ANO XVII - Nº 214 - SETEMBRO DE 2014 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA 
“A Palavra de Deus é Viva e Eficaz.” Hb 4,12
Editorial 
2 
Enfoque Pastoral 
VIVEMOS um momento forte em nossa 
nação, que faz com que todos nós cristãos e cida-dãos 
...
FÉ MADURA, ESCOLHA CONSCIENTE Voz do Pastor 
Neste mês de setembro concluiremos os 
encontros de Fé e Política nos grupos ...
Aconteceu 
Foi realizado no dia 03 de julho o 1° 
ECOM- Encontro ‘’ Comunicando o Cristo’’ na sede 
da Renovação Carismáti...
Aconteceu 
FD | Setembro de 2014 5 5 
No Ano de 1998 o Papa João Paulo Se-gundo 
vendo a necessidade do povo e o avanço da...
Aconteceu MISSA DIOCESANA DA FAMÍLIA 
6 6 FD | Setembro de 2014 
Aconteceu no dia 11 de agos-to, 
no Santuário São Judas T...
Vai Acontecer 
FD | Setembro de 2014 7 5 
1 ANO DE FALECIMENTO DE DOM JOAQUIM 
A Editora Santuário e a autora, 
Irmã Jacqu...
Vai Acontecer 
SEMANA DA VIDA 
01 à 07 de outubro 
Tema: Casos especiais de aborto, aceitos pela maioria dos 
católicos (c...
Vida Presbiteral 
Educação 
FD | Setembro de 2014 9 5 
Vivemos em uma época de pro-fundas 
e significativas mudanças. A aç...
10 6 
ATENÇÃO COLABORADORES: Enviem suas matérias até o dia 15 de 
cada mês, contendo no máximo 30 linhas, com corpo 14. C...
Bíblia 
Liturgia 
FD | Setembro de 2014 11 5 
Ciente de que a Bíblia é pouco valoriza-da 
pelos fiéis católicos, a CNBB, d...
COLETA DO ÓBULO 
DE SÃO PEDRO 
IMPRESSO 
ESPECIAL 
7220993744 - DR/SPM 
MITRA DIOCESANA 
CORREIOS 
FÉ E POLÍTICA 
Diretor ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fd setembro 2014_baixa

487 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
487
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fd setembro 2014_baixa

  1. 1. ANO XVII - Nº 214 - SETEMBRO DE 2014 DISTRIBUIÇÃO GRATUITA “A Palavra de Deus é Viva e Eficaz.” Hb 4,12
  2. 2. Editorial 2 Enfoque Pastoral VIVEMOS um momento forte em nossa nação, que faz com que todos nós cristãos e cida-dãos nos coloquemos em uma attitude de refle-xão. Estamos no ano das eleições. Muitos não gos-tam de falar sobre esta questão, mas é de grande importância refletirmos, pois é o futuro do País que está em pauta. Sejamos atendos e honestos neste momento tão singular. Um grande Padre da Igreja, São Basílio Magno, definido pelos textos litúrgicos bizantinos como um “luminar da Igreja”, um grande bispo do século IV, e admirado tanto pela Igreja do Oriente como pela do Ocidente por sua santidade de vida, pela excelência de sua doutrina e pela síntese har-moniosa de capacidades especulativas e práticas oferece uma grande ajuda para a nossa reflexão. Como bispo e pastor, Basílio se preocupou constantemente pelas difíceis condições materiais nas quais os fiéis viviam; denunciou com firmeza o mal; comprometeu-se com os pobres e os mar-ginalizados; interveio junto aos governantes para aliviar os sofrimentos da população, sobretudo em momentos de calamidade; velou pela liberdade da Igreja, enfrentando os potentes para defender o direito de professar a verdadeira fé. Deu testemu-nho de Deus, que é amor e caridade. Eis alguns de seus ensinamentos sociais: “conscientiza-te de tua grandeza considerando FD | Setembro de 2014 A ESCOLHA DO FUTURO LUMINAR DA IGREJA o preço derramado por ti: olha para o preço do teu resgate e compreende a tua dignidade. Quem é rico deve ser como um executor das ordens de Deus benfeitor. Quando alguém ama o próximo como a si mesmo não deve possuir nada mais de quanto possui o seu próximo. Todos os necessita-dos olham para as nossas mãos como nós olhamos para as de Deus quando estamos em necessidade”. (São Basílio Magno) São Basílio se entregou totalmente ao fiel serviço da Igreja. Foi um homem que viveu verda-deiramente com o olhar dirigido a Cristo, um ho-mem do amor pelo próximo. Repleto de esperança e da alegria da fé, Basílio nos mostra como ser re-almente cristãos. Nesta dinâmica de vida São Basílio é sem dúvida exemplo que nos impulsiona a assumirmos nossa missão de cristãos e cidadãos. Que suas pa-lavras e acima de tudo exemplo nos inspire neste ano eleitoral a olharmos com caridade quem res-ponde com seu trabalho e esforço para o bem da nação, em especial aqueles que mais necessitam. Que a nossa fidelidade e honestidade nas ur-nas possa vivamente colaborar com a edificação de uma nação onde Deus seja acolhido e obedecido. Padre Francisco Gonçalves Veloso Júnior Coordenador Diocesano de Pastoral O tema das eleições 2014, como possibilidade de um futuro melhor, é traba-lhado ao longo desta edição por ser um mo-mento fundamental da história na escolha dos legítimos representantes da população nas esferas nacional e estadual. A Folha Diocesana como um veículo cristão, comprometido com o Evangelho e a vida em sociedade, não