SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 25
Ortografia: como trabalhar?
Como trabalhar a ortografia com os alunos?
Ao se trabalhar com a ortografia no Ciclo de
Alfabetização, deve-se privilegiar algum aspecto?
O que não se pode deixar de trabalhar?
O que julgo dispensável nesse momento de
Alfabetização?
Como a criança aprende mesmo a escrever
corretamente as palavras?
Ortografia: como trabalhar?
O ensino da ortografia deve ser iniciado
no ano 3, etapa em que a criança já
compreende o sistema de escrita
alfabética. Nessa etapa de escolarização,
deve-se chamar a atenção dos alunos para
algumas regularidades da língua escrita.
Nossa norma ortográfica apresenta casos
de regularidades e irregularidades na
relação entre sons e letras.
Caderno Pacto, Unidade 03, p. 26.
As correspondências
regulares podem ser de três
tipos: diretas, contextuais e
morfológico-gramaticais. A
apropriação dessas restrições
se dá através da compreensão
dos princípios gerativos da
norma, isto é, das regras.
Caderno Pacto, Unidade 03, p. 26.
As regularidades diretas são evidenciadas
quando só existe na língua um grafema para
notar determinado fonema (é o caso de P, B, T,
D, F, V). Por exemplo, o P representará sempre o
fonema /p/ (pato, capa, chapéu, entre outras),
independente da posição em que apareça na
palavra. A grafia desses sons não impõe
dificuldades às crianças que já começaram a
perceber essa relação já no momento da
apropriação do SEA.
Caderno Pacto, Unidade 03, p. 26.
As correspondências
letra-som regulares diretas
(P, B, T, D, F, V)
P/B T/D F/V
PATO/BATO TATA/DATA FACA/VACA
PECA/BECA TECA/DECA FERA/VERA
PICO/BICO TITO/DITO FILA/VILA
POTE/BOTE TOMO/DOMO FOTO/VOTO
As regularidades contextuais, por sua vez, ocorrem
quando a relação letra-som é determinada pela
posição (contexto) em que a letra aparece
dentro da palavra. Por exemplo: o uso do C ou
QU relaciona-se ao som /k/, mas depende da
vogal com que forme sílaba (casa, pequeno).
Uma dificuldade para as crianças está
relacionada à escrita das vogais nasais e dos
ditongos nasais, o que pode ser explicado pela
quantidade de possibilidades que existe na
língua portuguesa para marcar a nasalidade:
M/N em posição final de sílaba (campo, canto),
uso do til (manhã), uso do dígrafo NH (linha),
além dos casos de nasalização por contiguidade,
em que a nasalização ocorre porque a sílaba
seguinte já começa com uma consoante nasal –
(amo).
Caderno Pacto, Unidade 03, p. 26-7.
As correspondências letra-som regulares contextuais:
C/QU; G/GU; R/RR; SA/SO/SU em início de palavra.
JA/JO/JU; Z inicial; O ou U/ E ou I em sílaba final.
M e N nasalizando final de sílaba.
NH; Ã e ÃO em final de substantivos e adjetivos.
C/QU: CINTO/QUINTO; JACA/JAQUETA.
G/GU: GELA/GUELA; GAROTO/GUARANÁ.
R/RR: CARO/CARRO; FERA/FERRA;
SA/SO/SU: SALA; SOLA; SUBA.
JA/JO/JU: JACA; JOCA; JUCA.
Z: ZERO; ZULMIRA.
O ou U/E ou I em sílaba final: VOVÓ/CAJU/BULE/SACI.
M e N nasalizando final de sílaba: POM-BO; MAN-GA.
NH; Ã e ÃO: NINHO; IRMÃ; IRMÃO.
Análise Linguística: Outros Conhecimentos ANO 1 ANO 2 ANO 3
Grafar corretamente palavras com correspondências
regulares diretas entre letras e fonemas (P, B, T, D, F, V).
I/A A C
Grafar corretamente palavras com correspondências regulares
contextuais entre letras ou grupos de letras e seu valor sonoro
(C/QU; G/GU; R/RR; SA/ SO/SU em início de palavra;
JA/JO/JU; Z inicial; O ou U/ E ou I em sílaba final; M e N
nasalizando final de sílaba; NH; Ã e ÃO em final de
substantivos e adjetivos).
I A/C
As correspondências
letra-som regulares morfológico-gramaticais
As correspondências som-grafia baseadas em regras
morfológico-gramaticais estão presentes também nas
flexões verbais.
As crianças, para garantir a escrita correta desses verbos,
inicialmente, elas podem levantar hipóteses quanto a sua
grafia. A depender da pronúncia, algumas podem grafar a
terminação com /o/; /u/; /l/. A escrita correta virá a partir
do estudo morfológico, ou seja, da compreensão da classe
da palavra.
Por exemplo, empregamos U no final de verbos
no passado, na terceira pessoa, como:
EU CANTEI EU BEBI EU SORRI
TU CANTASTE TU BEBESTE TU SORRISTE
ELE CANTOU ELE BEBEU ELE SORRIU
Mas empregamos o O no final de verbos no presente,
