SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
“SÍNDROME DE GAFANHOTO”.
Nm 13:1-3;17-33Nm 13:1-3;17-33
INTRODUÇÃO
É lamentável constatar como tantos cristãos vivem dominados pelo complexo de
inferioridade, esmagados pela prejudicada auto-estima, com a auto-imagem achatada.
São pessoas que vivem amargando e curtindo um profundo sentimento de auto-repúdio
e desvalor.
Estes olham para dentro de si mesmos e enxergam-se com lentes embaçadas e olhos
míopes, tendo de si mesmos os conceitos mais distorcidos. Há pessoas que são como os dez
espias de Israel.
Eles eram príncipes, nobres, homens de valor. Foram escolhidos criteriosamente por
serem fortes, inteligentes, líderes, representantes ilustres de suas tribos.
Eram príncipes, mas sentiram-se diminuídos diante dos gigantes. Eram nobres, mas
sentiram-se desprezíveis, eram valorosos, mas sentiram se como insetos. Foram tomados
por um sentimento doentio de auto-desvalorização e de impotência.
Aqueles dez espias conseguiram contaminar todo o arraial de Israel com o seu
pessimismo e toda aquela multidão se alvoroçou rebelada contra Moisés, revoltando-se
contra Deus, porque foi envenenada pela síndrome de gafanhoto. Toda aquela multidão
perambulou quarenta anos no deserto, porque deu ouvidos à voz dos mensageiros do caos e
não às promessas do Deus fiel.
Vejamos no livro de números, cap 13 e 14 o que
produz a “SÍNDROME DE GAFANHOTO”.
É um sentimento doentio de auto-desvalorização e de impotência.
I - OS SINTOMAS DA SÍNDROME DE
GAFANHOTO.
“Não poderemos subir...”
(Nm 13.31).
Estes homens anulam a palavra
de Deus, duvidam do seu poder
e só enxergaram os obstáculos.
Tiraram os olhos de Deus e só
olharam para as circunstâncias
adversas. Naufragaram como
Pedro no mar da Galiléia.
1. Senso de fraqueza.
2. Complexo de inferioridade.
“... porque é mais forte do
que nós”. (Nm 13.31).
De fato, as cidades que
eles deviam conquistar
eram grandes, mas Deus é
o Todo-Poderoso.
"E diante dos filhos de
Israel, infamaram a terra"
(Nm13.32).
Quando as pessoas estão
contaminadas por este
maldito vírus do
pessimismo, elas difamam
a Deus e dispensam suas
bênçãos. Escarnecem das
promessas divinas e se
tornam pregoeiras do
desânimo.
3. Mensageiros do caos.
“... e éramos aos nossos
próprios olhos como
gafanhotos..." (Nm 13.33).
Eles eram príncipes, mas se
encolheram. Sentiram-se
como insetos, sob a bata de
gigantes. De príncipes a
gafanhoto, de filhos do rei a
insetos.
4. Fraca auto-estima.
5. Visão distorcida da realidade.
“... éramos gafanhotos aos seus olhos"
(Nm 13.33).
Aqueles espias raciocinaram assim: eles
são gigantes, e nós anões; eles são fortes
e nós, fracos; eles são muitos e nós,
poucos; eles vivem em cidades
fortificadas e nós, no deserto; eles são
guerreiros e nós, peregrinos. Eles
olharam as coisas pelo avesso. Por isso,
arrastaram-se no pó, sentiram-se
indignos, menos do que príncipes,
menos do que homens, menos do que
gente, menos do que gafanhotos, insetos.
II - OS EFEITOS DA SINDROME DE
GAFANHOTO
1. Induz o povo ao desespero.
.. e o povo chorou aquela noite" (Nm
14.1).
Toda a congregação chorou. Só viram
as suas impossibilidades e não as
possibilidades de Deus. Ficaram
assombrados, estupefatos, arrasados.
Não viram saída. Não enxergaram
uma luz no fim do túnel. Para eles
não havia solução, não deram lugar a
fé. Por isso se entregaram ao choro do
desespero e da derrota.
“Todos os filhos de Israel murmuravam...” (Nm 14.2).
Na hora das dificuldades, em vez do povo se voltar
para Deus como libertador, viu-o como opressor.
Acusaram Moisés e Arão, e murmuraram contra eles.
3. Induz o povo à murmuração.
“... antes tivéssemos morrido no Egito" (Nm
14.2).
O povo, alvoroçado, esqueceu-se da bondade de
Deus, do livramento de Deus, das vitórias de
