparente estava, em ELISHA. ELISHA no entanto deixa claro que foi a presença do Rei de Judá., Josafá, íntegro e reto diante de Deus, que motivou o profeta a recebê-los. Jorão era filho de Acabe e Jezabel, e ainda andava nos mesmos pecados diante de Deus, que seus pais andaram, e ELISHA deixa claro, que jamais o receberia, se não por estar ele na presença de alguém que temia de verdade O Eterno. ELISHA diante de todos chama um tangedor, um músico, um adorador, para que tocasse a Deus com sua adoração, pois certamente Deus habita no meio dos louvores do seu povo. A resposta para quem entra na Presença do Pai, para adorá-lo e interceder pelo povo, será proclamar as virtudes de Deus neste mundo tenebroso. A junção do apostólico, com a adoração que desata o espírito da profecia e manifesta a resposta às ansiedades deste mundo, precisa ser aprendida por todos os que estão entrando nesta dimensão de maturidade, a qual O Eterno nos tem conduzido neste momento. Todos receberão resposta, porque Deus veio salvar o mundo que lhe pertence, e todos os que nele habitam. A resposta virá tanto para os que conhecem a Deus e lhe obedecem, como para os rebeldes e até para os que nem ouviram falar sobre seu Infinito Amor. Mas, o caminho para isto é a sede, e só Deus pode nos dar sede. Como agir? Como sermos práticos nesta necessidade crucial de nossos dias, de um impacto da parte de Deus que vai mover as estruturas do Mundo, para que vejamos O Eterno manifestar sua Glória e Poder como no passado?
  33. 33. 33Meu pai, meu pai 1º Fazendo o que precisa ser feito: O Rei Josafá fala da igreja, que sabe que as dificuldades poderão ser vencidas se buscarmos a Deus. A questão é que não adianta saber, não adianta ser “Phd” em teologia de saber como se faz, se na hora do desespero não sabemos por onde começar. Todo o conhecimento bíblico deve ser juntado humildemente com a direção do Espírito que se move como o vento: “ninguém sabe de onde veio, nem para onde vai”. É claro que a motivação de Josafá gerou uma atitude: Sabemos que precisamos de Deus, mas, quem nos guiará até ELISHA? 2º Eu conheço Jesus que é Deus, venha comigo! Quem os conduziu até ELISHA? Um servo de Jorão. Temos aí a representação da igreja desviada, do povo amado pelo Eterno, mas, que se prostituiu com uma multidão de amantes, traindo a Deus, mas que pela infinita misericórdia de Deus, ainda possuiu um remanescente fiel que não dobrou seus joelhos diante do Mal. Pessoas que conhecem a Deus não apenas de ouvir falar, mas, sabem onde Ele está, como se move, e o que fazer para encontrá-lo. Pessoas simples, sem nome, sem razão de ser, sem “pedigree”, sem importância histórica ou social, mas que não se prostituíram e estão em intimidade com Deus e querem Deus, e por isso serão usados para apontar O Caminho, para todos. Chamo a atenção de todos aqui, porque isto é um padrão do agir de Deus: “ Irmãos, reparai, pois, na vossa vocação; visto que não foram chamados muitos sábios segundo a carne, nem muitos poderosos, nem muitos de nobre nascimento; pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para envergonhar os sábios e escolheu as coisas fracas do mundo para envergonhar as fortes; e Deus escolheu as coisas humildes do mundo, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são;” (1 Coríntios 1:26-28) Prestem atenção nos sonhos, que te são contados em sua congregação local, nas reuniões de intercessão, nas profecias de pessoas simples, mas que tem o coração em Deus. O Pai nunca parou de falar, o problema é que não estamos ouvindo, e se ouvimos somos débeis em fazer, o que Ele nos manda fazer. - Ouvi o que O Espírito diz às igrejas: “Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; Não temas as coisas que tens de sofrer...; Sê fiel até à morte; Arrepende-te; Tão-somente conservai o que tendes, até que eu venha; Sê vigilante e consolida o resto que estava para morrer, porque não tenho achado íntegras as tuas obras na presença do meu Deus. Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, guarda- o e arrepende-te. Porquanto, se não vigiares, virei como ladrão, e não conhecerás de modo algum em que hora virei contra ti; Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa; Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas. Sê, pois, zeloso e arrepende-te. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.” (Trechos de Apocalipse 2:1-3:22)
  34. 34. 34Meu pai, meu pai - Cave covas e covas Aleluia! O bom humor de Deus é uma das coisas mais maravilhosas do Universo! Imaginem só, os três reis, e todo o povo que esperavam um grande livramento, ouvindo esta frase. Pense no entanto, que todos estão literalmente morrendo de sede no meio de um deserto, e estão indo para uma guerra. A voz profética se levanta e diz: Comecem a cavar covas e mais covas... Que desconfiança enorme devem ter sentido aqueles que estavam com a vida “torta” diante de Deus. – “Agora o negócio ficou feio! Deus está mandando cavar nossas próprias covas????” Como os princípios de Deus podem transformar a vida de alguém comum, num gigante de Deus! Jesus disse aos seus discípulos: “Aquele que quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e me siga!” É interessante pensar que tomar a cruz e seguir a Jesus, é um convite para a morte, porque Ele morreu pendurado naquela cruz. Ou seja! Com todo o amor do mundo Jesus disse aos seus discípulos amados: Vocês precisam morrer! O que aconteceu com aqueles que verdadeiramente entenderam isso? Tornaram-se os anunciadores do Reino de Deus depois da ascensão de Jesus Cristo, às maiores Alturas. Testemunhas de sua Ressurreição e ministros do seu Poder. Claro que sei que as covas cavadas foram para reter as águas que viriam, mas, como acho importante pensar que se uma semente não morrer jamais nascerá a grande árvore. Além de ser imprescindível tomar atitudes com os comandos de Deus, a ordem dada por ELISHA foi para cavarem covas e mais covas naquele deserto. Deus não podia fazer chover? Será que Deus não viu que todos já estavam exauridos pela sede e cansaço. Para que mais um esforço sobre-humano destes? É irmãos... é melhor parar de ter pena de si mesmo e começar a cavar, porque a Fé sem obras é morta, e não me venha falar de Fé, porque é cavando uma cova, para sepultar minhas rebeldias, meus “achismos”, minha alto piedade, meu orgulho, minha religiosidade, minha falta de compromisso com as coisas de Deus, que eu vou experimentar o agir de Deus que tanto estou esperando. Viva isso, ensine isso aos outros, se aperfeiçoe nisto! Faça o que Deus mandou, que ele fará o que te prometeu! - “Não sentirão vento, nem vereis chuva, mas este vale se encherá de água”. A resposta de Deus para a obediência dos exércitos é que as atitudes naturais abriram portas para respostas sobrenaturais. Deus não age de uma maneira pré-ordenada seguindo padrões pré- estabelecidos. Ele é Deus, e O Criador de todas as coisas nos Céus e na Terra, por isso Ele fará de maneira diferente, criativa, inesquecível aquilo que nos têm prometido. Portanto prepare-se para receber este milagre, este tempo, este livramento, esta prova da Presença e do Poder de Deus sobre a tua vida, e sobre a vida de todos que andarem contigo! Num tempo de oração cerca de um mês antes de começar escrever este livro, O Pai me fez tomar algumas anotações sobre o que Ele estava por fazer, e de coisas que Ele me incumbia de anunciar. A principal foi: Preparem-se para receber o que eu estou para dar!
