13 
5.2 – Portfólio de Investimentos em Logística de Transportes 
Para o modo rodoviário, 
inicialmente, foram propostos 1...
Código Projeto Intervenção Descrição 
RA115 RS-020 2/2 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre ...
Código Projeto Intervenção Descrição 
RP104 RS-587 1/2 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Rodeio Bonito e Tr...
16 
Os 10 projetos ferroviá-rios 
propostos pelo Rumos 2015 
são divididos em duas sub-categorias, 
construção e remo-dela...
17 
Projetos Hidroviários 
Para o modo hidroviário, 
o Rumos 2015 propõe três pro-jetos 
de dragagem, conforme 
está repre...
Quadro 5.2.4 – Relação de Projetos Portuários 
Código Projeto Intervenção Descrição 
PC001 Porto de Rio Grande 1/5 Constru...
Foi considerada a implantação de infra-estrutura e serviços diferenciados, baseados nas ca-racterísticas 
da malha de tran...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

GOVERNO SARTORI - PLANO DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES - ANO BASE 2003 A SER ATUALIZADO

368 visualizações

Publicada em

PLANO DE GOVERNO PMDB-ELEIÇÕES 2014
#IINFRAESTRUTURA
IMPLEMENTAÇÃO DO PROGRAMA DE LOGÍSTICA E TRANSPORTE, ATUALIZANDO OS ESTUDOS E PROPOSTAS CONTIDAS NO RUMOS 2015
##DESENVOLVIMENTO:
ARTICULAÇÃO DE FORMAÇÃO DE PPPS VIA CONCESSÕES
Fonte: zh.clicrbs/notícias/eleições -2014

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
368
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

GOVERNO SARTORI - PLANO DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTES - ANO BASE 2003 A SER ATUALIZADO

  1. 1. 13 5.2 – Portfólio de Investimentos em Logística de Transportes Para o modo rodoviário, inicialmente, foram propostos 106 projetos de intervenção, sendo que os projetos de adequação de ca-pacidade viária ocorrem em todo o Estado, mas principalmente na região próxima a Porto Alegre. Essas intervenções possuem uma extensão de aproximadamente 5 mil quilômetros. Os projetos de cons-trução de rodovias concentram-se na região dos municípios de Porto Alegre e Dom Feliciano. Os de restauração e pavimentação estão distribuídos por todo o Estado, geralmente onde há maior carência no transporte, proporcionando maior acessibilidade e desen-volvimento. A Figura 5.2.1 apresenta a distribuição espacial dos projetos propostos, destacados segundo a tipologia de intervenção (ade-quação de capacidade, pavimen-tação, recuperação e construção de rodovias). O Quadro 5.2.1 apresen-ta Projetos Rodoviários Figura 5.2.1 – Projetos Rodoviários Fonte: Análises Consórcio Booz Allen – FIPE – HLC a relação dos projetos rodoviários propostos.Os projetos para a resolução de gargalos de capacidade compõem o maior grupo de intervenções rodoviárias, seguido dos projetos de restauração e, finalmente, pelos projetos de construção de novas rodovias. Quadro 5.2.1 – Relação de Projetos Rodoviários Código Projeto Intervenção Descrição RA002 BR-392 4/4 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho Cabeceira Norte da Ponte BR- 101 RA003 BR-386 1/6 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre Estrela e Tabaí (BR-287) RA005 RS-118 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre Sapucaia do Sul (BR- 116) e BR-290 RA006 BR-116 1/3 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre Eldorado do Sul e Barra do Ribeiro RA007 BR-290 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre Eldorado do Sul e Pantano Grande RA009 RS-135 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho Erechim e Passo Fundo RA101 BR-386 3/6 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre Lajeado e Soledade RA103 RS-453 ½ Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre Farroupilha e RS-470 RA104 RS-122 2/2 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre Farroupilha e São Vendelino RA105 RS-453 2/2 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre RS-470 e Estrela RA106 BR-287 2/5 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre BR-386 e Santa Cruz do Sul RA108 BR-392 ¼ Adequação de Capacidade 2 para 3 faixas de tráfego no trecho entre Cruz Alta e Santa Maria RA110 RS-569 Adequação de Capacidade 2 para 3 faixas de tráfego no trecho entre Palmeira das Missões e BR-386 RA111 BR-285 2/4 Adequação de Capacidade 2 para 3 faixas de tráfego no trecho entre Passo Fundo e Carazinho