pode deixar de refletir, debater e promover a parti-cipação da população de maneira responsável no processo eleitoral. As dicas oferecidas na cartilha “Meu voto, meu futuro”, escrita pelo nosso bispo Dom Edmilson Amador Caetano e partilhado nos diversos grupos, proporcionam uma fé madura e escolha consciente, afim de que não nos tronemos eleitores analfabetos. Os diversos grupos pastorais da nossa diocese também estão preocupados com o fu-turo de nossa sociedade. A família, a criança, o jovem, os catequistas, a vida em comunida-de, a educação ambiental, a mulher pobre, a busca da sobriedade, a defesa da vida e o compromisso missionário são temas desen-volvidos nos encontros e celebrações como oportunidade de avançar na conquista de uma nova sociedade. O passado e o presente se encontram na gratidão a Dom Joaquim Justino Carreira, nosso segundo bispo diocesano, que comple-ta um ano de falecimento e que nos deixou a certeza de que o futuro feliz depende do fa-zer o outro feliz. A felicidade também marcou a celebração do jubileu de ouro da paróquia Nossa Senhora de Fátima que ao longo des-tes cinquenta anos viveu a experiência da vida em comunidade através da Palavra de Deus, da eucaristia, do encontro com o outro e dos compromissos sociais. Diz o papa Francisco: “O crente é, fundamentalmente, uma pessoa que faz memória”. E que venha o futuro para que seja feito muito mais do que no passado. Com alegria, fé e esperança retorna-ram os sacerdotes e os novos diáconos do re-tiro anual do clero para continuarem a mis-são de serem “pastores sentindo o cheiro das ovelhas” e promotores do futuro de uma nova paróquia. Que as consequências da nossa esco-lha seja de fato uma bela oportunidade de testemunharmos avanços, em toda a nossa sociedade, necessitada de homens e mulhe-res felizes e comprometidos em criar condi-ções para que “todos tenham vida e vida em abundância.” ( Jo 10,10 ) Padre Marcos Vinícius Assessor Diocesano da Pascom pascom@diocesedeguarulhos.org.br
  3. 3. FÉ MADURA, ESCOLHA CONSCIENTE Voz do Pastor Neste mês de setembro concluiremos os encontros de Fé e Política nos grupos de rua/seto-res/ FD | Setembro de 2014 3 comunidades. Alguém pode ficar decepcionado pelo fato do bispo não indicar nomes de candidatos em quem votar ou em quem não votar. Quero que cada um e cada uma seja suficientemente maduro e madura na fé para fazer uma escolha consciente. Não podemos mais ser crianças em questão de ci-dadania, deixando que os outros opinem e determi-nem por nós, o que nos cabe por direito e dever. Não podemos nos deixar levar pelos discursos emotivos e sentimentais. Os parâmetros para a escolha foram dados. Falei bastante na Voz do Pastor do mês de julho e os encontros que terminam este mês fazem com que seja possível refletir sobre o que queremos realmente no cenário político do nosso País. Espero que a discussão política neste tem-po de campanha eleitoral seja rica, sem ofensas, com diálogo aberto, valorizando projetos realmente transformadores. Os encontros dos Conselhos Forâneos de Pastoral realizados em agosto não deixaram de ser políticos, uma vez que a ação social (que é política) não está dissociada da fé. Espero que a “lição de casa” seja realizada por todos os agentes de pas-toral social nas paróquias. Não esqueçamos que a Pastoral Social será exatamente o que o nome diz, à medida em que nossa ação evangelizadora for sociotransformadora. Vejam, então, a importância de termos, na fé, uma ação política de participação em todas as políticas públicas, fazendo com que elas realmente corroborem para o bem comum. O ver-dadeiro bem comum resgata a dignidade da pessoa humana. Peço aos irmãos e irmãs de nossas paró-quias que participam dos Conselhos Municipais que me informem tempestivamente de como estão sen-do trabalhadas as políticas públicas em Guarulhos +Edmilson Amador Caetano, O.Cist. Bispo Diocesano de Guarulhos AGENDA DO BISPO 01 19h30- Missa 1º. ano do falecimento de D. Joaquim Paróquia São Francisco (Gopoúva) 02 09h30 - Atendimento Cúria 14-21h - Visita pastoral paróquia NS Aparecida - Vila Galvão 03 09h30 - CODIPA 04 09h30 - Atendimento Cúria 14-21h - Visita pastoral paróquia Santo Alberto 05 09h - Café com os padres das foranias Bonsucesso e Fátima 16-21h - Visita pastoral paróquia Santo Antonio Claret 06 19h30 - Encontro com os jovens paróquia Santa Cruz - Pres. Dutra 07 09h - Missa (Grito dos Excluídos) Pça. Getúlio Vargas 16h - Crisma paróquia Sta. Terezinha - Cumbica 08 12h - Missa Catedral 09 09h30 - Atendimento Cúria 21h - Missa na FIG - Movimento Universidades Renovadas 10 09h30 - Conselho de presbíteros 14h30 - Atendimento Cúria 11 09h30 - Conselho Deliberativo da Cáritas diocesana 14-21h - Visita pastoral paróquia Sto. Antonio (Parque) 12 