A Rainha Muda, a Bruxa Feiona e a irmã dela
Era uma vez, um rei e uma rainha que
viviam num castelo com as suas três filha...
Apesar de já estar melhor ainda lhe doía um braço e não tinha
recuperado, totalmente, a sua bela voz.
A rainha quis agrade...
O banquete foi delicioso e no final
houve um grande baile. Durante o baile
apareceu uma estrela muito cintilante. A
rainha...
-Porta secreta?! O que é isso? Estás-me a enganar! – exclamou o ogre.
-Não estou nada. Por favor, diz-me lá o nome desta t...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A rainha muda, a bruxa feiona e a irmã dela ji pernes+ eb1 arneiro 1 e 4+ 8 a alcanede

447 visualizações

Publicada em

Projeto "Histórias a Crescer"

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
447
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
153
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A rainha muda, a bruxa feiona e a irmã dela ji pernes+ eb1 arneiro 1 e 4+ 8 a alcanede

  1. 1. A Rainha Muda, a Bruxa Feiona e a irmã dela Era uma vez, um rei e uma rainha que viviam num castelo com as suas três filhas, a Miquelina, a Jaquelina e a Champolina. O castelo tinha três torres e era perto de Pernes. Um dia uma bruxa má, chamada Feiona, montada numa vassoura voadora entrou no castelo e foi ter com a rainha Jasmina. Lançou-lhe um feitiço e ela ficou a sangrar do pescoço. Já não podia falar, só dizia “bah, bah….”. Quando as filhas da rainha iam a abrir a porta do quarto, viram a mãe sem conseguir falar e uma bruxa a sair pela janela. Agarraram numa bola de ferro que estava na mesa de cabeceira, subiram umas escadas que iam dar a uma torre e de lá atiraram a bola à bruxa. A bola bateu-lhe na cabeça, partiu-lhe um osso e ela morreu. A varinha da bruxa enfeitiçou-se e da cabeça da bruxa saíram flores todas diferentes. As princesas agarraram nas flores e foram-nas oferecer à rainha que as pôs num jarro com água. A mãe queria dizer obrigada mas não conseguia falar. Então foram chamar a fada Estrelinha que lançou um feitiço bom, “abracadabra, abracadabra” e a rainha ficou boa, mas... (autores e ilustradores da história: grupo de crianças da sala B, Jardim de Infância de Pernes, educadora Natércia)
  2. 2. Apesar de já estar melhor ainda lhe doía um braço e não tinha recuperado, totalmente, a sua bela voz. A rainha quis agradecer às suas princesas e à fada Estrelinha pela coragem que tiveram frente à bruxa má. Para que todos soubessem do feito a rainha e o rei mandaram organizar um belo banquete. Enviaram convites a todos os habitantes do reino. No castelo de Pernes viveram-se dias de muita agitação. Todos os criados andavam numa algazarra, a formar equipas para confecionar e servir o banquete. Eis que chega o dia do banquete e ao castelo começaram a chegar os convidados. Para entrarem tinham de passar por uma passadeira vermelha que os acompanhava até ao grande salão. Quando já todos estavam no grande salão começou-se a ouvir uma bela melodia e, de repente, a rainha acompanhada pelo rei e as três princesas apareceram no alto de uma escada, elegantíssimos
  3. 3. O banquete foi delicioso e no final houve um grande baile. Durante o baile apareceu uma estrela muito cintilante. A rainha olhou fixamente para a estrela e, nesse instante, o “bah-bah” da rainha transformou-se em corretas palavras…ABRACADABRA…MAGIA! A rainha ficou totalmente boa. A felicidade parecia ter voltado à família real. O baile acabou e todos regressaram às suas casas. No dia seguinte, ao fazerem a limpeza do salão tiveram uma surpresa mirabolante… (Autores e ilustradores da história: alunos da Turma B (1º/4ºanos) EB/JI Arneiro das Milhariças, professora Lindaura) Os criados encontraram uma porta secreta. Assustados e sem saber o que fazer, foram avisar o rei, que não deu muita importância ao assunto, mas a irmã de Feiona, Feiosa, estava a espiá-los e ouviu tudo. Decidiu ir logo ver aquela porta tão misteriosa e entrou. Lá encontrou um mundo desconhecido e distante. Nesse mundo havia coisas sobrenaturais e estranhas, como ogres, extraterrestres e super-homens. Feiosa decidira explorar esse mundo e encontrou um ogre de 2,30m de altura e 2m de largura. Ele estava dentro de uma caverna cheia de cabras e ovelhas, que eram a sua paixão. Então os dois puseram-se a conversar. -Quem és tu e o que fazes aqui? – interrogou o ogre. -Calma! Sou apenas uma bruxa que encontrou uma porta secreta para este mundo. Podes-me dizer como se chama esta terra?
  4. 4. -Porta secreta?! O que é isso? Estás-me a enganar! – exclamou o ogre. -Não estou nada. Por favor, diz-me lá o nome desta terra! – disse Feiosa. -Está bem! Estamos em Nárnia, a terra dos ogres e agora vai-te embora, estás a assustar o meu rebanho com essa batata no nariz. – ordenou o ogre. - Pois fica sabendo que nunca vi um ogre tão feio como tu na minha vida. Vou-me embora, adeus! – despediu-se Feiosa furiosa. A bruxa, triste por o ogre ter dito que ela tinha uma batata no nariz, foi caminhando, até que encontrou uma árvore com uns frutos muito apetitosos e decidiu provar um. Foi então que ouviu um grande grito. Feiosa assustou-se e deixou cair o fruto no chão. Eis que dele surgiu o super-homem vestido de laranja e disse a Feiosa: -Eu sou o super-homem e estou aqui em Pinholândia, ao pé deste grande pinheiro, para te avisar que tu não podes comer esses frutos, senão transformas-te numa princesa, e tu, sendo uma bruxa feia e má, não quererás ser uma linda princesa. - Bolas! Toda a gente diz que eu sou feia e ninguém me quer conhecer. – disse Feiosa. - Ainda bem que ninguém te quer conhecer, pois as bruxas só trazem azar. – retorquiu o super-homem. Feiosa, enervada com aquela ofensa, transformou-o num sapo. Triste por ninguém gostar dela naquele mundo, voltou para sua casa e começou a ser boa para toda a gente. Foi pedir desculpa aos reis e às suas filhas pela irmã ter sido tão má para eles e assim passou a ser uma bruxa querida por todos. (Autores e ilustradores da história: alunos da Turma 8ºA EB 2,3 de Alcanede, professora Maria João Assis)

×