  2. 2. Código Projeto Intervenção Descrição RA115 RS-020 2/2 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre Cachoeirinha e Taquara RA116 RS-122 1/2 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre BR-116 e Caxias do Sul RA117 BR-386 2/6 Adequação de Capacidade 4 para 6 faixas de tráfego no trecho entre BR-116 e Tabaí RA118 BR-471 1/5 Adequação de Capacidade 14 2 para 3 faixas de tráfego no trecho entre Soledade e Barros Cassal RA119 BR-153 2/3 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre Passo Fundo e Tio Hugo RA121 RS-344 Adequação de Capacidade 2 para 3 faixas no trecho entre Giruá e Santo Ângelo RA122 RS-342 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre Ijuí e Cruz Alta RA123 BR-470 2/2 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre Bento Gonçalves e São Vendelino RA128 BR-392 2/4 Adequação de Capacidade 2 para 3 faixas de tráfego no trecho entre Santana da Boa Vista e BR-116 RA129 BR-386 5/6 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre Soledade e Carazinho RA130 BR-386 6/6 Adequação de Capacidade 2 para 3 faixas de tráfego no trecho entre Carazinho e Frederico Westphalen RA133 BR-116 2/3 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre Barra do Ribeiro e Tapes RA135 BR-285 3/4 Adequação de Capacidade 2 para 3 faixas de tráfego no trecho entre Carazinho e BR-158 RA136 BR-285 4/4 Adequação de Capacidade 2 para 3 faixas de tráfego no trecho entre BR-158 e Entre-Ijuís RA139 BR-392 3/4 Adequação de Capacidade 2 para 4 faixas de tráfego no trecho entre BR-101 e Rio Grande RA140 BR-481 2/2 Adequação de Capacidade 2 para 3 faixas de tráfego no trecho entre BR-287 e Passa Sete RA141 RS-223 Adequação de Capacidade 2 para 3 faixas de tráfego no trecho entre Cruz Alta e RS-142 RA142 BR-116 3/3 Adequação de Capacidade Construção de viadutos e 3 faixas de tráfego no trecho entre Porto Alegre e Nova Petrópolis RC007 EN-007 Construção Ponte sobre o Rio Jacuí - Ligação entre a BR-386 (Triunfo) e a BR-290 (Eldorado do Sul) RC102 Rodovia do Parque 1/2 Construção 2 faixas de tráfego no trecho entre BR-290 e BR-386 RC103 RS-010 1/2 Construção 2 faixas de tráfego no trecho entre Cachoeirinha e BR-386 RC104 BR-386 4/6 Construção 4 faixas de tráfego no trecho entre BR-116 e RS-118 RC105 Via Oeste Construção 2 faixas de tráfego no trecho entre BR-386 e RS-240 RC107 RS-010 3/2 Construção 2 faixas de tráfego no trecho entre RS-118 e RS-239 RC108 Rodovia do Parque 2/2 Construção 2 faixas de tráfego no trecho entre BR-386 e Sapucaia do Sul RP001 BR-471 4/5 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Boa Esperança e Rio Camaquã RP003 BR-471 2/5 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Barros Cassal e Herveiras RP004 BR-471 3/5 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Herveiras e Vera Cruz RP009 BR-285 1/4 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre a divisa dos estados SC/RS e Bom Jesus RP012 RS-020 1/2 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Cambará do Sul e BR-285 RP014 RS-427 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Cambará do Sul e divisa de SC/RS RP016 RS-422 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho Linha Brasil - Linha Cachoeira RP020 RS-410 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Candelária e Bexiga RP021 RS-305 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho Crissiumal - BR-468 (Padre Gonzalez) RP023 RS-348 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Ivorá e São João do Polêsine (acesso a Faxinal) RP035 RS-706 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Pedro