Paula Andressa Oliveira
MENINGITES
DEFINIÇÃO
www.medicinageriatrica.com.br
EPIDEMIOLOGIA
www.encephalitisindia.org
EPIDEMIOLOGIA
•
MENINGITE NEONATAL
(SEALE, 2013)
AGENTES ETIOLÓGICOS
(BRASIL, 2014)
AGENTES ETIOLÓGICOS
•
MENINGITES BACTERIANAS
Neisseria
meningitidis
Streptococcus
pneumoniae
Haemophilus
influenzae
(BRASIL...
AGENTES ETIOLÓGICOS
•
MENINGITE BACTERIANA NEONATAL
SEPSE: 85%
MENINGITE: 7%
(SCHRAG, 2010)
AGENTES ETIOLÓGICOS
•
MENINGITES VIRAIS
VÍRUS DE RNA VÍRUS DE DNA
ENTEROVÍRUS ADENOVÍRUS
VÍRUS DO SARAMPO VÍRUS DO GRUPO H...
MODO DE TRANSMISSÃO
www.medicinageriatrica.com.br
http://www.thetimes.co.uk/tto/multimedia/archive/00328/Test_328900c.jpg
...
CARACTERÍSTICAS
PERÍODO DE
INCUBAÇÃO
PERÍODO DE
TRANSMISSIBILIDADE
2 A 10 DIAS
VARIÁVEL
SUSCETIBILIDADE < 5 ANOS
(BRASIL, ...
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
SÍNDROME
INFECCIOSA
SÍNDROME DE
HIPERTENSÃO
INTRACRANIANA
SÍNDROME DO
COMPROMETIMENTO
MENÍNGEO
(LAC...
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
SÍNDROME
INFECCIOSA
http://www.brazilianpress.com
http://www.brazilianpress.com
(LACERDA, 2003)
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
SÍNDROME DE
HIPERTENSÃO
INTRACRANIANA
circecassandra.wordpress.com
slideplayer.com.br
(LACERDA, 200...
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
SÍNDROME DO
COMPROMETIMENTO
MENÍNGEO
http://www.manmed.de
(LACERDA, 2003)
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
•
Sinais de irritação meníngea
http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/images/ency/fullsize/19069.j...
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
•
Crianças < 9 meses
– Febre
– Choro persistente
– Grito meníngeo
– Vômitos
– Convulsões
– Abaulame...
MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS
MENINGITES
BACTERIANAS MENINGITES VIRAIS
(BRASIL, 2009)
DOENÇA MENINGOCÓCICA
MENINGITE
MENINGOCOCCEMIA EMERGÊNCIA MÉDICA
(BRASIL, 2009)
http://Bisman_Meningicoccal_Disease
http://www.thetimes.co.uk/tto/multimedia/archive/00328/Test_328900c.jpg
DIAGNÓSTICO
•
Hemograma
•
Hemocultura
•
Glicemia
•
Líquor completo
•
Gram e cultura do líquor
•
Látex
spinafotos.blogspot....
DIAGNÓSTICO
http://classconnection.s3.amazonaws.com/354/flashcards/1843354/jpg
DIAGNÓSTICO
http://classconnection.s3.amazonaws.com/354/flashcards/1843354/jpg
DIAGNÓSTICO
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
TIPO ASP CTM CITOL GLI PTN CULT
NORMAL CLARO 0-5 - 2/3 DA
GLICEMIA
<40 mg/dl NEG
MBA TURVO >500 PM...
DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL
TIPO ASP CTM CITOL GLI PTN CULT
NORMAL CLARO 0-5 - 2/3 DA
GLICEMIA
<40 mg/dl NEG
MBA TURVO >500 PM...
TRATAMENTO
ANTIBIOTERAPIA DE URGÊNCIA
TERAPIA EMPÍRICA
(LACERDA, 2003)
TRATAMENTO DAS MB
IDADE AGENTE ANTIBIÓTICO
Recém-
nato
S. agalactiae, E. coli, K.
pneumoniae, Lysteria
Ampicilina +
Cefota...
TRATAMENTO
(BRASIL, 2009)
TRATAMENTO DAS MV
•
Tratamento de suporte + criteriosa avaliação e
acompanhamento clínicos.
•
Tratamentos específicos:
– Me...
DEFINIÇÃO DE CASO
•
SUSPEITO:
Todo paciente com:
SÍNDROME FEBRIL + SINAIS NEUROLÓGICOS
(LACERDA, 2003)
PREVENÇÃO
http://msalx.bebe.abril.com.br
http://msalx.bebe.abril.com.br
QUIMIOPROFILAXIA
•
DOENÇA MENINGOCÓCICA: RIFAMPICINA (20
mg/kg/dia, 12/12h para crianças, e 600 mg
12/12h, para adultos, V...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
•
BRASIL, 2009. Guia de Vigilância
Epidemiológica. Ministério da Saúde.
Secretaria de Vigilânci...
•
SCHRAG, S.; GORWITZ, R.; FULTZ-BUTTS, K.; et
al. Prevention of perinatal group B
streptococcal disease. Revised guidelin...
•
SEALE, A.C., BLENCOWE, H., ZAIDI, A., et al., ;
on behalf of the neonatal infections
estimation team. Neonatal severe ba...
OBRIGADA!!!
www.bellacollezione.com
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Meningites em pediatria

