SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
ATOS FINAIS NA GALILÉIA
AULA 38
ABANDONO DA GALILÉIA.
 Com o passar dos dias foi chegado os dias derradeiros de sua missão na Terra
nesse período se dedica as instruções de seus discípulos.
 Foram para o norte chegando até a cidade em estilo romano, Cesareia de
Felipe, todos ficaram admirados com a beleza local que viam.
Saíram e se misturam com o povo de Cesareia.
 Quando voltavam Jesus os questionava o que por ventura o povo dizia d’Ele.
 Várias eram as versões que seus discípulos falavam:
Que era pobre e vivia rodeado de pobres;
Que não era o Messias redentor de Israel, que estavam esperando;
Devia ser um profeta poderoso;
Outros pensavam que era o profeta João Batista que voltara ao mundo;
Afirmavam ser o próprio Elias que vinha na frente anunciar o Messias
verdadeiro.
 E Jesus pergunta aos próprios discípulos o que eles achavam.
Todos ficaram surpresos e indecisos, ao qual Pedro responde:
- Que Ele é o filho de Deus vivo.
 Ao que Jesus logo esclareceu dizendo que Pedro não dissera aquilo
por conhecimento próprio, mas sim por inspiração do ALTO,
demonstrando virtudes de espirito profético.
E que essa seria a base sobre a qual se desenvolveria a propagação
de seus ensinamentos na Terra.
 Falava sobre tudo que estava por vir:
- que iriam partir para Jerusalém;
- que sofreria a morte pelas mãos dos homens;
- que ressuscitaria no 3º dia.
 E tudo estava próximo e se realmente desejassem ser seus discípulos,
que renunciassem a si próprios, tomasse cada um sua cruz e o
seguissem, pois que seu reino não é desse mundo.
 Jesus despediu-se da Galileia e foi para Judeia, nas vésperas da
Festa do Tabernáculos.
 Judeia era um local de terra árida, calcária, cheia de vinhedos,
oliveiras e figueiras, cujo centro geográfico está Jerusalém.
 A festa dos Tabernáculos era celebrada em memória do povo
Israelita que viveu 40 anos no deserto conduzido por Moisés e
também como ação de graças pela colheita, faziam pedidos de
chuva para próxima semeadura.
 O homens são durante 7 dias de festa viviam em tabernáculos
armadas nos vinhedos ou terraços no cimo das casas.
 Com cerimônias diariamente em Jerusalém. E no ultimo dia o sacerdote em procissão,
tomava a agua da fonte de Siloé, derramava-a junto ao altar e ao redor deste e
circulava 7 vezes empunhando ramos.
 Chegando à Jerusalém, Jesus penetrou no Templo quando a festa ia ao meio e
começou a pregar no Pátio dos Gentios, apesar do Sinédrio estar em uma
investigação oficial contra Ele, sua conduta e seus ensinamentos públicos.
 Sempre entrava no Templo rodeado pela multidão e invariavelmente surgiam tumultos
provocados pelos agentes do Templo, na tentativa nunca conseguida de obter provas
contra Ele.
 Muitas vezes havia discussões o que para Ele era doloroso ver atitude mordaz, hostil,
agressiva, enquanto Ele era sereno, piedoso e abria os braços para o povo
unicamente clamando por paz e pela redenção de todos.
 Permaneceu pregando durante os meses do inverno, fazia curas e ia
diariamente ao Templo. Pela tarde desaparecia, onde convivia com os
necessitados e doentes, seu nome era cada vez mais popular, aonde criava
sérias preocupações ao sumo sacerdote.
 Da mesma forma que era visto como o Messias de Israel era também julgado
como um elemento perigoso e ameaçador para o regime sacerdotal.
 Após os trabalhos permanecia na companhia dos seus discípulos fieis, para
pernoitarem no Monte das Oliveiras ou outro local reservado e também na casa
de Simão o leproso.
ÚLTIMOS ATOS NO INTERIOR
 Ao fim do inverno foi para
Pereia, passou por Jericó e
convocou grande número
de pessoas onde elegeu
70 discípulos para
juntamente com os 12
apóstolos evangelizarem o
povo.
 A todos abençoou e
instruiu as pregações aos
filhos de Israel, para que o
povo recebe-se os
preceitos da sua doutrina
de amor e salvação
universal, estaria a sua
doutrina fundamentada, na
rocha da fé.
 Repartiu-os em três
grupos e os colocara na
estrada.
 Em Jericó pregando,
narrou a parábola do
bom samaritano. (A
parábola do Bom
Samaritano é um
exemplo que ilustra a
moral do Evangelho,
fundamentada na prática
da caridade).
 Foi para Betânia da
Judéia e hospedou-se
na casa de Lázaro e
suas irmãs Marta e
Maria.
 Permaneceu, dois
meses aguardando o
regresso dos discípulos.
São desses dias:
A cura da mulher encurvada;
Certo sábado em que Jesus ensinava numa das sinagogas, aí veio
ter uma mulher possessa de um espírito que a tinha enferma havia dezoito
anos; andava encurvada e não podia de modo algum se aprumar.
Vendo-a, Jesus chamou-a e disse-lhe: - "Mulher, estás livre da tua
enfermidade". Impôs-lhe as mãos (isto é que nós, Espíritas chamamos de
passe), e, imediatamente, ela se aprumou, glorificando a Deus.
O chefe da Sinagoga, indignado por ver que Jesus curava no
sábado, disse à multidão: - Há seis dias destinados ao trabalho; vinde, pois,
nesses dias para serdes curados, e não no sábado.
Respondeu-lhe, porém, o Senhor: - "Hipócritas, não solta cada um
de vós o seu boi ou o seu jumento da manjedoura no sábado para o levar a
beber?
- Porque então não se devia libertar em dia de sábado esta filha de
Abraão dos laços com que satanás a teve presa durante 18 anos?"
Ouvindo estas palavras, seus adversários ficaram envergonhados e
todo o povo se regozijava de o ver praticar tantos feitos gloriosos.
(Luc., 13:10 a 17)
Pregações sobre os números dos eleitos;
Primeiros lugares;
Convidados descorteses;
"Ao notar como os convidados escolhiam os primeiros lugares,
propôs-lhes esta parábola:
Quando fores por alguém convidado para um casamento, não
te sentes no primeiro lugar; para não suceder que seja por ele
convidada uma pessoa mais considerada do que tu e, vindo o que te
convidou a ti e a ele, te diga: Dá o lugar a este; e então irás
envergonhado ocupar o último lugar. Pelo contrário, quando fores
convidado vai tomar o último lugar, para que, quando vier o que te
convidou, te diga: Amigo, senta-te mais para cima; então isto será para
ti uma honra diante de todos os mais convivas. Pois todo o que se
exalta será humilhado; mas todo o que se humilha, será exaltado".
(Lucas, XIV, 7-11)
Jesus estava ensinando nessa parábola uma importante lição
sobre a humildade e auto-depreciação.
E sobre as condições exigidas para serem discípulos:
Ovelha desgarrada;
No Evangelho de Lucas, capítulo 15, versículos 4 a 7, Jesus coloca a seguinte pergunta
aos discípulos e ao povo que o ouviam: “Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e
perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e vai atrás da perdida até
que venha a achá-la? E achando-a, coloca-a sobre os ombros. E chegando a casa,
convoca os amigos e vizinhos dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque achei a minha
ovelha perdida. Digo-vos que haverá mais alegria no céu por um pecador que se
arrepende do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento”.
- quando um homem se desvia do caminho certo, a palavra do Senhor o alcança, e se é
ouvida, o fato é comemorado, porque há sempre alegria quando o evangelho atinge um
coração e ele se redime.
Dracma perdida;
" Qual é a mulher que tendo dez dracmas e perdendo uma não acende a candeia, não
varre a casa e não a procura diligentemente até achá-la? Quando a tiver achado, reúne
as suas amigas e vizinhas, dizendo: Regozijai-vos comigo, porque achei a dracma que
tinha perdido! Assim, digo-vos há júbilo na presença dos anjos de Deus por um pecador
que se arrepende". (Lucas, XV, 8-10)
Filho pródigo;
- “o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua”, isto é, manteve-se
distante da proteção paterna, conduzindo a existência na forma que lhe aprazia, segundo
os critérios estabelecidos pela vida material. É por esse motivo que o filho pródigo “[…] é a
personificação daquele que se entrega desvairadamente aos prazeres sensuais,
concentrando na gratificação dos sentidos todas as suas aspirações e ideias, consumindo
em bastardos apetites as riquezas herdadas do divino progenitor.”
O desregramento da conduta produziu-lhe grande sofrimento. “[…] Empobrecido e
arruinado, faminto e roto, espiritual e materialmente, acaba reconhecendo-se o único
culpado de tamanha desventura, o único responsável pela crítica situação em que se vê.”
É óbvio que a parábola oculta ensinamentos transcendentais, sob o véu do símbolo. A
herança desperdiçada representa o desprezo pelos valores espirituais que lhes foram
