Folha Diocesana - Junho

1.165 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.165
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
652
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Folha Diocesana - Junho

  1. 1. ANO XVII - Nº 211 - JUNHO DE 2014 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA “A Palavra de Deus é Viva e Eficaz.” Hb 4,12
  2. 2. Editorial 2 Enfoque Pastoral FD | Junho de 2014 Continuando nossa reflexão sobre a Paróquia Missionária, iniciada na edição anterior de nossa Folha Diocesana, queremos com alegria apresentar que vamos ter em julho próximo uma formação que muito nos ajudará nesta caminha- da. Dos dias 22 a 25 de julho em toda a Dioce- se teremos a Formação Diocesana que a cada dia apresentará um tema específico que nos ajudará a renovar a nossa caminhada pastoral. Vamos ouvir e refletir sobre os apelos da Exortação Apostólica, ALEGRIA DO EVANGELHO, de sua Santidade o Papa Francisco, que com todo o seu carisma clama pela transformação missioná- ria da Igreja e aponta qual a missão da Paróquia como lugar de comunhão e da missão a serviço da vida plena. Seguindo vamos refletir sobre a nossa identidade de cristãos, um trabalho para resgatar a alegria do Evangelho a partir do coração do Evan- gelho, pois precisamos entender que todo o povo de Deus deve ser anunciador do Evangelho, comu- nicando os tesouros da vida cristã. Acolhendo tudo o que nos será oferecido vamos compreender que a Paróquia é por sua es- sência missionária e solidária. Isto é, somos todos chamados a sermos sal da terra e luz do mundo em uma plena experiência de comunidades inter- ligadas na sua vivência, fazendo assim a plena e grata experiência de vivermos a Paróquia como Comunidade de comunidades. Na esperança desta grande vivência sere- mos impulsionados a nos colocarmos verdadeira- mente como discípulos missionários de uma nova evangelização na construção do Reino em nosso meio. Que Maria, Padroeira de nossa Diocese, a Estrela da nova evangelização interceda por todas as nossas Paróquias, para que possam alcançar a graça desta redescoberta que são em sua essência MISSIONÁRIAS. Padre Francisco G. Veloso Jr Coordenador Diocesano de Pastoral A ALEGRIA DO EVANGELHO Ao longo desse mês de junho a litur- gia da Igreja nos propõe a celebração de alguns mistérios da fé cristã bem como a figura de vários santos, cujo alcance ultrapassa o âmbito litúrgico e motiva festas populares tão enraizadas na cultu- ra brasileira até ao ponto de serem realizadas em ambientes não religiosos, como as escolas. A solenidade de Pentecostes (08/06) é in- tensamente vivida pela Igreja, que tem seu berço em Jerusalém, onde os discípulos, após a ressur- reição do Senhor, perseveraram em oração, com Maria, a Mãe de Jesus, e foram revestidos pela força do alto, o Espírito da Verdade; algo tão for- te que faz pulsar o coração missionário da Igreja há quase dois mil anos. A chamada festa do Divi- no ainda é realizada em muitos lugares do Brasil, como que um desdobramento popular da ação litúrgica de Pentecostes. A Festa de Corpus Christi, nesse ano a 19 de junho, lembra à Igreja o motivo de sua exis- tência: a pessoa de Jesus Cristo, vivo na Eucaris- tia, celebrada em sua memória, a Páscoa nova da nova Lei, pois a Eucaristia nos faz Igreja. A procis- são do Corpo de Deus é uma expressão da fé viva da Igreja no mistério da Comunhão; a confecção dos tapetes é uma forma carinhosa de acolhida ao Senhor, o Pão dos Anjos dados à humanidade, em sua árdua caminhada no mundo. A festa do Coração de Jesus (27/06) des- taca a misericórdia de nosso Deus, que enviou seu Filho ao mundo para salvá-lo pelo amor. Somos convidados a aprender dele, manso e humilde de coração. A festa do Imaculado Coração de Maria, no dia seguinte, convida a Igreja a meditar, como Maria, os mistérios da fé e acolher de coração a vontade de Deus. Os chamados santos de junho, Santo An- tonio (13/06), São João Batista (24/06) e São Pe- dro (29/06) testemunham a vivacidade do Evan- gelho: - O pregador de Pádua, chamado Arca do Testa- mento e Doutor Evangélico, testemunhou com a força de sua Palavra a novidade transformado- ra de Jesus; é um dos santos mais populares do mundo. - São João Batista foi o único dos profetas que viu o Cordeiro de Deus, anunciado por séculos na antiga aliança, e que batizou o próprio autor do Batismo; é o único santo cuja natividade (com ex- ceção da Virgem Maria) tem celebração litúrgica, pois foi santificado antes de nascer. São Pedro, que amou intensamente a Je- sus, recebeu dele a missão de confirmar os discí- pulos na fé, após ser chamado pelo Senhor à beira do mar da Galiléia para se tornar pescador de ho- mens. Sobre sua profissão de fé em Cristo, como pedra viva, se ergue e se congrega a Igreja. Temos ainda (em 9/06), a festa do Após- tolo do Brasil, São José de Anchieta, que nos pri- mórdios da história de nosso país levou o nome de Jesus percorrendo distâncias inimagináveis até para os dias de hoje. Que essas celebrações litúrgicas e festas populares (citamos apenas as principais) renovem nossa alegria de pertencer ao povo de Deus e re- forcem nossa motivação de viver o amor, como Jesus, que andou pelo mundo fazendo o bem. Os jogos internacionais da Copa do Mun- do, realizados no Brasil ao longo desse mês, sir- vam para uma experiência de confraternização universal e para uma tomada de consciência de que o amor à Pátria deve se traduzir também em atitudes práticas de defesa e conservação da vida, sobretudo por meio da promoção dos direitos mais básicos da pessoa humana: saúde,educação, alimentação adequada, trabalho digno, liberdade religiosa, segurança pública, habitação etc. Padre Antonio Bosco da Silva Vigário Geral FESTAS JUNINAS A ALEGRIA DO SENHOR É A NOSSA FORÇA