2.580 visualizações

Publicada em

Quadros clínicos de meningite em pediatria.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.580
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
71
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Meningites em pediatria

  1. 1. Paula Andressa Oliveira MENINGITES
  2. 2. DEFINIÇÃO www.medicinageriatrica.com.br
  3. 3. EPIDEMIOLOGIA www.encephalitisindia.org
  4. 4. EPIDEMIOLOGIA • MENINGITE NEONATAL (SEALE, 2013)
  5. 5. AGENTES ETIOLÓGICOS (BRASIL, 2014)
  6. 6. AGENTES ETIOLÓGICOS • MENINGITES BACTERIANAS Neisseria meningitidis Streptococcus pneumoniae Haemophilus influenzae (BRASIL, 2009)
  7. 7. AGENTES ETIOLÓGICOS • MENINGITE BACTERIANA NEONATAL SEPSE: 85% MENINGITE: 7% (SCHRAG, 2010)
  8. 8. AGENTES ETIOLÓGICOS • MENINGITES VIRAIS VÍRUS DE RNA VÍRUS DE DNA ENTEROVÍRUS ADENOVÍRUS VÍRUS DO SARAMPO VÍRUS DO GRUPO HERPES VÍRUS DA CAXUMBA VARICELA ZÓSTER HIV 1 EPSTEIN BARR (BRASIL, 2009)
  9. 9. MODO DE TRANSMISSÃO www.medicinageriatrica.com.br http://www.thetimes.co.uk/tto/multimedia/archive/00328/Test_328900c.jpg (BRASIL, 2009)
  10. 10. CARACTERÍSTICAS PERÍODO DE INCUBAÇÃO PERÍODO DE TRANSMISSIBILIDADE 2 A 10 DIAS VARIÁVEL SUSCETIBILIDADE < 5 ANOS (BRASIL, 2009)
  11. 11. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS SÍNDROME INFECCIOSA SÍNDROME DE HIPERTENSÃO INTRACRANIANA SÍNDROME DO COMPROMETIMENTO MENÍNGEO (LACERDA, 2003)
  12. 12. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS SÍNDROME INFECCIOSA http://www.brazilianpress.com http://www.brazilianpress.com (LACERDA, 2003)
  13. 13. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS SÍNDROME DE HIPERTENSÃO INTRACRANIANA circecassandra.wordpress.com slideplayer.com.br (LACERDA, 2003)
  14. 14. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS SÍNDROME DO COMPROMETIMENTO MENÍNGEO http://www.manmed.de (LACERDA, 2003)
  15. 15. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS • Sinais de irritação meníngea http://www.nlm.nih.gov/medlineplus/ency/images/ency/fullsize/19069.jpg (BRASIL, 2009)
  16. 16. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS • Crianças < 9 meses – Febre – Choro persistente – Grito meníngeo – Vômitos – Convulsões – Abaulamento da fontanela www.opiniaosa.com.br (BRASIL, 2009)
  17. 17. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS MENINGITES BACTERIANAS MENINGITES VIRAIS (BRASIL, 2009)
  18. 18. DOENÇA MENINGOCÓCICA MENINGITE MENINGOCOCCEMIA EMERGÊNCIA MÉDICA (BRASIL, 2009)
  19. 19. http://Bisman_Meningicoccal_Disease http://www.thetimes.co.uk/tto/multimedia/archive/00328/Test_328900c.jpg
  20. 20. DIAGNÓSTICO • Hemograma • Hemocultura • Glicemia • Líquor completo • Gram e cultura do líquor • Látex spinafotos.blogspot.com (BRASIL, 2009)
  21. 21. DIAGNÓSTICO http://classconnection.s3.amazonaws.com/354/flashcards/1843354/jpg
  22. 22. DIAGNÓSTICO http://classconnection.s3.amazonaws.com/354/flashcards/1843354/jpg
  23. 23. DIAGNÓSTICO