09h - Café com os padres das foranias Imaculada e Aparecida Paróquia Sto. Antonio (Gopoúva) 15h - Reunião com os seminaristas no Seminário Diocesano 13 manhã - Posse do bispo coadjutor de Santos 17h - Missa no Congresso COMIDI 14 09h - Missa paróquia Santa Cruz (Taboão) 16h - Crisma paróquia S. Francisco (Uirapuru) 19h - Missa paróquia Santa Cruz (Pres. Dutra) 15 12h - Missa Catedral 16 09h30 - Economato 14h30 - Atendimento Cúria 20h - Santuário S. Judas - Rosário da libertação 17 09h30 - Reunião do clero no CDP 19h - Participação na palestra da Faculdade Progresso 18 07h - Missa no propedêutico e reunião 14h30 - Reunião da Equipe de formação do Seminário Residência episcopal 20h - Reunião - Documento do laicato - Sto. Antonio (Gopoúva) 19 09h30 - Atendimento Cúria 19h30 - Novena de S. MIguel Arcanjo - Catedral de S. Miguel 20 15h30 - Palestra ECC 2a. etapa - Sta. Rita - Jd. Cumbica 21 09h - Missa no 24o. Fest Jovem - Colégio Virgo Potens 16h - Crisma paróquia S. Francisco - Pq Nações 22 09-12h - Reunião dos bispos da Província Eclesiástica em São Paulo 23 09h30 - Atendimento Cúria 16-21h - Visita Pastoral Catedral 24 14h30 - Atendimento Cúria 25 09h30 - Atendimento Cúria 19h30 - Novena S. Francisco - Pq Nações 26 20h - Encontro com os coord. de comunidades - Sagrado Coração de Jesus 27 09-14h - Encontro com os coordenadores de comunidades da paróquia Sagrado Coração de Jesus 16h - Crisma paróquia Sagrado Coração de Jesus 20h - Jantar Cáritas diocesana 28 10h - Crisma paróquia Sto. Alberto 18h - Crisma paróquia Sta. Rita - Jd Cumbica 29 12h - Missa Catedral 30 09h30 - Atendimento Cúria
  4. 4. Aconteceu Foi realizado no dia 03 de julho o 1° ECOM- Encontro ‘’ Comunicando o Cristo’’ na sede da Renovação Carismática Católica no centro da cidade. Promovido pelo Ministério de Comunica-ção Social da RCC teve a Pastoral da Comunicação Diocesana como convidada. O evento teve a participação de cerca de 50 pessoas que, durante todo o domingo, puderam acompanhar palestras, pregações regadas a muito louvor. Como convidados estiveram Airton Rocha coordenador nacional do MCS da RCC Brasil, na-tural de Sergipe, que falou sobre as diretrizes da MISSA DE AÇÃO DE GRAÇAS DA PASTORAL DA CRIANÇA MISSA DIOCESANA DA CATEQUESE 4 FD | Setembro de 2014 RCC E PASCOM NO 1º ECOM Comunicação na igreja além de conduzir uma pa-lestra cujo tema foi ‘’Preparei o Caminho‘’. Gusta-vo Henrique Borges, missionário da Comunidade Canção Nova, ministrou uma palestra sobre Mídias Sociais onde destacou as palavras do Pe. Antônio Spadaro - Consultor do Pontifício Conselho para a Cultura e Comunicação do Vaticano: ‘’Precisamos compreender que a Internet não é ferramenta e sim um lugar de evangelização ‘’. Foram realizadas ainda mais duas pales-tras: uma com Valter Cordeiro, vice coordenador da MCS, que falou sobre fotografia, os desafios de uma boa foto, que tem como segredos, a sensibili-dade e no ‘ser invisível‘ do fotógrafo. E outra com o Seminarista Fernando Gonçalves da paróquia Santa Mena - Picanço, que foi responsável por re-fletir sobre a mensagem do Papa Francisco para o 48° dia Mundial das Comunicações Sociais. Uma missa, presidida pelo Assessor diocesa-no da PASCOM, Pe. Marcos Vinicius que enfatizou em sua homilia que: ‘’Não basta ter os meios, mas, saber para que eles servem e como utilizá-los‘’, en-cerrou o encontro. Marcela Vasconcelos PASCOM - Paróquia Santo Alberto Magno No dia 16 de agosto, na Capela São José, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida - Co-caia, foi celebrada a Missa Dio-cesana da Catequese. Com a presença de cate-quistas de toda Diocese, a cele-bração, presidida pelo Padre Pe-legrino, teve, como grande ação de graças, o serviço realizado por esses educadores da fé de nossa Igreja. PASCOM - Diocesana No início de agosto, na Paróquia Santa Rosa de Lima, no Recreio São Jorge, aconteceu Missa de ação de graças pela Pastoral da Criança e pelo Dia do padre. Estive-ram presentes a coordenadora dio-cesana da Pastoral da Criança Sônia Basseto, coordenadoras paroquiais, líderes e famílias de crianças e ges-tantes da área 3, da Diocese de Gua-rulhos. Aconteceu no dia 16 de agosto na Paróquia Santa Rita de Cássia,no Jardim Palmira, a Virada Jovem, evento preparado pelo setor juventude da forania Aparecida para comemorar um ano de semana missio-nária e jornada mundial da juventude Rio 2013. A missa de abertura foi presi-didada por Dom Edmilson e logo após Foi um momento de grande alegria, com a acolhida do Pároco Pedro Nacélio, que apoia a pastoral da criança com muito carinho. Agra-decemos a todos que participaram e colaboram para que este momento acontecesse. Cláudia Regina, coordenadora paroquial da Pastoral da Criança, Paróquia Santa Rosa de Lima cada equipe de jovem apresentou algo que recordou a visita da juventude e o país que acolheram nas paróquias. O padre Pedro Nacélio, assessor da juventude na forania acompanhou o evento e parabenizou a equipe pela organização e participação. Setor Juventude VIRADA JOVEM FORANIA APARECIDA