  3. 3. 3FD | Junho de 2014 Voz do Pastor AGENDA DO BISPO SER IGREJA É SER INSTRUMENTO DA SALVAÇÃO NO MUNDO Durante o mês de maio foram realizadas as reuniões do Conselho Fo- râneo de Pastoral. A temática desenvolvida foi a respeito da conversão pastoral da paróquia, para que cada paróquia faça - sempre mais - uma passagem de uma pastoral de conservação a uma pastoral eminentemente missionária. Realizar pro- jetos pastorais neste sentido é colocar-se em sintonia com o Documento de Apare- cida e as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora no Brasil. Especificamente, nas reuniões, meditamos sobre as comunidades territoriais, colocando-nos também em sintonia com o documento aprovado na última Assembleia Geral da CNBB: Comunidade de comunidades: uma nova paróquia - a conversão pastoral da pa- róquia. As comunidades territoriais, pequenas comunidades, (chamem-nas como quiserem: CEBs, núcleo, setor etc) de uma maneira específica fazem pre- sente a missionariedade da paróquia, pois concretizam a Igreja que SAI ao encon- tro das pessoas para um anúncio e convite à vivência comunitária do evangelho. É a paróquia que se torna presente de maneira bem próxima a cada habitante do seu território. Faço questão de deixar claro, que trabalhando neste momento as comu- nidades territoriais, não estou afirmando que as outras comunidades da paró- quia sejam menos importantes. A nova paróquia, comunidade de comunidades, deve estar aberta a acolher e trabalhar com todos as expressões de comunida- des cristãs. Visitando as paróquias da periferia de Guarulhos estou podendo cons- tatar que aos poucos, as comunidades vão perdendo o seu ardor missionário, à medida em que conseguem ter uma capela ou lugar próprio para as celebrações da comunidade. É como se dissessem: “Agora que temos o nosso lugar, quem quiser que venha até aqui”. Parece até que estão desistindo de ir ao encontro das pessoas. Em muitas comunidades os assim chamados “grupos de rua” termina- ram ou só voltam a ser ativos na Novena do Natal e Campanha da Fraternidade. O mesmo parece acontecer nas paróquias mais centrais de Guarulhos, onde as pessoas se fecham nos condomínios, e preferem viver a fé (se é que isso é viver a fé) de maneira individualista. Os “grupos de rua”, “grupos de condomínio” ou similares são locais pri- vilegiados da comunidade (ou capela) onde as pessoas experimentam concreta- mente a Igreja como “casa da Palavra” (centralidade da Palavra de Deus), “casa do pão” (onde celebram os sacramentos e vivem a experiência da iniciação cristã) e “casa da caridade” (onde descobrem a dimensão sócio-transformadora do Evan- gelho), pois não vivem só para si mesmos, mas descobrem que ser Igreja é ser instrumento da salvação de Cristo no mundo e na sociedade. Na realidade, na diocese de Guarulhos, não precisamos fazer mudan- ças radicais de estruturas. Temos as paróquias, praticamente todas, divididas em comunidades/capelas, setores, núcleos etc. Contudo, este esqueleto precisa ter vida. Precisa ser mais ousado, profético, evangelizador. Precisamos todos entrar num processo de conversão pastoral. + Edmilson Amador Caetano, O.Cist. Bispo Diocesano 01 09h - Missa e Visita Capelania Militar - Base Aérea 17h - Crisma N. Sra. do Bonsucesso 02 14h - Visita pastoral paróquia NS de Lourdes - Itapegica 03-05 Assembleia dos Bispos do Regional Sul 1 - Aparecida 06 15h - Reunião com os seminaristas - Seminário diocesano Lavras 22h - Missa no início da Vigília “Unânimes em Oração” (RCC), preparação á Solenidade de Pentecostes - paróquia S. Roque CECAP 07 Presença na implantação da Infância Missionária Diocesana 19h - Crisma NS do Bonsucesso 08 Encontro Despertar e às 11h - Missa N.Sra. de Fátima - Vila Fátima 15h - Missa no encontro dos coroinhas e às 19h - Crisma Catedral 09 12h - Missa Catedral 20h - Encontro das Pastorais Sociais - Sede da Pastoral da Criança 10 09:30h - CODIPA - Cúria e às 14h - Visita Pastoral paróquia NS Fátima - Vila Fátima 11 09:30h - Cons. de presbíteros - Cúria e às 14h - Visita pastoral Par. Sta. Rosa de Lima 12 07h - Missa e encontro com os propedêutas - Seminário propedêutico 20h - Missa no tríduo de S. Antonio - Bairro do Limão - São Paulo 13 09h - Atendimento Cúria 15h - Missa paróquia S. Antonio (Vila Augusta) 20h - Missa paróquia S. Antonio (Parque) 14 09h - Reunião Equipe diocesana de catequese - residência episcopal 14h - Reunião SAV-PV - Catedral e às 15h - COMIDI na Catedral 15 11h - Missa Catedral e às 17h Crisma N.Sra do Bonsucesso 16 12h - Missa Catedral e 14:30h - Atendimento Cúria 20h - Entrega das Bílbias (Neocatecumenato) - Par. S. Coração de Jesus 17 14h - Visita Pastoral paróquia Santa Luzia (Mikhail) 18 09h - Reunião geral do clero - Seminário Lavras e às 15h - Atendimento na Cúria 19 15h - Celebração de Corpus Christi - Catedral 20 09h - Visita canônica á Congregação de NS Stella Maris (Casa Mãe) 14h - Visita Pastoral paróquia S. Roque CECAP 21 08-15:30h - Missa e Visita Canônica - Congregação Stella Maris 17h - Crisma paróquia NS Aparecida (Vila Galvão) 22 07-12h - Missa e Visita canônica - Congregação Stella Maris Implantação da Juventude Missionária Diocesana no Sant. Bonsucesso 19:15h - Missa na comunidade S. Lucas - Paróquia NS Fátima - Vila Fátima 23 09 - 18h - Visita canônica Congregação Stella Maris 24 09:30h - CDAE Cúria e às 17h - Visita pastoral à Par. Sta. Rita de Cássia - Jd Palmira 17h - Visita pastoral à paróquia Sta. Rita de Cássia - Jd Palmira 25 09:30h - Dia de Oração pela santificação do clero - Seminário - Lavras 26 09h - Reunião Equipe de formação dos seminários - residência episcopal] 14h - Visita pastoral paróquia S. Mena 27 14h - Visita pastoral paróquia S. Geraldo 28 08h - Missa e encerramento da Visita Canônica Congregação Stella Maris 15h - Encontrão Diocesana Fé e Política - Elizabeth Bruyère - Vila Fátima 17h - Missa paróquia S. Pedro Apóstolo - Vila Galvão 29 BISPO AUSENTE DA DIOCESE 30 12h - Missa Catedral e às 14:30h - Atendimento na Cúria