na primeira pessoa, como:
EU CANTO EU BEBO EU SORRIO
O uso dessas regularidades baseia-se em
regras que, aos poucos, as crianças
assimilam a partir de um trabalho
sistemático, cujo princípio é a reflexão.
As correspondências irregulares, por outro lado, não
apresentam uma regra que ajude o aprendiz a
selecionar a letra ou o dígrafo que deverá ser usado.
Apenas um dicionário ou a memorização poderá
ajudar nesses casos (MORAIS, 1998).
CHAPÉU / VASSOURA / QUEIJO / CARROÇA
CAMINHÃO / PALHA / DESCIDA / EXCEÇÃO
Caderno Pacto, Unidade 03, p. 26.
Hora da Atividade!
Cada grupo deve analisar seu texto (trava-língua) e, a
partir dele, propor uma atividade que contemple as
regularidades diretas (as evidenciadas quando só
existe na língua um grafema para notar determinado
fonema: é o caso de P, B, T, D, F, V). Esta pode ou não
conter o texto em si.
Exposição da atividade para o grupo.
A partir dessa atividade, o que podemos constatar que as
crianças já sabem sobre a escrita?
Assim como é necessário conhecer o que as crianças já
sabem sobre a escrita e o que ainda precisam saber, é
necessária também a realização de um diagnóstico
ortográfico para identificar o que as crianças já sabem
sobre a norma, o que elas sabem de forma assistemática e
o que elas ainda precisam saber. Assim, os professores
devem pensar sobre os seus objetivos de ensino (o que
devem ensinar?) e nos objetivos didáticos (o que os alunos
irão aprender com determinado tipo de atividade?), de
forma integrada aos objetivos formativos do currículo das
escolas do campo.
Caderno Pacto, Unidade 03, p. 36.
A partir do mapeamento, é necessário organizar o
ensino, de modo a tratar separadamente as
regularidades e irregularidades da norma ortográfica.
O registro constante dos avanços das crianças em
relação ao conhecimento ortográfico também deve ser
realizado, o que ajudará o docente a rever e
estabelecer novos objetivos.
Caderno Pacto, Unidade 03, p. 36.
O rei e a rainha foram passear
numa carruagem muito bela
que mandaram comprar.
A coroa do rei era prateada,
mas de ouro enfeitada.
Ele beijava a rainha,
que estava apaixonada.
Andavam perto do rio,
e nas ruas decoradas,
adoravam a cidade
e andavam de mãos dadas.
Disponível em:
http://www.aprenderebrincar.com/2012/10/poema-e-atividades-com-letra-r.html
Acesso em: 05.06.13.
O SOM DO R
/r/ - posição intervocálica (vibrante) – arara, cururu;
/r/ - posição não intervocálica (vibrante) - proveito,
criativo;
/r/, /rr/ - consoante uvular - formada pelo impedimento do
ar pela vibração da úvula - forte, carro, honra, rainha, rei.
VÍDEOS:
PARTE 01: http://www.youtube.com/watch?v=GMc3XXtPIsg
PARTE 2:http://www.youtube.com/watch?v=F7Hcg8NTajQ
CHINESA
BARONESA TRISTEZA
RIQUEZA
PRINCESA PUREZA
DUQUESA
FINEZA
DUREZA
ESPERTEZA
O que as palavras abaixo têm em
comum?
CHINESA
PORTUGUESA
INGLESA
BARONESA
DUQUESA
PRINCESA
JAPONESA
MALVADEZA
PUREZA
FINEZA
DUREZA
RIQUEZA
TRISTEZA
ESPERTEZA
BELEZA
Todas têm o mesmo som. No entanto, a grafia
muda. Então, como trabalhar a ortografia delas?
Por meio das REGRAS!
As correspondências regulares morfológico-gramaticais são
compostas de regras que envolvem morfemas tanto ligados à
formação de palavras por derivação lexical como por flexão
(MORAIS, 1998), ou seja, nesses casos, são os aspectos
gramaticais que determinam o grafema que será usado.
belo – beleza
esperto – esperteza
duro – dureza
triste – tristeza
puro - pureza
malvado – malvadeza
rico - riqueza
Os substantivos
originados de um
adjetivo são escritos
com: “EZA”.
chinês – chinesa
barão- baronesa
duque – duquesa
príncipe – princesa
inglês – inglesa
português- portuguesa
japonês - japonesa
Os substantivos
femininos que
indicam lugar de
origem e título de
nobreza são
escritos com
“ESA”.
As crianças devem ser levadas pelo docente a refletir
sobre a norma ortográfica, contudo o ensino
sistemático da ortografia não deve ser iniciado antes
que os alunos compreendam o SEA e tenham
dominado a maioria dos valores convencionais das
letras. É importante que os aprendizes já sejam
capazes de produzir e ler pequenos textos com
alguma fluência, para que a ortografia venha a ser
tomada como objeto de ensino e aprendizagem mais
sistemáticos.
Caderno Pacto, Unidade 03, p. 29