  5. 5. Aconteceu FD | Setembro de 2014 5 5 No Ano de 1998 o Papa João Paulo Se-gundo vendo a necessidade do povo e o avanço das drogas, alcoolismo e outras dependências, criou en-tão a Pastoral da Sobriedade, que é uma expressão do nosso amor gratuito para com o próximo. Nesse ano, na Diocese de Guarulhos, a Pastoral da Sobriedade festejou com muita alegria o seu 16º Ano de trabalho, iniciando com a Missa e após, reflexões através de Palestras. Fomos presenteados com a Palestra “Vir-tudes Humanas e Divinas”, ministrada pelo Padre Otacílio Ferreira de Lacerda e com a Palestra “Os Dons do Espírito Santo”, com a Irmã Ivani Costa. Foram momentos muito intensos e cheios de espi-ritualidade. Tivemos apresentação de uma peça tea-tral: “Onde foi que erramos”, apresentada pelas crianças e jovens da Paróquia Santo Antônio – Pi-mentas. Uma equipe de cozinha, muito gentil e pres-tativa, preparou um almoço com muito carinho e que estava uma delícia! Café da manhã... Café da tarde... Fomos bem acolhidos pela Paróquia Santa Rita de Cássia – Palmira, onde aconteceu nosso evento. A Pastoral da Sobriedade é uma ação con-creta da Igreja para com a sociedade, a qual atua em 5 dimensões de ação pastoral. 1º Prevenção: Que se faz fornecendo informações, dando formação e apoio, em especial as famílias 2º Intervenção: É dirigida aqueles que fazem uso de drogas porém ainda não se tornaram dependente. 3º Recuperação: Refere-se ao atendimento dos usu-ários de drogas em que já se Instalou a dependência. 4º Reinserção: Dar-se ao dependente em sobrie-dade para que ele possa reconquistar seu espaço na família e na sociedade. 5º Atuação Política: É o desenvolvimento de refle-xões e atividades junto aos organismos que atuam na sociedade (Conselhos, Fórum). O trabalho da Pastoral da Sobriedade é todo fundamentado na Palavra de Deus, pois é através dela que Ele sempre fala conosco. “Sobriedade e Paz, só por hoje graças a Deus”. José Edmar de Souza Pastoral da sobriedade PASTORAL DA SOBRIEDADE 16 ANOS DE AMOR INCONDICIONAL JUBILEU DE OURO - PARÓQUIA N. SRA. DE FÁTIMA No dia 17/08, a Paróquia Nª Sª de Fátima - Vila Fátima celebrou o seu Jubileu de 50 anos de fundação com o compa-recimento de todas as comunidades paroquiais e de um grande número de fiéis. A celebração, presidida pelo pároco Padre Tarcísio, con-tou com a presença de vocacionados que frequentaram a Paró-quia, seminaristas, agentes de pastorais, religiosas e todos aque-les que construíram a história da comunidade. A paróquia foi fundada em 1964 quando Guarulhos ain-da pertencia à Diocese de Mogi das Cruzes. Imagens de Carlos Alberto - Pascom Paroquial
  6. 6. Aconteceu MISSA DIOCESANA DA FAMÍLIA 6 6 FD | Setembro de 2014 Aconteceu no dia 11 de agos-to, no Santuário São Judas Tadeu, a Santa Missa de abertura da Semana da Família em nossa Diocese. Com a presença dos padres, di-áconos, seminaristas e de famílias de toda Diocese, a Santa Missa celebrada por Dom Edmilson teve como enfoque a espiritualidade cristã na família, sendo esse o tema principal da Semana Nacio-nal da Família, trabalhada nas Paróquias da Diocese de Guarulhos. PASCOM Diocesana Fotos: Maurício de OLIVEIRA Vai Acontecer OFICINA DAS EMOÇÕES Você costuma praticar ações solidárias? Esta reflexão tem como objetivo alargar a nossa percepção sobre solida-riedade e, também, como as iniciativas e ações comunitárias são capazes de solu-cionar problemas. Frase da semana: “Não existe ninguém tão pobre que não tenha algo para dar, nem ninguém tão rico que não precise de algo a receber”. SAIBA MAIS: Você pode encontrar dicas como essas através de nossos grupos Oficina de Emoções. Localize o gru-po mais perto de você pelo fone: (11) 3271-9315. ONDE: Sala da Catequese da Paróquia Santa Mena – Aos Sabádos às 14h. (Rua Humberto de Oliveira, 50 (Prox. Av. Suplicy).
  7. 7. Vai Acontecer FD | Setembro de 2014 7 5 1 ANO DE FALECIMENTO DE DOM JOAQUIM A Editora Santuário e a autora, Irmã Jacqueline St-Jean, da Congregação das Irmãs da Caridade de Ottawa, oferecem para vocês uma oportunidade de curtir esse livro: A mulher pobre, profeta de uma nova humanidade. Após do LANÇAMENTO, mar-cado para dia 13 de setembro, este livro será disponível com a autora ou nas diversas li-vrarias de Guarulhos, de São Paulo e do San-tuário de Aparecida. Desde já, agradecemos á oportunidade de conhecermos melhor uns assuntos dos mais relevantes para a nossa caminhada pastoral com o enfoque especial em que diz respeito à mulher na Igreja e na sociedade.