  4. 4. 4 FD | Junho de 2014 Pastorais A Pastoral Carcerária visita periodica- mente todas as unidades prisionais de Guarulhos que são: Penitenciárias Desembargador Adriano Marrey e José Parada Neto + Anexo Penitenciário, localizados nas imediações do Parque Cecap, e os Centros de Detenção Provisória, CDP I e CDP II, lo- calizados nas imediações de Cumbica. Possui uma população carcerária de aproximadamente 9.500 presos. Para as visitas e demais trabalhos temos 20 membros, sendo nosso coordenador o Sr. Luiz Carlos e nosso assessor espiritual Pe. Valdocir Aparecido. Às quintas e sextas-feiras na Cúria Dio- cesana, das 9h até 14h, acontece o atendimento às famílias dos presos. Também, é quando rece- bemos, lemos e respondemos cartas de diversos irmãos encarcerados que procuram auxílio. Para entrada nos presídios portamos uma credencial emitida pela Secretaria da Administra- ção Penitenciária que nos assegura o ingresso nos estabelecimentos subordinados a ela, dispensada a revista manual, sem nenhuma restrição de luga- res e celas, com fim de prestar assistência humana e religiosa aos presos e funcionários. É função da pastoral ser presença de Cris- to e de sua Igreja no mundo dos cárceres. Exer- cemos este serviço especificamente em benefício dos presos e seus familiares, funcionários e auto- ridades responsáveis pela organização e manuten- ção do sistema penitenciário, para seu maior bem, para implantação de políticas públicas sociais, bem como para propiciar a esperança, a conscien- tização, o diálogo e a reconciliação de nossa socie- dade. Assim queremos lançar o convite, mais uma vez, para todos que se identificam com este trabalho e que queiram conhecer melhor, que ve- nham participar de nossas reuniões que aconte- cem todo 2º sábado de cada mês na catedral às 14h. Neste mês, de maneira especial, teremos a Formação para Novos Agentes. Participe! Ana Paula Pereira FORMAÇÃO PARA NOVOS AGENTES Data: 14 de junho às 14h Local: Catedral Nossa Sra da Conceição (Pça Teresa Cristina, Centro de Guarulhos) Não deixe de participar! Informações Telefone: 2443 0209 (quintas e sextas 9h-12h) Email: pastoralcarcerariaguarulhos@yahoo.com.br PASTORAL CARCERÁRIA Vida Presbiteral FRANCISCO, UM PAPA COM CHEIRO DE OVELHA Um homem, um padre, um pastor, “que vem despertando em muitos católicos a esperan- ça de uma igreja mais simples, mais pobre e mais próxima dos pobres”. Um modelo, a ser seguido por nós padres, um cutucar em nossas ações, nos- sas decisões e nosso ministério. Quando foi eleito Papa e perguntado se aceitaria, ele respondeu: “Sou um grande peca- dor; Confiando na misericórdia e na paciência de Deus, no sofrimento eu aceito”. Neste momento, colocou-se como humano, como autêntico cristão! E é assim irmãos, que devemos agir, com humildade, com confiança diante dos sofrimentos e com paci- ência e amor diante do povo a nós confiado. A escolha de seu nome, além do grande significado de uma Igre- ja sadia, aberta, viva e ávida em busca de viver o Cristo Bom Pas- tor, evoca um grande homem, um grande Santo, São Francisco; que é um expoente de testemunho e vi- vência eucarística, de aproximação e confiança no próximo, de Amar e amar verdadeiramente “o próximo como si mes- mo” (Mt 22,39). É fato que agindo assim consegui- remos atrair as pessoas de volta às Igrejas, de volta a vivência Eucarística. Uma mulher argentina disse: “Bergoglio exortava os fiéis a que não permanecessem fe- chados nas sacristias, que saíssem ao encontro do mais necessitado, tanto material como espiritual- mente”. Este é um dos caminhos; vamos para em missão, vamos a busca das ovelhas perdidas, dos fiéis afastados, doentes físicos e espirituais, dos encarcerados em presídios, casas de recuperação, dos condomínios e apartamentos; evangelizar, sendo Igreja além das paredes!!! EmumadesuashomiliasoPapadestacouo “testemunho humilde das pessoas que vivem com simplicidade sua fé na vida diária, nas relações de família, de trabalho, de amizade; verdadeiros SAN- TOS ESCONDIDOS”. Estes santos são formados em nossas paróquias e capelas, em nossas formações e retiro, mas, principalmente em nossas homilias dominicais; precisamos ser além de pastores, cate- quistas apaixonados pela palavra, e quando neces- sário for, sejamos também teólogos, mas, sempre com um acento humano, bem próximo e simples, como Cristo falava aos pescadores, pastores e agri- cultores. Ou seja, sentir de fato o cheiro das ove- lhas em nossa vida presbiteral. Irmãos! Sejamos gratos a Deus pelo teste- munho e as palavras do Apóstolo Jorge Bergoglio a nós e ao nosso povo! (fonte de pesquisa Papa Francisco O NOVO ROSTO DA IGREJA. Luís Quevedo, sj) Pe. Paulo Leandro Representante dos Presbíterios