concedidos pelo Criador Supremo: “a retidão do juízo, a candura do sentimento, a
sensibilidade da consciência e o discernimento justo do bem e do mal.”
O filho mais velho ilustra, na história contada por Jesus, o exemplo do egoísmo.
O egoísta encontra muitas dificuldades para levar avante os propósitos da própria
melhoria espiritual, uma vez que raramente considera as necessidades e as virtudes do
próximo. (http://bibliadocaminho.com/ocaminho/Tematica/EE/Estudos/EadeP1T2P2.3.1.htm)
Bom uso das riquezas;
A riqueza é um meio concedido por Deus para avaliar a sabedoria e a bondade
do ser humano. É forma de testar-lhe a capacidade moral. “Dando-lhe o livre-
arbítrio, quis ele que o homem chegasse, por experiência própria, a distinguir o
bem do mal. Cada um tem de possuí-la, para se exercitar em utilizá-la e
demonstrar que uso fazer dela.”
A utilidade e benefício providencial da riqueza é o controle da pobreza, não um
obstáculo à melhoria de quem a possui. É um instrumento de progresso
espiritual como tantos outros disponibilizados por Deus.
(https://bibliadocaminho.com/ocaminho/Tematica/EE/Estudos/EadeP1T2P2.3.8.htm)
 Em seguida foi para Citópolis, marginou o Jordão pela Samaria, até o
caminho de Teberíades em plena atividade missionária.
São desses dias os episódios:
Juiz iniquo;
Esta quem contou foi Jesus. Um homem, altas horas da noite, vai à
casa de um amigo, bate ruidosamente à porta e lhe diz: Amigo, empresta-me
três pães, porque chegou de viagem um amigo meu, e eu não tenho o que lhe
servir. Impaciente, o outro lhe responde, sem sair da cama: Deixa-me em paz!
Já estou no quarto com os meus filhos e não posso levantar-me. Teimoso, o de
fora continua a bater e a insistir no pedido. Até que, finalmente, o de dentro se
levanta e atende ao pedido, não por ser seu amigo, mas para se ver livre da
importunação e poder dormir. (Evangelho de Lucas 11, 1-8).
O fariseu e o publicano;
E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo
que eram justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo, a orar, um,
fariseu, e o outro, publicano.
O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te
dou, porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem
ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo
quanto possuo. O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar
os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim,
pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque
qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se
humilha será exaltado. (Lucas, 18.9-14)
A parábola do fariseu e do publicano coloca em evidência os malefícios do
orgulho e os benefícios da humildade. Ilustra também a maneira correta de orar.
Os trabalhadores da vinha;
E, recebendo-o, murmuravam contra o pai de família, dizendo: Estes derradeiros
trabalharam só uma hora, e tu os igualaste conosco, que suportamos a fadiga e a calma do dia. Mas
ele, respondendo, disse a um deles: Amigo, não te faço injustiça; não ajustaste tu comigo um dinheiro?
Toma o que é teu e retira-te; eu quero dar a este derradeiro tanto como a ti. Ou não me é
lícito fazer o que quiser do que é meu? Ou é mau o teu olho porque eu sou bom? Assim, os
derradeiros serão primeiros, e os primeiros, derradeiros, porque muitos são chamados, mas poucos,
escolhidos. (Mateus, 20.1-16.)
A parábola dos trabalhadores da vinha deve calar fundo aos espíritas, em razão do
conhecimento que possuem a respeito da realidade espiritual e da necessidade da prática da
caridade, base da transformação moral. Neste sentido, é sempre útil lembrar estas recomendações de
O Espírito de Verdade:
Aproxima-se o tempo em que se cumprirão as coisas anunciadas para a transformação da
Humanidade. Ditosos serão os que houverem trabalhado no campo do Senhor, com desinteresse e
sem outro móvel, senão a caridade!
 Foi-se aproximando à Jerusalém bem na época da Páscoa, permanecendo
um tempo na aldeia de Efraim.
 Uma tarde recebeu visita de um emissário das irmãs de Lázaro, pedindo
socorro. Lázaro estava em perigo.
 “E sua resposta ao emissário: esta enfermidade não é de morte, mas foi
ordenada para a glória de Deus e de seu filho”.
 Dois dias após encontrou as irmãs desoladas com a morte de Lázaro, Ele
disse a Maria “Teu irmão ressuscitará”.
 Ela o respondeu sim, no ultimo dia como todos!
 E Jesus corrigiu: “eu sou a ressurreição e a vida, aquele que crê em mim
ainda que morto, viverá e todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá
jamais”.
 Jesus havia falado que aquela enfermidade não era de morte, dizia que o
corpo de Lázaro não estava morto e sim em estado semelhante a morte, em
transe (no qual provavelmente fora posto pelos espíritos de luz, para que
pudessem testemunhar o poder do Messias e como motivo de ensinamento
sobre a imortalidade da alma. (corpo material não é possível ressuscitar
após a morte)
 Foram ao local onde se
encontrava o corpo a 4 dias
e pediu que removessem a
laje que fechava a caverna
de pedra, viam o corpo
estendido sobre uma mesa.
 Jesus se concentrou em
prece e logo exclamou,
“Lázaro, vem para fora!”
 E viram o corpo estremecer
e levantar-se aos poucos,
caminhando para fora
envolto em panos
mortuários.
 Jesus pediu para retirarem
os panos, assim Lázaro viu
Jesus e atirou-se aos seus
pés.
 Quando o fato da ressureição chegou a Jerusalém os sacerdotes
ficaram assustados e temerosos das consequências na mente do
povo, que já estava aclamando esse rabi como chefe espiritual. Pois
somente um grande e verdadeiro profeta poderia fazer coisa
semelhante.
 O que reforçou a decisão de eliminar o concorrente que poderia
transformar-se em séria ameaça política.
 De Betânia, faltando 5 dias para a Páscoa, Jesus partiu para a cidade, onde formou-se um cortejo
que foi engrossando pelo caminho o povo se juntava ao rabi de Nazaré, que vinha chegando para
resgatar Israel de seus sofrimentos e assumir seu reinado no Templo.
 Próximo a cidade, pediu que 2 fossem a frente e lhe trouxessem um jumento para que entrasse na
cidade montado conforme esta predito nas escrituras.
 Trouxeram o animal e estenderam capas no seu lombo, Jesus sentou-se de um lado só e assim a
procissão seguiu para o Templo, cantavam hinos e aleluias, clamavam Hosana, eis o nosso rei-
messias! O filho de Davi! Agitavam os ramos, dançavam em sinal de alegria, esperando que
algum gesto ou palavra derrubasse o reinado dos Hanan e os invasores romanos.
 E na sua ingenuidade esperavam que Jesus declarasse a libertação de Israel, se tornando o
Reinado do Messias.
 Nada disso aconteceu, ao defrontar o edifício, Jesus desceu do jumento e penetrou o Templo em
silêncio. Após aguardar longo tempo a multidão se dispersou desiludida.
 E continua na próxima aula ou nos livros ...
Bibliografia:
O Redentor - Cap. 36 e 37 - Edgard Armond. - Ed. Aliança
O Sublime Peregrino - Cap. 25 e 28 pág. 236 e 237 - Ramatis / Hercílio Maes -
Ed. Freitas Bastos
Boa Nova - Cap. 21 - Humberto de Campos / Chico Xavier – FEB
https://www.lds.org/scriptures/bible-maps/map-12?lang=por (Mapas dos locais)
http://www.bibliadocaminho.com.br/
Pedro fala de Jesus, Jesus fala da edificação da igreja
https://www.youtube.com/watch?v=e1x0ZfrHZYw&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=40
Jesus e os pedidos aos discípulos
https://www.youtube.com/watch?v=6_dJJz-URdM&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=21
Bom samaritano
https://www.youtube.com/watch?v=CcFknJoSjXE&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=47
A ovelha perdida
https://www.youtube.com/watch?v=BdGKpXkIT1g&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=48
O filho pródigo
https://www.youtube.com/watch?v=PP8XWqggmXw&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=52
Os trabalhadores da vinha
https://www.youtube.com/watch?v=PGpRP-QBhSg&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=94
Lázaro é levantando dos mortos
https://www.youtube.com/watch?v=ShrIgmBBQrc&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=53
Jesus entra em Jerusalém
https://www.youtube.com/watch?v=VlE30W5ZssE&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=56
Jesus no Templo
https://www.youtube.com/watch?v=DMjE4mNWw6c&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=14
OBRIGADA.
PATRICIA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIAA026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIADaniel de Melo
 