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Texto para avaliar leitura 3º ano
Texto para avaliar leitura 3º anoTexto para avaliar leitura 3º ano
Texto para avaliar leitura 3º ano
Silvânia Silveira
 
Pnaic unidade 3 ensino da ortografia
Pnaic unidade 3   ensino da ortografiaPnaic unidade 3   ensino da ortografia
Pnaic unidade 3 ensino da ortografia
tlfleite
 
Ficha diagnóstica - LÍNGUA PORTUGUESA
Ficha diagnóstica - LÍNGUA PORTUGUESAFicha diagnóstica - LÍNGUA PORTUGUESA
Ficha diagnóstica - LÍNGUA PORTUGUESA
josivaldopassos
 
Lp ortografia casos.leitura_27pag
Lp ortografia casos.leitura_27pagLp ortografia casos.leitura_27pag
Lp ortografia casos.leitura_27pag
Gabriela Aiveca
 
PLANEJAMENTO ANUAL 4° ANO ALINHADO À BNCC.pdf
PLANEJAMENTO ANUAL 4° ANO ALINHADO À BNCC.pdfPLANEJAMENTO ANUAL 4° ANO ALINHADO À BNCC.pdf
PLANEJAMENTO ANUAL 4° ANO ALINHADO À BNCC.pdf
Marcos Rohden
 
Apostila adaptada/alfabetização
Apostila adaptada/alfabetizaçãoApostila adaptada/alfabetização
Apostila adaptada/alfabetização
Isa ...
 

Mais procurados (20)

Texto para avaliar leitura 3º ano
Texto para avaliar leitura 3º anoTexto para avaliar leitura 3º ano
Texto para avaliar leitura 3º ano
 
Atividade de leitura e interpretação 9º ano
Atividade de leitura e interpretação 9º anoAtividade de leitura e interpretação 9º ano
Atividade de leitura e interpretação 9º ano
 
Reagrupamento água atividades para reproduzir.
Reagrupamento água atividades para reproduzir.Reagrupamento água atividades para reproduzir.
Reagrupamento água atividades para reproduzir.
 