  5. 5. 55FD | Junho de 2014 Aconteceu3º MUTICOM DIOCESANO No dia 18 de maio, no Colégio Mater Amabilis, membros das Pas- torais de comunicação e de toda a igreja participaram do 3º Mutirão de Co- municação da Diocese de Guarulhos. A principal motivação da diocese ao realizar o Muticom foi fazer uma troca de experiências entre paróquias que estão iniciando a Pastoral de Comunicação e paróquias que já têm uma es- trutura concreta. O evento contou com a participação do Padre Ederaldo que fez uma palestra sobre a carta do Santo Padre Papa Francisco para o 48º Dia Mundial das Comunicações Sociais, e quatro oficinas focadas na explanação das ativi- dades da PASCOM, sendo elas: mídias impressas, redes sociais, fundamentos da PASCOM e fotografia. Para encerrar as atividades houve a celebração de uma santa missa, presidida pelo Bispo Dom Edmilson, que, como já tinha sinalizado, espera que toda a diocese leve, através dos meios de comunicação, a palavra de Deus a todos. Pascom Paróquia Santa Luzia - Mikail No dia 17 de maio, no Seminário Diocesano Imaculada Conceição, ocorreu o Encontro Diocesano de Catequese, reunindo grande número de catequistas de diversas Paróquias de nossa Diocese. Com o tema referente à Exortação Apostólica “Evangelli Gaudium - A alegria do evangelho na Catequese”, o Padre Mizael refletiu com os catequis- tas a importância de seu trabalho e de sua missão. Após, os catequistas se reuniram e partilharam as suas reflexões so- bre o tema com todos os presentes. Coordenação da Catequese Diocesana ENCONTRO DIOCESANO DA CATEQUESE “O seu impossível para Deus é possível” (Conf. Lc 1,37).Com esse tema, dos dias 13 a 24 de maio de 2014, aconteceu na Paróquia Santa Rita de Cássia - Jd. Cumbica a novena, missa e festa em louvor á padroeira. A novena deste ano contou com várias idéias inovadoras, entre elas um grande momento de oração, iniciando com a reza do santo terço, a oferta de rosas, a leitura da palavra, homilia e por fim a adoração ao Santíssimo Sacramento. A cada dia, os movimentos e Pastorais da pa- róquia e capelas (SS. Trindade, Santa Isabel de Portugal, N.S.Aparecida e São Paulo Ap.) se revesaram na prepa- ração e condução da novena, o que exigiu a dedicação e criatividade dos grupos. Contamos com a presença de vários padres de nossa Diocese como Pe. Alci Villas Boas (Santa Rita - Palmira), Pe. Marcelo Dias Soares (Santa Luzia - Alvora- da), Pe. Pelegrino Rosa Neto (Seminário Diocesano), Pe. Antonio Zafani (Santa Luzia - Alvorada), Pe. Carlos Vi- cente de Lima (N.S. Bonsucesso), Pe. Edivaldo Medeiros (N.S.Fátima - Tranquilidade), que estiveram presentes e deram um novo brilho para cada noite. A entrada da relíquia e imagem da padroeira, aconteceu de forma solene, sempre acompanhada por bailarinas e jovens que exerceram a função de guardi- ões da imagem. No dia 22 a missa foi presidida pelo pároco Pe. Renato que esteve visivelmente emocionado, co- -celebrada pelo Vigário Pe. René Cavalcante, com a animação do Seminarista Fabio Lima, que foi um dos responsáveis pela implantação dessa nova maneira de celebrar. Durantetodososdiasdanovenaporvoltade800 fiéislotaramaparóquiaparaparticipardanovena,chegan- do a quase 1000 pessoas no dia da padroeira; os corredo- res da paróquia estavam inacessíveis. Após os dias de atos religiosos, no dia 24 acon- teceu a Quermesse de Santa Rita, com barracas de co- midas típicas, artesanato, brincadeiras, bingos e muita diversão. Louvamos e bendizemos a Deus por este novo tempo em nossa paróquia. “Santa Rita de Cássia advogada dos casos impossíveis, Rogai por nós!” Cleide Rodrigues Paróquia Santa Rita de Cássia - Jd. Cumbica NOVENA DE SANTA RITA DE CÁSSIA
  6. 6. 66 FD | Junho de 2014 Aconteceu FESTA DE N. SRA DAS VOCAÇÕES INSTITUIÇÃO DO MINISTÉRIO DE LEITOR No último dia 10 de maio de 2014, no Seminário Diocesano Imaculada Conceição, acon- teceu a Festa em louvor a Nossa Senhora das Vo- cações. Foi um dia de graça para todos nós semi- naristas e para o povo de Deus que por ali passou. Durante todo o dia houve momentos devocionais, animação, música, barracas etc. De modo particu- lar, tivemos a alegria de acolher o nosso bispo Dom Edmilson que presidiu a Santa Eucaristia na parte da tarde, na qual houve a Instituição do Ministério de Leitor dos seminaristas do quarto ano de Te- ologia (Johnny, Luiz Carlos e Thiago Ramos) e do terceiro ano de Teologia (Fábio Herculano, Renan e Rodrigo Lovatel). Mais um passo na caminhada vocacional é dado. Ser Leitor é assumir a missão de anunciar a Palavra de Deus para que cada vez mais se torne viva no coração das pessoas. Agradecemos imensamente a todos os amigos do seminário que por ali passaram, todas as pessoas que vieram de diferentes paróquias de nossa diocese para prestigiar esse momento, aos padres que no decorrer do dia marcaram presen- ça e, sobretudo, àquelas pessoas de boa vontade que se dispuseram a estar conosco tanto nos pre- parativos quanto durante todo o dia de festa que tivemos, trabalhando nas barracas, ajudando-nos de uma forma ou de outra. É como diz Dom Edmil- son: “O seminário é como que o útero de nossa diocese, pois é dele que nascem os padres para a Igreja”. Que Deus abençoe e recompense a todos pelo carinho para com os vocacionados de nossa Diocese. Continuemos em oração constante pe- dindo ao Senhor que nos conceda muitas e santas vocações sacerdotais e religiosas para o serviço do povo de Deus na Igreja de Jesus Cristo. Seminarista Thiago Ramos 4º ano de Teologia Foi realizada no dia 06 de Abril na Pa- róquia Nossa Senhora de Fátima da Vila Fátima, a Santa Missa em Ação de Graças pelos 08 anos da Pastoral da Pessoa Idosa na Diocese de Gua- rulhos, presidida pelo nosso Bispo D.vEdmilson e co-celebrada pelo Padre Tarcísio. Local onde ocorreu a primeira formação de Líderes em Guarulhos, que tem como propos- ta a visita domiciliar mensal aos idosos mais ne- cessitados. Os líderes têm a missão de levar aos idosos uma qualidade de vida melhor, valorizando e respeitando seus direitos como cidadãos, junto a família e a comunidade, fazem um acompanha- mento através de indicadores próprios, que ser- vem de orientação e incentivo à saúde dos idosos. O nosso saudoso Papa João Paulo II nos deixou uma linda mensagem: “Que cada comunidade acompanhe com uma compreensão amorosa todos os que envelhecem”. Margarida Filomena Faria Silva Paróquia Santo Antônio Vila Augusta. 