Osório e BR-293 RP036 RS-324 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Iraí e Planalto RP041 RS-244 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho Venâncio Aires e Vila Melos RP049 RS-403 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Cachoeira do Sul e Rio Pardo RP050 RS-440 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho Triunfo e BR-386 RP053 RS-655 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho Entr. E.M. (P/Jaguarão) - Passo do Centurião (Front.BR-URU) RP063 RS-218 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Santo Ângelo (acesso ao Aeroporto) e Catuípe RP065 RS-350 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Encruzilhada e Dom Feliciano RP101 BR-481 1/2 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Salto do Jacuí e Arroio do Tigre RP102 RS-441 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Vista Alegre do Prata e Nova Prata RP103 RS-585 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Erval Seco e Linha Progresso RP104 RS-587 1/2 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Rodeio Bonito e Trindade do Sul RP105 EN-008 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Santo Augusto e Coronel Bicaco
  3. 3. Código Projeto Intervenção Descrição RP104 RS-587 1/2 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Rodeio Bonito e Trindade do Sul RP105 EN-008 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Santo Augusto e Coronel Bicaco RP106 EN-009 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Três Palmeiras e Entre Rios do 15 Fonte: Análises Consórcio Booz Allen – FIPE – HLC Sul RP107 BR-480 1/2 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Erechim e São Valentin RP108 RS-529 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Itaqui e Encruzilhada RP109 RS-566 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Maçambará e Alegrete RP110 RS-473 1/2 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre São Gabriel e Bagé RP111 RS-357 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Lavras do Sul - RS-473 RP112 RS-608 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Pedras Altas e Herval RP114 RS-176 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Encruzilhada e Manuel Viana RP115 RS-183 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre BR-290 e BR-293 RP116 RS-630 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Vacacaí e Dom Pedrito RP117 RS-265 1/2 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre BR-293 e BR-471 RP119 RS-704 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Pedro Osório e RS-473 RP120 RS-265 2/2 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre São Lourenço e Boa Vista RP121 RS-473 2/2 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Herval e BR-471 RP122 RS-124 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre São Sebastião do Caí e Pareci Novo RP123 RS-330 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Palmeira das Missões e Carazinho RP125 RS-162 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Santa Rosa e Guarani das Missões RP126 RS-239 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Rolante e Riozinho RP127 EN-010 Pavimentação 2 faixas de tráfego no trecho entre Linha Progresso e RS-330 RP226 RS-472 Pavimentação trecho entre Porto Xavier e Porto Lucena RP227 RS-475 Pavimentação trecho entre Sananduva e Charrua RR001 BR-472 2/5 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre São Borja - Itaqui RR006 BR-153 1/3 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre BR-290 e Bagé RR007 BR-287 1/5 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre São Vicente (RS-241) e Santiago RR101 BR-293 1/2 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Santana do Livramento e RS- 183 RR102 BR-293 2/2 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Bagé e Dom Pedrito RR103 RS-702 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Piratini