SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Associação Portuguesa para o
Desenvolvimento Local
1993 – 2013

Outubro 2013
A Rede ANIMAR é constituída por mais de 80 organizações e 100 pessoas
(com uma intervenção importante de Norte a Sul de Portugal e Ilhas)

A ANIMAR foi criada em 1993 como a Rede de ligação e suporte às organizações de
Desenvolvimento Local em Portugal (numa primeira fase em áreas rurais)
 Associação privada sem fins lucrativos
 Dimensão nacional
 Reúne organizações e pessoas com intervenção nas áreas:
- desenvolvimento local
- economia social e solidária
- educação formal e não-formal
- associativismo
- cidadania ativa
Com uma intervenção importante de Norte a Sul de Portugal e Ilhas

Pretendemos estimular o Desenvolvimento Local através
de processos/projetos:
1) de empowerment /autonomia organizacional e territorial
2) de troca de experiências dentro da rede
3) de interação e de desenvolvimento da sustentabilidade das
organizações
4) de qualificação das organizações para uma melhor
intervenção nos seus territórios
5) de lobby local e nacional relativo a medidas de política
pública
REPRESENTAÇÃO NACIONAL
Organizações sem fins lucrativos:
Associações de Desenvolvimento Local
Organizações Particulares de Solidariedade Social
Cooperativas
Fundações
Organizações não Governamentais
INDIVIDUAIS: Colaboradores/as Associações, de Centros de Investigação, Docentes Universitários, etc.

VANTAGENS


Funcionamento em rede de forma descentralizada



Difusão boas práticas e de troca de experiências



Difusão de conhecimento e práticas inovadoras ao nível nacional



Capacidade de relações institucionais com instituições de carácter público e privado



Mobilização e racionalização de recursos a nível nacional
OBJETIVOS
Representação e defesa de propostas
dos associados em estruturas
nacionais

Elaboração de Projectos Comuns de
Apoio e Dinamização da Rede
Contribuição para a criação e
reforço de programas
específicos para áreas
desfavorecidas

Promoção e desenvolvimento de
iniciativas de desenvolvimento
local

Difusão de informação e
conhecimento, principalmente de
conhecimento
suporte às organizações que
intervêm em áreas desfavorecidas

Estimulação de troca de
informações e experiências, entre
experiências
os agentes de desenvolvimento
local
Suporte informativo, técnico e
financeiro às iniciativas das
organizações associadas
A Animar é membro:
NACIONAL


CASES – Cooperativa António Sérgio para a Economia
Social



CNES - Conselho Nacional para a Economia Social



Comissão de Acompanhamento do PRODER



Comissão de Acompanhamento da Rede Rural Nacional



Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regionais
(NUT II)



Comissão Paritária do IEFP



Conselho de Acompanhamento da RTP2



Conselho Nacional de Agricultura e Desenvolvimento Rural



Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado



Fórum Não Governamental para a Inclusão Social – FNGIS



Grupos de Trabalho CIG

INTERNACIONAL


Rede Europeia Anti-Pobreza- Portugal



ENSIE - Rede Europeia de Inclusão Social



RIPESS – Rede Intercontinental de Promoção da
Economia Social e Solidária – Europa
A ANIMAR atua:
I) medindo o impacto das políticas nacionais e comunitárias, fazendo propostas em
conformidade com elas e criando e executando projetos em rede com as suas associadas
II) produzindo, editando e difundindo documentos, realizando seminários, colóquios,
conferências, feiras e outras iniciativas, onde avulta a realização bienal da MANIFesta Assembleia, Feira e Festa do Desenvolvimento Local
III) editando a revista Vez e Voz, a página eletrónica da Animar (www.animar-dl.pt) e o
boletim InfoAnimar, para além de animar diversas comunidades de partilha, reflexão e
discussão nas redes sociais existentes na internet
Coesão e Sustentabilidade Territorial
Prioridades de Intervenção:
• Democratização
• Definição de estratégias de atuação
• Estabelecimento de redes / parcerias
• Apoios aos atores locais
Democratização


Mobilizar os/as cidadãos/ãs, para que apresentem as suas
aspirações e participem nas escolhas das ações a
implementar;



Reforçar projetos que estimulem processos de participação
das comunidades locais no(s) processo(s) de
desenvolvimento do seu território;



Contribuir para a criação de novos espaços de diálogo, de
participação e de decisão, que favoreçam um novo
relacionamento entre eleitos/decisores e eleitores;



