Urbanização do Rio de janeiro

10.365 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.365
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Urbanização do Rio de janeiro

  1. 1. UrbanizaçãoRIO DE JANEIRO
  2. 2. • O aumento da pobreza agravou a crisehabitacional, característica constante na vidaurbana do Rio, desde meados do século XIX. Oponto fundamental dessa crise era cada vez maisa Cidade Velha e suas adjacências, onde semultiplicavam as habitações coletivas e surgiamde forma violentas as epidemias de febreamarela, varíola, cólera-morbo, que atribuíam àcidade fama internacional de porto imundo.• Houve várias revoltas populares, entre essas amais famosa – a Revolta da Vacina de 1904, quetambém teve como motivo o registro de medidascontra a vontade da população, como asreformas urbanas do centro do Rio, realizadaspelo engenheiro Pereira Passos. Nessasreformas foram demolidos vários cortiços e, apopulação pobre da Região Central foi deslocadapara as encostas de morros na Zona Portuária eno Caju, sobretudo os Morros da Saúde e daProvidência. Esses povoamentos cresceram deforma desordenada, iniciando o processo defavelização e não preocupando as autoridadesda época que promoveram a adoção de váriasoutras reformas urbanas e sanitárias,transformando assim a arquitetura da capital daRepública.
  3. 3. PERÍODO IMPERIAL E REPUBLICANO ATÉ AATUALIDADEA cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro foi fundada porEstácio de Sá em 1° de março de 1565, quando desembarcou numistmo* entre o Morro Cara de Cão e o Pão de Açúcar, erguendo umtapume feito com estacas fincadas na terra servindo de obstáculopara defesa militar.A vitória de Estácio de Sá subjugando elementos remanescentesfranceses (os quais, aliados aos Tamoios, dedicavam-se aocomércio, ameaçando o domínio português na costa do Brasil),garantiu a posse do Rio de Janeiro, rechaçando a partir daínovas tentativas de invasões estrangeiras e expandindo, àcusta de guerras, seu domínio sobre as ilhas e o continente. Apovoação foi refundada no alto do Morro do Castelo(completamente arrasado em 1922), no atual centro histórico dacidade. O novo povoado marca, de fato, o começo da expansãourbana. No final do século XVII e início do séculoXVIII, o crescimento da cidade do Rio de Janeirose destacou pela localização do principal porto deescoamento da produção para abastecer apopulação que se desenvolveu cada vez mais. Ocafé era cultivado ao redor da cidade. Nessaépoca, os escravos transportavam a cargaatravés de tropas de mulas. Nesse mesmoperíodo, a população foi desalojada da cidadepara receber a Corte da Família Real Portuguesa.
  4. 4. O interesse estético para a urbanização da cidade recebeu influências daEuropa como modelo, principalmente da Inglaterra. No início do séculoXIX, o desenvolvimento industrial contribuiu muito para a urbanizaçãodas cidades brasileiras acelerando o desenvolvimento habitacional,embora o crescimento das cidades nem sempre esteja relacionado àpresença de indústrias.Em relação a outras cidades do país, a cidade do Rio de Janeiro era umcentro urbano bem mais desenvolvido porque era a capital da República,concentrando as principais casas comerciais brasileiras. Alguns bairroscomo Jardim Botânico, Laranjeiras ou Tijuca tiveram uma aceleração noprocesso urbano devido às indústrias têxteis instaladas durante os anosde 1850 a 1900. São Cristóvão e Gamboa são bairros que sedesenvolveram devido à sua origem na atividade industrial. A Central doBrasil foi inaugurada em 1877, acelerando o desenvolvimento da cidadeque ligava São Paulo ao Rio de Janeiro. Pois, até o começo do século XXo transporte era realizado por burros de carga. O uso da eletricidademudou totalmente o ritmo da cidade, surgiram os bondes permitindomaior movimento e circulação de pessoas nas ruas iluminadas,acarretando também mudanças no transporte urbano.
  5. 5. Nos últimos anos, a cidade do Rio de Janeiro cresceurapidamente, dominando os espaços naturais. A infraestruturaestá avançando cada vez mais para o interior, principalmente osistema de transporte. A população começa a se tornar urbana,mesmo que continuem se dedicando à atividade agrícola. Comaumento de carros nas ruas, aumentam-se os problemas decongestionamentos de trânsito e poluição ambiental. A cidadeestá avançando para a periferia, surgindo assim, as cidadesintegradas que apresentam problemas de infraestrutura emcomum, sendo chamadas de região metropolitana. A favelizaçãoestá aumentando consideravelmente, tornando-se necessário umplanejamento de políticas habitacionais através de estudosambientais e dos sistemas de transporte. Atualmente, as favelasse tornaram espaços semi-rurais, ou seja, espaços sem definição.Nesta região, muitas pessoas moram numa cidade e trabalhamem outra. A aglomeração urbana reflete as diferenças sociaisentre a população nos bairros. Isso significa que a população quedetém mais recursos financeiros reside em condomínios fechadoscom infraestrutura paga completa, e a população mais carentereside em bairros mais distantes do centro comercial num quadrode quase ou sem infraestrutura básica mínima.O Rio de Janeiro tem uma geografia favorável à vegetaçãomesclada à vida urbana, mas já apresenta grandes problemas depoluição, como o lançamento de esgoto residencial e industrialsem tratamento na Baía de Guanabara. O saneamento básico setornou um problema crônico, pois o volume de lixo e esgoto émuito grande, gerando problemas de grande impacto ambiental ede saúde pública. A qualidade de vida perde espaço para o lucroexorbitante das construtoras.
  6. 6. O Rio de Janeiro tem umageografia favorável à vegetaçãomesclada à vida urbana, mas jáapresenta grandes problemas depoluição, como o lançamento deesgoto residencial e industrialsem tratamento na Baía deGuanabara. O saneamento básicose tornou um problema crônico,pois o volume de lixo e esgoto émuito grande, gerando problemasde grande impacto ambiental ede saúde pública. A qualidade devida perde espaço para o lucroexorbitante das construtoras.
  7. 7. PRAIA DE COPACABANA.Antes (1967) Depois.
  8. 8. PRIMEIRO TÚNEL DE COPACABANA.Antes (1892) Depois
  9. 9. PRAÇA DA BANDEIRA.Antes Depois
  10. 10. URCAAntes (1910) Depois
  11. 11. VIADUTO DE MANGUINHOSAntes (anos 60) Depois
  12. 12. PRAÇA DAS NAÇÕESAntes (1928) Depois
  13. 13. AVENIDA BRASILAntes (meados dos anos 60) Depois
  14. 14. AVENIDA PRESIDENTE VARGAS.
  15. 15.  Ano: 1° Disciplina: Geografia Alunas Mércia dos Santos e PalomaSantana.

×