Deus. (Sl 103:1-2)
2. Induz o povo à ingratidão.
4. Induz ao atrevimento contra Deus.
"E por que nos traz o Senhor a esta terra,
para cairmos à espada..." (Nm 14.3).
Contaminados pela síndrome de
gafanhoto, o povo acusou a Deus.
Infamaram o Senhor. Insultaram com
palavras vis o Deus Todo-Poderoso
dizendo Deus era o causador de seu
infortúnio e o responsável pela crise que
estavam vivendo . Pensaram ser mais
sábios do que Deus.
5. Induz à apostasia.
"Não seria melhor voltarmos para o
Egito?" (Nm 14.3).
Não há nada que entristeça mais o
coração de Deus do que ver o seu povo
arrependido de ter-se arrependido. Nada
fere mais o coração de Deus do que ver o
seu povo insultar a Sua graça e querer
voltar atrás, sentindo saudades do Egito.
Aquele povo se pôs cansado de Deus, da
Sua direção, da Sua companhia e de Seu
sustento. Eles se esqueceram dos
benefícios de Deus e dos açoites dos
carrascos.
6. Induz à amotinação.
"Levantemos um para o nosso capitão, e voltemos para o
Egito” (Nm 14.4).
O povo, inflamado pelos espias, queria agora outros líderes
que os guiassem de volta para o Egito. Eles se rebelaram
contra Deus e rejeitaram o conselho de Moisés. Houve uma
rebelião, um motim, uma conspiração com trágicas
conseqüências no arraial do povo de Deus.
7. Induz ao medo do inimigo.
8. Induz à perseguição contra a liderança
instituída por Deus.
“... toda a congregação disse que os apedrejassem” (Nm
14.10).
Em vez de obedecer à voz de Deus, o povo rebelde decidiu
apedrejar os líderes que Deus constituíra. Não queriam mudar
de vida, e por isso, queriam mudar de liderança.
III - O QUE FAZER QUANDO SE CONSTATAIII - O QUE FAZER QUANDO SE CONSTATA
QUE O POVO ESTÁ AFETADO PELAQUE O POVO ESTÁ AFETADO PELA
SINDROME DE GAFANHOTO?SINDROME DE GAFANHOTO?
1. Quebrantar-se diante de Deus.
"Então Moisés e Arão caíram
sobre os seus rostos... e Josué e
Calebe rasgaram as suas
vestes...” (Nm 14.5-6).
Na hora da crise aguda não
adianta discutir, brigar,
argumentar, fomentar, jogar
uns contra os outros e espalhar
boatos. É preciso
quebrantamento, humildade,
boca no pó.
2. Firmar-se nas promessas infalíveis da
Palavra de Deus.
"A terra pelo meio da qual
passamos a espiar é terra
muitíssima boa" (Nm 14.7).
Não devemos ser influenciados
pelos comentários, pelas
críticas e pela epidemia do
desânimo. Pelo contrário,
devemos nos arraigar na
Palavra de Deus e colocar nela
toda a nossa confiança.
3. Conhecer as estratégias de Deus para a
vitória.
• "Se o Senhor se agradar de nós”
(Nm 14.8). Quando Deus se agrada do Seu povo, ele se
torna imbatível.
•“... o Senhor é conosco; não temais”. (Nm 14.9).
A nossa vitória não advém da nossa força, mas da
presença de Deus conosco.
•“Tão somente não sejais rebeldes contra o
Senhor...” (Nm 14.9).
Não há vitória no arraial do povo de Deus enquanto
houver no seu meio a erva daninha da rebeldia.
Há três coisas que são princípios de DeusHá três coisas que são princípios de Deus
para erradicar do coração enfermo estapara erradicar do coração enfermo esta
terrível semente da síndrome de gafanhoto:terrível semente da síndrome de gafanhoto:
1. VOCÊ NÃO É O QUE VOCÊ1. VOCÊ NÃO É O QUE VOCÊ
PENSA QUE É.PENSA QUE É.
2. Você não é o que as
pessoas dizem que é.
3. Você é o que Deus diz que você
é.
CONCLUSÃO.
Devemos viver na terra prometida e
não no deserto. Somos valentes,
guerreiros, príncipes e não
gafanhotos. É hora de tapar os
ouvidos às vozes agourentas do
pessimismo e nos erguer com santa
ousadia para uma vida vitoriosa.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Armadura Celestial no Tempo do Fim
Armadura Celestial no Tempo do FimArmadura Celestial no Tempo do Fim
Armadura Celestial no Tempo do FimAnderson Damasceno
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblicovalmarques
 
As obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do EspíritoAs obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do EspíritoJoselito Machado
 
Os 7 (sete) vermes da destruição
Os 7 (sete) vermes da destruiçãoOs 7 (sete) vermes da destruição
Os 7 (sete) vermes da destruiçãoGaspar Neto
 
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiaisOs três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiaisEscola Bíblica Sem Fronteiras
 
1000 Esbocos para Sermoes
1000 Esbocos para Sermoes1000 Esbocos para Sermoes
1000 Esbocos para SermoesArlei Lima
 
Lição 8 A natureza do caráter cristão
Lição 8   A natureza do caráter cristãoLição 8   A natureza do caráter cristão
Lição 8 A natureza do caráter cristãoWander Sousa
 
1000 Mil esboços para sermões e pregações
1000 Mil esboços para sermões e pregações1000 Mil esboços para sermões e pregações
1000 Mil esboços para sermões e pregaçõesGesiel Oliveira
 
Lição 11 - O discipulado de Jesus e o serviço cristão
Lição 11 - O discipulado de Jesus e o serviço cristãoLição 11 - O discipulado de Jesus e o serviço cristão
Lição 11 - O discipulado de Jesus e o serviço cristãoÉder Tomé
 
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasLBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasNatalino das Neves Neves
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Maduraguestc5d870
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadeIBMemorialJC
 

Mais procurados (20)

Armadura Celestial no Tempo do Fim
Armadura Celestial no Tempo do FimArmadura Celestial no Tempo do Fim
Armadura Celestial no Tempo do Fim
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
 
A armadura de_deus_completa
A armadura de_deus_completaA armadura de_deus_completa
A armadura de_deus_completa
 
As obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do EspíritoAs obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do Espírito
 
Os 7 (sete) vermes da destruição
Os 7 (sete) vermes da destruiçãoOs 7 (sete) vermes da destruição
Os 7 (sete) vermes da destruição
 
O poder da palavra de Deus
O poder da palavra de DeusO poder da palavra de Deus
O poder da palavra de Deus
 
O pecado de Davi
O pecado de DaviO pecado de Davi
O pecado de Davi
 
Romanos 12
Romanos   12Romanos   12
Romanos 12
 
A armadura de deus
A armadura de deusA armadura de deus
A armadura de deus
 
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiaisOs três campos de batalha   parte 3 - nas regiões celestiais
Os três campos de batalha parte 3 - nas regiões celestiais
 
1000 Esbocos para Sermoes
1000 Esbocos para Sermoes1000 Esbocos para Sermoes
1000 Esbocos para Sermoes
 
Lição 8 A natureza do caráter cristão
Lição 8   A natureza do caráter cristãoLição 8   A natureza do caráter cristão
Lição 8 A natureza do caráter cristão
 