  8. 8. Vai Acontecer SEMANA DA VIDA 01 à 07 de outubro Tema: Casos especiais de aborto, aceitos pela maioria dos católicos (com testemunhos gravados em audiovisual) Como no ano passado, com um encontro em cada uma das quatro Forania de nossa Diocese, sempre das 20h às 21h30, segundo o seguinte calendário: - Quarta, 01/10 – Forania IMACULADA - Paróquia Santo Antonio - Gopoúva. - Quinta, 02/10 – Forania APARECIDA - CDP – Bom Clima. - Sexta, 03/10 – Forania BONSUCESSO - Par. Sto. Alberto - Terça, 07/10 – Forania FÁTIMA - Par. S. Francisco-Nações. DIA DO NASCITURO 08 de outubro Utilizando como Oração da Assembleia, em cada uma das S. Missas, celebradas neste dia, a oração conclu-siva da Encíclica EVANGELIUM VITAE de S. João Paulo II, que será enviada a seu tempo a cada paróquia Comissão Diocesana em Defesa da Vida (CDDV) 8 6 FD | Setembro de 2014
  9. 9. Vida Presbiteral Educação FD | Setembro de 2014 9 5 Vivemos em uma época de pro-fundas e significativas mudanças. A ação é constante e presente em todos os mo-mentos e lugares. Como não poderia ser diferente, a escola também deve bus-car novos caminhos que venham oportuni-zar à sociedade, melhor atuação junto ao objeto do conhecimento. Neste contexto, a observação e exploração do meio consti-tuem- se duas das principais possibilidades de aprendizagem, pois proporciona expe-riências concretas indispensáveis, tanto ao desenvolvimento intelectual quanto ao afetivo. É dessa forma que poderão gra-dualmente construir noção de respeito às pessoas do seu grupo social e das rela-ções humanas. É importante que cada um compreenda e assuma a responsabilidade com o lugar em que vive, seja na igreja, no trabalho, na escola, em fim em todo o uni-verso. Assim a natureza, deve ter um vín-culo com a sociedade uma vez que estão interligadas. Para a construção de um mundo socialmente mais justo e ecologicamente mais equilibrado é necessário uma grande responsabilidade individual e coletiva, do nível local e global. Deste modo, os valo-res ensinados devem ser vivenciados por cada um de nós, por meio da implementa-ção de práticas voltadas para a resolução de problemas concretos que levem a uma participação ati va. Um mundo melhor para todo. Professora Marines Ramão Cunha Os padres da Diocese reunidos com D. Edmilson partilharam a vida, sonhos e espe-ranças no retiro anual realizado na casa das ir-mãs Paulinas, em São Paulo. Foi um profundo momento de oração e escuta, um olhar para vocação de presbíteros. A Fé foi o tema proposto no retiro. E o que é a Fé? A resposta esta na palavra de EDUCAÇÃO E NATUREZA Deus, que quando nos pergunta, ofere-ce uma proposta que nos cabe responder pela Fé, através da mudança de menta-lidade, de conversão, da santidade. Nos momentos de deser-to fomos convidados a responder: Em que mo-mento a Palavra foi anunciada para mim? Quando foi meu Kerigma? Ao responder as per-guntas percebemos o quanto crescemos na vida e no ministério. A Espiritualidade do padre diocesano é a do Bom Pastor. E para assumir a vocação sacerdotal, antes é necessário assumir a voca-ção batismal, cultivada através espiritualidade pessoal, que será vivida também durante a vida ministerial. Dom Edmilson falou também sobre a figura de Maria como a mulher que viveu na dimensão da Fé, e ao se abrir a graça de Deus pela Fé, foi capaz de acolher e permanecer fiel ao lado de Cristo. Temos uma grande semelhança com Apóstolo Pedro, uma vez que o padre esta a frente da comunidade, foi chamado e disse sim. A lição que aprendemos com a vida do apóstolo é que traçamos projetos pessoais, mas aos poucos descobrimos que o projeto e os frutos não são nossos. A pergunta é: estou ligado ao projeto de Deus? Estar com o Senhor deve ser a chave da fé, devemos perguntar: como nos encontra-mos com o Senhor? Na família? Com irmãos padres? Comunidades locais? Pessoas? Por que é tão difícil evangelizar hoje? A resposta é clara: por causa da falta de Fé! Muitos buscam a Igreja, os sacramentos por costume, “minha mãe, meu pai eram”. Como resposta temos o evangelho de Mateus 18 “o modelo de comu-nidade cristã”, que dá sinais verdadeiros da fé a partir dos membros da comunidade que se relacionam com Cristo. E aprendemos que co-munidade Fraterna é a que vai atrás da ovelha perdida, que tem sede de amor e justiça para com o irmão. Padre Paulo Leandro Representante dos presbíteros “SEM FÉ, SEM ESPERANÇA”