  24. 24. DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL TIPO ASP CTM CITOL GLI PTN CULT NORMAL CLARO 0-5 - 2/3 DA GLICEMIA <40 mg/dl NEG MBA TURVO >500 PMN ↓ >40 mg/dl POS MBA C/ ATB TURVO <500 PMN ou MN ↓ NORMAL POS MV CLARO <500 MN ↓ >40mg/dl - MTU TURVO <500 MN ↓ >40mg/dl - MFU CLARO <500 MN NORMAL >40mg/dl POS (LACERDA, 2003)
  25. 25. DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL TIPO ASP CTM CITOL GLI PTN CULT NORMAL CLARO 0-5 - 2/3 DA GLICEMIA <40 mg/dl NEG MBA TURVO >500 PMN ↓ >40 mg/dl POS MBA C/ ATB TURVO <500 PMN ou MN ↓ NORMAL POS MV CLARO <500 MN ↓ >40mg/dl - MTU TURVO <500 MN ↓ >40mg/dl - MFU CLARO <500 MN NORMAL >40mg/dl POS (LACERDA, 2003)
  26. 26. TRATAMENTO ANTIBIOTERAPIA DE URGÊNCIA TERAPIA EMPÍRICA (LACERDA, 2003)
  27. 27. TRATAMENTO DAS MB IDADE AGENTE ANTIBIÓTICO Recém- nato S. agalactiae, E. coli, K. pneumoniae, Lysteria Ampicilina + Cefotaxima 1-2 meses S. agalactiae, E. coli, K. pneumoniae, Lysteria+S.pneumoniae, N. meningitidis, H. influenzae B Ampicilina+ Cefotaxima ou Ceftriaxona 3 meses a 5 anos S. pneumoniae, N. meningitidis, H. influenzaeB Ampicilina + Cloranfenicol ou Ceftriaxona 5 - 50 anos S. pneunomiae, N. meningitidis Penicilina G cristalina ou Ampicilina >50 anos S. pneumoniae, Gram- negativos, Lysteria Ampicilina + Cefalosporina de 3ª geração (LACERDA, 2003)
  28. 28. TRATAMENTO (BRASIL, 2009)
  29. 29. TRATAMENTO DAS MV • Tratamento de suporte + criteriosa avaliação e acompanhamento clínicos. • Tratamentos específicos: – Meningite herpética (HSV 1 e 2 e VZV): Acyclovir EV. – Na caxumba, a globulina específica hiperimune não melhora a síndrome neurológica (BRASIL, 2009)
  30. 30. DEFINIÇÃO DE CASO • SUSPEITO: Todo paciente com: SÍNDROME FEBRIL + SINAIS NEUROLÓGICOS (LACERDA, 2003)
  31. 31. PREVENÇÃO http://msalx.bebe.abril.com.br
  32. 32. http://msalx.bebe.abril.com.br
  33. 33. QUIMIOPROFILAXIA • DOENÇA MENINGOCÓCICA: RIFAMPICINA (20 mg/kg/dia, 12/12h para crianças, e 600 mg 12/12h, para adultos, VO, por 2 dias); • H. influenzae: RIFAMPICINA (20 mg/kg/dia 1x/dia para crianças, e 600 mg 1x/dia, para adultos, VO, por 4 dias); • 2ª opção, no caso de pacientes gestantes: CEFTRIAXONA (250 mg IM, em DU). (LACERDA, 2003)
  34. 34. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • BRASIL, 2009. Guia de Vigilância Epidemiológica. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde – 7. ed. – Brasília • LACERDA, M.V.G. ; MOURÃO, M.P.G.;TAVARES,A.M.; et al, 2003. Manual de Rotinas da Fundação de Medicina Tropical. Disponível em: http://www.fmt.am.gov.br/manual/
  35. 35. • SCHRAG, S.; GORWITZ, R.; FULTZ-BUTTS, K.; et al. Prevention of perinatal group B streptococcal disease. Revised guidelines from CDC. MMWR Recomm Rep. 2010;V. 51 p1-22.
  36. 36. • SEALE, A.C., BLENCOWE, H., ZAIDI, A., et al., ; on behalf of the neonatal infections estimation team. Neonatal severe bacterial infection impairment estimates in South Asia, sub-Saharan Africa, and Latin America for 2010. Pediatric Research 2013;74(Suppl 1):73- 85. doi:10.1038/pr.2013.207.
  37. 37. OBRIGADA!!! www.bellacollezione.com

×