Visita à Estação de
Tratamento de Esgotos ETE - Araraquara
ETE - Araraquara
Pré-tratamento
Pré-tratamento
Pré-tratamento
LAGOA DE AERAÇÃO
LAGOA DE
SEDIMENTAÇÃO
Tratamento do lodo
Pós-tratamento do esgoto
Por que é importante o tratamento
do esgoto?
Importância do tratamento
dos esgotos
• Evitar a poluição do solo e dos
mananciais

de

abastecimento

água
• Prevenir doe...
Doenças relacionadas aos
esgotos
Ancilostomíase (amarelão), ascaridíase,
amebíase, cólera, diarréia infecciosa,
disenteria...
Esquistossomose
Ascaridíase
Causador: verme lombriga Ascaris lumbricoides
Formas de transmissão: ingestão dos ovos
infectados do parasita,...
Medidas de controle
• uso de privadas evitando a contaminação da superfície
do solo e das águas de superfície (lagoas, cór...
BACIA HIDROGRÁFICA
BACIA HIDROGRÁFICA
É uma área de grande superfície, formada por
um conjunto de terras, por onde corre um rio
principal e s...
BACIA HIDROGRÁFICA
REGIÕES HIDROGRÁFICAS
BACIAS HIDROGRÁFICAS SP
Bacia Hidrográfica do Tietê-Jacaré
Bacia, Sub-bacia e Microbacia
CÓRREGO MARIVAN
O córrego do Marivan, localizado a nordeste, integra a
sub-bacia do ribeirão das Cruzes, com uma
microbaci...
Nascente
Afloramento natural do lençol freático que
apresenta perenidade e dá início a um
curso d’água.
Área de Preservação
Permanente - APP
Área protegida, coberta ou não por vegetação nativa,
com a função ambiental de preser...
MATA CILIAR
As margens dos rios geralmente são cobertas por
uma vegetação densa, formada por árvores nativas
típicas, cham...
MATA CILIAR
É obrigatória a conservação de 30 m de
mata para cursos d’água com até 10 m de
largura. (Código Florestal - Le...
IMPORTÂNCIA DA
MATA CILIAR
Porque contribuem para:
• escoamento das águas da chuva;
• diminuição do pico dos períodos de c...
EROSÃO
É o processo de perda de solo que pode ser
causado pela água (tanto pelo impacto da
chuva quanto do manejo da água ...
EFEITOS DA EROSÃO
• alterações no relevo;
• riscos às obras civis;
• remoção da camada superficial e fértil do solo;
• inu...
ASSOREAMENTO
Os materiais arrastados com a água vão se
acumular no fundo de rios, lagos e fontes,
deixando o leito do rio ...
ASSOREAMENTO
Visita à nascente e
córrego Marivan
Visita à nascente e
córrego Marivan

Observação:

 Vegetação;
 Clima;
 Existência ou não de mata ciliar;
 Erosão;
 As...
Após a visita à nascente
e córrego Marivan
Relatório com a descrição do local, as
observações realizadas com relação à
veg...
ATIVIDADES
• Quais são as soluções para economizar água?
• Que mudanças de hábito somos capazes de ter
para contribuir par...
USO RACIONAL DA ÁGUA
DICAS DE
COMO UTILIZAR
ÁGUA
SEM
DESPERDIÇAR
Sugestões
• Cartazes
• Atividades – “brincadeiras ou jogos”
• Maquetes
Maquetes
DISPONIBILIDADE DE
ÁGUA NO PLANETA
2013
Ano Internacional de
Cooperação pela Água
Apresentação projetos 3 e 4 aula 3
Apresentação projetos 3 e 4 aula 3
Apresentação projetos 3 e 4 aula 3
Apresentação projetos 3 e 4 aula 3
Apresentação projetos 3 e 4 aula 3
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação projetos 3 e 4 aula 3

766 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Apresentação projetos 3 e 4 aula 3