EAE 16 - Infância e Juventude do Messias
EAE 16 -  Infância e Juventude do MessiasEAE 16 -  Infância e Juventude do Messias
EAE 16 - Infância e Juventude do MessiasPatiSousa1
 
Aula 39_Últimos Dias em Jerusalém_Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 39_Últimos Dias em Jerusalém_Escola de Aprendizes do EvangelhoAula 39_Últimos Dias em Jerusalém_Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 39_Últimos Dias em Jerusalém_Escola de Aprendizes do Evangelholiliancostadias
 
AULA 011 EAE DM - SEPARAÇÃO DOS REINOS, SUA DESTRUIÇÃO, CATIVEIRO E A RECONST...
AULA 011 EAE DM - SEPARAÇÃO DOS REINOS, SUA DESTRUIÇÃO, CATIVEIRO E A RECONST...AULA 011 EAE DM - SEPARAÇÃO DOS REINOS, SUA DESTRUIÇÃO, CATIVEIRO E A RECONST...
AULA 011 EAE DM - SEPARAÇÃO DOS REINOS, SUA DESTRUIÇÃO, CATIVEIRO E A RECONST...Daniel de Melo
 
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profanoEae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profanoPatiSousa1
 
EAE - AULA 106 - O PAPEL DO DISCÍPULO
EAE - AULA 106 - O PAPEL DO DISCÍPULOEAE - AULA 106 - O PAPEL DO DISCÍPULO
EAE - AULA 106 - O PAPEL DO DISCÍPULOLuiz Henrique Faleiros
 
AULA 065 EAE DM - A PREDESTINAÇÃO SEGUNDO A DOUTRINA DE PAULO - 20170316
AULA 065 EAE DM - A PREDESTINAÇÃO SEGUNDO A DOUTRINA DE PAULO - 20170316AULA 065 EAE DM - A PREDESTINAÇÃO SEGUNDO A DOUTRINA DE PAULO - 20170316
AULA 065 EAE DM - A PREDESTINAÇÃO SEGUNDO A DOUTRINA DE PAULO - 20170316Daniel de Melo
 
curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14Roseli Lemes
 
Curso Básico de Espiritismo 13
Curso Básico de Espiritismo 13Curso Básico de Espiritismo 13
Curso Básico de Espiritismo 13Roseli Lemes
 