08 ANOS DA PASTORAL DA PESSOA IDOSA No dia 24 de maio ocorreu a 3ª peregrinação ao Santuário de Santo Antônio de Santana Galvão, em Guaratinguetá, com a Irmandade de Frei Galvão da Dio- cese de Guarulhos, juntamente com outros paroquianos da Diocese, com o acompanhamento do Padre Cleber Leandro. A peregrinação percorreu pontos importantes da vida de Frei Galvão em Guaratinguetá, além da cele- bração da Santa Missa no Santuário do primeiro santo brasileiro. PEREGRINAÇÃO SANTO FREI GALVÃO
  7. 7. 57FD | Junho de 2014 Aconteceu PARÓQUIA CONTRIBUIÇÃO S.TEREZINHA - CUMBICA RS 4.270,10 N.S.APARECIDA - COCAIA R$ 2.610,00 N.SRA.DA CONCEIÇÃO - CATEDRAL R$ 2.350,00 S.ANTONIO - V.AUGUSTA R$ 1.556,30 S.JUDAS TADEU - TIBAGY R$ 1.500,80 S.ANTONIO - GOPOUVA R$ 1.500,00 SANTA LUZIA – MIKAIL R$ 1.372,80 S.FRANCISCO - GOPOUVA R$ 1.131,20 N.SRA.DO BONSUCESSO R$ 1.122,15 S.FRANCISCO - UIRAPURU R$ 1.122,00 N.S.FÁTIMA - V.FÁTIMA R$ 1.118,20 SANTA LUZIA – ALVORADA R$ 1.050,00 SANTA MENA R$ 1.028,00 S.JOÃO BATISTA R$ 1.006,50 S.CRUZ - TABOÃO R$ 980,80 SÃO ROQUE - CECAP R$ 867,00 S.ANTONIO - PIMENTAS R$ 800,00 S.VICENTE DE PAULO R$ 800,00 SÃO JOSÉ - J.PAULISTA. R$ 794,60 S.CRUZ –N.S.APARECIDA - P.DUTRA R$ 738,00 N.S.FÁTIMA - TRANQUILIDADE R$ 710,90 S.JUDAS – JD.ALICE R$ 685,75 SÃO PEDRO R$ 662,00 N.S.ROSÁRIO - V.ROSALIA R$ 650,00 N.S.LORETO R$ 641,75 S.FRANCISCO ASSIS - NAÇÕES R$ 557,00 S.RITA DE CÁSSIA - PALMIRA R$ 550,00 SANTO ALBERTO R$ 516,85 S.RITA DE CÁSSIA – J.CUMBICA R$ 505,65 N.S.LOURDES - ITAPEGICA R$ 453,35 S.ANTONIO - PARQUE R$ 441,95 SÃO GERALDO R$ 425,75 SANTA ROSA DE LIMA R$ 300,00 N.S.FÁTIMA – ARACILIA R$ 283,00 CAPELANIA N.SRA.STELLA MARIS R$ 255,00 S.ANT.MARIA CLARET R$ 207,00 N.S.APARECIDA - J.V.GALVÃO R$ 178,00 SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS COLETA TERRA SANTA 2014 EDIAM 2014 Aconteceu na Paróquia N.S.de Fátima- -Vila Fátima, no dia 18/05/2014 das 8h às 16h, o En- contro Diocesano da Infância e Adolescencia Mis- sionária em comemoração aos 171 anos da IAM no mundo. O evento teve início na Capela São Paulo Apóstolo - Vila Barros, às 10h. Crianças, adolescen- tes, assessores e coordenadores realizam a tradicio- nal Caminhada Missionária, saindo com muita alegria em direção a Paróquia N. S. de Fátima, e lá participa- ram da Santa Missa com membros da Comunidade paroquial. Durante a missa, algumas crianças consa- graram-se e, com velas em punho, recitaram a ora- ção missionária, sinal de compromisso com a evan- gelização de outras crianças e jovens. Após a missa retornaram a Capela São Pau- lo para o almoço e demais atividades; sempre orien- tados pela Coordenadora Diocesana da IAM Maria das Graças Mendes. Agradecemos em especial ao Pároco Pe. Pe. Tarcísio de Almeida que nos acolheu com muito carinho, e a todos que de várias maneiras contribui- ram para a realização desse encontro. DEUS seja louvado por mais um momento de concientização e crescimento Missionário de to- dos os presentes. “De todas as crianças do mundo, sempre amigos.” Cleide Rodrigues Assessora da IAM POSSE DO PE. SALVADOR No dia 18/05, o Padre Salvador Rodrigues de Brito, tomou posse como pároco da Pa- róquia Santa Cruz e Nossa Senhora Aparecida do Jardim presidente Dutra. Na ocasião estiveram presentes, além de nosso bispo diocesano Dom Edmilson, padres das paróquias da forania e a comunidade que, com muito alegria, acolheram o Pe. Salvador. Desejamos que essa nova cami- nhada seja coroada pelas bençãos do Senhor.
  8. 8. 68 FD | Junho de 2014 Vai Acontecer Junho de 2014 19:30 - Santa Missa e Abertura da Novena São Pedro Sexta 20 17:00 - Santa Missa e Novena de São Pedro Sábado 21 07:30 / 09:30 - Santa Missa 18:00 - Santa Missa e Novena São Pedro Dom 22 17:00 - Santa Missa celebrada por D Edmilson Encerramento Novena de São Pedro Sábado 28 07:30 / 09:30 / 18:00 Missa c/ benção de chaves 16:00 - Tarde de Louvor Dom 29 19:30 - Santa Missa e Novena São PedroSexta 27 Segunda 23 a Estamos em festa e convidamos você a fazer parte deste grande mutirão. Em 2014 celebramos 10 anos da Es- cola da Palavra na Forania Aparecida e, desta vez, queremos contar com a sua participação nos encontros semanais para aprofundar o Evangelho de Mateus. A abertura desta etapa será no dia 31/07/2014 na Pa- róquia N. Sra. Fátima – Vila Fátima. Os encontros se reali- zarão uma vez por semana, às terças-feiras das 20 às 21h30 nas Paróquias do Cocaia, Taboão, Santa Mena e Vila Fátima, e às 15h às quartas-feiras na Cocaia. Procure a secretaria paroquial e faça sua inscrição. ESCOLA DA PALAVRA - 10 ANOS