Vencendo pecado
Vencendo pecadoVencendo pecado
Vencendo pecado
 
As dez virgens
As dez virgensAs dez virgens
As dez virgens
 
Apóstolo Paulo
Apóstolo PauloApóstolo Paulo
Apóstolo Paulo
 
1000 Mil esboços para sermões e pregações
1000 Mil esboços para sermões e pregações1000 Mil esboços para sermões e pregações
1000 Mil esboços para sermões e pregações
 
Lição 11 - O discipulado de Jesus e o serviço cristão
Lição 11 - O discipulado de Jesus e o serviço cristãoLição 11 - O discipulado de Jesus e o serviço cristão
Lição 11 - O discipulado de Jesus e o serviço cristão
 
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfiasLBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
LBA Lição 7 - Benignidade, um escudo protetor contra as porfias
 
Marcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa MaduraMarcas De Uma Pessoa Madura
Marcas De Uma Pessoa Madura
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
 

Semelhante a Principes de Deus

Príncipes e não gafanhotos [modo de compatibilidade]
Príncipes e não gafanhotos [modo de compatibilidade]Príncipes e não gafanhotos [modo de compatibilidade]
Príncipes e não gafanhotos [modo de compatibilidade]Claudio Melo David
 
OS PERIGOS DA INCREDULIDADE.docx
OS PERIGOS DA INCREDULIDADE.docxOS PERIGOS DA INCREDULIDADE.docx
OS PERIGOS DA INCREDULIDADE.docxCelso Lanes
 
Abraão: o primeiro missionário_232015
Abraão: o primeiro missionário_232015Abraão: o primeiro missionário_232015
Abraão: o primeiro missionário_232015Gerson G. Ramos
 
Aula 13 - Juízes
Aula 13 - JuízesAula 13 - Juízes
Aula 13 - Juízesibrdoamor
 
Malaquias - Cap. 03 parte 01
Malaquias - Cap. 03 parte 01Malaquias - Cap. 03 parte 01
Malaquias - Cap. 03 parte 01Daniel M Junior
 
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRRespostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRGerson G. Ramos
 
oracao_pelo_brasil.pdf
oracao_pelo_brasil.pdforacao_pelo_brasil.pdf
oracao_pelo_brasil.pdfpontojb
 
Neemias - O poder da oração
Neemias - O poder da oraçãoNeemias - O poder da oração
Neemias - O poder da oraçãoRogerio Zafalão
 
Lição 11 - A soberba precede a ruína
Lição 11 - A soberba precede a ruínaLição 11 - A soberba precede a ruína
Lição 11 - A soberba precede a ruínaÉder Tomé
 
❉ Respostas 7 - A crise continua_GGR
❉ Respostas 7 - A crise continua_GGR❉ Respostas 7 - A crise continua_GGR
❉ Respostas 7 - A crise continua_GGRGerson G. Ramos
 
O Pecado Contra o Espírito Santo - Horatius Bonar
O Pecado Contra o Espírito Santo - Horatius BonarO Pecado Contra o Espírito Santo - Horatius Bonar
O Pecado Contra o Espírito Santo - Horatius BonarSilvio Dutra
 
Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016
Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016
Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016Pr. Andre Luiz
 
10 provação e triunfo com dario
10 provação e triunfo com dario10 provação e triunfo com dario
10 provação e triunfo com darioDiego Fortunatto
 
Desejo de um historiador
Desejo de um historiadorDesejo de um historiador
Desejo de um historiadorJoana Rites
 
O Livro dos Juizes
O Livro dos JuizesO Livro dos Juizes
O Livro dos JuizesÉlida Rolim
 
❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR
❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR
❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGRGerson G. Ramos
 
14 numeros 11 25
14 numeros 11   2514 numeros 11   25
14 numeros 11 25PIB Penha
 

Semelhante a Principes de Deus (20)

Príncipes e não gafanhotos [modo de compatibilidade]
Príncipes e não gafanhotos [modo de compatibilidade]Príncipes e não gafanhotos [modo de compatibilidade]
Príncipes e não gafanhotos [modo de compatibilidade]
 
OS PERIGOS DA INCREDULIDADE.docx
OS PERIGOS DA INCREDULIDADE.docxOS PERIGOS DA INCREDULIDADE.docx
OS PERIGOS DA INCREDULIDADE.docx
 