Serem agentes de mudança através de uma intervenção
individual ou enquadrada em organizações locais cívicas e
solidárias;
Definição de estratégias de atuação


Procurar diagnosticar finamente ao nível municipal quais os
setores/negócios que mais resistem à crise, procurando assim os
verdadeiros motores estratégicos da economia local, estimulando em
simultâneo inovação e atividades de complementaridade e de reforço a
estes setores/negócios, em especial os ligados a processos de micro
empreendedorismo ou mesmo nano empreendedorismo;



Definir estratégias de atuação territorial, envolvendo as populações
locais e os atores institucionais locais, procurando a articulação de
diferentes escalas urbanas e rurais, a partir do local e sem imposição de
modelos de desenvolvimento;



Consciencializar para que o ordenamento do território e a preservação
do ambiente sejam elementos essenciais do desenvolvimento local;



Apostar em estratégias de produção local, que defina todo o circuito de
comercialização do produtor ao consumidor, prevendo redes físicas de
apoio à distribuição e colocação no mercado, nacional e internacional, a
preços justos;
Estabelecimento de redes / parcerias


Trabalhar a articulação em rede, de agentes locais do
território, não tanto numa perspetiva de especialização, mas
de atuação generalizada nesse mesmo território, promovendo
um contato permanente com contextos europeus e
internacionais, no sentido de despoletar uma aprendizagem
interpares fora do contexto de atuação habitual;



Promover projetos ligados em rede, estimulando o
aparecimento de novos produtos e serviços, a partir da
interação dos produtos/serviços locais já produzidos;



Esta relação em rede tende a remeter para todo o tipo de
relação entre diversos indivíduos, grupos ou instituições, de
alguma forma interligados entre si, pressupondo que tal
relação é tendencialmente horizontal e que há alguma
interdependência entre os “nós”, ou seja, que (a ação de)
cada um pode ter algum tipo de influência sobre os restantes.
Apoios aos atores locais







Canalizar apoios financeiros para os atores de
desenvolvimento local, para que possam implementar
dinâmicas de animação territorial;
Apoiar os nano e micronegócios formais, enquanto
potenciadores da empregabilidade local.
Defender os bens públicos e os serviços de proximidade
quer estes sejam prestados por organizações do Estado
Central ou Local, quer por organizações sem fins
lucrativos de base local, mesmo elas sendo muitas vezes
de pequeníssima dimensão e com fraca capacidade de
financeira
Estimular o microcrédito e outros mecanismos de
financiamento, de apoio ao investimento
Contatos
ANIMAR - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local
Rua Antero de Quental / Edifício Ninho de Empresas
Bairro Olival de Fora
2625-640 VIALONGA
PORTUGAL
Tel. / Fax.: 00351-219527450 / 00351-219521322
E-mail: animar@animar-dl.pt
Web: http://www.animar-dl.pt

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas PolíticasAula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas Políticaseadcedaps
 
Apresentação mmmmmm
 Apresentação mmmmmm Apresentação mmmmmm
Apresentação mmmmmmlovvyy
 
Articulação de Políticas Públicas e Atores Sociais - Série DRS vol. 8
Articulação de Políticas Públicas e Atores Sociais - Série DRS vol. 8Articulação de Políticas Públicas e Atores Sociais - Série DRS vol. 8
Articulação de Políticas Públicas e Atores Sociais - Série DRS vol. 8iicabrasil
 
18 caderno de textos subsidios para o debate
18  caderno de textos subsidios para o debate18  caderno de textos subsidios para o debate
18 caderno de textos subsidios para o debateAlinebrauna Brauna
 
Apresentação sr
Apresentação srApresentação sr
Apresentação srAryanne
 
A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2
A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2
A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2Heloísa Ximenes
 
Cooperação Intermunicipal...
Cooperação Intermunicipal... Cooperação Intermunicipal...
Cooperação Intermunicipal... fcmatosbh
 
Atps movimentos sociais pronto (1)
Atps movimentos sociais pronto (1)Atps movimentos sociais pronto (1)
Atps movimentos sociais pronto (1)Maria Alves
 
Desenvolvimento comunitario_Fulgencio_Bila
Desenvolvimento comunitario_Fulgencio_BilaDesenvolvimento comunitario_Fulgencio_Bila
Desenvolvimento comunitario_Fulgencio_BilaFulgencio Bila
 
Aula 3 Metodologia Instrumentos
Aula 3 Metodologia InstrumentosAula 3 Metodologia Instrumentos
Aula 3 Metodologia Instrumentoseadcedaps
 