e BR-293 RR107 RS-126 1/2 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Caseiros e Ibiraiaras RR108 RS-487 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Ibiaçá e São Gregório RR109 RS-126 2/2 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre São Gregório e BR-285 RR110 RS-331 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Gaurâma e Viadutos RR111 RS-111 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Campina do Sul e Erechim RR112 BR-480 2/2 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Erval Grande e São Valentim RR113 RS-587 2/2 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Seberi e Rodeio Bonito RR114 BR-472 3/5 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Palmitinho e BR-158 RR120 BR-472 4/5 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Itaqui e Uruguaiana RR121 BR-472 5/5 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Uruguaiana e Barra do Quaraí RR122 BR-153 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Bagé e Aceguá RR123 BR-287 3/5 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Santiago e São Borja RR124 BR-287 4/5 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Santa Maria e São Vicente do Sul RR125 BR-287 5/5 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Santa Maria e Paraíso do Sul RR126 BR-158 2/3 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Santa Maria e Cruz Alta RR127 BR-158 3/3 Restauração 2 faixas de tráfego no trecho entre Santa Maria e São Sepé RR128 BR-471 5/5 Restauração 2 faixas de tráfego trecho entre Pantano Grande e Encruzilhada do Sul
  4. 4. 16 Os 10 projetos ferroviá-rios propostos pelo Rumos 2015 são divididos em duas sub-categorias, construção e remo-delação, conforme a Figura 5.2.2. Nota-se que os projetos de construção de ferrovias loca-lizam- se na região leste do Estado, ligando Caxias do Sul à malha existente e realizando a interligação da região de Pelotas com Porto Alegre e, ain-da, na região sul, interligando Candiota à malha, através de um pequeno ramal. A maioria das obras ferroviárias é de remo-delação, distribuídas ao longo da malha do Estado e trazendo melhorias em uma extensão su-perior a mil quilômetros. Os pro-jetos propostos para as ferrovias passam por áreas centrais do Rio Grande do Sul e beneficiam tanto cargas originadas ou des-tinadas Projetos Ferroviários no seu entorno quanto cargas de passagem. Especificamente, a construção do tronco ligando Porto Alegre a Pelotas diminui significativamente a distância ferroviária entre o noroeste do Estado e o Porto de Rio Grande, sendo um projeto de solução de um relevante elo faltante.Os projetos estão apresentados no Quadro 5.2.2. Quadro 5.2.2 – Relação de Projetos Ferroviários Código Projeto Intervenção Descrição FC002 Linha Ferroviária General Luz - Pelotas Construção Construção linha singela FC003 Ramal Ferroviário de Candiota Construção Construção linha singela FC101 Ramal Ferroviário Colinas-Caxias Construção Construção linha singela FR001 Linha Ferroviária Cruz Alta - Santo Ângelo e Ramal Santa Rosa Remodelação Substituição de trilhos perfil TR-37 por TR-45 FR002 Linha Ferroviária Cruz Alta - Pinhal Remodelação Substituição de trilhos perfil TR-37 por TR-45 FR003 Linha Ferroviária Cruz Alta - Passo Fundo Remodelação Substituição de trilhos perfil TR-37 por TR-45 FR101 Linha Entrocamento - Livramento Remodelação Reforço estrutural de pontes do km 39,6 e km 112,7, de 18 para 25 t/eixo FR103 Linha Roca Sales e General Luz Remodelação Correção de problemas em aterros que limitam a capacidade dos trens na Linha Roca Sales-General Luz FR104 Linha Ferroviária Cruz Alta - T. Santa Maria -Cacequi - Rio Grande Remodelação Reforço estrutural de pontes de 18 para 25 t/eixo FR105 Linha Ferroviária Porto Alegre - Uruguaiana Remodelação Reforço estrutural de pontes de 18 para 25 t/eixo F onte: Análises Consórcio Booz Allen – FIPE – HLC Figura 5.2.2– Projetos Ferroviários Fonte: Análises Consórcio Booz Allen – FIPE – HLC