Diálogo de Jesus e Nicodemos
Diálogo de Jesus e NicodemosDiálogo de Jesus e Nicodemos
Diálogo de Jesus e NicodemosCandice Gunther
 
Eae 68 - vícios e defeitos - roteiro da aula
Eae   68 - vícios e defeitos - roteiro da aulaEae   68 - vícios e defeitos - roteiro da aula
Eae 68 - vícios e defeitos - roteiro da aulaNorberto Scavone Augusto
 
( Espiritismo) e a e - aula 37 # a genese da alma # 01
( Espiritismo)   e a e - aula 37 # a genese da alma # 01( Espiritismo)   e a e - aula 37 # a genese da alma # 01
( Espiritismo) e a e - aula 37 # a genese da alma # 01Alencar Santana
 
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de TemasAula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de TemasFlávio Darin Buongermino
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusAntonino Silva
 
O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaumecamaqua
 
Eae 22 À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.
Eae 22  À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.Eae 22  À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.
Eae 22 À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.PatiSousa1
 
Eae aula 4 - as Raças Primitivas
Eae   aula 4 - as Raças PrimitivasEae   aula 4 - as Raças Primitivas
Eae aula 4 - as Raças PrimitivasRoberto Rossignatti
 
A019 EAE DM - A FRATERNIDADE ESSÊNIA - 20180606
A019 EAE DM - A FRATERNIDADE ESSÊNIA - 20180606A019 EAE DM - A FRATERNIDADE ESSÊNIA - 20180606
A019 EAE DM - A FRATERNIDADE ESSÊNIA - 20180606Daniel de Melo
 

Mais procurados (20)

A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIAA026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
 
EAE 16 - Infância e Juventude do Messias
EAE 16 -  Infância e Juventude do MessiasEAE 16 -  Infância e Juventude do Messias
EAE 16 - Infância e Juventude do Messias
 
Aula a lei do amor
Aula   a  lei do amorAula   a  lei do amor
Aula a lei do amor
 
Aula 39_Últimos Dias em Jerusalém_Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 39_Últimos Dias em Jerusalém_Escola de Aprendizes do EvangelhoAula 39_Últimos Dias em Jerusalém_Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 39_Últimos Dias em Jerusalém_Escola de Aprendizes do Evangelho
 
AULA 011 EAE DM - SEPARAÇÃO DOS REINOS, SUA DESTRUIÇÃO, CATIVEIRO E A RECONST...
AULA 011 EAE DM - SEPARAÇÃO DOS REINOS, SUA DESTRUIÇÃO, CATIVEIRO E A RECONST...AULA 011 EAE DM - SEPARAÇÃO DOS REINOS, SUA DESTRUIÇÃO, CATIVEIRO E A RECONST...
AULA 011 EAE DM - SEPARAÇÃO DOS REINOS, SUA DESTRUIÇÃO, CATIVEIRO E A RECONST...
 
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profanoEae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
 
EAE - AULA 106 - O PAPEL DO DISCÍPULO
EAE - AULA 106 - O PAPEL DO DISCÍPULOEAE - AULA 106 - O PAPEL DO DISCÍPULO
EAE - AULA 106 - O PAPEL DO DISCÍPULO
 
AULA 065 EAE DM - A PREDESTINAÇÃO SEGUNDO A DOUTRINA DE PAULO - 20170316
AULA 065 EAE DM - A PREDESTINAÇÃO SEGUNDO A DOUTRINA DE PAULO - 20170316AULA 065 EAE DM - A PREDESTINAÇÃO SEGUNDO A DOUTRINA DE PAULO - 20170316
AULA 065 EAE DM - A PREDESTINAÇÃO SEGUNDO A DOUTRINA DE PAULO - 20170316
 
curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14
 
Curso Básico de Espiritismo 13
Curso Básico de Espiritismo 13Curso Básico de Espiritismo 13
Curso Básico de Espiritismo 13
 
Diálogo de Jesus e Nicodemos
Diálogo de Jesus e NicodemosDiálogo de Jesus e Nicodemos
Diálogo de Jesus e Nicodemos
 
Eae 68 - vícios e defeitos - roteiro da aula
Eae   68 - vícios e defeitos - roteiro da aulaEae   68 - vícios e defeitos - roteiro da aula
Eae 68 - vícios e defeitos - roteiro da aula
 
( Espiritismo) e a e - aula 37 # a genese da alma # 01
( Espiritismo)   e a e - aula 37 # a genese da alma # 01( Espiritismo)   e a e - aula 37 # a genese da alma # 01
( Espiritismo) e a e - aula 37 # a genese da alma # 01
 
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de TemasAula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
 
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com JesusEvangeliza - Mediunidade com Jesus
Evangeliza - Mediunidade com Jesus
 
O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefa
 
Eae 22 À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.
Eae 22  À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.Eae 22  À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.
Eae 22 À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.
 
Eae aula 4 - as Raças Primitivas
Eae   aula 4 - as Raças PrimitivasEae   aula 4 - as Raças Primitivas
Eae aula 4 - as Raças Primitivas
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
 
A019 EAE DM - A FRATERNIDADE ESSÊNIA - 20180606
A019 EAE DM - A FRATERNIDADE ESSÊNIA - 20180606A019 EAE DM - A FRATERNIDADE ESSÊNIA - 20180606
A019 EAE DM - A FRATERNIDADE ESSÊNIA - 20180606
 

Semelhante a Eae 38 Atos finais na Galiléia.