  9. 9. 59FD | Junho de 2014 Bíblia Liturgia O papa Francisco apresentou à Igreja a Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, a partir das conclusões do Sínodo dos bispos sobre a evangelização. Nesta carta, aponta diretrizes para encorajar e orientar toda a Igreja para uma nova etapa evangelizadora, cheia de ardor e dinamismo, para que “a alegria do Evange- lho” possa encher o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. Entre muitos assuntos abordados por ele, apresento aqui alguns pontos a res- peito da liturgia. Os termos “liturgia”, “litúrgico” ou “li- túrgica” aparecem pouco, apenas 12 citações. Uma vi- são desatenta poderia interpretar que não é suficiente. Porém, o foco da sua preocupação é a autêntica evan- gelização, da qual a liturgia é uma parte. A proposta de “liturgia”, nas entrelinhas do texto, segue as pistas do caminho de Emaús (Lc 24, 13- 35), no qual primeiro acontece o encontro das pessoas, o encontro com a dura realidade da vida, e o encontro com a Sagrada Escritura que aquece e converte o co- ração. Nestes encontros brota a luz de Deus e se des- cobre a presença e ação do Ressuscitado. Depois e a partir destes encontros acontecem o rito e a celebra- ção, integrando a vida ao Mistério e devolvendo a vida na missão. Diz o papa: “No meio desta exigência diária de fazer avançar o bem, a evangelização jubilosa torna- -se beleza na liturgia. A Igreja evangeliza e se evangeli- za com a beleza da liturgia, que é também celebração da atividade evangelizadora e fonte dum renovado impulso para se dar” (Evangelii Gaudium, nº 24). Esta atividade evangelizadora é a ação da Igreja “em saída”, a comunidade de discípulos missionários que: 1) toma a iniciativa, vai ao encontro dos afastados e chega às encruzilhadas dos caminhos para convidar os excluídos; 2) se envolve, entra na vida diária dos outros, tocando a carne sofredora de Cristo no povo; 3) acompanha a hu- manidade em todos os seus processos, por mais duros e demorados que sejam; 4) frutifica, porque o Senhor a quer fecunda, cuida do trigo e não perde a paz por causa do joio; 5) festeja e celebra cada pequena vitória, cada passo em frente na evangelização. Desta maneira a liturgia surge costurada com a ação da comunidade discípula e missionária. Se por um lado é o ponto de chegada de todo o processo evangelizador, momento de celebrar a caminhada, é também ponto de partida para novos horizontes, cume e fonte da ação evangeli- zadora da Igreja. No texto do papa há todo um capítulo sobre o anúncio evangelizador, com destaque para a homilia e a pregação no contexto litúrgico. No dizer do papa, a homilia “pode ser, realmente, uma experiência in- tensa e feliz do Espírito, um consolador encontro com a Palavra, uma fonte constante de renovação e cresci- mento” (Evangelii Gaudium, nº 135). O papa recorda que “a proclamação litúrgica da Palavra de Deus, princi- palmente no contexto da assembleia eucarística, não é tanto um momento de meditação e de catequese, [mas é] sobretudo o diálogo de Deus com o seu povo, no qual se proclamam as maravilhas da salvação e se propõem continuamente as exigências da Aliança” (Evangelii Gaudium, nº 137). A pregação litúrgica não é discurso filosófico ou sermão desligado da vida da comunidade, mas toda a liturgia da Palavra deve parecer com a con- versa familiar do pai com os filhos e filhas, para retomar o diálogo que já está estabelecido entre o Senhor e o seu povo. Por isso, “aquele que prega deve conhecer o coração da sua comunidade para identificar onde está vivo e ardente o desejo de Deus e também onde é que este diálogo de amor foi sufocado ou não pôde dar fruto” (Evangelii Gaudium, nº 137). Mais do que um espetáculo de divertimento, dentro da lógica dos recursos midiáticos, a finalidade da homilia é dar fervor e significado à celebração. “Quando a pregação se re- aliza no contexto da Liturgia, incorpora-se como parte da oferenda que se entrega ao Pai e como mediação da graça que Cristo derrama na celebração. Este mesmo contexto exige que a pregação oriente a assembleia, e também o pregador, para uma comunhão com Cristo na Eucaristia, que transforme a vida. Isto requer que a palavra do pregador não ocupe um lugar excessivo, para que o Senhor brilhe mais que o ministro” (Evange- lii Gaudium, nº 138). Esta carta do papa questiona toda a Igreja, mas também o nosso agir celebrativo: a liturgia é, de fato, encontro de pessoas humanas entre si, e encon- tro destas pessoas humanas com as Pessoas Divinas da Trindade? Como a vida e os sofrimentos do povo estão presentes em nossas liturgias? Como o caminho evan- gelizador da comunidade desemboca nas celebrações? “Que a Palavra seja acolhida e manifeste a sua força li- bertadora e renovadora” (Evangelii Gaudium, nº 24), e a partir desta carta, possamos buscar caminhos novos para a revelação do Mistério de Cristo na comunidade e na realidade. Pe Jair Costa Assessor Diocesano de Liturgia A LITURGIA NA EXORTAÇÃO APÓSTÓLICA EVANGELII GAUDIUM Jesus, ao enviar os seus discípulos, faz uma palavra-promessa: “eis que estou convosco todos os dias até o fim dos tempos” (Mt 20,20). Esta é a última frase pronunciada pelo Senhor em sua passagem pela terra. Portanto, jamais deve ser esquecida pelo amigo discípulo. E o redator a escreveu no tempo presente (“estou convosco”). Não é, pois, algo do passado ou válido somente para o futuro. Vale para qualquer tempo, para a época de cada leitor. Convido os leitores a perceber, que os evangelistas não querem apresentar Jesus apenas como um sábio, ou um líder religioso, um mestre de justiça com admiráveis lições a seus seguido- res e a outros mais. Eles pretendem mostrar Jesus como Filho de Deus e Salvador (Mt 14,30-3; 16,16). E os discípulos foram desafiados a Crer n’Ele. Isso é muito mais do que “admirar” o mestre. Trata-se de “deixar-se salvar pelo