  1. 1. Visita à Estação de Tratamento de Esgotos ETE - Araraquara
  2. 2. ETE - Araraquara
  3. 3. Pré-tratamento
  4. 4. Pré-tratamento
  5. 5. Pré-tratamento
  6. 6. LAGOA DE AERAÇÃO
  7. 7. LAGOA DE SEDIMENTAÇÃO
  8. 8. Tratamento do lodo
  9. 9. Pós-tratamento do esgoto
  10. 10. Por que é importante o tratamento do esgoto?
  11. 11. Importância do tratamento dos esgotos • Evitar a poluição do solo e dos mananciais de abastecimento água • Prevenir doenças de
  12. 12. Doenças relacionadas aos esgotos Ancilostomíase (amarelão), ascaridíase, amebíase, cólera, diarréia infecciosa, disenteria bacilar, esquistossomose, febre tifóide, febre paratifóide, salmonelose, teníase e cisticercose.
  13. 13. Esquistossomose
  14. 14. Ascaridíase Causador: verme lombriga Ascaris lumbricoides Formas de transmissão: ingestão dos ovos infectados do parasita, que podem ser encontrados no solo, água ou alimentos contaminados por fezes humanas.
  15. 15. Medidas de controle • uso de privadas evitando a contaminação da superfície do solo e das águas de superfície (lagoas, córregos, etc.) • evitar o banho em córregos e lagos, nas regiões onde houver prevalência de esquistossomose; • lavar frutas e verduras em água potável; • evitar a contaminação por fezes das águas de irrigação; • desinfecção da água para consumo humano; • proteger mananciais e fontes de água destinados ao consumo humano; • proteger os alimentos e eliminar os focos de proliferação de vetores; • lavar as mãos, após o uso da privada e troca de fraldas das crianças, antes de lidar com alimentos e antes das refeições.
  16. 16. BACIA HIDROGRÁFICA
  17. 17. BACIA HIDROGRÁFICA É uma área de grande superfície, formada por um conjunto de terras, por onde corre um rio principal e seus afluentes, incluindo cabeceiras ou nascentes, divisores de água, cursos d´água principais, afluentes, subafluentes, entre outros.
  18. 18. BACIA HIDROGRÁFICA
  19. 19. REGIÕES HIDROGRÁFICAS
  20. 20. BACIAS HIDROGRÁFICAS SP
  21. 21. Bacia Hidrográfica do Tietê-Jacaré
  22. 22. Bacia, Sub-bacia e Microbacia
  23. 23. CÓRREGO MARIVAN O córrego do Marivan, localizado a nordeste, integra a sub-bacia do ribeirão das Cruzes, com uma microbacia de aproximadamente 2,1 km2 e perímetro de 5,37 km. O ribeirão das Cruzes, localizado a noroeste da cidade, possui uma sub-bacia de 173 km 2 dentro do perímetro urbano e recebe a contribuição dos córregos do Marivan, Serralhal, Cupim, Paiol, Laranjal e do ribeirão do Lajeado. É responsável por 30% do abastecimento público do município de Araraquara.
  24. 24. Nascente Afloramento natural do lençol freático que apresenta perenidade e dá início a um curso d’água.
  25. 25. Área de Preservação Permanente - APP Área protegida, coberta ou não por vegetação nativa, com a função ambiental de preservar os recursos hídricos, a paisagem, a estabilidade geológica e a biodiversidade, facilitar o fluxo gênico de fauna e flora, proteger o solo e assegurar o bem-estar das populações humanas. Lei Federal nº 12.651/12
  26. 26. MATA CILIAR As margens dos rios geralmente são cobertas por uma vegetação densa, formada por árvores nativas típicas, chamada de mata ciliar. Assim como os cílios protegem nossos olhos da poeira e outros detritos, as matas ciliares também protegem os rios da poluição e do assoreamento e fornecem frutos que alimentam os animais aquáticos e terrestres.
  27. 27. MATA CILIAR É obrigatória a conservação de 30 m de mata para cursos d’água com até 10 m de largura. (Código Florestal - Lei 4.771 de 15/09/65) Por que é tão importante preservar as Matas Ciliares?
  28. 28. IMPORTÂNCIA DA MATA CILIAR Porque contribuem para: • escoamento das águas da chuva; • diminuição do pico dos períodos de cheia; • estabilidade das margens e barrancos de cursos d’água; • ciclo de nutrientes existentes na água, entre outros.
  29. 29. EROSÃO É o processo de perda de solo que pode ser causado pela água (tanto pelo impacto da chuva quanto do manejo da água de irrigação), vento ou por práticas agrícolas inadequadas.
  30. 30. EFEITOS DA EROSÃO • alterações no relevo; • riscos às obras civis; • remoção da camada superficial e fértil do solo; • inundações e alterações dos cursos d’água; • assoreamento dos rios. Também a ação do homem pode causar processos erosivos ainda mais perigosos por atividades tais como: desmatamento, agricultura, mineração e terraplanagem.
  31. 31. ASSOREAMENTO Os materiais arrastados com a água vão se acumular no fundo de rios, lagos e fontes, deixando o leito do rio cada vez mais raso, ou seja, ocasionando o seu assoreamento.
  32. 32. ASSOREAMENTO
  33. 33. Visita à nascente e córrego Marivan
  34. 34. Visita à nascente e córrego Marivan Observação:  Vegetação;  Clima;  Existência ou não de mata ciliar;  Erosão;  Assoreamento;  Água;  Possíveis problemas existentes.
  35. 35. Após a visita à nascente e córrego Marivan Relatório com a descrição do local, as observações realizadas com relação à vegetação, à nascente e ao trecho do córrego Marivan, aos problemas encontrados e as possíveis soluções para minimizá-los.
  36. 36. ATIVIDADES • Quais são as soluções para economizar água? • Que mudanças de hábito somos capazes de ter para contribuir para o uso racional da água? • Quais soluções coletivas que podemos propor à comunidade que contribuam para o consumo sustentável de água?
  37. 37. USO RACIONAL DA ÁGUA
  38. 38. DICAS DE COMO UTILIZAR ÁGUA SEM DESPERDIÇAR
  39. 39. Sugestões • Cartazes • Atividades – “brincadeiras ou jogos” • Maquetes
  40. 40. Maquetes
  41. 41. DISPONIBILIDADE DE ÁGUA NO PLANETA
  42. 42. 2013 Ano Internacional de Cooperação pela Água

×