Winnicott

4.788 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.788
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
138
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Winnicott

  1. 1. BIOGRAFIA DE WINNICOTT • Quem era ? • O que fez ? • Pontos relevantes em sua história. • Contribuições para a psicanálise.
  2. 2. MÃE SUFICIENTEMENTE BOA     A criança nasce indefesa e o papel da mãe é oferecer um suporte adequado. Perceber e satisfazer as necessidades do bebê. A mãe suficientemente boa não precisa necessariamente ser a mulher que gerou o filho. Desenvolver o verdadeiro Self
  3. 3. A MÃE CONTEMPORÂNEA X
  4. 4.  Quando os pais não são capazes de dar o que é necessário, os professores ou a própria escola podem, frequentemente, fazer bastante para cobrir essa deficiência, mas pelo exemplo, pela integridade e honestidade pessoais, pela dedicação e pela presença direta para responder a perguntas, e não pela instrução sexual organizada (WINNICOTT, 1985, p. 247).
  5. 5. OBJETO TRANSICIONAL    Todo ser humano, de acordo com Winnicott, tem um potencial para o desenvolvimento A ilusão da criança Desenvolvimento da criança: fase de dependência rumo à independência -ambiente agradável -mãe suficientemente boa   Desilusão: tarefa da mãe. Os objetos transicionais são fundamentais Valor dos objetos transicionais: a primeira possessão não-eu
  6. 6.   O Bricar & a Realidade: "Os padrões estabelecidos na tenra infância podem persistir na infância propriamente dita, de modo que o objeto macio original continua a ser absolutamente necessário na hora de dormir, em momentos de solidão, ou quando um humor depressivo manifesta-se." O conceito de objeto ou fenômeno transicional recebe três usos diferentes.  Características comuns aos objetos transicionais  Importância do objeto transicional para um bom desenvolvimento psíquico
  7. 7. HOLDING    o Nas suas mais diversas utilidades significa manter, segurar, guardar, reter, sustentar Na perspectiva da psicanálise, trata-se de uma função de “sustentação” corporal e psíquica da mãe com a criança. O holding protege contra alguma ação de afronta fisiológica Deve levar em consideração a sensibilidade epidémica da criança
  8. 8.      A mãe instaura uma rotina repetitiva de cuidados que vão sustentar a criança “Preocupação materna primária” O holding inclui principalmente o segurar fisicamente o bebê, que é uma forma de amar. Winnicott (1979/1983) também coloca que a mãe, ao tocar seu bebê, manipulá-lo, aconchegá-lo, falar com ele, acaba promovendo um arranjo entre soma (o organismo considerado fisicamente) e psique e, principalmente ao olhá-lo, ela se oferece como espelho no qual o bebê pode se ver. Para Winnicott, nos primórdios da existência, o modo como a mãe coloca o bebê no colo e o carrega, é fundamental para a constituição do self.
  9. 9.    O holding é necessário desde a dependência absoluta até a autonomia do bebê, ou seja, quando os espaços psíquicos entre este e sua mãe já estão perfeitamente distintos. Dependência absoluta refere-se ao fato de o bebê depender inteiramente da mãe para ser e para realizar sua tendência inata à integração em uma unidade. A dependência relativa a mãe intervém de uma maneira frequente na vida da criança.
  10. 10. Equipe:  Amanda Martins  Amanda Regadas  Jarbas Ângelo  Marina Braga  Naiade Rodrigues  Paloma Meneses  Raquel Moura

×