  10. 10. 10 6 ATENÇÃO COLABORADORES: Enviem suas matérias até o dia 15 de cada mês, contendo no máximo 30 linhas, com corpo 14. Caso venha com um número maior de linhas, faremos a redução proporcional do conteúdo. Programe-se ANIVERSARIANTES FD | Setembro de 2014 CALENDÁRIO SETEMBRO 2014 Ordenação 21 (2008) Pe. Edson Roberto 21 (2008) Pe. Francisco Gomes 21 (2008) Pe. Marcelo Dias 21 (2008) Pe. Weber Galvani DIA HORÁRIO ORGANIZAÇÃO ATIVIDADE LOCAL 01 Um ano de falecimento de Dom Joaquim Justino Carreira 02 19:30 Escola da Palavra Escola da Palavra Alvorada 02/09 16/23 19:30 RCC Form. para Consagração Sede RCC 03 20:00 Past. Educação Reunião Catedral 03 9:30 CODIPA Coord. Diocesana Cúria Diocesana 04 9:30 CP Cons. de Presbíteros Cúria Diocesana 06 14:00 Dizimo Encontrão Forania Bosucesso A definir 06 15:30 Past. Operária Encontro Diocesano Centro Social Taboão 06 15:00 Sobriedade Reunião FOMAD Adamastor Centro 06-07 Past. Saúde Congresso Nacional Ipiranga 06 Pastoral Fé e Política Representantes da Câmara Centro Elizabeth Bruyere 07 PJ Grito dos excluídos 07 Past. Operária Romaria Santuário Aparecida 07 PASCOM Peregrinação N. Sra. da Comunicação Santa Mena 09 19:30 Esc. da Palavra Escola da Palavra Alvorada 10 9:00 CP Reunião do Clero Seminário Diocesano 10 19:30 RCC Foranias Imaculada e Aparecida Oficina para Pregadores Sede RCC 10 09:00 Past. P. Idosa Assembleia PPI Sede PPI 10 Past. Criança Enc. de Líderes A3 12-14 19:30 ECC 1ª Etapa Sto Antonio Vila Augusta 13-14 08 - 17 14 - 19 RCC 9º e 10º Formação MOCL Sede RCC 13 14:00 SAV - PV Reunião mensal Catedral 13 14:00 Carcerária Reunião mensal Catedral 13 15:00 Pastoral Fé e Política Encontrão Diocesano – eleições A definir 13 PASCOM Reunião equipe A definir 13 Cáritas Regional SP Assembleia Regional A definir 14 10:00 PJ Inscrições Fest Jovem São José 14 Familiar Form. pós matrimonial A definir 16 Past. Criança Reunião Diocesana 16 19:30 Esc. da Palavra Escola da Palavra Alvorada 19-21 19:30 ECC 1ª Etapa Mikail 19-21 19:30 ECC 1ª Etapa Cecap 19-21 19:30 ECC 1ª Etapa Taboão 19-21 19:30 ECC 1ª Etapa Vila Rosália 19-21 19:30 ECC 1ª Etapa Sto Antonio Gopoúva 19-21 19:30 ECC 2ª Etapa For. Fátima Jardim Cumbica 20 14:30 Catequese Enc. Diocesano A definir 20 9:30 CRB Ass. dos Núcleos Irmãos Lassalistas 20 14:00 Pastoral da Educação Simpósio para professores A definir 20 09:00 Vicentinos Conselho central Sede – Cumbica 20 14:30 Dizimo Reunião mensal Cecap 21 08:00 PJ Fest Jovem Virgo Potens 21 08 - 13 RCC EPA Sede RCC 21 08:00 Sobriedade Form. novos agentes CCI – São Geraldo 21 PASCOM Peregrinação N. Sra. da Comunicação Sto. Antonio Gopouva 21 15:00 Apostolado da Oração Encontro Catedral 23 19:30 Esc. da Palavra Escola da Palavra Alvorada 26-28 19:30 ECC 1ª Etapa Palmira 26-28 19:30 ECC 1ª Etapa São José 27 8:30 Catequese Escola da Catequese Foranias 28 08:00 Sobriedade Form. novos agentes CCI – São Geraldo 28 08:00 IAM Enc. coordenadores 28 PJ ERADI Campinas 28 RCC Encontro Provincial pregadores Santo André 28 15:00 RCC Adoração - crianças Sede RCC 28 08:00 Vicentinos Festa regulamentar de São Vicente Vl. Augusta 29 14:00 SAV - PV Enc. vocacional Catedral 30 19:30 RCC Form. intercessores Sede RCC RETIRO DIOCESANO DE LITURGIA 20 de novembro de 2014 A Equipe Diocesana de Liturgia já está aceitando as inscrições para o Retiro anual da Liturgia Diocesana. Quem pode participar? Todos os agentes envolvidos na liturgia paroquial e comunidades: ministros, cantores, instrumentistas, leitores, comentaris-tas, coroinhas, ornamentadores. INSCRIÇÃO: R$ 75,00 - inclui Ônibus, café da manhã, almoço e café da tarde Local: Casa de Retiros Santa Fé Espaço Anhanguera - Via Anhanguera km 25,5 s/n - São Paulo /SP
  11. 11. Bíblia Liturgia FD | Setembro de 2014 11 5 Ciente de que a Bíblia é pouco valoriza-da pelos fiéis católicos, a CNBB, desde 1971 adota o mês de setembro como o “Mês da Bíblia”. A pro-posta é a de aproveitar o mês para incentivar os fiéis a adquirirem a sua Bíblia e organizar círculos de estudos bíblicos. Em novembro de 1965, no final do Concílio Ecumênico Vaticano II, Paulo VI promulgou a Cons-tituição Dogmática Dei Verbum. Nela se afirma que “toda pregação eclesiástica, como a própria reli-gião cristã, deve ser alimentada e regida pela Sa-grada Escritura”, que constitui “alimento da alma e perene fonte de vida espiritual” (n. 21). O Concílio retomou a afirmação de Santo Agostinho de que “ignorar as Escrituras é ignorar Cristo”. Por isso fez um convite aos cristãos para que se achegassem ao texto sagrado “pela Sagrada Liturgia, pela pie-dosa leitura e por cursos bíblicos”. Citando Santo Ambrósio, alertou para a necessidade de a leitura da Sagrada Escritura vir acompanhada pela oração, Os bispos do Brasil publicaram em maio deste ano, ao fim da 52ª. Assembleia Geral da CNBB, o documento n. 100 Comunidade de Co-munidades: uma nova Paróquia, onde afirmam um caminho de conversão pastoral para os católicos no Brasil. A Igreja é comunidade! A comunidade torna visível a Igreja. O texto confirma o chamado para sermos uma Igreja capaz de “redescobrir as entranhas maternas da misericórdia”, e apresenta como objetivo “ampliar a formação de pequenas comunidades de discípulos convertidos pela Pala-vra de Deus e consciente da urgência de viver em estado permanente de missão” (n. 8). E o que a liturgia tem a ver com isso? Para sermos rede de comunidades, precisamos de uma nova liturgia? O Senhor da messe e Pastor do rebanho é aquele