Estudo adicional_Cristo e a lei de Moisés_222014
Estudo adicional_Cristo e a lei de Moisés_222014Estudo adicional_Cristo e a lei de Moisés_222014
Estudo adicional_Cristo e a lei de Moisés_222014Gerson G. Ramos
 
Maria, a Mãe de Jesus
Maria, a Mãe de JesusMaria, a Mãe de Jesus
Maria, a Mãe de JesusAntonino Silva
 
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014Gerson G. Ramos
 
Fazendo discípulos de todas as nações_Lição_original com textos_1012014
Fazendo discípulos de todas as nações_Lição_original com textos_1012014Fazendo discípulos de todas as nações_Lição_original com textos_1012014
Fazendo discípulos de todas as nações_Lição_original com textos_1012014Gerson G. Ramos
 
Lição_original com textos_Discipulando os "comuns"_612014
Lição_original com textos_Discipulando os "comuns"_612014Lição_original com textos_Discipulando os "comuns"_612014
Lição_original com textos_Discipulando os "comuns"_612014Gerson G. Ramos
 
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igrejaA conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igrejaPIB Penha - SP
 
Maior discurso de cristo
Maior discurso de cristoMaior discurso de cristo
Maior discurso de cristoIsmael Rosa
 
Uma vida extraordinária
Uma vida extraordináriaUma vida extraordinária
Uma vida extraordináriaSidinei Kauer
 
Quem é Jesus Cristo?_322015_GGR
Quem é Jesus Cristo?_322015_GGRQuem é Jesus Cristo?_322015_GGR
Quem é Jesus Cristo?_322015_GGRGerson G. Ramos
 
Respostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGRRespostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGRGerson G. Ramos
 
Estudo adicional_Nossa missão_932014
Estudo adicional_Nossa missão_932014Estudo adicional_Nossa missão_932014
Estudo adicional_Nossa missão_932014Gerson G. Ramos
 
7682162 profetas-e-reis
7682162 profetas-e-reis7682162 profetas-e-reis
7682162 profetas-e-reisJORGEVIANA1987
 
Profetas e Reis
Profetas e ReisProfetas e Reis
Profetas e Reisfrenjr
 
CONFERENCIA BIBLICA QUANTO TEMPO VOZ RESTA
CONFERENCIA BIBLICA QUANTO TEMPO VOZ RESTACONFERENCIA BIBLICA QUANTO TEMPO VOZ RESTA
CONFERENCIA BIBLICA QUANTO TEMPO VOZ RESTARondinelle Salles
 
Espiritismo principiospraticaseprovas-slides2hs-130507121131-phpapp02
Espiritismo principiospraticaseprovas-slides2hs-130507121131-phpapp02Espiritismo principiospraticaseprovas-slides2hs-130507121131-phpapp02
Espiritismo principiospraticaseprovas-slides2hs-130507121131-phpapp02Paulo Almeida
 

Semelhante a Eae 38 Atos finais na Galiléia. (20)

Huberto rohden nosso mestre
Huberto rohden   nosso mestreHuberto rohden   nosso mestre
Huberto rohden nosso mestre
 
Estudo adicional_Cristo e a lei de Moisés_222014
Estudo adicional_Cristo e a lei de Moisés_222014Estudo adicional_Cristo e a lei de Moisés_222014
Estudo adicional_Cristo e a lei de Moisés_222014
 
Maria, a Mãe de Jesus
Maria, a Mãe de JesusMaria, a Mãe de Jesus
Maria, a Mãe de Jesus
 
AULA 30.pptx
AULA 30.pptxAULA 30.pptx
AULA 30.pptx
 
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
Estudo adicional_Discipulando líderes espirituais_1112014
 
Fazendo discípulos de todas as nações_Lição_original com textos_1012014
Fazendo discípulos de todas as nações_Lição_original com textos_1012014Fazendo discípulos de todas as nações_Lição_original com textos_1012014
Fazendo discípulos de todas as nações_Lição_original com textos_1012014
 
Lição_original com textos_Discipulando os "comuns"_612014
Lição_original com textos_Discipulando os "comuns"_612014Lição_original com textos_Discipulando os "comuns"_612014
Lição_original com textos_Discipulando os "comuns"_612014
 
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igrejaA conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
A conversão mais importante da história e A perseguição e a dispersão da igreja
 
Dia de Finados
Dia de FinadosDia de Finados
Dia de Finados
 
Maior discurso de cristo
Maior discurso de cristoMaior discurso de cristo
Maior discurso de cristo
 
Jovem
JovemJovem
Jovem
 
Uma vida extraordinária
Uma vida extraordináriaUma vida extraordinária
Uma vida extraordinária
 
Quem é Jesus Cristo?_322015_GGR
Quem é Jesus Cristo?_322015_GGRQuem é Jesus Cristo?_322015_GGR
Quem é Jesus Cristo?_322015_GGR
 
Respostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGRRespostas_1122016_eventos finais_GGR
Respostas_1122016_eventos finais_GGR
 
Estudo adicional_Nossa missão_932014
Estudo adicional_Nossa missão_932014Estudo adicional_Nossa missão_932014
Estudo adicional_Nossa missão_932014
 
7682162 profetas-e-reis
7682162 profetas-e-reis7682162 profetas-e-reis
7682162 profetas-e-reis
 
Profetas e reis
Profetas e reisProfetas e reis
Profetas e reis
 
Profetas e Reis
Profetas e ReisProfetas e Reis
Profetas e Reis
 
CONFERENCIA BIBLICA QUANTO TEMPO VOZ RESTA
CONFERENCIA BIBLICA QUANTO TEMPO VOZ RESTACONFERENCIA BIBLICA QUANTO TEMPO VOZ RESTA
CONFERENCIA BIBLICA QUANTO TEMPO VOZ RESTA
 
Espiritismo principiospraticaseprovas-slides2hs-130507121131-phpapp02
Espiritismo principiospraticaseprovas-slides2hs-130507121131-phpapp02Espiritismo principiospraticaseprovas-slides2hs-130507121131-phpapp02
Espiritismo principiospraticaseprovas-slides2hs-130507121131-phpapp02
 

Mais de PatiSousa1

Aula 15 Reis Magos.ppt
Aula 15 Reis Magos.pptAula 15 Reis Magos.ppt
Aula 15 Reis Magos.pptPatiSousa1
 
EAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do CristãoEAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do CristãoPatiSousa1
 
Basico aula 6.pptx
Basico aula 6.pptxBasico aula 6.pptx
Basico aula 6.pptxPatiSousa1
 
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)PatiSousa1
 
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da Época
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da ÉpocaEae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da Época
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da ÉpocaPatiSousa1
 
Eae 19 Os Essênios
Eae 19  Os EssêniosEae 19  Os Essênios
Eae 19 Os EssêniosPatiSousa1
 
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )PatiSousa1
 
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUAL
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUALEae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUAL
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUALPatiSousa1
 
Eae 75 O pensamento e a vontade
Eae 75 O pensamento e a vontadeEae 75 O pensamento e a vontade
Eae 75 O pensamento e a vontadePatiSousa1
 
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça PatiSousa1
 
Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV.
Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV. Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV.
Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV. PatiSousa1
 
Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar PatiSousa1
 
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigos
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigosEae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigos
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigosPatiSousa1
 
Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas
Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e JudasEae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas
Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e JudasPatiSousa1
 
Eae 64 Estudo das Epístolas
Eae 64 Estudo das EpístolasEae 64 Estudo das Epístolas
Eae 64 Estudo das EpístolasPatiSousa1
 