Word: Atividade de português: Adjetivo – 6º ano – Modelo editável
Word: Atividade de português: Adjetivo – 6º ano – Modelo editávelWord: Atividade de português: Adjetivo – 6º ano – Modelo editável
Word: Atividade de português: Adjetivo – 6º ano – Modelo editável
 
Pnaic unidade 3 ensino da ortografia
Pnaic unidade 3   ensino da ortografiaPnaic unidade 3   ensino da ortografia
Pnaic unidade 3 ensino da ortografia
 
Ficha diagnóstica - LÍNGUA PORTUGUESA
Ficha diagnóstica - LÍNGUA PORTUGUESAFicha diagnóstica - LÍNGUA PORTUGUESA
Ficha diagnóstica - LÍNGUA PORTUGUESA
 
Apostila gêneros textuais 4º ano
Apostila gêneros textuais  4º anoApostila gêneros textuais  4º ano
Apostila gêneros textuais 4º ano
 
Projeto soletrando
Projeto soletrandoProjeto soletrando
Projeto soletrando
 
Produção textual
Produção textual Produção textual
Produção textual
 
Lp ortografia casos.leitura_27pag
Lp ortografia casos.leitura_27pagLp ortografia casos.leitura_27pag
Lp ortografia casos.leitura_27pag
 
Coletânea de Poemas
Coletânea de PoemasColetânea de Poemas
Coletânea de Poemas
 
Plano aula modelo gasparim genero textual
Plano aula modelo gasparim  genero textualPlano aula modelo gasparim  genero textual
Plano aula modelo gasparim genero textual
 
PLANEJAMENTO ANUAL 4° ANO ALINHADO À BNCC.pdf
PLANEJAMENTO ANUAL 4° ANO ALINHADO À BNCC.pdfPLANEJAMENTO ANUAL 4° ANO ALINHADO À BNCC.pdf
PLANEJAMENTO ANUAL 4° ANO ALINHADO À BNCC.pdf
 
Apostila de descritores do 2 ano.doc
Apostila de descritores do 2 ano.docApostila de descritores do 2 ano.doc
Apostila de descritores do 2 ano.doc
 
Apostila para trabalhar textos variados
Apostila para trabalhar  textos variadosApostila para trabalhar  textos variados
Apostila para trabalhar textos variados
 
Apostila adaptada/alfabetização
Apostila adaptada/alfabetizaçãoApostila adaptada/alfabetização
Apostila adaptada/alfabetização
 
Planejamento anual 2 ano fund
Planejamento anual 2 ano fundPlanejamento anual 2 ano fund
Planejamento anual 2 ano fund
 
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
A Literatura de Cordel em Sala (Projeto Pibid 2013)
 
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aulaOficina de Gêneros Textuais em sala de aula
Oficina de Gêneros Textuais em sala de aula
 
Caça palavras-animais
Caça palavras-animaisCaça palavras-animais
Caça palavras-animais
 

Semelhante a Ortografia

Pnaic oficial encontro 5 Fabiana Esteves Duque de Caxias
Pnaic oficial encontro 5 Fabiana Esteves Duque de CaxiasPnaic oficial encontro 5 Fabiana Esteves Duque de Caxias
Pnaic oficial encontro 5 Fabiana Esteves Duque de Caxias
Fabiana Esteves
 
Aquisicao da ortografia
Aquisicao da ortografiaAquisicao da ortografia
Aquisicao da ortografia
angelafreire
 
Aquisicao da ortografia
Aquisicao da ortografiaAquisicao da ortografia
Aquisicao da ortografia
angelafreire
 
Portugues Plano de Aula Ortografia Aprendendo a Utilizar o R 3º ano.pdf
Portugues Plano de Aula Ortografia Aprendendo a Utilizar o R 3º ano.pdfPortugues Plano de Aula Ortografia Aprendendo a Utilizar o R 3º ano.pdf
Portugues Plano de Aula Ortografia Aprendendo a Utilizar o R 3º ano.pdf
AdryasophiaRochapied
 
Projeto de pesquia em língua Portuguesa
Projeto de pesquia em língua PortuguesaProjeto de pesquia em língua Portuguesa
Projeto de pesquia em língua Portuguesa
Jose Arnaldo Silva
 
Apresentação sessão
Apresentação sessãoApresentação sessão
Apresentação sessão
ampm197
 
Tabela 2 descrição dos articulemas e fonemas e seu uso em boquinhas
Tabela 2   descrição dos articulemas e fonemas e seu uso em boquinhasTabela 2   descrição dos articulemas e fonemas e seu uso em boquinhas
Tabela 2 descrição dos articulemas e fonemas e seu uso em boquinhas
viviamanajas
 
