Minho 8ºA

1.770 visualizações

Publicada em

Artesanato sobre o alto minho

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.770
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
213
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Minho 8ºA

  1. 1. Artesanato do Minho Trabalho realizado por: Ana Catarina Torres Silva nº1 Joana da Fonseca Barrote nº10 Sofia Duarte Rodrigues Casanova nº16
  2. 2. <ul><li>O Minho é a região mais rica em bordados; </li></ul><ul><li>A tradição dos Lenços de Namorados é significativa nas localidades de Viana do Castelo, Vila Verde, Telões, Guimarães e Aboim da Nóbrega, apresentando, todavia, características de bordado diferente. </li></ul><ul><li>Era costume ensinar às raparigas a arte de bordar para que mal entradas na adolescência começassem a preparar o enxoval. A rapariga usá-lo-ia ao domingo na trincha da saia ou no bolso do avental; mais tarde oferecê-lo-ia somente ao rapaz que amava como compromisso de amor, este passaria a usá-lo ao pescoço ou no bolso do casaco do fato domingueiro. </li></ul>
  3. 3. Lenço característico da maior parte do Minho Lenço característico de Aboim da Nóbrega
  4. 4. <ul><li>Bordar e rendar significa no Alto Minho realidade e sonho. Mãos rudes que se transformam em arte de princesas. A mistura de delicados abertos com pontos de feitura simples e segura. As combinações em arco-irís ou a sobriedade distinta de uma cor única. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>O linho passa por muitos trabalhos, os chamados &quot;tormentos&quot; do linho. Ripado e alagado. Masgado. Depois espadelado no cortiço. A seguir, vem o pente e o assedeiro. E, finalmente, a roca e o fuso. Pronto o fio fazem-se meadas no sarilho. E, se o linho se destina aos teares, passa-se das meadas para a dobadoura e as caneleiras. </li></ul>
  6. 7. <ul><li>Com o impulso de Marquês de Pombal em meados do Séc. XVIII, a Cerâmica nacional adquiriu um papel de relevo. Destaca-se, então, Viana do Castelo, devido ao fino caulino extraído das barreiras de Alvarães que deu origem, qualidade e valor artístico à sua faiança (louça de pó de pedra), e bem conhecida como Louça da Meadela. </li></ul>
  7. 9. <ul><li>O figurado de Barcelos é uma das mais autênticas expressões do imaginário popular português. Neste tipo de artesanato, o artesão transpõe para o barro o quotidiano e a forma de ver o mundo. São peças todas feitas à mão, pintadas, vidradas e a que cada artesão dá a forma própria. </li></ul>
  8. 10. <ul><li>São cerca de duas dezenas de espigueiros, juntos uns com os outros, constituindo um volumoso afloramento de granito do Séc. XVIII. Os espigueiros do Soajo têm fendas verticais no canastro. Telhados de duas águas e pilares de sustentação. </li></ul>
  9. 12. <ul><li>A Latoaria e os cobres em Vila de Punhe, com as suas candeias, cornetas e trombones são hoje adornos e decorações muito em voga em casas rústicas e senhoriais. </li></ul>
  10. 14. <ul><li>A cantaria tem como matéria prima o granito. Os canteiros tradicionais utilizam apenas o martelo, o cinzel, o esquadro e o metro para moldar o granito em bruto, transformando-o em esbeltas formas de arte: bicas de água (carrancas), conchas, relógios de sol, santos populares, fogões de sala, chafarizes e fontanários. </li></ul>
  11. 15. <ul><li>Caracterizado pela produção de objectos a partir de técnicas tradicionais em série limitada, plasticamente expressivos com uma maior aproximação à arte erudita ou pela produção de peças originais e únicas, fruto da vivência urbana dos artesãos. Exercem, normalmente, a actividade a tempo inteiro e são oriundos de profissões artísticas. </li></ul>
  12. 16. <ul><li>Se o trajar no Alto Minho é o mais lindo do mundo, é lógico que se preparem e vistam a rigor as mais belas bonecas com o traje regional. De pano, de jornal, de cerâmica ou outros materiais, têm hoje mercado próprio, mesmo de coleccionadores que procuram adquirir os variados trajes da Região. </li></ul>

×