Eae 35 As Parábolas III - Vida Rural
Eae 35 As Parábolas III - Vida RuralEae 35 As Parábolas III - Vida Rural
Eae 35 As Parábolas III - Vida RuralPatiSousa1
 
Eae 28 Pregações e curas
Eae 28 Pregações e curasEae 28 Pregações e curas
Eae 28 Pregações e curasPatiSousa1
 
Eae 55 Ascensão
Eae 55 AscensãoEae 55 Ascensão
Eae 55 AscensãoPatiSousa1
 

Mais de PatiSousa1 (19)

Aula 15 Reis Magos.ppt
Aula 15 Reis Magos.pptAula 15 Reis Magos.ppt
Aula 15 Reis Magos.ppt
 
EAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do CristãoEAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do Cristão
 
Basico aula 6.pptx
Basico aula 6.pptxBasico aula 6.pptx
Basico aula 6.pptx
 
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
 
Aula 104
Aula 104Aula 104
Aula 104
 
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da Época
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da ÉpocaEae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da Época
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da Época
 
Eae 19 Os Essênios
Eae 19  Os EssêniosEae 19  Os Essênios
Eae 19 Os Essênios
 
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
 
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUAL
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUALEae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUAL
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUAL
 
Eae 75 O pensamento e a vontade
Eae 75 O pensamento e a vontadeEae 75 O pensamento e a vontade
Eae 75 O pensamento e a vontade
 
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
 
Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV.
Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV. Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV.
Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV.
 
Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar
 
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigos
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigosEae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigos
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigos
 
Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas
Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e JudasEae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas
Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas
 
Eae 64 Estudo das Epístolas
Eae 64 Estudo das EpístolasEae 64 Estudo das Epístolas
Eae 64 Estudo das Epístolas
 
Eae 35 As Parábolas III - Vida Rural
Eae 35 As Parábolas III - Vida RuralEae 35 As Parábolas III - Vida Rural
Eae 35 As Parábolas III - Vida Rural
 
Eae 28 Pregações e curas
Eae 28 Pregações e curasEae 28 Pregações e curas
Eae 28 Pregações e curas
 
Eae 55 Ascensão
Eae 55 AscensãoEae 55 Ascensão
Eae 55 Ascensão
 

Último

pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfnestorsouza36
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoFabioLofrano
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 

Último (10)

pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 

Eae 38 Atos finais na Galiléia.