  35. 35. 35Meu pai, meu pai José construiu os silos no Egito; Jesus ordenou que a multidão fosse dividida e organizada em grupos bem definidos; David não foi pelo mesmo caminho da vitória anterior, mas, colocou-se atrás da Rocha (que é Jesus), e que estava entre ele e seus adversários e então passou debaixo das amoreiras; Alguns comandos de Deus são difíceis de entender, porque nós não sabemos o que Ele fará. Lembro-me agora das histórias da família Shakarian e dos armênios que migraram para os Estados Unidos, e por isso foram livres da aniquilação vindoura, com a ocupação russa, e melhor que isso participaram do maior avivamento conhecido desde os tempos bíblicos: O avivamento de Los Angeles, na Azuza Street. Tenho compartilhado com vários amigos, com origem européia comprovada: Corram tirem seus passaportes europeus, e minha indagação sempre é a mesma: Será que daqui a alguns anos haverá chance para pregadores entrarem na Europa, se não de maneira legal? O apóstolo Paulo, rabino, cidadão romano, poliglota, pôde ser usado por Deus, porque havia se preparado para isso. O aprendizado sobre a cultura, o idioma, técnicas de liderança, administração, podem não apenas abrir portas, mas, serem o Pêndulo da balança que mostrarão se você poderá ser muito ou pouco usado por Deus. O fracasso dos seminários teológicos com as “Homiléticas” todas, tem gerado um outro extremo de pessoas despreparadas e inaptas para qualquer desafio. Até para o ensino das escrituras, por serem ignorantes, semi-analfabetas, e orgulhosas, achando que Deus as pode usar assim mesmo! Quantos estão dizendo, não vou para as universidades, porque quero ser usado por Deus, quero ir para o ministério, quero estar disponível para Deus. Irmãos amados deixem Deus usá-los na faculdade, no cursinho, no colegial, na escola fundamental, no trabalho, na praia, nas férias, nos cursos de idiomas, na sua igreja, porque se você não influenciar pessoas no seu dia a dia, se não houver um romper de Deus, através do que Deus tem te dado, ou mostrado, nos teus círculos mais restritos de relacionamentos, como poderá Deus te confiar o muito? (leia-se: O Mundo?). Cavem neste vale covas e covas. Tenho certeza de que todos se molharão com as águas que estão para correr nestes próximos tempos, mas, quantos poderão reter e usar este derramar que Deus está para liberar? Como voz profética declaro: Preparem-se! Não tenho dúvidas que Deus está para derramar o maior manifestar da Sua Presença e Poder de todos os tempos. Preparem-se para serem usados neste tempo. Aperfeiçoem-se, reúnam pessoas que estarão ao vosso lado, acertem sua vida financeira, não contraiam mais dívidas, ensinem outras pessoas a fazerem o que você faz, falem mais de um idioma, e principalmente o idioma para o local onde Deus lhes têm chamado. Estudem sobre o povo, aprendam a fazer algo que lhe possam sustentar sem depender de recursos de igrejas, de pessoas ou de estruturas formais de trabalho, irmãos desçam as velas, o vento está soprando, o barco vai ganhar velocidade. As águas estão chegando! Como ELISHA disse aos reis, e isso ainda será pouco! Deus trará confusão entre teus inimigos e eles confundidos serão entregues em tuas mãos. Ou seja, se você estiver com sede, Venha a
  36. 36. 36Meu pai, meu pai Jesus Cristo e beba, porque além de saciado, teus inimigos no fim te serão entregues. Este é o resumo desse desafio que Deus coloca diante de nós. Jesus disse a Pedro, que ele estava recebendo as Chaves do Reino dos Céus, e que as portas do inferno não prevaleceriam contra a Igreja. Aleluia! É isso, para alguém que tem chaves portas fechadas não se apresentam como grandes desafios! Se tivermos a Presença de Deus, a Água da Vida, nós nos tornaremos fontes dessas águas. Num evento promovido anos atrás pelas igrejas em células na cidade de São Paulo, sob a organização da apóstola Valnice Milhomens, estive presente numa noite em que César Castelhanos ministrava com muita Graça a Palavra de Deus. Era uma noite muito fria, e eu estava com uma gripe tão forte que só a certeza que Deus queria fazer algo com minha vida ali me mantiveram firme. O apóstolo Castelhanos depois de uma longa ministração sobre entregar para Deus o que Ele nos pedia e não o que queríamos entregar foi feito um apelo, para que pela segunda vez pessoas fossem à frente entregar ofertas, baseadas naquela palavra ali ministrada. Eu já na primeira vez, havia deixado todo o dinheiro que possuía, e perguntei para Deus, o que deveria entregar, e logo Deus me mostrou, os sapatos que calçava... Meus queridos leitores era um sapato de couro, que havia comprado na Argentina, e pelo qual nutria eu um enorme zelo. Bem eu sabia que Deus havia falado comigo, e fui em frente, extremamente constrangido, de não querer chamar para mim a atenção devida a Deus. Foi muito engraçado, no final da reunião pessoas que vinham me cumprimentar, olharem para meus pés e demonstrarem uma expressão de pena, do maluco que estava diante deles. Bem, isso aconteceu num sábado, logo na segunda feira, eu fechei a maior quantidade de processos de uma só vez, em todo o tempo em que advoguei. Casos semelhantes a este aconteceram muitas vezes em minha vida, e nunca eu consegui vencer a Deus, neste pacto com meus sapatos. Já entreguei uns dez pares, em situações diferentes, todas às vezes porque ouvi Deus claramente me pedir. Deus fez tantos milagres com estas entregas que entre eu minha esposa e filhinha, ganhamos só de sapatos, quase dez vezes mais o número de sapatos que ofertei, sem falar, outras tantas coisas que Deus me respondeu cada vez que me pediu algo assim. Por fim conto que ministrando numa igreja que está debaixo de minha cobertura ministerial, falei sobre este assunto e motivei que a igreja inteira fosse descalça para casa. Nunca vi uma resposta mais poderosa! Quase cem pares de sapato foram entregues naquela noite, dias depois aquela igreja conseguiu comprar um terreno numa área nobre de sua cidade, já construíram a estrutura primária do complexo que Deus lhes tem dado, porque a cidade foi naquela noite conquistada por aquela entrega e pelo Reino de Deus que foi espalhado ali, quando cada irmão naquela noite foi para sua casa a pé orando por sua cidade. Louvado seja Jesus Cristo Senhor nosso! Portanto, cavem covas e covas!