que faz novas todas as coisas (Ap 21, 5). Não precisamos fazer coisas novas, mas fazer as mesmas coisas com um espírito novo, com “uma espiritualidade que impregne a ação” e motive nossas atividades (n. 49), “A Liturgia é o lugar pri-vilegiado para a Igreja escutar a voz do Senhor... o âmbito privilegiado onde Deus nos fala no mo-mento presente da nossa vida: fala hoje a seu povo, que escuta e responde” (n. 180). É o espa-ço onde a Igreja se forma como comunidade, ao se encontrar com o Senhor, no encontro dos ir-mãos, nos sinais e símbolos sacramentais. Muitas vezes constatamos uma separação: o que é feito em trabalho pastoral não tem a ver com o que se “pois a Deus falamos quando rezamos e a Ele ouvi-mos quando lemos os divinos oráculos” (25). A partir do Concílio a Igreja começou a in-centivar as famílias a terem a sua Bíblia em casa. Por isso, hoje já são poucas as famílias católicas que ainda não têm Bíblia. Se, por acaso alguém ainda não a possuir, pode aproveitar as promo-ções que as livrarias católicas fazem no mês de se-tembro para adquiri-la. Ter a Bíblia em casa, não é suficiente para um cristão. É preciso também ler o que nela está escrito. E a leitura não pode ser feita da mesma forma como se lê um jornal ou um romance po-licial. A Bíblia deve ser lida em clima de oração e com o coração voltado para Deus, prestando aten-ção à mensagem que Ele nos quer passar. Colocar em prática o que a Bíblia propõe é o grande desafio para os cristãos. Mahatma Gan-dhi, depois de ter lido a Bíblia se desiludiu profun-damente com os cristãos que levavam uma vida em total desacordo com os ensinamentos de Je-sus. reza na liturgia, e os que assistem a liturgia não se comprometem com a ação pastoral. Necessitamos uma revitalização da comunidade paroquial “para que nela resplandeça, cada vez mais, a comunida-de acolhedora, samaritana, orante e eucarística... o Corpo Místico de Cristo, no qual todos se inte-gram” na oração e na ação (n. 56) O documento, referindo-se às primeiras comunidades dos apóstolos, aponta que a pala-vra “igreja” (ekklesia) significava inicialmente “a comunidade reunida para a liturgia”, empregado também para a “comunidade doméstica” e expres-sava igualmente a “comunidade local de todos os cristãos” (n. 100). Ou seja, não existia comunidade sem celebração comunitária do mistério da fé. Os primeiros cristãos se formaram como novo Povo de Deus no culto, no cuidado uns dos outros, forman-do comunidades de amizade e caridade, partilha, fidelidade doutrina dos apóstolos, e vivendo na comunhão da Igreja (n. 104). Trazendo para nossa atualidade, o texto recorda que os documentos dos bispos da América Latina e Caribe já pedem que as paróquias sejam casa e escola de comunhão, “célu-las vivas da igreja”, porque são “o lugar privilegiado onde a maioria dos fiéis tem uma experiência con-creta de Cristo e a comunhão eclesial” (n. 138). Ou seja, não precisamos de uma nova li-turgia, mas de um novo modo de viver em comuni-dade, que seja refletido em nosso celebrar. “A vida comunitária não está baseada em assumir cargos ou atuar em serviços da paróquia: trata-se de ser autêntico discípulo de Jesus Cristo” (n. 258). É apresentado um caminho de voltar às fontes e nos formarmos como a Igreja que é Casa da Palavra, Casa do Pão e Casa da Caridade. Como proposi-ções pastorais, os bispos pedem que sejamos Casa da Palavra: onde o anúncio da Boa-Notícia se con-cretiza e cada cristão “se encontra pessoalmente com Jesus Cristo e faz um ato de adesão total ao Senhor” (n. 180). Que sejamos Casa do Pão: a par-tir da Eucaristia, momento principal da vida comu-nitária, possamos estabelecer novas relações de fraternidade, expressão de comunhão com Deus e as pessoas (n. 182). Que sejamos Casa da Carida-de: assumindo-nos como família de Deus, vivamos “o compromisso social, promovendo a justiça e os direitos humanos, numa evangélica opção pelos pobres e na prática da ética do cuidado com todos os necessitados da sociedade” (n. 184) Enfim, precisamos “vivenciar o que ce-lebramos” (n. 274), como ministros ordenados, equipes de liturgia e povo celebrante. Na celebra-ção eucarística, a comunidade renova sua vida em Cristo. A Eucaristia é escola de vida cristã... é ne-cessário evitar a separação entre culto e misericór-dia, liturgia e ética, celebração e serviço aos irmãos (275). A questão não é fazer uma nova liturgia. É assumir as bases da liturgia renovada pelo Concílio, uma liturgia em que nos envolvemos com o misté-rio de Cristo na comunidade e na sociedade. Padre Jair Costa – assessor diocesano de Liturgia COMUNIDADE DE COMUNIDADES UMA NOVA LITURGIA? Dizia ele: “Não conheço ninguém que tenha feito mais para a humanidade do que Jesus. O pro-blema são vocês, cristãos, que não vivem o que a Bíblia ensina”. Aproveitemos a graça do mês de setem-bro para criar maior familiaridade com a Palavra de Deus. Procuremos dar-lhe um lugar de desta-que em nossas casas e tirar alguns minutos do dia para ler algum texto bíblico. Se tivermos oportuni-dade, participemos de círculos e estudos da Bíblia que várias paróquias estão nos oferecendo. Acima de tudo coloquemos em prática o que a Palavra de Deus nos propõe. A exemplo da mãe de Jesus, “que guardava tudo em seu coração”, guardemos a Palavra de Deus, meditando sobre aquilo que ela nos propõe. Dom Canísio Klaus Bispo da diocese de Santa Cruz do Sul (RS) Fonte: CNBB PALAVRA DE DEUS EM CASA E NA VIDA