  • 1. ATOS FINAIS NA GALILÉIA AULA 38
  • 2. ABANDONO DA GALILÉIA.  Com o passar dos dias foi chegado os dias derradeiros de sua missão na Terra nesse período se dedica as instruções de seus discípulos.  Foram para o norte chegando até a cidade em estilo romano, Cesareia de Felipe, todos ficaram admirados com a beleza local que viam. Saíram e se misturam com o povo de Cesareia.  Quando voltavam Jesus os questionava o que por ventura o povo dizia d’Ele.  Várias eram as versões que seus discípulos falavam: Que era pobre e vivia rodeado de pobres; Que não era o Messias redentor de Israel, que estavam esperando; Devia ser um profeta poderoso; Outros pensavam que era o profeta João Batista que voltara ao mundo; Afirmavam ser o próprio Elias que vinha na frente anunciar o Messias verdadeiro.
  • 3.  E Jesus pergunta aos próprios discípulos o que eles achavam. Todos ficaram surpresos e indecisos, ao qual Pedro responde: - Que Ele é o filho de Deus vivo.  Ao que Jesus logo esclareceu dizendo que Pedro não dissera aquilo por conhecimento próprio, mas sim por inspiração do ALTO, demonstrando virtudes de espirito profético. E que essa seria a base sobre a qual se desenvolveria a propagação de seus ensinamentos na Terra.  Falava sobre tudo que estava por vir: - que iriam partir para Jerusalém; - que sofreria a morte pelas mãos dos homens; - que ressuscitaria no 3º dia.  E tudo estava próximo e se realmente desejassem ser seus discípulos, que renunciassem a si próprios, tomasse cada um sua cruz e o seguissem, pois que seu reino não é desse mundo.
  • 4.  Jesus despediu-se da Galileia e foi para Judeia, nas vésperas da Festa do Tabernáculos.  Judeia era um local de terra árida, calcária, cheia de vinhedos, oliveiras e figueiras, cujo centro geográfico está Jerusalém.  A festa dos Tabernáculos era celebrada em memória do povo Israelita que viveu 40 anos no deserto conduzido por Moisés e também como ação de graças pela colheita, faziam pedidos de chuva para próxima semeadura.  O homens são durante 7 dias de festa viviam em tabernáculos armadas nos vinhedos ou terraços no cimo das casas.
  • 5.  Com cerimônias diariamente em Jerusalém. E no ultimo dia o sacerdote em procissão, tomava a agua da fonte de Siloé, derramava-a junto ao altar e ao redor deste e circulava 7 vezes empunhando ramos.  Chegando à Jerusalém, Jesus penetrou no Templo quando a festa ia ao meio e começou a pregar no Pátio dos Gentios, apesar do Sinédrio estar em uma investigação oficial contra Ele, sua conduta e seus ensinamentos públicos.  Sempre entrava no Templo rodeado pela multidão e invariavelmente surgiam tumultos provocados pelos agentes do Templo, na tentativa nunca conseguida de obter provas contra Ele.  Muitas vezes havia discussões o que para Ele era doloroso ver atitude mordaz, hostil, agressiva, enquanto Ele era sereno, piedoso e abria os braços para o povo unicamente clamando por paz e pela redenção de todos.
  • 6.
  • 7.  Permaneceu pregando durante os meses do inverno, fazia curas e ia diariamente ao Templo. Pela tarde desaparecia, onde convivia com os necessitados e doentes, seu nome era cada vez mais popular, aonde criava sérias preocupações ao sumo sacerdote.  Da mesma forma que era visto como o Messias de Israel era também julgado como um elemento perigoso e ameaçador para o regime sacerdotal.  Após os trabalhos permanecia na companhia dos seus discípulos fieis, para pernoitarem no Monte das Oliveiras ou outro local reservado e também na casa de Simão o leproso.
  • 8. ÚLTIMOS ATOS NO INTERIOR  Ao fim do inverno foi para Pereia, passou por Jericó e convocou grande número de pessoas onde elegeu 70 discípulos para juntamente com os 12 apóstolos evangelizarem o povo.  A todos abençoou e instruiu as pregações aos filhos de Israel, para que o povo recebe-se os preceitos da sua doutrina de amor e salvação universal, estaria a sua doutrina fundamentada, na rocha da fé.
  • 9.  Repartiu-os em três grupos e os colocara na estrada.  Em Jericó pregando, narrou a parábola do bom samaritano. (A parábola do Bom Samaritano é um exemplo que ilustra a moral do Evangelho, fundamentada na prática da caridade).  Foi para Betânia da Judéia e hospedou-se na casa de Lázaro e suas irmãs Marta e Maria.  Permaneceu, dois meses aguardando o regresso dos discípulos.
  • 10. São desses dias: A cura da mulher encurvada; Certo sábado em que Jesus ensinava numa das sinagogas, aí veio ter uma mulher possessa de um espírito que a tinha enferma havia dezoito anos; andava encurvada e não podia de modo algum se aprumar. Vendo-a, Jesus chamou-a e disse-lhe: - "Mulher, estás livre da tua enfermidade". Impôs-lhe as mãos (isto é que nós, Espíritas chamamos de passe), e, imediatamente, ela se aprumou, glorificando a Deus. O chefe da Sinagoga, indignado por ver que Jesus curava no sábado, disse à multidão: - Há seis dias destinados ao trabalho; vinde, pois, nesses dias para serdes curados, e não no sábado. Respondeu-lhe, porém, o Senhor: - "Hipócritas, não solta cada um de vós o seu boi ou o seu jumento da manjedoura no sábado para o levar a beber? - Porque então não se devia libertar em dia de sábado esta filha de Abraão dos laços com que satanás a teve presa durante 18 anos?" Ouvindo estas palavras, seus adversários ficaram envergonhados e todo o povo se regozijava de o ver praticar tantos feitos gloriosos. (Luc., 13:10 a 17)
  • 11. Pregações sobre os números dos eleitos; Primeiros lugares; Convidados descorteses; "Ao notar como os convidados escolhiam os primeiros lugares, propôs-lhes esta parábola: Quando fores por alguém convidado para um casamento, não te sentes no primeiro lugar; para não suceder que seja por ele convidada uma pessoa mais considerada do que tu e, vindo o que te convidou a ti e a ele, te diga: Dá o lugar a este; e então irás envergonhado ocupar o último lugar. Pelo contrário, quando fores convidado vai tomar o último lugar, para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, senta-te mais para cima; então isto será para ti uma honra diante de todos os mais convivas. Pois todo o que se exalta será humilhado; mas todo o que se humilha, será exaltado". (Lucas, XIV, 7-11) Jesus estava ensinando nessa parábola uma importante lição sobre a humildade e auto-depreciação.
  • 12. E sobre as condições exigidas para serem discípulos: Ovelha desgarrada; No Evangelho de Lucas, capítulo 15, versículos 4 a 7, Jesus coloca a seguinte pergunta aos discípulos e ao povo que o ouviam: “Que homem dentre vós, tendo cem ovelhas, e perdendo uma delas, não deixa no deserto as noventa e nove, e vai atrás da perdida até que venha a achá-la? E achando-a, coloca-a sobre os ombros. E chegando a casa, convoca os amigos e vizinhos dizendo-lhes: Alegrai-vos comigo, porque achei a minha ovelha perdida. Digo-vos que haverá mais alegria no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento”. - quando um homem se desvia do caminho certo, a palavra do Senhor o alcança, e se é ouvida, o fato é comemorado, porque há sempre alegria quando o evangelho atinge um coração e ele se redime. Dracma perdida; " Qual é a mulher que tendo dez dracmas e perdendo uma não acende a candeia, não varre a casa e não a procura diligentemente até achá-la? Quando a tiver achado, reúne as suas amigas e vizinhas, dizendo: Regozijai-vos comigo, porque achei a dracma que tinha perdido! Assim, digo-vos há júbilo na presença dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende". (Lucas, XV, 8-10)
  • 13. Filho pródigo; - “o filho mais novo, ajuntando tudo, partiu para uma terra longínqua”, isto é, manteve-se distante da proteção paterna, conduzindo a existência na forma que lhe aprazia, segundo os critérios estabelecidos pela vida material. É por esse motivo que o filho pródigo “[…] é a personificação daquele que se entrega desvairadamente aos prazeres sensuais, concentrando na gratificação dos sentidos todas as suas aspirações e ideias, consumindo em bastardos apetites as riquezas herdadas do divino progenitor.” O desregramento da conduta produziu-lhe grande sofrimento. “[…] Empobrecido e arruinado, faminto e roto, espiritual e materialmente, acaba reconhecendo-se o único culpado de tamanha desventura, o único responsável pela crítica situação em que se vê.” É óbvio que a parábola oculta ensinamentos transcendentais, sob o véu do símbolo. A herança desperdiçada representa o desprezo pelos valores espirituais que lhes foram concedidos pelo Criador Supremo: “a retidão do juízo, a candura do sentimento, a sensibilidade da consciência e o discernimento justo do bem e do mal.” O filho mais velho ilustra, na história contada por Jesus, o exemplo do egoísmo. O egoísta encontra muitas dificuldades para levar avante os propósitos da própria melhoria espiritual, uma vez que raramente considera as necessidades e as virtudes do próximo. (http://bibliadocaminho.com/ocaminho/Tematica/EE/Estudos/EadeP1T2P2.3.1.htm)