Abraão: o primeiro missionário_232015
Abraão: o primeiro missionário_232015Abraão: o primeiro missionário_232015
Abraão: o primeiro missionário_232015
 
Aula 13 - Juízes
Aula 13 - JuízesAula 13 - Juízes
Aula 13 - Juízes
 
Malaquias - Cap. 03 parte 01
Malaquias - Cap. 03 parte 01Malaquias - Cap. 03 parte 01
Malaquias - Cap. 03 parte 01
 
8 amos
8 amos8 amos
8 amos
 
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGRRespostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
Respostas_732016_Jesus desejava o bem das pessoas_GGR
 
oracao_pelo_brasil.pdf
oracao_pelo_brasil.pdforacao_pelo_brasil.pdf
oracao_pelo_brasil.pdf
 
Neemias oração
Neemias oraçãoNeemias oração
Neemias oração
 
Neemias - O poder da oração
Neemias - O poder da oraçãoNeemias - O poder da oração
Neemias - O poder da oração
 
Lição 11 - A soberba precede a ruína
Lição 11 - A soberba precede a ruínaLição 11 - A soberba precede a ruína
Lição 11 - A soberba precede a ruína
 
❉ Respostas 7 - A crise continua_GGR
❉ Respostas 7 - A crise continua_GGR❉ Respostas 7 - A crise continua_GGR
❉ Respostas 7 - A crise continua_GGR
 
O Pecado Contra o Espírito Santo - Horatius Bonar
O Pecado Contra o Espírito Santo - Horatius BonarO Pecado Contra o Espírito Santo - Horatius Bonar
O Pecado Contra o Espírito Santo - Horatius Bonar
 
Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016
Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016
Adorando a Deus em Meio a Calamidade - Lição 10 - 4ºTrimestre 2016
 
Incredulidade ou Fé - Qual a Realidade da sua Vida?
Incredulidade ou Fé - Qual a Realidade da sua Vida?Incredulidade ou Fé - Qual a Realidade da sua Vida?
Incredulidade ou Fé - Qual a Realidade da sua Vida?
 
10 provação e triunfo com dario
10 provação e triunfo com dario10 provação e triunfo com dario
10 provação e triunfo com dario
 
Desejo de um historiador
Desejo de um historiadorDesejo de um historiador
Desejo de um historiador
 
O Livro dos Juizes
O Livro dos JuizesO Livro dos Juizes
O Livro dos Juizes
 
❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR
❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR
❉ Respostas 2 - A crise (interna e externa)_GGR
 
14 numeros 11 25
14 numeros 11   2514 numeros 11   25
14 numeros 11 25
 

Mais de Paulo Roberto

Três campos de batalha espiritual
Três campos de batalha espiritualTrês campos de batalha espiritual
Três campos de batalha espiritualPaulo Roberto
 
Sinais que antecedem a volta de cristo
Sinais que antecedem a volta de cristoSinais que antecedem a volta de cristo
Sinais que antecedem a volta de cristoPaulo Roberto
 
O Cristão e os perigos das "Redes" Sociais
O Cristão e os perigos das "Redes" Sociais O Cristão e os perigos das "Redes" Sociais
O Cristão e os perigos das "Redes" Sociais Paulo Roberto
 
Principios de autoridade
Principios de autoridadePrincipios de autoridade
Principios de autoridadePaulo Roberto
 
O cristão e o perdão
O cristão e  o perdãoO cristão e  o perdão
O cristão e o perdãoPaulo Roberto
 
Como dirigir um culto
Como dirigir um cultoComo dirigir um culto
Como dirigir um cultoPaulo Roberto
 
A igrea e a disciplina
A igrea e a disciplinaA igrea e a disciplina
A igrea e a disciplinaPaulo Roberto
 

Mais de Paulo Roberto (11)

Três campos de batalha espiritual
Três campos de batalha espiritualTrês campos de batalha espiritual
Três campos de batalha espiritual
 