Ortografi.. quadro segundo zorzi-com alterações 2
Ortografi..  quadro segundo zorzi-com alterações 2Ortografi..  quadro segundo zorzi-com alterações 2
Ortografi.. quadro segundo zorzi-com alterações 2
equipeanosiniciais
 
Ortografia Slides da Aula
Ortografia Slides da AulaOrtografia Slides da Aula
Ortografia Slides da Aula
ClaudiaDemolin
 
Conhecimento fonológico e a escrita inicial
Conhecimento fonológico e a escrita inicialConhecimento fonológico e a escrita inicial
Conhecimento fonológico e a escrita inicial
Ana Vogeley
 

Semelhante a Ortografia (20)

Pnaic oficial encontro 5 Fabiana Esteves Duque de Caxias
Pnaic oficial encontro 5 Fabiana Esteves Duque de CaxiasPnaic oficial encontro 5 Fabiana Esteves Duque de Caxias
Pnaic oficial encontro 5 Fabiana Esteves Duque de Caxias
 
Aquisicao da ortografia
Aquisicao da ortografiaAquisicao da ortografia
Aquisicao da ortografia
 
Aquisicao da ortografia
Aquisicao da ortografiaAquisicao da ortografia
Aquisicao da ortografia
 
Portugues Plano de Aula Ortografia Aprendendo a Utilizar o R 3º ano.pdf
Portugues Plano de Aula Ortografia Aprendendo a Utilizar o R 3º ano.pdfPortugues Plano de Aula Ortografia Aprendendo a Utilizar o R 3º ano.pdf
Portugues Plano de Aula Ortografia Aprendendo a Utilizar o R 3º ano.pdf
 
Oficina de ortografia 3 ano
Oficina de ortografia 3 anoOficina de ortografia 3 ano
Oficina de ortografia 3 ano
 
Projeto de pesquia em língua Portuguesa
Projeto de pesquia em língua PortuguesaProjeto de pesquia em língua Portuguesa
Projeto de pesquia em língua Portuguesa
 
Artigo erros graficos
Artigo erros graficosArtigo erros graficos
Artigo erros graficos
 
Monografia em Língua Portuguesa
Monografia em Língua PortuguesaMonografia em Língua Portuguesa
Monografia em Língua Portuguesa
 
Apresentação sessão
Apresentação sessãoApresentação sessão
Apresentação sessão
 
Oficina de ortografia 9 ano
Oficina de ortografia 9 anoOficina de ortografia 9 ano
Oficina de ortografia 9 ano
 
1 ciclo leitura_escrita
1 ciclo leitura_escrita1 ciclo leitura_escrita
1 ciclo leitura_escrita
 
Métodos de alfabetização: Método Global x Método Fônico x Construtivismo s ls...
Métodos de alfabetização: Método Global x Método Fônico x Construtivismo s ls...Métodos de alfabetização: Método Global x Método Fônico x Construtivismo s ls...
Métodos de alfabetização: Método Global x Método Fônico x Construtivismo s ls...
 
Hipóteses Alfabética.pptx
Hipóteses Alfabética.pptxHipóteses Alfabética.pptx
Hipóteses Alfabética.pptx
 
Tabela 2 descrição dos articulemas e fonemas e seu uso em boquinhas
Tabela 2   descrição dos articulemas e fonemas e seu uso em boquinhasTabela 2   descrição dos articulemas e fonemas e seu uso em boquinhas
Tabela 2 descrição dos articulemas e fonemas e seu uso em boquinhas
 
Ortografi.. quadro segundo zorzi-com alterações 2
Ortografi..  quadro segundo zorzi-com alterações 2Ortografi..  quadro segundo zorzi-com alterações 2
Ortografi.. quadro segundo zorzi-com alterações 2
 
Hellen carolinne rebeca
Hellen carolinne rebecaHellen carolinne rebeca
Hellen carolinne rebeca
 
Ortografia Slides da Aula
Ortografia Slides da AulaOrtografia Slides da Aula
Ortografia Slides da Aula
 
Metodo das-onomatopeias-1
Metodo das-onomatopeias-1Metodo das-onomatopeias-1
Metodo das-onomatopeias-1
 