Túlio i seminário macrorregioanl pnh
Túlio i seminário macrorregioanl pnhTúlio i seminário macrorregioanl pnh
Túlio i seminário macrorregioanl pnhredehumanizasus
 

Mais procurados (19)

Aula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas PolíticasAula2 Participação nas Políticas
Aula2 Participação nas Políticas
 
Participação Social
Participação SocialParticipação Social
Participação Social
 
Apresentação mmmmmm
 Apresentação mmmmmm Apresentação mmmmmm
Apresentação mmmmmm
 
Slides Terceiros
Slides TerceirosSlides Terceiros
Slides Terceiros
 
Articulação de Políticas Públicas e Atores Sociais - Série DRS vol. 8
Articulação de Políticas Públicas e Atores Sociais - Série DRS vol. 8Articulação de Políticas Públicas e Atores Sociais - Série DRS vol. 8
Articulação de Políticas Públicas e Atores Sociais - Série DRS vol. 8
 
18 caderno de textos subsidios para o debate
18  caderno de textos subsidios para o debate18  caderno de textos subsidios para o debate
18 caderno de textos subsidios para o debate
 
Introdução aos sistemas e programas federais de financiamento, convênio e pat...
Introdução aos sistemas e programas federais de financiamento, convênio e pat...Introdução aos sistemas e programas federais de financiamento, convênio e pat...
Introdução aos sistemas e programas federais de financiamento, convênio e pat...
 
Apresentação sr
Apresentação srApresentação sr
Apresentação sr
 
A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2
A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2
A importancia do_conselho_enquanto_instancia_de_controle2
 
Conselho Gestores de Políticas Públicas
Conselho Gestores de Políticas PúblicasConselho Gestores de Políticas Públicas
Conselho Gestores de Políticas Públicas
 
Plataforma NCD 2014
Plataforma NCD 2014Plataforma NCD 2014
Plataforma NCD 2014
 
Cooperação Intermunicipal...
Cooperação Intermunicipal... Cooperação Intermunicipal...
Cooperação Intermunicipal...
 
Atps movimentos sociais pronto (1)
Atps movimentos sociais pronto (1)Atps movimentos sociais pronto (1)
Atps movimentos sociais pronto (1)
 
Desenvolvimento comunitario_Fulgencio_Bila
Desenvolvimento comunitario_Fulgencio_BilaDesenvolvimento comunitario_Fulgencio_Bila
Desenvolvimento comunitario_Fulgencio_Bila
 
Aula 3 Metodologia Instrumentos
Aula 3 Metodologia InstrumentosAula 3 Metodologia Instrumentos
Aula 3 Metodologia Instrumentos
 
Túlio i seminário macrorregioanl pnh
Túlio i seminário macrorregioanl pnhTúlio i seminário macrorregioanl pnh
Túlio i seminário macrorregioanl pnh
 
Projeto UPP SOCIAL
Projeto UPP SOCIALProjeto UPP SOCIAL
Projeto UPP SOCIAL
 
Renata minerbo
Renata minerboRenata minerbo
Renata minerbo
 
Conselhos gestores
Conselhos gestoresConselhos gestores
Conselhos gestores
 

Destaque

Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura Rural Pecuária
 
Fomento ao Desenvolvimento Local Através do Associativismo
Fomento ao Desenvolvimento Local Através do AssociativismoFomento ao Desenvolvimento Local Através do Associativismo
Fomento ao Desenvolvimento Local Através do AssociativismoFelipe Brugg
 
Concepção de Território
Concepção de TerritórioConcepção de Território
Concepção de TerritórioMaria Moreninha
 
Organizações Governamentais e Não Governamentais
Organizações Governamentais e Não GovernamentaisOrganizações Governamentais e Não Governamentais
Organizações Governamentais e Não Governamentaiskyzinha
 
Participação, Inclusão e Desenvolvimento Local: A Institucionalização das Emp...
Participação, Inclusão e Desenvolvimento Local: A Institucionalização das Emp...Participação, Inclusão e Desenvolvimento Local: A Institucionalização das Emp...
Participação, Inclusão e Desenvolvimento Local: A Institucionalização das Emp...PROUTugal
 

Destaque (8)

Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura Gestão Sustentável na Agricultura
Gestão Sustentável na Agricultura
 