Sinais que antecedem a volta de cristo
Sinais que antecedem a volta de cristoSinais que antecedem a volta de cristo
Sinais que antecedem a volta de cristo
 
O Cristão e os perigos das "Redes" Sociais
O Cristão e os perigos das "Redes" Sociais O Cristão e os perigos das "Redes" Sociais
O Cristão e os perigos das "Redes" Sociais
 
Principios de autoridade
Principios de autoridadePrincipios de autoridade
Principios de autoridade
 
O cristão e o perdão
O cristão e  o perdãoO cristão e  o perdão
O cristão e o perdão
 
Aliança perigosa
Aliança perigosaAliança perigosa
Aliança perigosa
 
Ceia do Senhor
Ceia do SenhorCeia do Senhor
Ceia do Senhor
 
Andar com cristo
Andar com cristoAndar com cristo
Andar com cristo
 
Como dirigir um culto
Como dirigir um cultoComo dirigir um culto
Como dirigir um culto
 
Desperta Igreja
Desperta IgrejaDesperta Igreja
Desperta Igreja
 
A igrea e a disciplina
A igrea e a disciplinaA igrea e a disciplina
A igrea e a disciplina
 

Último

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoFabioLofrano
 
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Priscilatrigodecamar
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentaçãoantonio211075
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaNilson Almeida
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...M.R.L
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptxPIB Penha
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024LeonardoQuintanilha4
 

Último (14)

Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
Auxiliar adolescentes 2° trimestre de 2024.
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - ApresentaçãoCurso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
Curso Básico de Teologia - Bibliologia - Apresentação
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
ESQUEMA PARA LECTIO DIVINA PARA LEIGOS 2024
 