Conhecimento fonológico e a escrita inicial
Conhecimento fonológico e a escrita inicialConhecimento fonológico e a escrita inicial
Conhecimento fonológico e a escrita inicial
 
A hora de ensinar ortografia
A hora de ensinar ortografiaA hora de ensinar ortografia
A hora de ensinar ortografia
 

Mais de Pactoufba

Mais de Pactoufba (12)

4. psicogenese da_lingua_escrita
4. psicogenese da_lingua_escrita4. psicogenese da_lingua_escrita
4. psicogenese da_lingua_escrita
 
2. brincadeiras
2. brincadeiras2. brincadeiras
2. brincadeiras
 
5. consciencia fonologica
5. consciencia fonologica5. consciencia fonologica
5. consciencia fonologica
 
Link ano 02
Link ano 02Link ano 02
Link ano 02
 
Link ano 01
Link ano 01Link ano 01
Link ano 01
 
Link 1
Link 1Link 1
Link 1
 
Eixo analise linguistica
Eixo analise linguisticaEixo analise linguistica
Eixo analise linguistica
 
Direitos de aprendizagem_em_historia_-_material_do_pacto
Direitos de aprendizagem_em_historia_-_material_do_pactoDireitos de aprendizagem_em_historia_-_material_do_pacto
Direitos de aprendizagem_em_historia_-_material_do_pacto
 
Link ano 03
Link ano 03Link ano 03
Link ano 03
 
Avaliacao -estudo_do_tema
Avaliacao  -estudo_do_temaAvaliacao  -estudo_do_tema
Avaliacao -estudo_do_tema
 
Avaliacao -2a_parte
Avaliacao  -2a_parteAvaliacao  -2a_parte
Avaliacao -2a_parte
 
Concepcoes alfabetizacao e_letramento
Concepcoes alfabetizacao e_letramentoConcepcoes alfabetizacao e_letramento
Concepcoes alfabetizacao e_letramento
 

Último

No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
azulassessoria9
 
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
Autonoma
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
azulassessoria9
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
azulassessoria9
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Eró Cunha
 
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
azulassessoria9
 
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
Autonoma
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
azulassessoria9
 

Último (20)

No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
No processo de aprendizagem motora, a forma como o indivíduo processa as info...
 
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União EuropeiaApresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
Apresentação | Símbolos e Valores da União Europeia
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autoresModelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
Modelos de Inteligencia Emocional segundo diversos autores
 
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-paronimos-e-homonimos-4º-e-5º-ano-respostas.pdf
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
 
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
O desenvolvimento é um conceito mais amplo, pode ter um contexto biológico ou...
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdfUFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
UFCD_10659_Ficheiros de recursos educativos_índice .pdf
 
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptxRENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
RENASCIMENTO E HUMANISMO_QUIZ 7º ANO.pptx
 
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
 
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
 
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
 
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PEEdital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
Edital do processo seletivo para contratação de agentes de saúde em Floresta, PE
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 