Filho de Deus”. No tempo de Jesus era o discípulo que escolhia a quem seguir, no caso dos discípulos de Jesus Ele os escolheu. Ele os chamou. Eles o segui- ram. Ao iniciar uma das partes mais caracte- rísticas de seu evangelho, como é o sermão da montanha, Mateus diz que, “ao sentar-se aproxi- maram-se dele os seus discípulos” (5,1). As bem aventuranças é a porta de entrada do reino de Deus: este sermão típico de Mateus representa um momento-chave, uma vez que recapitula en- sinamentos fundamentais do Messias, novo Moi- sés, para sua comunidade. Aqui Jesus instrui, de maneira mais clara e aberta, sobre qual é a iden- tidade e a missão dos que decidiram segui-lo. São oito categorias de pessoas. Veja se você pode en- trar por uma destas portas que indicam o caminho para a felicidade: 1. Os pobres em espírito - Deles é o Reino dos Céus 2. Os mansos - Herdarão a terra 3. Os aflitos - Serão consolados 4. Os com fome e sede de justiça - Serão saciados 5. Os misericordiosos - Obterão misericórdia 6. Os de coração limpo - Verão Deus 7. Os promotores da paz - Serão filhos de Deus 8. Os perseguidos por causa da justiça - Deles é o Reino dos céus. A promessa de Jesus “eis que estou con- vosco todos os dias” se realiza na missão dos seus discípulos em todos os tempos: Ele está no meio de nós! A adesão aos seus ensinamentos é sinal visível de que homens e mulheres de todos os tempos são instrumentos de paz e justiça, são chamados a ser “sal da terra e luz do mundo” (Mt 5,13-16). Para refletir: Em sua opinião, viver sabendo que Jesus caminha com você todos os dias, faz algu- ma diferença? Qual o tipo de felicidade que o povo mais procura? E você? Celia Soares de Sousa Teóloga leiga EIS QUE ESTOU CONVOSCO TODOS OS DIAS
  10. 10. 610 ATENÇÃO COLABORADORES: Enviem suas matérias até o dia 15 de cada mês, contendo no máximo 30 linhas, com corpo 14. Caso venha com um número maior de linhas, faremos a redução proporcional do conteúdo. Programe-se ANIVERSARIANTES FD | Junho de 2014 CALENDÁRIO JUNHO 2014 Nascimento 01 (1967) Pe. José Wagner 01 (1963) Pe. Francisco Antunes (Chico) 09 (1986) Pe. Cássio Fernando 24 (1939) Pe. João Miazzi 29 (1960) Pe Pedro Paulo Ordenação 11 (2004) Pe. Edivaldo Medeiros 15 (1987) Pe. Antonio Zafani DIA HORÁRIO ORGANIZAÇÃO ATIVIDADE LOCAL 01 09:30 CRB Como envelhecer Filhas SSmo Redentor 01 08 - 18 RCC Ascensão Sede RCC 01 17:00 PASCOM Missa da Comunicação Bonsucesso 03 14:00 Pastoral da Saúde Capacitação agentes A definir 04 20:00 Past. da Educação Reunião coordenação Catedral 06-08 19:30 ECC 1ª Etapa Pdt. Dutra 07 SHALOM Vigília de Pentecostes Sede 07 09:00 Escola Fé e Politica Encontro Forania Fátima Alvorada 07 15:30 Pastoral Operária Reunião Coordenação CentroSocial Taboão 07 14:30 IAM/JM/COMIDI Reunião dos assessores A definir 07 15:00 Sobriedade Reunião FOMAD Adamastor 07 Past. Fé e Política Representantes da Câmara Centro Elizabeth Bruyere 07 14:30 Familiar Coord. Paroquiais A definir 08 08:00 Sobriedade Retiro A definir 08 08 - 17 PJ II Oficinando São José 11 09:00 Past. Pessoa Idosa Reunião PPI Sede PPI 12 Pastora da Criança Encontrão de Líderes A2 12 ABERTURA DA COPA 13 Dois anos de Falecimento de Dom Luiz Gonzaga Bergonzini 14 14:00 Carcerária Formação Novos agentes Catedral 14 PASCOM Reunião Equipe A definir 14 14:00 SAV - PV Reunião mensal Catedral 14-15 SHALOM Arraiá da paz Valter Fusco 15 14:30 Pastoral da Saúde Encontro com agentes A definir 15 08:00 RCC EPA Sede RCC 15 PASCOM Peregrinação N.Sra. da Comunicação Santo Alberto 17 PastoraL da Criança Reunião Diocesana 20-22 Past. da Educação Encontro Sul 1 Casa Emaus 21 15:00 Sobriedade Reunião Diocesana São Geraldo 21 09:00 Vicentinos Conselho central Sede – Cumbica 21-22 08:00 RCC Cura das Gerações A definir 22 Dia da Sobriedade 22 Past. Pessoa Idosa MISSA Paróquias 24 19:30 RCC Formação Intercessão Sede RCC 26 8:00 Forania Bonsucesso Retiro Tesoureiros Seminário 25 09:00 CP Oração do Clero Seminário 28 08:30 Catequese Escola da Catequese Foranias 28 15:00 Past. Fé e Política Encontrão Diocesano A definir 29 08 - 17 RCC Formação Comunicação Sede RCC 29 08:00 Forania Bonsucesso Retiro para tesoureiros Seminário 29 PASCOM Peregrinação N. Sra. da Comunicação Pimentas 29 14:00 Apost. da Oração Encontro Catedral 29 14:00 SAV - PV Enc. Vocacional Catedral 30- 01/08 19:30 ECC 1ª Etapa Santa Terezinha - Cumbica EDM - NOVAS INSCRIÇÕES Inscrições para os cursos da Escola Diocesana de Música Período de inscrição: de 01 a 19/07 de terça/quarta e quinta das 18 às 22:00 Aos sábados das 9 às 16:00 na Rua Mandaguari, 88 – Bom Clima - Guarulhos As aulas começam em Agosto/2014 Documentos: RG/CPF comprovante de endereço e taxa de inscrição de 30,00 Cursos em grupo com duração de 2 anos e entrega de certificado: Violão, guitarra, violino, contrabaixo, teclado, bateria, flauta doce, flauta transversal, trompete, saxo- fone, canto coral e técnica vocal para adultos, musicalização e coral infantil. Idade: a partir dos 5 anos de idade. Curso de audio – duração de 4 meses - Este curso terá uma duração de 4 meses (agosto a novembro), uma vez por semana e será totalmente prático para quem quer aprender a equalizar o som. Entre outras coisas estão a equalização de bandas, mi- crofones direcionais, microfones de coral, instrumentos e comunicação. 5º semestre de violão: Atenção aos ex-alunos que completaram o ciclo de dois anos de violão e queiram voltar para aperfeiçoar, estamos criando o 5º semestre a partir de agosto/2014. Faça sua inscrição e venha aperfeiçoar seus conhecimentos.