Fomento ao Desenvolvimento Local Através do Associativismo
Fomento ao Desenvolvimento Local Através do AssociativismoFomento ao Desenvolvimento Local Através do Associativismo
Fomento ao Desenvolvimento Local Através do Associativismo
 
Atps mov.sociais
Atps mov.sociaisAtps mov.sociais
Atps mov.sociais
 
Concepção de Território
Concepção de TerritórioConcepção de Território
Concepção de Território
 
Organizações Governamentais e Não Governamentais
Organizações Governamentais e Não GovernamentaisOrganizações Governamentais e Não Governamentais
Organizações Governamentais e Não Governamentais
 
Ong
OngOng
Ong
 
ONG
ONGONG
ONG
 
Participação, Inclusão e Desenvolvimento Local: A Institucionalização das Emp...
Participação, Inclusão e Desenvolvimento Local: A Institucionalização das Emp...Participação, Inclusão e Desenvolvimento Local: A Institucionalização das Emp...
Participação, Inclusão e Desenvolvimento Local: A Institucionalização das Emp...
 

Semelhante a Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local

Propostas da JSD Cartaxo para o Concelho,
Propostas da JSD Cartaxo para o Concelho,Propostas da JSD Cartaxo para o Concelho,
Propostas da JSD Cartaxo para o Concelho,João Oliveira
 
Lançamento do Projecto Empoderamento da Mulher 10/09/2014
Lançamento do Projecto Empoderamento da Mulher 10/09/2014Lançamento do Projecto Empoderamento da Mulher 10/09/2014
Lançamento do Projecto Empoderamento da Mulher 10/09/2014Development Workshop Angola
 
EACD Lisbon Debate CSR Carlos Pires Montepio_2014
EACD Lisbon Debate CSR Carlos Pires Montepio_2014EACD Lisbon Debate CSR Carlos Pires Montepio_2014
EACD Lisbon Debate CSR Carlos Pires Montepio_2014Dianova
 
Para Comunidades Mais Participativas - Experiências de Desenvolvimento Local ...
Para Comunidades Mais Participativas - Experiências de Desenvolvimento Local ...Para Comunidades Mais Participativas - Experiências de Desenvolvimento Local ...
Para Comunidades Mais Participativas - Experiências de Desenvolvimento Local ...comunidadesparticipativas
 
Willy Piassa - IFAL Formação em Gestão Participativa, 22 Junho 2013
Willy Piassa - IFAL Formação em Gestão Participativa, 22 Junho 2013Willy Piassa - IFAL Formação em Gestão Participativa, 22 Junho 2013
Willy Piassa - IFAL Formação em Gestão Participativa, 22 Junho 2013Development Workshop Angola
 
Projeto modelo pbsm (reparado) aves
Projeto modelo pbsm (reparado) avesProjeto modelo pbsm (reparado) aves
Projeto modelo pbsm (reparado) avesRosaria Miranda
 
Seminário START Porto Alegre 17ago2011
Seminário START Porto Alegre 17ago2011Seminário START Porto Alegre 17ago2011
Seminário START Porto Alegre 17ago2011techyredes
 
Moving Cause: Relatório de Actividades 2009-2011
Moving Cause: Relatório de Actividades 2009-2011Moving Cause: Relatório de Actividades 2009-2011
Moving Cause: Relatório de Actividades 2009-2011Moving Cause
 
Projeto inicial do programa empreender comunidade
Projeto inicial do programa empreender comunidadeProjeto inicial do programa empreender comunidade
Projeto inicial do programa empreender comunidadeOrnilo Lundgren
 
Articulação Sociocultural 2015 - PROAC
Articulação Sociocultural 2015 - PROAC Articulação Sociocultural 2015 - PROAC
Articulação Sociocultural 2015 - PROAC Vocação
 
Articulação Sociocultural Proac 2015
Articulação Sociocultural Proac 2015Articulação Sociocultural Proac 2015
Articulação Sociocultural Proac 2015Gustavo Sousa
 
Festival 2014 - Ampliando o impacto dos negócios sociais no Brasil
Festival 2014 - Ampliando o impacto dos negócios sociais no BrasilFestival 2014 - Ampliando o impacto dos negócios sociais no Brasil
Festival 2014 - Ampliando o impacto dos negócios sociais no BrasilABCR
 
Renata truzzi negocios sociais
Renata truzzi   negocios sociaisRenata truzzi   negocios sociais
Renata truzzi negocios sociaisSECONCI-RIO
 

Semelhante a Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local (20)