Ortografia

  • 1.
  • 2. Ortografia: como trabalhar? Como trabalhar a ortografia com os alunos? Ao se trabalhar com a ortografia no Ciclo de Alfabetização, deve-se privilegiar algum aspecto? O que não se pode deixar de trabalhar? O que julgo dispensável nesse momento de Alfabetização? Como a criança aprende mesmo a escrever corretamente as palavras?
  • 3. Ortografia: como trabalhar? O ensino da ortografia deve ser iniciado no ano 3, etapa em que a criança já compreende o sistema de escrita alfabética. Nessa etapa de escolarização, deve-se chamar a atenção dos alunos para algumas regularidades da língua escrita. Nossa norma ortográfica apresenta casos de regularidades e irregularidades na relação entre sons e letras. Caderno Pacto, Unidade 03, p. 26.
  • 4. As correspondências regulares podem ser de três tipos: diretas, contextuais e morfológico-gramaticais. A apropriação dessas restrições se dá através da compreensão dos princípios gerativos da norma, isto é, das regras. Caderno Pacto, Unidade 03, p. 26.
  • 5. As regularidades diretas são evidenciadas quando só existe na língua um grafema para notar determinado fonema (é o caso de P, B, T, D, F, V). Por exemplo, o P representará sempre o fonema /p/ (pato, capa, chapéu, entre outras), independente da posição em que apareça na palavra. A grafia desses sons não impõe dificuldades às crianças que já começaram a perceber essa relação já no momento da apropriação do SEA. Caderno Pacto, Unidade 03, p. 26.
  • 6. As correspondências letra-som regulares diretas (P, B, T, D, F, V) P/B T/D F/V PATO/BATO TATA/DATA FACA/VACA PECA/BECA TECA/DECA FERA/VERA PICO/BICO TITO/DITO FILA/VILA POTE/BOTE TOMO/DOMO FOTO/VOTO
  • 7. As regularidades contextuais, por sua vez, ocorrem quando a relação letra-som é determinada pela posição (contexto) em que a letra aparece dentro da palavra. Por exemplo: o uso do C ou QU relaciona-se ao som /k/, mas depende da vogal com que forme sílaba (casa, pequeno). Uma dificuldade para as crianças está relacionada à escrita das vogais nasais e dos ditongos nasais, o que pode ser explicado pela quantidade de possibilidades que existe na língua portuguesa para marcar a nasalidade: M/N em posição final de sílaba (campo, canto), uso do til (manhã), uso do dígrafo NH (linha), além dos casos de nasalização por contiguidade, em que a nasalização ocorre porque a sílaba seguinte já começa com uma consoante nasal – (amo). Caderno Pacto, Unidade 03, p. 26-7.
  • 8. As correspondências letra-som regulares contextuais: C/QU; G/GU; R/RR; SA/SO/SU em início de palavra. JA/JO/JU; Z inicial; O ou U/ E ou I em sílaba final. M e N nasalizando final de sílaba. NH; Ã e ÃO em final de substantivos e adjetivos. C/QU: CINTO/QUINTO; JACA/JAQUETA. G/GU: GELA/GUELA; GAROTO/GUARANÁ. R/RR: CARO/CARRO; FERA/FERRA; SA/SO/SU: SALA; SOLA; SUBA. JA/JO/JU: JACA; JOCA; JUCA. Z: ZERO; ZULMIRA. O ou U/E ou I em sílaba final: VOVÓ/CAJU/BULE/SACI. M e N nasalizando final de sílaba: POM-BO; MAN-GA. NH; Ã e ÃO: NINHO; IRMÃ; IRMÃO.
  • 9. Análise Linguística: Outros Conhecimentos ANO 1 ANO 2 ANO 3 Grafar corretamente palavras com correspondências regulares diretas entre letras e fonemas (P, B, T, D, F, V). I/A A C Grafar corretamente palavras com correspondências regulares contextuais entre letras ou grupos de letras e seu valor sonoro (C/QU; G/GU; R/RR; SA/ SO/SU em início de palavra; JA/JO/JU; Z inicial; O ou U/ E ou I em sílaba final; M e N nasalizando final de sílaba; NH; Ã e ÃO em final de substantivos e adjetivos). I A/C
  • 10. As correspondências letra-som regulares morfológico-gramaticais As correspondências som-grafia baseadas em regras morfológico-gramaticais estão presentes também nas flexões verbais. As crianças, para garantir a escrita correta desses verbos, inicialmente, elas podem levantar hipóteses quanto a sua grafia. A depender da pronúncia, algumas podem grafar a terminação com /o/; /u/; /l/. A escrita correta virá a partir do estudo morfológico, ou seja, da compreensão da classe da palavra.
  • 11. Por exemplo, empregamos U no final de verbos no passado, na terceira pessoa, como: EU CANTEI EU BEBI EU SORRI TU CANTASTE TU BEBESTE TU SORRISTE ELE CANTOU ELE BEBEU ELE SORRIU Mas empregamos o O no final de verbos no presente, na primeira pessoa, como: EU CANTO EU BEBO EU SORRIO