  5. 5. 17 Projetos Hidroviários Para o modo hidroviário, o Rumos 2015 propõe três pro-jetos de dragagem, conforme está representado na Figura 5.2.3. As intervenções devem ser feitas na Hidrovia da Laguna dos Patos e do Rio Taquari. Ca-be mencionar que o projeto refe-rente à ligação hidroviária Ibi-cuí- Jacuí foi analisado por este estudo, mas não foi incluído no Portfólio final de projetos devido à ausência de indicativos de demanda para a sua execução. Portanto, os projetos de inter-venção definidos para o modo hidroviário pelo Rumos 2015 es-tão no Quadro 5.2.3 abaixo. Quadro 5.2.3 – Relação de Projetos Hidroviários Projetos Portuários Figura 5.2.4 – Projetos Portuários Fonte: Análises Consórcio Booz Allen – FIPE – HLC Os projetos de interven-ções portuárias propostos pelo Ru-mos 2015 referem-se ao Porto de Rio Grande, sendo apresentados de forma simplificada na Figura 5.2.4. São propostos cinco proje-tos de intervenção portuária, coerentes com as necessidades identificadas no Porto de Rio Grande. O objetivo é aparelhar o Porto para que possa atender de maneira adequada à demanda existente e às demandas futuras, como a movimentação de produ-tos florestais, dada a previsão de implantação de nova planta de ce-lulose na região de Pelotas. Os projetos portuários, que incluem a implantação do terminal de produ-tos florestais, estão representados no Quadro 5.2.4. Figura 5.2.3 – Projetos Hidroviários Fonte: Análises Consórcio Booz Allen – FIPE – HLC Código Projeto Intervenção Descrição HD001 Hidrovia da Laguna dos Patos 1/2 Dragagem Dragagem de retificação e aprofundamento dos canais de acesso ao Porto do Rio Grande para 60 pés HD002 Hidrovia da Laguna dos Patos 2/2 Dragagem Dragagem de 30 para 40 pés entre o Terminal COPESUL e o Cais do Porto Novo e Melhoria da Sinalização HD003 Hidrovia do Taquarí Dragagem Dragagem do Rio Taquari e Manutenção da Eclusa de Bom Retiro Fonte: Análises Consórcio Booz Allen – FIPE – HLC
  6. 6. Quadro 5.2.4 – Relação de Projetos Portuários Código Projeto Intervenção Descrição PC001 Porto de Rio Grande 1/5 Construção Projetos Aeroportuários Quadro 5.2.5 – Relação de Projetos Aeroportuários Fonte: Análises Consórcio Booz Allen – FIPE – HLC 18 Estão localizados nos municípios de Porto Alegre e Caxias do Sul. Em relação ao primeiro, são propostas inter-venções para melhoria de seu desempenho no transporte de cargas. No caso de Caxias do Sul, o Rumos 2015 apontou a necessidade da viabilização, no horizonte do projeto, de um novo aeroporto regional para o atendimento da movimentação de passageiros e, particu-larmente, de cargas aéreas. A Figura 5.2.5 apresenta a loca-lização do Aeroporto Inter-nacional Salgado Filho, em Porto Alegre, e aquela do novo aeroporto de Caxias do Sul, na região nordeste do Estado. Os projetos de intervenção aero-portuária propostos pelo estudo encontram-se no Quadro 5.2.5. Figura 5.2.5 – Projetos Aeroportuários Fonte: Análises Consórcio Booz Allen – FIPE – HLC Fonte: Análises Consórcio Booz Allen – FIPE – HLC Avanço da frente de atracação 11m (direção do mar), aumento do calado de 30 para 40 pés PC002 Porto de Rio Grande 2/5 Construção Implantação de terminal de produtos florestais PC003 Porto de Rio Grande 3/5 Construção Construção de berços de barcaças no TECON PM001 Porto de Rio Grande 4/5 Melhorias Ampliação dos molhes de Rio Grande PM004 Porto de Rio Grande 5/5 Melhorias Reaparelhamento do Porto Novo Código Projeto Intervenção Descrição AC003 Aeroporto Salgado Filho 1/3 Construção Ampliação do Terminal de Cargas Aeroporto Salgado Filho AC004 Aeroporto de Caxias do Sul Construção Novo aeroporto na Vila Oliva AM001 Aeroporto Salgado Filho 2/3 Melhorias Aumento da pista em 1.000 m para decolagem de aeronaves de carga de grande porte AM002 Aeroporto Salgado Filho 3/3 Melhorias Implantação do Sistema de Aproximação de Precisão Categoria II para a pista de Pouso e Decolagem 11