Propostas da JSD Cartaxo para o Concelho,
Propostas da JSD Cartaxo para o Concelho,Propostas da JSD Cartaxo para o Concelho,
Propostas da JSD Cartaxo para o Concelho,
 
Lançamento do Projecto Empoderamento da Mulher 10/09/2014
Lançamento do Projecto Empoderamento da Mulher 10/09/2014Lançamento do Projecto Empoderamento da Mulher 10/09/2014
Lançamento do Projecto Empoderamento da Mulher 10/09/2014
 
EACD Lisbon Debate CSR Carlos Pires Montepio_2014
EACD Lisbon Debate CSR Carlos Pires Montepio_2014EACD Lisbon Debate CSR Carlos Pires Montepio_2014
EACD Lisbon Debate CSR Carlos Pires Montepio_2014
 
Para Comunidades Mais Participativas - Experiências de Desenvolvimento Local ...
Para Comunidades Mais Participativas - Experiências de Desenvolvimento Local ...Para Comunidades Mais Participativas - Experiências de Desenvolvimento Local ...
Para Comunidades Mais Participativas - Experiências de Desenvolvimento Local ...
 
Rede Nossa São Paulo
Rede Nossa São PauloRede Nossa São Paulo
Rede Nossa São Paulo
 
Willy Piassa - IFAL Formação em Gestão Participativa, 22 Junho 2013
Willy Piassa - IFAL Formação em Gestão Participativa, 22 Junho 2013Willy Piassa - IFAL Formação em Gestão Participativa, 22 Junho 2013
Willy Piassa - IFAL Formação em Gestão Participativa, 22 Junho 2013
 
Projeto modelo pbsm (reparado) aves
Projeto modelo pbsm (reparado) avesProjeto modelo pbsm (reparado) aves
Projeto modelo pbsm (reparado) aves
 
Presentation Carlos Pires XIII Regional EACD Lisbon Debate 2014
Presentation Carlos Pires XIII Regional EACD Lisbon Debate 2014Presentation Carlos Pires XIII Regional EACD Lisbon Debate 2014
Presentation Carlos Pires XIII Regional EACD Lisbon Debate 2014
 
Seminário START Porto Alegre 17ago2011
Seminário START Porto Alegre 17ago2011Seminário START Porto Alegre 17ago2011
Seminário START Porto Alegre 17ago2011
 
Apresentação Projecto 24 Horas
Apresentação Projecto 24 HorasApresentação Projecto 24 Horas
Apresentação Projecto 24 Horas
 
Manual Gestão de Projetos Sociais 2012
Manual Gestão de Projetos Sociais 2012Manual Gestão de Projetos Sociais 2012
Manual Gestão de Projetos Sociais 2012
 
Moving Cause: Relatório de Actividades 2009-2011
Moving Cause: Relatório de Actividades 2009-2011Moving Cause: Relatório de Actividades 2009-2011
Moving Cause: Relatório de Actividades 2009-2011
 
Apresentação VaiTec 2ª edição
Apresentação VaiTec 2ª ediçãoApresentação VaiTec 2ª edição
Apresentação VaiTec 2ª edição
 
Projeto inicial do programa empreender comunidade
Projeto inicial do programa empreender comunidadeProjeto inicial do programa empreender comunidade
Projeto inicial do programa empreender comunidade
 
Articulação Sociocultural 2015 - PROAC
Articulação Sociocultural 2015 - PROAC Articulação Sociocultural 2015 - PROAC
Articulação Sociocultural 2015 - PROAC
 
Articulação Sociocultural Proac 2015
Articulação Sociocultural Proac 2015Articulação Sociocultural Proac 2015
Articulação Sociocultural Proac 2015
 
Luder Consulting Lda.
Luder Consulting Lda. Luder Consulting Lda.
Luder Consulting Lda.
 
Festival 2014 - Ampliando o impacto dos negócios sociais no Brasil
Festival 2014 - Ampliando o impacto dos negócios sociais no BrasilFestival 2014 - Ampliando o impacto dos negócios sociais no Brasil
Festival 2014 - Ampliando o impacto dos negócios sociais no Brasil
 
Renata truzzi negocios sociais
Renata truzzi   negocios sociaisRenata truzzi   negocios sociais
Renata truzzi negocios sociais
 
Conheça o COEP
Conheça o COEPConheça o COEP
Conheça o COEP
 

Mais de PROUTugal

Democracia Económica Transforma a América Latina … e a ti - Dada Maheshvarananda
Democracia Económica Transforma a América Latina … e a ti - Dada MaheshvaranandaDemocracia Económica Transforma a América Latina … e a ti - Dada Maheshvarananda
Democracia Económica Transforma a América Latina … e a ti - Dada MaheshvaranandaPROUTugal
 