  37. 37. 37Meu pai, meu pai w – Da realidade para a sobrenaturalidade Continuando na mesma graça do capitulo anterior, lembro-me de um dia, quando estávamos começando a pastorear a igreja apostólica Betlehem, cheguei com minha esposa ao culto orando, porque estávamos quase sem combustível para o carro, e não tínhamos dinheiro algum para abastecer. Encostei o carro em frente à igreja e subimos para o local de cultos. Como em toda a reunião damos oportunidades para que todos adorem a Deus com suas ofertas e dízimos, alguém ministrou e convidou toda a congregação a ofertar. Eu perguntei para Deus sobre o que poderia entregar já que não tinha nenhum dinheiro. Claro que pensei que a Voz terna do Pai, me diria: Meu filho amado, há dias de semear e dias de colher o que foi semeado, hoje é um dia da segunda opção... Mas, Deus me disse: E que tal este par de sapatos? Ui! Já havia experimentado a Mão de Deus desta maneira, e apenas pedi que os irmãos que me assistiram pregar, não reputassem seu pastor como um louco, por estar de terno, gravata e descalço. Bem, o que não percebi, foi que logo no início da reunião uma pessoa pediu para minha esposa as chaves de nosso carro, para poder estacionar melhor. Quando no encerramento de nosso serviço, fomos para o carro, com sinceridade, não sabia o que fazer, porque não tinha mesmo condições, nem combustível para retornar para minha residência. Quando dei com a chave no contato do automóvel, quase repreendi o ponteiro de combustível, achando que poderia ser fruto de “endemoninhamento zombador”, porque ele satiricamente foi para o lado oposto, de onde deveria estar. Fiquei estarrecido, crendo realmente que era algum defeito depois de muito tempo sem vida (combustível), abaixei o protetor do sol do carro, e me caiu um envelope, onde estava escrito: “Os que esperam no Senhor, renovam as suas forças”. Liguei para a pessoa que me mandou aquele bilhete, claro querendo agradecer, porque dentro do envelope havia uma quantia de dinheiro que era o suficiente até o nosso próximo recebimento de salários, além do tanque cheio do veículo. Aquela pessoa disse a mim, que quando chegou à igreja, Deus lhe mostrou o tanque do meu carro, e ele realmente constatou que estava completamente vazio, e que eu deveria agradecer a Deus por aquele grande livramento. Aleluia! Conheci uma história de quando meu pai ainda era solteiro, na igreja onde se converteu, que uma mulher muito simples, mãe de quatro filhos, andava quilômetros, para dirigir-se para a igreja, na escola dominical, sempre com os filhos descalços porque não possuíam recursos para comprar sapatos. Meu pai acertou com esta mulher e seus filhos um encontro na rua do comércio mais famosa de Bauru- SP (Minha cidade natal), para uma surpresa. Quando aquela querida irmã chega na loja de sapatos, começa a chorar ao ver todos os filhos muito bem calçados. Ela disse abençoando meu pai: “- Nunca em toda a tua vida, na vida de seus filhos, netos e bisnetos, jamais haverá falta de sapatos, porque Deus fez uma aliança contigo por causa da tua ação”. Para a Glória de Jesus Cristo, tanto minha esposa quanto eu temos experimentado isso, e como nos alegra que até minha filhinha entrou nesta bênção e já possui mais de uma dezena de sapatos, para o Louvor da Glória do Pai.

×