  • 14. Bom uso das riquezas; A riqueza é um meio concedido por Deus para avaliar a sabedoria e a bondade do ser humano. É forma de testar-lhe a capacidade moral. “Dando-lhe o livre- arbítrio, quis ele que o homem chegasse, por experiência própria, a distinguir o bem do mal. Cada um tem de possuí-la, para se exercitar em utilizá-la e demonstrar que uso fazer dela.” A utilidade e benefício providencial da riqueza é o controle da pobreza, não um obstáculo à melhoria de quem a possui. É um instrumento de progresso espiritual como tantos outros disponibilizados por Deus. (https://bibliadocaminho.com/ocaminho/Tematica/EE/Estudos/EadeP1T2P2.3.8.htm)
  • 15.  Em seguida foi para Citópolis, marginou o Jordão pela Samaria, até o caminho de Teberíades em plena atividade missionária. São desses dias os episódios: Juiz iniquo; Esta quem contou foi Jesus. Um homem, altas horas da noite, vai à casa de um amigo, bate ruidosamente à porta e lhe diz: Amigo, empresta-me três pães, porque chegou de viagem um amigo meu, e eu não tenho o que lhe servir. Impaciente, o outro lhe responde, sem sair da cama: Deixa-me em paz! Já estou no quarto com os meus filhos e não posso levantar-me. Teimoso, o de fora continua a bater e a insistir no pedido. Até que, finalmente, o de dentro se levanta e atende ao pedido, não por ser seu amigo, mas para se ver livre da importunação e poder dormir. (Evangelho de Lucas 11, 1-8).
  • 16. O fariseu e o publicano; E disse também esta parábola a uns que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo, a orar, um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou, porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo quanto possuo. O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado. (Lucas, 18.9-14) A parábola do fariseu e do publicano coloca em evidência os malefícios do orgulho e os benefícios da humildade. Ilustra também a maneira correta de orar.
  • 17. Os trabalhadores da vinha; E, recebendo-o, murmuravam contra o pai de família, dizendo: Estes derradeiros trabalharam só uma hora, e tu os igualaste conosco, que suportamos a fadiga e a calma do dia. Mas ele, respondendo, disse a um deles: Amigo, não te faço injustiça; não ajustaste tu comigo um dinheiro? Toma o que é teu e retira-te; eu quero dar a este derradeiro tanto como a ti. Ou não me é lícito fazer o que quiser do que é meu? Ou é mau o teu olho porque eu sou bom? Assim, os derradeiros serão primeiros, e os primeiros, derradeiros, porque muitos são chamados, mas poucos, escolhidos. (Mateus, 20.1-16.) A parábola dos trabalhadores da vinha deve calar fundo aos espíritas, em razão do conhecimento que possuem a respeito da realidade espiritual e da necessidade da prática da caridade, base da transformação moral. Neste sentido, é sempre útil lembrar estas recomendações de O Espírito de Verdade: Aproxima-se o tempo em que se cumprirão as coisas anunciadas para a transformação da Humanidade. Ditosos serão os que houverem trabalhado no campo do Senhor, com desinteresse e sem outro móvel, senão a caridade!
  • 18.  Foi-se aproximando à Jerusalém bem na época da Páscoa, permanecendo um tempo na aldeia de Efraim.  Uma tarde recebeu visita de um emissário das irmãs de Lázaro, pedindo socorro. Lázaro estava em perigo.  “E sua resposta ao emissário: esta enfermidade não é de morte, mas foi ordenada para a glória de Deus e de seu filho”.  Dois dias após encontrou as irmãs desoladas com a morte de Lázaro, Ele disse a Maria “Teu irmão ressuscitará”.  Ela o respondeu sim, no ultimo dia como todos!  E Jesus corrigiu: “eu sou a ressurreição e a vida, aquele que crê em mim ainda que morto, viverá e todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá jamais”.  Jesus havia falado que aquela enfermidade não era de morte, dizia que o corpo de Lázaro não estava morto e sim em estado semelhante a morte, em transe (no qual provavelmente fora posto pelos espíritos de luz, para que pudessem testemunhar o poder do Messias e como motivo de ensinamento sobre a imortalidade da alma. (corpo material não é possível ressuscitar após a morte)
  • 19.  Foram ao local onde se encontrava o corpo a 4 dias e pediu que removessem a laje que fechava a caverna de pedra, viam o corpo estendido sobre uma mesa.  Jesus se concentrou em prece e logo exclamou, “Lázaro, vem para fora!”  E viram o corpo estremecer e levantar-se aos poucos, caminhando para fora envolto em panos mortuários.  Jesus pediu para retirarem os panos, assim Lázaro viu Jesus e atirou-se aos seus pés.
  • 20.  Quando o fato da ressureição chegou a Jerusalém os sacerdotes ficaram assustados e temerosos das consequências na mente do povo, que já estava aclamando esse rabi como chefe espiritual. Pois somente um grande e verdadeiro profeta poderia fazer coisa semelhante.  O que reforçou a decisão de eliminar o concorrente que poderia transformar-se em séria ameaça política.
  • 21.  De Betânia, faltando 5 dias para a Páscoa, Jesus partiu para a cidade, onde formou-se um cortejo que foi engrossando pelo caminho o povo se juntava ao rabi de Nazaré, que vinha chegando para resgatar Israel de seus sofrimentos e assumir seu reinado no Templo.  Próximo a cidade, pediu que 2 fossem a frente e lhe trouxessem um jumento para que entrasse na cidade montado conforme esta predito nas escrituras.  Trouxeram o animal e estenderam capas no seu lombo, Jesus sentou-se de um lado só e assim a procissão seguiu para o Templo, cantavam hinos e aleluias, clamavam Hosana, eis o nosso rei- messias! O filho de Davi! Agitavam os ramos, dançavam em sinal de alegria, esperando que algum gesto ou palavra derrubasse o reinado dos Hanan e os invasores romanos.  E na sua ingenuidade esperavam que Jesus declarasse a libertação de Israel, se tornando o Reinado do Messias.  Nada disso aconteceu, ao defrontar o edifício, Jesus desceu do jumento e penetrou o Templo em silêncio. Após aguardar longo tempo a multidão se dispersou desiludida.
  • 22.  E continua na próxima aula ou nos livros ... Bibliografia: O Redentor - Cap. 36 e 37 - Edgard Armond. - Ed. Aliança O Sublime Peregrino - Cap. 25 e 28 pág. 236 e 237 - Ramatis / Hercílio Maes - Ed. Freitas Bastos Boa Nova - Cap. 21 - Humberto de Campos / Chico Xavier – FEB https://www.lds.org/scriptures/bible-maps/map-12?lang=por (Mapas dos locais) http://www.bibliadocaminho.com.br/ Pedro fala de Jesus, Jesus fala da edificação da igreja https://www.youtube.com/watch?v=e1x0ZfrHZYw&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=40 Jesus e os pedidos aos discípulos https://www.youtube.com/watch?v=6_dJJz-URdM&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=21 Bom samaritano https://www.youtube.com/watch?v=CcFknJoSjXE&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=47
  • 23. A ovelha perdida https://www.youtube.com/watch?v=BdGKpXkIT1g&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=48 O filho pródigo https://www.youtube.com/watch?v=PP8XWqggmXw&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=52 Os trabalhadores da vinha https://www.youtube.com/watch?v=PGpRP-QBhSg&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=94 Lázaro é levantando dos mortos https://www.youtube.com/watch?v=ShrIgmBBQrc&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=53 Jesus entra em Jerusalém https://www.youtube.com/watch?v=VlE30W5ZssE&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=56 Jesus no Templo https://www.youtube.com/watch?v=DMjE4mNWw6c&t=0s&list=PL31F32E21D67DE8AE&index=14 OBRIGADA. PATRICIA