Sociocracia - Gestão Dinâmica - Frands Wisbech Frydendal
Sociocracia - Gestão Dinâmica - Frands Wisbech FrydendalSociocracia - Gestão Dinâmica - Frands Wisbech Frydendal
Sociocracia - Gestão Dinâmica - Frands Wisbech FrydendalPROUTugal
 
Desenvolvimento de Comunidade Rural na Roménia - Denise Deshaies
Desenvolvimento de Comunidade Rural na Roménia - Denise DeshaiesDesenvolvimento de Comunidade Rural na Roménia - Denise Deshaies
Desenvolvimento de Comunidade Rural na Roménia - Denise DeshaiesPROUTugal
 
Ajudada - Filipa Pimentel e Luis Bello Moraes
Ajudada - Filipa Pimentel e Luis Bello MoraesAjudada - Filipa Pimentel e Luis Bello Moraes
Ajudada - Filipa Pimentel e Luis Bello MoraesPROUTugal
 
Programa CoopJovem - Lurdes Barata - CASES
Programa CoopJovem - Lurdes Barata - CASESPrograma CoopJovem - Lurdes Barata - CASES
Programa CoopJovem - Lurdes Barata - CASESPROUTugal
 
Sistemas de Moeda Sociais - Bruno Ricardo Ferreira
Sistemas de Moeda Sociais - Bruno Ricardo FerreiraSistemas de Moeda Sociais - Bruno Ricardo Ferreira
Sistemas de Moeda Sociais - Bruno Ricardo FerreiraPROUTugal
 
Re-desenhando um novo Paradigma para a ECOnomia - Filipe Moreira Alves
Re-desenhando um novo Paradigma para a ECOnomia - Filipe Moreira AlvesRe-desenhando um novo Paradigma para a ECOnomia - Filipe Moreira Alves
Re-desenhando um novo Paradigma para a ECOnomia - Filipe Moreira AlvesPROUTugal
 
Prout e a Economia Descentralizada - Colin Whitelaw
Prout e a Economia Descentralizada - Colin WhitelawProut e a Economia Descentralizada - Colin Whitelaw
Prout e a Economia Descentralizada - Colin WhitelawPROUTugal
 
Acção Local numa Visão Global e o Papel dos Comunicadores - Pieter De Vos
Acção Local numa Visão Global e o Papel dos Comunicadores - Pieter De VosAcção Local numa Visão Global e o Papel dos Comunicadores - Pieter De Vos
Acção Local numa Visão Global e o Papel dos Comunicadores - Pieter De VosPROUTugal
 
Desigualdades e Desastre Económico – Novas Evidências - Mark Friedman
Desigualdades e Desastre Económico – Novas Evidências - Mark FriedmanDesigualdades e Desastre Económico – Novas Evidências - Mark Friedman
Desigualdades e Desastre Económico – Novas Evidências - Mark FriedmanPROUTugal
 

Mais de PROUTugal (10)

Democracia Económica Transforma a América Latina … e a ti - Dada Maheshvarananda
Democracia Económica Transforma a América Latina … e a ti - Dada MaheshvaranandaDemocracia Económica Transforma a América Latina … e a ti - Dada Maheshvarananda
Democracia Económica Transforma a América Latina … e a ti - Dada Maheshvarananda
 
Sociocracia - Gestão Dinâmica - Frands Wisbech Frydendal
Sociocracia - Gestão Dinâmica - Frands Wisbech FrydendalSociocracia - Gestão Dinâmica - Frands Wisbech Frydendal
Sociocracia - Gestão Dinâmica - Frands Wisbech Frydendal
 
Desenvolvimento de Comunidade Rural na Roménia - Denise Deshaies
Desenvolvimento de Comunidade Rural na Roménia - Denise DeshaiesDesenvolvimento de Comunidade Rural na Roménia - Denise Deshaies
Desenvolvimento de Comunidade Rural na Roménia - Denise Deshaies
 
Ajudada - Filipa Pimentel e Luis Bello Moraes
Ajudada - Filipa Pimentel e Luis Bello MoraesAjudada - Filipa Pimentel e Luis Bello Moraes
Ajudada - Filipa Pimentel e Luis Bello Moraes
 