  11. 11. 511FD | Junho de 2014 CF e a Copa “Queremos criar um clima de vigilância e de reação ao Tráfico Humano e à Exploração Sexu- al que, em tempos de megaeventos, como a Copa, tendem a crescer”. A afirmação é da coordenadora da Rede um Grito pela Vida, Irmã Eurides Alves de Oliveira, icm, durante Coletiva de Imprensa que lançou a Campanha “Jogue a favor da vida - de- nuncie o Tráfico de Pessoas”. O evento reuniu na sede da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), em Brasília, jornalis- tas, representantes de igrejas cristãs, universida- des, instituições e organismos afins. Uma iniciativa da CRB Nacional, a Campa- nha é coordenada pela Rede um Grito pela Vida e visa alertar a sociedade brasileira sobre o Tráfico de Pessoas, a Exploração Sexual e outras formas de violação dos Direitos Humanos que podem au- mentar durante a Copa do Mundo. Ao apresentar a Campanha, Irmã Eurides, explicou que as ações, já começaram em todo o Brasil, em fevereiro, com atividades como coleti- vas de Imprensa, debates, panfletagens, caminha- das e celebrações. Agora, a previsão é intensificar essas ações nas cidades-sedes da Copa. “Cada nú- cleo da Rede está mapeando lugares estratégicos, aeroportos, estações rodoviárias, corredores de ônibus, estações de trens, lugares de maior fluxo de turismos como capitais litorâneas e praias, para esta conscientização”, relatou. “Consideramos esta oportunidade um momento singular para defen- der a vida e denunciar as formas de violação dos direitos humanos. Queremos mostrar aos turistas e aos brasileiros que o Brasil se opõe radicalmente à Exploração Sexual e ao Tráfico de Pessoas. Exis- tem leis e punições severas para os envolvidos”, reforçou. No dia 20 de maio, na Sala de Imprensa do Vaticano, representantes da CRB Nacional e re- ligiosas da Rede Internacional ‘Talita Kum’, à qual a Rede um Grito pela Vida está associada, apre- sentaram a Campanha “Jogue a favor da vida – de- nuncie o Tráfico de Pessoas” ao prefeito da Con- gregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica, o cardeal dom João de Aviz. Na Capital Federal, no mês de junho, a CRB Nacional pretende, com o apoio da CNBB, da arquidiocese de Brasília e do governo, realizar uma caminhada na Esplanada dos Ministérios em memória das vítimas do Tráfico de Pessoas e da Escravidão Moderna. A vice-presidente da CRB Nacional, Irmã Maria Inês Ribeiro, mad, destacou que a Cam- panha é motivada “pela própria missão da Vida Religiosa Consagrada no Brasil, de ser presença profética em situações de fronteiras, nas periferias em especial entre as juventudes e onde a vida é mais ameaçada”. Esclareceu que não é somente por causa da Copa do Mundo que a CRB enfrenta o Tráfico de Pessoas, a entidade assumiu essa mis- são já no ano 2006. O secretário-geral da Conferência dos Bis- pos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner, ofm, avaliou que “a Campanha da Fraternidade (CF) ajudou o Brasil a abrir os olhos para a realidade sofrida do Tráfico Humano em que as pessoas não são mais tratadas como pessoas, muito menos como filhos e filhas de Deus”. Segundo o bispo, o tema da CF 2014 foi fruto do trabalho da Vida Re- ligiosa, no enfrentamento do Tráfico de Pessoas. Dom Leonardo prevê que “o país abrirá ainda mais os olhos com o ‘gol’ que a CRB está fazendo des- de já, com esta Campanha e está incidindo, como Vida Religiosa lá onde as pessoas mais sofrem, de maneira discreta, mas muito eficaz e evangélica, consoladora e samaritana”, complementou. Na opinião do secretário de Justiça do Distrito Federal, Jefferson Ribeiro, no combate ao Tráfico de Pessoas, o governo deve unir forças com a sociedade civil. Ele recordou ainda que a Lei Áu- rea foi promulgada há 126 anos (13 de maio de 1888), mas até hoje não conseguimos acabar com a escravidão. “Esse é um assunto que envergonha o povo brasileiro”. Em seguida, explicou que, por ser “um crime de porão” se torna mais difícil com- batê-lo. “Estamos diante de um monstro e espera- mos continuar firmes contando com a parceria da CRB, da CNBB e da arquidiocese de Brasília”. Esteve também presente na Coletiva, o professor de Direito Civil na Universidade de Bra- sília (UNB) e membro vitalício do Conselho Fede- ral da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Dr. Marcello Lavenère Machado. Ao avaliar o com- portamento dos grandes meios de comunicação, o jurista disse que, “a sociedade brasileira tem dificuldades de abordar certos temas pela falta de acesso a um elenco amplo e plural de notícias. Esperava ver aqui jornalistas dos grandes meios de comunicação, mas já sabia que essa esperan- ça não seria correspondida”, observou. “Num país com 200 milhões de habitantes onde apenas qua- tro famílias controlam os principais meios de co- municação, a sociedade civil não organizada fica refém da opinião publicada”. Pediu ainda que o “aparelho repressor do estado” que quase sempre se voltou seletivamen- te contra os segmentos mais vulneráveis da so- ciedade, durante a Copa e das manifestações que estão sendo esperadas, mude de atitude. Quanto ao enfrentamento do Tráfico de Pessoas, disse que esse e outros crimes existem “por que há um regi- me injusto que considera cada sentimento huma- no uma mercadoria. Temos ainda esperança, uma esperança que tem duas filhas, como dizia San- to Agostinho: a indignação para não aceitar isso como algo natural e a coragem para denunciar es- sas práticas”. A CRB Nacional expressou agradecimen- tos pela parceria da CNBB, Secretaria de Justiça do DF, Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic), Pontifícias Obras Missionárias (POM), Centro Uni- versitário de Brasília (UniCEUB), Cáritas Brasileira, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), CRB Regio- nal de Brasília e Goiânia da arquidiocese de Brasí- lia, Rede Vida de Televisão, Canção Nova Notícias e Agência Zenit. Fundada em 1954 a Conferência dos Re- ligiosos do Brasil celebra, este ano, 60 anos de existência. A entidade congrega cerca de 40 mil religiosos e religiosas de diversas congregações e ordens de Vida Consagrada. www.gritopelavida.blogspot.com.br CAMPANHA DE PREVENÇÃO AO TRÁFICO DE PESSOAS NA COPA
  12. 12. IMPRESSO ESPECIAL 7220993744 - DR/SPM MITRA DIOCESANA CORREIOS Responsáveis: Pe. Francisco G. Veloso Jr. - coordenacao@diocesedeguarulhos.org.br Jornalista Resp.: Rodrigo M. Lovatel - MTB. 46.412 - SP Secretária: Caetana Cecília Filha | Revisão: Pe. Antônio Zafani Editoração Eletrônica: Luiz Marcelo Gonçalves - Foto da Capa: Maurício Oliveira Impressão: NEO GRAF - Indústria Gráfica e Editora Ltda - Fone: 11 3333-2474 Cúria Diocesana - Av. Gilberto Dini, 519 - Bom Clima - Cep: 07122-210 Contato: 11 2408-0403 - Email: folhadiocesana@diocesedeguarulhos.org.br Tiragem: 28.000 exemplares - www.diocesedeguarulhos.org.br 612 FD | Junho de 2014 No dia 30 de maio, a Diocese de Guaru- lhos se alegrou com celebração da Ordenação Dia- conal realizada na Paróquia São Judas Tadeu - Jd. Alice com a presença de nosso Bispo Diocesano Dom Edmilson, de todo clero da Diocese e grande número de fieis. Nessa celebração, José Allyson, Rodrigo Bu- rin, Marcos José, Hechilly de Brito e Rodrigo Cardo- so foram ordenados Diáconos de nossa Diocese! O Amor, doação, testemunho de fé e servi- ço à comunidade são palavras que sempre defini- ram a vocação e, principalmente, de forma especial com o ministério diaconal! Nossa Diocese muito se alegra com sua presença e pelo testemunho dado por vocês! Que Maria, Mãe das Vocações, interceda por vocês nessa caminhada que começa a ser tri- lhada! Que Deus os abençoem sempre! Pascom Santa Rosa de Lima Especial ORDENAÇÃO DIACONAL

×