  • 12. O uso dessas regularidades baseia-se em regras que, aos poucos, as crianças assimilam a partir de um trabalho sistemático, cujo princípio é a reflexão.
  • 13. As correspondências irregulares, por outro lado, não apresentam uma regra que ajude o aprendiz a selecionar a letra ou o dígrafo que deverá ser usado. Apenas um dicionário ou a memorização poderá ajudar nesses casos (MORAIS, 1998). CHAPÉU / VASSOURA / QUEIJO / CARROÇA CAMINHÃO / PALHA / DESCIDA / EXCEÇÃO Caderno Pacto, Unidade 03, p. 26.
  • 14. Hora da Atividade! Cada grupo deve analisar seu texto (trava-língua) e, a partir dele, propor uma atividade que contemple as regularidades diretas (as evidenciadas quando só existe na língua um grafema para notar determinado fonema: é o caso de P, B, T, D, F, V). Esta pode ou não conter o texto em si. Exposição da atividade para o grupo.
  • 15. A partir dessa atividade, o que podemos constatar que as crianças já sabem sobre a escrita? Assim como é necessário conhecer o que as crianças já sabem sobre a escrita e o que ainda precisam saber, é necessária também a realização de um diagnóstico ortográfico para identificar o que as crianças já sabem sobre a norma, o que elas sabem de forma assistemática e o que elas ainda precisam saber. Assim, os professores devem pensar sobre os seus objetivos de ensino (o que devem ensinar?) e nos objetivos didáticos (o que os alunos irão aprender com determinado tipo de atividade?), de forma integrada aos objetivos formativos do currículo das escolas do campo. Caderno Pacto, Unidade 03, p. 36.
  • 16. A partir do mapeamento, é necessário organizar o ensino, de modo a tratar separadamente as regularidades e irregularidades da norma ortográfica. O registro constante dos avanços das crianças em relação ao conhecimento ortográfico também deve ser realizado, o que ajudará o docente a rever e estabelecer novos objetivos. Caderno Pacto, Unidade 03, p. 36.
  • 17.
  • 18. O rei e a rainha foram passear numa carruagem muito bela que mandaram comprar. A coroa do rei era prateada, mas de ouro enfeitada. Ele beijava a rainha, que estava apaixonada. Andavam perto do rio, e nas ruas decoradas, adoravam a cidade e andavam de mãos dadas. Disponível em: http://www.aprenderebrincar.com/2012/10/poema-e-atividades-com-letra-r.html Acesso em: 05.06.13.
  • 19. O SOM DO R /r/ - posição intervocálica (vibrante) – arara, cururu; /r/ - posição não intervocálica (vibrante) - proveito, criativo; /r/, /rr/ - consoante uvular - formada pelo impedimento do ar pela vibração da úvula - forte, carro, honra, rainha, rei.
  • 20. VÍDEOS: PARTE 01: http://www.youtube.com/watch?v=GMc3XXtPIsg PARTE 2:http://www.youtube.com/watch?v=F7Hcg8NTajQ
  • 22. O que as palavras abaixo têm em comum? CHINESA PORTUGUESA INGLESA BARONESA DUQUESA PRINCESA JAPONESA MALVADEZA PUREZA FINEZA DUREZA RIQUEZA TRISTEZA ESPERTEZA BELEZA Todas têm o mesmo som. No entanto, a grafia muda. Então, como trabalhar a ortografia delas?
  • 23. Por meio das REGRAS! As correspondências regulares morfológico-gramaticais são compostas de regras que envolvem morfemas tanto ligados à formação de palavras por derivação lexical como por flexão (MORAIS, 1998), ou seja, nesses casos, são os aspectos gramaticais que determinam o grafema que será usado. belo – beleza esperto – esperteza duro – dureza triste – tristeza puro - pureza malvado – malvadeza rico - riqueza Os substantivos originados de um adjetivo são escritos com: “EZA”.
  • 24. chinês – chinesa barão- baronesa duque – duquesa príncipe – princesa inglês – inglesa português- portuguesa japonês - japonesa Os substantivos femininos que indicam lugar de origem e título de nobreza são escritos com “ESA”.
  • 25. As crianças devem ser levadas pelo docente a refletir sobre a norma ortográfica, contudo o ensino sistemático da ortografia não deve ser iniciado antes que os alunos compreendam o SEA e tenham dominado a maioria dos valores convencionais das letras. É importante que os aprendizes já sejam capazes de produzir e ler pequenos textos com alguma fluência, para que a ortografia venha a ser tomada como objeto de ensino e aprendizagem mais sistemáticos. Caderno Pacto, Unidade 03, p. 29