Programa CoopJovem - Lurdes Barata - CASES
Programa CoopJovem - Lurdes Barata - CASESPrograma CoopJovem - Lurdes Barata - CASES
Programa CoopJovem - Lurdes Barata - CASES
 
Sistemas de Moeda Sociais - Bruno Ricardo Ferreira
Sistemas de Moeda Sociais - Bruno Ricardo FerreiraSistemas de Moeda Sociais - Bruno Ricardo Ferreira
Sistemas de Moeda Sociais - Bruno Ricardo Ferreira
 
Re-desenhando um novo Paradigma para a ECOnomia - Filipe Moreira Alves
Re-desenhando um novo Paradigma para a ECOnomia - Filipe Moreira AlvesRe-desenhando um novo Paradigma para a ECOnomia - Filipe Moreira Alves
Re-desenhando um novo Paradigma para a ECOnomia - Filipe Moreira Alves
 
Prout e a Economia Descentralizada - Colin Whitelaw
Prout e a Economia Descentralizada - Colin WhitelawProut e a Economia Descentralizada - Colin Whitelaw
Prout e a Economia Descentralizada - Colin Whitelaw
 
Acção Local numa Visão Global e o Papel dos Comunicadores - Pieter De Vos
Acção Local numa Visão Global e o Papel dos Comunicadores - Pieter De VosAcção Local numa Visão Global e o Papel dos Comunicadores - Pieter De Vos
Acção Local numa Visão Global e o Papel dos Comunicadores - Pieter De Vos
 
Desigualdades e Desastre Económico – Novas Evidências - Mark Friedman
Desigualdades e Desastre Económico – Novas Evidências - Mark FriedmanDesigualdades e Desastre Económico – Novas Evidências - Mark Friedman
Desigualdades e Desastre Económico – Novas Evidências - Mark Friedman
 

Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local

  • 1. Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local 1993 – 2013 Outubro 2013
  • 2. A Rede ANIMAR é constituída por mais de 80 organizações e 100 pessoas (com uma intervenção importante de Norte a Sul de Portugal e Ilhas) A ANIMAR foi criada em 1993 como a Rede de ligação e suporte às organizações de Desenvolvimento Local em Portugal (numa primeira fase em áreas rurais)  Associação privada sem fins lucrativos  Dimensão nacional  Reúne organizações e pessoas com intervenção nas áreas: - desenvolvimento local - economia social e solidária - educação formal e não-formal - associativismo - cidadania ativa
  • 3. Com uma intervenção importante de Norte a Sul de Portugal e Ilhas Pretendemos estimular o Desenvolvimento Local através de processos/projetos: 1) de empowerment /autonomia organizacional e territorial 2) de troca de experiências dentro da rede 3) de interação e de desenvolvimento da sustentabilidade das organizações 4) de qualificação das organizações para uma melhor intervenção nos seus territórios 5) de lobby local e nacional relativo a medidas de política pública
  • 4. REPRESENTAÇÃO NACIONAL Organizações sem fins lucrativos: Associações de Desenvolvimento Local Organizações Particulares de Solidariedade Social Cooperativas Fundações Organizações não Governamentais INDIVIDUAIS: Colaboradores/as Associações, de Centros de Investigação, Docentes Universitários, etc. VANTAGENS  Funcionamento em rede de forma descentralizada  Difusão boas práticas e de troca de experiências  Difusão de conhecimento e práticas inovadoras ao nível nacional  Capacidade de relações institucionais com instituições de carácter público e privado  Mobilização e racionalização de recursos a nível nacional
  • 5. OBJETIVOS Representação e defesa de propostas dos associados em estruturas nacionais Elaboração de Projectos Comuns de Apoio e Dinamização da Rede Contribuição para a criação e reforço de programas específicos para áreas desfavorecidas Promoção e desenvolvimento de iniciativas de desenvolvimento local Difusão de informação e conhecimento, principalmente de conhecimento suporte às organizações que intervêm em áreas desfavorecidas Estimulação de troca de informações e experiências, entre experiências os agentes de desenvolvimento local Suporte informativo, técnico e financeiro às iniciativas das organizações associadas
  • 6. A Animar é membro: NACIONAL  CASES – Cooperativa António Sérgio para a Economia Social  CNES - Conselho Nacional para a Economia Social  Comissão de Acompanhamento do PRODER  Comissão de Acompanhamento da Rede Rural Nacional  Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regionais (NUT II)  Comissão Paritária do IEFP  Conselho de Acompanhamento da RTP2  Conselho Nacional de Agricultura e Desenvolvimento Rural  Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado  Fórum Não Governamental para a Inclusão Social – FNGIS  Grupos de Trabalho CIG INTERNACIONAL  Rede Europeia Anti-Pobreza- Portugal  ENSIE - Rede Europeia de Inclusão Social  RIPESS – Rede Intercontinental de Promoção da Economia Social e Solidária – Europa
  • 7.
  • 8. A ANIMAR atua: I) medindo o impacto das políticas nacionais e comunitárias, fazendo propostas em conformidade com elas e criando e executando projetos em rede com as suas associadas II) produzindo, editando e difundindo documentos, realizando seminários, colóquios, conferências, feiras e outras iniciativas, onde avulta a realização bienal da MANIFesta Assembleia, Feira e Festa do Desenvolvimento Local III) editando a revista Vez e Voz, a página eletrónica da Animar (www.animar-dl.pt) e o boletim InfoAnimar, para além de animar diversas comunidades de partilha, reflexão e discussão nas redes sociais existentes na internet
  • 9. Coesão e Sustentabilidade Territorial Prioridades de Intervenção: • Democratização • Definição de estratégias de atuação • Estabelecimento de redes / parcerias • Apoios aos atores locais
  • 10. Democratização  Mobilizar os/as cidadãos/ãs, para que apresentem as suas aspirações e participem nas escolhas das ações a implementar;  Reforçar projetos que estimulem processos de participação das comunidades locais no(s) processo(s) de desenvolvimento do seu território;  Contribuir para a criação de novos espaços de diálogo, de participação e de decisão, que favoreçam um novo relacionamento entre eleitos/decisores e eleitores;  Serem agentes de mudança através de uma intervenção individual ou enquadrada em organizações locais cívicas e solidárias;
  • 11. Definição de estratégias de atuação  Procurar diagnosticar finamente ao nível municipal quais os setores/negócios que mais resistem à crise, procurando assim os verdadeiros motores estratégicos da economia local, estimulando em simultâneo inovação e atividades de complementaridade e de reforço a estes setores/negócios, em especial os ligados a processos de micro empreendedorismo ou mesmo nano empreendedorismo;  Definir estratégias de atuação territorial, envolvendo as populações locais e os atores institucionais locais, procurando a articulação de diferentes escalas urbanas e rurais, a partir do local e sem imposição de modelos de desenvolvimento;  Consciencializar para que o ordenamento do território e a preservação do ambiente sejam elementos essenciais do desenvolvimento local;  Apostar em estratégias de produção local, que defina todo o circuito de comercialização do produtor ao consumidor, prevendo redes físicas de apoio à distribuição e colocação no mercado, nacional e internacional, a preços justos;
  • 12. Estabelecimento de redes / parcerias  Trabalhar a articulação em rede, de agentes locais do território, não tanto numa perspetiva de especialização, mas de atuação generalizada nesse mesmo território, promovendo um contato permanente com contextos europeus e internacionais, no sentido de despoletar uma aprendizagem interpares fora do contexto de atuação habitual;  Promover projetos ligados em rede, estimulando o aparecimento de novos produtos e serviços, a partir da interação dos produtos/serviços locais já produzidos;  Esta relação em rede tende a remeter para todo o tipo de relação entre diversos indivíduos, grupos ou instituições, de alguma forma interligados entre si, pressupondo que tal relação é tendencialmente horizontal e que há alguma interdependência entre os “nós”, ou seja, que (a ação de) cada um pode ter algum tipo de influência sobre os restantes.
  • 13. Apoios aos atores locais     Canalizar apoios financeiros para os atores de desenvolvimento local, para que possam implementar dinâmicas de animação territorial; Apoiar os nano e micronegócios formais, enquanto potenciadores da empregabilidade local. Defender os bens públicos e os serviços de proximidade quer estes sejam prestados por organizações do Estado Central ou Local, quer por organizações sem fins lucrativos de base local, mesmo elas sendo muitas vezes de pequeníssima dimensão e com fraca capacidade de financeira Estimular o microcrédito e outros mecanismos de financiamento, de apoio ao investimento
  • 14. Contatos ANIMAR - Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Local Rua Antero de Quental / Edifício Ninho de Empresas Bairro Olival de Fora 2625-640 VIALONGA PORTUGAL Tel. / Fax.: 00351-219527450 / 00351-219521322 E-mail: animar@animar-dl.pt Web: http://www.animar-dl.pt