Parte 5 A Materialidade Da Arte

7.864 visualizações

Publicada em

Parte 5

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.864
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Parte 5 A Materialidade Da Arte

  1. 1. IDENTIFICAÇÃO INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR : Universidade Tecnológica Federal do Paraná PROFESSOR ORIENTADOR IES : Marilda Lopes Pinheiro Queluz PROFESSOR PDE : Paulo Roberto da Veiga Buzetti NRE : Curitiba ÁREA/DISCIPLINA : Arte TÍTULO DA PRODUÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA : “As Novas Tecnologias como Expressão Artística” 5ªPARTE : A Materialidade da Arte
  2. 2. desligada a tomada a eletricidade não percorre o fio... A importância da Tomada parece besteira mas...
  3. 3. A penas uma H istória ... U ma amiga estava visitando uma exposição de Arte Digital e houve um blackout ... ... as obras em segundos desapareceram... ... blackout ... ... as obras em segundos desapareceram... ...
  4. 4. A penas uma H istória ... U ma amiga estava visitando uma exposição de Arte Digital e houve um blackout ... ... as obras em segundos desapareceram... ...
  5. 5. Qual a materialidade na arte tecnológica?
  6. 6. P resença & ausênci A
  7. 7. P resença & ausênci A
  8. 8. P resença & ausênci A
  9. 9. P resença & ausênci A
  10. 10. P resença & ausênci A
  11. 11. P resença & ausênci A
  12. 12. P resença & ausênci A
  13. 13. P resença & ausênci A
  14. 14. Uma parafernália tecnológica fios, monitores, sensores, eletrodos, engrenagens, tela e muitos outros equipamentos promovem a arte nas novas tecnologias.
  15. 15. eletricidade, Virtual, sensores, Digital, pixels, software, hardware, em Rede, ambientes virtuais Assim como:
  16. 16. eletricidade, Virtual, sensores, Digital, pixels, software, hardware, em Rede, ambientes virtuais Assim como:
  17. 17. eletricidade, Virtual, sensores, Digital, pixels, software, hardware, em Rede, ambientes virtuais Assim como:
  18. 18. eletricidade, Virtual, sensores, Digital, pixels, software, hardware, em Rede, ambientes virtuais Assim como:
  19. 19. eletricidade, Virtual, sensores, Digital, pixels, software, hardware, em Rede, ambientes virtuais Assim como:
  20. 20. eletricidade, Virtual, sensores, Digital, pixels, software, hardware, em Rede, ambientes virtuais Assim como:
  21. 21. eletricidade, Virtual, sensores, Digital, pixels, software, hardware, em Rede, ambientes virtuais Assim como:
  22. 22. Uma tecnologia com várias densidades uma mais Física e outra menos Física .
  23. 23. P resença & Ausênci a da matéria na obra de arte <ul><li>A máquina como apenas um recurso para o surgimento da Obra de Arte;
  24. 24. A máquina participando da obra;
  25. 25. A máquina é a obra; </li></ul>
  26. 26. A máquina como apenas um recurso para o surgimento da O bra de A rte
  27. 27. Obra: Imágina - 2000 Instalação Multimídia Interativa - Evento: Senac de São Paulo - Lapa - SP. Imágina carrega em seu bojo o conceito de Obra de Arte como Sistema. Aqui a obra já não é mais um objeto estático com limites bem definidos mas uma dinâmica, uma processualidade que se desdobra e evolui no tempo e no espaço. Imágina propõe a criação de um sistema no qual imagens e sons de diversos locais, internos e externos à instalação, se engendrem através da movimentação das pessoas e da ação do software de controle, definindo uma imagem que alimentará uma outra rede-sistema, a internet. No processo de Imágina estão envolvidos, numa densa relação, o lúdico, a repercussão e a interação entre interator e obra de arte.
  28. 28. A máquina participando da obra
  29. 29. Obra: Re-Trato Instalação Multimídia Interativa – 1998) “ Re-Trato” é uma instalação que reelabora o processo de percepção visual humana, partindo de um sistema cartesiano de observação. É um sistema de re-modelagem da perspectiva do olhar, permitindo que o observador veja outros pontos de vista de si mesmo, diferente do usualmente visto no espelho. Participação: Fernando Fogliano, Luiz Galhardo, Milton Sogabe, Rejane Cantoni,Renato Hildebrand e Rosangella Leote.
  30. 30. A máquina é a obra
  31. 31. Obra: Projeto Gira S.O.L. Escultura Interativa O projeto GIRA S.O.L. (Sistema de Observação da Luz) utiliza-se de uma estrutura (uma escultura interativa) que possui a propriedade de se organizar diante de um estímulo ambiental tal como uma flor girassol. A relação entre a natureza e a tecnologia, através da utilização da energia solar e de materiais inteligentes, constroem a poética de GIRA S.O.L.
  32. 32. Sugestões de Leituras BRITO, Gláucia da Silva; PURIFICAÇÃO, Ivonéia . Educação e novas tecnologias: um repensar . Curitiba, Pr: IBPEX, 2006 COUCHOT,E. “Da representação à simulação das técnicas e das artes da figuração”. In Imagem máquina: a era das tecnologias do virtual . Org. André Parente, Editora 34, 1993. p. 37-48. DOMINGUES, Diana (org.). A arte no século XXI: a humanização das tecnologias . São Paulo: Fundação da UNESP, 1997. JANA, Reena; TRIBE, Mark. New Media Art . Colónia: Taschen Ed., 2007. MACHADO, Arlindo. Arte e mídia . Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2007. MARTIN, Sylvia. Video art . Colónia: Taschen Ed., 2006. www.cibercultura.org.br/tikiwiki/home.php http://sciarts.org.br/index1p.html

×