  12. 12. COLETA DO ÓBULO DE SÃO PEDRO IMPRESSO ESPECIAL 7220993744 - DR/SPM MITRA DIOCESANA CORREIOS FÉ E POLÍTICA Diretor Geral: Pe. Marcos Vinícius Clementino - pascom@diocesedeguarulhos.org.br Jornalista Resp.: Rodrigo M. Lovatel - MTB. 46.412 - SP Secretária: Caetana Cecília Filha | Revisão: Pe. Antônio Zafani e Pe.Francisco Velososo Jr. Editoração Eletrônica: Luiz Marcelo Gonçalves Impressão: NEO GRAF - Indústria Gráfica e Editora Ltda - Fone: 11 3333-2474 Cúria Diocesana - Av. Gilberto Dini, 519 - Bom Clima - Cep: 07122-210 Contato: 11 2408-0403 - Email: folhadiocesana@diocesedeguarulhos.org.br Tiragem: 28.000 exemplares - www.diocesedeguarulhos.org.br 12 6 FD | Setembro de 2014 N.S.FÁTIMA - V.FÁTIMA R$ 5.266,25 N.S.APARECIDA - COCAIA R$ 4.480,00 S.CRUZ–N.S.APARECIDA P.DUTRA R$ 2.814,35 S.FRANCISCO - GOPOUVA R$ 2.570,00 SANTO ALBERTO R$ 2.459,55 N.SRA.DO BONSUCESSO R$ 2.320,30 N.SRA.DA CONCEIÇÃO CATEDRAL R$ 2.038,00 S.RITA DE CÁSSIA – J.CUMBICA R$ 1.984,65 S.TEREZINHA - CUMBICA R$ 1.955,00 S.FRANCISCO - UIRAPURU R$ 1.807,00 S.FRANCISCO ASSIS - NAÇÕES R$ 1.801,00 S.JUDAS TADEU - TIBAGY R$ 1.754,30 S.ANTONIO - V.AUGUSTA R$ 1.693,00 SÃO GERALDO R$ 1.525,10 SÃO PEDRO R$ 1.520,00 S.CRUZ - TABOÃO R$ 1.511,70 S.VICENTE DE PAULO R$ 1.480,00 N.S.FÁTIMA - TRANQUILIDADE R$ 1.440,75 N.S.ROSÁRIO - V.ROSALIA R$ 1.350,00 N.S.APARECIDA - J.V.GALVÃO R$ 1.200,00 S.ANTONIO - GOPOUVA R$ 1.200,00 SANTA LUZIA – ALVORADA R$ 1.183,50 S.RITA DE CÁSSIA - PALMIRA R$ 1.150,00 S.ANTONIO - PIMENTAS R$ 1.100,00 S.JOÃO BATISTA R$ 1.078,30 SANTA LUZIA – MIKAIL R$ 1.022,40 SANTA MENA R$ 913,00 SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS R$ 850,20 N.S.LOURDES - ITAPEGICA R$ 826,35 SÃO ROQUE - CECAP R$ 800,00 SÃO JOSÉ - J.PAULISTA R$ 630,40 N.S.LORETO R$ 612,40 S.JUDAS – JD.ALICE R$ 458,45 S.ANT.MARIA CLARET R$ 458,00 SANTA ROSA DE LIMA R$ 450,00 S.ANTONIO - PARQUE R$ 401,00 N.S.FÁTIMA – ARACILIA R$ 300,00 CAPELANIA STELLA MARIS R$ 215,00 Esclareço que não existe contradição en-tre fé e política. A nossa atuação nas eleições, du-rante a campanha e durante o acompanhamento dos eleitos, será genuinamente cristã. O momento do voto, de apertar os números dos candidatos, deve ser uma ocasião de dar um autêntico teste-munho cristão. Recordo o alerta do papa Francisco ao dizer: “Uma fé autêntica – que nunca é cômoda e individualista – comporta sempre um profundo desejo de mudar o mundo, transmitir valores, dei-xar a terra um pouco melhor depois da nossa pas-sagem por ele...” (AAlegria do Evangelho 182-183). Tenho clareza que sem sonhos não exis-tem mudanças na sociedade. Por isso, nossa Carti-lha apresenta algumas indicações formativas para mudar o modo de pensar e fazer política no Brasil. Nela não encontramos nomes de Partidos nem dec andidatos(as),poisnãoqueremosferiraliberdadedas pessoas. Encontramos, sim, várias indicações sobre o Brasil que queremos fundamentadas no espírito cristão e cidadão. Democracia não é somente escolher quem vai governar ou propor leis, mas é também ter par-ticipação na condução do ato de governar, propor, fiscalizar e denunciar, quando for necessário. Lem-brem- se dessas sete dicas, que ofereço,: DICAS PARA VOTAR BEM 1. “Ficha Limpa” não é projeto, é lei, 2. Sonhar com uma sociedade justa e fraterna é virtude, 3. Veja no candidato idéias que defendam a vida, 4. Veja no candidato projetos de inclusão social, 5. Veja no candidato projetos para a Cultura da Paz, 6. Veja no candidato projetos em relação à sustentabilidade do planeta, 7. Veja no candidato atitues no combate às formas de corrupção. Queira Deus que sejam frutuosas tantas reflexões e orações pelo “Brasil que queremos”. Parabenizo e rezo pelos animadores e animadoras dos grupos. Tenho certeza que realizarão encontros com diálogos de altíssimo nível no fortalecimento da consciência democrática. +Edmilson Amador Caetano, O.Cist. O ANALFABETO POLÍTICO Bertolt Brecht O pior analfabeto é o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. Ele não sabe o custo de vida, o preço do fei-jão, do peixe, da farinha, do aluguel, do sapato e do remédio dependem das decisões políticas. O analfabeto político é tão burro que se orgulha e estufa o peito dizendo que odeia a política. Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política, nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos, que é o político vigarista, pilantra, corrupto e lacaio das empresas na-cionais e multinacionais.

×