Principes de Deus

  • 1.
  • 2.
  • 3. “SÍNDROME DE GAFANHOTO”. Nm 13:1-3;17-33Nm 13:1-3;17-33
  • 4. INTRODUÇÃO É lamentável constatar como tantos cristãos vivem dominados pelo complexo de inferioridade, esmagados pela prejudicada auto-estima, com a auto-imagem achatada. São pessoas que vivem amargando e curtindo um profundo sentimento de auto-repúdio e desvalor. Estes olham para dentro de si mesmos e enxergam-se com lentes embaçadas e olhos míopes, tendo de si mesmos os conceitos mais distorcidos. Há pessoas que são como os dez espias de Israel. Eles eram príncipes, nobres, homens de valor. Foram escolhidos criteriosamente por serem fortes, inteligentes, líderes, representantes ilustres de suas tribos. Eram príncipes, mas sentiram-se diminuídos diante dos gigantes. Eram nobres, mas sentiram-se desprezíveis, eram valorosos, mas sentiram se como insetos. Foram tomados por um sentimento doentio de auto-desvalorização e de impotência. Aqueles dez espias conseguiram contaminar todo o arraial de Israel com o seu pessimismo e toda aquela multidão se alvoroçou rebelada contra Moisés, revoltando-se contra Deus, porque foi envenenada pela síndrome de gafanhoto. Toda aquela multidão perambulou quarenta anos no deserto, porque deu ouvidos à voz dos mensageiros do caos e não às promessas do Deus fiel.
  • 5. Vejamos no livro de números, cap 13 e 14 o que produz a “SÍNDROME DE GAFANHOTO”. É um sentimento doentio de auto-desvalorização e de impotência.
  • 6. I - OS SINTOMAS DA SÍNDROME DE GAFANHOTO.
  • 7. “Não poderemos subir...” (Nm 13.31). Estes homens anulam a palavra de Deus, duvidam do seu poder e só enxergaram os obstáculos. Tiraram os olhos de Deus e só olharam para as circunstâncias adversas. Naufragaram como Pedro no mar da Galiléia. 1. Senso de fraqueza.
  • 8. 2. Complexo de inferioridade. “... porque é mais forte do que nós”. (Nm 13.31). De fato, as cidades que eles deviam conquistar eram grandes, mas Deus é o Todo-Poderoso.
  • 9. "E diante dos filhos de Israel, infamaram a terra" (Nm13.32). Quando as pessoas estão contaminadas por este maldito vírus do pessimismo, elas difamam a Deus e dispensam suas bênçãos. Escarnecem das promessas divinas e se tornam pregoeiras do desânimo. 3. Mensageiros do caos.
  • 10. “... e éramos aos nossos próprios olhos como gafanhotos..." (Nm 13.33). Eles eram príncipes, mas se encolheram. Sentiram-se como insetos, sob a bata de gigantes. De príncipes a gafanhoto, de filhos do rei a insetos. 4. Fraca auto-estima.
  • 11. 5. Visão distorcida da realidade. “... éramos gafanhotos aos seus olhos" (Nm 13.33). Aqueles espias raciocinaram assim: eles são gigantes, e nós anões; eles são fortes e nós, fracos; eles são muitos e nós, poucos; eles vivem em cidades fortificadas e nós, no deserto; eles são guerreiros e nós, peregrinos. Eles olharam as coisas pelo avesso. Por isso, arrastaram-se no pó, sentiram-se indignos, menos do que príncipes, menos do que homens, menos do que gente, menos do que gafanhotos, insetos.
  • 12. II - OS EFEITOS DA SINDROME DE GAFANHOTO
  • 13. 1. Induz o povo ao desespero. .. e o povo chorou aquela noite" (Nm 14.1). Toda a congregação chorou. Só viram as suas impossibilidades e não as possibilidades de Deus. Ficaram assombrados, estupefatos, arrasados. Não viram saída. Não enxergaram uma luz no fim do túnel. Para eles não havia solução, não deram lugar a fé. Por isso se entregaram ao choro do desespero e da derrota.
  • 14. “Todos os filhos de Israel murmuravam...” (Nm 14.2). Na hora das dificuldades, em vez do povo se voltar para Deus como libertador, viu-o como opressor. Acusaram Moisés e Arão, e murmuraram contra eles. 3. Induz o povo à murmuração. “... antes tivéssemos morrido no Egito" (Nm 14.2). O povo, alvoroçado, esqueceu-se da bondade de Deus, do livramento de Deus, das vitórias de Deus. (Sl 103:1-2) 2. Induz o povo à ingratidão.
  • 15. 4. Induz ao atrevimento contra Deus. "E por que nos traz o Senhor a esta terra, para cairmos à espada..." (Nm 14.3). Contaminados pela síndrome de gafanhoto, o povo acusou a Deus. Infamaram o Senhor. Insultaram com palavras vis o Deus Todo-Poderoso dizendo Deus era o causador de seu infortúnio e o responsável pela crise que estavam vivendo . Pensaram ser mais sábios do que Deus.
  • 16. 5. Induz à apostasia. "Não seria melhor voltarmos para o Egito?" (Nm 14.3). Não há nada que entristeça mais o coração de Deus do que ver o seu povo arrependido de ter-se arrependido. Nada fere mais o coração de Deus do que ver o seu povo insultar a Sua graça e querer voltar atrás, sentindo saudades do Egito. Aquele povo se pôs cansado de Deus, da Sua direção, da Sua companhia e de Seu sustento. Eles se esqueceram dos benefícios de Deus e dos açoites dos carrascos.
  • 17. 6. Induz à amotinação. "Levantemos um para o nosso capitão, e voltemos para o Egito” (Nm 14.4). O povo, inflamado pelos espias, queria agora outros líderes que os guiassem de volta para o Egito. Eles se rebelaram contra Deus e rejeitaram o conselho de Moisés. Houve uma rebelião, um motim, uma conspiração com trágicas conseqüências no arraial do povo de Deus.
  • 18. 7. Induz ao medo do inimigo.
  • 19. 8. Induz à perseguição contra a liderança instituída por Deus. “... toda a congregação disse que os apedrejassem” (Nm 14.10). Em vez de obedecer à voz de Deus, o povo rebelde decidiu apedrejar os líderes que Deus constituíra. Não queriam mudar de vida, e por isso, queriam mudar de liderança.
  • 20. III - O QUE FAZER QUANDO SE CONSTATAIII - O QUE FAZER QUANDO SE CONSTATA QUE O POVO ESTÁ AFETADO PELAQUE O POVO ESTÁ AFETADO PELA SINDROME DE GAFANHOTO?SINDROME DE GAFANHOTO?
  • 21. 1. Quebrantar-se diante de Deus. "Então Moisés e Arão caíram sobre os seus rostos... e Josué e Calebe rasgaram as suas vestes...” (Nm 14.5-6). Na hora da crise aguda não adianta discutir, brigar, argumentar, fomentar, jogar uns contra os outros e espalhar boatos. É preciso quebrantamento, humildade, boca no pó.
  • 22. 2. Firmar-se nas promessas infalíveis da Palavra de Deus. "A terra pelo meio da qual passamos a espiar é terra muitíssima boa" (Nm 14.7). Não devemos ser influenciados pelos comentários, pelas críticas e pela epidemia do desânimo. Pelo contrário, devemos nos arraigar na Palavra de Deus e colocar nela toda a nossa confiança.
  • 23. 3. Conhecer as estratégias de Deus para a vitória. • "Se o Senhor se agradar de nós” (Nm 14.8). Quando Deus se agrada do Seu povo, ele se torna imbatível. •“... o Senhor é conosco; não temais”. (Nm 14.9). A nossa vitória não advém da nossa força, mas da presença de Deus conosco. •“Tão somente não sejais rebeldes contra o Senhor...” (Nm 14.9). Não há vitória no arraial do povo de Deus enquanto houver no seu meio a erva daninha da rebeldia.
  • 24. Há três coisas que são princípios de DeusHá três coisas que são princípios de Deus para erradicar do coração enfermo estapara erradicar do coração enfermo esta terrível semente da síndrome de gafanhoto:terrível semente da síndrome de gafanhoto:
  • 25. 1. VOCÊ NÃO É O QUE VOCÊ1. VOCÊ NÃO É O QUE VOCÊ PENSA QUE É.PENSA QUE É.
  • 26. 2. Você não é o que as pessoas dizem que é.
  • 27. 3. Você é o que Deus diz que você é.
  • 28. CONCLUSÃO. Devemos viver na terra prometida e não no deserto. Somos valentes, guerreiros, príncipes e não gafanhotos. É hora de tapar os ouvidos às vozes agourentas do pessimismo e nos erguer com santa ousadia para uma vida vitoriosa.