  7. 7. Foi considerada a implantação de infra-estrutura e serviços diferenciados, baseados nas ca-racterísticas da malha de transportes e da demanda. São propostos quatro tipos de plataformas ter-restres, com nível crescente de complexidade: Centro de Serviço, Centro Logístico Urbano, Centro Logístico Integrado e Plataforma Logística, sendo que para a categoria Centro de Serviço foram criadas três classes, diferenciadas entre si pelo porte da infra-estrutura a ser instalada. 19 Projetos de Plataformas Terrestres Quadro 5.2.6 – Relação de Projetos de Plataformas Terrestres Código Projeto Intervenção Descrição TI001 Plataforma Terrestre Tipo IV - Guaíba/Canoas/Triunfo Fonte: Análises Consórcio Booz Allen – FIPE – HLC Projetos em Armazéns A avaliação indicou projetos para suprir necessidades de armazenagem de grãos (Quadro 5.2.7). Cada projeto indica a capacidade de armazenagem que deve ser atualizada ou construída nas Regiões Funcionais. Atualmente, cerca de 10 milhões de toneladas da capacidade estática dos armazéns do Estado estão interditadas por razões como, por exemplo, deficiências técnicas. O Rumos 2015 indica um projeto para cada Região para a melhoria das instalações impedidas de operar, que chegam a representar até 60% da capacidade total dos armazéns de Regiões Funcionais. Nas Regiões 1, 3 e 9, a melhoria das instalações não é suficiente para suprir a capacidade estática necessária, sendo indicada a construção de novas instalações, totalizando 2,49 milhões de toneladas adicionais de capacidade estática. Outros três projetos propõem solucionar necessidades de novos armazéns nessas Regiões. Quadro 5.2.7 – Relação de Projetos de Plataformas Terrestres Fonte: Análises Consórcio Booz Allen – FIPE – HLC Implantação Plataforma Logística em Guaíba, Canoas ou Triunfo TI101 Plataforma Terrestre Tipo I - Ijuí Implantação Centro de Serviços de Pequeno Porte em Ijuí TI102 Plataforma Terrestre Tipo I - Passo Fundo Implantação Centro de Serviços de Médio Porte em Passo Fundo TI103 Plataforma Terrestre Tipo I - Pelotas Implantação Centro de Serviços de Pequeno Porte em Pelotas TI104 Plataforma Terrestre Tipo I - Rio Grande Implantação Centro de Serviços de Grande Porte em Rio Grande TI105 Plataforma Terrestre Tipo I - Santana do Livramento Implantação Centro de Serviços de Médio Porte em Santana do Livramento TI106 Plataforma Terrestre Tipo I - São Borja Implantação Centro de Serviços de Pequeno Porte em São Borja TI107 Plataforma Terrestre Tipo I - Uruguaiana Implantação Centro de Serviços de Médio Porte em Uruguaiana TI108 Plataforma Terrestre Tipo II - Porto Alegre Implantação Centro Logístico Urbano em Porto Alegre TI111 Plataforma Terrestre Tipo III - Estrela Implantação Centro Logístico Integrado em Estrela TI114 Plataforma Terrestre Tipo III - Pelotas Implantação Centro Logístico Integrado em Pelotas Código Projeto Intervenção Descrição ZC001 Armazéns da RF 1 2/2 Construção Nova instalação de armazéns da RF 1 (737,0 mil toneladas) ZC002 Armazéns da RF 3 2/2 Construção Nova instalação de armazéns da RF 3 (610,2 mil toneladas) ZC003 Armazéns da RF 9 2/2 Construção Nova instalação de armazéns da RF 9 (1143,1 mil toneladas) ZM001 Armazéns da RF 1 1/2 Melhorias Upgrade dos armazéns da RF 1 (651,5 mil toneladas) ZM002 Armazéns da RF 2 Melhorias Upgrade dos armazéns da RF 2 (542,8 mil toneladas) ZM003 Armazéns da RF 3 1/2 Melhorias Upgrade dos armazéns da RF 3 (125,7 mil toneladas) ZM004 Armazéns da RF 4 Melhorias Upgrade dos armazéns da RF 4 (171,1 mil toneladas) ZM005 Armazéns da RF 5 Melhorias Upgrade dos armazéns da RF 5 (842,7 mil toneladas) ZM006 Armazéns da RF 6 Melhorias Upgrade dos armazéns da RF 6 (345,0 mil toneladas) ZM007 Armazéns da RF 7 Melhorias Upgrade dos armazéns da RF 7 (1040,3 mil toneladas) ZM008 Armazéns da RF 8 Melhorias Upgrade dos armazéns da RF 8 (939,8 mil toneladas) ZM009 Armazéns da RF 9 1/2 Melhorias Upgrade dos armazéns da RF 9 (1243,8 mil toneladas)

×