Notas do Editor

  1. conjunto de sinais que indica de uma doença
  2. OS SINTOMAS DA SÍNDROME DE GAFANHOTO.Arauto= alguém que transmitia mensagens, anunciava a guerra e proclamava a paz: "
  3. OS SINTOMAS DA SÍNDROME DE GAFANHOTO.
  4. OS SINTOMAS DA SÍNDROME DE GAFANHOTO.
  5. OS SINTOMAS DA SÍNDROME DE GAFANHOTO.
  6. OS SINTOMAS DA SÍNDROME DE GAFANHOTO.
  7. Quais os resultados da síndrome do gafanhoto?
  8. OS EFEITOS DA SINDROME DE GAFANHOTO
  9. OS EFEITOS DA SINDROME DE GAFANHOTO
  10. OS EFEITOS DA SINDROME DE GAFANHOTO, eles não tinham coragem para enfrentarem os inimigos, mas para enfrentarem a Deus sim.
  11. OS EFEITOS DA SINDROME DE GAFANHOTO, Ofender a dignidade de; difamar, injuriar, insultar,
  12. OS EFEITOS DA SINDROME DE GAFANHOTO: rebelião dos subordinados aos superiores
  13. OS EFEITOS DA SINDROME DE GAFANHOTO
  14. OS EFEITOS DA SINDROME DE GAFANHOTO, vamos tirar o pastor porque ele vai acabar com a igreja
  15. Quais os resultados da síndrome do gafanhoto?
  16. Quais os resultados da síndrome do gafanhoto?